sexta-feira, maio 27, 2022

Gripen para o Brasil

‘Eurocanards’ sobre a Líbia: Typhoon, o que veio depois do Tornado

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Compre a revista Forças de Defesa 2 e veja matéria especial, apresentando os diferenciais mostrados pelo Typhoon e os outros dois “eurocanards” em operações sobre a Líbia

O governo de Gaddafi já é chamado de regime anterior, ou extinto, nas notas à imprensa do Ministério da Defesa do Reino Unido, mas os ataques a esse “former regime” continuam, segundo o último desses comunicados: na segunda-feira, 29 de agosto, aviões de combate Tornado e Typhoon, numa patrulha de reconhecimento armado, localizaram e destruíram um veículo de transporte de munição, próximo a um depósito central de armamento (já bastante danificado) em Waddan, na região central da Líbia. O veículo foi destruído por um míssil Brimstone (o que indica que o ataque foi feito por um Tornado, que tem esse armamento integrado).

Outra patrulha, no mesmo dia, destruiu três prédios próximos a Bani Walid (160 km ao sul de Trípoli), que análises de reconhecimento da OTAN indicaram estar sendo usados pelas forças de Gaddafi para comando, controle e armazenamento de munção. O ataque foi feito com bombas guiadas Paveway – armas já em uso pelo Typhoon.

Outro alvo destruído por uma patrulha de Tornado e Typhoon foi um veículo lançador de mísseis balísticos FROG-7, localizado ao sul da capital do país em mãos das forças de Gaddafi. Uma bomba guiada Paveway foi empregada no ataque a essa arma de longo alcance e pouca precisão, que representava uma ameaça potencial à população de Trípoli.

Assim seguem as missões dessa “dupla dinâmica” da RAF (Força Aérea Real Britânica), e esse é um dos pontos principais da matéria “Eurocanards sobre a Líbia” da revista Forças de Defesa 2, na parte em que trata do segundo “eurocanard” a entrar em ação no conflito, o Typhoon. Até que ponto ele já está mostrando suas qualidades em relação não só aos outros dois novos caças europeus (o Rafale e o Gripen), mas comparado ao seu “primo mais velho”, o Tornado, a primeira aeronave de combate da RAF a realizar ataques na Líbia?

Descubra adquirindo hoje mesmo a sua revista Forças de Defesa 2! Para quem já comprou, as informações e fotos (via Ministério da Defesa do Reino Unido) deste “post” e de outros publicados regularmente no Poder Aéreo servem como complemento. E para quem ainda não comprou, serve como aperitivo à matéria da revista. Garanta já a sua!

Para adquirir o seu exemplar, clique num dos botões abaixo. Use o PagSeguro para gerar um boleto pagável em qualquer banco e o PayPal para pagar com cartão de crédito.

Para dúvidas sobre outras formas de pagamento e demais informações, envie um e-mail para revista@fordefesa.com.br.

Ao comprar a revista, o leitor torna-se assinante dos sites das Forças de Defesa, podendo postar comentários após o seu cadastramento.


- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias

Japão permitirá exportações de caças e mísseis para 12 países

Índia, Austrália, Vietnã, Tailândia, Malásia, Filipinas entre destinos TÓQUIO - O governo japonês planeja permitir a exportação de caças, mísseis...
- Advertisement -
- Advertisement -