sexta-feira, maio 27, 2022

Gripen para o Brasil

Valor unitário do F-35 no quinto lote sobe

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Lockheed apresenta proposta para o quinto lote com valores mais elevados

A mais recente proposta da Lockheed Martin para o lote de jatos de caça F-35 mostra que o preço do avião continua subindo neste que é no mais caro programa de armas do Pentágono, disseram fontes familiarizadas com o programa.

Os custos totais nos três primeiros contratos de produção para o novo avião furtivo e o seu motor superaram a marca anterior em 11 a 15 por cento, disse Joe DellaVedova, porta-voz do escritório do Pentágono para o programa F-35.

O Pentágono reestruturou o programa de 382.000 milhões dólares americanos por duas vezes em dois anos para obter um controle sobre questões técnicas deficientes e custos escalantes.

O custo de construir aviões novos geralmente desce ao longo do tempo como o aumento das quantidades produzidas, mas a proposta da Lockheed para um quinto lote de F-35 foi de US$ 5 milhões a 7 milhões maior por aeronave em relação ao quarto contrato, disseram as fontes, que não estavam autorizadas a falar publicamente.

O aumento do preço reflete o custo efetivo maior para os três primeiros lotes, e uma mudança de “contratos flutuantes” para contratos de “preço fixo com incentivos fiscais”, tornando a empresa mais responsável por eventuais elevações futuras nos custos, disseram as fontes.

O Vice-Almirante David Venlet, que dirige o programa F-35 Joint Strike Fighter, disse no mês passado que a equipe encarregada de aquisição dos aviões em conjunto com o auditores de defesa analisarão cuidadosamente a proposta da Lockheed para um lote quinto de 35 aviões, que será a segunda aquisição em termos de preço fixo.

Ele disse que os anos de 2011 e 2012 seriam decisivos para o programa demonstrar que tinha os custos sob controle. Ele reconheceu que os três primeiros contratos enfrentaram atrasos e derrapagens de custos, mas não deu detalhes.

Ele disse que também estava ansioso para ver como os custos reais no quarto lote de produção se alinharia com o contrato de 3,5 bilhões dólares assinado com a Lockheed ano passado.

O porta-voz da Lockheed, Mike Rein confirmou que a empresa, principal fornecedora do Pentágono, tinha apresentado uma proposta em 25 de abril, mas não deu mais detalhes. Ele disse que a empresa está focada em fornecer o avião de guerra a um preço acessível.

A Lockheed tinha concordado em absorver cerca de 30 por cento da sua quota de custos nos três primeiros contratos, Rein disse, acrescentando que os aumentos de custos foram em grande parte devido à evolução das exigências materiais e os custos trabalhistas.

Os trabalhos Desses contratos estão de 63 a 89 por cento concluídos, disse DellaVedova, porta-voz do Pentágono, observando que levou mais tempo do que o esperado para a produção de seções dos planos iniciais e montá-los.

As fontes disseram que o montante total dos custos excedentes de motores e de células seria de aproximadamente US $ 500 milhões, após a contribuição da Lockheed.

DellaVedova não quis comentar sobre os termos da mais recente proposta da Lockheed, mas disse que o contrato seria finalizado nos próximos meses, após negociações detalhadas com a empresa.

Ashton Carter, responsável pelas aquisições do Pentágono, tem repetidamente expressado sua preocupação contínua de custos sobre o programa.

No mês passado, ele disse aos congressistas que os custos estavam crescendo muito rápido em ambos os casos: o programa do F-35 em si e do motor F135 em desenvolvimento pela Pratt & Whitney, uma unidade da United Technologies Corp. Ele disse que o excesso de custos na fuselagem foram proporcionalmente maiores que os do motor.

Carter também incluiu o programa como um dos 14 programas de armas que serão objecto de fiscalização mais rigorosas.

Lockheed desenvolve três variantes do F-35 para os militares dos EUA e de oito países parceiros, como alternativa para a substituição de mais de uma dúzia de modelos diferentes.

O Pentágono estima que o custo médio de cada F-35 será de cerca de 90 milhões dólares, acima das estimativas iniciais de US$ 50 milhões por avião. As projeções da Lockheed de preço médio do modelo da Força Aérea está em torno de $ 65 milhões.

O contrato de produção do quarto lote inclui 11 aviões para a Força Aérea ao preço de 111,6 milhões dólares cada, excluindo o motor, 17 aviões na versão STOVL ao preço de 109,4 milhões dólares, e quatro aviões para a Marinha que custará 142,9 milhões dólares americanos cada.

O contrato prevê que a Lockheed e o governo dos EUA dividam igualmente o custo se os valores atingirem até 120 por cento do preço negociado, e qualquer porcentagem acima disso será de responsabilidade da Lockheed. Se os custos ficarem abaixo da meta, o governo e a Lockheed iria partilhar os lucros igualmente.

FONTE: Reuters

- Advertisement -

8 Comments

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader

Enquanto o F-35 estiver mais barato que o Rafale, o preço será mais que justo…

Lobo

E mesmo que fique mais caro ainda tá valendo….

edcreek

Olá,

Já ultrapassou o preço do Rafale e em breve passará o Typhoon e será o caça mais caro ainda em produção.

Porém a capaçidade dele é maior e será o estado da arte.

Um misto de aeronaves mais baratas e de carissimos F-35 será o que veremos na otan e paises que levam defesa a serio e claro estão alinhados com a politica Imperialista.

Abraços,

Vader

“O Pentágono estima que o custo médio de cada F-35 será de cerca de 90 milhões dólares”

Preço unitário do Rafale (2010), segundo o Tribunal de Contas da República da França: 142,3 milhões de euros, ou US$ 203,930 milhões.

http://1.bp.blogspot.com/-CZkyDvdFrBg/TZ2gup2TgYI/AAAAAAAAAGk/ZXGs_FUKO68/s1600/Pre%25C3%25A7o%2BRafale%2B2010.bmp

edcreek

Olá,

Vader deixe o Teorema de Vaders para lá, veja as noticias do mundo real, como a compra do caça pela India.

Sem fantasia por favor!!!!

Abraços,

Vader

edcreek disse:
4 de maio de 2011 às 10:45

Ed, deixe a desinformação pra lá e conteste o Tribunal de Contas da República da França.

Aliás, o pdf tá aqui: http://www.ccomptes.fr/fr/CC/documents/RPA/1_conduite-des-programmes-armement.pdf

Sem miragem, por favor.

Sds.

Mauricio R.

Nossa, a inclusão da Jaca na shortlist do MMRCA, já está sendo tratada como venda confirmada???

Vader

Mauricio R. disse:
4 de maio de 2011 às 14:37

E vc tinha dúvida de que isso iria acontecer?

E o pior é que de tanto errar um dia esses caras acabam acertando…

Últimas Notícias

KC-390 e Rafale, exportações x redução na cadência – histórias parecidas?

Nos últimos dias, uma polêmica se instaurou em relação às encomendas da Força Aérea Brasileira (FAB) para o jato...
- Advertisement -
- Advertisement -