Home Noticiário Internacional T-100: o substituto da Alenia para o T-38

T-100: o substituto da Alenia para o T-38

473
20

M-346

A Alenia North America, empresa do grupo italiano Alenia, lançou esta semana a campanha para promover o seu treinador a jato T-100 ITS. O T-100 é como a Alenia denominou o M-346 Master para a concorrênca internacional da USAF, que visa substituir os veteranos T-38 Talon. Para mais informações, consulte o site da Alenia.

LEIA TAMBÉM:

20
Deixe um comentário

avatar
20 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
16 Comment authors
VaderFernando SinzatoAlmeidaFabio MayerClésio Luiz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Giordani RS
Visitante
Giordani RS

T-38 Talon: Veteranasso!!!!! Juntamente com o T-45, dois excelentes projetos!

PilotoVirtual
Visitante
PilotoVirtual

E agora vai ter o T-100, tchê!!!

Bruno W.
Visitante
Bruno W.

Muito engraçado essas concorrências internacionais da USAF..
No final sempre o vencedor é Made in USA..

RoLoUcO
Visitante
RoLoUcO

rafalinho!!hehe…

Edmar
Visitante
Edmar

Caros Amigos do Blog.: Será que o “Alenia M-346” não poderia ser um ótimo treinador para a FAB? Ou quem sabe até um avião mult-função (“inteceptador leve e ataque leve) para substituir os “AMX A-1” e os “F-5M” no futuro? Especificações (M-346) Dados da Alenia Aermacchi site oficial (especificação Prototype) General characteristics As características gerais * Tripulação: dois, aluno e instrutor * Comprimento: 11,49 m (37 ft 7 em ) * Envergadura : 9,72 m (31 ft 9 in) * Altura: 4,76 m (15 ft 6 in) * área: 23,52 m² (253,2 km ²) * Peso vazio: 4.610 kg (10.165… Read more »

Nick
Visitante
Nick

Seria interessante ver a USAF usando um treinador que tem suas origens na Russia… 😀

Mas é um bom treinador sem dúvidas, talvez na sua classe, o melhor.

[]’s

Brandalise
Visitante
Brandalise

Hahaha! T-100 eh sacanagem c/ o concorrente (T-50 Golden Eagle)!!! —————————————————————————— “Será que o “Alenia M-346″ não poderia ser um ótimo treinador para a FAB? Ou quem sabe até um avião mult-função (”inteceptador leve e ataque leve) para substituir os “AMX A-1″ e os “F-5M” no futuro?” Acho que sim, Edmar! Mas confesso que estou ainda muito dividido com as opcoes disponiveis. O M-346 parece ser bastante interessante em termos de desempenho, mas o fato de ter 2 turbinas nao ajuda muito. A principal vantagem dele eh ser supersonico, mas nao vejo isso como um requisito em uma aeronave de… Read more »

Giordani RS
Visitante
Giordani RS

Edmar disse: 1 de junho de 2010 às 14:41 Caros Amigos do Blog.: Será que o “Alenia M-346″ não poderia ser um ótimo treinador para a FAB? Ou quem sabe até um avião mult-função (”inteceptador leve e ataque leve) para substituir os “AMX A-1″ e os “F-5M” no futuro? Como interceptador num ambiente de combate BVR ele é tão eficiente quanto um A-1…ou seja, é alvo! No início dos Anos 80 a velocidade deixou de ser importante num caça, tanto que o F-16 e F-18 não eram Mach 2, mas com o advento do BVR, a velocidade volta a ser… Read more »

dieter91360
Visitante
dieter91360

Uma encomenda de 24 T-100 com um lote de 72 Exocets para o São Paulo. Seria uma ótima opção,provendo assim a MB capacidade dissuatória imediata,assim como treinamento regular para seus pilotos,e relançando assim com força a Aviação Naval. Sonhando,claro. Só que na realidade acho que uma proposta tão sensata e modesta,no Brasil se tornaria outra novela ao estilo FX-2.

Edmar
Visitante
Edmar

Caros Amigos Brandalise e Giordani RS.:

Eu falo de um interceptador leve para missões de substituição dos “F-5M” e bombardeiro leve para substituir os “AMX A-1”.
Eu não falo como um caça de superioridade aéreo!!!
Tipo, eu imagino umas 72 aéronaves destas (sendo 36 biposto e 36 monoposto) para equipar 6 bases aéreas e para servir de treinador avançado.

Os caças do FX2 que no caso teoricamente seriam os caças de superioridade aérea (pelo menos uns 60 aviões).

Abraços aos Amigos.

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin
Visitante

dieter91360 disse:
1 de junho de 2010 às 17:01

Uma encomenda de 24 T-100 com um lote de 72 Exocets para o São Paulo. Seria uma ótima opção,provendo assim a MB capacidade dissuatória imediata,assim como treinamento regular para seus pilotos,e relançando assim com força a Aviação Naval.

Aonde você viu no texto ou em qq outro lugar que o M-346 opera embarcado?

Elenilson
Visitante
Elenilson

Pô! Já tem até M-346 naval?!?!?!?!

dieter91360
Visitante
dieter91360

Mikhail,não seria possivel navalizar o T-100?

João Paulo caruso
Visitante
João Paulo caruso

Só acho que o T-38 é um é um treinador supersônico e o Alenia é um treinador transônico. A diferença é que o segundo pode ultrapassar a velocidadfe do som , o primeiro é feito para fazer isso. O T-50 que também foi projetado para voôs de alta velocidade é um substituto mais adequado para o Talon. Também não entendi direito essas especificações 1.500 km/h são mach 1.2 à baixa altitude. Seria como um jaguar ou Su-22, com certeza é esperar demais de um treinador desses. Pode ser que chegue até 1.2 mas é voando alto o que daria uns… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Eu li em algum lugar que a USAF não voa mais o T-38 em velocidades supersônicas durante o treinamento dos pilotos. É feito apenas um único vôo supersônico no fim do treinamento para “coroar” o fim dessa etapa no treinamento de um piloto de combate. A questão é que voar supersônico consome muito combustível e reduz a vida útil da célula, coisa que com os orçamentos apertados de hoje, é inviável. Quanto a ser bimotor, eu vejo como uma vantagem, pois reduz de forma perceptível as perdas por causa de pane de motor, o que novamente é de extremo interesse… Read more »

Fabio Mayer
Visitante
Fabio Mayer

Seria um avião para substituir os Xavantes. Seria de Ataque (leve) e Treinamento.

Mas se inventarem uma licitação para isso, quano entrar em operação aqui, estará obsoleto…

João Paulo caruso
Visitante
João Paulo caruso

Clésio Luiz

Achei que era porque os T-38 estavam velhos mesmo.

“A questão é que voar supersônico consome muito combustível e reduz a vida útil da célula, coisa que com os orçamentos apertados de hoje, é inviável.”

Não discordo. Mas em alguma aeronave eles vão ter que treinar e seria melhor que fosse em uma aeronave menor e mais simples, já que grande parte da frota de aeronaves deles já se encontra muito desgastada.

Almeida
Visitante
Almeida

Pessoal lembrando um detalhe importantíssimo que muitos não percebem:

O M-346 Master (ou T-100) possui capacidade supercruise.

Ele alcança a velocidade máxima de mach 1.2 e suas turbinas não possuem pós-combustores.

Sim, ele é moderno, veloz e possante assim.

Fernando Sinzato
Visitante
Fernando Sinzato

Seria interessante associação para a venda em países da américa do sul e central com magro orçamento junto com o Tucano fazendo o Low.

Abs.

Vader
Visitante
Vader

Bela imagem de uma bela aeronave. Mas peralá pessoal. Tudo bem não conseguirmos fazer um caça de alta performance. Tudo bem não conseguirmos fazer um caça leve como o HAL Tejas. Mas será que nem sequer um treinador a jato transônico conseguimos fabricar? Ora gente, jogue o GF uma encomenda de umas 100 aeronaves dessas nas mãos da Embraer e é certeza que sai. De qualquer maneira, temos que parar com essa nóia de comprar tudo pronto, especialmente quando temos condições de produzir um similar, ainda que com turbina ou qualquer outro compoente importado. Oras bolas pessoal, temos ou não… Read more »