quinta-feira, junho 30, 2022

Gripen para o Brasil

1.000 F414 entregues

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

GE_F414

No último dia 5 de maio a GE Aviation comemorou a marca de 1.000 motores da família F414 produzidos e entregues. O turbofan F414-400 possui mais de um milhão de horas de voo com aeronaves Boeing F/A-18E/F/G Super Hornet/Growler. Somente a US Navy receberá, no total, perto de 1200 motores para equipar uma frota projetada 594 F/A-18.

Além da USN, a Royal Australian Air Force (RAAF) encomendou um lote de 24 F/A-18E/F Super Hornet equipados com o F414-400 da GE, sendo que os cinco primeiros já foram entregues.

A GE também trabalha na versão F414G. Esta é uma variante para caças monoreatores que produz 20% mais potência que as versões anteriores. O F414G é a versão escolhida pela Saab para equipar o caça Gripen NG. Atualmente não existe nenhum usuário do NG e o motor está instalado somente na aeronave de testes “NG Demonstrator”. O demonstrador já voou mais de 100 horas desde maio de 2008.

Existem na atualidade dois programas principais para melhorar a potência, a durabilidade e a redução dos custos da família F414. O programa EDE (Enhanced Durability Engine) visa o aumento da durabilidade do motor e a redução dos custos de manutenção para a USN. Neste programa o motor incorporou uma nova turbina de alta pressão e um compressor de alta pressão de seis estágios.

Já o EPE (Enhanced Performance Engine) está focado no aumento da potência do motor com o objetivo de conquistar clientes fora dos EUA. Além das modificações já incluídas no programa EDE, a introdução de um novo fan (com consequente aumento do fluxo) permitiu a elevação da pontência bem como uma flexibilidade operacional maior.

FONTE: GE

LEIATAMBÉM:

- Advertisement -

94 Comments

Subscribe
Notify of
guest
94 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
A7X

“A GE desenvolve dois programas principais para melhorar a potência, a durabilidade e a redução dos custos da família F414.”

Será que essas melhorias serão aplicadas tambpem ao motor F414G, que equipa o Gripen NG?

Abs.

Tailhooker

Sem dúvida um grande motor aeronáutico, não somente em termos de tecnologia, mas de uma tremenda vantagem logística, afinal 1000 motores entregues é um número digno de louvor. Seguramente teve grande peso no processo de escolha da FAB para o FX-2.
outra: extremamente confiável.

Gutex

“da FAMÍLIA F414”

Nick

Seria pedir muito para nossos Rafales virem com essa turbina?? Acredito que os custos de manutenção cairiam muito e a Jaca teria supercruise tranquilamente.

[]’s

hms tireless

Agora perguntem quantos motores M-88 foram entregues até agora?

Paulo Rick

As F-414 são muito maiores e mais pesadas que as M-88, não caberiam nunca no Rafale, o F-18 é maior, pesa quase 4 toneladas a mais vazio. Apesar de não carregar maior carga bélica, porque tem uma estrutura pesada e antiguada.

[ ]´s

Kojak

Pessoal confunde mesmo o Gripen Demo com o NG… É incrivel qndo ouço comentários no trabalho e até aqui mesmo sobre essa confusão…e tem uns que até falam em converter gripen normal pra versão NG…rsss Seria mais prático então que a Boeing pegasse a carcaça de um F-18D biposto…colocasse aviônicos modernos e mostrasse como o Super Hornet… E ambos todos sabem que são aeronaves bem diferentes… Acontece que o protótipo da banana sueca NG será mais pesada pra aumento de combustível e alcance…..asas ou fuselagem mais largas…mudanças estruturais e deslocamento trens de pouso…e a Saab deveria ter apresentado o esboço… Read more »

Wilson Giordani de Souza

(…)

O demonstrador já voou mais de 100 horas desde maio de 2008.

(…)

Apenas 100 horas? Isso me preocupou. Será que procede?

ZE

Amigos, olhem a grande escala que esse motor traz !! Não esqueçam que MAIS de 1/3 do CUSTO TOTAL de um caça advém de seu motor. Foram 1000 (mil) motores do Gripen NG e do Super Hornet (F-414) entregues até agora. Neste ano, há encomendas para, pelo menos, outros 60 motores. Isso sem contar o fato do motor F-414 ser o FAVORITO na concorrência indiana para a motorização do HAL Tejas (100 motores em um primeiro batch, e 40 em um segundo). Os HAL Tejas são atualmente equipados com o motor antecessor do F-414, o F-404 (o mesmo do Gripen… Read more »

Rodrigo

Hornet é pesado, lento e antiquado…

Typhoon ineficiente, caro e complicado…

Mas o que eles tem em comum ?

Vendem..

E o Rafale segue empacado e só é levado a sério por quem não entende na prática de aviação.

Fazer o que ? A realidade dói!

M1

Quanto mais se produz, mais barato fica. Não tem como fugir disso.

Quem ganha com isso? Fabricante e consumidor…

carl94fn

Uma balde de água fria… tchau ST e pra quem considerava como compra casada tchau SH também…

http://pbrasil.wordpress.com/2010/05/07/chefe-da-usaf-termina-com-plano-de-nova-aeronave-coin/#more-16389

Kojak

Realmente a realidade dói …
Gripen NG é um verdadeiro fiasco e os defensores não enxergam…

carl94fn

digo (“um” balde)

Rodrigo

O valor da hora vôo do SH para emprego em terra é bem menor que o valor da hora embarcada.

A hora de vôo do SH na USN operando embarcado está em torno dos US$10mil.

Carl, uma coisa é o LAAR da USAF e outra é o Imminent Fury da USN que continua normalmente…

Dalton

Como a matéria mesmo cita, já faz algum tempo que o F 414 EPE
está sendo discutido, o que poderá proporcionar cerca de 20%
a mais de empuxo ,ou seja, mais uma prova de que o Super Hornet ainda
pode evoluir.

Rodrigo Marques

1 – Este motor sendo componente integrante de 2 competidores do FX-2, permite uma pergunta: Como fica a questão da transferência de tecnologia?

2 – Qual o percentual de nióbio brasileiro deve haver em um “bicho” desses?

grifo

O primeir Rafale voou com duas F404, irmã mais antiga da F414.

Depois ele voou muito tempo com a F404 e a M88 juntas, uma de cada lado…

ZE

A7X disse:
7 de maio de 2010 às 11:59
“A GE desenvolve dois programas principais para melhorar a potência, a durabilidade e a redução dos custos da família F414.”

Será que essas melhorias serão aplicadas tambpem ao motor F414G, que equipa o Gripen NG?

Abs.

Amigo A7X, na verdade, trata-se do mesmo motor.

Em verdade, o motor do Gripen, o Volvo Aero RM12 (F-404), sofreu algumas modificações para torná-lo mais seguro, mais resistente ao choque com aves.

A GE aproveitou esse melhoramento e o incorporou a F-414

[ ]s

Paulo Rick

Caro Poggio,

O Rafale A, é um demonstrador de tecnologia, o Rafale atual é menor que o modelo A, e a F-404 é menor e mais leve que as F-414, a diferença de diâmetro e comprimento entre as M-88 e as F-414 é muito significativa:

M-88-2

Comprimento: 3,531 mm
Diâmetro: 698.5 mm
Peso: 897 kg

F-414

Comprimento:3,912 mm
Diametro:889 mm
Peso:1.109 kg

Como podemos ver é outro planeta, o Rafale teria que ser completamente modificado para usar as F-414.

[ ]´s

grifo

1 – Este motor sendo componente integrante de 2 competidores do FX-2, permite uma pergunta: Como fica a questão da transferência de tecnologia?

A tecnologia a ser transferida em relação a motores é a mesma para todos os concorrentes: os três prometem que toda a manutenção será feita no Brasil.

ZE

Em tempo, o motor F-404 (Gripen e Hornet) tem o mesmo tamanho do F-414 (Gripen NG e Super Hornet).

[ ]s

ZE

O post não foi.

O motor do Gripen e do Hornet (F-404), tem o mesmo tamanho do motor do Gripen NG e do Super Hornet (F-414).

[ ]s

Alex Nogueira

Desculpem o OFF-TOPIC, mas percebi que na revista Força Aerea, tanto a edição passada quanto a que está agora nas bancas, trazem matérias sobre o T-50 Golden Eagle, sendo essa última edição matéria de capa, bem, lá diz algo sobre a FAB ter de pensar sobre um “futuro” vetor para LIFT/CAÇA/ATAQUE e que o F/A-50 Golden Eagle seria um excelente vetor….. será essa a próxima “concorrência” depois do F-X2? Isso já pode ser considerado LOBBY por parte da KAI/Lockheed Martin? Será que tem algo escondido por traz do F-X2 que pode favorecer o F-18SH….ou a venda de Super Tucano x… Read more »

carl94fn

A bom…. (kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk) desculpe, mas essa não cola…

sds aos dois amigos

D'Almeida

carl94fn disse:
7 de maio de 2010 às 12:58

Caro carl94fn

Talvez voce não tenha lido toda a matéria, pois no final da nota que voce indicou, abaixo da 2ª foto, esta escrito:

“A U.S. Navy possui um projeto de aeronave para Guerra Irregular, através do projeto “Imminent Fury”, e tem estudado a aquisição de turbohélices brasileiros Embraer Super Tucano para oferecer apoio aéreo aproximado para as forças de operações especiais.”

Nick

A não ser que o site da GE esteja errado, o F-414 tem as mesmas dimensões do F-404. O M88-2 é ligeiramente menor: 70 cm de diametro contra 90 do F-414 e 3,5 metros contra 3,9 do F-414. Mas a F414 entrega 22.000lbs contra 17.000 do M88-2, ou seja 30% a mais de potência. Imaginem um Rafale com 30% a mais de potência. O Rafale dos Emirados não chegará a isso. Fora as vantagens que uma maior escala propicia em termos de custos de manutenção… Como as primeiras versões do Rafale já voavam o GE-404, não vejo grandes problemas em… Read more »

ZE

Ronaldo disse: “7 de maio de 2010 às 12:55 Ta de sacanagem ne um O Super Hornet, custando 7.000 Dólares a hora de voo não é Zé? Esse é o custo dos F-16 que estão no Afeganistão. Um valor mais real é na casa do USS$15 mil ou USS$19 mil. Sinceramente não sei o que vocês pensam quando colocam esses números irreais, talvez consigam confundir algum leitor novato com isso”. Caro Ronaldo, Eu estou falando sério, muito sério. Os números do custo da hora de voo do Rafale são do Tribunal de Contas da República Francesa e do Senado Francês… Read more »

Giordani RS

Podia ser o motor do F-20BR-M!!!!

Paulo Rick

Sobre hora de voo: 1- primeiro é preciso ter em mente que o método do cálculo da hora de voo é diferente entre diversos países; 2- As moedas também não são iguais; 3- O preço do combustível é muito diferente na Europa e nos EUA. Só é possível comparar custos quando o operador das aeronaves é o mesmo, quer dizer operar os dois tipos, caso contrário, qualquer cálculo de hora de voo é irreal. Ainda mais, o custo da hora de voo da aeronave não é igual em toda sua vida útil, o custo de implantação é muito maior. Como… Read more »

Rodrigo

Isto ai Prick, vamos distorcer o câmbio então para deixar o Rafale em vantagem..

Você deveria entrar em contato com o NJ, irão se dar bem! Ambos são advogados e entendem tudo de aviação na prática!

Paulo Rick

Poggio, É verdade as F-404 tem as mesmas dimensões das F-414, porém, ambas são muito maiores e mais pesadas que as M-88, como falei, o Rafale A, o demonstrador de tecnologia, é maior e mais pesado que os Rafale atuais. O Rafale A não é um Rafale, é um demonstrador de tecnologia, as diferenças internas não enormes, a colocação dos dutos de ar em forma de S entre outras coisa, quantidade de combustível interno etc. Isso é possível porque as M-88 serem 40 cm mais curtas e quase 20 cms menores de diâmetro. Além disso tem o peso de 200… Read more »

Rodrigo Marques

“”A tecnologia a ser transferida em relação a motores é a mesma para todos os concorrentes: os três prometem que toda a manutenção será feita no Brasil.””

Ou seja, não há transferência de tecnologia. 🙁

Paulo Rick

Rodrigo,

Eu simplesmente peguei as várias matérias sobre custos que andam por aí. Por exemplo, existe uma matéria da Revista Força Aérea, feita pelo Jackson, segundo a qual a Força Aérea Helenica afirma que o M-2000 é mais barato de operar que o F-16. Isso durante 04 anos seguidos.

[ ]´s

ZE

O motor F-414 é 20% mais potente do que o F-404. Assim, o Gripen NG pode usar o motor F-414 (este, como dito, já é 20% mais possante do que o F-404). Ou poderá usar o novíssimo F-414 EDE/EPE (que é 20% mais possante do que o F-414). Há ainda a possibilidade de trocar o aumento da potência pela maior durabilidade do mesmo. No futuro, os Gripen, Gripen NG, Hornet, Super Hornet, Growler usarão o motor F-414 EDE/EPE. O motor F-414 EDE/EPE tem sido testado desde 2006. O programa como um todo encontra-se completamente financiado. Os testes irão acabar em… Read more »

grifo

Ou seja, não há transferência de tecnologia.

Em relação a motores, a Dassault está oferecendo a mesma transferência de tecnologia que a Ford faz com a retífica do Paulão… 🙂

grifo

O motor F-414 EDE/EPE tem sido testado desde 2006. O programa como um todo encontra-se completamente financiado. Os testes irão acabar em dezembro de 2010.

Caro ZE, apenas para complementar, durante a rodada de esclarecimento das ofertas a FAB explicitamente perguntou a Boeing e a SAAB sobre o F414 EPE. Ambas se comprometeram a colocar o motor novo nos aviões oferecidos a FAB sem custo adicional.

A FAB também perguntou a Dassault sobre o M88 ECO. Resposta: ……

Ivan

ZE,

Desconfio que o financiador do M-88 EPE serão os Emirados Árabes Unidos, caso o negócio de montar Rafales por lá siga adiante.

Abç,
Ivan, o Gripeiro.

Ivan

Quanto ao desenvolvimento da F-414 EDE e EPE são ‘favas contadas’, pois a US Navy sabe que precisa delas, dentro de sua política de buscar a superioridade técnica sempre.

Ivan.

Rodrigo Marques

O problema não é a Dassault ou a GE ou a retífica do Paulão…O problema é que estamos e continuaremos sujeitos a embargos em um item crucial que não dominamos, a construção de turbinas supersônicas. Resumindo, nós precisamos adquirir tecnologia e pelo visto nao será no FX-2 que obteremos o que precisamos no que tange aos motores. E é inadmissível que a tão propalada END não estimule um acordo, projeto, convenio ou seja lá o que for, entre a iniciativa privada ( Embraer, Avibras, etc) e instituiões federais ou estaduais de ensino ( ITA, USP, etc) em um esforço, financiado… Read more »

Paulo Rick

Vamos deixar claro determinadas coisas: ECO em francês quer dizer programa de desenvolvimento de tecnologia, ele está sendo aplicado nas M-88, e o seu principal objetivo é melhorar as M-88 através de kit´s, quer dizer que possam ser usados para fazer upgrade nas turbinas já em uso também. A primeira grande contribuição foi a M-88-2E4, que hoje equipa todos os Rafales, mesmo os F-1 da Marine, que tinha originalmente as M-88-2E1. Atualmente, está para ser colocada em produção as M-88-2E4 TCO Pack(Total Cost of Ownership), que também é o nome de um programa. Que é uma evolução das M-88-2E4. Porém,… Read more »

Ivan

Paulo Rick, Valeu o esclarecimento. Mas vc levantou um problema. Por que a AdLA está satisfeita com as M-88-2 e “quer apenas melhorias”, optando por se limitar as M-88-2E4 TCO? Será que o clima temperado da Europa não exige tanto das turbinas? Será que o custo extra seria difícil de aprovar no orçamento francês? Outra questão. Com as M-88-2 e futuras M-88-2E4 TCO os Rafales F3 conseguiriam atingir um supercruise consistente como os Typhoon? O desempenho destas turbinas seriam sacrificados em um clima tropical (quente e úmido) como o brasileiro? Estas questões, amigo, me preocupam a muito tempo. Com o… Read more »

Galileu

Muito bom esse motor, mesmo eu preferindo a variante da Volvo

ZE

Uma outra informação.

A capacidade de supercurise do Gripen NG foi conseguida com o “velho” motor F-414, e não com a sua mais nova versão, a F-414 EDE/EPE.

F-404 Gripen e Hornet

F-414 Gripen NG, Super Hornet, Growler (20% mais potente do que a F-404).

F-414 EDE/EPE Futuramente no Gripen, Hornet, Gripen NG, Super Hornet, Growler (20% mais potente do que a F-414). Há a alternativa de aumentar muitíssimo sua durabilidade, diminuindo ainda mais os custos.

[ ]s

Paulo Rick

Ivan, A França não usa somente os Rafales C, mas também os Rafales M, que operam pelo mundo num NAe, e os próprios números de desenpenho do Rafale, comprovam não existir problemas de potência, é claro, se você puder desenvolver ainda mais o caça, nada melhor. Porém, para a França a potência atual do Rafale é dada como o suficiente, eles querem custos menores e mais furtividade. Por isso as M-88 TCO são mais econômicas, duráveis e operam com temperaturas internas menores, quer dizer menos assinatura IR. Sobre o Supercruize, creio que existe outra grande desinformação, os Rafale são tão… Read more »

ZE

“Ronaldo disse:
7 de maio de 2010 às 14:49
ZE

Se você ler com mais atenção o que eu disse, eu não me referi a hora de voo do Rafale em nenhum momento, o que eu ponho em duvida é esse seu valor de USS$7 mil a hora de voo do Super Hornet, isso não existe, esse é um valor de F-16 e você sabe disso”.

Caro Ronaldo, vou repetir, essa informação é do Almirante Edouard Guillaud, chefe do gabinete militar do presidente da França, Nicolas Sarkosy.

[ ]s

A7X

ZE disse:
7 de maio de 2010 às 13:13

olá ZE,

Obrigado pelo esclarecimento !

hms tireless

“Sobre o Supercruize, creio que existe outra grande desinformação, os Rafale são tão eficiente quando os Typhoon em supercruise, quer dizer ambos podem chegar ao supercruise, porém, em termos operacionais, trata-se de algo fortuito, que só pode ser alcançado dentro de determinados parâmetros muitos restritos. Por diversas razões, o principal é o problema de refrigeração das turbinas, elas superaquecem com o supercruise. Além disso tem o problema das cargas externas. Assim, não adianta o simples aumento de potência brutas das turbinas, se isso indicar um aumento da temperatura de operação por exemplo. O Supercruise depende de turbinas projetadas para ele… Read more »

Últimas Notícias

45 anos do EMB-111 Bandeirante Patrulha

O projeto do EMB-100 Bandeirante, iniciado antes mesmo do nascimento da Embraer, deu base ao desenvolvimento de diferentes aeronaves,...
- Advertisement -
- Advertisement -