quarta-feira, outubro 20, 2021

Gripen para o Brasil

Vale a pena ver de novo: sistemas do Gripen e do Gripen NG BR

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

gripen-partnersEm 23 de agosto de 2009 o Poder Aéreo publicou com exclusividade o gráfico acima, mostrando os principais componentes do caça sueco Gripen e o país fabricante. A ilustração abaixo, foi publicada depois pelo site Defesanet, mostrando os componentes que podem ser fabricados no Brasil, caso o caça sueco vença o FX-2.

gripen_ng_br

- Advertisement -

48 Comments

Subscribe
Notify of
guest
48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
WAGNER JORGE BH

Isso que é caça e projeto para BRASIL!
Só o governo federal que nao ver!
valeuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

@ K I L L

Sonho sonho sonho so isso ja que o FX2 parece que nao vai sair do papel e melhor entrarmos no PAK FA talvez ganhemos alguma coisa

Paulo Cezar

Inocência.

Gerson Victorio

Paulo Cezar,

rsrsrsrs….

Contraditorio

A industria aeroespacial brasileira merece participar de um projeto como este.
Ela já esta madura o suficiente para este tipo de participação.

Mad Dog

Verdadeira Gambiarra…..puro milk shake de componentes europeus….motor americano….e célula estrutural defasada….
Resumindo…..projeto ridículo pra ser adotado em 2020….

Genivaldo

Caros amigos! Isto é um festival de agulhas no palheiro e os donos das agulhas irá mostrar as suas formulas?

Alex Nogueira

Por mais que eu adore o Gripen e que sua proposta seja muito boa (caso se concretize), sinto que para um país do tamanho do Brasil ele seria muito bom, mas como LOW; nosso país necessita de um caça grande, como o SU-35, que infelizmente não está disponível. Por isso tanto o F-18 como o Rafale seriam os mais adequados, só que devido as restrições fico com o Rafale, que neste momento precisa ser vendido a qualquer custo e com isso temos a possíbilidade de explorar melhor a transferência de tecnologia.

Ivan

Eu já vi essa arte, alguém poderia me explicar a procedência dos itens em azul escuros? é a bandeira da União Européia?

Alexandre Galante

Isso Ivan.

Alexandre Galante

Os comentários postados que agridem o Poder Aéreo e seus editores serão deletados e seus autores serão bloqueados.

José Maria Bravo

D´aprés Ilya Grigorievych (Não atirem no pianista! É só brincadeirinha minha, juro!) O cenário é 1940. O monstro fascista se arma, mas o Ocidente achava que o ia contentar com a Espanha e a Tchecoeslováquia, e que ele se haveria apenas com seu arqui-inimigo demoníaco e – “absurdo dos absurdos” – igualitário. Cochilaram no preparo, e tinham que escolher de emergência dentre 3 caças. O ursinho menor era o Gloster Gladiator (Gripen). Boa escolha. Afinal o Gamecock e o Gauntlet tão bem serviram ao Rei e à Escandinávia! E se encaixava no orçamento restrito! O ursinho do meio era o… Read more »

Lucas Maciel

Não vejo muito vantagem no Gripen, se observarem bem vão perceber que muitas coisas que serião desenvolvidas no Brasil já são de domínio da Embraer ou de outras empresas. Como Trem de pouso (ELEB), IFF(não sei se tem empresa nacional que fabrica, mas não é dada dificil de se desenvolver), Data Link (inclusive senão me falha a memória a FAB até mesmo desenvolveu um protocolo próprio de comunicação), Sistema Elétrico (Embraer domina completamente em seus aviões), etc. Dessa proposta acho que oquê realmente seria vantagem seria o desenvolvimento do IRST, armamentos em conjunto com outros países, e os sistemas de… Read more »

Alexandre Galante

Lucas Maciel, parabéns pela argumentação técnica. É esse tipo de abordagem que esperamos dos nossos leitores.

Lucas Maciel

Obrigado Galante! Parabéns pelo Blog!

Abraço

Rodrigo Marques

Perfeito Lucas Maciel!

Já escrevi isto aqui várias vezes, falam tanto em transferência de tecnologia, mas ninguém combinou nada com a GE e com a Selex-Galileo… Esse aí não passa de um Osório voador com o agravante de ão ser o melhor entre seus pares de geração.

Lucas Maciel

Supondo que o Brasil fechace com esse “pacote” do Gripen, o único item que traria um enorme ganho seria o IRST. A indústria aeroespacial / aeronáutica brasileira é muito carente de sensores, em especial optoeletrônicos. Tinha um professor meu na faculdade que chegou a trabalhar com alguns projetos como do Piranha e ele sempre reclamava da dificuldade de se conseguir sensores IR, por exemplo, tinha que buscar sensor lá fora e sempre quando tentavam negociar com os EUA era colocado algum empecílio, tanto que hoje se não me engano o sensor usado pelo piranha é fabricado pela Keltron, da África… Read more »

Lacerdinha

Rodrigo Marques

Assino embaixo.

E aguardamos pacientemente que a Dassault desembarque no Rio de Janeiro, onde será muito bem vinda.

brazilwolfpack

Ha! Que bonito. Bandeirinha do Brasil por todas as partes.A
unica bandeirinha americana esta aonde vale a pena… na turbina.

Nick (IN) Fury

Carambá!! Faríamos o sistema de computação, data link, Irst, Iff, Sistemas de Reconhecimento, navegação, etc… Teríamos uma participação da indústria nacional incrível. O Gripen NG já sairia homologado com armas feitas no Brasil, Europa, Israel e África do Sul. Além de tudo isto ainda ampliaria nossa capacidade de integração de armas, radar, engenharia, guerra eletrônica, COTS, design. Isto tudo com nossa expertise de hoje. Mas, com os investimentos certos e apoio da indústria nacional, nenhum país torna-se importante em defesa se não patrocinar sua indústria, certamente aumentaríamos o itens made in Brasil no Gripen NG Infelizmente o sonho acabou não… Read more »

Nick (IN) Fury

A turbina GE do Gripen NG iria ser montada no Brasil, em Niterói pela Celma/GE. Não temos como desenvolver uma turbina para um único modelo por uma razão simples, economia de escala. Se tentássemos ela ficaria supercara, como é o caso da M-88.

Robson Br

Mais uma notícia velha.
De agosto de 2009 até agora a SAAB poderia ter feito mais coisas e pelo menos a bandeirinha dela poderia estar em mais partes do avião.

Se os suecos não conseguem colocar tantas bandeiras aí, imagina a embraer.
Na realidade vai ter um monte de bandeira de israel.

Challenger

Pode não ter nada a ver, mas gostaria de saber qual o tamanho da participação da Mectron no desenvolvimento do Radar Scipio 01?

Alexandre Galante
Gustavo

Se fosse o Gripen de 5ª geração, mostrado neste site algum tempo atrás, até apoiava esta opção. Mas, Gripen ng em 2040, será o F5 de hoje, simplesmente ultrapassado, já é uma atualização de meia vida este projeto. O Rafale dos 3 é a melhor opção, pois tende muito a ser explorado e atualizado ao longo destes 30-40 anos, por isso o alto custo desta tecnologia pois é nova, o sistema de defesa spectra, foi copiado no F-22. E fora o alcance que é o maior dos 3. Não esqueçamos das novas aeronaves de 5ª geração que estão surgindo, e… Read more »

Erich

Boa noite pessoal !

Tenho uma pergunta aos especialistas de plantão : Se todos os concorrentes tivessem o mesmo preço final qual traria mais beneficio para o Brasil ?

Abraço.

ditongo

Deveriam criar um grafico desse com o Rafale. Pra agente vê qual caça tem mais vantagem na transferencia nacional.

Alexandre Galante

Ditongo, se a Rafale International mandar, a gente publica.

eduardo

Esqueçam qualquer TOT sobre turbina. É simplesmente impossível fazer qualquer coisa para apenas 36 (ou 72) turbinas no Brasil. Se nós quisessemos dominar conhecimentos relacionados a turbinas teríamos exigido que a Embraer negociasse com a GE ou a Rolls Royce a montagem, a fabricação de peças, ou a montagem de um centro de pesquisas em troca da compra de mais de 3000 turbinas que foram importadas pela empresa para equipar as famílias 145 e 170. Nem que fosse uma compensação pelos bilhões de dólares que o BNDES emprestou para a empresa. Dizer que a França vai transferir tecnologia para a… Read more »

ComAir

Somente o Gripen ofereceu parceria com uma empresa nacional com relação ao radar.

http://www.aereo.jor.br/2010/01/12/agora-e-oficial-selex-galileo-assina-memorando-com-a-atmos-sistemas/

[]s!

Harry

Caro Eduardo

Valeu o comentário.

Com relação a motorização dos caças se levarmos em consideração o que tem a SAAB a oferecer iguala a oferta da Dassult.

Fico então com quem mesmo? escolham:

F414 (F-18 e Gripen): 98Kn X M88-2 (Rafale): 75Kn

4000 unid. produzidas X 200 unidades prod.

Abs

Harry

Caro Erich disse:
8 de abril de 2010 às 22:54
Boa noite pessoal !

Tenho uma pergunta aos especialistas de plantão : Se todos os concorrentes tivessem o mesmo preço final qual traria mais beneficio para o Brasil ?

A que oferece maior desenvolvimento tecnologico-industrial ( já que voce quer pensar em independencia, o que significa dizer parceria na area ).

A que tenha maior probabilidade de retorno financeiro,

A que repasse a tecnologia JÁ neste pacote de compra de 36 caças,
Sem condicionante, Se, Se, Se,

Abs

sr.ricardo

Detalhe do texto:
“A ilustração abaixo, foi publicada depois pelo site Defesanet, mostrando os componentes que P O D E M ser fabricados no Brasil, caso o caça sueco vença o FX-2.”

Acho engraçado com alguns comlocam a SAAb no céu e a Dassault no inferno ! Ah a Boeing ? Essa tá no purgatório a muito tempo

Deivid

Ei que tal fazer uma ilustração dessa com o Rafale f/3!!!!!!!!!!!!!

Cássio

Trocaram a bandeira da Grã-Bretanha pela da União Européia…
Assusta menos né? XD

URUTAU

Caros Senhores Com o tempo percebi que aqui ha inumeros experts no assunto aviação de caça e tambem combate aereo Em assim sendo gostaria de tomar a liberdade de formular umas poucas perguntas aos senhores 1- Alguem aqui tem BREVET ? 2- Alguem aqui tem CCF ? 3- Alguem aqui tem CCT ? 4- Alguem aqui tem CHT ? 5- Alguem aqui é PP ? 6- Alguem aqui é PC ? 7- Alguem aqui é PLA ? 8- Alguem aqui é PPA ? 9- Alguem aqui é pelo menos PU ? 10- E por fim alguem aqui ja chegou simplesmente… Read more »

rodrigo avelar

sou defensor do RAFALE mais bem que Rafale International poderia mandar o grafico tb, a respeito do NG seria uma boa, mais não como vetor principal nosso

RJ

URUTAU disse: 9 de abril de 2010 às 2:33

Faltou perguntar se alguém tem CREA, ou se algum dia já fabricou ou projetou qualquer tipo de avião militar.

10 – Não só tocar em avião de caça, mas trabalhar com uns três.

11 – Sinto o odor de querosene todo dia.

RJ

rodrigo avelar,

O que mais interesssa é o espaço para futuros equipamentos, o que o Rafale tem de sobra e o Gripen tem em falta.

Será que é realmente vantagem se ter um caça de defesa de ponto convertido em caça de defesa de área para fazer interceptação de longo alcance no Brasil? E, caso a resposta seja positiva, porque o F-16 foi eliminado? Melhor não voltar com as velhas perguntas…

Harry

Caros

Não gostei, e revoltante, estou em protesto, é preconceito.
E as mulheres da nossa FAB não pode ser nossa representante????

“Mascote do Poder Aéreo
A piloto belga de F-16,
Karen Vandenbroucke ”

“Eu lei o Poder Aéreo” Nunca vi essa mulher mais gorda por aqui.
Bem,,, só le,,,,,,,he, he.

Abs

Edcreek

Olá, Muito legal hauhuahauh, então Inglaterra virou união Europeia, para passar a uma impressão melhor? A Suecia nos libera tecnologia, pena que ela domina só 30%, a maioria dos itens é de dominio Ingles, sem falar da turbina Americana. E o pior é que muitos no país engolem essa historia, sem falar nos que estão pesando apenas no lucro $$ como a Fiesp, Ciesp que em momento algum pensam na defesa do país e apenas nos dividendos que virão com os atrazos e aumentos de custos do projeto. Depois dos custos adicionais do projeto teremos com muita sorte um caça… Read more »

Marco Antonio Lins

Srs
Isto não é um avião …..é uma colcha de retalh!

joão

URUTAU

Não sabia que para postar nesse blog era preciso ser “expert”, PhD etc… em aviação. Engraçado isso…

Juliano Lisboa

Coloco, em ordem alfabética, os pacotes reais de transferência de tecnologia, lembrando que há ítens obrigatórios para os três concorrentes (nos quais a SAAB, expertamente, cravou bandeirinhas brasileiras, como se fossem exclusividade do NG): 1. F/A-18E/F: Painel de bordo, computador, datalink e IFF. Montagem no Brasil a partir da 4ª unidade. Pontas da asa, anel do canhão e leme horizontal made in Brazil a partir da 1ª célula. Códigos-fonte necessários. 2. Gripen NG: Painel de bordo, computador, datalink e IFF. Montagem no Brasil a partir da 10ª célula. Asas, parte central da fuselagem e canards made in Brazil a partir… Read more »

grifo

2. Gripen NG: Painel de bordo, computador, datalink e IFF. Montagem no Brasil a partir da 10ª célula. Asas, parte central da fuselagem e canards made in Brazil a partir da 36ª célula. Códigos-fonte de propriedade da SAAB.

Xiii tudo errado. Aqui vai a correção:

Fabricação dos componentes no Brasil a partir da 1a. célula. Montagem a partir da 2a. célula. Propriedade intelectual compartilhada com a Embraer. Parceria no projeto MMRCA da Índia.

Edmar

Caros Amigos.: A atenção de todos. Apesar de ser um avião caça de “quarta-e-meia-geração”, o Brasil iria dar um paço importantíssimo na Industria Aeronáutica. A “Saab e a Embraer” trabalhando juntas poderiam equipar e por o “Saab-Embraer Gripen NG” como um avião de alta-tecnologia sendo o melhor caça de “quarta-e-meia-geração” (Melhor em tecnologia, Manutenção e Custo mais Barato). Apenas os nossos Governantes passados e atuais que não veem isso, pois, o Brasil iria dominar uma tecnologia que até então era desconhecida. Muitos não concordam, mas o projeto “Saab-Embraer Gripen NG” seria um projeto que além de trazer novos empregos, também… Read more »

Drcockroach

“Gripen is the first and so far only fighter aircraft which has air-launched the Meteor missile. The first Air Launched Demonstration firing took place in 2006…
To date six Meteor firings have been acknowledged since May 2006 – all undertaken by Saab Gripens.”

http://www.gripenindia.com/2010/04/meteor-on-gripen-now-has-go-to-war.html

[]s!

airton

” Brasil já vai à guerra comprou porta-aviões, um viva pra Inglaterra de 82 milhões, ahhhhh mas que ladrões…” ( musica e letra do Juca Chaves nos idos dos anos 60, quando o Brasil fez o negócio). A considerar o fato da Grã bretanha vender em libras mais, do Brasil ter pago ainda pela reforma de modernização levada a efeito em estaleiros da Holanda (nova geometria de convés inclusive). Já o aérodromo São Paulo ( ex Foch) foi vendido 30 anos depois daquele por US$ 60 milhões pelo governo da França a despeito de ser muito maior que seu antecessor.… Read more »

Últimas Notícias

FAB realiza enlaces de dados entre aeronaves usando o LINK-BR2 pela primeira vez

Os voos foram realizados durante a execução da Operação Íris, como foi denominada a segunda fase de ensaios de...
- Advertisement -
- Advertisement -