sábado, maio 8, 2021

Gripen para o Brasil

Argentina também vai à Jordânia para comprar caças usados

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Dassault Mirage F1CJ e F-5E da Jordânia

Depois do Brasil, agora é a vez da Argentina fazer um negócio das Arábias. Nuestros hermanos estão estudando uma proposta de compra de 12 jatos Dassault Mirage F1CJ e um treinador F1BJ. Os argentinos teriam recusado uma oferta similar de F1s espanhóis. O negócio está sendo considerado pois os Mirage IIIEA/DA vão sair de serviço em 2012.

Buenos Aires também quer aumentar a capacidade de sua Força Aérea e nesse sentido está considerando a compra de duas aeronaves AEW Saab 340, equipadas com radar Erieye.

As aquisições fazem parte do novo plano formulado pela Ministra da Defesa Nilda Garré.

VEJA MAIS:

Previous articleA família Rafale
Next articleUSAF e FAP em 2007
- Advertisement -

63 Comments

Subscribe
Notify of
guest
63 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex Nogueira

Demoro! Torço pela revitalização das FA Argentinas, quanto mais melhor e que venham bons vetores! (Dentro das possibilidades)

Em tempo, bem que poderiam comprar uns Super Tucanos também xD

Francisco AMX

Uns 36 Mirages F-1 modernizados seria uma alternativa mais bacana que modernizar os A-1, além do que, os F-1 são caçadores tb!

Sds!

Rogério

AEW Saab 340? Por que não o E-99? Quando esta sob embargo aí serve né? E agente comprando briga com a Inglaterra por causa deles.

[]s

Fabio Mayer

Pensei exatamente isto mesmo, avião brasileiro eles nao querem. Para a Argentina, o Brasil serve para justificar as burradas dos seus govenantes, de muleta econômica para sua economia decadente. Mas para parceiro comercial eles preferem a Inglaterra!

Rodrigo Avelar

é Rogerio vc disse tudo agora

Alex Nogueira

Acho que eles não querem o R-99 pelo custo de manutenção e operação, a Argentina ta quebrada financeiramente… as FA deles tão muiiiiito pior do que a nossa.

Milan

Imagina que eles vão dar o braço a torcer e comprar material bélico Made in Brazil…

Que o Brasil forneça para o Chile e Uruguai!

RomanZ

Os Emiratos Arabes compraram recentemente os aviones (de segunda mão) que Argentina procuraba. Em Quanto aos aviões da Jordânia é apenas uma opção, não há nada definido ainda.

storm

O mirage F-1 é muito bonito !!!

Mas Se for mesmo verdade o estranho é os Argentinos recusarem a oferta dos Espanhois. Creio eu que é mais provavel que os aviões da Espanha estejam melhores e mais atualizados que os da Jordânia.

Pelo menos na Espanha sei que os F-1 estão na ativa.

Mais alguma coisa nossos vizinhos vão ter que fazer, pois os MirageIII devem estar mesmo só o pó.
Alguem sabe quando eles receberam estes aviões foi depois dos nossos?

Nick

O caça ideal para eles na situação em que se encontram seria os M2000-5/9 dos EAU… mas talvez acabassem quebrando de vez a FAA 😀
Os F-1 modernizados devem ficar no nível dos nossos F5-M…é uma alternativa para FAA.

[]’s

emerson

Caros amigos, Tenho que discordar de alguns comentários sobre esse post. Não faz sentido se falar em comprar F1 usados para substituir os A1-AMX no atual estágio da FAB. Primeiro por padronização da frota, segundo por custos de aquisição e terceiro por custos de modernização. A grande sacada da modernização do A1 para o padrão M é a uniformização dos equipamentos, desde o A29 até o F5. Haverá um grande ganho no treinamento dos pilotos, sinergia da manutenção e ganho de logistica. O AMX ainda tem vida útil de 15 ou 20 anos e já estão operando na FAB. Novos… Read more »

emerson

apenas para complementar, vi essa noticia no Defesanet e lá é informado que o valor do negócio com a Jordânia é de 100 milhões de dolares, o que dá algo como 7,5 mihões de dolares por aeronave, que me parece muito alto. Acho por isso, que o acordo prevê mesmo armamentos e algum suporte inicial.

Mas a Argentina vai mesmo precisar buscar a Dassault para um contrato de manutenção. Será que a hora de voo dos F1 seria de uns 15.000 dolares?

Rogério

Ué Emerson por que não interessaria a FAB vender o E-99 na América Latina se ela vendeu para o México?

Os Argentinos são maus parceiros mesmos e nem sequer disfarçam isso.

[]s

Glauber

Essa charla de Saab AEW, é mais furada do que queijo suíço. Eles não tem dinheiro para trocar os MIII, o que dirá adquirir aeronaves AEW.

emerson

Caro Rogério, Você tem razão sobre o P99 e o R99, mas há uma diferença geopolítica entre o México e a Argentina. Com o E/R 99 a FAB tem uma vantagem estategica sobre toda a América do Sul. O Méximo nem fronteira faz com o Brasil. Por isso acho improvável que a FAB aceitasse que a Argentina ou Chile, Peru e Venezuela tivessem um equipamento similar ao seu, eliminando sua vantagem estrategica e tatica (basta lembrar dos resultados das Cruzex). Além do México, a Grécia também tem o R99, mas os dois estão bem longe das fronteiras. Mas não posso… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Como indicou o Emerson, a preferência da Argentina pela plataforma Saab 340 para o Erieye é, entre outros fatores, o de já ter incorporado recentemente o modelo em outras funções – há matéria do Blog a respeito, cujo link coloco abaixo (e estou colocando também no final da matéria, no “veja mais”):

http://www.aereo.jor.br/2008/12/09/forca-aerea-argentina-incorpora-saab-340/

Marcelo Tadeu

Pessoal, a escolha do Saab 340 é por questões logísticas. Ele tem uma grande frota desse avião, inclusive na FAA. E o tamanho do território justifica a compra. Vamos deixar de lado as teorias de conspiração.

nando

Nada disso pessoal:Os Argentinos estão optando mais pelo modelo da Saab porque os modelos comprados da Embraer para o TAME, estão sub judice,parece que ha envolvimento de politicos na compra,que aliás foi super faturada,com o aval do banco Brasileiro que fez o emprestimo para o financiamento destes aviões,portanto o buraco é mais embaixo;.sds

Clésio Luiz

Até onde eu sei, todas essas vendas de plataformas Erieye com Saabs 340 são com células usadas, pois faz tempo que o Saab saiu de fabricação. Logo sairia mais barato comprar uma célula usada e com menos eletrônica a bordo (ao contrário do E-99) do comprar o produto da Embraer novo de fábrica.

Fsinzato

Tava na hora da Embraer pensar em um produto estilo “tucano jet”.
Jato pequeno, simples, barato, robusto e com sensores e armas ao gosto do freguês. A maioria das forças aéreas do mundo mal tem recursos para manter MIG-21 ou F-5, quiça Rafales,Typhoons,Sukois etc… No nosso entorno temos vários exemplos.

Abs.

Francisco AMX

Caro emerson, os A-1 não tem manutenção fácil, muito menos barata! ainda nem foi contratada a sua modernização, a FAB já tem experiência em caças franceses, o Mirage F-1 foi um sucesso mundial! é usado até jhoje por muitos países, é um caça robusto e muito eficiente, coisa que um A-1 nunca chegará perto! portanto entre modernizar A-4 e AMX sou mais modernizar F-1 e F-18A…

Sds!

Alexandre Galante

Xyko AMX falando mal do AMX? é brincadeira…

Rogério

“Torço pelos argentinos, mas nós com o R/E99 e eles com o mirage III”

Emerson desse jeito também até eu torço.

[]s

airacobra

essa seria uma boa aquisição para a FAA à epoca das malvinas, mas hj acho que não, mas se querem o mirage F-1(nao é bem oque querem, e sim oque podem), na minha opnião seria melhor irem atras dos mirage F-1EQ-6 encomendados pelo iraque que foram embargados, mas não sei que destino tomaram esses aviões, o bom deles é que alem da boa capacidade ar-ar (super 530D e 550 magic II), tem boa capacidade ar-solo e ar-mar (com AS-30 e AM-39) otimo custo beneficio para FAA (baixo custo de aquisição e “larga” area de emprego) mas poderiam ate mesmo se… Read more »

airacobra

outra coisa, quando citaram que o Brasil não vende E-99 na America do sul, ledo engano, pois ja estava fechada a venda de dois para o equador junto com os 24 super tucanos, somente cancelada a venda dos dois pela crise criada com caso da odebrecht

Rodrigues

Então o equador não conprou?

andre

É uma tristeza ver os caçadores argentinos tendo que se contentar com Mirage F-1, pilotos tão bons mereciam um pouco mais de consideraçao, não que o F-1 seja um avião ruim, mas ja passou há mt o seu tempo, qdo o Equador comprou os seus eram ótimos aviões,mas ja se vão 30 anos.Hj em dia não deveria nem ser considerado. Qto aos MIII se nao estou enganado somente os nossos hermanos e o Paquiatão ainda usam esses avioes. E falando em Tucanos nossos amigos Portenhos estão mal das pernas, visto que a FAB teve que emprestar alguns T-27 (acho q… Read more »

Robson Br

Ta bom a argentina com o MIII encalhados. Não precisa coisa melhor, pois quando tem não sabe usar.

No atual TO 12 F-1 “in natura” não vai fazer muita diferença, mesmo com o AEW Saab 340.

A diferença dos F-5M, A-1M, A-29 está na capacidade alcançada e na nova filosofia da força, que emprega junto como os E-99.

Alerta antecipado + comunicações seguras + caças com novas capacidades + armamento moderno faz muita diferença.

Giordani RS

Rogério em 17 mar, 2010 às 18:49 escreveu: AEW Saab 340? Por que não o E-99? Quando esta sob embargo aí serve né? E agente comprando briga com a Inglaterra por causa deles. Disse tudo! Só cego, mudo e surdo(e o chavez) compra briga pela Argentina! O E-99 é com certeza tão ou mais capaz, a fábrica fica próxima, no mesmo contintente dos hermanos, mas eles são péssimos parceiros comerciais, querem levar vantagem em tudo! Aí quando quebram a cara, enfiam os pés pelas mãos, correm pra cá, e a nossa rídicula diplomacia, recebe-os de braços abertos… Mas é muita… Read more »

emerson

Não tenho certeza que a FAB ainda não tenha contratado com a Embraer a modernização do A1. Seria legal confirmarmos isso, mas tenho a impressão que o processo já começou e a FAB já forneceu um A1B (se não me engano) para o desenvolvimento. Mas seria legal mesmo confirmar isso. Sobre o F1 na FAA, seria muito bom para os argentinos reforçarem sua aviação de caça, inclusive nesses tempos bicudos envolvendo as Malvinas. Mas não creio que os argentinos sejam parceiros ruins para o Brasil. Muito pelo contrário. A parceria comercial entre nossos países tem se ampliado sempre e as… Read more »

Carlito

Emerson às 20:00 “…Mas não posso dizer que os Argentinos sejam maus parceiros. Na verdade, acho que o Brasil e a Argentina continuam sendo as potencias sulamericanas…” A Argentina deixou de ser uma potência regional há tempos… Hoje eles possuem uma economia frágil e debilitada, e assim como o Paraguai, são economicamente dependentes do Brasil. Se o governo brasileiro criasse barreiras de importação a produtos como o trigo ou automóveis, nosso vizinho simplesmente iria à bancarrota. Para se ter idéia, nosso governo inibe o aumento do plantio de trigo por aqui justamente para não desestabilizar a economia argentina. Apesar dessa… Read more »

emerson

Caro Carlito, Concordo parcialmente. O parque industrial argentino ainda é moderno e bem estruturado, por isso acho que nos próximo anos a Argentina voltará a se destacar na América Latina principalmente por sua parceria com o Brasil. Acho que o Mercosul é inreverssível, ainda bem, e a tendência é mesmo a integração do cone sul. Realmente, na última decada a Argentina vem pagando um preço altíssimo pelos erros da era Menen, mas esse preço é finito e não há porque acreditar que não chegará um momento em que a Argentina encontrará seu caminho. Mas não posso concordar em colocar o… Read more »

fullcrum

Eu não entendo porque o F-1 é considerado melhor que o M-2000 usado pela FAB, sendo que na pior das hipóteses usariam os mesmos mísseis e talvez aviônica, ainda assim o M-2000 seria de uma geração mais recente.Quanto ao AMX, não acho que seja um fiasco, senão a Itália já teria desativado, acredito que o problema é a crônica falta de dinheiro que impede a FAB de executar um planejamento estratégico digno do Brasil e desta força.

Theo Gatos

No estado que estão as FAs argentinas, seriam bem vindos sim.

Levando em conta a rixa com o Chile, bom mesmo seria se a Grécia em crise vendesse seus M2000-5 Mk2 para a Argentina, por lá eles já abateram F-16 Block 30 da Turquia que acho que são similares ou até superiores do que os chilenos… E certamente dariam muito trabalho para os nossos F-5 por mais modernizados que estejam, alem disso ao contrário do que alguns comentários, acho essa versão de Mirage bastante superior ao F1.

Sds.

Carlos Ivan

Ué, por que a Argentina não negocia com a SAAB o leasing de 12 Gripen C/D ??? Afinal de contas, os custos de manutenção do Gripen C/D devem ser próximos destes Mirages F1CJ.
Já que os hermanos querem 02 Saab 340 AEW, levariam um pacotaço com 12 Gripens!!!

fredy

Na boa Emersom, chamar o Brasil de Potência militar já é um exagero, mas usar essa expressão para se referir a argentina só pode ser uma piada.

Jonas Rafael

O que é mesmo que a Jordãnia está adquirindo pra substituir esses F-1 e F-5 que venderam pra essas bandas? F-16?

Wagner

Não entendi como alguém pode achar que seria vantajoso comprar F1 de 30 anos para substituir nossas eficientes Vezpas ( AMXs) que são bem mais novas ! Seria o mesmo que dizer que os americanos deveriam re-ativar os phantom ao invés de modernizar seus F16 !! Outra, o Mirage 2000 é um avião MAIS RECENTE E MAIS EFICIENTE do que o F1, portanto, cogitar a compra de F1 para o Brasil no lugar dos Mirage 2000 também seria absurdo. Essas afirmações não fazem o menor sentido !! O F1 é realmente bom para a Argentina, que não tem muita escolha.… Read more »

Parthenon

Eu optaria se pelos M-2000-9 dos Emirados Arabes, se pra quem esta acostumados a M-III, seria a melhor aquisição e estão novos, alias deixa quieto, o Brasil é que deveria comprar de “oportunidade” dos Emirados Arabes, poís do jeito que o FX-2 vae, mesmo que dê por certo a finalização, se não for os F-18SH os vencedores, os prazos de entregas dos novos Rafales e Gripen, tardaram um bocado, oia deixa quieto, a FAB que abra os “olhos”, alias a FAB, a muito deveria adotar o Mister Mag@@ como ICONE/ILUSTRATIVO. Comprar M-1, é o mesmo que a Força Aerea Argentina… Read more »

Alex Nogueira

O que atrapalha muito na América do Sul é a falta de cultura, educação e a desonestidade de nossos “governantes”, tirando isso temos toda possibilidade do mundo em bater de frente com qualquer potência.

Alex Nogueira

Esqueci de mencionar a falta de ORGANIZAÇÂO.

Nelson Lima

Estou certo que as opções argentinas levam em conta seu reduzido orçamento. Não tem nada a ver com falta de parceria

Eleazar Moura Jr.

Com tanto F-16 usado dando “sopa” nos EUA os argentinos preferem comprar Mirage F-1? Por falar na USAF (sobre àquela questão de transformar mais de 100 F-16 ainda úteis em drones ou alvos)verificamos como o Governo Americano é egoíta, pois poderia vender 60 unidades desses caças (20 para cada país), para a Argentina, Colõmbia e México que são aliados americanos e estão com suas Forças Aéreas muito carentes no tocante a caças, mesmo que a Colômbia esteja em processo de recebimento de um novo lote de Kfir de Israel é lógico que os F-16 são mais caças. Alguns podem até… Read more »

Eleazar Moura Jr.

Vander a preços simbólicos, quis dizer isso…..via FMS

Wagner

O que reforça a tese de que pegar o SH para o FX seria um grande erro.
Os norte-americanos no fundo só confiam nos Ingleses, e em mais ninguem.

Ivan

Alex Nogueira em 18 mar, 2010 às 10:08 Alex, Amigo, por favor não confunda cultura com valorização da cultura. A América Latina é um emaranhado de culturas riquíssimas. Algumas nativas como as dos povos andinos (costa do Pacífico) ou dos índios Tupis e Guaranis entre tantos (costa do Atlântico); outras importadas da Europa e África. Todas elas combinadas gerando novos povos e novas culturas, muito mais ricas e até mesmo fascinantes. Basta andar pelo Brasil para ver… mas para mim, pernambucano, basta brincar o carnaval, com Maracatu (homenagem dos negros aos seus reis da Àfrica que vieram como escravos), Caboclos… Read more »

Ivan

Desculpem o off topic, foi o entusiasmo.

Ivan.

Mad Dog

Oras…A Argentina tem que comprar Gripens estocados da Suécia…
Não são tão baratos e fáceis de manter???
Ou então comprar o NG já que é mais baratinho de voar que o Gripen atual…

Fsinzato

No meu ver, o problema da Argentina é muito simples, e não se trata de escolher vetores.

Os hermanos não conseguem financiamento (lembram moratória?), então, suas escolhas devem estar bem limitadas quanto a fornecedores.

Abs.

Fsinzato

Apenas complementando:

Os hermanos não conseguem financiamento (Exceção dos grandes – BNDS).

Reportagens especiais

Poder Aéreo nos Estados Unidos: CAF AIRSHO – parte 2

Como dissemos na primeira parte desta reportagem, no nosso primeiro show aéreo nos EUA não pegamos um tempo muito...
- Advertisement -
- Advertisement -