sexta-feira, outubro 22, 2021

Gripen para o Brasil

Pilotos da FAB na Guerra das Malvinas?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Pesquisador brasileiro afirma que pilotos da FAB realizaram missões de patrulha e esclarecimento marítimo durante a Guerra das Falklands/Malvinas.

Reportagem feita pelo programa “Fantástico” em 1992.

COLABOROU: Vinicius Modolo

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
COMANDANTE MELK

Senhores,

tudo apresentado nesta reportagem realmente são “fatos que aconteceram´´, agora é claro que o governo brasileiro não vai chegar e dizer isso textualemnte…

Grato.

Vinicius Modolo

Valeu Poggio!!!

Esse vídeo é interessante, mas como eu falei no tópico da outra matéria ele supervaloriza as informações.
Tem uma reportagem na Força Aérea que fala sobre o acontecido e não fala sobre brasileiros.
Os argentinos estavam qualificados para operarem os King Air B-200 da ARMADA, e com uma breve instruçaõ conseguiriam pilotar os Bandeirulhas sem problemas, e não como foi dito em um livro do autor necessitariam de 5 meses de instrução.

Luiz Antônio Cavalcanti

Lembro dessa reportagem. Mas os EUA também ajudaram os ingleses, por que não poderíamos ajudar os argentinos? Mas, afinal de contas, os bandeirulhas tiveram uso real, chegaram a identificar aviões e navios britânicos mesmo? Será que eles ajudaram no ataque ao Sheffield?

Lucius Clay

Não há nada demais! Como disse o Luiz Antônio Cavalcanti os EUA ajudavam a Inglaterra, nós deveríamos ter feito mais até!

Vinicius Modolo

Eu não creio que os brasileiros se envolveram tão afundo. Seria arriscar demais por muito pouco.

Vinicius Modolo

o probelma eh que a nossa _____ não é tão grossa como a dos EUA e as relações com a argentina estavam enfrentando uma fase de melhoras que só tinha 3 anos. Um tempo muito curto para dar tanta confiança.

Emprestamos 2 EMB-111, sem os SBAT-70 e sem pilotos. só

O conflito foi decisivo para o inicio da cooperação com a argentina e o fim da ditadura.

Claudio/Itajai -SC

Tem uma edição da revista Força Área que fala que os aviões foram arrendados.

MOsilva

Numa matéria de uma revista especializada em aviação, foi escrito que o “empréstimo” dos Bandeirulhas provocou a chamada do diplomata brasileiro em Londres para que este desse “explicações” sobre o fato. Segunda a matéria, foi confirmado o “empréstimo”. E que, caso o Reino Unido se sentisse preterido de alguma maneria, o Brasil estaria disposto a lhes emprestar o mesmo aparelho também. O diplomata inglês ficou furioso! Não sei se o “causo” diplomático é verídico. Mas acredito ser bem possível que houvesse brasileiros entre as tripulações dos Bandeirulhas. Se estes eram militares ou civís, fica difícil de dizer. Mas de nada… Read more »

Vinicius Modolo

O caso é real.
O embaixador brasileiro em londres foi convocado e disse isso mesmo, além do que não havia embargo de armas à argentina e o mesmo não se caracterizava como tal e sim como aeronave patrulha que não cumpre objetivos ofensivos.
O caso foi relato em dois livros do Moniz Bandeira e em uma dissertação de Mestrado de um cara que não me lembro o nome. vou tentar achar.

Vinicius Modolo

o nome do cara da dissertação:

TOMAZ ESPÓSITO NETO: A POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA FRENTE AO CONFLITO DAS FALKLANDS/MALVINAS (1982.

Eu consegui uma copia digital com ele atraves do e-mail, quem quiser uma me manda um e-mail falecomovinas@gmail.com

COMANDANTE MELK

Senhores,

tudo apresentado nesta reportagem realmente são “fatos que aconteceram´´, agora é claro que o governo brasileiro não vai chegar e dizer isso textualemnte…

Grato.

Vinicius Modolo

Valeu Poggio!!!

Esse vídeo é interessante, mas como eu falei no tópico da outra matéria ele supervaloriza as informações.
Tem uma reportagem na Força Aérea que fala sobre o acontecido e não fala sobre brasileiros.
Os argentinos estavam qualificados para operarem os King Air B-200 da ARMADA, e com uma breve instruçaõ conseguiriam pilotar os Bandeirulhas sem problemas, e não como foi dito em um livro do autor necessitariam de 5 meses de instrução.

Luiz Antônio Cavalcanti

Lembro dessa reportagem. Mas os EUA também ajudaram os ingleses, por que não poderíamos ajudar os argentinos? Mas, afinal de contas, os bandeirulhas tiveram uso real, chegaram a identificar aviões e navios britânicos mesmo? Será que eles ajudaram no ataque ao Sheffield?

Lucius Clay

Não há nada demais! Como disse o Luiz Antônio Cavalcanti os EUA ajudavam a Inglaterra, nós deveríamos ter feito mais até!

Vinicius Modolo

Eu não creio que os brasileiros se envolveram tão afundo. Seria arriscar demais por muito pouco.

Vinicius Modolo

o probelma eh que a nossa _____ não é tão grossa como a dos EUA e as relações com a argentina estavam enfrentando uma fase de melhoras que só tinha 3 anos. Um tempo muito curto para dar tanta confiança.

Emprestamos 2 EMB-111, sem os SBAT-70 e sem pilotos. só

O conflito foi decisivo para o inicio da cooperação com a argentina e o fim da ditadura.

Claudio/Itajai -SC

Tem uma edição da revista Força Área que fala que os aviões foram arrendados.

MOsilva

Numa matéria de uma revista especializada em aviação, foi escrito que o “empréstimo” dos Bandeirulhas provocou a chamada do diplomata brasileiro em Londres para que este desse “explicações” sobre o fato. Segunda a matéria, foi confirmado o “empréstimo”. E que, caso o Reino Unido se sentisse preterido de alguma maneria, o Brasil estaria disposto a lhes emprestar o mesmo aparelho também. O diplomata inglês ficou furioso! Não sei se o “causo” diplomático é verídico. Mas acredito ser bem possível que houvesse brasileiros entre as tripulações dos Bandeirulhas. Se estes eram militares ou civís, fica difícil de dizer. Mas de nada… Read more »

Vinicius Modolo

O caso é real.
O embaixador brasileiro em londres foi convocado e disse isso mesmo, além do que não havia embargo de armas à argentina e o mesmo não se caracterizava como tal e sim como aeronave patrulha que não cumpre objetivos ofensivos.
O caso foi relato em dois livros do Moniz Bandeira e em uma dissertação de Mestrado de um cara que não me lembro o nome. vou tentar achar.

Vinicius Modolo

o nome do cara da dissertação:

TOMAZ ESPÓSITO NETO: A POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA FRENTE AO CONFLITO DAS FALKLANDS/MALVINAS (1982.

Eu consegui uma copia digital com ele atraves do e-mail, quem quiser uma me manda um e-mail falecomovinas@gmail.com

Últimas Notícias

Assista ao primeiro episódio da websérie Colaboração Real 4

Estreou hoje o primeiro episódio da quarta temporada da websérie Colaboração Real no canal do YouTube da Saab do...
- Advertisement -
- Advertisement -