sábado, abril 17, 2021

Gripen para o Brasil

Brasil terá outra base para lançar foguetes

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

vinheta-clippingAntes concentrado em Alcântara, no Maranhão, um local privilegiado para o lançamento de foguetes devido a sua posição privilegiada em relação à linha do Equador, parte do programa espacial brasileiro será transferido para o litoral do Ceará, em região nas proximidades do porto de Pecém. O assunto será discutido na quarta-feira em reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com ministérios, empresas e agências responsáveis pelo programa espacial.

mapa-base-alcantara-e-nova-em-pecem-valor-economico-via-notimpA divisão tornou-se inevitável depois que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) baixou uma portaria decretando como área quilombola 78 mil hectares dos 114 mil hectares que constituem a península de Alcântara. O município deveria abrigar o Complexo Espacial Brasileiro (CEB) – seriam quatro centros de lançamento de foguetes, três em convênios com outros países e um inteiramente nacional, o Veículo Lançador de Satélites (VLS), que é desenvolvido pela Aeronáutica. Também seriam construídos hotéis e clubes a fim de atrair para Alcântara extensões universitárias inteiramente voltadas para a tecnologia espacial.

Devido à crise financeira mundial, o governo botou o pé no freio do complexo espacial (antes chamado de centro), mas seguiu adiante com o VLS e com o acordo firmado com a Ucrânia para o lançamento da quarta geração do foguete Cyclone a partir de Alcântara. Devido ao conflito com os quilombolas, a Alcântara Cyclone Space (ACS) teve de se transferir para dentro da área onde a Aeronáutica desenvolve o VLS. O programa não será afetado e o gestor brasileiro da empresa binacional, Roberto Amaral, diz que o lançamento teste ocorrerá entre outubro e novembro de 2010 – no início, a previsão era julho.

Sem área para ampliação, as autoridades brasileiras decidiram construir o CEB no litoral do Nordeste. Embora digam que ainda estudam sítios na região, o local escolhido fica no entorno do porto de Pecém, no Ceará.

Em relação a Alcântara, o local tem a vantagem de permitir uma redução nos investimentos necessários à implantação do complexo. Em Alcântara, por exemplo, será necessário construir um porto e uma estrada de 51 quilômetros, infraestrutura que já existe em Pecém. Além disso, a região é próxima de Fortaleza, tem um centro universitário em Sobral, ou seja, boa parte da infraestrutura que teria de ser feita no Maranhão.

Além disso, Pecém também dispõe de uma localização privilegiada para o lançamento de veículos com satélites: está a 3,2 graus em relação à linha do Equador, enquanto a base francesa de Kourou, na Guiana, o centro mais bem localizado do mundo para esses lançamentos, está a 5,2 graus da linha do Equador. Mas imbatível mesmo é Alcântara – está a 2,2 graus, o que significa enorme vantagem competitiva: cada lançamento feito a partir da ilha maranhense pode custar até 30% menos que de outras bases instaladas por todo o mundo, principalmente devido à economia de combustível.

A região de Pecém conta também com a vantagem de ser próxima ao mar, assim como Alcântara. Isso é importante porque permite a liberação de estágios – ou até destroços – do foguete com a segurança de que eles não cairão em áreas habitadas na terra. “Ainda mantemos a vantagem comparativa com relação a Kourou”, disse ao Valor um dos dirigentes do programa espacial brasileiro.

Não é raro um país ter mais de um centro de lançamento de foguetes localizados em regiões diferentes. O programa com a Ucrânia, em Alcântara, deve custar US 400 milhões, até o lançamento do foguete de qualificação (o primeiro). Mas o CEB, no litoral nordestino, vai requerer um investimento muito maior, ainda guardado em segredo pelas autoridades, mesmo que boa parte das obras de infraestrutura previstas para Alcântara não sejam mais necessárias.

O conflito com os quilombolas deve entrar na pauta da reunião de quarta-feira. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, deve pedir uma extensão do sítio de 9,2 mil hectares no qual estão agora abrigados a ACS e o programa do VLS da Aeronáutica. Quem decretou a área quilombola foi o Incra, que conta com o apoio da Secretaria da Igualdade Racial para a decisão. Defesa e o Ministério da Ciência e Tecnologia foram contrários à extensão decretada.

Além da questão dos quilombolas, Lula ouvirá um relato das conversas que o presidente da ACS, Roberto Amaral, manteve em viagem recente à Ucrânia. A principal novidade a ser contada por Amaral é que a indústria brasileira, pelos entendimentos feitos com os ucranianos, também vai participar da fabricação do foguete Cyclone 4 – uma evolução do Cyclone 3, já em uso para colocar satélites em órbita. A industria brasileira deve participar da fabricação de equipamentos, inclusive componentes do motor do foguete.

Pecém, no entanto, deve ser obra para o próximo governo. No momento, a prioridade é lançar o foguete ucraniano Cyclone 4, nas proximidades da eleição de outubro do próximo ano.

FONTE: Valor Econômico, via Notimp

Leia mais sobre Alcântara e o Programa Espacial Brasileiro clicando nos links abaixo:

- Advertisement -

88 Comments

Subscribe
Notify of
guest
88 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Henrique

Esse INCRA é uma piada, deveria ser feita uma investigação para ver a que interesses este órgão trabalha pois certamente não é em prol do país. Só no Brasil mesmo pra ter esse tipo de coisa.
Quanto a nova base… está certo descentralizar operações, assim se uma der problemas como ocorreu em Alcântara não se para tudo!
Abraços.

Sonic Wings

Por que não no Amapá ou Pará? em cima da linha do Equador a 0º?

Qual a limitação pra isso?

Abs

Rafael

Achar um terreno vasto na parte norte do Brasil, não deve ser tão difícil. Porque então montar uma base mais ao sul ?

celio andrade

Aki no Brasil…tudo é assim…

Pampa

Pois é os “Kilombolas” dobraram o GF. O q pensar disso?

matheus

Esse INCRA é mesmo uma piada, deveriam fazer uma investigação para saber o por que tal órgão é contra o desenvolvimento do programa espacial. Isso só acontece aqui mesmo, 78.000 hectares para meia dúzia de quilombolas.
Esses sim são os traidores da nossa pátria!

Wilson Johann

Isto é de deixar qualquer um indignado. O Incra manda, através de portarias, muito mais do que o governo. Isto é um absurdo, como é que um orgão do governo tem o poder de paralizar todo o programa espacial brasileiro. Vão ter que gastar milhões na construção de outra base, não tão bem localizada como esta, porque o interesse de meia dúzia de quilombolas se sobrepõe aos interesses da nação? O Incra se torna um grande impecílho ao nosso desenvolvimento e ninguém toma providências para cortar umas cabeças dentro daquele orgão, como a do seu diretor, por exemplo. Nesta questão,… Read more »

Wilson Johann

Portarias podem ser revogadas, alguém tem que dizer isso ao Lula. E ddiretores pode ser exonerados, quando trabalham contra os interesses, não só do governo, mas da nação como um todo.
O pior é que vai ficar por isso mesmo…

Um abraço!!

Lucas Calabrio

Prezados
Creio que seria mais mais interessante no Pará nas proximidade do município de Salinópolis.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Salin%C3%B3polis
Abraços

Lucas Calabrio

latitude 00º36’49” sul e a uma longitude 47º21’22” oeste
além de ter boa amplitude de maré para a construção de um porto.
Quero lembrar que a Marinha do Brasil est’s querendo construir uma nova base naval semelhante ao do Rio no norte do país.
sds

Lucas Calabrio

Com relação ao Amapá seria meio complicado pois lá o que mais tem é área protegida e tem quilombolas também e não tem acesso rodoviário, além do que, para construção de um porto é muito complicado pois tem muito sedimento oriundo do rio amazonas
sds

Lucas Calabrio

Prezado Sonic Wings
A única inconveniência de construir na linha do Equador é que está em Macapá e divide a cidade em norte e sul
sds

Sonic Wings

Lucas,

Claro que existem outros fatores que não só a posição geografica, estava sendo simplista hehehe, mas penso que este não seja o único lugar sendo avaliado neste momento.

Abs

Angelo Nicolaci

Acho um absurdo e um crime de lesão a nossa Pátria, onde ja se viu 78 mil hectares pra um punhado de ninguens que não vão somar em nada a nossa história ou desenvolvimento Cientifico ou mesmo social??? Posso estar soando mal, mas essa é a realidade, só no Brasil temos isso, já pensou se os descendentes dos indios americanos reivindicasse os direitos a suas terras ancestrais??? Lá duvido que conseguiriam alguma coisa como esses apatridas dos quilombolas e indios safados conseguem aqui no Brasil, falta um governo de força e que saiba distinguir as necessidades reais de um país… Read more »

Jacubao

Deve ter alguém no INCRA mamando dinheiro estrangeiro para baixar essa maldita portaria. Todos sabemos que o Brasil é um país extremamente corrupto, se neguinho vende até a mãe, imaginem essa área de Alcântara. Se não investigam essa atitude do INCRA, é por que tem muita gente de rabo prêso.

henriquerafa

Primeiro foi Raposa Serra do Sol uma piada demos praticamente um país na fronteira para os índios, e ainda quando a repórter perguntou para o índio se ele já tinha saído da reserva ele respondeu que já foi pra Venezuela mais nunca foi para o Brasil, como se não tivessem no Brasil, e agora Alcântara outra piada. Realmente na minha opinião reservas indígenas e quilombos são verdadeiros zoológicos humanos que os governos querem fazer, será que em pleno século XXI as crianças de la não podem assistir televisão os jovem não podem ir pra faculdade será que as meninas não… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados
Seria interessante rever os comentários de “Brasil corre risco de perder oportunidade na área espacial, alerta Jobim”
postado no Blog do Poder Aéreo no dia 02/07/2009 página 12.
sds

Sonic Wings

Calma galera nem tanto ao Sol nem tanto a Terra! Farei aqui o papel de advogado do diabo. Não adianta este discurso de que tem q chegar e ocupar pelo bem da nação que não funciona. Tem sim que fazer um projeto bem feito o tal do EIA RIMA é pra isso mesmo, levantar as particuliaridades da região se isso é ou não viavel e tal, me espanta o fato de durante o projeto de ALcantara os caras não terem se antecipado a esta pendencia atual. Além do que segundo alguns relatos houve uma total ingerencia por parte do comando… Read more »

Rodrigo

Será que só eu que acho bizarro uma pessoa, em pleno século XXI, ser chamada de “quilombola”?

CorsarioDF

Eu prefiro nem comentar esse assunto. Porque sinceramente acho RIDÍCULO esse governo, que paga o TRIPLO do acordado com o paraguai, por nossa energia e agora entrega essas terras a quem NUNCA foi dono delas!!!
Só no “brazil” mesmo que isso acontece.

Sds.

Baschera

Aposto que tem alguma ONG por detrás disto.
O que acho incrível, é que havia lido tempos atrás que este problema com os “quilombolas” havia sido resolvido a contento.
Este governo entrega tudo….é o fim.

Sds.

Iron

Vergonhoso…pra mim o governo só faz isso pra sair com pose de politicamente correto e salvar os “pobres” quilombolas a troco de uns votos a mais. Falta mais seriedade com assuntos tão importantes para a nação, e temos que acreditar que a situação pode e deve mudar.

Alecsander

O que me deixa mais triste com esta historia é que apesar do país ter melhorado muito em vários quesitos nos utimos anos, o Brasil continua mostrando ao mundo como não se deve fazer as coisas. O Brasil da tanta terra pra tão pouca gente que não tem nem condições econômicas, nem tecnológicas de manter aquela área produtiva, que no final vão acabar vendendo as terras que nem muitos dos sem-terras que já receberam terras e se desfizeram por ignorância e total incapacidade de administrar e produzir em suas terras. Daí o Brasil desperdiça o futuro do programa espacial, e… Read more »

joel

O que traria mais dsenvolvimento para a região um Complexo Espacial em Alcantara ou A demarcaçãode uma area de quilombo em 78.000 hectares? Sera que eles tem noção do tamanho da area? Pq o interesse de uns poucos tem prioridade sobre o Interesse da Nação inteira? Breve quem não for quilombola ou indio tera que deixar o pais… Quero que daqui a 20 anos alguem mostre como esta a area quilombola que desalojou o Complexo Espacial Brasileiro, as unicas mudas que acharão plantados sera, na melhor das hipoteses de maconha(e não por culpa dos quilombolas) mas por culpa dos seus… Read more »

Noel

“Sonic Wings em 30 jul, 2009 às 22:43 Além do que segundo alguns relatos houve uma total ingerencia por parte do comando do centro em lidar com os quilombolas tendo prometido mil coisas sem terem cumprido com a palavra, tentando levar o negócio meio q na força.” Não sei onde vc obteve essas informações, mas é evidente que partiram dos que apoiam, maquiavelicamente, esses infelizes Quilombolas, que são massa de manobra, ou gado, como diria Zé Ramalho. Sem querer polemizar, mas de uma pesquisada sobre o tema: o CLA e sua história, a cidade de Alcântara, e as dificuldades do… Read more »

Cantarelli

A se ficar as duas bases operacionais tudo otimo pois uma servira de reserva da outra que acham?

Cor Tau

rsrsrsrsrs……Não sei não viu………Como tudo é um melodrama neste pais……..Uma novela mexicana…….rsrsrrs………

http://www.youtube.com/watch?v=iU6ITFzddnc

http://www.youtube.com/watch?v=0r7lrI6B57Q

Cor Tau

Se tivessem levado os quilombolas e esse projeto a serio nada disso teria acontecido…..É por isso que acontece essas coisas…..

Edmar

Caros Amigos.:

Estou de acordo com o Amigo Wilson Johann e com outros cometários aqui do Blog.
O “Incra” deveria ver em primeiro lugar o interesse da Nação e não de meia duzia de “Quilombolas”.
Mas vendo pelo lado bom, nós teremos duas Bases de Lançamentos.

Abraço aos Amigos do Blog.

Jordan

Pessoal, uma pergunta para os entendidos:

Já que será construída uma base longe do melhor cenário, que seria “o quanto mais próxima da linha do equador”, por que não usar uma base pronta que é a Barreira do inferno em Natal/RN?

Primo

Eu sou quilombola e quero a área de Copacabana para mim! Meus ancestrais moraram e morreram lá. Não tem niguém do Incra aí para me passar a papelada que preciso preencher e dar “entrada no processo”. Depois que for dono da área de Copacabana, vou cobrar tributo de todo mundo que lá mora, inclusive retroativo àquele bando de shows que foram feitos nas areias sagradas de “minha” praia. Reveillon, fogos e multidão nunca mais serão vistos na areias sagradas. E aquele bando de prédios? Vou derrubar todos! Ladeira dos tabajaras? tá todo mundo expulso. Só ficarão descendentes diretos de meus… Read more »

Harry

Caros, é ultrajante
O responsaveis ou melhor inresponsaveis são os lideres dos tres poderes
culpar negros ou índios é tirar a responsabilidade deles.
Cabe inunda a Secretaria DESIgualdade Racial e o Incra de e-mails protestando
pela lesa-pátria, quem cala consenti(já to mandando e-mail)
Abs

Harry

Caros, este e-mail anda circulando em alguns grupos de bate-papo de profissionais ligados a movimentos sociais. A PRÓXIMA GUERRA Segue abaixo o relato de uma pessoa conhecida e séria, que passou recentemente em um concurso público federal e foi trabalhar em Roraima. Trata-se de um Brasil que a gente não conhece. As duas semanas em Manaus foram interessantes para conhecer um Brasil um pouco diferente, mas chegando em Boa Vista (RR) não pude resistir a fazer um relato das coisas que tenho visto e escutado por aqui. Conversei com algumas pessoas nesses três dias, desde engenheiros até pessoas com um… Read more »

Zero Uno

Rafael em 30 jul, 2009 às 20:30

Por causa da economia de combustível Rafael. Perto da Linha do Equador se economiza mais combustível…

Abraços.

RodrigoBR

Espero que o governo nao faça outra burrada e construa a Base de Lançamentos próximo a futura base naval no nordeste.

João Curitiba

Como diz o esquartejador, vamos por partes: 1) É claro que há ingerência externa, uma vez que a “concorrência” não quer o Brasil disputando o bilionário mercado de lançamento de satélites. 2) É claro que muitas das pessoas envolvidas são apenas inocentes úteis, manipuladas pelos interessados citados no item “1”. 3) O que os “nativos” ganham com o CEB indo para o Ceará? Nada. 4) Alguém lembrou de perguntar para os jovens daquela região se eles não gostariam de trabalhar no novo porto, no novo hotel, nas novas instalações acadêmicas e enfim, em toda a estrutura de apoio que surgiria… Read more »

Patriota

Bem ainda sim o local onde a nova base vai ser construida é privilegiado, se por um lado economizavamos mais combustivel em Alcantara no Ceara teremos mais infraestrutura para o projeto pois
a area fica proxima a Fortaleza e a um centro universitário.

No final das contas vamos acabar investindo mais porem no futuro
ganharemos mais tambem.

André Castro

Se os quilombolas acham que ganharam ,com certeza não ,O estado do maranhão é um dos mais pobres do pais ,só fica atrais de Alagoas no quesitos desenvolvimento humano ,educação , saúde . O Centro Espacial de Alcântara poderia mudar isso, mas se é para o programa espacial ficar preso e não poder continuar seu desenvolvimento melhor construir outra base e não atrasar mais ainda o cronograma .

Mas também acho que é um baita desperdício de dinheiro mas só lembrado desde quando político se importa com o nosso dinheiro !!!!

matheus

Governo afirmou que a base será no Ceará, mas diz que não vai ser em Pecém e descarta a possibilidade da base ser implantada próximo ao Complexo Industrial. Não ser no Pecém se justifica pela tendência de crescimento da região com a chegada de grandes empreendimentos como siderúrgica, termelétrica, refinaria, além de outras indústrias que devem ser atraídas para o Complexo nos próximos anos. O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), no Rio Grande do Norte, por exemplo, teve as atividades reduzidas, sendo substituído pelo Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, justamente por conta do crescimento… Read more »

matheus

“Nelson Jobim garantiu ainda que o Centro de Lançamento de Alcântara, além de reformulado, receberá outros aplicativos que ainda não tinham sido agendados. A transferência do Programa Espacial Brasileiro para outro estado, conforme está sendo especulado pela imprensa, está descartada”, afirmou Escórcio. A postura do ministro Jobim é considerada decisiva para o futuro do Centro de Lançamento de Alcântara, localizado no cerne de um problema social e tecnológico: a necessidade de expansão do CLA para continuar o desenvolvimento tecnológico implica em novos remanejamentos de comunidades remanescentes de quilombolas que ocupam uma área de 78 mil hectares. Essa questão será debatida… Read more »

Jairo

Cade os grandes especialistas dos blogs, não vão dar suas opiniões não ????? só gostam de falar de avião francês, americano, russo???? só vi alguns comentarem, cade os outros? uma ABERRAÇÃO UM ABSURDO DESSES e só essas postagens !!! e ainda vem um cara falar de americanos. P####, esse assunto merece tanta atenção quanto o tal FX2, afinal nós pagamos impostos, vai sair, se sair, do nosso bolso.

ivan

Vão pedir a abenção a quem para instalação a base no Ceará, tem que ver se não é terreno de marinha, se há alguma entidade reinvidicando a área por ter comprado o lote do Loteamento Brasil, se alguma Nação já solicitou o direito de posse a área, se o IPTU está em dia e não é lote invadido pelos Sem Sem. Este é o Brasil!

Samuel Maice

É a ditadura das minorias. O país está sendo loteado para as minorias. Isso já não é mais democracia; Virou plutocracia da CUT, ONGS, MST e petistas faz algum tempo. 78.000 hectares são uma imensidão. A maioria dos parques e reservas naturais não tem este tamanho. E será para meio punhado de gente. Isso tem que ser investigado, não seria de se duvidar que os russos estão envolvidos (ex. subornando gente do INCRA para essa portaria sair), para minar o programa conjunto ucraniano-brasileiro. Custará uma fortuna a mudança. E, como já dito acima por outra pessoa, o tal quilombo será… Read more »

tyrion

Ta dificil…78.000H bem dentro do nosso centro de lancamento, inviabilizando anos de duro trabaho, perdendo o melhor local do mundo para lançamento de sateletes, imobilizando bilhoes de do dolares e mostrando para o resto do mundo como dementes somo todos nos…ja decidi de hoje em diante nao faço mais piada de portugues…vou fazer piada de nos mesmos…”Na camara e no senado sujeira pra todo lado, ninguem respeita a CONSTITUIÇÃO mas todos acreditam no futuro da nação…que pais e este…que pais e eeeste” Renato Russo.

Henrique

Esse INCRA é uma piada, deveria ser feita uma investigação para ver a que interesses este órgão trabalha pois certamente não é em prol do país. Só no Brasil mesmo pra ter esse tipo de coisa.
Quanto a nova base… está certo descentralizar operações, assim se uma der problemas como ocorreu em Alcântara não se para tudo!
Abraços.

Rafael

Achar um terreno vasto na parte norte do Brasil, não deve ser tão difícil. Porque então montar uma base mais ao sul ?

matheus

Esse INCRA é mesmo uma piada, deveriam fazer uma investigação para saber o por que tal órgão é contra o desenvolvimento do programa espacial. Isso só acontece aqui mesmo, 78.000 hectares para meia dúzia de quilombolas.
Esses sim são os traidores da nossa pátria!

Lucas Calabrio

Prezado Sonic Wings
A única inconveniência de construir na linha do Equador é que está em Macapá e divide a cidade em norte e sul
sds

Jacubao

Deve ter alguém no INCRA mamando dinheiro estrangeiro para baixar essa maldita portaria. Todos sabemos que o Brasil é um país extremamente corrupto, se neguinho vende até a mãe, imaginem essa área de Alcântara. Se não investigam essa atitude do INCRA, é por que tem muita gente de rabo prêso.

CorsarioDF

Eu prefiro nem comentar esse assunto. Porque sinceramente acho RIDÍCULO esse governo, que paga o TRIPLO do acordado com o paraguai, por nossa energia e agora entrega essas terras a quem NUNCA foi dono delas!!!
Só no “brazil” mesmo que isso acontece.

Sds.

Reportagens especiais

Poder Aéreo nos Estados Unidos: CAF AIRSHO – parte 2

Como dissemos na primeira parte desta reportagem, no nosso primeiro show aéreo nos EUA não pegamos um tempo muito...
- Advertisement -
- Advertisement -