Home Aviação de Transporte Portugal: Embraer aceita vender aeronaves KC-390 por 827 milhões de euros

Portugal: Embraer aceita vender aeronaves KC-390 por 827 milhões de euros

43469
115
Embraer KC-390

Empresa brasileira exigia dezenas de milhões de euros adicionais face aos 827 milhões constantes da proposta de Lei de Programação Militar, parada no Parlamento

A Embraer aceitou a condição do governo português em pagar apenas 827 milhões de euros pela compra de cinco aeronaves de transporte militar KC-390, soube o Diário de Notícias junto de fontes do setor.

O acordo culmina semanas de divergências entre o Ministério da Defesa – apoiado pelo Parlamento – e o construtor aeronáutico brasileiro, que estava a exigir algumas dezenas de milhões de euros acima dos 827 milhões inscritos na proposta de Lei de Programação Militar (LPM) aprovada, em novembro passado, pelo Conselho de Ministros.

O braço-de-ferro veio a público em meados de janeiro, durante uma audição parlamentar do então chefe do Estado-Maior da Força Aérea sobre a nova LPM. O ministro da Defesa reforçou, dias depois, que Lisboa desistiria dos KC-390 se a Embraer mantivesse as exigências financeiras adicionais, optando por outro modelo para substituir os Hércules C-130 da Força Aérea.

Segundo fontes ligadas à equipa de negociação criada em 2017 para adquirir os KC-390, o acordo com o fabricante brasileiro abrange o fornecimento de cinco aeronaves de transporte tático-estratégico, um simulador de voo e a manutenção durante o ciclo de vida útil dos aparelhos.

Fontes do Ministério da Defesa limitaram-se a dizer que as negociações com a Embraer “mantêm-se em curso e estão em fase avançada”.

Em rigor, o acordo não existe até ser formalizado – o que, segundo várias fontes, só deverá ocorrer depois de o Parlamento aprovar a LPM. Porquê? Enquanto o diploma estiver pendente, frisou uma das fontes, “não há dinheiro” para a aquisição dos KC-390 (exceto em sede de Orçamento do Estado, o que afetaria as contas do défice e por isso está fora de questão).

A questão seria necessariamente levantada pelo Tribunal de Contas, entidade responsável por analisar e autorizar o contrato.

Por isso, admitiram algumas fontes, estará também afastada a assinatura de um contrato promessa – porque normalmente incluem penalizações financeiras se for ultrapassado o prazo acordado para assinar o documento definitivo. É usual essas penalizações serem da ordem “dos 3%” do valor global do contrato, precisou uma das fontes já envolvidas em processos dessa natureza.

Ora como a discussão da LPM na especialidade está parada, já que os partidos com assento na Comissão parlamentar de Defesa ainda não reuniram para agendar o debate sobre um diploma que se esperava já estar aprovado há semanas, a incerteza sobre a data de aprovação da lei desaconselha a celebração de um contrato promessa, acrescentaram as fontes.

Note-se que as novas exigências financeiras – ou atualizações de preços – feitas pela Embraer poderão explicar-se por ter terminado algum prazo a que as duas partes se tivessem comprometido em 2018.

Outra justificação possível será a entrada da Boeing na Embraer, acrescentou a mesma fonte conhecedora dos meandros empresariais.

Vista em corte do KC-390. Clique na imagem para ampliar
Vista em corte do KC-390. Clique na imagem para ampliar

FONTE: Diário de Notícias

Subscribe
Notify of
guest
115 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mathrus
Mathrus
1 ano atrás

Finalmente saiu essa venda.
Jajá começa a encheção de saco sobre o negócio com a Boeing.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Mathrus
1 ano atrás

Mathrus, o negócio “da Boeing” é mau para o Brasil e parceiros. Pode ser bom para acionistas e para a Embraer, mas não é para os brasileiros e parceiros externos. Isto a meu ver, não vou nem dar detalhes do porquê, até porque já o fiz no passado em comentários de outras matérias.
Quanto a venda do Kc390 para Portugal, aparentemente é desta que vai para a frente, se bem que a LPM ainda está parada no parlamento português para aprovação, devido ao “braço de ferro” relativamente ao kc390 e não só.

FICO SO OBSERVANDO
FICO SO OBSERVANDO
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

São cinco aeronaves e TODA a manutenção pelo período de vida útil das aeronaves leia o contrato!!!!!!!!!!!!!!!!

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  FICO SO OBSERVANDO
1 ano atrás

“fico”, essa resposta era para mim? Não percebi o contexto.

Leonardo Gama
Leonardo Gama
Reply to  FICO SO OBSERVANDO
1 ano atrás

O Peter estava se referindo ao negócio entre a Boeing e a Embraer e não à venda dos KC-390 a Portugal.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Bem as mais de 70 reações negativas ao meu comentário, indicam me que o brasileiro “não está nem aí” para o facto de que a Embraer era, acima de tudo, uma empresa de aviação civil, área da qual dependia. Tão pouco se interessa pela possibilidade de a Boeing poder estar apenas a “usar” o “passe” da Embraer para a Europa, por meio da confiança que comessava a ser construída, a custa total do mérito brasileiro, junto de Portugal e outros países da região. Não sei, honestamente, de que vai a Embraer alimentar se depois do negócio com a Boeing… Se… Read more »

Chris
Chris
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Amigo… Todo mundo pensa igual q vc, ate o nosso presidente ! Acha mesmo que alguém quer que a Embraer, um orgulho pra nós, seja vendida?

Se estão fazendo essa venda, eh pq a sobrevivência da Embraer depende dela !

E considerando que os antigos C-series ja realmente começaram a decolar nas vendas nas mãos da Airbus…

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Meu cara não existe braço de ferro por causa do KC -390, porque partes dele são feitos em Évora e nas OGMA, logo é bem aceite pelo povo. Mas sim porque não se encontra afeta verbas para a modernização fragatas VG , F -16 para além da polemica com o NPL. Fica tranquilo a LPM será aprovada com 2/3 dos deputados dentro de 3 a 4 meses no máximo.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Vitor Silva
1 ano atrás

“cara”… Em Portugal todo o tocante a dinheiro é um braço de ferro. E sim, houve um (braço de ferro) quanto ao KC, porque como se refere, o acordo esperado e só mais tarde aceite era este de 830 milhões, não o de mil milhões que a Embraer (diria que por influência da Boeing) queria. Ao meu conhecimento, Évora não faz peças para o KC, mas é possível que sim, no entanto estas instalações passarão para a Boeing de qualquer maneira. De facto tanto as OGMA (luso brasileiras) como outras empresas portuguesas, participam em certas áreas do projecto, isso é… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Mathrus
1 ano atrás

Não leu o texto ?

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Carlos, quem?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Matrus

Afirma:

“Finalmente saiu a venda”.

Onde está essa afirmação no texto ?

Ele nao leu o texto….

Ou ……

João Souza
João Souza
Reply to  Mathrus
1 ano atrás

A venda não saiu. Só o valor ficou acertado. Tem que assinar o contrato ainda.

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  João Souza
1 ano atrás

Sim não deixa de ser verdade, de qualquer modo existem boas noticias. A Boeing reuniu-se esta terça-feira com o Ministro de Defesa de Portugal e foram dadas garantias em como Aliança entre ambas não vai prejudicar a Fabrica de Évora bem como o desenvolvimento do cluster aeronautico Português. Mas informo que dia 23 Abril, vai reunir-se a comissão parlamentar de Defesa afim de concluir a LPM e concerteza que a LPM vai ter os votos favoráveis dos Partidos PSD/CDS depois de terem negociado com o partido do governo. Na minha sincera opinião, vai haver mais verbas afetadas para ciberdefesa, talvez… Read more »

Renato
Renato
1 ano atrás

827 milhões de EUROS por 5 aeronaves?
Não está muito caro?
Qto custa o Hercules?

vilela
vilela
Reply to  Renato
1 ano atrás

Não é preço de prateleira, o texto diz que tem simulador e o mais importante, Manutenção por todo o Ciclo de Vida da aeronave.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Renato
1 ano atrás

Também achei estranho pois mesmo com esse pacote todo está dando mais de 165 milhões de Euros por avião!!

vilela
vilela
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Parece realmente muito caro, mas costumamos comparar com vendas e manutenções por cerca de 5 anos. TODO o ciclo de vida deve dar algo como 30 anos, salvo melhor juízo…

Gustavo
Gustavo
Reply to  Renato
1 ano atrás

Quando vc vai na Wikipedia da vida e procura pelo preço de um caça, ali sim vc está vendo um custo ESTIMADO de um único caça, mas sabe quem paga aquele preço? NINGUÉM. Nenhuma aeronave é vendida sem o pacote de serviços, treinamentos, simuladores e sobressalentes… Veja: “abrange o fornecimento de cinco aeronaves de transporte tático-estratégico, um simulador de voo e a manutenção durante o ciclo de vida útil dos aparelhos.” Isso daria 165,4 milhões de euros por aeronave. Mas no fim das contas é um pacote muito bom, pois a manutenção é pelo ciclo de vida útil da aeronave.… Read more »

FICO SO OBSERVANDO
FICO SO OBSERVANDO
Reply to  Renato
1 ano atrás

São cinco aeronaves e TODA a manutenção pelo período de vida útil das aeronaves leia o contrato!!!!!!!!!!!!!!!!

Eddie
Eddie
Reply to  Renato
1 ano atrás

Pelo contrário. Barato demais!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Renato
9 meses atrás

Tem que dividir pelo tempo de uso da aeronave, se e para fazer conta de padaria.

Valdomiro Santos
Valdomiro Santos
1 ano atrás

O mercado aeronáutico é extremamente competitivo, quem não se firmar com os contratos de vendas, perde espaço para os concorrentes.

Marcio
Marcio
Reply to  Valdomiro Santos
1 ano atrás

Mr. Obvious, parabéns!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

1- Quanto Portugal pagaria ao todo, pelo preço proposto originalmente pela Embraer?
2- Foi um preço….digamos…”justo?”
3- A Embraer não ganharia mais ao longo prazo, por causa das futuras manutenções e modernizações do KC?

Tiago
Tiago
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Manutenção já está inclusa no valor

claudio soares
claudio soares
1 ano atrás

ou aceita ou não vende. de que adianta desenvolver tecnologia se não tem como financiar a venda? vendas militares são sinônimos de FMS, o que não temos. infelizmente.

Leonardo M.
Leonardo M.
Reply to  claudio soares
1 ano atrás

O kc-390 tem sim através do BNDES
Agora resta o país que compra aceitar financiar pelo BNDES ou qualquer outro banco que deseja

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Enfim, a primeira(e importantíssima) venda para a Europa. A máquina vai fazer a turma da Otan babar e os pedidos vão começar.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Esperemos quem sim! Sou português e gosto muito do avião. Se bem que a meu ver, dou mais preferência ao sucesso da Embraer que da Boeing, ainda não se sabe bem onde a americana se vai enfiar. Motivo de desconfiança portuguesa e não só. Um off-topic que sei que vai agradar a muitos fãs do 390EMBRAER: Portugal requesitou meios, em apoio a Moçambique, ao Ministério da Defesa Espanhol, o país vizinho manda um A400M que já para lá estava destinado/fretado, aproveitou se assim espaço vazio com mantimentos e material procedente de Portugal a somar ao espanhol, com destino a Moçambique.… Read more »

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Deus te ouça, meu caro, Deus te ouça…! abraços

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Deus te ouça meu caro, Deus te ouça…! abraços

Ronaldo Rangel Pires
Ronaldo Rangel Pires
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

É isso aí Tomcat, o resto não interessa.

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Calma calma, ainda há um longo caminho a percorrer : diplomacia económica, agressividade comercial e bom senso no sentido de fazerem um bom preço que não deve ser superior a 5% em relação ao C-130j.
Depois a aliança com a Boeing, não foi bem compreendida na Europa, depois este produto possivelmente só será vendido a Países com algo poder financeiro, cada unidade custa pelo menos €100 milhões . Não podemos esquecer que €800 milhões é dinheiro (dava para fazer 3 bons Hospitais centrais) e era quanto custava a modernização do Porta-avião São Paulo.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Os 20% de costela judia da população portuguesa – bem sei – jogaram duro na hora da negociação.
.
Agora é esperar Portugal desfilar seus KC-390 na cara do resto da OTAN.
.
Embora, com o atual surto de “euronacionalismo”, a participação da Boeing não seja bem-vista.
.
Uma sugestão : usar os KC-390 nos voos para Moçambique. Além do gesto humanitário, é uma boa propaganda, e gratuita.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Conheces o percentual Árabe na população portuguesa ? Precisas conhecer !

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  jose luiz esposito
1 ano atrás

Diga José?

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Já estou a ver que o Delfim, não conhece caldeirada genética e única na Europa dos Portugueses, fizemos cruzamentos com Finicios,Celtas, mouros do norte Africa e Arabes ( pq procuravão terras ferteis quando as suas terras ficaram com corrosão no solo), Romanos e Africanos ( pq suportam bem o calor e vieram trabalhar nas seares de arroz junto ao estuário do Sado em Setubal ainda à 200 anos. Temos Ucrânios, Brasileiros, dos PALOPs e também chineses e reformados Ingleses e Franceses . Quanto aos Judeus o valor é residual , muito menos do que a cumunidade cigana ( foi perseguida… Read more »

Larri Gonçalves
Larri Gonçalves
1 ano atrás

Portugal vai ter no futuro uma aeronave multiuso, Transporte pessoal e carga de média capacidade (23 t. espaçada, 26 t. concentrada), reabastecimento aéreo, combate a incêndio que é algo muito importante em Portugal, tendo em vista os incêndios na mata nos últimos anos o preço é adequado, pois o suporte e assistência é para todo ciclo de vida da aeronave, parabéns a EMBRAER e claro a Portugal.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Larri Gonçalves
1 ano atrás

Reabastecimento aéreo não. Portugal opera F-16, cujo sistema de reabastecimento por lança é incompatível com o Kc-390, que só opera por probe and drogue.

Fabio
Fabio
1 ano atrás

No início do projeto se falava que cada KC390 custaria entre $50 e $70 milhões de dólares , muito estranho hoje se falar de + de €100 milhões de euros, hoje cada kC390 custará três x o esperado, vai ser difícil vender com esse preço !

ALEX TIAGO
Reply to  Fabio
1 ano atrás

Bom dia Fábio. Observar o contrato, é bem mais abrangente do que apenas comprar a aeronave, tem a manutenção durante todo o ciclo de vida incluso no pacote. Note que não divulgaram configuração das aeronaves, e nada sobre opcionais, penso eu que o valor de partida será mais alto do que o previsto inicialmente, mas eu acredito que o preço divulgado no início seria o 1.0 o mais básico.

Leitor Sincero
Leitor Sincero
Reply to  Fabio
1 ano atrás

Burro.

Camargoer
Camargoer
1 ano atrás

Olá Colegas. Como disse o Mathrus, parabéns à “Boeing”. né?

Delfim
Delfim
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Oi Camargoer. Como coloquei acima, uma associação com a Boeing pode ter efeito negativo, frente a uma onda de “euronacionalismo” independente dos EUA.
E afinal, esta venda já estava sendo negociada antes da joint-venture.

Wellington Rossi Kramer
Wellington Rossi Kramer
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Euronacionalismo de quem? França e Alemanha? A Luftwaffe a a Armée de l’Air compraram Hercules J.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Wellington Rossi Kramer
1 ano atrás

Wellington, c130 é americano, mas da Lockheed… O “euro nacionalismo” nao vê com maus olhos o americano, o sentimento euronacional vê sim com maus olhos o americano que afecta o que é europeu, nesse sentido, a Boeing. Todo o cidadão europeu que seja a favor da UE e que esteja dentro do assunto, vê com maus olhos a Boeing, não necessariamente os americanos. Isto não quer dizer que não se compre, eventualmente, o produto da Boeing, apenas significa que haverá sempre um obstáculo extra, bem mais do que se for da Lockheed, como o C130 é. Os europeus, naturalmente, estão… Read more »

Alisson Mariano
Alisson Mariano
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Peter, suas intervenções são muito boas. Nos faz ver as questões debatidas pela perspectiva Portuguesa/europeia.

Abraço.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Alisson Mariano
1 ano atrás

Onde assino

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Alisson Mariano
1 ano atrás

Obrigado Alisson.

Abraço.

André Sávio Craveiro Bueno
André Sávio Craveiro Bueno
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Também concordo, Peter, parabéns.

Pedro
Pedro
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

É curioso, suspeita e repentino saber que há 12 anos (antes da Embraer estragar a OGMA empresa portuguesa de manutenção aeronáutica com mais de 100 anos) a proposta da Lockheed ter sido superior. Há investigação levantada mas como há luvas brancas em cargos políticos, nunca mais se ouviu falar. O kc 390 começou mal, a ogma faz parte da estrutura, onde já tive a infelicidade de trabalhar, todas as peças maquinadas para retardar a manutenção, mas quando algo se partir… Vai tudo ao chão. Ninguém quer saber de nada, roubam ideias à kawasaki, que tem um avião igual, vergonha… Estrutura… Read more »

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Wellington Rossi Kramer
1 ano atrás

A Alemanha e a França compraram alguns C-130j porque existiram atrasos e problemas na entrega dos A400, e o poder politico tem que tomar decisões , mesmo que esta não sejam perfeitas, é preferível a uma não decisão. Não quer dizer que tenham desistido do A400…

Pedro
Pedro
Reply to  Vitor Silva
1 ano atrás

Compraram se calhar pq a frota deles de há uns 20 e tal anos (ou mais) para cá são C130 q nunca deram problemas… Quero ver o kc390 a aterrar em lama e pedregulhos como o C130 sempre fez…

ADLER MEDRADO
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Euronacionalismo até começarem a se matar de novo e acabarem precisando da ajuda dos americanos ‘de novo’.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  ADLER MEDRADO
1 ano atrás

Americanos submetem os europeus , incutindo o medo da Rússia . Quando os europeus se derem conta do engodo em que estão submetidos, a Europa viverá pensando mais em desenvolvimento; a Rússia interessa mais a aproximação econômica com a Europa ocidental . .

Leonardo Gama Souza
Leonardo Gama Souza
Reply to  jose luiz esposito
1 ano atrás

A Rússia tem se tornado cada vez mais autoritária e beligerante. Eu teria medo…

Pedro
Pedro
Reply to  ADLER MEDRADO
1 ano atrás

Leia a história, 1a grande guerra, chegaram 1 semana antes dos ingleses, franceses, irlandeses, australianos, portugueses terem derrotado a Alemanha. 2a grande guerra, chegaram em 2 lugar na captura de Hitler (e qdo lá chegaram já estava morto). Brasileiros na guerra? Onde? Não sabe n fala. Obrigado

Mathrus
Mathrus
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Poxa Camargoer, de todos eu esperava que ao menos voce tivesse lido o contrato do negócio antes de falar essas coisas.
Todo mundo aqui sabe que o negócio foi a divisão comercial.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Mathrus
1 ano atrás

Olá Mathrus. Minha crítica é sobre o Brasil perder a única grife de alta tecnologia internacionalmente reconhecida. Considerando que a Embraer(a) já representou quase 10% do superávit da balança comercial, temo que não será possível adquirir no futuro iphones vendendo minério de ferro e soja. Para comparação, uma tonelada de aço vale US$ 100 enquanto a do iphone custa US$ 7 milhões (o valor médio de um avião comercial da Embraer custa cerca de US$ 1,6 milhões por tonelada).

FernandoEMB
FernandoEMB
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Com a criação da nova empresa com a Boeing, somada a Embraer que fica, esse percentual de 10% do superávit poderá ser novamente alcançado e até ultrapassado. Afinal de contas, vc já sabe o que estão pretendendo?
E se trouxerem produção para cá… se alavancarem as vendas do E2? Então, isso não é motivo para se ter uma certeza.

Camargoer
Camargoer
Reply to  FernandoEMB
1 ano atrás

Olá Fernando. A remessa de lucros e dividendos das multinacionais instaladas no Brasil para suas sedes no exterior foi de mais de US$ 10 bilhões em 2017. Nesse ano, o superávit da balança comercial foi de US$ 67 bilhões, mas a balança de pagamentos (serviços) registou déficit de US$ 13 bilhões. Portanto, o fato de uma empresa exportadora contribuir para o superávit comercial pode ser anulado caso ela tenha o compromisso de enviar lucros e dividendos para sua sede no exterior.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Palavras-chave: “pode ser”, “caso tenha”… Ou seja… Sabe que nada sabe… Sei que nada sei. O futuro dirá.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Caro Fernando. “Pode ser” que você colida o seu carro ao cruzar um farol vermelho. “Caso tenha” deixado uma criança no banco da frente sem cinto de segurança, seria uma dupla imprudência. É provável que nada ocorra, mas o sensato é preservar a criança e aguardar o sinal verde (e levar a criança no banco de trás com o cinto afivelado). A despeito da incerteza inerente do futuro, experiências passadas podem ser usadas para prever consequências. O fato de “não saber” o futuro não justifica ações imprudentes.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

A Embraer distribui bem poucos dividendos, muito menos do que o saldo da balança comercial (basta pensar que o saldo tem a ver com o faturamento, que é muito maior que o lucro e que nem todo lucro vira dividendo).

Isma
Isma
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Ou seja 70000 ton de ferro, penso que não conseguem

ALEXANDRE
ALEXANDRE
1 ano atrás

Povo so lê manchete e quer dar palpite…ta osso.

Baschera
Baschera
1 ano atrás

Não dêem parabéns à Boeing….ainda !
“Max”, é melhor esperar….

Sds.

Pedro
Pedro
Reply to  Baschera
1 ano atrás

Kc390 também caiu 2 vezes… Ninguém fala n?

João Adaime
João Adaime
1 ano atrás

Precisamos saber mais detalhes do que seria esta “manutenção”. Se apenas a mão de obra ou incluiria peças, para usar um linguajar da indústria automobilística.

Fernando EMB
Fernando EMB
1 ano atrás

Questionam o preço…. Mas:

1) quantos sistemas de reabastecimento em voo estão levando? E quantos em combate a incêndios?

2) quais serão os opcionais que pediram?

3) e os itens desenvolvidos exclusivamente para os portugueses? Serão amortizados em apenas 5 aeronaves…

4) Tem motor sobressalente no pacote?

5) E quais seriam os outros itens que compõe o pacote? Paraquedas de extração? Interior medevac? Equipamentos para busca e salvamento (porta com janela de busca, FLIR, …).

então fica difícil avaliar.

Matheus
Matheus
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Você sabe se os da FAB são “completos”?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Perfeito.

Fernando, aí para cima continuam confundindo a Boeing com a Embraer D&S….

Realmente….

Guilherme Poggio
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Estão aí os questionamentos de quem entende realmente do riscado. Ótimos apontamentos, Fernando. Ajuda a abrir a cabeça do pessoal e pensar fora da “caixa”.

Miguel Carvalho
Miguel Carvalho
1 ano atrás

Não estou a ver o parlamento tuga, com maioria de esquerda a libertar a verba de 830 milhões. Com a função pública a exigir mais dinheiro, descongelar carreiras profissionais, se gastassem esse dinheiro, a polícia fazia greve, os professores faziam greve, os médicos faziam greve, enfim o país parava. Não estou a ver o partido Comunista que sustenta o governo aceitar uma coisa dessas. É que político aqui como aí, pensa primeiro na sua barriga, no que é melhor para o país. Ah e é verdade, pode não parecer, mas não temos dinheiro. Pode parecer que a crise já lá… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Miguel Carvalho
1 ano atrás

Com essa gentalha que está no poder …… Normal.

Lembrando que são financiamentos de longo prazo.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Miguel Carvalho
1 ano atrás

Tem lá calma oh Miguel.
Assustas os brasileiros de tanto pessimismo.

Miguel Carvalho
Miguel Carvalho
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Achas que estou a ser pessimista? Mais realista não posso ser. Gostava de ter os KC na FAP, mas se a função pública em Portugal souber que há 830 milhões para comprar aviões, e não para os bolsos deles, param o país 1 mês. 😂

Salim
Salim
Reply to  Miguel Carvalho
1 ano atrás

Portugal e parceira no avião, portanto qto mais vender, mais Portugal ganha em pedidos de partes e empregos.Portugal será vitrine para Otan. Hércules e A400 e só gasto, para Portugal KC390 e investimento, dependendo do sucesso de vendas estes aviões se pagam .

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Miguel Carvalho
1 ano atrás

Sim é verdade a lei de programação militar está parada no Parlamento Português: por questões de agenda politica ( vem ai eleições europeias ) mas também por esta precisa, da aprovação de 2/3 dos deputados e então existem questões polémicas que as chefias militares e a Defesa não conseguiram explicar como a não modernização das fragatas Vasco da Gama, a não regeneração das F -16 afim de se tornaram interoperacionais com os caças da 5º geração e também os elevados custo com Navio polivalente logístico ( Almirantado já aceita um em 2º mão, porque novo custa €300 milhões), quanto ao… Read more »

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 ano atrás

Até que enfim saiu mas sempre levei fé em Portugal, diferentemente de Argentina e Rep. Checa que não coçaram os bolsos ainda.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Argentina? Esqueça ela! Mas aqui na América do Sul, acredito mais no Chile, embora eles prefiram comprar dos EUA por livre e espontânea pressão.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Livre e espontanea pressão kkkk Pois é, nossos vizinhos que seriam potenciais compradores, Chile e Colômbia, estão por demais atrelados à pressão lupina de Washington. E convenhamos, fica difícil concorrer com FMS, apesar que a Embraer conta com a credibilidade de ambos já que são primeiro e segundo operadores internacionais do Super Tucano (portanto bons clientes) Made in Gavião Peixoto. Nessa conta não considerei os Made in Jacksonville pq aí o Afeganistão passa a ser primeiro, Colômbia e Chile segundo e terceiro respectivamente. Enfim, tomara que a confiança que tem na Embraer possa superar esse paradigma da pressão americana.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Afeganistão virou usuário do SuperTucano bem depois de Colômbia, Chile e alguns outros países.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Justamente, mas nem entrei no mérito de quem veio antes.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Chile e Colômbia não usam Super Tucanos montados nos EUA. Os montados lá são os do Afeganistão, Líbano e Nigéria.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Foi isso o que eu escrevi, Fernando

Marcello Magnelli
Marcello Magnelli
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

A tendência será dos KC´s serem finalizados nos EUA exatamente para aproveitar do FMS, tal como já é feito para os Tucanos.
Então Colômbia e Chile poderão estar no páreo sim.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Marcello Magnelli
1 ano atrás

Apesar de concordar, espero sinceramente que não pois assim a Embraer fica com a menor fatia do lucro da venda. Espero que mantenham os KC’s em São Paulo e Évora

Pedro
Pedro
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Évora? Fazem lá o que do kc? Ogma… Está sim, faz os pilons, laterais esq e dir, teto, chão, compositos etc… Évora? Lol… Fábrica rebites

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Marcello Magnelli
1 ano atrás

Sim , possivelmente os KC-390 serão fabricados nos Estados Unidos. Embora os salários nos EUA sejam mais elevados, estes trabalhadores são mais produtivos e mais organizados, logo compensa e será possível baixar o preço, por haver maior produtividade, como também os custos do projeto de desenvolvimento vão sendo amortizados, o valor por unidade ficará muito semelhante ao C-130j.

Leonardo M.
Leonardo M.
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

La na argentina eles estão comemorando que estão moderniza do um KC-130 que foi usado na guerra das Malvinas, imagina comprar o kc-390?

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Leonardo M.
1 ano atrás

Kkkk Jura, Leonardo? Dessa eu não sabia! Os 5 SEM jurássicos já estão à caminho de BAires

AntonioCV
AntonioCV
1 ano atrás

A EADS ampliou o leque de vendas do C-295 com versões SAR, ASW, ASuW, AEW, Elint, gunship etc.

Tem alguma previsão de algo semelhante acontecer com o KC-390?

Guilherme Poggio
Reply to  AntonioCV
1 ano atrás

Só depende de um cliente aparecer e exigir/pagar por estas outras versões. De outra forma a Embraer teria que bancar os custos sozinha.

AntonioCV
AntonioCV
Reply to  Guilherme Poggio
1 ano atrás

Já que o Brasil bancou o desenvolvimento do KC-390 para a FAB, poderia igualmente bancar o desenvolvimento de outras versões não só para uso em aqui, mas também visando o mercado externo.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  AntonioCV
1 ano atrás

Claro, Antonio, até porque está sobrando bastante dinheiro nos cofres públicos brasileiros.
Só a FAB tem várias prioridades antes do desenvolvimento dessas versões.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Guilherme Poggio
1 ano atrás

Poggio, eu apostaria mais pela versão civil que espero que saia um dia tb.

Santana
Santana
1 ano atrás

Portugal traiu a Embraer, parece um preço absurdo, mas se esquecem que partes do kc sao feitos la,a embraer matem uma fabrica modernissima em Evora,claro que tem os incentivos fiscais e tudo mais…eles tinham que pensar nisso, nao se trata so de uma simples compra..é a manutençao de empregos

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Santana
1 ano atrás

Santana, as fábricas de Évora serão de controlo da Boeing.

Mauro
Mauro
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Vai ser fechada. A produção segue apenas no Brasil.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Mauro, incorrecto, as empresas portuguesas e a OGMA continuarão envolvidas no projecto, quanto às instalações de Évora, estas ao que sei eram parte do sector de aviação comercial, não militar, são da Boeing portanto.
A produção em si sempre foi no Brasil, com a montagem final das aeronaves a ser feita sempre aí, nunca houve nada nesse sentido para Portugal.

Antonio
Antonio
Reply to  Santana
1 ano atrás

A Embraer so la tem uma fabrica por causa dos fundos europeus.

Paulo costa
Paulo costa
1 ano atrás

Na minha opinião a FAB comprou poucas unidades, talvez mais 10 ou 15 KC-390 fossem dar melhor disponibilidade e capacidade operacional as unidades que iram operar.
Lembrando que o Bandeirantes e o brasília vão ser aposentado talvez em 10 ou 15 anos e nenhum substituto foi especulado ate agora

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Paulo costa
1 ano atrás

Não tem como substituir Bandeirante e Brasília por KC-390. Seria trocar caminhonete por caminhão, pistola por fuzil, etc.
Lembro que o Brasil tem um punhado de C-295 e Grand Caravan.
E acredito que a Embraer desenvolverá um turbo hélice para o lugar do Bandeirante ou o Brasil seguirá importando aeronaves menores para substituí-lo.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Paulo costa
1 ano atrás

Você acha 28 unidades pouco??? Pirei!!!!

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Comentário preso.

Jonathan
Jonathan
1 ano atrás

Acredito que para divulgar a marca e o produto, de início seria interessante vender mesmo com um valor inferior e depois que ficar conhecido ai sim, recalcular os valores para o preço de mercado.
Portugal pode ser um bom começo por estar na união europeia e talvez participar em algum momento de algum exercício da otan.

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

Independente de qualquer coisa, o resultado é mérito do pessoal da EMBRAER, da FAB e demais envolvidos no projeto. Espero que a concretizem formalmente a venda, pois ela é fundamental para criar um fluxo de comercialização e assim consolidar o produto no mercado. Quem é do ramo, sabe muito mais do que eu, das implicações e impactos deste ou daquele aspecto técnico nos custos e na formação dos preços de vendas e tenho certeza que ninguém rasga dinheiro neste mercado. É muito comum, vendas priorizando o mercado futuro, visando implementação do produto, operando com margens pequenas de lucro.

Douglas Azevedo
Douglas Azevedo
1 ano atrás

Não entendi, se a unidade tem valor de 85 milhões de dólares, pq esse “desconto” em 5 aeronaves por mais de 800 milhões de euros…

Peter nine nine
Peter nine nine
1 ano atrás

E Vítor, ainda sobre projectos que referiu da LPM, acrescento que não ah grandes polémicas a não ser este do KC, derivado do aumento de custo. Passo a explicar, o F16 é a principal arma aérea do país, o orçamento para a operação do mesmo é suficiente e nunca teve em questão, as aeronaves teem sido sempre actualizadas de forma regular e estão ao nível dos restantes parceiros, nenhum partido se opõe a importância desta valência. A única polémica é que a 10 anos do fim de vida dos mesmos, ninguém faz ideia de qual será o substituto. Quanto às… Read more »

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Os pilotos de elite dos F-16 mostraram alguma apreensão e algum receio de não se tomada uma decisão a curto prazo , afim Portugal não deixar a” liga dos Campeões” constituída pelos EUA, Holanda, Dinamarca, Portugal e Bélgica ( se não estou em erro), sabendo que alguns já escolheram o F-35. Penso que este é muito caro, e sou da opinião da FAP. é preferível modernizar e configurar o F-16 MLU block 50/52 para a versão F-16V (viper) que já se encontra disponível desde 2016 e custa 10 vezes menos ( penso que €16 por unidade) , do que os… Read more »

doni moreno
doni moreno
1 ano atrás

porque o brasil nao usa esse portugues ai, kkk, correto, “diploma”, aqui e contrato,

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  doni moreno
1 ano atrás

Porque a Marinha Portuguesa têm apenas 5 Fragatas ( 3 VG e 2 BD), a vida util destas termina entre 2030 e 2035, até lá teem que ser substituidas por outras com deslocamento igual ou um pouco superior, com carateristicas fortuitas, lançamento vertical de misseis, radar de maior alcance 3D e , novos misseís e torpedos e com sistema de lançamento de aeronaves não tripuladas , tendo em vista combater as novas ameaças assimétricas e por fim um novo sistema anti-missil . Não acontecendo a substituição em tempo útil , a sua vida será prolongada, através de uma modernização intermédia… Read more »

Tato Sarraf
Tato Sarraf
1 ano atrás

A Embraer foi vendida por 4,2 bilhoes e ficou com 80% da nossa Embraer que passa ser da Boeing e podendo adquirir 100% das ações a qualquer momento, a pergunta que fica porque vender para os americanos, nas condições de venda qualquer empresa nacional, estas de fundo de quintal ,poderia comprar a Embraer. Sendo o KC- 390 já estava pronto guardado no Angar esperando a função para ser oferecido, Só a venda anunciada do KC-390 paga toda a transferência de ações, onde fica o bom negócio para nós brasileiros. KC-390 deveria ser a motivação do orgulho da nossa engenharia militar… Read more »