Home Aviação de Transporte Apresentação do KC-390 no Paris Air Show 2017

Apresentação do KC-390 no Paris Air Show 2017

5444
42

O jato de transporte e reabastecimento aéreo KC-390 da Embraer apresentou-se no Paris Air Show em Le Bourget. Esta é a primeira vez que o avião presenta-se em voo para o público. Dois protótipos já foram construídos e atualmente realizam diversas etapas de ensaios em voo par adquirir as certificações necessárias.

42 COMMENTS

  1. Caraca!!! Impressionante a razão de subida e o curto espaço de frenagem!!! Tudo bem que trata-se de uma aeronave vazia, sem o peso da carga mas, o bichão já demonstra pra que veio!!!!

  2. Nota-se a evolução de engenharia. Tenho a impressão que em projetos mais antigos as asas, por exemplo, seriam um pouco mais compridas e largas. E a impressão que voa muito bem mesmo.

  3. Cada vez mais estou apaixonado pelo KC-390! Muito orgulho de ser um avião brasileiro, muito equilibrado, linhas maravilhosas, fico imaginando o orgulho e ansiedade dos futuros pilotos para poder pilotar essa “águia” invocada.

    Parabéns Embraer, e muita sorte para novas e futuras encomendas!

  4. Rapaz!!!

    Como conta o Ozires Silva: ” O pessoal do lado de lá da Dutra fez uma avião que voa! E o mais impressionante, ele aterriza!! ” Em palestra para estudantes sobre o primeiro voo do Bandeirante. Vejam no You Tube, espetacular!!!!

  5. Orgulho somente…..se tivéssemos (povo) a coragem de tirar toda essa canalhice (quadrilha) que está aí, MAS TODA MESMO, de vereador à Presidente da República, puséssemos apena uns poucos (sem medo que chamassem isso de ditadura) REALMENTE competentes para governar com SERIEDADE essa ex-Nação, SENTIRÍAMOS ORGULHO DE SER BRASILEIROS em todos os sentidos……..bravo EMBRAER.

  6. O pouso foi meio violento, mas a distância percorrida me surpreendeu. Achei um vídeo com o C-130J em Le Bourget para comparar. Fica bem evidente que o Hercules é mais ágil a baixa velocidades. Não tem como fazer uma asa enflexada se comportar como uma reta:
    .

  7. ESTE FEZ UM VOO MUITO BONITO, COM SEGURANÇA E IMPONDO RESPEITO…….. MOSTROU QUE VAI IMPRESSIONAR MUITOS PAÍSES. PARABÉNS À EMBRAER PELO SÉRIO TRABALHO DEMONSTRADO NOS ÚLTIMOS ANOS , PRINCIPALMENTE COM O KC-390. CADA VEZ MAIS IMPRESSIONA!!!!!

  8. Eu também prestei atenção no pouso, não deu 10 segundos para a parada completa, em um percurso curto!!! E a apresentação perfeita, mostrando robustos de projeto!!!
    Duvido que não venda!!!

  9. Muito show, o KC 390 deve ter impressionado muita gente.
    Também achei o pouso meio bruto, mas acredito que a intenção foi demonstrar a capacidade de pousar em pistas curtas e (parece que conseguiu)!!!
    Fico imaginando o que passou na cabeça dos pilotos, ao fazer esta primeira demonstração da aeronave no exterior, e ainda mais neste evento…
    Parabéns aos envolvidos.

  10. O vídeo do Hercules tem música clássica ao fundo e narração em francês. O vídeo do KC390 só tem o barulho dos motores e do vento. Aí não vale

  11. Baita manobrabilidade e também creio que seja capaz de muito mais. O pouso foi punk, agressivo, selvagem, deve ter deixado os presentes e possíveis compradores malucos pois eu senti a adrenalina daqui .
    Mais uma vez parabens à Embraer e a Fab pelo belissimo projeto !!!

  12. Como leigo, vou dar minha opinião sobre o pouso : não achei bruto não, vejam que o trem de pouso tem um sistema diferente do C-130, as rodas traseiras tocam primeiro e ‘puxam’ as dianteiras p/ o solo, mas se fixarem no deslocamento da fuselagem ( que é o que realmente importa ) e das pontas das asas, verão que quase não há oscilação, ou seja, p/ a tripulação e a carga ( e nesse pouso não há ) a coisa foi suave.

  13. O pouso foi muito bom, mas uma boa parte do mérito é do piloto.
    Vejam o A400M, flutuou muito, e pouso tocou mais adiante.

  14. Prezados,
    Foi Boa a apresentação do nosso KC 390!O que gostei também, foi o pouso curto feito!Claro que com o avião vazio e com pouco combustível, fez com que fosse mais fácil! Estou orgulhoso da Embraer/FAB por esta demonstração! Não é tão fácil fazer esta demonstração com tão pouca experiência do equipamento!

    Paulo

  15. Olá.
    Reparem que durante todo o voo o KC-390 permaneceu com os slats acionados. E tinha de ser assim, pois naquela velocidade, era fácil estolar o aparelho.
    Voo muito bem. Proporcionalmente, fez mais bonito que o F-35.
    SDS.

  16. parabéns,parabéns EMBRAER!! coisa mais linda,voou com mt orgulho! gente, a primeira impressão que tive dessa máquina, foi sobrenatural, parece que estava vendo um ANJO voando no céu francês e não ha de ver que é brasileiro.foi de arrepiar, emocionante, estou de queixo caído, só alegria. Este foi mais um dia feliz. quero aqui, nesta página, compartilhar com vcs, toda minha felicidade, orgulho e prazer de poder ver esta bela arte riscando o céu europeu, com muita excelência, ainda mais se tratando de paris, onde nosso pioneiro santos dumont, deu o seu primeiro passo para a viação aérea mundial. abraço à todos vcs do poder aéreo. só alegria!!!!!!

  17. Quando vi o vídeo tive a impressão que o KC-390 não foi explorado no seu limite, até para não por em risco um protótipo. Com o full fly-by-wire mesmo um piloto mediano será capaz de manobras bastante radicais. Me pergunto se não haveria espaço até para melhorar um pouco o comportamento a baixa velocidade com o emprego de aileron como flaps (flaperons) e com o CG mais recuado.

    Um ponto a ser lembrado é que com o passar do tempo há cada vez menos oportunidades de emprego de aviões tão grandes em pistas sem preparação, ao menos em negócios lícitos. Basta ver que os prodígios em termos de STOL (DHC Bufallo, PC-6 Porter) nos deixaram, sem descendentes. A eficácia no transporte passou a contar mais.

  18. Muito manobrável, baita apresentação.
    Também acho que não deu tudo o que é capaz, e tão pouco o fly-by-wire quando ligado – este sistema pode ser desligado no KC-390 – permite que o avião entre em manobras de risco, indo além dos seus limites, mas tenho certeza que podia fazer mais, mas o que foi mostrado, foi mais do que suficiente.
    Os pilotos de testes da Embraer são unânimes em uma opinião: “O KC-390 tem excepcionais qualidades de voo”, muito fácil de pilotar, responde aos comandos rapidamente ao mais leve toque, isso foi dito desde o primeiro voo pelo comandante Mozart Louzada.
    Em testes a altitude maiores, já deve ter sido levado a manobras mais extremas.
    __________
    Uma pergunta: Alguém sabe informar o que aconteceu com aquele C-17, naquele trágico acidente que destruiu o avião? alguém sabe o que houve naquele caso?
    Sei que o aparelho iria fazer uma apresentação no outro dia, e o comandante e sua tripulação resolveram treinar para as manobras do dia seguinte….. o fly-by-wire não deveria ter evitado aquela manobra de subida tão brusca?? ou não estava acionado?? foi falha do equipamento ou de pilotagem?

  19. É bom ver um projeto tornar-se realidade. Basta agora que possamos suprir nossas Forças e vender para mais países trazendo dinheiro, investimentos e trabalho.

  20. eu fico impressionado como apenas duas turbinas fazem um avião desse porte decolar fácil fácil…
    O KC390 precisa de mais pista para decolar ou aterrissar ??
    Suponhamos que o EB adquira uma unidade do KC390 para oa Forcas Especias mas com algumas especificações diferentes… seria possível “instalar” um paraquedas na cauda para frear mais rapidamente a aeronave ??

  21. fly-by-wire desligado??
    Antonio de Sampaio 20 de junho de 2017 at 0:17 explica isso direito,
    até onde eu sei o sistema fly- by-wire não é um sistema de proteção do avião, mas sim é um sistema de comando eletrônico que transmite os comandos do piloto ao avião, algo assim como a direção hidráulica ou elétrica dos carros.
    se eu estiver errado por favor me corrijam.

  22. Excelente!! estas Só alegria nestas duas semanas KC390 e Gripem. Parabéns a FAB pelos requisitos desta maravilha e a EMBRAER pela execução e capacidade de colocar no mercado um produto de alta qualidade. O Pouso foi “bruto” devido a descida em velocidade um pouco acima para ser em pista curta ? Ou não tem nada nada a vê ?

    Grato!

  23. ivo, o FBW realmente não pode ser desligado, uma vez que ele substitui os comandos ‘mecânicos’ da aeronave, ou seja não há mais ligação por cabos ou equivalente entre os comandos do piloto e as superfícies aerodinâmicas. O que o piloto faz é convertido em sinais elétricos / digitais que serão interpretados pelo FBW e transmitidos p/ a atuação das superfícies aerodinâmicas – estou me limitando a questões de controle dinâmico da aeronave ( há outras como o controle dos motores, etc. ) e falando em termos bem simples , até porque não sou especialista nisso, rs. Abs.

  24. Acredito que a aeronave seja isso que foi mostrado na apresentacao, muito provavelmente nao ira passar disso.
    Acrescentando algo ao comentario do Luciano, nesse video e possivel ver um G-meter bem a frente do piloto. Principalmente nessa fase de voos e em apresentacoes, ainda assim e preciso todo um cuidado por parte do piloto para nao passar dos limites.

  25. Eu não diria que toda aeronave com FBW, mas algumas tem provisão para desligar, não o sistema FBW em si, mas proteções que o sistema proporciona contra exceder limites. Por exemplo, proteção contra o limite de angulo de ataque (AOA em inglês), é o mais comum que pode ser desligado, pelo menos em caças. É assim que os Su-27 realizam as “cobra”, porque o Flanker possui limitadores como qualquer outra aeronave.
    .
    O F-16 também pode ter o limitador de AOA desligado. Isso é provido para que o piloto possa tirar a aeronave de situações onde as proteções acabam atrapalhando, como o caso daquele Viper dos Thunderbirds onde aeronave se chocou com o solo depois que o piloto fez uma manobra baixo demais, ou em situações de estol profundo, como um parafuso chato.

  26. Luciano 20 de junho de 2017 at 9:53
    Roberto Santana 20 de junho de 2017 at 10:07
    Clésio Luiz 20 de junho de 2017 at 10:09
    é exatamente dessa forma que eu entendo o funcionamento do FBW,
    acredito que o que o Antonio de Sampaio 20 de junho de 2017 at 0:17 quis dizer era sobre o sistema de segurança da aeronave.
    obrigado.

  27. ivo 20 de junho de 2017 at 9:08
    Não é desligado, o KC-390 sempre será pilotado por um computador que interpreta e executa os comandos do piloto.
    É que o KC-390 tem dois modos de pilotagem, o normal, onde o avião se parece mais com um modelo civil, e o chamado “Modo militar”, onde se permite ao avião executar manobras mais intensas, como para escapar de um míssil por exemplo.
    Ainda acho que o KC-390 pode muito mais do que isso, mas foi mais do que suficiente.
    Se colocar dois canhões DEFA de 30 mm no KC-390, ele é capaz de encarar um dogfight com um caça subsônico.
    _______________
    Todos devem se lembrar de um caso na Rússia de uma companhia que comprou um modelo A-320 novinho e entregou a seu piloto mais experiente, a primeira viagem foi para uma colônia de férias, a maioria dos passageiros era de criança, este comandante levou seus dois filhos pela primeira vez em uma viagem de avião, um casal, no meio da viagem ele foi até eles e os colocou na cabine e os mandou “pilotar” o avião, ocorre que o piloto automático estava ligado, e este comandante era acostumado com o piloto automático dos aviões russos, que só permitem dois modos: “Ligado ou desligado”, como estava ligado, achou que nada aconteceria, mas este sistema do Airbus é diferente, ele permite uma certa margem para que mesmo com o piloto automático ligado, o piloto execute manobras no avião, assumindo seu controle.
    Primeiro foi a menina, ela mexeu no manche, mas de forma suave, nada aconteceu, depois o irmão dela, que mexeu no manche incentivado por seu pai, mandando-o pilotar o avião, como seu comando foi mais intenso, o computador interpretou que o piloto queria assumir os controles do avião e executou a manobra mesmo com o piloto automático ligado, o avião perdeu o controle, a força G foi tão grande que ninguém conseguiu sentar na cadeira do piloto para tentar controlar o avião que acabou caindo.
    Todos devem saber, um avião é uma máquina feita para voar, tudo nele é feito para mantê-lo voando, então neste caso a melhor forma para recuperar o avião, era simplesmente não fazer nada, deixar o avião cair, que no final das contas, ele se estabilizaria em voo, essa foi a conclusão da Airbus, é que comandante ainda pegou no manche e tentou fazer algo para controlar o avião.
    Tem um caso de um F-4 no Vietnã que aconteceu a mesma coisa, ele vinha caindo sem controle, então o piloto soltou todos os comandos deixando o avião cair, o avião se estabilizou sozinho e o piloto recuperou o voo.
    Conversei uma vez com um comandante da Varig aposentado, e ele me disse que um piloto de caça não consegue pilotar um avião de passageiros, pois o modo de pilotagem é muito diferente, teria que fazer outro curso para se habilitar a pilotar.
    Se não me engano, o piloto automático da Airbus tem três níveis de pilotagem, não tenho certeza, sei que é diferente da Boeing.

  28. Motor do Embraer KC-390. O IAE V2500 é um motor turbofan produzido pela International Aero Engines AG (IAE) e que equipa as aeronaves da família Airbus A320 (A320, A321, A319 e Airbus Corporate Jet), o McDonnell Douglas MD-90
    Motor do E195-E2 – Turbofan Pratt & Whitney PW1900G
    Segundo Wikipédia,

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here