Home Aviação de Transporte KC-390 vai para a Nova Zelândia

KC-390 vai para a Nova Zelândia

7089
27

O país da Oceania é apenas um dos diversos pontos de parada do cargueiro da Embraer em seu tour pelo mundo

KC-390A Embraer poderá anunciar em cerca de 90 dias a primeira venda para o governo de Portugal do novo cargueiro militar KC-390. As negociações vão começar rapidamente, após o conselho de ministros de Portugal ter aprovado, na semana passada, urna resolução que autoriza o início das discussões com o fabricante brasileiro para a aquisição do modelo.

“Prevemos ter no prazo de cerca de 90 dias a oficialização desse interesse por meio de um contrato firme que vai estabelecer todas as regras da operação, como preços, características do avião e o prazo de entrega”, afirmou Jackson Schneider, vice-presidente da área de defesa e segurança da Embraer.

O KC-390 será exibido a partir de hoje no salão da aeronáutica de Le Bourget, nos arredores de Paris, a maior feira de aviação do mundo, que reúne mais de 2 mil expositores. “0 mercado está bastante interessado em conhecer o KC-390. Delegações internacionais de vários países vão visitar nosso estande e ter reuniões com as nossas equipes”, afirma Paulo Cesar de Souza e Silva, presidente da Embraer. A companhia não prevê, no entanto, anunciar alguma venda do avião militar durante a feira parisiense, que vai até domingo.

Se o negócio com o governo de Portugal — que prevê a aquisição de cinco aeronaves KC-390, com opção de mais uma — for concluído, será a primeira venda do cargueiro para um país estrangeiro. O avião está em fase final de testes e inicia o processo de certificação.

Na semana passada, o primeiro-ministro de Portugal, António Costa, participou de um voo do KC-390 entre São Paulo e Rio de Janeiro, conta Souza e Silva. “Temos realmente a expectativa de assinar ainda neste ano o primeiro contrato dessa aeronave”, afirma, se referindo a um país estrangeiro.

Até o momento, a única encomenda foi realizada pelo governo brasileiro que adquiriu, por R$ 7,2 bilhões, 28 unidades. A primeira será entregue em 2018. As discussões com Portugal são as mais avançadas, mas há pelo menos um outro país, provavelmente do sudeste asiático, onde as conversas para um futuro contrato também estão em fase adiantada.

Mais de dez países, diz Schneider, iniciaram conversas com a Embraer sobre o novo cargueiro que poderão, eventualmente, resultar em vendas. “Existem diferentes estágios de interesse por parte de vários países”, ressalta.

A novidade é que países do sudeste asiático e Oriente Médio se somaram a interessados já conhecidos, como Chile, Colômbia, República Checa e Argentina, que enviaram cartas de intenções, e a Nova Zelândia, onde a Embraer disputa uma concorrência pública.

Após ser exibido no salão da aviação de Paris, o KC-390 (que antes de chegar a França passou pela Suécia) irá iniciar um tour, de mais de 40 dias, que passará por Portugal, Oriente Médio e o sul da Ásia e irá até a Nova Zelândia. O vice-presidente da área de defesa irá apenas para um país do sudeste asiático, o que sugere que nesse mercado, que ele não informou qual, as negociações estariam avançadas.

O presidente da Embraer se diz bastante otimista em relação à feira em Paris. Pela primeira vez, a companhia apresenta em Le Bourget, ao mesmo tempo, modelos de defesa (o KC-390), de aviação comercial, com o 195 E-2 — sua maior aeronave nesse segmento, com capacidade para até 146 assentos — e de aviação executiva, com Legacy 450.

“Acho que será uma feira excelente para a Embraer”, destaca Souza e Silva. “Há várias negociações em andamento e esperamos realmente ter um bom ano. Nosso otimismo é muito grande porque existe um forte interesse do mercado”, completa. No último salão de Le Bourget, em 2015, a Embraer anunciou a venda de 103 aviões, sendo 50 pedidos firmes. Anúncios de vendas poderão ser feitos a partir de amanhã.

O otimismo da Embraer contrasta com a visão de outros grandes fabricantes. “Este ano será bastante desacelerado para as encomendas da Airbus, como para a toda indústria”, estimou recentemente John Leahy, diretor de vendas da Airbus.

FONTE: Valor Econômico, via Notimp

27
Deixe um comentário

avatar
27 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
JrHélioDelfim Sobreirawwolf22Rafael Oliveira Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antônio de Sampaio
Visitante
Antônio de Sampaio

Alguém arrisca dizer que país do sudeste asiático é esse onde o vice-presidente da área de defesa da Embraer estará presente???
Filipinas ou Indonésia??
O resto por lá é só carne de pescoço.

Bueno
Visitante
Bueno

Vai vender igual pão quente. Vida longa ao nosso carrinho de mão. Bom seria um anuncio de venda ai na França

jakson de Almeida
Visitante
jakson de Almeida

Pelo jeito o “carrinho de mão” vai cruzar os céus da Europa.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Antônio de Sampaio.
Pode ser a Tailândia ou as Filipinas. A Malásia já acho mais difícil, pois comprou o Atlas. Os demais países, seria surpreendente.

kfir
Visitante
kfir

Embraer é uma marca forte, impõe respeito, é muito mais fácil comprar um avião de grife, como o kc 390, que comprar natimorto cargueiro russo/ indu, ou mesmo o ucraniano. . A Embraer é a terceira maior empresa de avião do PLANETA, é a primeira em aviação regional, em qualquer lugar do mundo, vc vê esta grife voando. ISSO PESA MUITO NA DECISÃO, enquanto os russos, indianos, ucranianos e japoneses, terão de comprar mercado a Embraer pode cobrar mais, mesmo existindo o Hércules como concorrente… . há também a questão do pós vendas, sabidamente confiável da Embraer, pesa muito saber… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

As vendas do KC-390, para países fora do escopo daqueles que contribuíram com a construção da aeronave, só deve esquentar depois que a mesma estiver disponível em um esquadrão da FAB, onde delegações de outras forças aéreas poderão ver a aeronave em serviço, somado a estatísticas de uso na FAB.
.
Pelo menos é o que eu penso.

kfir
Visitante
kfir

e ainda so de S@C@NAGEM dava pra ter uma linha de produção so para os eua…

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Ops, Filipinas já havia sido citada por você.
Dei uma pesquisada. Cingapura está modernizando seus 10 C-130. Uma cidade-Estado com 10 C-130 é inacreditável.
Brunei comprou um C-130 em 2014 e está prevista a entrega para 2018.
Sri Lanka tem intensão de comprar mais 2 C-130K, porque não tem dinheiro para algo melhor. Mas há um tempo o comandante da Marinha do Sri Lanka esteve por essas bandas e até foi fotografado carregando um bote inflável do Grumec rsrs.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Na minha percepção dos principais potenciais clientes neste primeira etapa de vida deste projeto são:
.
Ásia:
– Tailândia, com talvez Paquistão e Vietnã.
.
Oceania:
– Nova Zelândia.
.
Oriente Médio:
– EAU.
.
África:
– Egito, Argélia, Nigéria e África do Sul.
.
Europa:
– Portugal, Rep. Tcheca e Suécia.
.
América:
– Argentina, Chile, Colômbia e México.
.
É claro que depende de alguns fatores sobre um país ou outro, mas se concretizada boa parte destes países, o projeto inicia seu ciclo de vida com boas perspectivas futuras.
.
Até mais!!! 😉

Jr
Visitante
Jr

Fiquei surpreso com a menção do país do Sudeste asiático, eu acreditava piamente que depois de Portugal o país em que as conversações estivessem mais avançadas eram os EAU, isso é mais uma prova de que fazer negócios com árabes é complicado, eles enrolam muito antes de comprar qualquer coisa. Alguém tem alguma ideia de qual país é esse do Sudeste asiático? Malásia já comprou o A400M, Cingapura e Brunei compraram o C-130, a Indonésia esta prestes a comprara o A-400M, as Filipinas parecem que vão comprar C-130 usados e moderniza-los. Seria esse país do sudeste asiático o Vietnã????? Eles… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Jr, a afinidade do Vietnã com os americanos está crescendo à passos largos, mas mesmo assim não duvido que o possível cliente do KC-390 fosse o Vietnã.
.
http://www.naval.com.br/blog/2017/05/31/eua-transferem-cutter-da-classe-hamilton-ao-vietna/

Jr
Visitante
Jr

Leandro, eu estava a par dessa doação, o que quis dizer é que o Vietnã não é um aliado tão próximo dos EUA no sudeste asiático e Oceania como o são Filipinas, Cingapura e Austrália por exemplo. A relação bilateral a nível militar entre ambos os países esta apenas começando

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Jr.
Atente-se que a frase de que as negociações estariam mais avançadas com um país do sul da Ásia é uma ilação do jornalista e não um informação da Embraer.
O fato de passar por lá não significa que as negociações estejam mais avançadas do que com os EAU, dado que o avião já foi demonstrado nos EAU no ano passado e , talvez, se apresente novamente agora.
De qualquer forma, semana que vem saberemos quem é o interessado – e até não entendo o mistério da Embraer, dado que o flightradar entrega os locais por onde o KC-390 passa e pousa.

kfir
Visitante
kfir

Rafael Oliveira atrasar a vida da concorrência, para que dar uma semana a mais para o concorrente se preparar?

o caso mais celebre que conheço, foi Steve Jobs, mostrando para o amigo, Bill Gates, que havia desenvolvido uma placa para um apple , o prototipo de um sistema operacional orientado ao objeto, copiado pela Apple da Xerox, que não entendeu o quanto valia a ideia…

resumindo não de ideia pros outros…

Zmun
Visitante
Zmun

Vai vender depois que estrar em operação

Jeff
Visitante
Jeff

Será que aprenderam com o fiasco do Osório? Fiasco comercial, que fique bem claro, pois o produto era fantástico para a época, só que não houve planejamento algum.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

kfir 20 de junho de 2017 at 17:17, Corretíssimo.
Citando o caso dos chinas, eles não vacilam, estão de olho, para qualquer coisa que lhes possa favorecer, mesmo que tiverem que copiar na cara dura.
Embraer não tem nada que facilitar a vida dos gaiatos.

Marcelo Bardo
Visitante
Marcelo Bardo

Aos poucos o KC vai mostrando que vai ser sucesso. Tomara que em breve as vendas comecem a ser fechadas.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Kfir, não dá para comparar essas situações né? O KC-390 já existe, já voou e a Embraer apenas irá dizer para onde está indo antes de pousar no país. Aliás, a Lockheed deve saber para onde vai o avião, quem não sabe é a gente e a imprensa e não tem muito o que fazer a respeito, como lançar um Hércules à jato dentro de uma semana. . Jeff não há parâmetro de comparação entre o Osório e o KC-390, exceto a nacionalidade da empresa e do projeto. Se um país encomendar o KC-390 ele terá muito mais certeza de… Read more »

Caerthal
Visitante
Caerthal

Meu palpite no Sudeste Asiático é a Filipinas.

José Lemos filho
Visitante

EMBRAER está faturando alto Com vendas do seus produto na Franca. Os negócios de ontem ultrapassoram os 2,3 bilhões. Parabéns EMBRAER, quanto mais faturar, melhor.

wwolf22
Membro
wwolf22

Pessoal, como anda a parceria com BOEING na questão de oferecer o KC390 para seus clientes(Boeing) ???
Sera que eh a Korea do Sul??

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Wwolf, a Coreia do Sul não fica no sul da Ásia.

wwolf22
Membro
wwolf22

Rafael Oliveira, sim, mas devido ao “nível” do repórter, vai saber neh ?!?!

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Mandar o 390 pra Oceania fou gênio.
Austrâlia e NZ são afastados do resto do.mundo, precisam de cargueiros velozes e de bom alcance.

Hélio
Visitante
Hélio

Falando em kc, e a versão civil? Já se sabe mais alguma coisa?

Jr
Visitante
Jr

O KC-390 acabou de pousar em Dublin capital da Irlanda, sinceramente, estou surpreso, a Irlanda era um país que sequer passava pela minha cabeça