Home Aviação de Caça Base Aérea de Luke estende o cancelamento das operações de voo do...

Base Aérea de Luke estende o cancelamento das operações de voo do F-35

1766
8

Por Valerie Insinna

WASHINGTON – As operações de voo do F-35 na Luke Air Force Base, no Arizona, continuarão suspensas à medida que os analistas investigam cinco incidentes em que os pilotos sofreram sintomas parecidos com hipoxia, disse uma porta-voz da base nesta segunda-feira.

Desde o dia 2 de maio, cinco pilotos da 56th Fighter Wing relataram sintomas de privação de oxigênio enquanto voavam a versão da Força Aérea do Joint Strike Fighter, incluindo dois incidentes ocorridos na semana passada. Em todos os casos os sistemas de oxigênio de backup foram acionados e os pilotos conseguiram pousar o avião em segurança, mas o treinamento foi paralisado para permitir que uma equipe do Joint Program Office F-35 (JPO) estudasse os eventos.

A Maj. Rebecca Heyse, porta-voz da 56ª FW, disse que uma equipe de engenheiros, mantenedores e especialistas aeromédicos do JPO chegou no domingo à base e atualmente está reduzindo as causas potenciais dos incidentes. A esperança é identificar a causa raiz nos próximos dois dias, mas nenhuma data foi definida para uma tentativa de retomada das operações, ela disse ao Defense News.

“A 56th Fighter Wing continuará sua pausa nas operações de F-35A para coordenar análises e comunicação entre pilotos, mantenedores, profissionais médicos e uma equipe de especialistas militares e da indústria”, disse ela em comunicado. “Essa coordenação incluirá análise técnica dos incidentes fisiológicos até à data e discussões sobre possíveis opções de mitigação de risco para permitir o retorno às operações de voo.

“As atualizações serão fornecidas à medida que nossas equipes trabalhem em conjunto para retornar com segurança para construir o futuro do poder aéreo através de pilotos treinados no F-35A. A segurança de nossos aviadores é primordial e levaremos tanto tempo quanto for necessário para garantir sua segurança”.

Enquanto isso, Heyse disse que a Ala continua com várias medidas de educação de pilotos, incluindo uma reunião de todos com a equipe do JPO para discutir os eventos. O cancelamento de operações de voo afeta 49 pilotos e 55 aeronaves no total.

Neste ponto, pouco se sabe sobre os próprios incidentes, incluindo se o Sistema de Geração de Oxigênio a bordo (OBOGS) falhou em algum dos casos. Todos os cinco eventos ocorreram com jatos diferentes de múltiplos esquadrões e lotes de produção, confirmou Heyse. No entanto, porque somente os pilotos de Luke desenvolveram sintomas semelhantes a hipoxia, a Força Aérea continua a acreditar que continua a ser um problema localizado.

O Brig. Gen. Brook Leonard, comandante da 56ª, fará o anúncio final quando for retomar as operações de voo.

FONTE: defensenews.com / FOTOS: USAF

8 COMMENTS

  1. Mais um capítulo da história do caça mais caro construído.. a falta de oxigênio. Eta caça problemático!!!!!!!

  2. Pelo visto a manutenção local cometeu algum deslize … Mas n deixa de ser mais um caso de falta de oxigênio, problema que afetou F-22 e vem afetando o F/A-18 .

  3. Não tenham dúvidas que o F-35 é o futuro da aviação tática de combate dos EUA e de todos aqueles que embarcaram nesse projeto, mas devido ser tão ambicioso assim, acabou gerando muitos problemas, mas que serão corrigidos em algum momento, o problema disso está no tempo que isto levará e no custo dessas correções. Até lá……

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here