Home Aviação de Transporte Dois primeiros Embraer KC-390 da FAB serão recebidos em 2018

Dois primeiros Embraer KC-390 da FAB serão recebidos em 2018

6719
92

A nova espinha dorsal da Aviação de Transporte da Força Aérea Brasileira (FAB) vai começar a ganhar forma no próximo ano. A Ala 11, no Rio de Janeiro (RJ), receberá as duas primeiras unidades do KC-390, o maior avião militar já desenvolvido e fabricado no Brasil.

Enquanto dois protótipos avançam na campanha de testes, a primeira aeronave de série já está em produção na unidade da Embraer em Gavião Peixoto (SP).

“É um projeto importantíssimo e está em fase final de desenvolvimento. Nós já devemos ter a aeronave operando em nossas organizações a partir de meados do ano que vem”, afirma o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato.

As 28 unidades encomendadas deverão substituir a frota de C-130 Hércules, operada pela FAB desde 1964. Os novos aviões cumprirão missões como operar em pequenas pistas na Amazônia, lançar paraquedistas, reabastecer outras aeronaves em voo, pousar na Antártica e lançar carga em pleno voo, dentre outras.

O compartimento de carga do KC-390 tem 18,54 metros de comprimento, 3,45 de largura e 2,95 de altura. Maior que uma quadra de vôlei (18,00 metros de comprimento), o espaço é suficiente para acomodar equipamentos de grandes dimensões, além de blindados, peças de artilharia, armamentos e até aeronaves semidesmontadas. O blindado Guarani, por exemplo, cabe dentro do compartimento de carga do KC-390.

ambém podem ser levados 80 soldados equipados ou 64 paraquedistas em uma configuração de transporte de tropa ou 74 macas mais uma equipe médica em uma configuração de evacuação aeromédica. O peso máximo para cargas é de 23 toneladas, havendo ainda a possibilidade de levar 26 toneladas caso o peso seja concentrado no centro de gravidade da aeronave.

Com 23 toneladas de carga a bordo, o KC-390 pode voar até 2.730 km de distância. Se a carga for de 14 toneladas, o alcance sobe para 4.914 km, o suficiente para sair de Manaus (AM) e ir até a Cidade do México ou Santiago, no Chile. Sem carga, em voo de traslado, é possível percorrer até 5.958 km de distância.

Esses números são alcançados porque os tanques da aeronave podem levar 23,2 toneladas de combustível, além de o avião também poder ser reabastecido em voo. O KC-390 tem ainda os equipamentos necessários para transferir parte do combustível para outros aviões e helicópteros, podendo realizar duas operações de reabastecimento em voo ao mesmo tempo. Um KC-390 poderá reabastecer, inclusive, outro KC-390, ampliando a autonomia do segundo. Outros “clientes” deverão ser os caças F-39 Gripen NG, F-5EM e A-1M.

A autonomia também pode ser usada para missões de busca, com horas de voo dedicadas a localização de uma embarcação naufragada, por exemplo. Para essa missão, além de contar com postos de observação, o KC-390 é equipado com o radar Gabbiano T20. No modo de acompanhamento de alvos, o equipamento pode rastrear mais de 200 embarcações simultaneamente, podendo ainda ser usado no combate a atividades ilegais, como pesca predatória e pirataria. É possível também utilizar o radar para identificar manchas de óleo ou realizar o mapeamento de áreas terrestres.

“O KC-390 será a espinha dorsal da aviação de transporte da Força Aérea Brasileira. Da Amazônia à Antártica, a frota de 28 aeronaves terá um papel fundamental para os mais diversos projetos do Estado brasileiro, da pesquisa científica à manutenção da soberania”, explica o Comandante da Aeronáutica. “A importância do KC-390 se explica não só pela capacidade de exportação e geração de riquezas, mas a criação de 8.500 empregos”, completa o Tenente-Brigadeiro Rossato.

FONTE: FAB

92 COMMENTS

  1. É interessante como sempre publicado o número de 28 aeronaves, como se os 2 protótipos não fossem ser repassados a FAB após todos os testes…
    No mais, será muito bom ver o KC 390 entrar em serviço…

  2. Ederson Joner 12 de junho de 2017 at 13:29
    Será que quando terminar a campanha de certificação a Embraer repassa esses dois modelos para a FAB??
    Ou vai ficar com pelo menos um deles para fazer demonstrações pelo mundo?? como tem um A-29 por exemplo.

  3. Alvaro Roberto Borges de faria 12 de junho de 2017 at 14:24
    Sim procede, e a Fábrica de Guaranás “Boto Tucuxi” de Manaus vai comprar a Coca-Cola.
    Eu li isso neste mesmo “site”.

  4. Antonio de Sampaio 12 de junho de 2017 at 14:07
    Antonio, foi a FAB que bancou o projeto, então os protótipos são da FAB, claro que é preciso observar que a propaganda e venda do KC 390 para outros operadores também interessa a FAB, desta forma e até mesmo no sentido de melhorias e upgrades, talvez a Embraer fique com um KC 390, mas a propriedade deve ser da FAB.

  5. Antonio de Sampaio 12 de junho de 2017 at 14:07

    Não me lembro onde li mas os dois protótipos serão repassados à FAB.

  6. O 1º/1º GT da BAGL já está se preparando para recebê-lo. Vai ser demais ver o bichão voando por aqui. Mas acho que ele não estará completamente operacional, assim como o A400M que foi entregue não efetuando todas as missões para que foi projetado.

    Acredito que a própria entrada em operação também faça parte do processo de atingimento da IOC.

    Quando será que começarão os testes de REVO entre caças, helicópteros e entre KC-390`s?

  7. Marcelo Andrade 12 de junho de 2017 at 15:44

    Com caças já foram realizados, mas sem transferência de combustível.

  8. Prezado Marcelo Andrade,
    Você tem acesso ao pátio de aeronaves do 1º/1º GT na Base Aérea do Galeão?

  9. Pergunto porque pelo Google Maps, existem pelo menos 5 aeronaves C-130 que, ao que parece, já foram descartadas.

  10. também no futuro poderia criar uma segunda versão com 4 turbinas … um kc 390 com capacidade de carga com no minimo 50 toneladas…

  11. E qual será, se é que há, um calendário para as entregas das demais células????
    Afinal como 1º e até o momento único cliente, a FAB merece precedência.

  12. O modelo que estava no Rio, ao retornar para Embraer hoje, deu uma volta sobre Rio Claro creio que para perder energia e em seguida fez um rasante sobre Pirassununga, provavelmente sobre a AFA, em seguida ganhou altura antes de pousar na pista de Gavião Peixoto.
    ____________
    Os dois protótipos que estão em testes serão incorporados à frota da FAB, só não sei quando.
    OBS: Os argentinos fizeram uma reforma em um avião C-130 fabricado em 1970, nada de mais, mas isso foi destaque em toda a imprensa local, inclusive nos grandes jornais, como um “Gran hecho”, quem foi fazer a “entrega” do “novo” avião foi nada menos que o presidente da república.
    Procurem nos grandes jornais de ontem, se há alguma nota sobre a visita do presidente e primeiro ministro de Portugal ao Brasil, e que eles viajaram de São Paulo ao Rio no KC-390, tão pouco que um desses aviões está agora na Suécia, não tem nada, só hoje a Folha deu uma nota, cheia de erros inclusive, demonstrando a completa falta de interesse.
    Fora os sites de defesa, não tem nada na imprensa.
    Até onde essa gente pode chegar, na ânsia insana de derrubar um presidente.. é que isso seria algo digamos positivo, se não publicam nem notas neutras, vão publicar algo que funciona… a inflação é a mais baixa nos últimos 15 anos por aí, mas isso não é mérito da equipe econômica, o problema é da “recessão”, como se não tivesse o fenômeno da “estagflação”, e como se agora faz pouco tempo, a inflação não tivesse em dois dígitos, com a economia em pior situação do que está agora.
    Bolsa e dólar estáveis hoje, variação mínima, mas a chamada de O Globo, é como se a Bolsa e o Dólar tivessem tido um dia de pânico.
    Desculpem por este OT. Mas nunca vi isso em toda a minha vida, estão se tornando patéticos.
    Pior que o velho vai sair dessa.
    Confesso que não sei a origem e os interesses por trás disso.

  13. Antônio de Sampaio. Com todo respeito à liberdade de expressão, quando ela é isonômica, os poder da mídia é psicopático. A mídia é atacada dos nervos, como poderia dizer uma doméstica nordestina. Tudo pode e não pode o que os astros do circo desejam. Tipo assim, no ocidente, vindo da antiga Roma, o circo tem ganhado poder… A satisfação imediata prevalece sobre os fins de longo prazo. A verdade é moldada e repisada em termos de urgência e se perde nas comprovações da tendência animal humana. A midia é própria auto-felação de emplastros psicológicos de verdade instantânea. Eles não tem compromisso com a verdade real. Eles dizem buscá-la, e no caminho, machucam e destróem. Não existe oba-oba para a verdade. Não existem sorrisos capazes de curar a ferida do pecado. A midia brasileira é o domínio do Satã, como diz um tio meu evangélico -maluco-pentecostal. Mas ele está certo. Provavelmente algum dos donos da Globo é homossexual, ateu, e quer tem pretensões de que o povo do Brasil, ou ao menos do Rio de Janeiro, ou ao menos da barra da tijuca, os chamasem para o poder. A verdade é que a mídia é uma golpista ( eu não sou necessariamente de esquerda) envergonhada. É como a mulher que arreganha as pernas mas nega a investida, dizendo-se virgem. Um dos problemas do Brasil não há dúvidas, ó meus caros, é a midia, e ela deve ser repensada. Enquanto não houver liberdade de expressão isonômica estaremos fadados ao dóminio de mentes bestas. Oxalá internet que permite bons e maus, mas permite todos!

  14. Boa tarde. Alguém tem informação se os 28 aviões equiparão uma unica unidade da FAB, no caso a Ala 11? Alguém pode informar por que 28 unidades? Qual o racional para determinar este número, pois a leitura da definição quantitativa apenas pelo quesito orçamento não explica toda a logica da decisão. Grato.

  15. Por favor… onde eu disse doméstica nordestina, leia-se “sábia senhora humilde”. Eu fui imperfeito…

  16. Victor Moraes 12 de junho de 2017 at 18:24
    “A midia é própria auto-felação de emplastros psicológicos de verdade instantânea”
    comecei a rir aqui………..
    “Provavelmente algum dos donos da Globo é homossexual, ateu,”
    ou será todos???
    “Oxalá internet que permite bons e maus, mas permite todos”
    até os nossos comentários no PA.
    eu não só aprendo com as leituras deste blog, mas principalmente eu me divirto muito…
    Bravo Victor, Bravo!!

  17. Eu pensava que no KC-390 não existisse nenhuma escotilha
    superior para saída da tripulação. Só agora vejo que tem duas saídas próximas à cabine.

  18. Pessoal , e o nome comercial do KC390 , qual será?
    Temos o A400 Atlas , o C130Hercules, o C27Spartan …
    Meu voto é KC390 HARPIA.
    Sds.

  19. Ahhh não…. não vamos começar com esta ladainha de preferências por nome da aeronave por favor.
    Senão não se falará de outra coisa, como já foi exaustivamente comentado por aqui.

  20. Acredito que a Embraer não deva adotar essa prática de dar nomes, já passou o tempo para isso, e o nome “KC-390” se consolidou comercialmente.

  21. Eu voto KC-390 Júpiter. Entretanto, tem uma bolacha dos pilotos de ensaio da aeronave com um formato de Orca, ou seja, KC-390 Orca.

  22. um nome original e com certeza será: INVASOR! traduzindo: iremos invadir o mundo.! esta máquina é mt linda e acima de tudo tem mta qualidade. estou com vcs na torcida, Que DEUS, abençoe o sucesso desta aeronave.

  23. Rodrigo Botelho Campos, falava-se que Esquadrão Gordo iria sair do Galeão para Anápolis. Esse esquadrão opera o C-130H e deve operar o KC-390, em apoio ao Batalhão de Operações Especiais do EB, que se mudou (ou se mudará) para Anápolis também. Ou seja, uma parte das aeronaves serão baseadas no Galeão, a outra iria para Anápolis. Se houve mudanças nesse planejamento, não sei te afirmar, mas era mais ou menos isto que se fala algum tempo atrás.

    Até mais!!! 😉

  24. um nome original e com certeza será:KC 390 INVASOR! traduzindo: iremos invadir o mundo.! esta máquina é mt linda e acima de tudo tem mta qualidade. estou com vcs na torcida, Que DEUS, abençoe o sucesso desta aeronave.

  25. Alguém tem a informação?
    A FAB pagou para desenvolver o KC 390? Tipo: objeto de contrato: desenvolver avião de transporte blablabla.
    Valor: x
    A fab foi responsável por bancar?
    Qual foi o valor?
    E agora, quem. e o detentor do projeto? A fab ou a Embraer?
    A fab ficará com um percentual de cada avião vendido?
    Não criticaram a bombardier por receber incentivos do governo?
    Mas o governo bancar o projeto pode?

  26. Nonato 12 de junho de 2017 at 22:32
    Você esta de brincadeira? Meu amigo seu nome é velho aqui, não tem como vc não saber disso, pois já foi dito centenas de vezes…
    Mas a resposta é sim, a FAB pagou e é dona do projeto, bem como receberá uma fração do valor das aeronaves vendidas…
    Foi bem simples, a FAB procurou a Embraer, e especificou um tipo de aeronave, e a Embraer projetou sob estes requisitos… Por isso que o lucro não é fundamental, pois vai ser o Estado brasileiro quem vai bancar todo o projeto, independente de vender.
    Não estou com disposição de procurar, mas se não me engano, o projeto e construção dos dois protótipos foram orçados em $ 2 bilhões de dólares, e os outros 28 aparelhos sairiam por $ 7 ou 9 Bilhões. É só dar uma olhada que aqui no PA tem muitas matérias que falam disso, blz!

  27. Cuidado aí com os nomes. Nomes de animais e personagens da mitologia grega. Tinha um camarada lá que matava e batia em todos eles.
    Deixa eu ver se lembro do mito… lembrei!
    ‘Os Doze Trabalhos de HÉRCULES’!

  28. Kc-390 Invasor não é nada mau… a sonoridade é boa… até de certo modo imponente!!! Não sei se vão ou não dar um nome!!! Mas por enquanto acho que não tem importância… tem-se coisas mais importantes para se preocupar!!! Garantir que os sócios comprem a aeronave!!!! Menos a Argentina, este ninguém acredita que vão cumprir com sua parte!!!

  29. Erdejoner.
    Obrigado pela informação.
    Rapaz, são tantas informações e não lembro de ter lido isto de forma bem clara e evidente.
    Confesso que me parece estranho.
    Um paga o projeto e o outro vende.
    Se bem que projetos militares americanos acontecem dessa forma.
    Tipo o f35. Fizeram seleção de projetos etc.
    O governo pediu e mandou desenvolver.
    Poderia não ter dado certo, como muitos projetos de várias décadas atrás.

  30. Nonato 13 de junho de 2017 at 1:10

    O estranho seria não permitir a venda..
    .
    Cada célula vendida a outra força, ou empresa (civil), trará divisas, impostos e postos de trabalho, distribuição de renda, geração de consumo para o país como um todo, e desta forma irá amortizar o investimento feito pela FA, que em ultima análise é um parte integrante do estado, e deve na medida do possível contribuir para o desenvolvimento do país …

  31. Wellington Góes, só corrigindo, o Batalhão de Operações Especiais do EB fica em Goiânia, a 50km de Anápolis e já está lá desde 2003.

  32. Bom dia pessoal!!!!
    Esta tudo muito bom, tudo muito lindo e etc…….
    Muitos falam das excelentes capacidades do kc390, algo que eu também não duvido!!!!!!
    Mas estamos esquecendo e eu acho que já passou da hora de serem feitos testes em pistas rústicas e não preparadas na Amazônia e principalmente no continente Antártico!!!!!!!
    Alguém sabe de alguma previsão para tal?

  33. Juliano Lisboa e Wellington Góes, na verdade é uma Brigada de de Operações Especiais e não um batalhão!!!!

  34. Roberto Santana, Júpiter é da mitologia romana e não grega. E nesta ele é conhecido como o “pai dos deuses'”, ou equivalente a Zeus na mitologia grega.

    A vantagem do nome JÚPITER, é a facilidade do nome, tanto em inglês, quanto em línguas latinas (como o português), a escrita é a mesma, sem alterações. E como é de uma mitologia concorrente à do Hércules da Lockheed Martin, também manteria a ideia do KC-390 (concorrente direto do C-130). Comercialmente, é um nome forte!

    Teríamos então:
    C-130 Hércules;
    A400M Atlas e;
    KC-390 Júpiter.

    Valeu Juliano Lisboa, te agradeço pela correção. Em todo caso, fica nas proximidades de Anápolis, daí a necessidade de se ter um esquadrão de KCs por lá.

    Até mais!!! 😉

  35. Roberto Santana 12 de junho de 2017 at 16:08
    Prezado Marcelo Andrade,
    Você tem acesso ao pátio de aeronaves do 1º/1º GT na Base Aérea do Galeão?

    Oi Roberto. Não tenho acesso desde que dei baixa, em 1987, rsrsrs. Mas como passo sempre pela Linha Vermelha, uma pista expressa que serpenteia o Aeroporto do Galeão, dá pra ver a BAGL.

    Estes C-130, ou estão em manutenção ou começam a ser canibalizados.

  36. Prezados Wellington Goes e Rafael Oliveira,
    Ninguém dá um nome para aquilo que já tem nome.
    A aeronave já é conhecida por um nome, aqui no Brasil ela é conhecida simplesmente por ‘KC’, não dá mais para mudar isso, por isso que falei que já passou o tempo para tal, o nome simbólico teria que ser dado no começo, como foi o caso do Tucano.
    Em termos práticos, nomes de aviões nem sempre seguem um padrão, nos Estados Unidos ninguém chamava o F-111 de ‘Aardvark’, muito menos de ‘F-111’, eles o chamavam de ‘one eleven’, ninguém chama o B-52 de ‘Stratofortress’. No Brasil ninguém nunca chamou o Mirage III de ‘F-103’. Essa coisa pode variar do lugar, do idioma, da facilidade e rapidez em dizer o nome, contudo, é fundamental que o nome seja dado logo no início. Por exemplo, se o KC-390 recebesse oficialmente o nome de ‘Jupiter’ ou mesmo de … ‘Dejanira’ e se caso fosse adquirido pela USAF, lá ele provavelmente seria conhecido (falado) como “Three Nine ‘O’ ”.

  37. Roberto Santana, meu comentário foi mera resposta a sua provocação. Não tenho intenção nenhuma de nomeá-lo, até porque ninguém da Embraer me consultou para isso.
    .
    De fato, a empresa dará o nome que quiser e os adquirentes poderão renomeá-lo como bem entenderem. E, no final, os pilotos e a mídia chamaram de tudo quanto é nome.

  38. O Roberto Santana disse tudo logo acima.
    O KC-390 sempre será KC-390, pode até tomar um apelido por aí (ao exemplo de gordo do C-130), mas sempre será chamado por KC-390. O Gripen NG se chamará F-39 na FAB, mas com ctz, todos chamarão de Gripen ou Gripen NG ao longo de sua vida.
    O A-1 é chamado de Harpia informalmente, mas quem sabe disso? Ninguém.
    Ou o nome vem no nascimento ou vem no nascimento.
    Abraços!

  39. Prezados,

    Gostaria de saber se o KC 390 tem possibilidade de utilização de tanques de combustível extra nas asas como o C 130 tem?Inclusive o C 130 modernizado na foto está com 4 tanques extras!

    Paulo

  40. PAULO JOSE MEDEIROS SILVA 13 de junho de 2017 at 12:01
    Acredito que sim, eu já tinha pensado nisso, o local onde o KC-390 recebe o “Pod” de reabastecimento, acho que pode receber tanques auxiliares, não vejo problema.
    Umas boas toneladas de combustível a mais nesses tanques lhe dariam um alcance ainda maior, acho que na maioria das vezes, esse avião não vai voar nem perto de sua capacidade máxima de carga.

  41. Antonio Sampaio,

    Não é de se estranhar que o C 130 ganha em autonomia!
    Obrigado pela resposta!

    Paulo

  42. Ambas as aeronaves empregam sistemas de reabastecimento em voo, que possuem tanques dedicados para tanto.
    A asa do “+ um” receberá um tanque extra, como o C-130, se estiver estruturalmente preparada para faze-lo.

  43. Wellington Góes 13 de junho de 2017 at 13:50
    Ele já deu uma bola fora quando “confundiu”, suposta mitologia grega com romanos e troianos, algo assim.
    Pessoal, segundo corre na rádio pião dentro da Embraer, a Alemanha continua possível cliente, as negociações não cessaram, e o Chile também está em “tratativas avançadas”…

  44. Negativo!
    Eu não sou o pai dessa criança. Que o pai e mãe cuidem do batismo, no caso, a FAB e a Embraer. Até lá, prefiro me ater à formalidade, Embraer KC-390.

  45. Pousou na base aérea de Satenas, onde a Suécia opera o Gripen e o Hércules.

    Levando-se em conta que a feira de Le Bourget só começa no dia 19/06, o KC-390 deverá fazer vários vôos pelos países interessados em conhecê-lo melhor e, talvez, comprá-lo.

    O MD Jungmann afirmou que a República Tcheca e a Hungria (operadora do Gripen e do An-26) demonstraram interesse.

  46. Eu queria muito ver aqueles que pejorativamente chamavam o KC390 de “kacetão” ter a hombridade de se retratarem…
    Improvável né!

    CM

  47. Prezado Paulo Lopez,
    Obrigado por me lembrar desse detalhe, eu nao tinha prestado a atencao devida.
    Eu nao costumo deixar de me escusar quando cometo algum erro, coisa que, sinceramente, e muito dificil acontecer. No caso, nao foi propriamente uma confusao, foi uma desatencao minha. Contudo, procure ficar por perto meu caro, e nao deixe de me avisar sempre sobre essas migalhas, restos, minucias ou picuinhas. Voce parece ter uma boa percepcao para esse tipo de coisa.

  48. Rodrigo Botelho Santos, o número 28 baseia-se na capacidade de deslocar nossas Forças de Ação Rápida (Brigada de Operações Especiais, Brigada Paraquedista e Brigada de Infantaria Leve Aeromovel) em 48 horas, considerando uma certa disponibilidade mínima. Há a possibilidade de o KC-390 substituir os C-105 no 1°/9° GAV, visto a necessidade de uma UAE REVO na Amazônia. A Brigada de Operações Especiais, sediada em Goiânia, tem como OM subordinada o 1° Batalhão de Ações Comando. Os dois protótipos pertencem à FAB. Em 30 anos de FAB nunca ouvi falar que o A-1 se chamasse Harpia. E olha que sempre fui da III FAE. Não sei de onde tiram essas afirmações. .. A última coisa que alguém está pensando, seja na EMBRAER ou na FAB, é um nome para a aeronave.

  49. Não conheço esse radar Gabbiano T20. Vejo com reservas essa idéia do fabricante de querer transformar um transporte num “multi role”. Pra controlar pesca ilegal tem um tal de P-3AM e um tal de P-95M. Pra manchas de óleo tem um tal de R-99. Pra embarcações desaparecidas teremos um tal de SC-105. Nesse caso específico, tudo bem, já que busca e salvamento também será uma das capacidades da aeronave.
    Lembro em 2008, quando estive na fábrica da SAAB, em Gothenburg, quando os suecos estavam insistindo na melhoria da capacidade ar-mar do radar Erieye. Eu e todos os operadores fizemos coro: estamos falando dum AWACS ou dum patrulheiro?

  50. Prezados Rinaldo Nery,

    Mas é o que diz o site da FAB sobre este radar:

    “A Embraer, que já conta com um contrato para o fornecimento de 28 aviões KC-390 para a Força Aérea Brasileira (FAB), assinou nesta semana com a empresa italiana Selex ES o fornecimento de radares Gabbiano T20. O equipamento será instalado no nariz das aeronaves e poderá ser utilizado, por exemplo, para localizar embarcações em alto-mar.”

    Paulo

  51. Obrigado. Foi a primeira vez que li alguma menção a esse radar Gabbiano. Como leigo, humildemente, tambem me pareceu fora de contexto. Abs

  52. Desculpe, esta é a continuação da informação anterior!
    “O Gabbiano T20 poderá ajudar a identificar manchas de óleo ou realizar o mapeamento de áreas terrestres. No modo de acompanhamento de alvos, poderá rastrear mais de 200 embarcações simultâneamente, podendo ainda ser usado no combate a atividades ilegais, como pesca predatória e pirataria”.

    Celular é difícil!

  53. Sim, Paulo. E daí? Espero que funcione bem, enxergando os CB na rota (esse é um problema que conheço bem), além das embarcações, manchas de óleo etc.

  54. Prezado Cel. Nery,
    Está função a mais (multirole) não seria um plus para esta aeronave?Acredito que a FAB/EMBRAER estejam colocando o KG em um patamar de excelência! Estão entrando com tudo no mercado!
    Espero Grande repercussão nesta feira!
    Obrigado

    Paulo

  55. Rommelqe, só a destacar no link que eu postei a pouco é : “The version of Gabbiano which will equip the KC-390 aircraft incorporates radar modes optimised for military transport aircraft.”. Acho que tem a ver c/ o lançamento de precisão de cargas em vôo. Abs.

  56. Essa possibilidade do KC-390 substituir os C-105 em Manaus faz sentido, afinal aumentaria a capacidade logística na região noroeste da Amazônia, além de ser o avião cisterna dos F-5 do Pacau (aumentando seu raio de ação). Mas daí suscita outra pergunta, aonde colocarão os Amazonas de lá, em Belém?!

  57. Aproveitando a estadia do KC-390 na Suécia, poderiam fazer umas imagens em conjunto com os Gripens suecos, seria uma prévia do futuro da FAB (ou algo próximo disso). Uns voos em formação ficaria legal.
    .
    Fica a dica!!!

  58. Sobre os nomes:

    Harpia não é o nome atribuido ao vant da Avibras? Nunca vi tbm chamarem o A-1 de Harpia. Acho que estão confundindo com o esquadrão Harpia que operava o UH-1 (vulgo sapão) e nao o A-1.

    Sobre a tal alcunha pejorativa de “kctão” dada ao KC-390, se a ideia era diminui-lo tal como fizeram com os KC-137 chamando-os de sucatão, o tiro saiu pela culatra. Pensem bem, o que é um kctão? Kkkk../
    Eu gostaria de ser reconhecido por esse nome: olha lá o kctão! Kkkkk…

  59. Bom dia pessoal!!! Pensando bem , esta aeronave merece um nome,pois, kc390 é só o prefixo técnico do conceito do produto, porisso, arrisquei dar-lhe um nome e achei bastante sugestivo: KC390 INVASOR. Estaaeronave foi projetado ao meu ver para os quatro canto do planeta, faça sol ,chuva, frio, neve o clima que for, ela estará presente. De fato vai invadir o mundo, é um produto para o extremo. Será que estou exagerando???

  60. Por que esse tal de Chocoeater insiste em chama-lo de “+ um”? Ele é discípulo do Maurício, ou é o próprio com outro nickname?

  61. Então os C-105 permanecerão em Manaus, mesmo com a chegada dos KC-390. Aliás, uma pergunta, apesar de acreditar que não saibam também, será que a FAB manterá está nomenclatura ‘KC-390’, ou colocará outra? Alguém chutaria alguma opção?!

  62. “…Initial military certification for the International Aero Engines V2500-powered transport is expected later this year, with civil certification to follow before the end of 2018. Embraer hopes to offer its new product to commercial operators, where it will face competition from types including the Lockheed LM-100J…”.

    Acredito que a Embraer já deve estar projetando para os potenciais clientes qual seria o preço de aquisição e performance de uma versão civil (C-390), revisada após a retirada de diversos sistemas militares (reabastecimento, sensores, sistemas de defesa, ). Penso que se possa ganhar bastante em termos de alcance e custo de manutenção.

    Quanto ao nome o meu voto é Embraer KC-390 Zeus.

  63. Boa tarde a todos .
    O projeto Kc390 está indo muito bem e tenho certeza que ele encontrará seu nicho de mercado. Até agora , tecnicamente, ele está perfeito. Sem contratempos , retrabalhos , reprojetos, suspensões de operações ou fatos mais graves. Pode ser ainda cedo , mas nenhuma trinca ou rachadura . Muito bom mesmo. Se esse acerto de projeto se confirmar com o passar do tempo , a equipe de projetos da Embraer terá dado um “banho” nos concorrentes.
    Quanto ao nome , tecnicamente é dispensável . Mas pode se tornar uma arma de marketing poderosa.
    Mais uma sugestão : KC390 TITAN

  64. Olhando a terceira foto onde estão visíveis as anteparas das portas laterais (proteção para salto de para-quedas) me ocorreu que talvez a Embraer possa aproveitá-las como freio aerodinãmico, se acionadas simultaneamente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here