Há 44 anos voava o primeiro caça F-5E Tiger II

Há 44 anos voava o primeiro caça F-5E Tiger II

4399
32

Northrop F-5E

Em 11 de agosto de 1972 na Base Aérea de Edwards o Northrop F-5E Tiger II (versão aperfeiçoada do F-5A Freedom Fighter) realizou seu primeiro voo, comandando pelo piloto de testes chefe da Northrop, Hank Chouteau.

O voo de 50 minutos deu início à fase CDT&E (contractor’s development test and evaluation) e foi completado sem incidentes.

Até 1987 foram produzidos 1.400 caças F-5E Tiger II, e hoje ainda existem cerca de 500 F-5E em operação pelo mundo.

O F-5 pode ser considerado o “fusquinha” dos caças, por ser simples e fácil de operar.

Acesse nos dois links a seguir, duas ótimas histórias sobre o F-5 na FAB:

northrop-f-5e-tiger-ii-10

32 COMMENTS

  1. offtopic: acabei de ver um caça da fab atras de um avião comercial na aproximação do galeão. Não sei se foi uma interceptação, escolta ou simples trafego.

  2. A USAF/USN iniciou o desenvolvimento do AMRAAM quando o fusquinha aí conseguiu destruição mútua nos exercícios ACEVAL/AIMVAL no final dos anos 70.

    Do ponto de vista da engenharia, sou fanzaço dessa aeronave.

  3. Ao escolher o Gripen, o Brasil escolheu o fusquinha Sueco.

    Devido a características do nosso clima, pistas e nível das nossa bases de apoio, o SU-35 teria sido a melhor escolha. Ele é um excelente avião e quando possuir uma AESA semelhante a usado nos F-22, com certeza ele será o melhor caça de 4,5G do mundo.

    A crítica ocidental sobre os produtos russos é sempre uma grande piada. Me lembro que duas das maiores características do Raptor quando estava em desenvolvimento eram a supermanobrablilidade, com vetoração bidirecional de empuxo, e o super cruze, além do stealth, claro.

    Aí veio o Flanker com vetoração tridimensional e supermanobrablilidade. Não tardou para um general da USAF dizer que a supermanobrabilidade do Flanker não teria uso em um combate aéreo. Ótimo, então porque buscaram tanto isso para o Raptor? O fato é que os Flanker incomodam. E prova disto é que os Flankers não saem dos calendários de treinamentos conjuntos da USAF e da RAAF. Os Indianos e Indonésios que o digam.

    Sobre o FX-2, até hoje a Aeronáutica juntamente com o governo, deveriam ter explicado publicamente a não escolha do SU-35.

    Só para lembrar os mais desinformados, temos acordo com o governo Russo desde 2008 que envolve inclusive desenvolvimentos e tecnologias nas áreas de misseis satélites foguetes defesas aéreas e helicópteros.

    Esse assunto jamais foi aberto a mídia e tramita no meio de governo e militar em alto segredo. Somos parceiros deles em interesses mútuos nos BRICS.

    http://gazetarussa.com.br/bilateral/2016/06/02/parana-participara-de-criacao-de-cadeia-produtiva-na-crimeia_599297

    Os Russos sempre buscam sócios/parceiros, e entendem muito bem nossa pré-disposição em joint ventures e aceitam compartilhar tecnologias e desenvolvimentos.

    Para o caso do SU35 , poderíamos ter tido a construção realizada aqui no Brasil, de uma forma jamais oferecida a nenhum outro parceiro. Teríamos aqui conosco além de linhas de montagem e manutenção, a liberdade para a realização de desenvolvimentos e upgrades.

    Preciso falar mais alguma coisa?

  4. “Preciso falar mais alguma coisa?”
    .
    Precisa. De onde vai sair o dinheiro para operar uma frota de Flanker se mau podemos manter no ar os F-5 e A-1. Essa é a pergunta que todo ufanista que adora criticar a FAB por comprar e operar caças pequenos nunca quer responder.
    .
    Falar é fácil, quero ver é quem de vocês vai lá em Brasília por o dedo na cara dos politicos e exigir mais verba para as Forças Armadas.

  5. Acho q estamos aqui comentando algo sobre os 42 anos do F5E, sera q estou lendo outra coisa e outro assunto…….ahh SU 35…bla,bla,bla,…..Russos otimos parceiros…..kkkkkk……bla,bla,bla, .OK…as piadas ja acabaram, voltemos ao assunto em pauta.
    Quem ja viu em voo, olhou bem de perto no solo, subiu a carlinga , enfim…conhece um pouco do assunto F5EM, sabe q devido a constante e otima manutencao do meio la no PAMA SP, este caca ainda continuara a dar arrepios e tenham absoluta certeza q bem pilotado e c apoio do E 99, eh pareo durissimo para qualquer caca de geracao 4,5…….eh uma pulga no visor de qualquer radar e visualmente dificil de encontrar nos ceus.escrever o que mais sobre isso…….so quem nao conhece eh q continua a dar pitecos de sabedoria pai d egua….rsrsrs

  6. Boa tarde a todos.
    Na minha opinião (que não quer dizer coisa alguma claro) o F-5 é uma das aeronaves de caça mais belas já projetadas: linhas esquias e equilibradas (silhueta baixa com uma deriva alta que lhe dá um ar agressivo), trem de pouso proporcional às dimensões sem dar a impressão de uma gafanhoto armando o bote, enfim, um projeto de dar inveja ao mestre “Kelly” Johnson. Nas mãos dos caçadores da nossa FAB é parada dura com E-99 operando em conjunto. O Celso extinguiu os argumentos, assino embaixo e dos lados.
    Nota: desculpe-me mas não aguento: Essa história dos russos já cansou. O problema não é a aeronave e sim seus idealizadores. O que vem do leste europeu tem que ser tratado com muitíssimo cuidado para que projetos não sejam “lançados ao espaço”. Quando alguém negocia com eles geralmente quebra a cara (vide o projeto Ciclone com milhões de reais indo pelo ralo): O “Foguetão” foi para o “espaço” mesmo.

    Abraços

  7. O avião da foto está glissando. Manobra anômala em o piloto cruza os comandos, dando leme e pedais contrários, a aeronave acaba perdendo altitude ou velocidade. Esse piloto deve ter feito isso para o benefício do fotógrafo que o acompanhava na outra aeronave, permitindo a clássica foto do F-5 em que ele mostra todo seu dorso, seu melhor ângulo. Um F-16 dificilmente “deixaria” o piloto fazer tal coisa.

  8. Nossos F-5 quando se aposentarem – deixaram saudades, pois realmente junto com o Phanton F-4 é um dos mais bonitos, pena que o tempo passou e a realidade de combate é outra.
    Gripen e F-5 Tiger II são 2 “fusquinhas” na sua época.

  9. Um dos mais belos e simplórios caças já produzidos… fácil manutenção, barato, e um upgrade bem feito- como nos nossos F-5EM, coisa da Embraer – o torna mais ainda capaz. Com um bom apoio de Radar, trabalha muito bem. Pena que um dia vamos aposentá-lo, vai deixar muita saudade quando o Último F-5EM parar de voar. Espero que no Gripen seja capaz de, no mínimo, fazer o mesmo do bicudo…..

  10. Hoje, não existe nada que mereça tal analogia, a não ser que o espírito de Itamar Franco “baixe” em algum fabricante e comecem a vender caças a preços populares.

  11. “Gripen é um Fusquinha”

    O cara que diz isso ao menos sabe do fato que o Gripen NG (ou E/F agora) é completamente diferente de seus antecessores?

    Pelo amor de deus por mim bania gente fazendo comentários tão (me desculpe) merda, mé dá vergonha alheia ler isso.

  12. O orçamento de Defesa do Brasil é de Primeiro mundo….maior do que de muitos países da Europa….maior do que o da Itália e Austrália, ambas operam os equipamentos mais modernos do mundo, o que ferra aqui no Brasil são os cortes sem falar que o RH da FAB é inchado hein?….

  13. Eu ainda acho que deveríamos comprar todos os F-5E que pudéssemos.
    Faz tudo que é necessário em tempo de paz a baixo custo, bem pilotado é um caça respeitável, e dominamos todo ciclo de manutenção e upgrade.
    Seus substitutos serão o J-17 e o F-50 sul-coreano ?
    .
    PS li em algum lugar que os melhores F-5E do mundo seriam os de Singapura, o que eles tem de especial frente aos da FAB ?

  14. Também acho o F-5 muito bonito, tanto no chão como em voo. Para mim é um dos caças com mais cara de caça já feito.

    O fusquinha dos céus é o Mig-21.

    E lembrando, o Gripen que o Brasil vai ter é o NG. Que não é pequeno, é médio. Ele estará capacitado para toda gama de missões dos demais caças concorrentes de ponta. Terá boa autonomia e boa quantidade de armamento embarcado. E ainda poderá, com altíssima qualidade computacional, executar missões perfeitamente sincronizado em sistema de matilha…
    Teremos um dos mais respeitado aviões de combate das próximas décadas.

    Quanto aos imponentes Sukhois… Em dogfight seu grande tamanho os deixam visualmente muito mais visíveis que os caças menores e já em grandes distâncias mais identificáveis pelos radares. (imaginem uma missão de três ou mais Sukhois, voando próximos, a quantidade de ondas radar refletidas).

    Quanto a FAB os ter deixado de lado, parece, não lembro onde li, que foi principalmente porque a transferência de tecnologia que seria exigida pelo Brasil, foi simplesmente rejeitada pelos russos,
    Isso sem falar o custo da hora de voo e toneladas de Doril para o pós venda.

    Depois que a SAAB fechou contrato com o governo brasileiro e ficou convencida de ter feito um ótimo negócio com a FAB e com a Embraer é que certo arrependimento bateu na concorrência… Boeing está dando um jeito de ter várias participações conosco. Já os russos……… que tiveram a capacidade de assassinar toda sua família Real, ao contrário de simplesmente a mandar viver em outro país…………….melhor que os deixemos pra lá. Pelo menos até eles se darem conta que o Brasil também produz tecnologia e não apenas carne de frango.

  15. É talvez se fossem usados a exaustão ou em missões importantes e se fossemos um grande jogador do mundo,já teriam sido trocados há tempos.Não é critica a aeronave muito pelo contrário,mas num país em quê o político é tratado como Deus, quê tudo pode,pode roubar,altos salários para parentes,mordomias,corruptos só podemos ter isso mesmo

  16. Amigos, não se esqueçam que existiu o projeto do F20 (um F5 bem superior) que hoje se estivesse voando, daria couro no F16

  17. Ocidental Sincero 12 de agosto de 2016 at 16:29
    “Devido a características do nosso clima, pistas e nível das nossa bases de apoio, o SU-35 teria sido a melhor escolha. Ele é um excelente avião e quando possuir uma AESA semelhante a usado nos F-22, com certeza ele será o melhor caça de 4,5G do mundo…”
    Isso, o AESA genérico do APG-77 virá com 20 anos de atraso em relação ao original. A julgar pela reputação russa em fazer propaganda de coisas que non excziste e superestimar suas qualidades, é provável que não será uma Brastemp.
    “…Me lembro que duas das maiores características do Raptor quando estava em desenvolvimento eram a supermanobrablilidade, com vetoração bidirecional de empuxo, e o super cruze, além do stealth, claro.

    Aí veio o Flanker com vetoração tridimensional e supermanobrablilidade. Não tardou para um general da USAF dizer que a supermanobrabilidade do Flanker não teria uso em um combate aéreo. Ótimo, então porque buscaram tanto isso para o Raptor? O fato é que os Flanker incomodam. E prova disto é que os Flankers não saem dos calendários de treinamentos conjuntos da USAF e da RAAF. Os Indianos e Indonésios que o digam. ”
    O F-22 sustenta oficialmente mach 1.78 em supercruise! Existem relatos que dizem que esse número é subestimado.
    Já o Su-35, esse não deve fazer supercruise muito melhor do que o English Eletric ligthning já fazia a 40 anos atrás.
    O empuxo vetoral bidimensional oferece vantagens no escopo da seção reta radar. Que tem prioridade sobre a manobrabilidade em se tratando de caças norte-americanos de quinta geração.
    Como os russos ainda não provaram que sabem fazer um caça stealth (e quando fizerem sabemos que não será uma Brastemp), dizem que a vetoração de empuxo no eixo vertical faz toda a diferença. Diferença no que? As superfícies aerodinâmicas do Su-35 já fazem a guinada ideal sem precisar do vetoramento de empuxo. A guinada vetorada é muito boa para apresentações acrobáticas, e péssima para um piloto que precisa guinar perdendo o mínimo de energia possível. É por isso que o Su-35 parece uma panqueca fazendo manobras. Um trambolho dando cambalhotas na velocidade de uma tartaruga manca.
    “Os Russos sempre buscam sócios/parceiros, e entendem muito bem nossa pré-disposição em joint ventures e aceitam compartilhar tecnologias e desenvolvimentos.

    Para o caso do SU35 , poderíamos ter tido a construção realizada aqui no Brasil, de uma forma jamais oferecida a nenhum outro parceiro. Teríamos aqui conosco além de linhas de montagem e manutenção, a liberdade para a realização de desenvolvimentos e upgrades. “

  18. Está de brincadeira né? A Rosoboroexport não pode fazer uma proposta com a tal da transferência de tecnologia, razão pela qual o Flanker não entrou nem na short-list do FX-2. Agora vem você e diz que a Rússia iria nos ensinar a ir a Saturno na velocidade da luz? A vá!

    Save Ferris!

  19. Parabéns ao mecânicos da FAB que mantem esta aeronave já clássica em voo, é verdade antiga, mais que prova até hoje o seu valor e a excelência do seu projeto, pra FAB , e pra nos todos merecíamos uma avião mais moderno. mais sem ele estaríamos muito pior, com ele nossos pilotos podem se manter ativos e atualizados. Quando forem retirados deixaram saudade, irão tarde é verdade mais deixaram saudade.

    Respeito a opinião do “ocidental sincero” mais o SU-35 sem duvida uma bela máquina, sem igual, mais feita para os russos operarem, e talvez os indianos, Mas pra nós, FAB, muito difícil, A escolha do Gripen é acertada, vai ficar melhor ainda se o caça for vendido para outras Forças, o que acho que vai acontecer em breve

    há eu sempre gostei dos fusquinhas e to querendo comprar um agora,

  20. Pessoal…muito bom isso aqui!
    Eu vou baixar esse jogo e vou ver como é, quero voar o F-5.
    E esses caras voam bem!
    .

LEAVE A REPLY