Home Força Aérea Brasileira Protótipos do cargueiro militar e modernização do AMX sofrem com atraso na...

Protótipos do cargueiro militar e modernização do AMX sofrem com atraso na liberação de recursos

286
9

Orçamento do KC-390 tem déficit de R$ 480 milhões

 

KC-390 e autoridades na inauguração hangar em Gavião Peixoto - foto 4 Roberto Stuckert Filho - Planalto

Virgínia Silveira

O orClippingNEWS-PAçamento do programa de desenvolvimento do jato de transporte militar KC-390 acumula um déficit de R$ 480 milhões. O valor, segundo o presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (Copac), brigadeiro José Augusto Crepaldi, é resultado do atraso na liberação de recursos para o projeto desde fevereiro de 2013.

A Embraer e a Força Aérea Brasileira (FAB) fizeram um pedido formal de suplementação orçamentária para o projeto, no valor de R$ 480 milhões. Os recursos, segundo o brigadeiro são necessários para finalizar o desenvolvimento de dois protótipos do KC-390.

“Apesar do atraso na liberação de recursos, o projeto está dentro do cronograma e a programação do primeiro voo, prevista para o fim de outubro deste ano, não será afetada”, ressaltou o presidente da Copac.

O Valor apurou que o orçamento aprovado para o programa da aeronave este ano, no valor de R$ 950 milhões, está contingenciado. Uma parte desse montante foi liberada recentemente.

Os recursos suplementares, segundo a Copac, deverão ser repassados via PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), responsável pelo financiamento do KC-390 desde o ano passado. “Já aconteceram alguns remanejamentos de recursos dentro do PAC, mas o KC-390 não foi contemplado. Até o momento, não existe nada assegurado”, disse um assessor da Copac.

O KC-390 é o maior avião construído pela indústria aeronáutica brasileira e estabelecerá um novo padrão para aeronaves de transporte militar de médio porte em termos de desempenho e capacidade de carga, da ordem de 23 toneladas. Estudo de mercado feito pela Embraer indica um potencial de vendas de 728 unidades para 77 países, o que representa negócios da ordem de US$ 50 bilhões nos próximos dez anos.

Outro programa da Embraer Defesa & Segurança que também está sendo afetado pelo contingenciamento de recursos do orçamento é o da modernização do caça AMX, projeto com custo total de R$ 1,3 bilhão. Segundo a Embraer, três aeronaves já foram entregues para a FAB. O cronograma de entregas será concluído em 2017.

Assim como o KC-390, o programa de modernização do AMX também poderá ser incluído no PAC. Segundo fontes do setor de defesa, uma proposta de ingresso do projeto no PAC já está sendo avaliada pelo governo.

O programa do AMX recebeu, este ano, R$ 94 milhões. Mas para que os trabalhos sejam feitos, de acordo com o cronograma, ele precisaria de R$ 300 milhões. Os recursos também fazem parte de um pedido de verba suplementar que já está sendo avaliado pelo governo.

Avião de ataque ar-superfície, o AMX é a principal ferramenta de dissuasão da FAB, utilizado em missões de interdição, apoio aéreo e reconhecimento. Com a modernização, a FAB pretende ampliar sua capacidade operacional e de sobrevivência em ambientes hostis em aproximadamente 20 anos.

FONTE: Valor Econômico, via Intelog

NOTA DO EDITOR: o subtítulo é o título da matéria original

COLABOROU: Henrique C.O

VEJA TAMBÉM:

 

9
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
Rinaldo NeryMarcelo PamplonafragatamendesKlessonMauricio Silva Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
joao.filho
Visitante
Member
joao.filho

No tradicional Modus Operandi do Brasil, já começou a palhaçada…

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Bem , acredito que comntários mais extensos não seja necessários, pois a reportagem é autoexplicativa. Mais uma vez “Jesuixxxxxxxxxxxxxxx” e seu discípulo terráqueo, “Jiji, o louco” avisaram aqui mesmoo na trilogia que isto estava acontecendo, evidentemente que na blogosfera tupiniquim do mundo maravilho do faz de conta, isto era mais uma das bobagens, das sandíces e fruto do ódio de Jiji contra “u nossu guverno”, mas, mais uma vez ele, o tempo mostrou se or senhor de todas as verdades, e elas virão uma após a outra…… Então eu leio que estmos desenvolvendo o MAR 1, MAA1B. MAN 1, A… Read more »

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Opá, as correções do teclado desta analfabeto computacional que vos escreve:

“comentários mais extensos não “sejam” necessários

Grande abraço

Nautilus
Visitante
Nautilus

Acredito que não falte dinheiro. Só falta competência e vontade política a este governo…

Mauricio Silva
Visitante
Mauricio Silva

SNAFU!

SDS.

Klesson
Visitante
Member
Klesson

Bom, como falou o Juarez Martinez,

“Bem , acredito que comntários mais extensos não seja necessários, pois a reportagem é autoexplicativa.”

É isso mesmo.

Na minha empresa quando um funcionário não está atendendo as expectativas para o que foi contratado (eleito), de forma calma e tranquila ele é substituído por outro, digamos, que pelo currículo se apresenta competente.

E assim caminha a humanidade.

Abraços.

fragatamendes
Visitante
fragatamendes

COISAS DESTE GOVERNO ________________________…

COMENTÁRIO EDITADO. FAVOR NÃO ESCREVER EM MAIÚSCULAS.

Marcelo Pamplona
Visitante
Member
Marcelo Pamplona

Enquanto as prioridades se tornam “gastos desnecessários” e passíveis de corte, a mendicância e penúria do Estado chega a ser digna de pena:

http://dinheiropublico.blogfolha.uol.com.br/2014/05/26/receita-e-recorde-mas-sobe-so-09-em-abril-governo-recorre-a-estatais/

É na persistência da visão tacanha de nossos governantes, e mesmo do brasileiro médio, de que gasto com Defesa não é investimento, é “luxo descartável”, veremos uma piora gradativa e inexorável de pessoal e equipamento de nossas FAs.

Lastimável…

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

É por essa e por outras que pedimos reserva. Não existe nada pior do que ficar replanejando 20 vezes. A cada contingenciamento é uma nova dor de cabeça.
É o mesmo que enxugar gelo e limpar carvão. Além da PTralha ficar empregando as FFAA para fins eleitoreiros.