Home Aviação Naval Dois P-8A da Marinha dos EUA chegam à ilha de Okinawa

Dois P-8A da Marinha dos EUA chegam à ilha de Okinawa

261
30

Outros quatro estão a caminho.

 

P-8A - foto USN

ClippingNEWS-PADois novos aviões de reconhecimento Poseidon P-8A, da Marinha de Guerra dos Estados Unidos, chegaram à Base Aérea Kadena, na ilha japonesa de Okinawa, segundo informou nesta segunda-feira o jornal “Stars and Stripes”.

O jornal, que cita como fonte funcionários navais americanos, indicou que a chegada das aeronaves estava programada há muito tempo mas ocorre duas semanas depois que a China, de forma unilateral, expandiu sua zona de defesa aérea.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, viajou para Tóquio, onde falará com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, sobre a polêmica zona de identificação aérea estabelecida pela China no mar da China Oriental.

Biden se reunirá amanhã com Abe, em um encontro marcado pelo perímetro criado na semana passada pela China, que abrange as ilhas Senkaku (Diaoyu, em chinês), administradas pelo Japão e reivindicadas pela China.

Os Estados Unidos, Japão e outros países asiáticos indicaram que seus aviões militares não reconhecerão a zona.

Os dois aviões de reconhecimento partiram em 29 de novembro desde o Aeroporto Naval em Jacksonville, Flórida, e fizeram escala no Aeroporto Naval Atsugi para reabastecer antes de seguir voo a Okinawa.

A Marinha de Guerra indicou que outros quatro P-8A chegarão à ilha japonesa nas próximas semanas, acrescentou o jornal.

O avião P-8 se especializa na detecção de submarinos e substituirá ao Orion P-3 que patrulhou o Pacífico desde a década de 1960.

Os aviões Poseidon também estão desenhados para trabalhar com o avião robótico Triton, que está sendo desenvolvido, e que segundo fontes militares operará em anos vindouros desde a Base Andersen da Força Aérea em Guam, cerca de 2.250 quilômetros ao leste de Okinawa.

FONTE: EFE, via portal UOL

30
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
10 Comment authors
IvanivanildotavaresBascheraCarcará 01Alexandre Galante Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
bitt
Visitante
Member

Pois é – faz parte do teatro diplomático internacional. Em pricípio, fiquei um tanto espantado com o número de aeronaves desse tipo q serão lotadas em Okinawa. O P8A é uma aeronave multimissão destinada a patrulha de longa duração, e pode ser configurado em diversos perfis. O inventário de armas é enorme, mas parece q a principal é o missil ar-superfície AGM84/HK, um missil de cruzeiro subsonico com alcance de uns 300 km, que pode ser configurado para uso antinavio. Ou seja, uma aeronave de emprego estatégico. Faz sentido. Mtas das atitudes um tanto “sem-senso” da China são motivadas por… Read more »

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Nada como uma ameaça real.

O problema é que no Brasil não sei se funcionaria, pois temos ameaças reais como falta de saneamento básico, melhorias na educação, combate a criminalidade e violência etc etc etc que também resultam em desgraças e guerras internas e pouco se vê de efetivo.

Efetivas mesmo estão as mordomias à disposição de nossos governantes.

Antonio M
Visitante
Member
Antonio M

Agora eu queira ver alguma declaração da Presidenta, do Ministro da Defesa sobre quem está certo.

Ivan
Visitante
Ivan

Bitt, Vc escreveu: “… Ou seja, uma aeronave de emprego estatégico.” No meu entendimento, é uma aeronave tática, apesar de que no mar o tático e estratégico ficam bem pertinho. O Boeing P8 Poseidon era originalmente denominado (acertadamente) Multimission Maritime Aircraft – MMA. Suas principais missões são vigilância e/ou reconhecimento marítimo, ASW (anti-submarine warfare ), ASuW (Anti-surface warfare) e ELINT (eletronic intelligence). Dentre essas, possivelmente a última de coleta de dados e informações eletrônicas poderia ter um caráter estratégico, as demais seriam eminentemente táticas dentro do teatro de operações designado. Quanto ao uso do míssil AGM-84H/K SLAM-ER montados em arranjos… Read more »

Ivan
Visitante
Ivan

Um engano meu quanto ao diferencial de velocidade.

Velocidade de cruzeiro:
Orion – 328 nós ou 610 km/h
Poseidon – 440 nós ou 815 km/h

Velocidade máxima:
Orion – 411 nós ou 750 km/h
Poseidon – 490 nós ou 907 km/h

A diferença fica em torno de 150 km/h
Enquanto o novo Boeing com um par de turbofans faria um trecho de 900 (novecentos) km em uma hora, o velho combatente da Lockheed com quatro turboélices faria em uma hora e meia.

Sds.,
Ivan.

Ivan
Visitante
Ivan

Ops!

Errei de novo.

A diferença no trecho de 900 km ficaria em torno de 12 (doze) minutos, ou simplesmente um quarto de hora a mais, em favor do Poseidon.

Sds.,
Ivan.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Ivan

Esses valores são teóricos, creio.
Com o passar dos anos, aeronaves mais velhas acabam operando com um pouco de restrições.

bitt
Visitante
Member

Ivan, obrigado pelas observações. A questão é exatamente essa que vc colocou – em áreas de águas abertas ou confinadas, o limite entre estratégico e tático depende do perfil da missão. Uma aeronave capaz de cobrir em tempo relativamente curto milhares de quilômetros, ou capaz de ficar orbitando um setor de teatro estratégico, na base de reabastecimento aéreo, adquire capacidade de aplicar surpresa estratégica, caso tiver certa capacidade de interferência eletrônica, própria ou partindo de outros vetores em atuação combinada. Como acontecia na época da Guerra Fria com as aeronaves do SAC orbitando posições adjacentes às fronteiras da URSS e… Read more »

Baschera
Visitante
Member
Baschera

As ilhas estão muito próximas do território chinês… mas “parecem” ser um natural prolongamento da plataforma maritima japonesa. Parece que o Japão as anexou a pouco mais de um século, como parte de sua política expancionista imperial da época. A China tem graves ressentimentos da ocupação imperial japonesa de pouco antes da II WW. No entanto, se tomarmos como base a guerra da China contra a Índia (ou será o contrário ??)… os chineses só agiram depois de muitas provocações dos indús… Venceram a guera, entrando profundamente em território da Índia…e rapidamente recuaram as suas fronteiras originais, por pura opção… Read more »

Observador
Visitante
Observador

Senhores, A situação entre China, Japão, Coréia do Sul e EUA se assemelha a um campeonato de fisiculturismo. O objetivo não é lutar: é exibir-se, contraindo os músculos e fazendo caretas para mostrar como é forte. E vencer obtendo o voto dos jurados (opinião pública). As chances de um conflito por agora são mínimas. Porém, esta situação, conforme a opinião de muitos aqui – eu incluído – vai empurrar o Japão e a Coréia do Sul para dentro do clube atômico em talvez um par de décadas. Como resultado, o Mundo pode esquecer o desarmamento nuclear da Coréia do Norte… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

E voltando a vaca fria…

Agora só falta algum mané, capitão de submarino apadrinhado do Partido, ser plotado pela duplinha…
A Boeing e a US Navy lhe serão eternamente gratas!!!

Ivan
Visitante
Ivan

Amigos Editores,

Esta aparecendo no meu acesso uma página intermediária quando executo o login ou tento enviar um comentário. Esta página extra abre com o título “ONE MORE STEP”.

Isso não ocorre no Forte.

Este passo a mais é necessário?

Pergunto pois acabei de perder um comentário detalhado sobre a história das lhas Senkaky/Diaoyu para responde o amigo Baschera, tendo gasto meu tempo do cafezinho para isso, em função deste passo miserável…

Sds.,
Ivan.

Alexandre Galante
Visitante
Member

Ivan, deve ter havido alguma tentativa de invasão no Poder Aéreo, por isso apareceu a página de proteção.

Ivan
Visitante
Ivan

Baschera,

Não vou escreve tudo novamente após o passinho a mais cabuloso ter derrubado meu texto…

Mas o ano é 1895, a guerra é a Primeira Sino-Japonesa e foi a dinastia chinesa Qing que assinou o Tratado de Shimonoseki.

Melhor dar uma olha na Veja de abril:
http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/china-responde-ao-que-chama-de-%E2%80%98provocacoes-do-japao%E2%80%99

“Vale a pena ver de novo”.

Cordiais saudações,
Ivan, o antigo.

Carcará 01
Visitante
Member
Carcará 01

Concordo com o conterrâneo Ivan. Tem mais um passo para logar no Aéreo agora, que tá dificultando e muito o acesso, além de ser “cabuloso”… Nunão, teria como retirar isso?? Abs

Ivan
Visitante
Ivan

Alexandre Galante,

Além de ‘cabulosa’ a página do ‘one step more’ são dois passos na verdade, um antes e outro depois, com um terceiro ao postar a mensagem.

Parece até dança de salão, mas sem ritmo e sem graça.

Como se não bastasse a caligrafia do danado é horrível.
Nesta última ‘logada’ precisei de 5 (cinco) tentativas até entender o que estava escrito, sendo que na anterior simplesmente desisti. Outros podem estar sendo menos paciente que eu, ou pior.

Grande abraço,
Ivan, o antigo.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Ivan,

Como sabemos há ai a polêmica sobre tal tratado… parece que a China não o considera válido, alegando ter sido forçada a assina-lo….

Galante,

Ora…. mas veja que o que pode ter havido não é mera coincidência…. conforme eu já havia alertado.

Inveja e rancor de certos indivíduos matam….. !!

Sds.

Ivan
Visitante
Ivan

Baschera,

Pois é.
Perdeu playboy…

Se a China perdeu em 1895 as Senkaku/Diaoyu para o Japão;
o Japão perdeu para a URSS (atual Rússia) parte das Curilas em 1945.

E aí, como é que fica?
Todo mundo devolve o que tomou ao longo dos séculos?

Sabe aquele deserto entre a montanha e o mar na fronteira entre Bolívia, Chile e Peru. Vai devolver também?

E o enclave russo na Polônia?

Fica complicado.

Abs.,
Ivan.

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

“E o enclave russo na Polônia?”

Caro Conterrâneo,

Você está se refeindo ao enclave chamado de Kalingrado, coladinho às repúbicas bálticas da Estônia, Letônia e Lituânia?

Abraços

Ivan
Visitante
Ivan

Este mesmo conterâneo.

Vai devolver?
NÃO.

Daqui a pouco os russos vão querer devolver o dinheiro que receberam pelo Alaska, sem correção! Afinal foi um Tzar que estava liso e foi explorado…

bitt
Visitante
Member

Tvz todo mundo devesse devolver o que tomou de modo ilegítimo, e sugiro que o VP n.americano (que geralmente assina essas devoluções, estaria no início da fila). Isto pq, enclave por enclave, temos Guantanamo, cuja existência deve-se a uma mais do que legítima “compra” sugerida aos governo cubano em 1903, por Rooselvelt (o Theodore, não o FD…). Embora o “tratado diplomático”, assinado provavelmente com uma caneta emprestada pelo comandante da FT americana que “visitava” Havana, não encontre base em nunhuma lei ou convenção internacional conhecida, os americanos afirmam que a “compra” foi legítima e vá convence-los do contrário… Assim, o… Read more »

Observador
Visitante
Observador

bitt3 de dezembro de 2013 at 18:04 #

Sobre a dívida americana, como diz o pessoal do mercado financeiro, só tem um porém:

“Quando você deve mil reais, o problema é seu; quando deve um trilhão, o problema é do banco”.

Ou seja, quem deve perder o sono com a dívida americana são os chineses.

Ah, thanks pelo elogio.

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

O que eu ainda não entendi foi a pretensão da South Korea em relação às Senkaku/Diaoyu. Por que um avião militar (segundo foi informado recentemente) sul-coreano sobrevoou a “Zona chinesa” declarada?

Ivan,

Thanks pela resposta em 03/12/13, às 16h 51min.

Abraços

Ivan
Visitante
Ivan

Grande Ivanildo,

O mapa, sempre o mapa.
Dá uma olhada na área de identificação de defesa aérea:
comment image

Na ponta norte da malfadada área, existe uma rocha (que aparentemente fica semi-submersa) que os koreanos chamam de Leodo e os chineses de Suyan.

Pois é, a “mordida do Dragão” é bem ampla e abre mais de uma frente.

O nome do jogo é Go, Weiqi ou Baduk;
dependendo se vc é japonês, chinês ou coreano, respectivamente.

Sds.,
Ivan, o mapento.

Ivan
Visitante
Ivan

Este outro mapa sobrepõe a nova área de identificação de defesa aérea da China com a do Japão, ressaltando a posição das Senkaku/Diaoyu.

comment image

Mas também demonstra a proximidade com a Coréia do Sul ao norte da chinesa e a leste da japonesa.

Há divergência entre koreenses e niponenses, mas em um nível de disputa menos acirrado.

Abç.,
Ivan, o mapento.

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

Oh, Ivan, ser mapento is fantastic.Agora, sim. Os mapas (juntamente com os seus comentários) esclareceram completamente minhas dúvidas. Na verdade, o meu desconhecimento era sobre a reinvidicação da Coréia do Sul. Agora eu entendi, esta reinvidicação não é em relação às Senkaku/Diauyu, mas em um ponto mais ao norte da “Zona” declarada pelos herdeiros de Mao.

For fun,

Você deve ter o “Mapa da Mina”

Agora sério,

Por que os mapas do Estado de Pernambuco nunca mostram a ilha de Santo Aleixo?

Saudações

Ivan
Visitante
Ivan

P’ra guardar ela só p’ra gente! 🙂

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

Ivan, a ilha é uma propriedade privada. Só poderemos tê-la se ganharmos na Mega-Sena. Isto se o proprietário tiver disposto de vendê-la.

Abraços

Ivan
Visitante
Ivan

Privada ou não já fui por lá várias vezes, de jangada, de jet e até nos barcos de pesca. Só não fui a nado porque o canal é só p’ra peixe… A enseada protegida, com entrada pelo sul é linda, mas o que impressiona é seu lado nordeste, uma pedra escarpada que mergulha no azul do mar. Se vc der uma volta pela ilha vai ficar impressionado como pode em um espaço tão pequeno ter paredões de rocha de um lado, praias suaves do outro e uma entrada furtiva para uma lagoa sensacional para banho de assento. Mas faz anos… Read more »

ivanildotavares
Visitante
Member
ivanildotavares

Belíssima ilha então, Ivan.

E os coreenses e chinélicos (by MO) brigando por uma rocha semi-submersa (Leodo/Suyan).

Saudações Guararapes