Akaer: novidades à espera do anúncio do F-X2

Akaer: novidades à espera do anúncio do F-X2

153
189

Empresa nacional de engenharia aeronáutica virtualmente desconhecida fora de São José dos Campos antes do programa F-X2, a Akaer surgiu na imprensa como a primeira empresa a se associar ao programa Gripen NG, mesmo sem a garantia que este seria o modelo de caça escolhido para substituir os atuais caças da FAB. “Nosso trabalho conjunto com a Saab, a participação no programa Gripen NG, está completando, agora, um ano. Ao fim deste período já trocamos muita informação com os suecos, criando juntos os planos de manufatura, de investimento, de qualidade, de produção e de engenharia para o novo modelo. Nossos engenheiros, em seus computadores aqui no Brasil, acessam remotamente a rede corporativa da Saab. Para poder fazer isso tivemos que criar novos ambientes de trabalho que fossem seguros, tanto física como logicamente”, contou a ALIDE, César Silva, diretor da empresa.

“Nosso trabalho neste projeto se inicia com o detalhamento (projeto em CAD) do formato final das portas do trem de pouso e de cada uma das peças que compõem as asas e os módulos da fuselagem central e traseira. Depois disso, virá a fase da ‘preparação para a industrialização’, que envolverá a fabricação das ‘cabeças de produção’, ou exemplares de referência (a grosso modo, os ‘protótipos’) dos componentes desenhados no sistema CAD. Nos próximos dias devemos chamar a imprensa brasileira para anunciar formalmente, a ‘liberação da primeira peça’, a conclusão do primeiro desenho 3-D feito no Brasil para a Saab”.

“Sabemos agora, passado este ano, que a Saab já confia muito na gente”, complementa César. Para o diretor da empresa brasileira esta “confiança” é justamente o que os qualifica para receber cada vez mais negócios dos suecos. Eles vêem a empresa brasileira como uma forma de reduzir custos em diversos programas, não apenas no do Gripen NG, sem comprometer a qualidade. A Saab se encontra neste momento desenvolvendo, e fabricando, portas para o Boeing 787, além de diversos outros componentes para os aviões da Airbus.

Perguntado sobre o impacto industrial de uma eventual seleção do Gripen pela Força Aérea da Índia, César disse: “o que nós já tivermos desenvolvido, não fará qualquer sentido recriar do zero, assim, para a Akaer, isso até que seria uma oportunidade de agregar a HAL (Hindustan Aeronautics Limited) como um novo cliente de nossos serviços de engenharia”.

A Akaer faz parte do consórcio brasileiro “T1” que pretende ocupar um novo nicho na cadeia de fornecedores da indústria aeroespacial nacional e internacional. Diferente da Embraer, que visa desenvolver desde o conceito seus próprios produtos, a Akaer e a T1 preferem ser terceirizados de grande escala, assumindo o detalhamento de projeto e a subsequente montagem de sub-conjuntos para grandes fabricantes como a própria Embraer e a Saab.

Perguntado sobre a recente visita do novo CEO da Saab ao Brasil, Cesar Silva contou que “A importância do programa brasileiro da Saab está clara na vinda de Hakam Buskhe ao Brasil, passados apenas 24 dias de ele ter assumido seu cargo. Ele visitou o Ministro da Defesa, Nelson Jobim, para se apresentar e em seguida foi a São Bernardo do Campo para conhecer o prefeito Luiz Marinho, grande entusiasta do programa de fabricação do Gripen NG no Brasil. Em Brasilia Bushke falou à imprensa sobre o interesse de sua empresa de montar aqui um centro de pesquisa que trabalhasse bem de perto tanto da indústria como da academia brasileira. Este centro visa, além do programa Gripen, iniciar desenvolvimentos nas áreas de aviônica, radares e de sistemas de segurança pública, objetivando particularmente os grandes eventos (Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016) previstos para acontecer no país nos próximos anos”. As três áreas enfocadas não são ainda muito desenvolvidas no Brasil e marcam uma importante evolução na base tecnológica do país. Na entrevista de Brasília, a Saab anunciou que o novo centro seria feito em São Paulo, mas após a conversa com o prefeito paulista foi anunciado que ele seria criado em São Bernardo. Em meados de outubro virá ao Brasil o Diretor da Área de Pesquisa da Saab para definir os detalhes deste projeto que deve consumir um investimento entre 40 e 50 milhões de dólares, neste momento uma equipe de suecos está no Brasil desenvolvendo os estudos e os business plans desta nova empreitada.

César disse também que “o NG representa uma mudança profunda no programa Gripen. Para o Brasil a participação direta da nossa indústria neste programa nos daria a capacidade de seguir evoluindo esta plataforma, no futuro, mesmo sem a participação dos suecos. Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil”.

Sobre a sugerida versão naval do NG, César contou que “o trabalho de sua empresa na estrutura do NG já leva em conta a perspectiva de reforço estrutural no futuro, caso seja decidido o desenvolvimento desta nova versão. Ter isto em mente neste momento simplificará muito o trabalho do desenvolvimento do Sea Gripen mais tarde, não partiremos do zero. E só podemos fazer isso porque a Saab já concluiu os primeiros estudos desta variante. Como o Sea Gripen será mais pesado que o NG, a estrutura que estamos criando agora modelo terrestre já levará em conta as demandas futuras, os novos envelopes de carga, as velocidades de descida e de parada, etc. As especificações definitivas de desempenho serão estabelecidas pela Marinha do Brasil, e caberá à Saab refinar o projeto básico para atendê-las”. Concluindo, César falou que “Um dos pontos mais positivos do Sea Gripen é que ele esta sendo pensado para poder usar tanto catapultas tradicionais quanto os ski-jumps, de acordo com a preferência da Marinha. A Embraer, naturalmente, seria a principal empresa brasileira neste programa de criação do Sea Gripen”.

Para além dos projetos com a Saab a Akaer ainda se encontra neste momento envolvida no programa de atualização dos Bandeirantes da FAB junto com a empresa gaúcha Aeroeletrônica. Coube à Akaer aqui ser responsável pelo projeto de modernização estrutural e pela produção dos kits mecânicos e elétrico, empregados neste programa.

FONTE: Alide


189 COMMENTS

  1. E isso tudo pra que?
    Para anunciar que pretendem trazer jacas 2000-9 ?

    Se Capitão Nascimento estivesse aqui, diria:
    “Sr, Ministro, o senhor é um fanfarrão!”

  2. Na minha opinião seria melhor comprar uns 100 Grippens do que sei lá 20 ou 30 Rafales. Não adianta pensar em super vetores com verba de carro popular. Ter para ficar no hangar não adianta nada, depois de comprarem eles não irão aumentar a grana para treinar participar de Red Flag e por ai vai. Não somos um país pobre não, somos um país de visão limitada.

  3. Caríssimos da cúpula governista desta terra de Deus, precisam de mais algum argumento?

    Não existe esfera legal em nosso país que aceitaria argumentos meramente políticos e eticamente duvidosos perante o conteúdo dito acima.

    Espero que [todas] estas esferas sejam imediatamente acionadas caso Brasília decida por Paris.

  4. Caro Edgar, não entendi se vc concorda ou não como meu comentário, não sou expert sou simplesmente um apaixonado por aviação, essa opinião é de umleigo que lê todos os dias o site e realmente esse assunto já “deu no saco” uma hora Grippen outra Rafale e quanto ao Hornet silêncio, meu preferido entre os 3, mas deixa para lá a minha preferencia pois como já disse não sou expert, mas o conjunto de armamentos que o Hornet tem a disposição é covardia.

  5. Espero que o Lula caia na real e desista do Rafale, do que adianta termos um avião de 2 motores que carrega apoximadamente 9,5 toneladas em armamentos se não da para manter.

  6. conversa para impressionar quem nunca entrou em uma industria, acessar banco de dados relativo a projetos não tem complexidade nem comprometimento algum.

  7. “Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil” Simplesmente fantastico, apenas isto, FANTASTICO!

    Se vcs assistirem o video da apresentacao do radar do Gripen, por Bob Mason (Selex) irao perceber que ele menciona que alem da SAAB a empresa irah colaborar com ATMOS do Brasil (ToT), estas sao as unicas tres empresas mencionadas. Alguma outra proposta comtempla isto?

    http://saab.picsearch.tv/?cat=&q=&bandwidth=high&lmediaid=&order=posted&mediaid=Wi_ArLh8vNiSpsJWpL-XbA&page=1

    Ou eh claro, pode-se optar por uma politica de vender bananas, ferro, petroleo e importar o resto, ou no maximo montar aqui…

    []s!

    P.S.:Embora nao saiba, tah com pinta que o Gripen levou esta. Aquela nota na Isto Eh depois da visita do Presidente da SAAB ao Brasil parece desespero do MD p/ influenciar o Nosso Guia. Aguardar p/ ver

  8. Galera com relação ao sea Gripen, eles disseram que aumenta o peso, será que o Sea Gripen conseguiria operar full no A-12 ?

  9. Dranuits, para te ser sincero, eu não havia lido seu comentário até agora.

    Sobre as publicações do blog, é inevitável que este tenha mais conteúdo sobre o Gripen, uma vez que este gera mais conteúdo, é atrativo, é um super projeto e uma super oportunidade para nosso país além de ser a única oferta onde poderemos encher o peito e falar que temos um pássaro de ataque Made in BR. Os componentes importados provém das nações mais confiáveis e com maior linha de produção industrial bélica no mundo.

    Num ambiente repleto de entusiastas, como eu e você, não existe temática que atraia mais informação e sugestão do que algo neste nível.

  10. Ricardo_MGA, o aumento de peso na versão naval do Gripen NG, ou Sea Gripen, seria de apenas 400 kg. Não afeta em nada uma possível operação no A-12.

  11. Pois é Dr. espero que façam um bom ebó acompanhado de boa cachaça para abrir os olhos do nosso Guia.

    Se não funcionar, vai voar galinha e vela preta da oposição…

    Oxalá…

  12. Depois de ler a entrevista com o César Silvam diretor da Akaer, acho inacreditável o favoritismo do Rafale baseado no desejo pessoal de uma pessoa, de forma completamente monárquica, anti-republicana.

    A participação das empresas brasileiras no processo de desenvolvimento e construção do Gripen NG/BR tornaria este mais nacional que o AMX (A-1).

    O Gripen NG/BR de longe é a melhor opção para o Brasil. Nenhum dos outros concorrentes oferece a nossa industria tamanho ganho tecnológico. Como disse Zé não ha mais nada a falar. Só nos resta rezar.

  13. Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil”.

    tanto quanto a Ferrari testar seu Formula 1 em interlagos! promessas realizadas antes da venda e sem vinculo contratual, isso pode se resumir a um ou dois voos do prototipo no pais, e mais nada.

  14. Quem é antigo aqui, já sabe que eu não sou um grande entusiasta da proposta da SAAB..

    Mas mesmo os Rafalistas/Governistas devem dar a mão a palmatória e reconhecer que o projeto vem sendo tocado, aos poucos mas vem.

    Não é lobby, não é trollagem, é um fato..

    Reconheçam isto.

    O ritmo e até onde este projeto será levado é grande questão..

    Francamente eu prefiro arriscar com os suecos, que ter a certeza de problemas com a Dassault.

  15. Engraçado que ouvindo o diretor falar parece que ele está falando diretamente do futuro. Parece que o Gripen já foi o vencedor do FX2. Tomara.

    Mas algumas considerações interessantes:

    1. A Akaer já trabalha a parte estrutural do Gripen NG. Aprender fazendo. Hands on the job. É assim que se faz ToT. O resto é balela.

    2. O Gripen NG já está sendo projetado levando-se em conta sua possível navalização.

    3. O Gripen Naval poderá operar tanto de PAs CATOBAR como Skyjump. Isso é importantíssimo, pois nada indica que o Brasil deixe de operar PAs no estilo norte-americano, e a Índia no estilo russo.

    4. Caso o Gripen seja o vencedor na Índia, empresas brasileiras como a Akaer farão também algumas peças para o Gripen indiano.

    5. A campanha de ensaios do Gripen NG será feita no Brasil. Imaginem isso: podemos em breve ver esta aeronave cruzando nossos céus.

    Guardadas as diferenças, vamos para um “AMX 2”, com muito orgulho.

    Sei que muitos aqui não gostam do AMX como avião e muito menos como projeto, eis que ele realmente custou mais que o F-16, quando se incluem os famosos custos de desenvolvimento. Mas cabe sempre lembrar que a Embraer não seria o que é hoje sem o AMX.

    O dinheiro gasto com o AMX se pagou muitas vezes com o incremento da indústria nacional, e não fossem os cortes de recursos dos anos 90, poderíamos ter hoje um “Little Tornado” poderosíssimo para nosso cenário da AS (talvez um avião de ataque naval?), além de uma indústria de aviação militar em pé de igualdade por exemplo com a avançadíssima indústria italiana.

    Apenas digo que estes que detestam o AMX deveriam igualmente detestar o Dassault Rafale. Pois como este ainda não vendeu para ninguém, seu custo, incluídos os custos de desenvolvimento, é igualmente altíssimo (142,3 milhões de euros por aeronave “limpa”).

    Resta por fim dizer que formulei uma hipótese que pode parecer estranha, mas pode fazer sentido:

    E se a recente conversa com os EAU for uma forma de, comprando alguns dos M-2000-9 daquele país, adoçar a boca dos franceses para que eles não reclamem da quebra de palavra de nosso “grande timoneiro” quando este anunciar o Gripen, permitindo assim aos EAU revender seus M-2000-9, condição sine qua non para que estes adquiram os Rafale?

    Nesse caso ficaríamos com os M-2000-9 no GDA e/ou algum outro esquadrão, e poderíamos aguardar com relativa tranquilidade a chegada do Gripen NG, sem ferir os egos dos franceses, pois estaríamos ajudando-os a vender seus Rafales?

    Improvável? Não sei não. A confiança da Akaer e outras, aliada à confiança de cidadãos como o Sr. Luiz Marinho nos faz antever algumas novidades.

    Que me desculpem os “insiders”, PIAIG, membros do MD e demais rafalechetes, mas se fosse para dar Rafale já teria dado a um ano atrás.

    Saudações.

  16. Para quem não acredita no desenvolvimento e envolvimento de empresas nacionais no Gripen NG, isso é um exemplo de TT real e não simplesmente uma troca de coleira de Americanos para Franceses ou Russos.

    Será que é tão difícil entender ????? Será que é preciso desenhar????

    Ao invés do Governo Federal através do MD e FAB apoiar iniciativas como esta, priveligiará a indústria e empregos franceses.

    Sem mais.

    []’s

  17. Caro Vader

    Concordo contigo, só fasso uma ressalva, caso o Brasil realmente compre os Mirages eles não viram para o Brasil de imediato, apenas depois que os franceses entregarem os Rafaeles ao EAU.

    atte
    Ricardo

  18. Galera! Nós temos que lotar as caixas de e-mail dos senadores da comissão de relações exteriores e de defesa! Bora cobrar pelo Gripen!
    Vou pegar a lista de e-mail dos caras e começar a postar aqui. Tentar não custa, os canais estão abertos para receber a nossa opnião. Vamos cobrar dos caras lá!

  19. Como diria Gisele Bunchen:

    “Se o Rafale não ganhar, saio pelada em NY”.

    Queiramos ou não, o Rafale já levou esta, só falta a entrega.

  20. Olá,

    Vamos ver se depois que(se realmente for) o Rafale for anunciado oficialmente ou o FX-2 for cancelado e comprado um tampax se a disposição Sueca vai continuar.

    Sobre transferencia tecnologica os Franceses inaguraram uma escola na França para engenheiros Brasileiros estudarem os projetos do SBR e aprender na pratica desde a primeira unidade.

    Eles já estão lá, isso é fato…..

    Abraços,

  21. Estou torcendo pelos caras que estão na escola de submarinos, tomara que não ocorra com eles o que ocorreu com a turma de Helibras…

  22. Caro Vader, permita-me a pergunta:
    mas o EAU vão querer o Rafale sem os incrementos solcitados na energia, motor a radar? eles não passam vontade e a Dassault já disse que para ela essas alterações são desnecessárias e esse desenvolvimento demoraria.

  23. Edcreek disse:
    1 de outubro de 2010 às 9:20

    DCNS eu não sei, porque não me interesso pelo assunto e não falo sem conhecer.

    Mas para a Lixocopter vão engenheiros da Helibrás, fazem “cursos” de 3 meses e voltam.

    Para um heli do porte do EC725 em três meses no máximo rola um ground-school.

    Veja o quanto a turma da FAB ficou na Rússia para aprender a manutenir o Hind.

    Se você fora capaz, faça um paralelo, que você vai ver como é mais enganação que ToT.

    A Akaer tem GERADO EMPREGOS NO BRASIL há mais de um ano.

    Não seja tão cego, veja virtudes além do seu interesse.

  24. Ainda há um fio de esperança, segundo dizem fontes próximas ao presidente Lula ele é um tanto rancoroso, e não esqueçe trairagem. Espero que a França faça mais umas duas ou três no âmbito da política externa, algo do tipo que fez no CS da ONU em relação ao Irã, e também na melada que deu no acordo UE e Mercosul. Aliás estão dizendo que o Lula está cozinhando os franceses em banho maria. espero que seja verdade..

  25. Penso comigo que talvez muitas coisas possam se encaixar……………o Governo atual e possível futuro governo tem um “pepino nas mãos”, pois o programa FX-2 tomou um vulto tão grande; que nem o próprio governo esperava essa repercussão; será que um possível futuro governo Dilma aguentaria tantas “desconfianças” sobre um contrato de caças com a França, ainda mais com os custos operacionais mais baixos do Gripen?
    O novo gripen por sua vez, querendo ou não, não é 100% testado;e agora temos um acordo de defesa com os Emirados Árabes e muita “especulação” sobre uma possível compra de vários mirrages…………….será que teremos surpresa no anúncio final do FX-2?
    Algo como: uma vitória do Gripen(que acalma os ânimos de todos), porém com um modelo a ser desenvolvido a longo prazo e os mirrages de “tampão” até o final do projeto definitivo?
    Nesses termos, seria totalmente aceitavel o “tampão” ao meu ver.

  26. poxa GF, façamos os nossos interesses e não dos outros, o Sarkô tem aprovação de 30%, quem garante que essa tal parceria será mantida, confio mais nos suécos, minha opinião.

  27. quis dizer que confio mais nos suécos no sentido de pais mais estável em relação povo/governo, frente aos 30% de aprovação do Sarkô.

  28. Vader disse 08:26

    Uma sacada muito boa esse sua. Realmente isso pode acontecer. Para a Fab imagino que receber esses traço 9 seja um prejuiço imenso. O programa de padronização da Fab seria atrasado por mais uns 15 anos. Os custos operacionais desses Mirages seriam enormes. Sem falar que eles jamais poderiam operar nossas armas. A perda operacional também seria grande. Esses traço 9 são inferiores aos nossos F-5.

    Porém, receber o Rafale seria uma trajédia. Imagino que antes uma bala na perna que uma no cérebro.

    De qualquer forma, tenho certeza que estou discutindo sobre missas com um franciscano, dados os seus conhecimentos demonstrados. Mas eu reintere, sua sacada foi muito boa.

  29. Muita boa sua analise Vader (quando vc fala serio ninguem segura!) penso a mesma coisa: se era realmente para dar o Rafale era para ser em 2009! Se perdeu o momento politico para tal feito, nesse caso os suecos foram espertos estão criando uma industria para disser ” olhe já estamos aqui!!!!” e tal,
    Antes eu dava 100% de chance para o Rafale agora dou uns 30 % e se o resultado do FX indiano for f-18 ou gripen ( na minha opinião brasil e india combinaram de um avião igual para ambos) o resultado do fx- 2 é Gripen na cabeça.

  30. Concordo com aqueles que compreendem a imnportância do AMX para o Brasil, e aqueles que o criticam não tem nem idéia sobre o que é uma indústria aero-espacial. O AMX é um vetor excelente e com certeza ampliou em muito o poder da FAB. Sinceramente, não vejo na AL inteira outro vetor tão eficiente para ataque ao solo do que o AMX. É um avião relativamente barato, facilmente atualizável, com enorme capacidade de carga ( considerando-se seu tamanho) e já provou em exercícios e guerras que é muito capaz de exercer sua amissão e além disso pode se virar sem escolta de caças.
    Da mesma maneira o Gripen NG seria a nossa grande chance de APRENDER a construir nosso próprio caça de superioridade aérea, e aqueles que malham o Gripne dizendo que ” ele não existe” , estão totalmente desinformados. As qualidades do Gripen, vetor que reune eficiencia com custo de operação bem mais baixo, além de participação no processo produtivo, são incontestáveis.
    E igualmetne dizer que ” não se pode confiar nos suecos” é uma tremenda demonstração de ignorância, a Suécia exporta aviões a uns 50 anos com todo o apoio logístico e jamais houve alguém que reclamasse da SAAB. Sua experiência e a confiabilidade de seus aviões é marca registrada.
    Não faz o menor sentido trazer o Rafale ao invés do Gripen…

  31. “” Fabio ASC disse:
    1 de outubro de 2010 às 9:19
    Queiramos ou não, o Rafale já levou esta, só falta a entrega “”

    Desculpe cumpanheiro, mas entrega de que? Das promessas? 🙂

  32. Essa parte da entrevista para mim foi a mais marcante:

    “As especificações definitivas de desempenho serão estabelecidas pela Marinha do Brasil, e caberá à Saab refinar o projeto básico para atendê-las”.

    A estrutura já será reforçada para futuras modificações para versão naval, hummm!!! Quer dizer que a MB já decidiu que quando for substítuir os A4, será o gripen naval, hummm!!!, poderá operar tanto nas Naes modelo americano e russo (Brasil e India) hummm!!!! Já fazem 1 (um) ano a parceria com a Akaer e estão vindo definitivamente com mala e cuia para o Brasil, hummmm!!!! O trem tá ficando bom de mais sô!!! E eles apertaram a turma do cocar sem abraçar, pois a principal alegação é a tal de transferencia de tecnologia, e justamente o que eles estão fazendo sem compromisso = (sem sabe quem vai levar o FX….?), ficou dificil alegar a falta de transferencia, se der outro, vai ter que inventar outra desculpa esfarrapada, e outra coisa, muitos já repararam no tom da entrevista, parece que ele sabe que o Gripen levou essa, masss, será que é para a FAB ou Marinha ou para ambas??

  33. Bom, para as definições do GDA acredito que o F-18SH seja o melhor dos 3!
    Mas a oportunidade de aprendizado oferecida pelo desenvolvimento do Gripen NG é infinitamente superior à do Rafale e do Hornet.
    Agora imaginem se o FX-2 for vencido pelo Gripen NG e se a disputa pelo substituto do MIG-21 também for vencida pelo Gripen NG?!?!
    Estocolmo teria 3 dias de feriados e uma avenida chamada Brasil e outra Índia…rss
    Mas eu não me espantaria em nada se der Gripen NG no Brasil, Gripen NG na Índia (que ao meu ver se encaixa melhor na substituição aos MIG-21 assim como o F-16 também), Tejas na Marinha do Brasil, centro de manutenções dos motores F-414 aqui na GE, assim como na Índia.
    Pena que não dá para rolar um programa conjunto de um caça 5º geração entre Brasil, Índia e Suécia, afinal os indianos já estão firmes no PAK-FA!

  34. Ricardo_Mga disse:
    1 de outubro de 2010 às 9:09

    “caso o Brasil realmente compre os Mirages eles não viram para o Brasil de imediato, apenas depois que os franceses entregarem os Rafaeles ao EAU”

    e

    luiz otavio disse:
    1 de outubro de 2010 às 9:42

    Ricardo e Luis Otávio, se vierem 12 M-2000-9 até 2014 (data limite para o encosto do M-2000 do GDA) é o bastante. Se até 2014 a Dassault não conseguir entregar 12 Rafales pro EAU é que trata-se de uma bela de uma porcaria de empresa mesmo.

    Mas de qualquer maneira, acho que 12 Mirage 2000-9 não fariam muita falta pros EAU.

    Enfim, pode estar surgindo uma triangulação interessante. Ainda acho que mais um tampão seria desnecessário; daria pra FAB aguentar até a entrega do Gripen NG. Mas de qualquer maneira é menos pior do que apostar apenas na problemática rainha de hangar canibalizada francesa.

    Sds.

  35. o obvio que a nova ofensiva dos suecos e porque a data da confirmação do vencedor esta se aproximando, caso a eleição presidencial termine no 1º turno, certamente em alguns dias o governo confirmará a compra dos Rafales, o ultimo suspiro dos suecos.

    Com a perda no Brasil e eventualmente na India, a linha de produção se encerra.

  36. Seria muito interessante conhecer a metodologia da COPAC. Alem dos off-sets, o metodo inclui algum tipo de impacto economico?

    Por exemplo, qual seria o efeito multiplicador dos dolares investidos no Fx-2 na ind. nacional, digo, efeito por dolar?

    Supondo que este valores sejam corretos: http://www.aereo.jor.br/2010/02/04/segundo-a-folha-dassault-diminui-preco-e-lula-escolhe-caca-frances/

    – Rafale: US$ 6.2 bi pacote + US$ 4 bi manutencao, armas…(US$ 10.2 bi) depois do privilegio de renegociar o preco (BAFO do BAFO… MPF?)

    – Gripen: US$ 4.5 bi pacote + US$ 1.5 bi manutencao, armas…(US$ 6 bi) ;

    – SH: US$ 5.7 pacote bi + US$ 1.9 bi manutencao, armas…(US$ 7.6 bi)

    Nao em termos absolutos, porque o pacote do Rafale eh mais caro, mas em termos unitarios?

    Depois do BAFO a SAAB envolveu empresas que nao estavam antes, por exemplo, ATMOS.

    Alguem lembra de alguma empresa REALMENTE envolvida pela Dassault? Por favor, nao vale citar a lista do site do Rafale que inclui empresas, como a Aeroeletronica, que claramente serah favorecida com a vitoria da SAAB.

    []s!

    P.S.: Prezado Leandro, talvez seja boa hora p/ comprar acoes da SAAB AB; jah esteve a 128 (quando preferida da COPAC), agora estah 96, se ganharem aqui sobe facil, facil uns 40%, se ganharem na India… se perderem nao muda tanto.

    “Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil”. Diretor da Akaer sobre o Gripen NGBR

  37. Até parece que o Rafale se sai bem em competições internacionais.
    Até parece que se perder o FX2 a Suécia vai cancelar o Gripen NG…
    Não super-estimem a imprtânica do “Brasil Potência” …

  38. Mario Blaya disse:
    1 de outubro de 2010 às 11:24

    Camarada, seu nome é Ouragan ou Mário Blaya? Cara hora vc posta com um nick diferente, assim a gente se confunde…

  39. Em tempo, quais os prazos para a entrega dos caças para o vencedor da concorrencia após assinatura do contrato?

  40. Vader,

    eu não uso nicks diferentes, os editores tem os IP´s e podem comprovar isso, não me messa por sua propria regra ok!

  41. Mario Blaya disse:
    1 de outubro de 2010 às 11:24

    Qual a data ?

    Ela está se aproximando faz mais de um ano.

    Quem sabe um dia vocês acertam.

  42. Bem que a SAAB poderia oferecer por empréstimo, cobrando apenas a manutenção que for necessaria, 12 gripens C/D. Assim supriria o GDA e daria um voto de confiança ao GF e a FAB, suprindo necessidades imediatas até a chegada dos vetores novos.
    Com certeza marcariam muitos pontos para levar o FX-2!

  43. A SAAB desenvolvendo um NG naval “flex” (catapulta e rampa de esqui), estará criando um produto que terá boa aceitação no mercado, porque além de atender a dois tipos de embarcações, ainda tem preço e manutenção aceitável, fora o fato de ser pequeno, tornando-o ideal para operar em porta aviões. E com desempenho excelente. Pode-se dizer que um NG naval com estas características seria um SH dos “pobres”.

  44. João Augusto disse:
    1 de outubro de 2010 às 9:18
    Galera! Nós temos que lotar as caixas de e-mail dos senadores da comissão de relações exteriores e de defesa! Bora cobrar pelo Gripen!
    Vou pegar a lista de e-mail dos caras e começar a postar aqui. Tentar não custa, os canais estão abertos para receber a nossa opnião. Vamos cobrar dos caras lá!

    Concordo plenamente, eu ajudo com essa iniciativa, derepente a gente enchendo o saco deles alguem verá a importancia que esse assunto tem para nós brasileiros e congelem essa idéia de trazer o rafale pra ca, o dinheiro vem dos cofres publicos devemos mostrar preocupação sim com esse tem.

  45. Rodrigo disse:
    1 de outubro de 2010 às 12:30

    o anuncio será no dia 26 as 14:39hs…
    o fluminense será campeão brasileiro…

    quer os numeros da mega-sena também ou não precisa?

  46. Mario Blaya disse:
    1 de outubro de 2010 às 13:32

    Se você puder me fornecer os nros da Megasena eu agradeço.

    Mas aguardo ainda com mais ansiedade o dia que vocês do DisneyBrasil acertarão a tal data do anúncio do Rafale…

    365 dias errando, não foram suficientes para vocês ? 😀 😀 😀 😀 😀

    _______________________________________

    Se for até compreendo e não tirarei mais sarro para dar um apoio para você!

    O outro amigo revelou quem era e eu não pego mais no pé dele, todos precisamos comer.

    COMENTÁRIO EDITADO. SE TEM UMA PERGUNTA A OUTRO LEITOR, FAÇA DE MANEIRA RESPEITOSA, OU VOCÊ SE ARRISCA A RECEBER UMA RESPOSTA SUBINDO O TOM E, DAQUI A POUCO, OS EDITORES TÊM QUE COMEÇAR A APAGAR INCÊNDIOS.

  47. Todos já sabem que não tenho “favorito” no FX2. (ponto).

    Mas, vcs acham que ainda existe uma possibilidade de não ser o Rafale o escolhido?

    Não venham falar: “enquanto não assinarem, td é possível”.

    Quero saber o que vcs acham de verdade.

    EU acho que não dá pra outro mais.

  48. Além do avião que só existe na prancheta, agora temos um novo tipo por aqui, a versão do avião de prancheta que nem na prancheta tá.

    E já tem gente dizendo o peso adicional… e que o A-12 comporta sem problemas o avião que nem na prancheta está.
    Vai ver que a prancheta do Sea Gripen NG foi feita de fibra de carbono pra ficar mais leve.

    hehehe, sensacional!

  49. luiz otavio disse:
    1 de outubro de 2010 às 9:42

    Caro luiz otavio, o Rafale como está NÃO interessa aos EAU.

    Há uma série de aperfeiçoamentos e modificações que devem ser feitas antes da SUPOSTA venda do vetor para os Emirados.

    Só que nessa suposta venda, há vários empecilhos:

    A França já disse que NÃO precisa dessas modificações;

    A França NÃO tem dinheiro para fazê-las;

    A França NÃO tem dinheiro para comprar os 68 Mirage 2000-9;

    Estima-se que o custo do upgrade seja de 4/5 Bilhões de Euros;

    Estima-se que o seriam necessários 3/5 anos para o seu desenvolvimento;

    Os Emirados NÃO querem pagar pelo desenvolvimento da nova versão;

    Os Emirados já disseram que a futura versão do Rafale (que não vai existir) NÃO será melhor do que os F-16 Block 60 que eles já possuem;

    Nenhum país do mundo irá absorver 68 Mirage 2000-9 caríssimos;

    As modificações são tantas, custosas e morosas que, praticamente torna inviável a venda dos vetores gauleses para os Emirados.

    Tudo isso sem falar que alguém teria que comprar (entubar) 68 Mirage 2000-9, sendo que o último vetor do 2º batch foi entregue em 2005, ou seja, são novos em folha e caríssimos !

    As deficiências do Rafale, segundo os Emirados, são: Radar AESA deficiente, sistema elétrico deficiente, SPECTRA deficiente, incompatibilidade com armamentos usados pelos Emirados ETC ETC ETC…

    Como eu NÃO acredito em Papai Noel, Coelinho da Páscoa, Boitatá…Estou certo que os Emirados NÃO irão comprar nem Rafale, Rafele, Rafile, Rafole, Rafule.

    [ ]s

  50. Olá,
    No caso dos Submarinos as coisas acontecem como o combinado, foi aberta a escola na França e no Brasil o estaleiro é construido.

    Está em contrato que varios itens do Submarino tem que ser fabricados aqui no Brasil, além do que o SubNuc terá apenas ajuda Francesa na costrução ou seja o mesmo será feito aqui em terras Tupiniquins. Temos um exemplo as baterias do SBR, vejam:

    “Um exemplo de parceria na área de transferência de tecnologia é o da Saturnia Sistemas de Energia, com fábrica em Sorocaba (SP). A empresa assinou acordo com o governo francês pelo qual ficou acertado que produzirá as baterias dos submarinos para a Marinha brasileira. Luiz Antonio Baptista, presidente da Saturnia, disse que apesar do acordo existe preocupação de garantir a transferência de tecnologia para a fabricação das baterias no país.

    Antes de conseguir fechar o acordo sugiram dificuldades para a transferência da tecnologia das baterias para a Saturnia, disse Baptista. A francesa DCNS, que tem contratos com a Marinha do Brasil para a construção dos submarinos, teria informado que a bateria original utilizada no submarino não era produzida por ela, mas por uma empresa americana. Essa empresa não tinha interesse em vender a tecnologia.

    Depois de negociações que envolveram a Marinha, chegou-se a um acordo entre a DCNS e a Saturnia pelo qual o grupo francês se propôs a transferir para a Saturnia, a partir de uma unidade na Grécia que fabrica o produto para a Marinha francesa, o projeto básico da bateria. “Em setembro, uma equipe da DCNS e da empresa grega [chamada Sunlight] vem ao Brasil para discutir os detalhes do projeto disse Baptista.”

    LInk: http://www.portosenavios.com.br/site/noticiario/geral/4750-fornecedor-brasileiro-ganha-espaco-no-projeto-de-submarino-frances

    Inicialmente as plantas das baterias do Submarino seriam orginais dos EUA e para varia eles negaram. E com mediação da DCNS houve um acordo com o fabricante Grego.

    A Saturnia cria empregos no Brasil a muito tempo….

    Sobre a escola primariamente é só para desenho e projeto de submarinos e será por 18 meses.

    Voce podem até tentar achar problemas no caso do submarino Frances mas não há que falar, podem procurar. A Marinha adptou o Submarino as suas necessidades pagando um pouco mais por algo melhor.

    Abraços,

  51. Ah, sim, eu não sei se foi nesse post, mas alguém nos lembrou que o Lula é um tanto quanto RANCOROSO !!!

    Bem, levando em conta que isso é verdade, vou relembrar a goleada da França no Brasil:

    Lula intercedeu junto ao Amadinejah pela soltura da estudante francesa acusada de espionagem, Clotilde Reiss.

    Na época, ficou acertado entre Lula e Sarkozy que, assim que a estudante chegasse na França, o Presidente francês iria ligar para o seu homólogo iraniano para agradecê-lo.

    Até hoje, nada.

    Dizem que o Lula anotou !

    Em seguida, ao arrepio do Acordo de Parceria Estratégica, a França votou contra os interesses do Brasil no Conselho de Segurnça da ONU.

    Dizem que o Lula anotou !

    Ato contínuo, esse mesmo Acordo de Parceria Estratégica, foi violado de novo, no caso dos subsídios agrícolas europeus captaneados pela França (vale lembrar que os gauleses são os mais ardorosos defensores das barreiras agrícolas na Europa).

    Dizem que o Lula anotou !

    [ ]s

  52. Vader disse:
    1 de outubro de 2010 às 15:07

    Eu não duvido não, de bobo só a cara e o jeitão de andar, o “home” chegou ao cargo maximo no Brasil não é a toa!!! Não duvido nada que daqui a algumas semanas ele aparece com o boné da SAAB e dando boas noticias, hehehe!!!!

  53. Nessa concordo com o VADER e até pensei a mesma coisa que ele em respeito a compra de M2000-9 para “balançear” e “adoçar” a França quando for anunciado o Gripen, eu particularmente não gosto do Gripen, mas sem ser hipócrita é a melhor das 3 propostas! Só se aprende a fazer fazendo!

  54. Pessoal boa tarde!

    Ao que me parece os cometarios já dão a disputa como Rafale ou Gripen vitoriosos do “FX-Turtles”, Lendo outros Blogs que não menciono por respeito ao PA vejo o SH como vencedor é muito bla bla bla… Muito bela a entrevista da Akaer agora pergunto quem vai financiar este investimento todo, o Cesão falou da parceria já firmada e dos projetos agora quem vai investir na Akaer pelo que sei a SAAB só quer nossos Pré sal-reais e ponto.

  55. VADER disse;
    “E se a recente conversa com os EAU for uma forma de, comprando alguns dos M-2000-9 daquele país, adoçar a boca dos franceses para que eles não reclamem da quebra de palavra de nosso “grande timoneiro” quando este anunciar o Gripen, permitindo assim aos EAU revender seus M-2000-9, condição sine qua non para que estes adquiram os Rafale?
    Nesse caso ficaríamos com os M-2000-9 no GDA e/ou algum outro esquadrão, e poderíamos aguardar com relativa tranquilidade a chegada do Gripen NG, sem ferir os egos dos franceses, pois estaríamos ajudando-os a vender seus Rafales?
    Improvável? Não sei não. A confiança da Akaer e outras, aliada à confiança de cidadãos como o Sr. Luiz Marinho nos faz antever algumas novidades.
    Que me desculpem os “insiders”, PIAIG, membros do MD e demais rafalechetes, mas se fosse para dar Rafale já teria dado a um ano atrás.”

    Vader , que deus , alah, ou qualquer força superior concretize pelo menos a aparte onde vc acha que dará o GRIPEN NG!

    Abraços…

  56. “GSV disse:
    1 de outubro de 2010 às 15:28 quem vai investir na Akaer pelo que sei a SAAB só quer nossos Pré sal-reais e ponto”.

    E a Boing e a dassalt, o que acha que eles querem?

  57. CAL disse:
    1 de outubro de 2010 às 15:37
    “Pelo menos haverá retornos e impostos que ficarão aqui!”

    Ok CAL, mas o que eu quero dizer é que na lista (proposta) dos fornecedores da Boeing ele se compromete financeiramente, já a SAAB conta em muito com o capital do GF para investimento e pelo que sei no caso Akaer em especifico ela não tem “bala na agulha” para tal empreitada (FX-2).
    E os impostos o Marinho já deu isenção (ambito municipal) já PIS Cofins CSLL o Lula não dará!!!!

    Tomara que fiquem aqui…

  58. “Pode-se dizer que um NG naval com estas características seria um SH dos “pobres”.”

    E com uma boa escala, vide os dois NAe’s brasileiros e dos três indianos a serem operados no futuro. Se cada um carregar apenas dois esquadrões, seriam hipotéticos 120 Sea Gripen (48 + 72). Nada mal…

    Mesmo que o projeto de navalização do Gripen custasse US$ 5 bilhões (para Brasil e Índia bancarem), seriam US$ 42 milhões adicionais por aeronave…

    RatusNatus
    “E já tem gente dizendo o peso adicional… e que o A-12 comporta sem problemas o avião que nem na prancheta está.”

    Meu filho, o limite de lançamento das catapultas do A-12 são 20 toneladas. O Gripen NG com carga full (combustível e armamentos) não passa de 16.500 kg. Com os reforços estruturais (que, acredito, não chegariam a 1 tonelada) ele teria um peso máximo teórico de 17.500 kg, ainda dentro das capacidades do A-12…

    A propósito, leu TODA a matéria? Lá está escrito:

    “E só podemos fazer isso porque a Saab já concluiu os primeiros estudos desta variante. Como o Sea Gripen será mais pesado que o NG, a estrutura que estamos criando agora modelo terrestre já levará em conta as demandas futuras, os novos envelopes de carga, as velocidades de descida e de parada, etc.”

    Ou seja, a Saab já tem estudos preliminares do Sea Gripen na gaveta… Não partirão do ZERO caso Brasil, Índia ou Guiné Equatorial que seja decida comprar essa versão…

    Abraço.

  59. Ze, mais uma…

    O papel que o Brasil esta desempenhando no cenário mundial é o mesmo que a França deseja a décadas, porém sem sucesso. Um dos motivos, creio eu, de votar contra no CS…

    Há concorrência de interesses geopolíticos nesta área, provocados pelos próprios franceses…

    Abs.

  60. ZE

    Concordo com você, acho que os EAU não vão comprar os Rafale, é capaz deles (e com a grana que eles tem eu faria o mesmo) optarem por F-35 ou F-15SE…sei lá, mas acho que de Rafale só a França mesmo!

    Quanto ao barbudo realmente de bobo ele não tem nada, pode não ter “anotado” mas que deve ter pulado nas tamancas com os vacilos da França ahh isso ele deve ter feito!

    Em suma, no caso de vitória do NG a SAAB instala uma linha de produção aqui? Ou a EMBRAER vai produzir os NG????

  61. GSV disse:
    1 de outubro de 2010 às 15:43

    GSV o Gripen NG está e continuará sendo, com ou sem Br e In, financiado por um banco sueco cujo nome me foge agora. Não se preocupe, pois eles tem grana suficiente pra financiar 10 projetos desses. Sem contar que a SAAB é superavitária…

    Sds.

  62. Outra,

    Quem iria adorar que fosse desenvolvido o Sea Gripen em complemento ao caríssimo F-35, seria a Marinha de Vossa Majestade, em minha opinião, já que o mesmo pode operar com sky jump, especialidade inglesa.

    Isto sem contar com Itália e Japão futuramente….

    Abs.

  63. Ok Vader, o grupo SAAB é forte, eu falei da Akaer (fornecedor)! pois entre os fornecedores do projeto Gripen NG todos estão contando com $ do nosso GF e não de bancos Suecos para a produção no caso de vitoria do FX-2. A maioria tem capital e porte, já a Akaer eu conheço um pouquinho e sei que precisaria de um belo aporte. O Lula vai financiar esta empreitada? Ninguem falou nisso antes.

  64. Vader, apenas 12 M2000-9? O ideal seriam pelo menos 36, em três bases diferentes (Anápolis, Manaus e Santa Maria)… Só 12 não fazem nem cócegas…

    Se viessem por US$ 30 milhões cada, seria necessário aprox. US$ 1,1 bilhão, e sobraria grana suficiente para entrarmos de cabeça no Gripen NG.

    Se bem que, por essa grana, sou mais 18 Super Hornet ZERO BALA pelo mesmo montante…

    Ah, Tio Sam, mostre que você é confiável e pare de embargar armamentos… Só porque temos ambições em nível mundial?! Só porque temos tecnologia para as bombas A e H? Só porque temos a (potencial) maior reserva de urânio do mundo, além da maior reserva CONFIRMADA de tório? Só porque temos quase 400 milhões de hectares disponíveis, e vocês não? Ou porque temos reservas de petróleo MUITO maiores que as suas???

    Ah, Tio Sam… Colabora, vai…

  65. rodrigo ds disse:
    1 de outubro de 2010 às 15:33

    Hahahahahahahaha…

    Quase caí da cadeira de tanto rir.

    Você se lembra da reivista MAD ????

    Pois bem, eles tinham uma seção chamada ” Respostas Cretin…para Perguntas Imbe…”

    Grande revista. Bons tempos.

    [ ]s

  66. Edcreek,

    Vai entender não é amigo?, os franceses, da França ou seriam de outro lugar?, são diferentes sabia? uns nascem para ser “navalizados”, outros para serem “aeronautizados”… eles recebem educação, costumes e tradições diferentes… rsrssrs, por isso uns cumprem contrato e outros não! entendeu a linha de pensamento de alguns aqui do blog? quando um francês fala a “verdade” (caso do Militar que falou sobre o Rafale) que eles querem ouvir o cara vira um honesto e inteligente ser humano! mas quando não covém… então ele foi concebido do queijo podre… vai entender umas cabeças…
    Nunca passou pela cabeça destes a hipótese de mea-culpa… no Brasil também é assim? (como a França deles) uns nascem para ser militares e honestos, outros para serem empresários e pagarem a conta e outros para serem políticos safados! não existe meio termo! não existe militar corrupto e político honesto!
    Um amigão meu, ex fabiano, agora na ANAC, me relatou as falhas nossa com os franceses também… as “promessas de contrato” que nosso país não cumpriu… os “calotinhos dissimulados” os “amanhã nois compra”… e por aí vai… seria a “má vontade” dos franceses sem respaldo? seriam os franceses amaldiçoados pelo arcanjo Miguel e condenados a agirem como lúcifer? seriam estes todos nefastos? eu não acredito em verdade absoluta nestes possíveis “litígios” FAB/GF/DASSAULT/MF, cada um conta sua versão e diz que tem razão, só lembro que a arma do incompetente/perdedor, é acusar a outra parte, sempre… instinto natural de defesa… ou os 2 estão com um pouco de razão cada… por isso este meu amigo me falou que o mais justo no caso dos franceses/FAB/GF é a mea culpa… minha opinião claro!

    Sds!

  67. Ok Vader, o grupo SAAB é forte, eu falei da Akaer (fornecedor)! pois entre os fornecedores do projeto Gripen NG todos estão contando com $ do nosso GF e não de bancos Suecos para a produção no caso de vitoria do FX-2.

    Caro GSV, ao que eu saiba a Akaer é uma empresa de desenvolvimento e não de produção. Desconheço o motivo da necessidade de aporte, mas se for o caso a empresa tem várias formas de obter capital, desde empréstimos e emissão de títulos até abertura de capital em bolsa. No caso de empréstimos, uma fonte de financiamento comum para estes casos é o BNDES.

    Pela proposta da SAAB o banco sueco vai financiar a compra dos aviões ao governo federal, com 8 anos de carência e juros camaradas.

  68. Leandro disse:
    1 de outubro de 2010 às 15:59

    Boa pergunta.

    Isso ainda não está explícito.

    Mas pela lógica, a linha de produção seria na Embraer, ou em outro lugar, mas com ligação à Embraer.

    Depreende-se isso, pois o que já foi publicado vai nesse sentido.

    [ ]s

  69. Em suma, no caso de vitória do NG a SAAB instala uma linha de produção aqui? Ou a EMBRAER vai produzir os NG????

    Caro Leandro, a EMBRAER vai produzir os Gripen NG. Outras empresas brasileiras farão partes e componentes dos aviões.

  70. “Caro GSV, ao que eu saiba a Akaer é uma empresa de desenvolvimento e não de produção”.

    Isto é uma verdade, e foi dita pelo próprio presidente da AKAER !!!

    Não cabe a AKAER produzir nada. NUNCA coube !

    [ ]s

  71. GSV disse:
    1 de outubro de 2010 às 16:24

    GSV, o que quis dizer é que ninguém está contando com a grana do gf, até porque se for contar com isso o projeto empaca. Os pagamentos pelo Brasil se darão de forma financiada, a perder de vista.

    Sds.

  72. Edu Nicácio disse:
    1 de outubro de 2010 às 16:27

    “Vader, apenas 12 M2000-9?”

    Sim Edu, não gastemos vela boa com defunto ruim. 12 M-2000-9 (filho de mãe solteira com pai bastardo) pro GDA não parar e o resto guarda a grana pra comprar Gripen e “todo o resto” (e é um bocado de coisa).

    Sds.

  73. E só lembrando que eles são bons se não o pessoal vai achar que estou metendo o Pau na Akaer!!! Participaram do desenvolvimento do ST e outros elementos dos jatos executivos da Embraer, portanto possuem know how para um futuro FX-BR!!!!

  74. Francisco AMX fantástica a sua fala. Muito boa mesmo.
    No mais, dúvido que metade do que foi dito no post saia do papel. Isso é marketing, venda.
    O medo que existe por parte do GF e do MD são alusivos aos custos do projeto Gripen, e esse mesmo receio paira sobre o governo Indiano.
    A verdade é que sozinha a SAAB não tem folego para bancar o projeto! lembrem-se que o Gripen da primeira série contou com a participação Inglesa… A SAAB está desesperada atrás de um parceiro. Por um lado isso pode até ser bom para o Brasil, já que ele teria a faca e o queijo na mão… Mas verdade é não existe uma plena confiança nos Suecos… Vejam a trapalhada qu foi a participação da Bae no projeto…
    No mais, os franceses nos ofereceram Know-How não somente no projeto RAFALE em si, mas em outros setores sensíveis. O que tem que ficar bem claro é que: a compra do RAFALE é uma decisão de ESTADO E NÂO DE GOVERNO!.
    Pombas será que “nego” não sabe disso? Fosse o antigo governo o RAFALE também seria escolhido! até porque esse alinhamento com a França vem de alguns anos… o problema é o anti-francesísmo de alguns que não conseguem enxergar isso… o ex-ministro Mangabeira Unger, pessoa pela qual tenho um enorme apreço, já havia “cantado essa bola” a algum tempo atrás…
    O pacote Francês foi de fato maior…isso é inegável… e não estou nem falando em vaga no CS da ONU não… estou falando em modernização de diversos setores sensíveis… Alguns dirão: a… mas eles que tirem o subsídio as produtos agrícolas deles!… eles que abrão o mercado e blá blá blá… se fosse o Brasil, será que faríamos isso?… e porque não pedir para os USA derrubarem uma série de barreiras também? tudo leva a crer que existe sim por parte de alguns, um enorme sentimento de raiva dos franceses… dai tentam a todo custo acharem algo para falar…
    Eu simplesmente não suporto isso!
    Querem exemplos bons de parcerias com os Franceses além dos Subs? vamos lá: Metrô de SP (considerado um dos melhores do mundo), USP, Secretária de Cultura de SP, Escolas de Engenharia em MG, Helibrás, dentres outras que agora não me recordo.
    Enfim está na hora de pararmos com esse anti-francesísmo.
    Temos muito a aprender ainda e, gente disposta à ensinar são poucas.
    Claro, tudo são interesses mas, desde que eles sejam mútuos ótimo!

  75. Francisco AMX disse:
    1 de outubro de 2010 às 16:28

    Chicão, sem querer revolver quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha, penso que o importante é passar a régua e começar uma relação que já não esteja desgastada. Não leva a nada saber quem começou a dar mancada, se foi a França ou fomos nós. Talvez de fato tenha havido erros de ambas as partes.

    E isso vale pros dois povos: americano e francês. O mundo mudou e se uma dessas nações continuar achando que pode desprezar um país baleia como o nosso vai acabar se dando mal.

    O fato é que nós temos é que olhar o nosso lado, pois ninguém mais olhará pela gente.

    Por isso que no âmbito do FX2 sou mais a Suécia, que não tem pretensão global alguma a não ser vender seus produtos.

    Sds.

  76. Os EAU têm dinheiro sobrando e mais que isso, têm a necessidade de operar de forma segura e eficiente num ambiente politico/militar conturbado, com muito aqui já disseram.

    Se nos teste foi percebido que o Rafale se mostrou inferior ao F-16 não imagino que o caça croissant vá ganhar a disputa. A França vai ficar com o mico na mão, o preço do caça deveria ser chamado “custo burrice”.

    Pois foi uma burrice muito grande, que irá ecoar na indústria francesa e no governo por muitos anos, quando eles decidiram apostar num vetor totalmente novo e com o máximo de componentes nacionais.

    O resultado final não poderia ser outro, senão um custo elevadissimo na produção. Será que ninguém previu isso? Ninguém calculou os riscos de produzir sozinho um vetor que tinha por objetivo estar no estado da arte?

    Ficou muito longe do sucesso do Mirrage e suas variantes, não venceu nenhuma concorrência que participou. Ainda assim, pagaremos a sua conta.
    Pagaremos o “custo burrice”.

    Só por curiosidade, alguém ai sabe quanto os paises do Eurofighter gastaram no seu desenvolvimento??

  77. Vader disse:
    1 de outubro de 2010 às 17:03

    ..”.que não tem pretensão global alguma a não ser vender seus produtos.”

    E isso lá não é uma grande pretensão??…kkkk
    Mas sei o que quis dizer.

  78. Prezados,

    antes de mais nada, o vulgarmente conhecido como Lula (Presidente) jamais mandou em alguma coisa…..e imconpetente demais, ou sera q ja esqueceram q este sr jamais concluiu o segundo grau (no meu tempo ginasio). O cara nao conduz, e conduzido por algumas dezenas de pseudo brasileiros e portanto nao sabe nada, nao viu nada e por ai vai………….este e um futuro filhote de titere.

    Vader,
    lembro-me ter comentado que achava muito estranho a visita deste i….. do NJ aos Emirados…..afinal nada a ver por aquelas bandas……..so se for para aumentar a exportaçao de frangos congelados rsrsrsrsrsr neste caso ficaria ate engraçado e nao condizente com o cargo deste Sr., portanto acho q ele foi tentar alguma mutreta pra quebrar o galho , desviar atençoes e atendendo a interesses dos seus muy amigos franceses (o cara e um tremendo Lobista), isso cheira a tranbique e q vamos de alguns 2000-9 ……….nosso pais ja ta com baita divida publica e o futuro economico no medio prazo ta comprometido (acima do equador as potencias estao quebradas e nos estamos na contramao) portanto, ja ja teremos tremedeira, ja vi este filme antes . Qdo a fonte secar………BUMMMMMMMMM Copa do mundo e Olimpiadas j xiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii um tremendo desastre. Adeus FX2, FX3, Subs, ou qualquer outro investimentop nas Fas………………

    Ed e outros,

    com todo respeito meu,,,,,,,acordemmmmmmmmmmm rsrsrsrsr

    Sds

  79. O pacote Francês foi de fato maior…isso é inegável…

    Senhores, apenas como referência:

    -> Rafale – 2500 homens/ano de trabalho para as empresas nacionais

    -> Gripen NG – 22000 homens/ano de trabalho para as empresas nacionais

    A única coisa maior no “pacote francês” é o preço.

  80. Em tempo,

    Com absoluta certeza de todos os paises finalistas deste FX2, a Suecia e o parceiro mais confiavel no ambiente dos negocios.
    E tenho muita experiencia neste cenario de negocios internacionais para afirmar isso.

    Sds

  81. -> Rafale – 2500 homens/ano de trabalho para as empresas nacionais

    -> Gripen NG – 22000 homens/ano de trabalho para as empresas nacionais

    Pove-me por A + B essa sua afirmação! Mas por A + B mesmo! com número reais amigo! não invenção de Frustrado do ITA! número reais mesmo! Oficiais e com firma reconhecida rsrsrsrs

  82. Ouragan,

    Calma, calma…….rsrsrsrrsrsrsrrs ce ta stresado ????…….vai pescar meu, aproveita q hoje e sexta feira e aproveita tbm pra justificar ausencia nas eleiçoes desta q eh o maior circo do mundo e onde nao somos com certeza expectadores.
    hehehehheheheheheheh

    PS; com certeza _______________________ kkkkkkkkkkkk

    Sds]

    EDITADO

  83. Celsão meu irmão… to bem tranquilo… bem tranquilo mesmo… só que dói a gente ler certos comentários aqui e pensar que esses indivíduos votarão domingo….
    Quanto ao ITA nunca tive vontade… Conheço-o já estive lá mas nunca me passou pela cabeça um dia estudar lá…______________________

    EDITADO

  84. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 17:00

    “O medo que existe por parte do GF e do MD são alusivos aos custos do projeto Gripen, e esse mesmo receio paira sobre o governo Indiano.

    Medo este que o gf (minúsculo) não irá passar com os franceses… com eles é uma CERTEZA…

    “A verdade é que sozinha a SAAB não tem folego para bancar o projeto!

    Mário, além de “assessor do MinDef” você também é conhecedor das contas da SAAB, do Reino da Suécia e do banco sueco que financia o projeto? Caramba!!! Tú é bom mesmo hein camarada? 🙂

    “lembrem-se que o Gripen da primeira série contou com a participação Inglesa”

    Até aí o F-35 também conta, inclusive com a própria BAe…

    “A SAAB está desesperada atrás de um parceiro”

    Vamos deixar uma coisa clara: hoje em dia quem não se associa com um ou vários parceiros não tem mercado. A Suécia percebeu isso em tempo. A França não.

    “Vejam a trapalhada qu foi a participação da Bae no projeto”

    Não sei porque trapalhada. Duas empresas privadas, com um projeto comum. Concluído o projeto, finda a parceria. Qual a trapalhada?

    E ah… recordar é viver… e a (aí sim) trapalhada Dassault/Embraer no FX original? Essa póóóóóóóóóódi né? 🙂

    “No mais, os franceses nos ofereceram Know-How não somente no projeto RAFALE em si, mas em outros setores sensíveis”

    Evidências? Provas? Fatos? Indícios sequer? Não há.

    No mais é de se perguntar: o que será que os franceses poderiam nos oferecer que apenas eles tem e que seja impossível aos outros oferecerem?

    Será que eles sabem onde se esconde o Santo Graal? A Arca da Aliança? A Lança de São Longuinho? a Espada Excalibur? 🙂

    “O pacote Francês foi de fato maior”

    De novo: Evidências? Provas? Fatos? Indícios sequer? Não há.

    “e não estou nem falando em vaga no CS da ONU não”

    Então você está falando do que? Colonização de Marte? Construção de uma frota estelar? Fundação de cidades no fundo do mar?

    “estou falando em modernização de diversos setores sensíveis”

    E cadê essas propostas meu amigo? CADÊ? ONDE ESTÃO?

    E de novo: o que sabem os franceses que ninguém no mundo inteiro mais sabe? Será que eles sabem onde se esconde a Múmia de Quéops? O último dos dinossauros? O chupa-cabra? Será que eles e apenas eles mantém contato com entidades alienígenas? Seres do além?

    Porque será que SEMPRE que a discussão aperta e vocês ficam sem argumentos, vocês “insiders” apelam a fatos recônditos e subliminares a que só os “entendidos” tem acesso?

    E de novo lhe pergunto: se só vocês entendidos tem acesso, e logo só vocês tem certeza, porque perdem seu tempo tentando convencer-nos disso sem qualquer evidência a corroborar suas afirmações? Não se cansam de exigir fé de quem demanda apenas a lógica?

    “e porque não pedir para os USA derrubarem uma série de barreiras também?”

    Tá vendo como a gente sempre pega o Diabo, seja pelo cheiro, seja pelo rabo? 🙂

    O problema de vocês é que não conseguem sequer formular um único raciocínio sem meter os EUA no meio! Aí a gente já “ganha a fita” facinho de com que tipo estamos a falar! Aí a credibilidade de vocês vai pro vinagre fácil, fácil…

    Quer dizer que porque os EUA não tiram os subsídios deles, a França não vai tirar os dela? Um erro justifica o outro? E dane-se a tal “parceria estratégica” que é TAMBÉM econômica?

    Parceiro pra mim é parceiro! Ponto final! Não tem “meio-parceiro”, é que nem “mulher meio-grávida”! Ou é, ou não é!

    “tudo leva a crer que existe sim por parte de alguns, um enorme sentimento de raiva dos franceses”

    Não de minha parte: pra mim não fedem nem cheiram (?). Gostaria de conhecer, mas não seria meu primeiro destino turístico.

    Mas será que não é o mesmo tipo de sentimento que vocês sentem com os EUA? Vocês podem, os outros não? Só vocês podem “não gostar” de alguém?

    “dai tentam a todo custo acharem algo para falar”

    Missão essa bem facilitada por nossos gloriosos “parceiros”…

    “Eu simplesmente não suporto isso!”

    Hehehe, como diria minha avó: “tire as calças e pise em cima”, rsrsrs…

    “Metrô de SP (considerado um dos melhores do mundo)”

    Ôô… os gigantescos 60 km de metrô mais caros do mundo…

    “USP”

    Sem deméritos, é a nossa melhor, mas ainda assim está no final da lista das 150 melhores do mundo…

    De qualquer maneira, não entendi o que a França tem a ver com a USP…

    “Secretária de Cultura de SP”

    Também não entendi…

    “Helibrás”

    Dessa aí o nosso amigo Rodrigo pode falar melhor do que eu…

    “Enfim está na hora de pararmos com esse anti-francesísmo”

    De novo: só vocês podem ter “anti-ismo”???

    Sds.

  85. Caro
    Edcreek disse:
    1 de outubro de 2010 às 14:50

    Que bom !
    Pelo menos saberemos fazer baterias para subs, certo, não é beeeeemmm a original (norte-americana) mas tá quase lá, é pois é, venderam a bacalhoada, só que esqueceram de combinar com o bacalhau, tsc tsc tsc …

    Com relação aos embargos, são decorrentes de uma série de posições adotadas pelo Brasil nos fóruns mundiais, não quer ser embargado ? Então estude e desenvolva o seu produto !!! Aliás o vídeo do Brg. Venâncio no fundo quer dizer isto !!!
    Não creio que se fizermos tudo direitin, sejamos embargadin, basta que o nosso salve salve SALVE GF não estrague as coisas …

  86. Caro Ouragan, para quem se diz oficial de carreira e funcionário do Ministério da Defesa, você me parece bastante desinformado sobre o processo FX-2.

    Estes números não são de “frustrados” do ITA. Na verdade não são nem da FAB, e nem mesmo dos concorrentes ao FX-2. Os números vem diretamente as empresas nacionais que tem MoUs assinados como parte do programa.

    Como você deve saber (ou provavelmente não), cada concorrente entrega a FAB os MoUs assinados com as empresas nacionais como parte da proposta. O que a FAB fez então foi consultar cada uma dessas empresas solicitando que estimasse o número de homens/hora envolvidos nas atividades previstas no MoU. Desta forma foi possível estimar a quantidade de trabalho real prevista em cada proposta.

    Esta é uma novidade neste processo. Ao que eu saiba é a primeira vez que a COPAC faz uma estimativa deste tipo, e ela nem estava prevista na RFP. No entanto a principal finalidade do relatório da FAB é subsidiar a decisão do presidente da república, e sabendo que o presidente é sensível a este critério a FAB decidiu levantar esta informação.

    Sobre provar esta afirmação, se você é realmente quem diz ser então certamente não terá dificuldades em checar a informação no relatório, ou então perguntar diretamente ao Brigadeiro Amaral ou a um dos seus subordinados.

  87. Alguem aqui levantou um fator muito importante:

    Sarkozy esta com apenas 30% de popularidade. Lula esta com mais de 80% e _____________. Nao faz mais sentido pro nosso presidente continuar babando ovo do baixinho gaules.

    Lembrando que tambem fechamos acordos com norteamericanos, ingleses e italianos nos ultimos meses!

    Vader, acho que nem precisamos comprar os Mirage 2000-9 dos EAU pra “adocicar” a França! Podemos corta-los sem medo e, se engrossarem o caldo, colocamos o negocio dos submarinos, escoltas e helicopteros na mesa e perguntamos o que mais eles querem perder…

    A grande verdade é, nao precisamos da França pra nada.

    EDITADO

  88. VADER
    USP”

    “Sem deméritos, é a nossa melhor, mas ainda assim está no final da lista das 150 melhores do mundo…

    De qualquer maneira, não entendi o que a França tem a ver com a USP…”

    A titulo de informação ( desculpa o off topic), a USP foi fundada com a parceria francesa, como estrutura, e os primeiros professores sendo a grande maioria francesa. Outra coisa, o fato da USP estar em 150 no ranking nao muda muito para a que esta em 50.. o problema é que o brasil só possui duas universidades listadas no rankings das 500 melhores- USP UNICAMP, e isso é referente ao todo. em areas especificas, por exemplo, a unicamp nao de ve nem a melhor do mundo-americana harvard- como na area de pesquisa de tecnologia de combustiveis… A propria Politecnica dA USP tem esse nome devido a poli tecniq francesa ( nao sei escrever frances kkk)…
    abraços a todos

  89. Vader titio já falou: passa lá no MinDef, que te montam uma cartilha explicativa sobre política internacional, política de estado e relações internacionais… Bem simplesinho assim… dai você passeia pelos corredores, conhece gente e no final você ganha uma bisnaguinha Seven Boys com um copo de Groselha!

    PS: se você não é antí-francês eu sou napoleão bonaparte! Acho que você está assistindo muito Holywood… que tal Luc Besson? Godar? Ingamar Bergman? Bertolucci? Werner Herzog? são bons também.

  90. Grifo e você acreditou piamente nesses número? 22 000 ? amigo… prefiro acreditar mais nos Franceses quando eles dizem 2 500… na boa se você entende de projetos, mercado e gestão, deve saber que isso é pior que Alice no País das maravilhas… enfim, “em terra de cego quem tem olho é rei.”

  91. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 18:14

    Opa!! Eu quero ir no Ministerio da Defesa, ainda ganha “comes e bebes” !!! Como se increve para uma visita, quem sabe não podemos fazer uma excursão. Quem sabe podemos conhecer pessoalmente o excelentissimo senhor Ministro das Forças Armadas e pedir um autografo e entregá-lo um documento do Tribunal de Contas da França, talvez ele não tenha lido, rsss!!!

  92. Grifo,

    então pelos numeros que você apresentou os numeros do sueco são melhores porque para cada aparelho teremos 3 dias e meio de trabalho aqui no Brasil. E o Rafale, teremos 8 horas por aparelhos.

    esses numeros certamente são baseados na experiencia que nos já temos na fabricação de aparelhos semelhantes não é mesmo?

  93. “Quem sabe podemos conhecer pessoalmente o excelentissimo senhor Ministro das Forças Armadas”

    Amigo… nem eu conheço o Ex.Sr. “ministro das forças armadas”… e até onde eu sei esse cargo existe?

  94. Amigos,

    Os suecos devem estar considerando todos os possíveis empregos indiretos, não é?

    E talvez somados com os efeitos de “spin off”?

    Vinte e dois mil trabalhadores não é muito mais do que a própria SAAB tem na área de defesa?

    Imaginem quanto custaria pagar por essa mão de obra toda se fosse relativa aos empregos diretos…

    Abraços,

    Justin

    “Justin Case supports Rafale”

  95. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 18:31

    Ministerio da Defesa = Ministerio das forças armadas = Ministerio das três forças (Exercito, Força aerea e Marinha) ato falho, rsss!!!, pô, você não conhece o nersão?? mas e aí como entrar em contato para essa visita, é sério, não é piada não. Quando estava na universidade visitavamos Itaipú (tbm Paraguai, rsss!!), Embraer e quem sabe agora o MD.

  96. Os suecos devem estar considerando todos os possíveis empregos indiretos, não é?

    Caro Justin Case, não são os suecos. Os números foram levantados diretamente junto às empresas nacionais, sem participação da SAAB.

    E talvez somados com os efeitos de “spin off”?

    Não são considerados, são apenas as atividades feitas diretamente pelas empresas que se associaram a cada concorrente.

    Vinte e dois mil trabalhadores não é muito mais do que a própria SAAB tem na área de defesa?

    Não são 22 mil trabalhadores, são 22 mil homens/ano. Por exemplo, em um espaço de 8 anos seria em média 2750 empregos em todo o período. No caso dos franceses, considere aproximadamente um décimo disso.

  97. Vader disse:

    “E isso vale pros dois povos: americano e francês. O mundo mudou e se uma dessas nações continuar achando que pode desprezar um país baleia como o nosso vai acabar se dando mal.

    O fato é que nós temos é que olhar o nosso lado, pois ninguém mais olhará pela gente.

    Por isso que no âmbito do FX2 sou mais a Suécia, que não tem pretensão global alguma a não ser vender seus produtos.

    Sds.”

    Respeito completamente este seu ponto de vista, Vader.
    Mas a questão que eu coloquei é sobre a França ser taxada de maléfica… o incompetente… e o resto (USA, GB, Suécia, Alemanha) serem os “bacaninhas”…
    De que o Rafale é Lixo, o Caracal ser lixo… isso só vem da boca de quem é comprometido com algo ou não sabe nada do que fala! uma coisa é ser caro e ter razão de ser, mesmo que não justifique se pagar por tal, outra é caracterizar o trabalho de uma nação/povo/empresa que revolucionaram os setores que pertencem de Lixo!
    Tu já me viu chamando o SH, Gripen, NG, AMX, F-5M de lixo? não! e nunca verá!

    Sds!

  98. Grifo e você acreditou piamente nesses número? 22 000 ? amigo… prefiro acreditar mais nos Franceses quando eles dizem 2 500…

    Caro ouragan, os números são levantados diretamente pela FAB junto às empresas nacionais. As mesmas empresas fornecem os números para cada concorrente. Por exemplo, a AEL disse quantas homens/hora ela teria se o escolhido for o Rafale, quantas caso seja o Super Hornet, e quantas se o escolhido for o Gripen NG.

    Quando eu encontrar com o Amaral novamente, eu pergunto para ele…

    O brigadeiro é um homem de extrema paciência e tenho certeza a conversa será esclarecedora.

  99. Grifão meu irmão faça assim: encontra com o Fred Curado, apresenta isso para ele e veja o que ele te falará!
    Dai quem sabe voltamos a discutir isso.
    Abs e ótimo final de semana!

  100. grifo disse:
    1 de outubro de 2010 às 18:49

    eu errei na unidade, são 25 dias por aparelho sueco e 3 dias para o rafale, o que não representa nada em termos de produção.

    agora eu gostaria que vc me explicasse esse numero, o que são 22.000 homens anos? acho que vc esta falando de 22.000 horas/homem ano. bom ai daria os 25 dias por aparelho.

    ou seja quase nada! vc acha que vale a pena medir a segurança do pais por 25 dias de trabalho por aparelho?

    outro ponto, horas homem e uma coisa, mas qual seria a qualificação para esse trabalho, somente ajustagem, desenvovimento ou limpar o piso da fabrica, esses numeros são muito vagos para se fazer comparação ou avaliação?

  101. grifo,

    vc disse que os numeros são da FAB, bom esse relatorio esta disponivel ao publico? onde posso acessa-lo?

  102. Caro Mario Blaya, 22 mil homens/ano correspondem a aproximadamente 140 mil dias/homem de trabalho por aparelho, considerando 36 aparelhos e 230 dias de trabalho por ano.

    Independente da qualificação, trata-se de um cidadão brasileiro empregado e este é a preocupação do presidente da república. Considerando que os franceses oferecem quase 10 vezes menos, entende-se o engajamento da CUT e do companheiro Luiz Marinho nesta causa.

  103. Como eles já estão aí mesmo, então fecha com o F 18 Super Hornet mesmo, aí ganharemos nas duas frentes.

  104. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 18:14

    Prezado Tio Uragan, hehehe, fica nervoso não, apelou perdeu! 🙂

    Dados, cidadão… Dados… Fatos… Evidências… Indícios (que seja)…

    Senão, vai trollar pra lá… 🙂

    Aqui comigo não vale “argumento de autoridade” valeu? Até porque, cá pra nós, até que eu veja sua funcional você é tão “ilustre anônimo” quanto o resto de nós…

    PS: não sou antifrancês, apenas não gosto de ver meu país ser feito de trouxa.

    PPS: não assisto cinema de ______________. Nada contra, mas é uma questão de gosto, penso eu… 🙂

  105. Off-topic, mas dentro do contexto do tópico

    Enquanto isso no tão propalado e elogiado PROSUB :

    “Um exemplo de parceria na área de transferência de tecnologia é o da Saturnia Sistemas de Energia, com fábrica em Sorocaba (SP). A empresa assinou acordo com o governo francês pelo qual ficou acertado que produzirá as baterias dos submarinos para a Marinha brasileira. Luiz Antonio Baptista, presidente da Saturnia, disse que apesar do acordo existe preocupação de garantir a transferência de tecnologia para a fabricação das baterias no país.

    Antes de conseguir fechar o acordo sugiram dificuldades para a transferência da tecnologia das baterias para a Saturnia, disse Baptista. A francesa DCNS, que tem contratos com a Marinha do Brasil para a construção dos submarinos, teria informado que a bateria original utilizada no submarino não era produzida por ela, mas por uma empresa americana. Essa empresa não tinha interesse em vender a tecnologia.

    Depois de negociações que envolveram a Marinha, chegou-se a um acordo entre a DCNS e a Saturnia pelo qual o grupo francês se propôs a transferir para a Saturnia, a partir de uma unidade na Grécia que fabrica o produto para a Marinha francesa, o projeto básico da bateria. “Em setembro, uma equipe da DCNS e da empresa grega [chamada Sunlight] vem ao Brasil para discutir os detalhes do projeto”, disse Baptista.

    Segundo ele, a empresa terá de investir entre US$ 1,5 milhão e US$ 2 milhões para ampliar a fábrica de Sorocaba e produzir as baterias dos novos submarinos. No passado, a Saturnia produziu as baterias para os submarinos convencionais do tipo IKL-209, desenvolvidos no Brasil a partir da importação de uma unidade da Alemanha. No acordo com a Alemanha, houve transferência de tecnologia e as baterias foram feitas no Brasil. Procurada, a DCNS disse que não iria comentar o assunto. Para o almirante Fragelli, é importante que a Saturnia obtenha a transferência de tecnologia da Sunlight.”

    “Entre especialistas, há quem acredite que um das dificuldades para a transferência de tecnologia estaria no fato de que o estaleiro que vai produzir os submarinos seja controlado pela DCNS. A DCNS, controlada pelo governo da França, formou uma sociedade de propósito específico (SPE) com a Odebrecht para a construção dos submarinos. A SPE, chamada de Itaguaí Construções Navais (ICN), tem como acionistas a Odebrecht, com 59%, e a DCNS, com 41%.”

    Huuuuummm isto está me cheirando Helibrás …. o que vocÊs acham ????

    Fecharam o contrato e agora a DCNS vem a público dizer, que quem faz as baterias do SCORPION é uma emprêsa norte-americana e vejam só:

    “Essa empresa não tinha interesse em vender a tecnologia.”

    Vejam só, não há embargo(s) apenas a emprêsa não quis vender a sua tecnologia.

    Nada mais …

    Venderam bacalhoada, só que esqueceram de combinar com o bacalhau …. rsrsrsrsrs

    Isto é exemplo de projeto bem tocado ??????

    Desculpem, mas não resisti, isto são dados, fatos, resto é trollagem (como diz o nosso caro Vader)

  106. grifo disse:
    1 de outubro de 2010 às 19:13

    grifo pensa um pouco nos seus numeros ok!

    140 mil dias/homem e uma vida inteira!

    não existem esses numeros. 22.000 homens/ano significa que 22.000 homens irão trabalhar um ano. ou seja uma Volkswagem inteira para produzir 36 aviões, e note que boa parte desses aviões virão de fora, então são 22.000 homens trabalham apenas em uma parte dos aparelhos.

    seus numeros precisam de uma fonte de confirmação!

  107. Se o GRIPEN NG for o escolhido como futuro caça da força aérea, a AKAER conseguiria uma boa fatia do mercado atuante,talvez resultando em uma projeção considerável nas Américas.

    Agora,imaginem a apreensão da EMBRAER torcendo pra vitória do Rafale.
    Frederico Culry ,já deve ter infartado

  108. “PPS: não assisto cinema de baitôla. Nada contra, mas é uma questão de gosto, penso eu…”

    Aprendi assistir esses filmes em CPS… e gostei admito.

  109. sem despertar revolta nos senhores presente no blog,vou manifestar minha humilde opiniao…sempre apoiei o rafale mas nos ultimos dias devido as puxadas de tapetes que recebemos dos franceses estou mudando minha opiniao,que tal ficarmos com os 60 M2000-9 mais projeto de sua turbina como tampao e entramos de cabeça no ng assim a Dassalt vende seus vetores para o povo do petroleo e nos saimos do Abacaxi segundo alguns especialistas.

  110. General

    “Agora,imaginem a apreensão da EMBRAER torcendo pra vitória do Rafale.”

    Não entendi !!!

    Sê a Embraer terá muito mais a ganhar com o Gripen-SAAB, porque torcer pelo RAFALE-ASSAULT (Digo Dassault, hehehehe)

    Totalmente fora de nexo !!!

  111. SU35

    Depois de ministro francês dizer que exportações do Brasil são “LIXO” e do histórico do suporte francês aos Mirage BR, digo-te “NÃO”, podem ficar com eles nos EAU !

    Sê formos para “TAMPAX 2.0 0 Retorno” melhor F-16, F-18 ou Gripen C/D, francês de novo “NÃO” obrigado !!!

  112. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 20:22

    “Aprendi assistir esses filmes em CPS… e gostei admito.”

    Hehehe, tá vendo Uragan? Campinas também tem “curtura” pra todos os gostos, rsrsrs…

    Temos uma cidade compreensiva… para todos os gostos… 🙂

    PS: E os dados? Fatos? Evidências? Indícios? Nada? Pessoal do “bunker” não libera você pra nos ensinar nada que preste? Só filme do “Bundard”? 🙂

  113. “Temos uma cidade compreensiva… para todos os gostos…”

    Concordo… Campinas é bemmm compreensiva e acolhedora rsrsrsrsrs bem meiga também rsrsrsrs enfim…

    Evidências você pede… hummm A turma de engenheiros da marinha que está em curso na França é uma delas? hummm a abertura de escolas técnicas no Brasil é uma delas?
    Titio já falou para de assistir trasnformers…

  114. Curvo

    A Embraer pode até ter muito mais a ganhar com o Gripen,mas a Dassault detém açoes da EMBRAER, então minha argumentação não está totalmente fora de nexo.Falou???

  115. Caro Ouragan

    Quanto ao PROSUB, tão propalado e dignificado favor ler meu post, e dar a sua opinião, estou seguro de que será muito esclarecedora, aliás devo acrescentar :

    Huuummm projeto vai muuuuuuito bem realmente, primeiro fecha-se a compra depois vai se ver quem vai participar ….

    Depois não venham a reclamar, depois de tantos anos de trabalho e de estudo, fico impressionado com isto !!!!

    Se alguém (ZE, Rodrigo) já trabalhou em projetos da indústria privada ou não, me responda é assim que se faz ?????

    Ou o correto é verificar-se tudo antes, para não levar grego por norte-americano ??????

    Entre os dois projetos, na minha humilde opinião, digo que o que mais se assemelha a um padrão profissional é o da FAB – Embraer, quem quiser me convencer do contrário, esteja à vontade …

  116. Falou, maaaaaaaaaassss, o WIKIPEDIA diz que :

    Em 14 de fevereiro de 2007, a empresa EADS vendeu sua participação acionária de 2,12% da Embraer por 124 milhões de euros.

    É só pesquisar, FALOU ????!!!!!!!!!!!

  117. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 20:55

    “Evidências você pede… hummm A turma de engenheiros da marinha que está em curso na França é uma delas? hummm a abertura de escolas técnicas no Brasil é uma delas?”

    Uai, que coisa, achei que estivéssemos no Aéreo! Será que me enganei? Pensei que estávamos a falar de FX2!

    Deixa de ser leso rapaz! Me mostra alguma coisa que prove algo do FX2!

    Faz o seguinte ó: me mostre o preço do Rafale pro FX2. Já me dou por satisfeito. Mostra? Mas quero algo documentado, nada de trollagem a la PP.

    Ou melhor: mostra a proposta de armamentos da França pro FX2. Pode ser?

    Só me dá isso: o preço e as armas.

    Ou então, como diria João Nogueira: “vá jogar as suas redes das duzentas para lá”…

    Você não tem nada Sr. Ouragan, deixa de ser farsante… 🙂

  118. “Huuummm projeto vai muuuuuuito bem realmente, primeiro fecha-se a compra depois vai se ver quem vai participar ….”

    Pelo o que eu acompanhei do processo e admito que foi pouco, não foi bem isso o que aconteceu… Até porque as relosutivas foram dadas antes do fechamento do contrato…

    “Em setembro, uma equipe da DCNS e da empresa grega [chamada Sunlight] vem ao Brasil para discutir os detalhes do projeto”, disse Baptista.”

    Ou seja as baterias serão produzidas, seja grega ou americana… O que importa é que se produza e isso será feito não é mesmo?
    Concordo que foi no mínimo estranho, de fato.

  119. Ouragan,

    Perdoe minha brincadeira, nao foi este o objeto do meu comentario.
    Antes de mais nada, se vc fosse meu irmao eu c certeza ficaria muito orgulhoso em te-lo na familia rsrrsrsrsrsrsrsrsr, porem………..
    Se vc leu e entendeu o q escrevi, saiba q eu tbm me considero frustrado por nao ter podido entrar no ITA, mas nem por isso virei burro e ignorante .
    Mas nao fiquei magoado nao viuuuuuuuuuuu a vida me proporcionou outras alegrias e assim estou ate agora. Saiba tbm q nao arroto nenhum conhecimento pois ate hoje ainda aprendo muito. Muito menos tento me apresentar como detentor de alguma carteira ou titulo ou principalmente como alguem amigo de algum amigo detentor de poder.

    Alias, como pessoa etica , honesta cumpridora das leis e ha mais de 45 anos ainda pagando exorbitantes impostos, to esperando sentado o pais que ja ajudei a construir e do qual vc deve estar comodamente apreciando………..como BARNABE. Aproveita e veja se sabe de onde e o que representa a palavra RES PUBLICA……… ( e latin viuuuu……rsrsrsrsrsrrsrsrs ) agora ve se fica na sua e RESPEITE a opiniao e comentarios dos demais, visto q por aqui com certeza ninguem e dono da verdade absoluta.

    Sds

  120. Vader, Ze, Grifo, etc..
    Encomenda dos Gripens E/F BR:
    Lote inicial – 36 anvs.
    Lote subsequente – 52 anvs.
    Total – 88 anvs.
    Gripen Naval – 24 anvs.
    Entrega inicial para a FAB – 12 anvs em 2016.
    Voces terao boas noticias dentro de poucas semanas.

  121. “O pior cego é aquele que não quer enxergar”

    Farsante? você me pediu EVIDÊNCIAS que comprovem o Know-How assumido pelo governo Francês junto ao Brasil… O Sr. é tão obtuso que não consegue enxergar que essa parceir transcende o projeto FX-2… a compra do RAFALE nada mais é do que o fechamento de um grande acordo entre as duas nações soberanas e democráticas… O Sr. não consegue enxergar que alguns alunos de engenharia da USP estão indo estudar em escolas técnicas na França Sr. Felipe.. o Sr. não consegue depreender que, além de ToT ligado à áerea de aviação militar, nós estamos tendo outras parcerias… nós aprenderemos o Know-how e Know-Why Sr. Felipe de uma nação que a muito decidiu ser “independente” e desenvolver a sua industria militar de forma autônoma e eficaz Sr. Felipe…
    No mais não gastarei mais meu tempo com o Sr. Sr. Felipe… o Sr já se mostrou quem é a tempos… e como disse um grande mestre: ”
    NÃO DÊ PÉROLAS AOS PORCOS”
    Sr. Felipe um ótimo final de semana e uma próspera vida.

  122. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 21:15

    Ah Ouragan, assim não, vá, piada não vale… 🙂

    Brasileiros vão estudar na França desde que aquele país era uma monarquia cara… Quid novi?

    Alunos da USP? O sr. tá de sacanagem? Santos Dumont não só estudou como fez carreira lá! Nós já tivemos Presidente da República que era professor lá! Eu tenho parente que estudou na França meu camarada! Isso muda o que? Qual a grande novidade? Qual é a “grande parceria estratégica”????? Oras…

    Fiz uma pergunta simples para um “insider” como o Sr! Responde aí, oras! O Sr. não é “assessor do Min Def”? Não é o Bidú, sabe-tudo cheio de informações? Só me responda essas, do alto de seus privilegiadíssimos conhecimentos de “insider”:

    1. Qual o valor total do FX2?
    2. Quais as armas da proposta francesa?

    Se o Sr. nem isso consegue responder, é porque sabe tanto quanto cada um de nós, apesar de se dar ares de “super-entendido”…

    Vá dizer sandices “das duzentas para lá”… 🙂

  123. Fiz uma pergunta simples para um “insider” como o Sr! Responde aí, oras! O Sr. não é “assessor do Min Def”? Não é o Bidú, sabe-tudo cheio de informações? Só me responda essas, do alto de seus privilegiadíssimos conhecimentos de “insider”:

    Esplanada dos Ministérios, Bloco Q Brasília – DF esteja lá dia 07/10. chegue por volta das 09:00… dai quem sabe … quem sabe…

  124. Vader,

    Cuidado com teu figado hemmmmmmmmmmm este cidadao se arvora algo que nao tem…………….e pela forma q escreve ja imagino de onde vem………………….deixe-o escrever o que quiser, afinal este espaço e livre para isso (ate para as bobagens hehehe) Este Ufanismo exagerado tem origens nefastas no futuro ao nosso pais, lamentavelmente.
    Para de dar milho pros bodes hehehheheheheheheh

    Sds

  125. Caro General

    Se errei peço humildes desculpas, mas …

    – “Reestruturação societária
    Em 20 de janeiro de 2006, a Embraer anunciou um plano de reestruturação societária, segundo a qual o poder decisório será pulverizado entre todos os acionistas, pois todos os portadores de ações da empresa na Bolsa de Valores de São Paulo terão direito a voto. Além disso, o esquema no qual os fundos de pensão Previ, Sistel e a Cia. Bozano que controlam 60% das ações, desde sua privatização, será desfeito.

    Maurício Botelho continuará na presidência do Conselho de Administração da empresa até 2009.

    Em 14 de fevereiro de 2007, a empresa EADS vendeu sua participação acionária de 2,12% da Embraer por 124 milhões de euros.”

    e favor ler o seguinte :

    http://www.defesanet.com.br/fx2/oesp_23set09a.htm

    Entrevista
    Almirante Edouard Guillaud

    Assessor militar de Sarkozy traz garantias do Rafale a Jobim
    Em reunião com ministro, chefe do gabinete militar diz que transferência de tecnologia será ‘completa’

    Tânia Monteiro
    BRASÍLIA

    Quantos aviões serão construídos aqui no Brasil?

    O que a França propôs foi que dos 36 aviões, os seis primeiros seriam fabricados e montados na França. Os 30 seguintes, peças fabricadas na França e montados no Brasil. E se a FAB decidir ir além disso, aos poucos tudo seria transferido para o Brasil. Isso é a manifestação prática de transferência de tecnologia.

    Huuuummmm será que ele se enganou ?????????????

  126. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 21:30

    Ahahahaha, claro, só estava faltando isso… sempre dando datas e datas e datas e datas… São incapazes de tecer uma série de comentários sem dar mais uma data mirabolante, que lamentavelmente não se concretiza…

    Vcs não tem vergonha não é? 🙂 Como vocês são previsíveis…

    Sabe quantos “insiders” como você já passaram por aqui? Pelo menos uma meia dúzia, que lamentavelmente foram em muitieramá banidos da Trilogia… 🙂

    Um a um foram ficando pelo caminho, pois quando faltam argumentos eles partem para o ataque, e a moderação em sua sabedoria é obrigada a lhes bloquear o IP (embora eu desconfie que uns e outros consigam novos IPs e voltem para nos assombrar de vez em quando)…

    Então Sr Ouragan, pare de dar uma de “bonzão” e me dê dados concretos. Senão, nos poupe de suas bobeiras…

  127. Ouragan,

    Ta perdendo teu tempo hemmmmm nao aprendeu nada ainda. Este tempo de ¨¨ sabe com quem ta falando ? ¨¨ ou, a famosa carteirada ja acabou ha muito tempo e pelo visto nao te avisaram.
    Quem pode nao se anuncia e muito menos se apresenta dessa forma. Tenha e seja mais humilde, assim comquistaras o respeito de todos por aqui.
    Coloque tuas opinioes e aceite ou nao as demais, porem respeite.

    Sds

  128. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 21:52

    Ah tá, tá, tá vá… Vai assistir novela que é mais tua praia… 🙂

    Repito: dados, fatos, evidências, indícios! Sem isso, no donuts for u… 🙂

  129. Mais uma matéria sobe o mesmo maldito assunto de sempre… fx-2…

    Este blog fica melhor com as matérias sobre história de aviação de caça

    juggerbr apóia f-16 ……. mesmo que não esteja concorrendo!!

  130. ola galera
    se o preco do pacote for 6.2 bi
    e o preco da manutencao po 30 anos 4 bi
    somando 30 por 12 meis sao 360 meis
    agora vc divide 4 bilhoes po 360 meis por 36 rafales =3.1 milhoes de dolla
    36 por 3.1 =112 milhoes por ano
    e muito falan q a fab nao seria capaz de opera cerio q e so fazer as comtas q ai vcs ve q sim pode nao 36 mas 288 em 18 base aerea cada com 16 caca com 4 esquadrao por 900 milhoes de dolar anual

  131. Pessoal…..to de saco cheio deste FX2….quanta torcida e briga de manés….!!!!
    É um que diz de um lado….outro que contradiz…mais um que discorda…e no final mais um que concorda.
    Que anunciem logo o final desta novela, pois não aguento mais ver tanta torcida fanatica…insiders de cá…..trolleros de lá….parece domingo no Mineirão aguardando GaloxCruzeiro.
    Já dei minha opinião quanto ao famigerado FX….e quem acompanha sabe, nem por isto fico me matando e nem querendo matar quem pensa diferente!!!
    É nego defendendo Rafale, é outra turma defendendo Gripen e uma minoria defendendo SH…acho saudável a discussão….cada um defendendo suas opiniões com argumentos embasados…mas da maneira e do rumo que as coisas tomaram pelo menos aqui no blog, as opiniões e o discernimento já deixaram de fazer parte o diálogo virando na verdade uma disputa de torcidas!!!
    Tô cansado….me desculpem o desabafo….e se quiserem me censurar ou cortar o façam….aliás…como já foi feito anteriormente….

  132. celso disse:
    1 de outubro de 2010 às 17:15

    Sábias palavras de um profundo conhecedor rsrsrs (desculpe… mas nunca ri tanto)

    A França com seus produtos (como é que chamam mesmo? Lembrei… Jaca… Rafalecos… queijo fedido, dá um banho no Brasil! Me digam o que fabricamos para contrapor aos franceses?
    Que tecnologia temos? Até o aço para fabricação dos subs estamos aprendendo com os franceses! O aço meu amigos… o aço!!

  133. A ilusão é o primeiro de todos os prazeres……..Um pais que se julga como potencia regional não deveria estar discutindo propostas/programas chover no molhado…..Insistindo-se em medidas que não trarão retorno verdadeiro e definitivo….Apenas com a compra da Saab isto se tornaria possível definitivamente……..As FAs e o governo deste pais deveriam estar discutindo a compra da Saab………E não a compra de seus produtos……Uma potencia não compra coisas dos outros….Ela vende coisas pros outros…….A vantagem estratégica desenvolvida por bons guerreiros é como o movimento de uma pedra redonda rolando por uma montanha de 300 metros de altura….A força necessária é insignificante…..O resultado….Espetacular…….

  134. Eu vejo este avião com muito bons olhos! Independente do povo que diz “ser um avião de papel”, o que de fato já deixou de ser a tempos, ele é o que melhor benefícios pode trazer a Embraer. É metendo a mão na massa, e participando do projeto que se aprende. Economicamente também acho que seria a melhor opção. O Rafale esta empacado, não consegue vender em lugar nenhum. O Super Hornet vai bem, obrigado, mas é um produto todo americano, e com ele vem o pacote de desconfianças…
    Ta certo que o motor do Gripen é americano… mas quem disse que a Venezuela vai querer comprar dele? Cito este exemplo pelo que aconteceu ao Super Tucano..
    Nacionalizar a maior parte dos sistemas acho que será a chave do sucesso… quanto ao motor, sei lá… quem sabe uma versão da EJ-200 com maior potência não poderia ser uma mão na roda…

  135. Mario Blaya disse:
    1 de outubro de 2010 às 19:10

    Ele sempre se enforca com esta pergunta e não aprende.

    Mas este relatório é exatamente o que está na mesma pasta com o Rafale de ToT irrestrita, SCALP, CLS por 10 anos e a 64 milhões de euros…

    Que vocês também se enforcam e não respondem 😉

    —————————————-

    grifo disse:
    1 de outubro de 2010 às 19:13

    Não sei o quanto você conhece do ABC na prática, mas se o “companheiro” ( seu) Marinho se preocupasse tanto com empregos assim, SBC e todo o restante do ABC para fazer justiça não estariam perdendo tantas empresas para outras cidades da Grande SP, por causa de incentivos fiscais.

    —————————————

    ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 20:55

    A ida e volta de engenheiros brasileiros, para a Lixocopter não começou agora com o EC725 e até hoje nada é feito aqui…

    Qual o problema então ?

    Trabalho em banco multinacional e o fluxo de lá pra cá e daqui pra lá e constante e não significa que a turma daqui lide com a arquitetura do banco.

    Digamos que seja mais uma ambientação e intercâmbio de formas de trabalho.

    ————————————–

    ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 21:06

    A questão da bateria realmente é importante, mesmo que tenhamos conseguido uma empresa nacional que faça um produto semelhante.

    Só vem a mostrar ainda mais que os franceses não são independentes nem para dar partida nos seus subs.

    ————————————–

    Daniel Rosa disse:
    2 de outubro de 2010 às 7:17

    Os indianos, que tem bastante apreço a sua liberdade, não encontraram problemas em adotar um motor americano para o seu Tejas e navios.

    Esta questão tem pegado somente aqui na Bananalândia.

  136. Eu vou voltar a dizer o que disse uma vez: ” Gripen pode ser um bom avião e tudo mais… concordo que seja uma boa máquina, mas acho um absurdo investir uma grana nesse projeto que é considerado pequeno, pouco ambicioso, o nosso país é muto grande, temos muitas possibilidades para fazer dinheiro, o Rafale pode ser caro, mas é ao menos algo mais ambicioso que o Brasil pode fazer, capacidade de manter operacional temos, basta o governo querer, prefiro que tenhamos investimentos em um Rafale do que em um projeto de um avião mono, com menos capacidade, etc e tal….

  137. Rodrigo disse:
    2 de outubro de 2010 às 7:57

    eu peço a fonte porque conhecendo a apção pela mentira de muitos e uma forma de conhecer a verdade, como seu companheiro que confundia um estudo sobre custo de projeto com custo do aparelho. Será que confundia mesmo?

    sobre a perda de empresas no ABC estaria mas proximo da verdade se dissesse que essas empresas estão se mudando em função da guerra fiscal e da carga tributaria que o governo paulista impõe para essas empresas, se vc estiver minimamente familiarizado com custos saberia. mas parece que sua preocupação e apenas politica.

    eu sempre desprezei brasileiros que adoram falar mal do Brasil e de seu povo,

  138. Eh possivel discutir os numeros, mas me parece impossivel duvidar que a proposta da SAAB gere mais empregos. Vejamos:

    – Gripen 40% da estrutura e 100% dos avionicos no Brasil desde a 1 unidade, com a linha de producao no Brasil p/ os 36 jets;
    – Rafale: 6 primeiros prontos da France, depois montagem no Brasil (CKD) chegando ateh 50% de nacionalizacao com a entrega da ultima unid. Ou seja (supondo distribuicao aritmetica):
    1-6 unid.: 0%
    7 unidade: 1.6% , 8 unid. 3.2% … 35 unid 48.4% e 36 unid. 50%… Ieeee!!

    Quandos as informacoes passadas p/ FAB pelas empresas indicadas. Pode ser que alguma simplesmente tenha boicotado o Rafale. Um diretor da EMBRAER disse em publico que preferiam a proposta da SAAB, mas levou um cala-boca imediato do NJ (tentou o mesmo com o Marinho e quebrou a cara). Depois foi noticiado que a EMBRAER comunicou a COPAC que nao tinha interesse em trabalhar com a DAssault caso ela fosse escolhica.

    Talvez a EMBRAER, consultada sobre empregos gerados respondeu:

    – Gripen: milhares (mais spillovers em futuras vendas civis);
    – Rafale: Zero, ou 1, o seguranca do hangar aonde serao abertos os containers vindos da Franca, por franceses e montados pelos mesmos…

    Eh claro que o governo dobra a EMBRAER se quiser (como faz com a Vale ou qualquer outra empresa e de qualquer tamanho).

    Em numeros de empregos parece evidente que as propostas apresentadas um ano atras (02/10/2009) favorecem a SAAB e nao a Dassault.

    []s!

    “Na questão de oferta de empregos, a comissão da FAB ouviu as empresas brasileiras de defesa e avaliou que a proposta da Saab pode gerar 22 mil postos; a da Boeing, 5.000, e a da Dassault, 2.500. Responsável por uma das avaliações externas, a pedido da FAB, a Embraer apontou a proposta sueca como mais estimulante à indústria nacional (EC).”
    http://www.aereo.jor.br/2010/02/04/segundo-a-folha-dassault-diminui-preco-e-lula-escolhe-caca-frances/

  139. Mario Blaya disse:
    2 de outubro de 2010 às 8:12

    “confundia um estudo sobre custo de projeto com custo do aparelho”

    Prezado Mario, bom dia. Pergunto:

    1. Qual o custo da unidade do Rafale-Br?
    2. Quais as armas que virão para o Rafale-Br?

    Se me responderes isso com DOCUMENTOS, como fizemos no caso do preço unitário do Rafale de 142,3 milhões de euros (custo de produção de 101 milhões + o lucro do consórcio), digo que vocês insiders estão certos e deixo a discussão, ok?

    Sds.

    PS: não há segredo, não há mágica, não há invenção. Ou o preço será 142,3 milhões de euros, possivelmente sem os impostos de 19,6%, o que leva a conta para 114,4 milhões de euros, ou US$ 156,7 milhões (mais caro que o F-35), ou alguém estará subsidiando, no caso o Estado Francês.

  140. Rodrigo disse:
    2 de outubro de 2010 às 7:57

    Rodrigo, apenas pontuando, consta que sequer o SCALP-EG os franceses ofereceram em sua proposta. Em seu lugar ofereceram mesmo foi o Apache, um míssil antipista antiquado, caro, de uso restritíssimo e abandonado pelo AdlA. Ou seja: ofereceram pros “parceiros” sulamericanos o seu lixo.

    Abs.

  141. Dr. Barata, 🙂

    Por ventura V.S.ª está levando em conta a GE – Celma do Rio de Janeiro, uma unidade da General Eletric que atende não só o mercado brasileiro e emprega (sem F-X2) diretamente mais de 1.000 (mil), além de 5 (cinco) centenas de prestadores de serviço?

    Vc acredita que a manutenção da F-414 (do Gripen e do SuperHornet) poderia ter manutenção no Brasil?

    Haveria impacto econômico positivo nesta operação?

    Abç,
    Ivan, o Antigo.

  142. Ivan disse:
    2 de outubro de 2010 às 9:28

    Pois é né Ivan? Brilhantes nossos gênios do MinDef né?

    É que eles preferem gerar e manter emprego na França…

  143. Vader,

    os seus custos são falsos, seus numeros não são coerentes, sua fonte e a wikipedia que não informa a configuração do aparelho, confundiu um estudo do TCU frances com orçamento.

    agora me pergunta o preço? eu não sei e ninguém sabe, pois as propostas oficiais ninguém viu, somente pessoal pago pelos fabricantes e que insinuaram valores dos concorrentes.

    quando eu peço a fonte não é apenas para saber qual é, mas para ler o que realmente estava escrito, foi assim que ví que vc estava fazendo uma analise distorcida da verdade;

    eu gostaria de saber porque vocês defensores do sueco são tal agressivos?

  144. Mario Blaya disse:
    2 de outubro de 2010 às 10:32

    Talvez pq os defensores da Jaca tbm são? =D

    Realmente.. esse FX-2 já cansou, tudo leva ao mesmo assunto que é o FX-2!

    Pessoal fica brigando atoa.. a única coisa que deveriam ver é que o Gripen ( sendo de papel ou não ) é a melhor proposta! nós já temos submarinos e helis na mão dos franceses.. querem colocar a força aérea tbm? Não estou falando que o Rafaele é ruim, mas acordem pra realidade que é o desinteresse dos políticos na nossa defesa!
    Pra que pegar o caça mais caro? Pra ele ficar no chão? Nós mal temos certeza de que os Gripens poderiam voar! =S

    Melhor um avião de “papel” como vocês dizem ai do que um avião pronto como o SH ou o Rafaele… pelo menos ele sendo de papel nós aprendemos a fazer de verdade!

    Ideal seria Gripen pra FAB e SH pra MB ( mesmo que o SH não opere no A-12.. porque querendo ou não.. os A-4 estão sendo modernizados pra operar + tempo.. quando tivermos o novo NAe ai operamos o SH )

    Abraço

  145. Opção1)
    – Dá Rafale. Vem uns Mirage 2000-9 dos EAU para ser o tampão do tampão (finalização do FX-1) enquanto aguardamos as entregas do FX-2. A marinha fica com Rafale M/F2 disponíveis na França cria-se esquadrão AF-2 para o A-12.
    3 operadores França, Brasil e EAU trabalham para nova versão da criança.

    Liberté, Egalité, Fraternité, Ordem e Progresso.

    Opção 2/Zebra 1)
    – Dá Gripen E/F. Não sei o que será o tampão do tampão.

    Opção 3/Zebra 2)
    – Dá F/A-18EF Super Hornet. Resolvemos fazer as pazes com os EUA num gesto de boa vontade e confiança. Rapidez na entrega (ver a entrega da Boeing para Austrália). Desloca-se uns de estoque para o tampão do tampão.

    Opção 4)
    Cancela todas as opções acima.

  146. poorman disse:
    2 de outubro de 2010 às 11:31

    Prezado Poorman: as negociações do Rafale com os EAU foram canceladas. Acabou. Em breve entrará um post sobre o tema no Aéreo.

    Sds.

  147. Vader,

    em primeiro lugar, pelo seu linguajar, o Troll aqui e você!

    em segundo lugar mostrar a fonte não autentica o seu comentario, prova disso a confusão que faz com numeros.

    em terceiro lugar, porque tanta raiva contra as pessoas que não consideram o sueco como melhor opção? contrato?

  148. Luiz Ricardo disse:
    2 de outubro de 2010 às 11:29

    jaca, onça, anta pato etc etc.

    somente defensores de um avião usam esse linguajar, eu pergunto, porque tanta agressividade para se discutir um assunto como esse. Parecem torcidas uniformizadas, aquelas que são pagas pelas diretorias dos proprios times.

  149. Vader disse:
    2 de outubro de 2010 às 11:45

    “Prezado Poorman: as negociações do Rafale com os EAU foram canceladas. Acabou. Em breve entrará um post sobre o tema no Aéreo.
    Sds.”

    Vader, só ser for por influência do tio sam na região (Arábia Saudita, Israel, Iraque) ou incapacidade da Dassault em atender os requisitos técnicos, vamos ver.

    Final do FX: Quando saiu o shot-list, entendemos que “qualquer um dos tres atende as necessidades da nação”, tirando esta verdade o resto é pura novela, lobismo, teoria da conspiração, etc., pra’ mim e acho que a grande maioria aqui não queremos mais cenas dos próximos capítulos.

    Lembrando o arquivo X “The truth is out there”

  150. Caro Sr. Mario Blaya disse:
    2 de outubro de 2010 às 12:41

    Se me permite o pitaco em seara alheia, acredito que os dados do Vader são o único referencial que temos (dados oficiais), caso estejam errados na análise ou nos próprios, queira fazer o favor de postar o correto. caso contrário, não há o que se discutir, correto ?

    Torcidas todos nós temos, a minha torcida é pelo Brasil (Grippen NG ou F-18 S/H + Grippen NG) e o Sr. ? A sua torcida é pela França ?

    Boa tarde !

  151. Caro Mario Blaya,

    Os custos que o Vader apresentou, com base em documentos franceses são esses. Agora, se os franceses quiserem vender o Rafale apenas pelos custos variáveis de produção+% de remuneração para a Dassault ou ainda, subsidiar o valor a ser pago pelo Brasil, ae é com eles. Mas com certeza eles encontrarão uma maneira de ter a diferença de volta.

    Sobre o apelido “Jaca” é digamos uma herança dos finados Mirage-III da FAB que foram apelidados com essa fruta. Mas as outras “torcidas” tem de aguentar apelidos como “caça de papel”, “mosquito”, “tijolo voador”, “superbug”. Não é exclusivo do Rafale, vulgo Jaca 🙂

    []’s

  152. Mario Blaya disse:
    2 de outubro de 2010 às 12:41

    Amigo, a última parte de seu comentário exemplifica exatamente o que acontece com quem defende a opção do Rafale. A impressão que fica é a que vocês acham que estão lidando com jardim de infância. Onde tudo será dito para uma audiência que vai dizer amém. Deve ser por causa desses últimos 8 anos.

    Quem tem um mínimo de discernimento ou que pelo menos conheça de perto como se administram forças, sejam as armadas ou policiais, sabe que contar com ovo ainda no fiofó da galinha é ilusão, burrice, estupidez ou outro adjetivo nesta linha. Sem gasolina para operar e se tiver, ir rezando em veículo sem manutenção, para que não aconteça uma c…gada. Entre outras coisinhas, como ter que obedecer ordens de gente que não tem o menor preparo para estar em comando ou decidindo alguma coisa. Só por isto, já se deveria desconsiderar essa opção. Fora a ojeriza que se tem na FAB ao comportamento de sempre dos franceses.

    Claramente os interesses são outros. Nem entremos no mérito de qual avião é melhor. Mas o que poderemos operar e manter a força treinada.

    Mostrar fonte não autentica comentário? Pelo menos é alguma coisa, nénão? Saiu de um órgão oficial francês. Na pior das hipóteses, se não é verdadeiro, tem que brigar com quem pôs lá. Mas… Está lá!

    E do seu lado? Tem o quê além de blá, blá, blá e carteiradas? Nem uma linha de um órgão oficial, ainda que seja cascata? Só pra gente poder ler…

  153. Vader, eu também acho que a venda dos Rafale para os Emirados está morta e enterrada, visto os recentes acontecimentos.

    Para quem não sabe, segundo os franceses, os Emirados oficialmente SUSPENDERAM as negociações para a compra do Rafale.

    Eu disse oficialmente, pois extra oficialmente, corre a informação que os Rafale NÃO SERÃO COMPRADOS de forma nenhuma.

    A razão da Suspensão (cancelamento), seria uma reportagem do Le Figaro (de propriedade do Serge Dassault) falando que os Emirados compraram sistemas de origem israelense (em uma região onde é politicamente incorreto comprar algo de Israel).

    Extra oficialmente, a razão seria outra (até porque a história acima não convence muito): Os Emirados viram que os Rafale atuais são inferiores aos F-16 Block 60 que eles já possuem, e que o upgrade dos referidos vetores para trazê-los ao nível dos F-16 seria muito caro e demorado.

    Além disso, havia a queda-de-braço entre os 2 Governos para ver quem iria financiar tal upgrade, na ordem dos 4-5 Bilhões de Euros (5.4-6.7 Bilhões de Dólares).

    Correndo por fora, os Emirados acabaram de reestruturar a sua dívida com seus credores, assim não se justificaria a compra de tais vetores agora, até porque os Emirados têm FALTA DE PILOTOS e NÃO DE CAÇAS !!!!!

    A também suspensão da compra dos treinadores M-346 (estes sim, são necessários aos Emirados), que venceram a recente competição nos EAU, foi nebulosa.

    E por fim, ainda há a possibilidade dos Emirados terem mudado de opinião e decidido comprar os Super Hornet.

    [ ]s

  154. poorman disse:
    2 de outubro de 2010 às 12:46

    “Vader, só ser for por influência do tio sam na região”

    Não foi, foi incompetência francesa mesmo. Mas o post que virá esclarecerá a coisa. O ZE já adiantou alguma coisa.

    Sds.

  155. Caros Editores, por favor apaguem a minha última postagem, pois eu copiei/colei no lugar adequado, ou seja, no post dedicado à informação que os EAU suspenderam/cancelaram a compra dos Rafale.

    [ ]s

  156. (Off topic)

    “Ingamar Bergman”? Deve ser um diretor “francês” que desconheço! Eu conheço e sou fã Nº 1 do Ingmar Bergman é considerado simplesmente o maior diretor de todos os tempos (opinião que compartilho) que é sueco – nascido em Uppsala, Suécia em 1918!

    Cuidado qnd for querer bancar o “intelectual”, vc não sabe quem vai ta escutando tua “trova” – pode ser um fã do cara ou um profissional da área.

    Qnt ao tópico, peço a gentileza do Rodrigo de me emprestar suas palavras no coment: 1 de outubro de 2010 às 8:16

    Como disse, prefiro a da Boeing por ser a mais segura, mas se é pra arriscar pra ganhar mais lá na frente que seja com os suecos!

    Sds.

  157. Ivan disse:
    2 de outubro de 2010 às 9:28

    Prezado Ivan,

    Nao me referia especificamente a Celma, mas eh um bom ponto.
    Acredito que as tres propostas incluem a manutencas dos motores no Brasil.

    Aquelas suposicoes que fiz foram baseadas em noticias publicadas na epoca do relatorio da COPAC, depois houveram mudancas; por exemplo:

    – O MD “convenceu” a EMBRAER a reconsiderar a Dassault como parceira;

    – A SAAB, por motivacao propria, depois do BAFO agregou mais empregos qualificados no Brasil. Por exemplo, o centro de excelencia em manutencao de radares AESA no Brasil em parceria com a ATMOS (01/10) e agora em setembro, o anuncio de um centro de pesquisas em SBC.

    Ainda acredito, que tanto qualitativamente como quantitativamente, a proposta do Gripen eh bem mais favoravel em termos de emprego.

    []s!

    P.S.: Vc nunca assina como “Ivan, o grande”; alguma discriminacao contra o principe Russo ou eh muito obvio?

  158. ouragan disse:
    1 de outubro de 2010 às 17:00

    Decisão de Estado X Governo

    Função primordial que sustenta o próprio Estado = sua segurança, incluso o espaço aéreo.

    Deixar o espaço aéreo desprotegido não é atividade de Estado e sim de governo.

    Mesmo para a França o custo do projeto Rafale é caro para se manter o nível de treinamento desejável (declarado pelo próprio tribunal de contas francês).

    E a história do combate aéreo demonstra cabalmente que o nível de treinamento do fator humano é preponderante do que o próprio material de defesa (vide o nosso próprio exemplo com o F-5).

    O treinamento de nossos pilotos é que tradicionalmente mantém a segurança do espaço aéreo brasileiro. Esta “tradição” demora décadas para se formar, podendo se desmanchar em anos se não houver o treinamento adequado. Isto é a própria essência da FAB. Por isso a bronca dos fabianos.

    Deixar a segurança do espaço aéreo prejudicada (e muito) por opção política e não técnica, não é uma decisão de Estado em meu ver, me parece mais com a de governo (e temos um péssimo histórico nisto).

    Mas, respeito tua opinião.

    Abs.

    O grande problema e não termos mais tempo para desenvolver um Sub Nuc autóctone…

  159. Resumindo,

    Casou com a França e a mesma não aceita amante sueca e muito menos americana…

    Ué, faz conforme nossa própria tradição e põe um pé na senzala hindu…

    hahahaha

  160. Ajudar os franceses (sic.) pedindo que a SAAB troque o reator e colaborar com os franceses no desenvolvimento de uma nova geração do próprio reator, mais potente, simples e barato (abrir uma base de fabricação no Brasil)… E fica com ums 36 Rafales para suprir a urgência. Gregos e troianos satisfeitos…

  161. Volto a repetir;

    Enquanto alguem mostra a que vei (SAAB), outro só quer o nosso DIm DIM (Assault), e nada mais e nem menos.

    Sds.

  162. Caro willian;

    william disse:
    1 de outubro de 2010 às 18:12
    As gripetes estão loucas mesmo querendo fazer um lobby a favor da colcha de retalho!

    Não, são as Rafaletes e que estão desesperadas, vendo mais uma venda “Certa” indo pro espaço, como as do EAU e pelo visto a do Brasil também.
    A final e venda certa para os EAU onde foi parar mesmo?

    william disse:
    22 de junho de 2010 às 18:36
    O consórcio Rafale International já em fase de formatação de contrato nos Emirados Árabes Unidos. Na Índia o Rafale está em fase de testes. O Rafale está também na concorrência da Suíça. Outros países como Qatar, Kuwait e Malásia manifestaram interesse pelo Rafale.

    Sobre a origem de componentes e tecnologias: todas as tecnologias do Rafale são 100% francesas e o consórcio Rafale International não precisa de autorização de nenhum país para comercializá-las.

    Recordar é viver;

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  163. intelectuais e nao intelectuais, mandem seus cvs… hoje foi entregue pela Akaer o primeiro desenho de producao do NG… essa relacao sera looonga!!! Parabens ao Brasil por essa chance de real desenvolvimento!!!

    Até!!!

LEAVE A REPLY