sexta-feira, maio 27, 2022

Gripen para o Brasil

Akaer: novidades à espera do anúncio do F-X2

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Empresa nacional de engenharia aeronáutica virtualmente desconhecida fora de São José dos Campos antes do programa F-X2, a Akaer surgiu na imprensa como a primeira empresa a se associar ao programa Gripen NG, mesmo sem a garantia que este seria o modelo de caça escolhido para substituir os atuais caças da FAB. “Nosso trabalho conjunto com a Saab, a participação no programa Gripen NG, está completando, agora, um ano. Ao fim deste período já trocamos muita informação com os suecos, criando juntos os planos de manufatura, de investimento, de qualidade, de produção e de engenharia para o novo modelo. Nossos engenheiros, em seus computadores aqui no Brasil, acessam remotamente a rede corporativa da Saab. Para poder fazer isso tivemos que criar novos ambientes de trabalho que fossem seguros, tanto física como logicamente”, contou a ALIDE, César Silva, diretor da empresa.

“Nosso trabalho neste projeto se inicia com o detalhamento (projeto em CAD) do formato final das portas do trem de pouso e de cada uma das peças que compõem as asas e os módulos da fuselagem central e traseira. Depois disso, virá a fase da ‘preparação para a industrialização’, que envolverá a fabricação das ‘cabeças de produção’, ou exemplares de referência (a grosso modo, os ‘protótipos’) dos componentes desenhados no sistema CAD. Nos próximos dias devemos chamar a imprensa brasileira para anunciar formalmente, a ‘liberação da primeira peça’, a conclusão do primeiro desenho 3-D feito no Brasil para a Saab”.

“Sabemos agora, passado este ano, que a Saab já confia muito na gente”, complementa César. Para o diretor da empresa brasileira esta “confiança” é justamente o que os qualifica para receber cada vez mais negócios dos suecos. Eles vêem a empresa brasileira como uma forma de reduzir custos em diversos programas, não apenas no do Gripen NG, sem comprometer a qualidade. A Saab se encontra neste momento desenvolvendo, e fabricando, portas para o Boeing 787, além de diversos outros componentes para os aviões da Airbus.

Perguntado sobre o impacto industrial de uma eventual seleção do Gripen pela Força Aérea da Índia, César disse: “o que nós já tivermos desenvolvido, não fará qualquer sentido recriar do zero, assim, para a Akaer, isso até que seria uma oportunidade de agregar a HAL (Hindustan Aeronautics Limited) como um novo cliente de nossos serviços de engenharia”.

A Akaer faz parte do consórcio brasileiro “T1” que pretende ocupar um novo nicho na cadeia de fornecedores da indústria aeroespacial nacional e internacional. Diferente da Embraer, que visa desenvolver desde o conceito seus próprios produtos, a Akaer e a T1 preferem ser terceirizados de grande escala, assumindo o detalhamento de projeto e a subsequente montagem de sub-conjuntos para grandes fabricantes como a própria Embraer e a Saab.

Perguntado sobre a recente visita do novo CEO da Saab ao Brasil, Cesar Silva contou que “A importância do programa brasileiro da Saab está clara na vinda de Hakam Buskhe ao Brasil, passados apenas 24 dias de ele ter assumido seu cargo. Ele visitou o Ministro da Defesa, Nelson Jobim, para se apresentar e em seguida foi a São Bernardo do Campo para conhecer o prefeito Luiz Marinho, grande entusiasta do programa de fabricação do Gripen NG no Brasil. Em Brasilia Bushke falou à imprensa sobre o interesse de sua empresa de montar aqui um centro de pesquisa que trabalhasse bem de perto tanto da indústria como da academia brasileira. Este centro visa, além do programa Gripen, iniciar desenvolvimentos nas áreas de aviônica, radares e de sistemas de segurança pública, objetivando particularmente os grandes eventos (Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016) previstos para acontecer no país nos próximos anos”. As três áreas enfocadas não são ainda muito desenvolvidas no Brasil e marcam uma importante evolução na base tecnológica do país. Na entrevista de Brasília, a Saab anunciou que o novo centro seria feito em São Paulo, mas após a conversa com o prefeito paulista foi anunciado que ele seria criado em São Bernardo. Em meados de outubro virá ao Brasil o Diretor da Área de Pesquisa da Saab para definir os detalhes deste projeto que deve consumir um investimento entre 40 e 50 milhões de dólares, neste momento uma equipe de suecos está no Brasil desenvolvendo os estudos e os business plans desta nova empreitada.

César disse também que “o NG representa uma mudança profunda no programa Gripen. Para o Brasil a participação direta da nossa indústria neste programa nos daria a capacidade de seguir evoluindo esta plataforma, no futuro, mesmo sem a participação dos suecos. Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil”.

Sobre a sugerida versão naval do NG, César contou que “o trabalho de sua empresa na estrutura do NG já leva em conta a perspectiva de reforço estrutural no futuro, caso seja decidido o desenvolvimento desta nova versão. Ter isto em mente neste momento simplificará muito o trabalho do desenvolvimento do Sea Gripen mais tarde, não partiremos do zero. E só podemos fazer isso porque a Saab já concluiu os primeiros estudos desta variante. Como o Sea Gripen será mais pesado que o NG, a estrutura que estamos criando agora modelo terrestre já levará em conta as demandas futuras, os novos envelopes de carga, as velocidades de descida e de parada, etc. As especificações definitivas de desempenho serão estabelecidas pela Marinha do Brasil, e caberá à Saab refinar o projeto básico para atendê-las”. Concluindo, César falou que “Um dos pontos mais positivos do Sea Gripen é que ele esta sendo pensado para poder usar tanto catapultas tradicionais quanto os ski-jumps, de acordo com a preferência da Marinha. A Embraer, naturalmente, seria a principal empresa brasileira neste programa de criação do Sea Gripen”.

Para além dos projetos com a Saab a Akaer ainda se encontra neste momento envolvida no programa de atualização dos Bandeirantes da FAB junto com a empresa gaúcha Aeroeletrônica. Coube à Akaer aqui ser responsável pelo projeto de modernização estrutural e pela produção dos kits mecânicos e elétrico, empregados neste programa.

FONTE: Alide


- Advertisement -

189 Comments

Subscribe
Notify of
guest
189 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RenanZ

E isso tudo pra que?
Para anunciar que pretendem trazer jacas 2000-9 ?

Se Capitão Nascimento estivesse aqui, diria:
“Sr, Ministro, o senhor é um fanfarrão!”

ZE

Falar o quê ????

Já está tudo dito.

[ ]s

Gumpy

Blá…blá…blá…blá…
E não convence ninguém !!!
Gripen Naval é projeto morto !!!

dranuits

Na minha opinião seria melhor comprar uns 100 Grippens do que sei lá 20 ou 30 Rafales. Não adianta pensar em super vetores com verba de carro popular. Ter para ficar no hangar não adianta nada, depois de comprarem eles não irão aumentar a grana para treinar participar de Red Flag e por ai vai. Não somos um país pobre não, somos um país de visão limitada.

Edgar

Caríssimos da cúpula governista desta terra de Deus, precisam de mais algum argumento?

Não existe esfera legal em nosso país que aceitaria argumentos meramente políticos e eticamente duvidosos perante o conteúdo dito acima.

Espero que [todas] estas esferas sejam imediatamente acionadas caso Brasília decida por Paris.

dranuits

Caro Edgar, não entendi se vc concorda ou não como meu comentário, não sou expert sou simplesmente um apaixonado por aviação, essa opinião é de umleigo que lê todos os dias o site e realmente esse assunto já “deu no saco” uma hora Grippen outra Rafale e quanto ao Hornet silêncio, meu preferido entre os 3, mas deixa para lá a minha preferencia pois como já disse não sou expert, mas o conjunto de armamentos que o Hornet tem a disposição é covardia.

falcon

Espero que o Lula caia na real e desista do Rafale, do que adianta termos um avião de 2 motores que carrega apoximadamente 9,5 toneladas em armamentos se não da para manter.

Mario Blaya

conversa para impressionar quem nunca entrou em uma industria, acessar banco de dados relativo a projetos não tem complexidade nem comprometimento algum.

Drcockroach

“Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil” Simplesmente fantastico, apenas isto, FANTASTICO! Se vcs assistirem o video da apresentacao do radar do Gripen, por Bob Mason (Selex) irao perceber que ele menciona que alem da SAAB a empresa irah colaborar com ATMOS do Brasil (ToT), estas sao as unicas tres empresas mencionadas. Alguma outra proposta comtempla isto? http://saab.picsearch.tv/?cat=&q=&bandwidth=high&lmediaid=&order=posted&mediaid=Wi_ArLh8vNiSpsJWpL-XbA&page=1 Ou eh claro, pode-se optar por uma politica de vender bananas, ferro, petroleo e importar o resto, ou no maximo montar aqui… []s! P.S.:Embora nao saiba, tah com pinta que o Gripen levou esta. Aquela nota… Read more »

Ricardo_MGA

Galera com relação ao sea Gripen, eles disseram que aumenta o peso, será que o Sea Gripen conseguiria operar full no A-12 ?

Edgar

Dranuits, para te ser sincero, eu não havia lido seu comentário até agora. Sobre as publicações do blog, é inevitável que este tenha mais conteúdo sobre o Gripen, uma vez que este gera mais conteúdo, é atrativo, é um super projeto e uma super oportunidade para nosso país além de ser a única oferta onde poderemos encher o peito e falar que temos um pássaro de ataque Made in BR. Os componentes importados provém das nações mais confiáveis e com maior linha de produção industrial bélica no mundo. Num ambiente repleto de entusiastas, como eu e você, não existe temática… Read more »

Nautilus

Ricardo_MGA, o aumento de peso na versão naval do Gripen NG, ou Sea Gripen, seria de apenas 400 kg. Não afeta em nada uma possível operação no A-12.

Drcockroach

comment image

[]s!

“Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil”. Diretor da Akaer sobre o Gripen NGBR

Raptor

Pois é Dr. espero que façam um bom ebó acompanhado de boa cachaça para abrir os olhos do nosso Guia.

Se não funcionar, vai voar galinha e vela preta da oposição…

Oxalá…

Ricardo_Recife

Depois de ler a entrevista com o César Silvam diretor da Akaer, acho inacreditável o favoritismo do Rafale baseado no desejo pessoal de uma pessoa, de forma completamente monárquica, anti-republicana.

A participação das empresas brasileiras no processo de desenvolvimento e construção do Gripen NG/BR tornaria este mais nacional que o AMX (A-1).

O Gripen NG/BR de longe é a melhor opção para o Brasil. Nenhum dos outros concorrentes oferece a nossa industria tamanho ganho tecnológico. Como disse Zé não ha mais nada a falar. Só nos resta rezar.

Mario Blaya

Este avião é nosso! A campanha de ensaios será toda realizada no Brasil”.

tanto quanto a Ferrari testar seu Formula 1 em interlagos! promessas realizadas antes da venda e sem vinculo contratual, isso pode se resumir a um ou dois voos do prototipo no pais, e mais nada.

Rodrigo

Quem é antigo aqui, já sabe que eu não sou um grande entusiasta da proposta da SAAB..

Mas mesmo os Rafalistas/Governistas devem dar a mão a palmatória e reconhecer que o projeto vem sendo tocado, aos poucos mas vem.

Não é lobby, não é trollagem, é um fato..

Reconheçam isto.

O ritmo e até onde este projeto será levado é grande questão..

Francamente eu prefiro arriscar com os suecos, que ter a certeza de problemas com a Dassault.

Vader

Engraçado que ouvindo o diretor falar parece que ele está falando diretamente do futuro. Parece que o Gripen já foi o vencedor do FX2. Tomara. Mas algumas considerações interessantes: 1. A Akaer já trabalha a parte estrutural do Gripen NG. Aprender fazendo. Hands on the job. É assim que se faz ToT. O resto é balela. 2. O Gripen NG já está sendo projetado levando-se em conta sua possível navalização. 3. O Gripen Naval poderá operar tanto de PAs CATOBAR como Skyjump. Isso é importantíssimo, pois nada indica que o Brasil deixe de operar PAs no estilo norte-americano, e a… Read more »

Nick

Para quem não acredita no desenvolvimento e envolvimento de empresas nacionais no Gripen NG, isso é um exemplo de TT real e não simplesmente uma troca de coleira de Americanos para Franceses ou Russos.

Será que é tão difícil entender ????? Será que é preciso desenhar????

Ao invés do Governo Federal através do MD e FAB apoiar iniciativas como esta, priveligiará a indústria e empregos franceses.

Sem mais.

[]’s

Ricardo_Mga

Caro Vader

Concordo contigo, só fasso uma ressalva, caso o Brasil realmente compre os Mirages eles não viram para o Brasil de imediato, apenas depois que os franceses entregarem os Rafaeles ao EAU.

atte
Ricardo

João Augusto

Galera! Nós temos que lotar as caixas de e-mail dos senadores da comissão de relações exteriores e de defesa! Bora cobrar pelo Gripen!
Vou pegar a lista de e-mail dos caras e começar a postar aqui. Tentar não custa, os canais estão abertos para receber a nossa opnião. Vamos cobrar dos caras lá!

Fabio ASC

Como diria Gisele Bunchen:

“Se o Rafale não ganhar, saio pelada em NY”.

Queiramos ou não, o Rafale já levou esta, só falta a entrega.

Edcreek

Olá,

Vamos ver se depois que(se realmente for) o Rafale for anunciado oficialmente ou o FX-2 for cancelado e comprado um tampax se a disposição Sueca vai continuar.

Sobre transferencia tecnologica os Franceses inaguraram uma escola na França para engenheiros Brasileiros estudarem os projetos do SBR e aprender na pratica desde a primeira unidade.

Eles já estão lá, isso é fato…..

Abraços,

Ricardo_Mga

Estou torcendo pelos caras que estão na escola de submarinos, tomara que não ocorra com eles o que ocorreu com a turma de Helibras…

Alex

esta chegando o dia D;

luiz otavio

Caro Vader, permita-me a pergunta:
mas o EAU vão querer o Rafale sem os incrementos solcitados na energia, motor a radar? eles não passam vontade e a Dassault já disse que para ela essas alterações são desnecessárias e esse desenvolvimento demoraria.

Rodrigo

Edcreek disse: 1 de outubro de 2010 às 9:20 DCNS eu não sei, porque não me interesso pelo assunto e não falo sem conhecer. Mas para a Lixocopter vão engenheiros da Helibrás, fazem “cursos” de 3 meses e voltam. Para um heli do porte do EC725 em três meses no máximo rola um ground-school. Veja o quanto a turma da FAB ficou na Rússia para aprender a manutenir o Hind. Se você fora capaz, faça um paralelo, que você vai ver como é mais enganação que ToT. A Akaer tem GERADO EMPREGOS NO BRASIL há mais de um ano. Não… Read more »

Rafael (RS)

Ainda há um fio de esperança, segundo dizem fontes próximas ao presidente Lula ele é um tanto rancoroso, e não esqueçe trairagem. Espero que a França faça mais umas duas ou três no âmbito da política externa, algo do tipo que fez no CS da ONU em relação ao Irã, e também na melada que deu no acordo UE e Mercosul. Aliás estão dizendo que o Lula está cozinhando os franceses em banho maria. espero que seja verdade..

ABULDOG74

Penso comigo que talvez muitas coisas possam se encaixar……………o Governo atual e possível futuro governo tem um “pepino nas mãos”, pois o programa FX-2 tomou um vulto tão grande; que nem o próprio governo esperava essa repercussão; será que um possível futuro governo Dilma aguentaria tantas “desconfianças” sobre um contrato de caças com a França, ainda mais com os custos operacionais mais baixos do Gripen? O novo gripen por sua vez, querendo ou não, não é 100% testado;e agora temos um acordo de defesa com os Emirados Árabes e muita “especulação” sobre uma possível compra de vários mirrages…………….será que teremos… Read more »

luiz otavio

poxa GF, façamos os nossos interesses e não dos outros, o Sarkô tem aprovação de 30%, quem garante que essa tal parceria será mantida, confio mais nos suécos, minha opinião.

luiz otavio

quis dizer que confio mais nos suécos no sentido de pais mais estável em relação povo/governo, frente aos 30% de aprovação do Sarkô.

zmun

Vader disse 08:26 Uma sacada muito boa esse sua. Realmente isso pode acontecer. Para a Fab imagino que receber esses traço 9 seja um prejuiço imenso. O programa de padronização da Fab seria atrasado por mais uns 15 anos. Os custos operacionais desses Mirages seriam enormes. Sem falar que eles jamais poderiam operar nossas armas. A perda operacional também seria grande. Esses traço 9 são inferiores aos nossos F-5. Porém, receber o Rafale seria uma trajédia. Imagino que antes uma bala na perna que uma no cérebro. De qualquer forma, tenho certeza que estou discutindo sobre missas com um franciscano,… Read more »

Augusto

Muita boa sua analise Vader (quando vc fala serio ninguem segura!) penso a mesma coisa: se era realmente para dar o Rafale era para ser em 2009! Se perdeu o momento politico para tal feito, nesse caso os suecos foram espertos estão criando uma industria para disser ” olhe já estamos aqui!!!!” e tal, Antes eu dava 100% de chance para o Rafale agora dou uns 30 % e se o resultado do FX indiano for f-18 ou gripen ( na minha opinião brasil e india combinaram de um avião igual para ambos) o resultado do fx- 2 é Gripen… Read more »

@wagner

Concordo com aqueles que compreendem a imnportância do AMX para o Brasil, e aqueles que o criticam não tem nem idéia sobre o que é uma indústria aero-espacial. O AMX é um vetor excelente e com certeza ampliou em muito o poder da FAB. Sinceramente, não vejo na AL inteira outro vetor tão eficiente para ataque ao solo do que o AMX. É um avião relativamente barato, facilmente atualizável, com enorme capacidade de carga ( considerando-se seu tamanho) e já provou em exercícios e guerras que é muito capaz de exercer sua amissão e além disso pode se virar sem… Read more »

ANTONIO DALMEIDA

“” Fabio ASC disse:
1 de outubro de 2010 às 9:19
Queiramos ou não, o Rafale já levou esta, só falta a entrega “”

Desculpe cumpanheiro, mas entrega de que? Das promessas? 🙂

rodrigo ds

Essa parte da entrevista para mim foi a mais marcante: “As especificações definitivas de desempenho serão estabelecidas pela Marinha do Brasil, e caberá à Saab refinar o projeto básico para atendê-las”. A estrutura já será reforçada para futuras modificações para versão naval, hummm!!! Quer dizer que a MB já decidiu que quando for substítuir os A4, será o gripen naval, hummm!!!, poderá operar tanto nas Naes modelo americano e russo (Brasil e India) hummm!!!! Já fazem 1 (um) ano a parceria com a Akaer e estão vindo definitivamente com mala e cuia para o Brasil, hummmm!!!! O trem tá ficando… Read more »

Leandro

Bom, para as definições do GDA acredito que o F-18SH seja o melhor dos 3! Mas a oportunidade de aprendizado oferecida pelo desenvolvimento do Gripen NG é infinitamente superior à do Rafale e do Hornet. Agora imaginem se o FX-2 for vencido pelo Gripen NG e se a disputa pelo substituto do MIG-21 também for vencida pelo Gripen NG?!?! Estocolmo teria 3 dias de feriados e uma avenida chamada Brasil e outra Índia…rss Mas eu não me espantaria em nada se der Gripen NG no Brasil, Gripen NG na Índia (que ao meu ver se encaixa melhor na substituição aos… Read more »

Vader

Ricardo_Mga disse: 1 de outubro de 2010 às 9:09 “caso o Brasil realmente compre os Mirages eles não viram para o Brasil de imediato, apenas depois que os franceses entregarem os Rafaeles ao EAU” e luiz otavio disse: 1 de outubro de 2010 às 9:42 Ricardo e Luis Otávio, se vierem 12 M-2000-9 até 2014 (data limite para o encosto do M-2000 do GDA) é o bastante. Se até 2014 a Dassault não conseguir entregar 12 Rafales pro EAU é que trata-se de uma bela de uma porcaria de empresa mesmo. Mas de qualquer maneira, acho que 12 Mirage 2000-9… Read more »

Mario Blaya

o obvio que a nova ofensiva dos suecos e porque a data da confirmação do vencedor esta se aproximando, caso a eleição presidencial termine no 1º turno, certamente em alguns dias o governo confirmará a compra dos Rafales, o ultimo suspiro dos suecos.

Com a perda no Brasil e eventualmente na India, a linha de produção se encerra.

Drcockroach

Seria muito interessante conhecer a metodologia da COPAC. Alem dos off-sets, o metodo inclui algum tipo de impacto economico? Por exemplo, qual seria o efeito multiplicador dos dolares investidos no Fx-2 na ind. nacional, digo, efeito por dolar? Supondo que este valores sejam corretos: http://www.aereo.jor.br/2010/02/04/segundo-a-folha-dassault-diminui-preco-e-lula-escolhe-caca-frances/ – Rafale: US$ 6.2 bi pacote + US$ 4 bi manutencao, armas…(US$ 10.2 bi) depois do privilegio de renegociar o preco (BAFO do BAFO… MPF?) – Gripen: US$ 4.5 bi pacote + US$ 1.5 bi manutencao, armas…(US$ 6 bi) ; – SH: US$ 5.7 pacote bi + US$ 1.9 bi manutencao, armas…(US$ 7.6 bi) Nao… Read more »

@wagner

Até parece que o Rafale se sai bem em competições internacionais.
Até parece que se perder o FX2 a Suécia vai cancelar o Gripen NG…
Não super-estimem a imprtânica do “Brasil Potência” …

Vader

Mario Blaya disse:
1 de outubro de 2010 às 11:24

Camarada, seu nome é Ouragan ou Mário Blaya? Cara hora vc posta com um nick diferente, assim a gente se confunde…

Ricardo_Mga

Vader

Qual o prazo que a SAAB pediu para começar entregar os NGs ?

Ricardo_Mga

Em tempo, quais os prazos para a entrega dos caças para o vencedor da concorrencia após assinatura do contrato?

Mario Blaya

Vader,

eu não uso nicks diferentes, os editores tem os IP´s e podem comprovar isso, não me messa por sua propria regra ok!

Rodrigo

Mario Blaya disse:
1 de outubro de 2010 às 11:24

Qual a data ?

Ela está se aproximando faz mais de um ano.

Quem sabe um dia vocês acertam.

CAL

Bem que a SAAB poderia oferecer por empréstimo, cobrando apenas a manutenção que for necessaria, 12 gripens C/D. Assim supriria o GDA e daria um voto de confiança ao GF e a FAB, suprindo necessidades imediatas até a chegada dos vetores novos.
Com certeza marcariam muitos pontos para levar o FX-2!

Paulo

A SAAB desenvolvendo um NG naval “flex” (catapulta e rampa de esqui), estará criando um produto que terá boa aceitação no mercado, porque além de atender a dois tipos de embarcações, ainda tem preço e manutenção aceitável, fora o fato de ser pequeno, tornando-o ideal para operar em porta aviões. E com desempenho excelente. Pode-se dizer que um NG naval com estas características seria um SH dos “pobres”.

emilson

João Augusto disse: 1 de outubro de 2010 às 9:18 Galera! Nós temos que lotar as caixas de e-mail dos senadores da comissão de relações exteriores e de defesa! Bora cobrar pelo Gripen! Vou pegar a lista de e-mail dos caras e começar a postar aqui. Tentar não custa, os canais estão abertos para receber a nossa opnião. Vamos cobrar dos caras lá! Concordo plenamente, eu ajudo com essa iniciativa, derepente a gente enchendo o saco deles alguem verá a importancia que esse assunto tem para nós brasileiros e congelem essa idéia de trazer o rafale pra ca, o dinheiro… Read more »

Mario Blaya

Rodrigo disse:
1 de outubro de 2010 às 12:30

o anuncio será no dia 26 as 14:39hs…
o fluminense será campeão brasileiro…

quer os numeros da mega-sena também ou não precisa?

Últimas Notícias

KC-390 e Rafale, exportações x redução na cadência – histórias parecidas?

Nos últimos dias, uma polêmica se instaurou em relação às encomendas da Força Aérea Brasileira (FAB) para o jato...
- Advertisement -
- Advertisement -