sábado, janeiro 22, 2022

Gripen para o Brasil

Reino Unido e França lançarão ‘ambicioso estudo de cooperação’

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

PARIS – Grã-Bretanha e França concordaram com um esforço conjunto para analisar quais capacidades de defesa os dois países podem compartilhar e quais os dois poderiam depender um do outro, numa tentativa de impulsionar a cooperação na Europa, disse o ministro da Defesa francês Hervé Morin aos membros do parlamento do Reino Unido.

“Decidimos, em conjunto com meu homólogo inglês, lançar uma operação muito ambiciosa”, disse Morin ao Comitê Parlamentar de Defesa aos 7 de julho, segundo a ata oficial da reunião.

“O novo governo britânico quer que analisemos de forma muito detalhada quais são as competências e os meios que cada um dos dois países devem reter completa soberania, quais podem ser agrupados, e quais pode haver interdependência”, disse ele.

O trabalho do lado francês deve ser concluído até o final de julho, disse Morin.

“Vamos comparar nossas notas em novembro”, disse. “Os britânicos estão prontos para encarar a cooperação, mesmo em assuntos altamente confidenciais”.

“Uma das soluções que podemos imaginar em lidar com a redução de capacidades é considerar um reforço da cooperação operacional com alguns dos nossos parceiros europeus, nomeadamente o Reino Unido, que é confrontado com o mesmo dilema que nós”, disse.

O governo britânico está comprometido a publicar a sua defesa estratégica e análise de segurança em 20 de outubro, enquanto que um documento separado de estratégia de defesa industrial está previsto para o próximo ano.

Morin disse que uma das áreas de cooperação é reabastecimento aéreo.

“Para os reabastecedores aéreos MRTT (Multi-Role Tanker Transport) tentaremos elaborar um plano comum com os britânicos”, disse.

A França está postergando inúmeros programas, incluindo um pedido de 14 aeronaves MRTT, em um esforço para cortar €3,5 bilhões (US$ 4,5 bilhões) do orçamento de defesa ao longo dos próximos três anos. Um pedido para uma frota de reabastecedores novos valeria cerca de €4,2 bilhões, baseado em um valor estimado de 300 milhões de euros por Airbus A330 na versão militarizada MRTT.

Entre os programas que deverão ser atrasados está o sistema de satélite Ceres de inteligência electrónica, disse.

Como parte do orçamento, o governo assumiu que haverá vendas de exportação do Rafale, o que permitiria uma pausa de dois anos de encomendas no mercado interno do caça-bombardeiro, disse Morin.

“Espero que esta meta seja alcançada, pois será extremamente difícil encontrar medidas que atenuem a situação”, disse.

Ele disse que o principal risco é a ausência das vendas externas do Rafale.

A Dassault Aviation deve entregar 11 aeronaves Rafale por ano para manter sua linha de produção trabalhando em um ritmo econômico viável, e se o governo francês tivesse que encomendar unidades para compensar uma lacuna nas exportações, um adicional de €1 bilhão seria necessário.

Esse potencial incremento de financiamento foi a razão pela qual o governo decidiu adiar a atualização de cerca de 70 Mirage 2000D, caças-bombardeiros de uma variante de defesa aérea, disse. A falta de uma ameaça imediata ao espaço aéreo francês e a disponibilidade de Mirages significa que um atraso nas encomendas do Rafale representaria pouco perigo para a segurança nacional, mas colocaria problemas para a indústria, disse ele.

O trabalho nos Mirage custaria cerca de €700 milhões, segundo a Força Aérea Francesa.

Na potencial decisão de adquirir os UAV Reaper dos Estados Unidos, o Serviço de Aquisições da “Délégation Générale pour l’Armement” (AGD), projetou um custo de €1,5 bilhões na oferta francesa líder para um drone comparável, enquanto que o produto americano custaria cerca de 700 milhões de euros, disse Morin.

Há uma contradição entre uma empresa francesa que pede ao governo ajuda na exportação dos seus produtos, e ao mesmo tempo, pede ao Estado para comprar algo que custará €800 milhões a mais do que seu concorrente, ele disse.

Quanto aos mísseis, a França ofereceu-se para vender o míssil de longo alcance Meteor para os Emirados Árabes Unidos, disse Morin.

Paris e Abu Dhabi estão em conversações detalhadas sobre o co-desenvolvimento de uma versão avançada do Rafale, incluindo um motor M88 com 9 ton de empuxo e melhor radar de varredura eletrônica e suíte de guerra eletrônica”

Outros programas a serem adiados, por conta dos cortes de custeio são a implementação do nível quatro do SCCOA sistema aéreo de comando e controle, no valor de cerca de €500 milhões em novos radares, e alguns elementos do programa Scorpion de modernização do armamento de terra, segundo Morin.

FONTE: Defensenews / TRADUÇÃO: Vader

- Advertisement -

81 Comments

Subscribe
Notify of
guest
81 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Andre RC

Na época do desenvolvimento do Eurofighter era para a França ter participado, mas por desentendimentos entre as partes, seguiram por caminhos diferentes.

Só não ocorreu porque a França queria que o Rafale fosse o escolhido pois já estava em desenvolvimento. Mas os outros países do projeto queriam um desenvolvimento conjunto.

Mas analistas militares dizem que o futuro aeronáutica militar européia é um caça comum a todos (pelo menos os membros da União Européia). Os custos de desenvolvimento de caças de última geração estão cada vez mais altos.

Guilherme Poggio

Na época do desenvolvimento do Eurofighter era para a França ter participado, mas por desentendimentos entre as partes, seguiram por caminhos diferentes.

Andre RC, como sugestão fica o texto “Muito antes do Eurofighter”, publicado aqui no blog.

link – http://www.aereo.jor.br/2010/06/14/muito-antes-do-eurofighter-parte-1/

Vader

Em primeiro lugar, loas ao amigo Nick, que encontrou o link. No mais, repito meu comentário, a pedidos: “1. Se não houver encomendas externas, a França terá que desembolsar mais 1 bilhão de Euros apenas para manter a linha aberta, o que explica o desespero da Dassault – a ausência de vendas externas é o principal risco para o programa Rafale; 2. O risco é que, se não vender, pode ocorrer de o governo francês simplesmente não ter tal dinheiro. Nesse caso, a linha do Rafale seria FECHADA, sabe-se lá por quanto tempo, e com que consequências; 3. O encalhe… Read more »

Leamartine Pinheiro de Souza

Sou capaz de apostar que, dentro destas tratativas, estará o propósito da Inglaterra acabar interferindo na transferência de tecnologias do Rafale para o Brasil. É esperar para ver !!!

Leamartine Pinheiro de Souza

Esta eu não entendi, cadê meu Gravatar ?!!

Como pouco entendo deste assunto, e não fiz nenhuma alteração no Gravatar que registrei, por qual motivo ele não fora reproduzido ?!!

Alexandre Galante

Leamartine, acho que seu Gravatar está associado ao seu e-mail do Globo.com, que vc não está mais usando aqui.

Icaro

Parabenizar o Vader pelo texto que ficou excelente!!!

E no mais são as consequencias da crise, a propria reorganização da casa (comum a todo e qlqr ambiente) e os reflexos de decisões pseudo-polico-econimicas feitas no passado.

robert

A França só está colhendo o que plantou.

Robson Br

Todos os países da Europa estão lançando programas de ajuste econômico. O corte é em todas as áreas, mas como aqui o assunto é defesa é claro, somente é comentado defesa. A situação dos cortes da defesa no reino unido para novos projetos é muito maior, principalmente que estão no envovidos em duas grandes guerras. A Suécia é outro país que também passa por dificuldades. Além de colocar parte de sua frota de caças de molho, o único programa relevante foi a contratação da modernização de parte de sua frota C/D. Quanto a sua indústria, depois das entregas das últimas… Read more »

david

como diria um general nosso, vamos voa nessa jaca mesmo, por que se nao comprarmos eles os franceses do biquinho fino vao quebra. Vao ser outra Grecia! Olha o q to dizendo!

Marcos

Certa vez disse que a França estava “Quebrada”, alguns disseram que eu estava viajando, e que ela era a 8ª economia do mundo. Voltei e afirmei que ela estava quebrada e não “Falida”, mas não adiantou, hoje ela busca desesperadamente parceiros para não ter que fechar fabricas e arcar com custos cada vez mais altos para seus cofres publicos. Eles vão fazer de tudo para vender, nem que seja na marra para o Brasil, pois na India, é certo que não estarão na short list. Entrando no “Disse Me Disse” (Que Eu detesto), eu tambem já ouvi (Não só aqui… Read more »

Ricardo_Recife

Na França muita gente tem certeza que largar o Typhoon para aumentar a fortuna do Sr. Dassualt foi um erro. Quem ganhou com o Rafale, a Marine e os políticos do UMP (partido dos sr. Jacques Chirac e Nicolas Sarkozy). A racionalização das atividades de defesa é uma necessidade para os países da OTAN. Inglaterra, Itália e Alemanha tem programas de cooperação intensos que vão além do Typhoon, que certamente é o mais eficiente biturbina construído na Europa. Os países nórdicos estão em melhor situação que os demais, ao sul. Cortaram suas gorduras antes, não estão na zona do euro… Read more »

Walfredo

Concordo com a Vader, Está cada vez mais difícil defender a proposta francesa, talvez isso justifique a delonga. Em verdade, se estão tão desesperados para vender, imagino que possa ocorrer duas coisas. A primeira é a oferta de vantagens não republicanas; a segunda, uma hipótese mais desejada por nós, consistente em uma real parceria, com a venda e transferência real de tecnologia, visando obter parceiros de peso, que possam garantir a escala necessária para a produção e a manutenção de um pensamento geopolítico multilateral (Brasil e Índia). Pena que só saberemos a verdade quando pertencermos ao mais alto escalão do… Read more »

GIL

já gostaria de ver o Brasil quebrado como a França. o que passa é que a França queria um caça que servirá para porta aviões, algo para que o EF-2000 não estava pensado, tambem penso que foi um erro estrategico frances. agora chamar de jaca um avião dos mais modernos é dose, o F-5 que ja nasceu jaca, so que agora é uma jaca defasada, avião de terceira. se o Brasil quer um rafale com mira laser, canhão de ectoplasma, turbina de propulsão velocidade da luz, so precisa pagar, quando vc paga vc conseque tudo de bom e de melhor.… Read more »

GIL

desculpe a falta de acentos, ja e habito mesmo pra escrever mais rapido.

Harry

Caro Robson Br disse: 17 de julho de 2010 às 8:29 O que Vader fala é ao contrario à aquilo que voce diz a muito tempo ” que a Dassult esta imuni ao fator custos e crise economica que vem solapando a Europa “. O raciocio que voce usa para a França. Poque não posso usar para Suecia uma pais tambem que prima pela independencia diplomatica e desenvolvimento do seu parque belico, Poque achar então que o goveerno Sueco irá abandonar a Saab em um projeto de aperfeiçoamento tecnologico que traz vantagens economicas e de conhecimento para o povo e… Read more »

Leandro

Não vou negar que o Rafale é um caça mais bonito que o Eurofighter…
Mas esse lance dele não emplacar nenhuma venda, ao contrário da linhagem Mirage é muito incomodo.
Será que o Brasil vai realmente entrar nessa furada?

DrCockroach

Gostaria de entender a preferencia pelo Rafale. Alguem poderia listar 3 motivos que justificariam o Rafale como a melhor escolha dos 3 finalistas do Fx-2?

[]s!

Guilherme Poggio

Eu posso listar um.

Ele é o mais bonito de todos.

ZE

Vou deixar algo bem claro para os paraquedistas !!!! O nome dessa cooperação entre a França e o Reino Unido, se chama FALTA DE DINHEIRO. A França reduziu o seu orçamento militar no ano passado (2009) em 10%. Esse ano (2010), para variar, ela também reduziu o seu orçamento militar. Quanto ao Rafale, Ministro “carrinho-de-mão” da Defesa da França disse que, para manter a linha de montagem do Rafale aberta, é preciso gastar 1 Bilhão de Euros POR ANO !!! Esse 1 Bilhão de Euros, é o preço que eles pagarm para comprar 11 Rafale e manter a respectiva linha… Read more »

david

dizer que o rafale e a melhor opção e uma bobagem dos baba rafale, esse caça e uma jaca que nem mesmo os mais dispostos a gastar dinheiro( arabes) nao querem, se o brasil entra nessa vai ser uma me… de pais que quer ser o que ainda nao e!
o resto e bobagem!
sou a favor do melhor para o pais nao o pior como essa jaca ai em cima!

Rogério

“Gostaria de entender a preferencia pelo Rafale. Alguem poderia listar 3 motivos que justificariam o Rafale como a melhor escolha dos 3 finalistas do Fx-2?” 1º – Ele é o mais bonitim. 2º – Seus defensores são anti-americanos de carteirinha. 3º – Eles não entendem que o melhor caça não é necessariamente o melhor sistema de defesa, explico: Mirage2000 é melhor que o F-5, mas o sistema F-5 + E-99 é melhor que o sistema Mirage 2000 + E-99. Da mesma forma o Gripen terá uma maior gama de armas desenvolvidas aqui, enquanto armas para Rafale só se forem francesas.… Read more »

Mauricio R.

“…projetou um custo de €1,5 bilhões na oferta francesa líder para um drone comparável, enquanto que o produto americano custaria cerca de 700 milhões de euros…”

EADS e Thales sequer tem um produto concorrente, somente lá por 2018 e ambas as empresas “bateram o pézinho” qndo a AA ventilou a aquisição do sistema americano.
A resposta da AA valeria no Brasil p/ certo ministro de estado que bajula, em demasia a indústria nacional de defesa:

I´ve requirementes!

Algo como:

Eu tenho necessidades!!!

Significando:

Se aqui não há aquilo de que necessito, sei aonde há.

GIL

duas turbinas e melhor que uma, porque para começar se uma falha no caso do avião que tem duas, ele ainda volta pra casa. logo esta o fator que o avião com duas é mais macho que o primeiro, tambem e mais gastoso. o rafale é um vetor no nivel do EF-2000 e eu não vejo ninquem aqui criticando o caça europeu. porque o Rafale não vendeu: porque nessas compras vale mais o peso politico as vezes que o resto, EUA e o resto da UE tem mais peso politico que a França por isso eles emplacaram seus caças por… Read more »

Mauricio R.

“Além de colocar parte de sua frota de caças de molho,…”

Desses, faltam somente 13 p/ tda a frota ser convertida de Gripen A/B p/ C/D.
Deveriamos aproveitar, cancelar os upgrades do AMX (mto poucas células), A-4(a velharia não vai ficar uma aeronave melhor, mesmo) e antecipar a baixa do M-2000(mto poucos, mto caros de manter, isolados do restante da força), adquirindo alguns.
Seria uma economia expressiva, já no médio prezo.

Fernando Sinzato

“Vader disse: 17 de julho de 2010 às 0:42” Caro Vader, Eu penso na seguinte perspectiva em relação a preservação da tradição aeronáutica européia pela ToT para a brasileira. A Europa terá menos dinheiro para a manutenção de suas forças armadas. O Reino Unido está tendo dificuldades para a aquisição de sua ala aérea embarcada. Isto são fatos. Infelizmente, apesar de um ótimo caça, é caro de adquirir e manter. Isto é fato notório, porém no continente europeu a França é a mais avançada em termos de indústria de semicondutores que está intimamente ligada a indústria aeroespacial. O Reino Unido… Read more »

Vader

Guilherme Poggio disse:
17 de julho de 2010 às 12:29

“Eu posso listar um. Ele é o mais bonito de todos.”

Bem, isso é um fato. Apesar da cara de “Pato Donald dando risada”, quando olhado de frente. 🙂

Mauricio R.

“…quando o Serge Dassualt foi explicar na frente do juiz belga o suborno aos membros do partido socialista belga, no Escândalo Agusta,…”

Agusta é um fabricante italiano de helicópteros, o escândalo é outro.

“…was awarded to the French Dassault company. (Years later, in 1996, proof of large bribe sums, paid by Dassault to the Walloon Socialist Party, was found and nearly caused the government to fall.) This program resulted in CARAPACE, a very comprehensive system,…”

(http://www.f-16.net/f-16_users_article2.html)

Karmann

Gil, conforme você postou e já foi debatido aqui, não se pode querer “comprar BMW e pagar preço de Sierra.” Exatamente! Agora, não se esqueça que também não se pode querer ter BMW e paga IPVA de Sierra. Ou seja, o belo avião (pra mim também é o mais bonito) viverá no chão, exposto para quem quiser pagar ingresso para vê-lo. Aí, pela segunda vez (no caso específico do avião), vão te tomar mais uma notinha… Quem você acha que vai pagar a conta? Esses acadêmicos de plantão que defendem o Rafale? É, pensando bem, eles também vão…rsrsrsrsrs. Mas tirando… Read more »

Fernando Sinzato

Se a Índia estivesse interessada, fechou a trifeta…risos.

david

vejamos o brasil com rafale e tipo o pobre que tem um mile e resolve compra um c4 palas ou outro frances qualquer, compra anda gosta, ai vem um defeito vai conserta ond? autorizada ai o rombo e mais embaixo, ai ele lembra por que nao comprei um gol(gripen ng) ou fui de palio mesmo(hornet)
deus nos ajude, sera que ele e brasileiro mesmo?

Fernando Sinzato

O High para aqueles que necessitarem devido a extensão territorial (Rússia, Índia, Brasil), poderia ser na plataforma do PAK-FA com a participação dos países europeus em opções de armas, aviônicos e sensores. O ideal seria outra opção de motorização européia, mas só seria possível, caso houvesse a participação de Brasil e/ou Índia em um caro desenvolvimento de motor.

Fernando Sinzato

DR.

A resposta é a indústria de semicondutores francesa e não os caças em si, acredito eu.

Mas em minha opinião, os franceses estão abusando… Mas, vamos ver o que as próximas rodadas econômicas nos dirá… Sinto, outro BAFO do BAFO do BAFO… manda um caminhão de balas de hortelã por favor! Risos.

Abs.

Vader

GIL disse: 17 de julho de 2010 às 13:07 “duas turbinas e melhor que uma, porque para começar se uma falha no caso do avião que tem duas, ele ainda volta pra casa” Gostaria que o amigo me dissesse quando foi a última vez que um caça monomotor caiu por falha crítica da turbina. Vale no mundo inteiro. Que o amigo me explicasse porque o F-16, o mais bem sucedido projeto de caça das últimas três décadas, é monomotor. E porque os Estados Unidos estão investindo dezenas de bilhões de dólares no seu novo vetor, um monomotor que será a… Read more »

Walfredo

Um pouco off topic, mas importante mencionar que não estamos completamente parados na busca por novas tecnologias. —————————————- Fábrica brasileira de chips O anúncio da criação de uma fábrica brasileira de semicondutores foi feita em janeiro deste ano, mas na ocasião faltava definir qual região seria beneficiada com o negócio. Os chips com memórias ferroelétricas são diferentes dos processadores de computador, que são ferromagnéticos. Uma importante aplicação está nos cartões bancários ou de crédito. As memórias ferroelétricas podem ser lidas e escritas cerca de 100 trilhões de vezes, enquanto a memória magnética de um cartão comum suporta apenas algumas dezenas… Read more »

Vader

Fernando Sinzato disse:
17 de julho de 2010 às 13:11

Fernando, 95% dos aviões que a FAB voa tem turbinas americanas, que são reconhecidamente as melhores do mundo, com as únicas comparáveis sendo as inglesas (Rolls-Royce) e russas (Saturn).

A FAB voa turbinas americanas há DÉCADAS e nunca tivemos problemas com elas.

Não caia nessa esparrela, que isso é conversa de vermelhuxo tonto. O próprio Hugo Chavez, do alto de mais falastrão seu antiamericanismo bocó, recebe manutenção da General Electric nas turbinas dos F-16 de sua FAV.

Abs.

Francisco AMX

E a campanha continua…. faz parte… o choro é livre… Até parece que Alemanha, Suécia e Inglaterra estão num mar de rosas… não foi a Alemanha que cancelou compra do Typhoon? não foi a Inglaterra que desativou e cancelou uma série de compras militares tb? não é a Suécia que não compra o projeto NG? Poggio, o Rafale não só é mais bonito (o que pouco importa), ele é mais equipado que o Demo, ele carrega mais carga paga, tem maior alcance, possui OSF, Radar AESA em vias de entrega para as próximas aeronaves fabricadas, sensores interligados (hardware+sofware) espalhados pelo… Read more »

Vader

Francisco AMX disse: 17 de julho de 2010 às 14:11 “não é a Suécia que não compra o projeto NG?” Mas comprará Chicão. O parlamento deles já aprovou a aquisição. A questão agora é QUANDO e QUANTOS, não mais SE. Sempre lembrando que a Suécia não faz parte da Zona do Euro, e não está tão afeita às incontingências fiscais dos países pequenos (Grécia, Espanha, Portugal, Itália, etc.) do Bloco Comum Europeu quanto França (principalmente, pois seu déficit é imenso), GB (um pouco menos) e Alemanha (o menor déficit de todos – o que a torna na maior fiadora do… Read more »

Luiz Eduardo

Srs. A FAB conheçe muito bem a sua realidade, a do país e da America Latina (que é onde ela tem que se preocupar em manter hegemonia). Imaginemos ela como uma policia: então, ela não quer Ferraris, Porsches, BMW’s e outros bólidos para seus carros-patrulhas, ela simplesmente quer algo atualizado, bom, e com preço que ela possa comprar e manter, e antes de mais nada (coisa principal que fez os fabianos ficarem com urticarias dos franceses), pós-venda de qualidade. Nesse quesito, os americanos e suecos tem bons precedentes (como o sr. NJ gosta de falar), já nossos parceiros estratégicos… Só… Read more »

Luiz Eduardo

Vader disse: 17 de julho de 2010 às 14:00 Vader disse: 17 de julho de 2010 às 14:42 Caro Vader, graças a estes seus dois coments fico na duvida agora se voto entre você e o ZE (e apesar de você ser considerado o malvadão daki) de dar meu voto para próximo Lama zen-budista, pq é brabo, viu… haja paciencia pra ta lendo sempre as mesmas “historinhas” e ter que responder SEMPRE AS MESMAS COISAS! Um dia entra nas cabeçinhas… Que disposição a de vcs pra todo tópico ter que tá falando as mesmas coisas, viu: parabéns! Eu não tenho… Read more »

Fuzila

Olá Vader, Somente gostaria de questionar algumas coisas …. Vader disse: 17 de julho de 2010 às 14:42 “O Rafale faz supercruzeiro? Não? Então não é do mesmo nível do EF-2000. Começa por aí…” A capacidade de supercruzeiro do EF-2000 é discutível, para não dizer inútil … O que dizem é que vazio ele a alcança, se coloca alguns mísseis não chega lá … Não é um F-22 nesse quesito ou estou enganado? — “Não está operacional ainda e a Thales jamais fabricou um AESA antes. O do Gripen (Selex-Galileo Swashplate) já está operacional (a Selex tem mais de um… Read more »

Guilherme Poggio

Vide o Osório se nem o EB comprou a briga desde o início, como iria dar certo?

O Osório era um carro de combate para exportação e não para o EB, mas isso é assunto para outro blog, certo?


A história do EE-T1 Osório

Justin Case

Amigos,

Vejam este filme em que um piloto demonstra algumas capacidades do F-35, um verdadeiro 5ª geração.

http://www.bbc.co.uk/news/uk-10648250

Abraços,

Justin

“Justin Case supports Rafale”

Francisco AMX

“A FAB conheçe muito bem a sua realidade” Claro que conhece! continuem dando cheque em branco assim que nós vamos pagar lá na frente! Realmente a FAB deve conhecer, porém parece não dar bola para isso, pois quer custo reduzido e incha uma força pra lá de inchada! um verdadeiro elefante branco, mal treinado e equipado! são mais de 75mil militares, 2/3 da ADL, o dobro da Força aérea Israelense… é a maior, em efetivo, disparada, força aérea engessada e incapaz do mundo, se compararmos os recursos vs efetivo! e o que fez a FAB neste último ano? inchou mais… Read more »

Vader

Luiz Eduardo disse:
17 de julho de 2010 às 15:05

Excelente comentário Luiz Eduardo.

E obrigado pelos imerecidos elogios. Apenas continuo aqui “tendo paciência” com PQDs e vermelhuxos pelo propósito de aprender (muita coisa) e ensinar (alguma coisa), especialmente a pensar com a (própria) cabeça, e não com a ideologia.

Grande abraço.

ZE

O Parlamento sueco votou favoravelmente acerca do desenvolvimento do Gripen NG (Gripen E/F).

De forma UNÂNIME, o executivo sueco (Conselho de Ministros) referendou a decisão do seu Parlamento.

O comprometimento da Suécia é TOTAL.

O Gripen NG (Gripen E/F) será comprado pelo Governo Sueco (como dito, essa decisão JÁ FOI TOMADA !!!!).

Senhores, a minuta da decisão do Parlamento Sueco já foi POSTADA POR MIM.

Senhores, a decisão, de forma UNÂNIME, do Conselho de Ministros Sueco, já foi POSTADA POR MIM.

Procurem aqui no Blog, que encontrarão !!!!

[ ]s

Fuzila

ZE disse:
17 de julho de 2010 às 15:54

Assinou o contrato? Pagou ?

Intenções de compra isoladas durante a participação em duas concorrências internacionais só deixa a impressão de apoio interno e ajuda à empresa nacional nos processos …

Sem contrato não existe nada real.

ZE

Luiz Eduardo disse:
17 de julho de 2010 às 15:05

Luiz Eduardo, é sempre bom escutar um elogio !!!

Em geral, as pessoas só me criticam !!!

Amigo, vamos ver que bicho vai dar (eu acho que vai dar zebra, aquele bicho listradinho).

[ ]s

Fuzila

Eu ainda prefiro o Rafale. E como segunda opção o amplamente testado SH.

Fuzila

compra-se = comprasse

ZE

O Gripen NG está sendo desenvolvido pela SAAB e seus parceiros.

Exemplo de Parceiros GE, GOVERNO DA SUÉCIA etc etc etc.

Vou repetir um dos PARCEIROS:

GOVERNO DA SUÉCIA (SU – É – CIA) !!!!

[ ]S

Fuzila

Guilherme Poggio disse: 17 de julho de 2010 às 16:17 Foi baseado nesse artigo que fiz a comparação. Aliás, muito bom. Ou a comparação não é válida ? Até o momento ambos, o Osório e o Gripen NG, são ou foram projetos voltados para o mercado externo. O primeiro não deu certo por n fatores, mas a não adoção do EB contribuiu… No meu post anterior, não acredito que tenha mudado o assunto do tópico e nem quis discutir a estória do Osório … Um simples exemplo, até pq uma vez ou outra aqui no blog, temos comparações de aviões… Read more »

Guilherme Poggio

Fuzila

Eu continuo não vendo relação entre o Osório e o Gripen NG. A Força Aérea da Suécia disse que vai comprar o NG. O EB nunca disse que compraria o Osório.

Vader

Fuzila disse: 17 de julho de 2010 às 15:31 “Não é um F-22 nesse quesito ou estou enganado?” De fato, o Typhoon não é um F-22. E pode até ser que vc tenha razão quanto ao seu supercruzeiro (nunca ouvi falar isso, mas enfim). Mas ainda assim o Typhoon faz. O Rafale não. “O radar do rafale estará operacional em 2012, assim o Rafale atingirá plenamente o padrão F3.” Então porque será que os Emirado Árabes querem outro radar? 🙂 “No Gripen o radar pode estar operacional, mas o que importa, que é a aeronave, somente em 2015 ou 16…… Read more »

Vader

Fuzila disse: 17 de julho de 2010 às 16:25 “Foi baseado nesse artigo que fiz a comparação. Aliás, muito bom. Ou a comparação não é válida?” Caro Fuzila, penso não ser válida. Não acho que comparar o Brasil (inda mais o dos anos 80/90) com a Suécia do séc. XXI seja uma comparação válida. Por lá, se os políticos dizem, à UNANIMIDADE, que irão fazer, é porque IRÃO FAZER! Bem diferente daqui, onde o Presidente da República anuncia que se comprará Rafales num dia (07/09/2009) e no outro dia o Ministro da Defesa e o Comandante da Força Aérea vêm… Read more »

Últimas Notícias

Argentina também negocia a compra de caças F-16 da Dinamarca

Segundo o site argentino Pucara.org, as Forças Aéreas da Argentina e da Colômbia estão analisando ofertas para aeronaves Lockheed...
- Advertisement -
- Advertisement -