Home Noticiário Nacional Aeronáutica vai trocar aviões que reabastecem caças

Aeronáutica vai trocar aviões que reabastecem caças

540
58

BOEING-KC-137 - FOTO FAB

vinheta-clipping

Depois da escolha do modelo de caças que serão adquiridos pelo Brasil, a Aeronáutica deve lançar outra licitação no mercado para a compra de aviões que irão reabastecer, no ar, as próprias aeronaves de guerra, informa a coluna de Mônica Bergamo, publicada na edição desta terça-feira da Folha.

Segundo a coluna, os aviões que hoje cumprem a missão são da década de 50 e estão entre os mais velhos do mundo na modalidade.

FONTE: Folha online FOTO: FAB (KC-137 no link papéis de parede)

COLABOROU: Audaz

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
58 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
emerson
emerson
10 anos atrás

Nenhuma novidade. Ótimo. Isso mostra que há um plano bem traçado da FAB com objetivos claros e com os passos bem definidos. Acho uma pena que a Monica Bergamo, que deveria ser uma figura bem informada, não apresente na mesma reportagem o projeto KC390, que no fim fará dobradinha com o C-X como aeronave de abastecimento. Em um post anterior sobre o C5, comentei que acredito na aquisição de 4 Airbus A330, de tal modo que exista uma padronização com o VC01, isso lembrando ainda da oficina de manutenção da TAM em S.Carlos dedicada aos modelos da Airbus. Ainda tenho… Read more »

Alex Nogueira
Alex Nogueira
10 anos atrás

Que decidam logo sobre os caças e que o projeto KC-390 entre logo em fase de produção, pois seria uma pena se o mesmo não fizer parte do inventário da FAB, além do mais comprando da própria “casa” poderiamos chegar a um número entre 8 e 10 unidades reabastecedoras (seria exagero meu pensar nessa quantidade?) e assim ter enfim um grande poder de dissuasão, capaz de operar nos mais exigentes teatros dentro e fora da AL.

O Airbus seria interessante, mas torço pelo KC-390.

Humberto
Humberto
10 anos atrás

Creio que a coisa vá ficar entre os A 330 e Boeing 767 usados e adaptados para cargueiro/reabastecimento (como os KC 137), não acho que vá ser algo muito diferente.
Não sei qual o grau de compatibilidade de um A330 mais antigo com o VC1 (é um da familia A 320/319…certo??) bem mais atual, já li que a cabine são compativeis, mas o resto, deve ser diferente..Estou errado? Mas o raciocinio do Emerson tem pe´e cabeça, ter um minímo de compatibilidade ajuda e muito..
[]

Lywis
Lywis
10 anos atrás

Alex, o KC-390 não compete com nenhuma das aeronaves reabastecedoras que a FAB pretende comprar, inclusive a FAB não deve comprar mais de 4 unidades destes reabastecedores, e pra sorte da EMBRAER a compra de duas dezenas do KC-390 já está garantida e assinadinha no papel, desde a liberação da verba inicial destinada ao desenvolvimento da aeronave.

Nick
Nick
10 anos atrás

Será que não daria para esperar o desenvolvimento do KC390??

Ou talvez esse C-X tenha requisitos de um Cargo/Tanker com maior alcance/payload do que a aeronave da Embraer???? Nesse caso seria uma aeronave como o Emerson disse, o A330 MRTT?

[]’s

Matheusts
Matheusts
10 anos atrás

KC-390 é um reabastecedor basico apenas 2 pequenos tanques nas asas serve mais para pequenas viagens.

Esdras
10 anos atrás

A informação não está muito clara, eu acahava que esta necessidade seria suprida pelo KC-390, mas pelo visto precisam de aviões maiores neste segmento.
Acho muito dificil comprarem o tal A-330 MRTT ….falta grana mesmo

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“…comentei que acredito na aquisição de 4 Airbus A330, de tal modo que exista uma padronização com o VC01, isso…” Os A-330MRTT da Austrália e da Inglaterra estão atrasados e inflacionados. Essa provável comunalidade entre o A-330 e o A-319/320 pode não ser assim tão ampla. “…ainda da oficina de manutenção da TAM em S.Carlos dedicada aos modelos da Airbus.” A FAB por um acaso terceiriza o suporte de manutenção, de alguma de sua aeronaves, como a RAF faz??? Um fato a se considerar é que a antiga VEM Engenhria e Manutenção, chegou a ser homologada pela divisão Bedek da… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

Ah e os A-330MRTT ingleses e australianos, tb não estão em serviço ativo ainda.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
10 anos atrás

Sonho meu, mas o Il-78 (acho que é isso mesmo) russo, capaz de reabastecer 3 aeronaves ao mesmo tempo com o sistema de cesta, seria interessante também né?.

bbc_poa
bbc_poa
10 anos atrás

A GOL/Varig está com uns 767 dando “sopa”, atualmente usado para alguns charter.

São remanescentes da Varig, mas a GOL não conseguiu dar seguimento às rotas européias da Varig.

Numa dessas, a FAB poderia fazer com a GOL como já fez com a Varig ao comprar os B707 para usar como tankers e convertidos nas oficinas da TAP

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

Somente que deveriam prestar maior atenção ao comprimento da mangueira, qndo selecionarem um novo HDU p/ a nova aeronave de REVO.

Robson
Robson
10 anos atrás

Não é de agora que eu tenho essa dúvida, por que o F-5 tem aquele gancho de pouso em porta aviões?

Alex Nogueira
Alex Nogueira
10 anos atrás

O ganço do F-5 é usado para situações de pouso emergenciais, é considerado muito fraco para operações embarcadas.

Uma pena, pois seria muito bom se existisse uma versão embarcada do F-5E/F.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
10 anos atrás

Desculpem escrevi “gancho” errado.

Roberto
Roberto
10 anos atrás

Gancho de parada.
Caso a aeronave perca o sistema de freios, alguns aeródromos possuem
cabos, semelhantes aos dos porta-aviões, que podem ser adapdatos nas cabeceiras das pistas.

rogerio
10 anos atrás

Quando em so se for em 2086

Alexandre GRS
Alexandre GRS
10 anos atrás

Prezados, O KC-390 virá em substiruição dos KC-130, uma outra categoria de aeronave. A FAB planeja a troca dos já combalidos KC-137 que compõe uma outra categoria, diferente do nicho que o KC-390 irá operar. Essa necessidade ficou patente nos últimos anos, onde diversos deslocamentos ao exterior evidenciaram a necessidade de um vetor mais capaz. Observando-se a lógica norteadora ora em vigência, é de se esperar que o consórcio Airbus tenha leve vantagem. O Zero Uno já é Airbus. A FAB já se acostumou com a sua operação e sua logistíca bem como, como o parque de manutenção existente no… Read more »

Paulo Andrade
Paulo Andrade
10 anos atrás

Ótima notícia.
Nossos reabastecedores merecem a aposentadoria, apesar do excelente nível de manutenção.
Acho que acabaremos indo de Boeing, até como uma forma de “compensação” pela provável derrota no FX-2.
Mas não podemos esquecer as recentes vitórias da Airbus nesse segmento, o que lhes dá um ótimo curriculun
Mas voto na Boeing como favorita

Ivan
10 anos atrás

Amigos, Tudo indica que o KC-X é para uma aeronave de porte intercontinental, de porte bem superior ao futuro KC-390. Nesta categoria as opções seriam da Airbus (A-300, A-310 e A330), da Boeing (KC-767 ou um futuro KC-777) ou da Ilyushin (il-78). Na prática a ‘briga’ fica entre o A-330 e KC-767. Aparentemente são aeronaves semelhantes, mas só aparentemente. O A-330 é bem maior, com consequente maior capacidade de carga (principalmente) e combustível. O KC-767 é menor, com consequente menor custo por surtida. Tudo depende da necessidade da FAB. – A que distância ficariam os pontos de REVO da base?… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“Quanto à manutenção não vejo problema algum.
Para a Airbus tem a TAM e para a Boeing tem a VEM.”

A FAB não tem a tradição de terceirizar a manutenção de suas aeronaves, como faz a RAF.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
10 anos atrás

Mudando de vetor mas falando de REVO, os R-99 não possuem sonda né? Teria sido falha por parte da FAB ou EMBRAER não ter colocado uma sonda de reabastecimento?

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

mas falando de REVO, os R-99 não possuem sonda

Alguns anos atrás foi feito um ensaio e se decidiu, que o melhor lugar p/ uma sonda REVO no R-99, seria sobre o nariz.

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

A atual alergia da FAB a produtos franceses vai nos empurrar para o 767.

O problema do R99 com revo é simples..

Ele foi desenhado como aeronave civil e precisaria de um sistema de combustível praticamente novo para funcionar com revo.

Não é só espetar a sonda no tanque e soldar na fuselagem.

Paulo Andrade
Paulo Andrade
10 anos atrás

“Somente que deveriam prestar maior atenção ao comprimento da mangueira, qndo selecionarem um novo HDU p/ a nova aeronave de REVO” Vai ver que FAB não prestará atenção nesse “pequeno” detalhe… “A FAB não tem a tradição de terceirizar a manutenção de suas aeronaves, como faz a RAF.” Se levarmos em conta que um dia a FAF também não nasceu com essa tradição, fica óbvio que a terceirização pode também vir a ser adotada na FAB. Não há problema nenhum disso vir a acontecer no futuro. Mas é claro que alguns não conseguem enxergar nada de positivo. Pura má-vontade “Ah… Read more »

Edcreek
Edcreek
10 anos atrás

OLá,

Psiu, falem baixo se não os lobbys e interesses exclusos, vão levar os meios atuais para o up-grade, e ficaremos limitados com as mesmas aeronaves.

Abraços,

Giordani RS
Giordani RS
10 anos atrás

bbc_poa disse: 11 de maio de 2010 às 13:14 A GOL/Varig está com uns 767 dando “sopa”, atualmente usado para alguns charter. São remanescentes da Varig, mas a GOL não conseguiu dar seguimento às rotas européias da Varig. Numa dessas, a FAB poderia fazer com a GOL como já fez com a Varig ao comprar os B707 para usar como tankers e convertidos nas oficinas da TAP Tchê…não é bem assim para converter em KC…é trabalhoso e em muitos casos, vale mais a pena adquirir um aparelho dedicado do que fazer um NG(next gambiarra). O grande problema com os aviões-cisternas(português… Read more »

gerson carvalho
gerson carvalho
10 anos atrás

Senhores kd os P3AM que nunca chegam?

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“Mas é claro que alguns não conseguem enxergar nada de positivo. Pura má-vontade…”

“Ou seja, por esse raciocínio simplista…”

O cara não sabe como o mercado opera, então fazer o que.

Edu Nicácio
10 anos atrás

Cenário ideal:

60 KC-390 para as três forças
12 transportadores de grande porte para as três forças
4 reabastecedores de grande capacidade para a FAB

#Aviões de combate

120 Su-35BM para ONTEM
120 Su-50 até 2025
100 novos Super Tucanos para as fronteiras

Uso de VANT’s á vontade pelas três forças

czarccc
czarccc
10 anos atrás

Mauricio R. disse: 11 de maio de 2010 às 14:40 “Quanto à manutenção não vejo problema algum. Para a Airbus tem a TAM e para a Boeing tem a VEM.” A FAB não tem a tradição de terceirizar a manutenção de suas aeronaves, como faz a RAF. A FAB e os PAMA contratam empresas privadas a rodo para serviços de manutenção e logística. Juntei uma pancada de exemplos aí embaixo: EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO Processo Administrativo de Gestão: nº 67115.001719/2009-98. Inexigibilidade de Licitação nº 004/PAMASP/2009. Objeto: Prestação dos serviços de Suporte (Manutenção Programada, Não-Programada e Reforma) baseados em Horas… Read more »

Marcelo Tadeu
Marcelo Tadeu
10 anos atrás

Os KC-137 são usados mais não são os aviões mais antigos do mundo neste uso. Tem KC-135 bem mais voado por aí!!!

emerson
emerson
10 anos atrás

Sobre a questão da manutenção dos Airbus, o VC01 recebe sua manuntenção na oficina da TAM em S.Carlos. Uma vez, visitando o museu ao lado da oficina encontrei o VC01 estacionado lá, com o pessoal abrindo as turbinas.

Assim, posso dizer por ser testemunha que em determinados casos a FAB contrata manuntenção de oficinas civis homologadas.

Galileu
Galileu
10 anos atrás

hahahah precisa ser vidente pra ver que o KC-390 vai demorar……………….

Osasco
Osasco
10 anos atrás

Não entendo porque o Brasil precisa reabastecedor. Isso não é para quem vai atravessar o aceano ou atacar países em outro continente? Também precisa ter porta aviões para isso. Que rolo né?

Wilhelm Ax
Wilhelm Ax
10 anos atrás

Pow, pega um E-190 tira as poltronas, bota um caninho atrás e tá de boa.

emerson
emerson
10 anos atrás

Um avião do porte de um A330 serviria para muitas coisas além de abastecer os caças em missões de longa distância. O esquadrão corsãrio faz essas missões empregando o KC135. Um novo avião com capacidade similar aos velhos KC135 servirá para levar tropas em missões de paz, como no Haiti, para buscar brasileiros em condição de emergência como ocorreu em desastres naturais como nas tsunamis e terremotos; também serviria para abastecer os caças em missões transatlânticas, por exemplo em participações em missões de paz ou treinamento; serviria para transporte de cargas em longas distâncias tanto para abastecer tropas em missões… Read more »

czarccc
czarccc
10 anos atrás

emerson disse: 11 de maio de 2010 às 17:18 Sobre a questão da manutenção dos Airbus, o VC01 recebe sua manuntenção na oficina da TAM em S.Carlos. Uma vez, visitando o museu ao lado da oficina encontrei o VC01 estacionado lá, com o pessoal abrindo as turbinas. Assim, posso dizer por ser testemunha que em determinados casos a FAB contrata manuntenção de oficinas civis homologadas. Dei mais uma procurada e achei um específico do VC-1 com a TAM sendo contratada: EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITACAO Nº 12/DIRMAB/04 OBJETO: Servico de manutencao programada e nao programada, com fornecimento de material, da… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“O esquadrão corsãrio faz essas missões empregando o KC135.” “…similar aos velhos KC135 servirá para levar…” “…responsabilidade do esquadrão corsário hoje empregando o KC135…” Nossa, eu queimo a minha língua c/ as terceirizações da FAB e isto se reflete no Emerson. “…a idéia de empregar KC190 seria bem interessante…” Não vejo futuro, pois no mercado tem aeronave REVO que transfere de combustível o mesmo tanto que um ERJ-190 pesa, então não justificaria o custo de desenvolvimento. Para comparação, o KC-10A pode carregar 160.000Kg limitado ao peso máximo de decolagem; o KC-767(Japão/Itália mas não KC-X) tb carrega 160.000Kg e o A-330MRTT… Read more »

Ricardo_Recife
Ricardo_Recife
10 anos atrás

Eu somente espero que seja a FAB a escolher a nova aeronave de Revo e nenhum idiota venha falar em “parceria estratégica” para enfiar uma nova jaca grande a força.

Marcos Pesado
Marcos Pesado
10 anos atrás

A FAB, pelo que eu sei, não opera o KC-135, mas sim o KC-137, que é a versão/conversão do B707 para uso militar.

emerson
emerson
10 anos atrás

Olá Marcos,

Voce tem razão, errei no código do 707 da FAB.

sr.ricardo
sr.ricardo
10 anos atrás

Senhores A FAB usa o K C – 1 3 7 uma MILITARIZAÇÃO do transporte CIVIL 707. Já a USAF usa o K C – 1 3 5 um 707 que já “NASCEU” MILITAR. Curiosamente o 137 tem uma capacidade volumétrica maior que o 135, embora os números desse último sejam melhores. Já se fala nessa substituição deste o lançamento do “Programa Fênix” mas ainda não entendi se a desativação desses vetores esta relacionada ao custo de manutenção ou estado das células. Na verdade sempre achei que era desculpa do FHC para encher a TAM de dinheiro público – aliás… Read more »

czarccc
czarccc
10 anos atrás

Acredito que uma versão do B777-200LR ou do A340-500 para REVO seriam o bixo! Mas entre os dois oferecidos atualmente, KC-767 e A330 MRTT, sou mais o Airbus. Ele leva 110.000 kg enquanto o KC-767 leva 70.000 kg (acho que você confundiu Mauricio, são 160.000 lb), menos que um KC-135. Acho que por isso o A330 MRTT tá se saindo melhor nas concorrências recentes. Mas como eu disse, um 777-200LR seria imbatível contra esses dois. Cogitou-se em apresentar uma versão dele para o KC-X na iminência da derrota do KC-767 para o A330 MRTT, mas o programa foi adiado…

RenanZ
RenanZ
10 anos atrás

Ahan !!!

Mais de Dez anos para decidir p… nenhuma com caças,

Agora inventam de fazer o mesmo com os reabastecedores ?!?!?!?
Tem que rir para não chorar !!!

czarccc
czarccc
10 anos atrás

Lendo o post do sr. ricardo fui ler algo sobre os Il-78. São respeitáveis. Levam mais de 130.000 kg de combutível. Mais um bom candidato.

czarccc
czarccc
10 anos atrás

Pois então RenanZ, acredito que seja uma compra que envolva menos polêmica que o FX-2, mas nunca devemos subestimar. A concorrência dos EUA rendeu uma polêmica gigante e foi adiada… 😉

Cmdt Oliveira
Cmdt Oliveira
10 anos atrás

KKKK…tem gente mesmo q não tem jeito…os fanaticos por avioes russos querem q nós brasileiros com centros de manutenção de boeing e airbus e peças faceis de encontrar em qualquer esquina optamos por encomendar Il78? Deve ser bem baratinho manter essas crianças! rss…desculpe mas nao aguentei. Aqui nao é Venezuela, não existe embargo p nós. Botem a mao na cabeça! Sds

bbc_poa
bbc_poa
10 anos atrás

Giordani RS disse:
11 de maio de 2010 às 15:37

Interessante, Giordani. Confesso que não sabia que a adapação REVO era assim tão complicada.

Mas entre os dois tankers “padrão” do mercado, creio que seria mais negócio o A330 mesmo. O KC-390 com certeza vai ajudar nesta tarefa, mas por mais que se tenha 20 unidades (no mínimo) é um avião de categoria diferente, mesmo ele estando no inventário da FAB precisamos de um tanker maior, do porte dos KC-137.

Curiosidade: Alguém sabe quem fez a conversão dos B707 da Varig para KC-137 nos anos 80?

Humberto
Humberto
10 anos atrás

Senhores, O A-330 MRTT é muito caminhão para a nossa areia e o seria subutilizado, sem contar o seu alto custo (vendo a situação da nossa força aerea), com certeza existem outras prioridades. Explicando um pouco mais sobre o reabatecimento que muitas vezes esquecemos, existem duas formas de reabastecimento aereo: 1-) Sonda e cesto, no qual a FAB utiliza hoje nos M-2000, F-5, A1 (e pelas ilustrações o R-99) inclusive nos Rafale e nos F-18 (creio que o NG tb). As publicaçõeos dizem que como o A-330 é derivado do A-340, colocar no lugar onde estariam as turbinas do A-340… Read more »