quarta-feira, outubro 20, 2021

Gripen para o Brasil

BAST compartilhará instalações com atividades civis

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Objetivos principais seriam a exploração ‘off-shore’ e o turismo

nubast

A prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito (PMDB), anunciou ontem que “dentro de algumas semanas” assinará convênio com a Força Aérea Brasileira (FAB) para utilização compartilhada do espaço da Base Aérea de Santos, em Vicente de Carvalho. A medida permitirá que, além das atividades militares (exclusivas até então), o local passe também a ser explorado com fins comerciais, a partir da implantação de um aeroporto civil de caráter metropolitano.

Para que a iniciativa se concretize, porém, a Prefeitura terá que arcar com uma série de custos financeiros, estimados em R$ 20 milhões. Essa verba, segundo Maria Antonieta de Brito, será destina à construção de novas instalações para a Aeronáutica e serviços de melhorias e readequação dos próprios existentes no local.

“Já estudamos o convênio e, em breve, a gente deve celebrá-lo. Finalizado e pactuado o que cada um tem de responsabilidade, o negócio é começar as obras. Será o início efetivo”, disse a prefeita, que quer atrair para Guarujá voos de negócios turísticos e, principalmente, helicopteros, com o objetivo de atender à Petrobras nas atividades do pré-sal e na rede hoteleira do Municipio. Ela disse que a Cidade está localizada em ponto estratégico, central, entre os campos de Merluza e Mexilhão, o que pode servir de apoio às plataformas da estatal na Bacia de Santos. Amparada nessa tese, defende a criação de uma “Linha Petroleira Aeroportuária” interligando a Base Aérea de Santos aos demais aeroportos que prestam serviços à estatal.

bast-map

OTIMISMO

“Pactuado o que cada um tem de responsabilidade, o negócio é começar as obras”

“Guarujá está preparada e amadurecida para dar suporte essa atividades na Baixada Santista”, sinalizou a prefeita, que tem mantido contado com dirigentes da empresa e aguarda por uma posição em relação ao assunto.

PETROBRAS

Em coletiva à imprensa no seminário Gás na Economia, promovido por A Tribuna, durante esta semana, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, disse que a utilização da Base Aérea de Santos “é uma das possibilidades a ser estudada (para a exploração da Bacia de Santos), principalmente por dar apoio logísitico às bases da empresa”.

FONTE: A Tribuna
FOTO: FAB, goolge Earth

NOTA DO BLOG: Em 16 de novembro de 2005 foi ativada a Primeira Força Aérea (I FAE), na cidade de Parnamirim, região metropolitana de Natal (RN), centralizando todas as unidades de treinamento da FAB. Sendo assim o 1º/11º GAv, responsável pelo treinamento dos pilotos de asas rotativas, foi transferido totalmente para Natal no final do ano de 2006. Ao término da transferência daquela unidade aérea da FAB, a Base Aérea de Santos foi desativada.

No seu lugar foi criado o Núcleo da Base Aérea de Santos (NuBAST) em 11 de janeiro de 2007. O núcleo tem por missão dar apoio necessário ao cumprimento das missões das Unidades Aérea que nele operem temporariamente ou das aeronaves que por ele transitem, a segurança na área de sua jurisdição e a conservação das instalações e equipamentos do acervo patrimonial sob sua responsabilidade.

- Advertisement -

28 Comments

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Noel

Esta OM, NuBAST, não tem mais razão de existir, a área já deveria ter sido transferida para outra esfera pública, Marinha se existisse interesse, Estado de SP ou Município de Guarujá, no mais tardar em fins de 2008, pois nesse tempo todo ela só deu despesas prá FAB, em pessoal lotados na OM e vida vegetativa prá mantela; o problema, é a difículdade repassar áreas militares, o EB tem alguns casos no Rio, particularmente, que já lhe deu muita “dor de cabeça”. Um programa de racionalização de instalações militares, já poderia estar sendo estudado pelo MD, já que eles querem… Read more »

Sérgio

Transfere para o Marcelo OSTRA, aí terá espaço não somente para colocar as miniaturas navais, mas administrar um Museu Aeronáutico!!

Alguém sabe a extensão da pista??
Dá para largadas Tb.!

kaleu

Putz excelente noticia … a baixada santista necessita de um aeroporto civil a muito tempo … parabéns à Prefeita

kaleu

Robson Br

É uma excelente notícia, não sei se a pista tem comprimento para operar aeronaves de maior porte ou se tem espaço para expanção. A Visão da Prefeita Maria Antunieta foi muito grande, pois larga na frente para operação de aeronaves principalmente de helicopteros. Quem conhece Macaé e Campos sabe como funciona. Vinte milhões é até pouco para um retorno garantido. Provavelmente grande parte das empresas vão se instalar em Guarujá. É como no caso da bacia de Campos, onde o maior movimento da industria petrolífera fica em Macaé. Quanto a Base Aeronáutica acho que deve ser mantido pelo menos um… Read more »

Diego

Meio off….a foto dos Helis ficou muito boa!!
Em breve teremos Mi-35 nessa formação, o que vai embelezar mais ainda.
Abs!

João Curitiba

Esta prefeita enxerga longe. Pena que a pista não possui área para expansão.
Abraços

JSilva

Para nós filhos e orfãos da BAST é triste ver essa foto, porque ela mostra mais uma anomalia tipicamente brasileira. A BAST desde o final dos anos 70 viveu em funcao da formacao de pilotos e mecanicos de asas rotativas e a transferencia do 1/11 GAv (quanta saudades dos Bolhas e Sapões) para Natal decretou o seu fim. Nessa foto aparece uma situacao que representa uma coisa que nunca aconteceu quando ela tinha a condicao de Base, mas que passou a ser comum depois de ser rebaixada, novamente, a Nucleo de Base: A realizacao de exercicios de “porte” em suas… Read more »

Sérgio

Pista com 1390 mts. semelhante a do S.Dumont, região com nevoeiros frequentes e habitações próximas é problema, mas 1930 em fotos históricas o sentido da pista era transverso ao atual, na direção dos fundos ou frentes – sei lá – dos hangares. Esse local seria realmente ideal p/ apoio offshore e não explorado por cia.aérea normal, além de um destacamento SAR, devido ao movimentado litoral.
Lembrando q os “Sapões” que aí operaram, tiveram participação nos resgates do Edif. Joelma.

Marcelo Ostra

isso ai Sergio, 1.400 m arredondado

mas lembrar que um oouco mais a frente do final da pista estão os cabos de alta tensão da ligação Itatinga-Porto de Santos

Servi lá, de onde tenho um carinho muito especial

como o zé falou, o engraçado é que desde sua baixa, ja vimos uns 3 execicios de vulto aqui n0 NuBAST

Abs
MO

JSilva

Sergio,

Vc tem a mesma ideia que coloco para vários amigos meus de trabalho, que é o uso da Base para o apoio as operacoes off-shore.

Sérgio

MO e JSilva OM desativadas nos dão um certo ar melancólico, aqui em S.Gonçalo-RJ, ficava o 3ºBI e em Niterói o 19ºBLog, locais onde meus filhos serviram. Até hoje quando transitamos eles olham diferentes. No 19, dá para ver o muro da garagem consertado – o meu mais velho ligou o REW, estava engatado, o guincho dianteiro derrubou a parte de baixo da janela, só com o arranque e tive q levar o material p/ conserto, “dele”, enquanto detido -, já meu local “para lembranças”, fica mais distante daqui e próximo daí, mais precisamente no Cambuci em Sampa – QG… Read more »

Alexandre

O NuBast ou BAST como eu conheci, tem sim potencial para abrigar Helis offshore(Petrobras), um GAV com atividades SAR e patrulhamento, devido ao movimentado litoral.
Até alguns anos abrigou o 1º/11º GAV.
Com todas as dificuldades aqui alencadas…uma nova missão e o compartilhamento dessa OM com a iniciativa privada seria o melhor caminho.

Cmte Quesada

A concretização de um aeroporto civil de porte médio na BAST e’ uma coisa esperada a algumas décadas. Infelizmente nunca acontece. E acredito que também não será agora. Na verdade as condições meteorológicas constantes em Santos/Guaruja e’ um empecilho a uma utilização normal desse aeroporto. Talvez um ILS ajudasse, mas não consigo ver a baixada santista como um local com volume de trafego aéreo suficiente para investimentos desse nível. Enfim, e’ triste ver o desaparecimento dessa Base Aerea, na qual servi como 2* Ten Aviador, instrutor de helicópteros, entre 1976/1979 e ate hoje guardo lembranças maravilhosas daquela época. Abraços a… Read more »

Noel

Esta OM, NuBAST, não tem mais razão de existir, a área já deveria ter sido transferida para outra esfera pública, Marinha se existisse interesse, Estado de SP ou Município de Guarujá, no mais tardar em fins de 2008, pois nesse tempo todo ela só deu despesas prá FAB, em pessoal lotados na OM e vida vegetativa prá mantela; o problema, é a difículdade repassar áreas militares, o EB tem alguns casos no Rio, particularmente, que já lhe deu muita “dor de cabeça”. Um programa de racionalização de instalações militares, já poderia estar sendo estudado pelo MD, já que eles querem… Read more »

Sérgio

Transfere para o Marcelo OSTRA, aí terá espaço não somente para colocar as miniaturas navais, mas administrar um Museu Aeronáutico!!

Alguém sabe a extensão da pista??
Dá para largadas Tb.!

kaleu

Putz excelente noticia … a baixada santista necessita de um aeroporto civil a muito tempo … parabéns à Prefeita

kaleu

Robson Br

É uma excelente notícia, não sei se a pista tem comprimento para operar aeronaves de maior porte ou se tem espaço para expanção. A Visão da Prefeita Maria Antunieta foi muito grande, pois larga na frente para operação de aeronaves principalmente de helicopteros. Quem conhece Macaé e Campos sabe como funciona. Vinte milhões é até pouco para um retorno garantido. Provavelmente grande parte das empresas vão se instalar em Guarujá. É como no caso da bacia de Campos, onde o maior movimento da industria petrolífera fica em Macaé. Quanto a Base Aeronáutica acho que deve ser mantido pelo menos um… Read more »

Diego

Meio off….a foto dos Helis ficou muito boa!!
Em breve teremos Mi-35 nessa formação, o que vai embelezar mais ainda.
Abs!

João Curitiba

Esta prefeita enxerga longe. Pena que a pista não possui área para expansão.
Abraços

JSilva

Para nós filhos e orfãos da BAST é triste ver essa foto, porque ela mostra mais uma anomalia tipicamente brasileira. A BAST desde o final dos anos 70 viveu em funcao da formacao de pilotos e mecanicos de asas rotativas e a transferencia do 1/11 GAv (quanta saudades dos Bolhas e Sapões) para Natal decretou o seu fim. Nessa foto aparece uma situacao que representa uma coisa que nunca aconteceu quando ela tinha a condicao de Base, mas que passou a ser comum depois de ser rebaixada, novamente, a Nucleo de Base: A realizacao de exercicios de “porte” em suas… Read more »

Sérgio

Pista com 1390 mts. semelhante a do S.Dumont, região com nevoeiros frequentes e habitações próximas é problema, mas 1930 em fotos históricas o sentido da pista era transverso ao atual, na direção dos fundos ou frentes – sei lá – dos hangares. Esse local seria realmente ideal p/ apoio offshore e não explorado por cia.aérea normal, além de um destacamento SAR, devido ao movimentado litoral.
Lembrando q os “Sapões” que aí operaram, tiveram participação nos resgates do Edif. Joelma.

Marcelo Ostra

isso ai Sergio, 1.400 m arredondado

mas lembrar que um oouco mais a frente do final da pista estão os cabos de alta tensão da ligação Itatinga-Porto de Santos

Servi lá, de onde tenho um carinho muito especial

como o zé falou, o engraçado é que desde sua baixa, ja vimos uns 3 execicios de vulto aqui n0 NuBAST

Abs
MO

JSilva

Sergio,

Vc tem a mesma ideia que coloco para vários amigos meus de trabalho, que é o uso da Base para o apoio as operacoes off-shore.

Sérgio

MO e JSilva OM desativadas nos dão um certo ar melancólico, aqui em S.Gonçalo-RJ, ficava o 3ºBI e em Niterói o 19ºBLog, locais onde meus filhos serviram. Até hoje quando transitamos eles olham diferentes. No 19, dá para ver o muro da garagem consertado – o meu mais velho ligou o REW, estava engatado, o guincho dianteiro derrubou a parte de baixo da janela, só com o arranque e tive q levar o material p/ conserto, “dele”, enquanto detido -, já meu local “para lembranças”, fica mais distante daqui e próximo daí, mais precisamente no Cambuci em Sampa – QG… Read more »

Alexandre

O NuBast ou BAST como eu conheci, tem sim potencial para abrigar Helis offshore(Petrobras), um GAV com atividades SAR e patrulhamento, devido ao movimentado litoral.
Até alguns anos abrigou o 1º/11º GAV.
Com todas as dificuldades aqui alencadas…uma nova missão e o compartilhamento dessa OM com a iniciativa privada seria o melhor caminho.

Cmte Quesada

A concretização de um aeroporto civil de porte médio na BAST e’ uma coisa esperada a algumas décadas. Infelizmente nunca acontece. E acredito que também não será agora. Na verdade as condições meteorológicas constantes em Santos/Guaruja e’ um empecilho a uma utilização normal desse aeroporto. Talvez um ILS ajudasse, mas não consigo ver a baixada santista como um local com volume de trafego aéreo suficiente para investimentos desse nível. Enfim, e’ triste ver o desaparecimento dessa Base Aerea, na qual servi como 2* Ten Aviador, instrutor de helicópteros, entre 1976/1979 e ate hoje guardo lembranças maravilhosas daquela época. Abraços a… Read more »

Silvio Macedo

Toda vez que ouvia falar sobre a desativação da Base Aérea de Santos ficava triste. Sou professor e já lecionei em uma Escola do Estado próximo à Base. Na minha opinião os Governos municipal, Estadual e Federal deveriam dar mais atenção e investir num futuro não muito distante, sobre a possibilidade da Base Aérea ser um aeroporto civil como desejava o nosso saudoso e já falecido Prefeito Maurici Mariano.

Anonimo

a base vai ficar bem onde ela está, até agora nada foi feito e não se tem idéia de nada, não será transferida e muito menos desativada, o máximo que pode aconteçer é reduzir seu espaço territorial e só, nada além disso.

Últimas Notícias

Acompanhe a estreia do 1º episódio da websérie Colaboração Real 4 no YouTube

Em 21 de outubro, às 11h, estreia o primeiro episódio da quarta temporada da websérie Colaboração Real no canal...
- Advertisement -
- Advertisement -