Home Sistemas de Armas Cronograma de chegada dos Mi-35M da Força Aérea Brasileira

Cronograma de chegada dos Mi-35M da Força Aérea Brasileira

1196
189

mi_35

A Força Aérea Brasileira deverá receber 12 helicópteros de ataque e transporte MI-35M, um simulador de vôo, suporte operacional, suporte logístico e treinamento de emprego. No programa de aquisição das aeronaves, também foi inserida a transferência de tecnologia, para a construção de Banco de Dados Visuais para o simulador de vôo. Foram garantidos também  quatro projetos no Programa de Off-set.
Serão fornecidas pelo fabricante as especificações necessárias para que sejam identificados e utilizados produtos químicos e especiais nacionais;

Cronograma de recebimento das aeronaves:
• 1º Lote (3 aeronaves) > agosto de 2009
• Simulador de vôo > novembro de 2009
• 2º Lote (3 aeronaves) > abril de 2010
• 3º Lote (3 aeronaves) > dezembro de 2010
• 4º Lote (3 aeronaves) > agosto de 2011

mi-35m

mi-35m

Subscribe
Notify of
guest
189 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Almeida
Almeida
11 anos atrás

Hum, teve offsets eh? Bem mais interessante. E gostei dos prazos de entrega.

Vamos ver agora se a Aeroeletronica faz um pacote de avionicos e sensores moderno e se o EB consegue recebe-los ao inves da FAB…

mario
mario
11 anos atrás

oq eu não gostei é que são só 12,pra mim seria intereçante ums 50-100 desses no mínimo

mario
mario
11 anos atrás

vai ve que entra aquela desculpa de “testar”o equipamento russo,vai saber essas coisas

Almeida
Almeida
11 anos atrás

Mauro em 04 mar, 2009 às 20:39

Clap, clap, clap!

LeoPaiva
LeoPaiva
11 anos atrás

Falou tudo o colega Mauro, só faço uma ressalva sobre a disputa entre as forças para ficar com a operação, já ouvi falar que houve sim uma disputa, mas para não ficar com a operação do aparelho, entretanto, tanto em um caso como no outro, são especulações e só o tempo responderá a essa questão. A matéria esclarece um pouco mais sobre o pacote negociado, só faltou detalhar que tipo de armamentos, standard ou incorporado, serão fornecidos ou adaptados posteriormente. Torço pelo sucesso do aparelho, pelo bem de nossas FAs, afinal foram comprados com nosso dinheiro também. Só espero que… Read more »

gaspar
gaspar
11 anos atrás

bom, se eles forem iguais aos Ladas, estamaos tranquilo… funciona ate sem combustivel…
para “testes”, as 12 unidades sao suficientes…

angelo
angelo
11 anos atrás

Mas que são feios, isso são… hehehehehe…

leonardo
11 anos atrás

angelo concordo plenamente alem de ser feio ainda sao apenas 12 fala serio

clêuber
clêuber
11 anos atrás

Fico bastate contente com o cronograma de entrega dos mil 35 da fab.Mas fica a pergunta: que pacote de armamento irá ser adotado pela FAB?Acho que o Brasil deveria adotar 40 mil35 atraves da FAB e adotar 40 KA50/52 para o exercito e mais 40 KA50/52 para os fuzileiros navais.Seria muito interessante dotar as três força de ótimas escoltas de infantaria e agentes saturadores de tropas e blindados.Isso colocaria o Brasil num patamar jamais visto antes de apoio aereo aproximado para a infantaria das três forças!Isso seria magnífico!Minha humilde opinião.

CETEANO
CETEANO
11 anos atrás

Penso que seria mais sensato o EB empregar esse tipo de arma e não a FAB. Da mesma forma, a patrulha marítima deveria ser atribuição da MB. Quem tem que caçar submarinos é quem realmente entende de guerra anti-submarino. O P-3 deveria ser operado pela Marinha de Guerra, como é mundo afora. Essas vaidades entre as Forças Armadas só as prejudica. Uma definição mais séria das tarefas e atribuições de cada uma provocaria uma melhor racionalização dos meios e dos recursos a elas destinados. Juridicamente, hoje a FAB não permite que o EB tenha os seus aviões de transporte de… Read more »

trackback
11 anos atrás

[…] até agora. Saiu no Blog do Poder Aéreo: Cronograma de recebimento das aeronaves: • 1º Lote (3 aeronaves) > agosto de 2009 • Simulador […]

Tiago Jeronimo
Tiago Jeronimo
11 anos atrás

A dúvida que persiste é que tipo de armas acompanharam os helis?

Paulo Renato
Paulo Renato
11 anos atrás

Bom como todos dizem no comentárioas acima testar os helis pra ver como eria o pós venda eu acho que não, até pq o resultado do Fx está pra sair no meio do ano.

Vamos aguardar pra ver o que vai dar.

Abs.

Fábio Max
11 anos atrás

Interessante.

Se falou em entregas apenas para 2012 e jpa em 2009 elas acontecerão!

É ótima notícia!

Sinal de que as coisas estão andando.

Roberto
Roberto
11 anos atrás

Caramba! vamos receber 3 aeronaves já este ano? maravilha! Pensei que era só pra 2012.Espero que esses helicópteros venham a aumentar a capacidade de combate da FAB.Espero que o EB consiga operar algumas unidades também.Será a 1º vez que teremos um helicóptero puro sangue de ataque,com 4 off-sets e transferência de tecnologia para o simulador de voo.Falta só os armamentos. Até a Bolívia vai receber helicóptero russo. Moscou vai entregar no mês de abril dois helicópteros Mi-17 para a Bolívia. Segundo Felipe Carceres, vice-ministro de Defesa Social da Bolívia, os aparelhos serão usados no combate ao terrorismo e ao narcotráfico.… Read more »

Antonio João
Antonio João
11 anos atrás

Na primeira foto caadê a metralhadora do nariz da aerenave e o canhão lateral? O pneu ta furado ou será que é assim mesmo..rsrrs

Abraços

André C
André C
11 anos atrás

Ouvi que a Mectron estava estudando a posibilidade de desenvolver uma versão do MSS 1.2 para uso em helicopteros ,sera que seria viavel utilizar a dupla MSS 1.2 + MI-35 ???

André
André
11 anos atrás

Deslculpa pelo “off-topic”, mais segundo a noticia divulgada pelo Valor Econômico

” A MBDA, fabricante europeia de mísseis, já fechou acordo com duas brasileiras, a Avibras e a Mectron, . Essas três empresas já estão desenvolvendo um novo míssil que será feito no Brasil, segundo o diretor de vendas da MBDA, Patrick de La Ravelière.”

Que tipo de míssil será esse ????????????????

Flamenguista
Flamenguista
11 anos atrás

Poderíamos fazer um exercício de qual será a designação desses helis.

Eu aposto em A-35 ou HA-35.
Façam suas apostas….

gerson
gerson
11 anos atrás

CARA NÃO DA PRA ENTENDER ESSES HELICOPTEROS NA FAB.( QUAL SERIA SUA FUNÇÃO???) ACHO QUE MAIS SUPER-TUCANOS SERIA A MELHOR OPÇÃO.

CONCORDO SE FOSSE PRO EXERCITO.

VAI ENTENDER…

ABRAÇO

Mirage
Mirage
11 anos atrás

Antonio João, é que abasteceram, verificaram o óleo mas faltou calibrar os pneus. hehehehe

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Que bom!
mas eu ainda acho que os Helis deveriam ir para o EB, e deveriam ser comprados BlackHawks com GAUs ao invés deste gigante, com silhueta enorme e grande radiação de calor, é sabido que guerrilheiros das FARCS possuem IGLAS, por exemplo, além da maioria dos nossos vizinhos… uma grande ameaça a um gigante como estes, lembrem-se da Chechenia! eles eram abatidos com certa facilidade.. o seker dos iglas travavam estes a distancias bem maiores que os KA50…. minha opinião! além do mais os BH são muito eficientes para assalto com as GAUs….

Abraços
Francisco

Claudio
Claudio
11 anos atrás

O Mi-35 não é para fazer patrulha, os russos têm um uso específico para ele, que é sair da base, fazer o ataque e voltar. Ele não fica dando sopa por ai. Como todos sabem, a compra do Mi-35 foi política, portanto 12 como compra inicial está de bom tamanho, será um teste para a cadeia de suprimentos, caso de certo, pode abrir caminho para outros armamentos russos. A questões importantes sobre ele, é quais os armamento que serão comprados, segundo comentários em outros fóruns, ele vai vir apenas com um canhão 30mm e estudava-se a possibilidade dos mísseis serem… Read more »

Fábio Max
11 anos atrás

Eu penso que esses helis servem para operações especiais.

Um comando armado, o heli chega atirando, faz um estrago danado e depois desembarca os soldados que leva para limpar o campo e arrematar.

É um pesadelo para traficantes e guerrilheiros, embora, é bem dito, não o seja para quem é tão equipado a ponto de ter mísseis, como as FARC, que se tem equipamentos assim, é porque têm ajuda de governos, que podemos imaginar quais são.

Fábio Max
11 anos atrás

De qualquer modo, pergunto:

Das encomendas de equipamentos feitas pelo Brasil nos últimos anos, qual outra, teve entregas tão rápidas?

Isso desmente em parte a versão segundo a qual os russos não são bons em logística.

Pedro Rocha
Pedro Rocha
11 anos atrás

Olá senhores! No nosso mundo de entusiastas existem criticas que eu sinceramente não entendo! Nunca entendi as criticas ao Mi 35! Vejam bem senhores o Mi 24 (o antecessor do nosso Mi 35) nasceu numa época que os projetistas soviéticos desenvolviam produtos para necessidades especificas, ou seja, nenhum produto multi-propósito. O Mi 24 fora desenvolvido especificamente para as forças especiais! A função de antitanque era secundaria, haja vista, que a União Soviética possuía maioria esmagadora de taques em relação a Otan. Um helicóptero de transporte de oito comandos equipados e com capacidade de apoiá-los em ataques! Nas missões CSAR ocidentais… Read more »

TENENTE
TENENTE
11 anos atrás

E por falar em helicopteros,por que ainda não desenvolveram uma versão “composta” do Mi-35?(1/2 avião-1/2 heli)Aumentaria muito a velocidade e o alcance, e seria otimo para os fuzileiros.

http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/ca/aco02comp.html

SDS.

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

Flamenguista,

Voto no HA-35. A é dado aos aviões de ataque.

abraços.

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

E quanto ao armamento???? nada se fala. SErá que vem pelados da silva????? tomara que não;

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Bons comentários do Fabio, Cláudio e do Pedro Rocha! Cláudio, o que falei sobre o Mi-35, que eu aprecio bastante pela vesatilidade e robustez, foi só para expor meu ponto de vista, baseado ao meu ver, num paradoxo que é o Mi-35, capaz de levar destruição infernal ao inimigo, e ser derrubado por tiros de AK-47, e mais facilmente por misseis AA de ombro, como o Igla, ele emite muito mais calor que um BH e Kamov K50 ou o Havooc… além de ser mais “vistoso” há várias situações, parecidas com a enfrentada pelos americanos na Somália, quando da invasão… Read more »

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Bom… Só gostaria de saber por que o Exército Brasileiro não tem seu Helicóptero de Ataque/Transporte de Comandos… O falecido (infelizmente) Cel. Pavanello – ele era comandante do 4o BAvEx – já tinha feitos estudos sobre Helicópteros que o Exército nescessitava para operar, armamentos e tipo de emprego. Nosso EB precisa também deste tipo de vetor em seu inventário bélico. Não se pode sempre buscar apoio à FAB. O emprego helicóptoros/tropas é altamente complicado e demanda estudos prolongados. A FAB possui em suas fileiras os chamados BInfas (Batalhões de Infantaria). O uso desses Batalhões é restrito à guarnição de aérodromos… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Acredito que venha armamento pesado, pois não teria razão de ser este grande Heli, vir somente para transportar comandos… provavelmente terá um canhão Gsh de 30mm no nariz… mísseis guiados? e certamente os foguetes serão os da Avibrás, foguete é como munição! é fácil de integrar e adaptar!

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Pois é Zero! e o EB???? coitado do nosso EB, não foi convidado para a festa da modernização! nem AAA decente ele tem!

Abraço
Francisco

Roberto CR
Roberto CR
11 anos atrás

Aos que questionam a adoção deste helicóptero pela FAB e não pelo EB, é bom lembrar que já existe uma relação similar com a Brigada Paraquedista, que não tem nenhum avião de transporte, utilizando os cargueiros da FAB em suas ações. Então, acredito, que a questão coordenação entre os meios de forças diferentes já possui um antecedente que não é questionado.

Abraços

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Roberto CR. O alto comando do Exército já tem estudos para a aquisição de aeronaves de transporte de tropas para se ter de volta a operação de aeronaves de asas fíxas nesta arma. O EB – quando não tinha helicópteros – também operava com os helicópteros da FAB. Más ao longo dos anos, ficou patente que se precisavar ter helicópteros orgânicos para o melhor desempenho das funções e missões do EB. Logo, creio eu, o Exército terá também sua frota de asas fíxas. Nada contra a FAB e seus “gordos”. O motivo é puramente operacional/estratégico. O que falta, é dinheiro… Read more »

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Francisco AMX.

AAA… Precisamos pensar sériamente nisso. Não podemos e nem devemos despresar estes equipamentos que além de serem de baixo custo operacional são de extremo valor estratégico.

É algo a se pensar e gostaria de pedir aos amigos do Blog que colocassem matérias a respeito disso.

Abraços.

Claudio
Claudio
11 anos atrás

Com relação o porquê o MI-35 para FAB e não para o EB, bem é simples, o exército não queria fosse empurrado goela abaixo um heli, a FAB aceitou.
O exército reclama com razão que tem outras prioridades, que não não são um heli de ataque.

Rodrigo
Rodrigo
11 anos atrás

Dinheiro tem e não falta! falta mesmo é vontade e vergonha na cara!

Roberto
Roberto
11 anos atrás

Os pós e os contra! Na conversa com Jobim, o general do EB tranquilizou-o e disse que os documentos com críticas apresentados por três generais de Exército, o mais alto posto na hierarquia militar, eram pessoais Segundo ele, as críticas eram pontuais e foram apresentadas aos demais generais com objetivo de deixar registrados seus pontos de vista. Dois dos três generais que apresentaram suas críticas à Estratégia de Defesa, formulada pelo próprio Jobim, estão deixando o serviço ativo no próximo dia 31 de março. Dentre outras críticas,a maior crítica é aos helicópteros russos considerados de “não prioritários” e “impróprios”. Um… Read more »

Claudio
Claudio
11 anos atrás

Não sei se a preocupação é tão republicana assim.
Há quem diga que o problema dos generais (não só deles, o pessoal da marinha e da aeronáutica também está no mesmo barco) é que com a centralização das compras de equipamentos no MD, vai acabar o jabá de muita gente.

Walderson
Walderson
11 anos atrás

Pessoal, 1) tem gente aqui que mistura muito as coisas. Existe uma norma que proibe a MB e o EB de pilotar asas fixas, com exceção da MB no que tange aos aviões orgânicos dos NAEs. 2) Helicópeteros na FAB. Tem gente esquecendo de pesquisar antes de falar. A FAB tem um esquadrão especializado em ataques com helicópteros: o Esquadrão Poti. Existe há trinta anos. Dez anos a frente do EB cuja aviação tem 20 anos. Inclusive, a FAB deu apoio no começo da aviação do EB. Os helis são para as missões C-SAR. Será usado um heli ao invés… Read more »

Sérgio
Sérgio
11 anos atrás

Para o EB dentro do pacote de OFF-SET’s, terão a seu favor uma montadora de veículos (russos) pessados e já há negociações com uma empresa do interior do RIO GRANDE do SUL. Pesquisem pois tem AA tb. Embora seja do outro Site. Mas pera aí, aqui tb. tem isso?? Só lembrando. A Brigada de Para-quedistas do EB na Vila Militar – RJ, fica nos fundos do Campo dos Afonsos e não por acaso existem ali estacionados Bandeirantes e “Gordos”. Em S.P d’Aldeia, e a pouco foi publicado, Helis do EB treinado e a manutenção sendo apoiada pela Marinha. Tambem neste… Read more »

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Eu estava conversando com o Marine sobre este problema, no Blog Terrestre. Pois é, acho que está um pouco nebuloso os comentários dos generais, particularmente em relação aos MI-35. Todos dizem que a compra foi indevida e não prioritária. Mas não foi a FAB que quis ter um heli de ataque? Não foi a FAB que iniciou o processo de escolha dos helis, selecionando o Mangusta e o MI-35 como finalistas? Vamos pensar o seguinte: se fosse escolhido o Mangusta, a coisa melhoraria ou não? Ou ainda, a escolhaeria sido errada no sentido de se pensar em ter um heli… Read more »

Sérgio
Sérgio
11 anos atrás

Corrigindo “pesados” no lugar de “pessados”.

Hornet
Hornet
11 anos atrás

ops. “escolhaeria” = escolha teria

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Walderson. Em alguns pontos, concordo contigo. Só que essas normas podem cair sim. Quando a MB passou a operar os A4 KU, a FAB esperneou dizendo que era melhor comprar os caças para ela e não para a MB. Más os nossos almirantes tinham razão ao querer operar aviões embarcados, não é mesmo? O mesmo pode acontecer com o EB. Por que não? Afinal quando da criação da FAB a mesma incorporou todos os meios aéreos da MB e do EB. Caso o EB venha a operar aviões de asas fíxas e acho que com o tempo INEXORAVELMENTE isso acontecerá… Read more »

Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

FORÇA AÉREA BRASILEIRA Infantaria da Aeronáutica Missão da Infantaria da Aeronáutica A Infantaria da Aeronáutica tem como missão executar ações defensivas, ofensivas, especiais e de proteção, a fim de contribuir para o cumprimento da missão constitucional da Aeronáutica, preservando equipamentos, instalações e pessoal de interesse da Aeronáutica. Operações Especiais Conjunto de ações de características não convencionais que fogem do emprego normal da tropa e que são executadas pelo Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS) e por Pelotões de Operações Especiais (PELOPES), constituído de pessoal com alto grau de adestramento e prontidão operacional, sendo selecionado entre os militares que mais se destacam… Read more »

CETEANO
CETEANO
11 anos atrás

Concordo com a idéia de comando combinado através de uma mentalidade de Ministério da Defesa, mas não vejo relação entre essa idéia e a proibição de asas fixas para outras forças. Penso que cada força deve possuir os meios necessários para o cumprimento de suas missões. Quantas vezes o EB já cancelou lançamentos de PQD devido à indisponibilidade dos C-130 ? Quantas vezes a MB já cancelou REVO dos A-4 por indisponibilidade de C-130 ? Quantas vezes a MB cancelou exercícios em virtude da indisponibilidade de meios da FAB para atender. Quantas vezes a MB já pagou por caríssimos serviços… Read more »

Pedro Rocha
Pedro Rocha
11 anos atrás

Olá senhores! Mesmo sendo fora um pouco fora do foco do tópico, gostaria de lembrar que em Israel, uma das forças armadas mais poderosas do planeta, só opera aviões e helicópteros militares a força aérea. Porém os C-130 das tropas pára-quedistas ficam dedicados às mesmas bem como os helicópteros de transporte de tropas! Acreditem até os helicópteros embarcados são da força aérea! No Canadá as forças armadas foram fundidas, a meu ver uma visão de futuro, pois no futuro as forças armadas serão, no meu ponto de vista, infantaria, aviação e marinha… Talvez seja um devaneio, mas… Esses problemas com… Read more »

Patriota
Patriota
11 anos atrás

Paciencia pessoal o EB ja esta fazendo seus planejamentos de compra
com o intuito de se adequar ao que é prosto no END as coisas não ocorrem da noite para o dia , não sou contra a ultilização destes helicopteros pela FAB afinal a força recebeu seu orçamento e ultilizou da maneira que mais achou adequado estes helicopteros servirão de apoio para a infantaria da aeronautica e lhes darão
um poder de fogo maior.

saudações