F-16C Block 42 Night Falcon

Por Sérgio Santana*

A Força Aérea Brasileira (FAB) poderá ser autorizada a receber ainda este ano os primeiros exemplares de uma encomenda de 24 aeronaves Lockheed Martin F-16C/D Block 40/42. O texto a seguir descreve aquele que poderá se tornar o vetor da aviação de caça complementar do Gripen na FAB

A origem da opção do F-16 para a FAB apareceu em uma apresentação em PowerPoint do Comando da Aeronáutica, quando a imagem daquela aeronave ao lado do Gripen dava a entender que serviria como um possível substituto para as unidades de Northrop/Embraer F-5EM/FM “Tiger II” Aeritalia/Embraer A-1M “Falcão” que deixarão a ordem de batalha da FAB antes do fim da presente década, assim complementando os Saab/Embraer F-39E/F Gripen, que começam a equipar a primeira linha da aviação de caça da Força Aérea Brasileira.

O F-16C/D Block 40/42 “Night Falcon”

Algumas fontes afirmam que na verdade o F-16 representa uma de pelo menos três opções atualmente consideradas pela FAB como um complemento do Gripen, com informações assegurando que no caso dos F-16 a versão considerada pela Força Aérea Brasileira é a F-16C/D Block 40/42, também conhecida como “Night Falcon”.

Apresentada ao público pela primeira vez em dezembro de 1988, esta versão do “Fighting Falcon” apresenta capacidades multifuncionais aprimoradas para ataques noturnos e sob qualquer condição climática, sendo em verdade resultado do terceiro estágio do programa MSIP (Multinational Staged Improvement Program, Programa Multinacional de Aperfeiçoamento em Fases, originalmente concebido para o desenvolvimento das versões iniciais do F-16).

O “Night Falcon” introduziu o sistema de navegação e mira Martin-Marietta LANTIRN (Low-Altitude Navigation and Targeting Infra-Red for Night, Navegação à Baixa Altitude e Pontaria Infravermelha para a Noite), que permite realizar ataques terrestres noturnos e em mau tempo.

Este sistema consiste em dois pods separados, ambos instalados sob a entrada de ar: um pod de navegação AN/AAQ-13 transportado no pilone esquerdo e um pod de pontaria AN/AAQ-14 no pilone direito. O AN/AAQ-13 possui um sensor infravermelho de visada frontal grande angular e um radar de acompanhamento de terreno da Texas Instruments, enquanto o pod AN/AAQ-14 possui um gerador de imagens infravermelho estabilizado e orientável e um telêmetro laser.

O LANTIRN interage com os controles de voo, uma vez que o pod realmente controla a aeronave enquanto está no modo de acompanhamento de terreno, exigindo muito mais automação para permitir que o piloto voe sem intervenção durante o emprego de armas, com o sistema de controle de voo analógico do F-16 sendo substituído por um sistema de controle de voo de redundância quádrupla da AlliedSignal.

Cockpit do F-16C Block 40/42 com o LANTIRN projetado no HUD
Cockpit do F-16C Block 40/42

O sistema de controle de voo digital faz com que os dados saiam do LANTIRN direto para o sistema de controle de voo da aeronave, permitindo a capacidade automática de acompanhamento do terreno. O Block 42 é fornecido com um receptor de navegação GPS totalmente integrado, sendo a primeira aeronave de combate assim equipada. Os F-16C/D Block 42 também são equipados com sistema de pontaria difrativa e Heads Up Display holográfico grande angular da GEC-Marconi, oferecendo um campo de visão mais amplo do que o HUD reflexivo anterior, com as imagens sendo sobrepostas à visão externa e o equipamento recebendo imagens térmicas do LANTIRN.

A fuselagem recebeu maior resistência estrutural, o que aumentou a capacidade de 9G de 12.201kg para 12.927kg. As pernas do trem de pouso principal também foram reforçadas, com as portas de trem de pouso abauladas para acomodar as rodas maiores, e as luzes de pouso foram movidas do trem de pouso principal para as portas do trem de nariz.

O primeiro F-16C Block 42 (87-0356) voou em 25 de abril de 1989 pilotado por Bland Smith, enquanto que o primeiro F-16D Block 42 (87-0394) decolou em seu primeiro voo em 26 de maio do ano seguinte, pilotado por Joe Sweeney e Tim Easton. O primeiro usuário do F-16 Block 42 foi a então 58ª Ala de Caças Táticos na Base Aérea de Luke, Arizona. Dentre as armas que podem ser levadas pelos F-16C/D Block 42 estão as bombas guiadas a laser Paveway GBU-10, GBU-12 e GBU-24, bem como a bomba planadora GBU-15. A integração para o míssil antirradar AGM-88 HARM II foi adicionada em 1989.

F-16D Block 42H

O radar do F-16C/D Block 42 é o Westinghouse AN/APG-68(v)5 com 25 modos operacionais e alcance de 296km contra alvos aéreos e 148km contra alvos terrestres e navais. O “Night Falcon” possui contramedidas AN/ALE-47. Também foram incluídos um novo sistema de respiração de pressão positiva para melhorar a tolerância G para o piloto e contramedidas eletrônicas internas. As aeronaves do Block 42 foram entregues apenas à USAF.

A partir de 1998, os F-16 Block 42 foram modernizados no âmbito do Programa de Implementação de Configuração Comum (CCIP), que incorporou neles uma série de sistemas originalmente projetados para o programa europeu MLU. Deste modo, o CCIP abrange os seguintes sistemas: Computador de Missão Modular, conjunto de Display Multifuncional Colorido, Unidade Eletrônica de Entrada de Dados Comum, Indicador Eletrônico de Situação Horizontal, capacete JHMCS, Sistema Multifuncional de Distribuição de Informações Link 16 e terminal de baixo volume com TACAN.

Seu motor é um turbofan Pratt&Whitney F100-PW-229 com 8.073kg de empuxo seco e 13.199kg com pós-queimador.

Entre 1989 e 1992 foram fabricados 196 exemplares do F-16 Block 42 (152 modelos “C” e 44 modelos “D”). Destes, descontando os perdidos em acidentes, cujo número exato não é publicamente revelado, mas estimado em poucas aeronaves, considerando o histórico de segurança do modelo, os remanescentes estão operacionais nos esquadrões da Guarda Aérea Nacional em Iowa e Ohio, com 18 aeronaves cada, e nas unidades da USAF em Holloman e Luke, com 24 aeronaves cada, com até quatro aeronaves na reserva por esquadrão, a serem utilizados em caso de emergência. Assim, restam cerca de 60 a 70 aeronaves F-16C/D Block 42 estocadas pela USAF.

F-16C Block 42G da USAF

Desempenho: Velocidade máxima de curta duração: Mach 2.02 (2.143km/h) a 12.192m. Velocidade máxima sustentada Mach 1,89 (2.005km/h) na mesma altitude. Raio tático (hi-lo-hi, missão interdição em combustível interno com seis bombas de 227kg): 579km. Alcance máximo com todas as reservas: 3.942km.

Pesos: vazio, 8.272kg; missão ar-ar, 12.003kg; máximo de decolagem, 19.187kg.


*Bacharel em Ciências Aeronáuticas (Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL), pós-graduado em Engenharia de Manutenção Aeronáutica (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC/MG). Colaborador de Conteúdo da Shephard Media. Colaborador das publicações Air Forces Monthly, Combat Aircraft e Aviation News. Autor e co-autor de livros sobre aeronaves de Vigilância/Reconhecimento/Inteligência, navios militares, helicópteros de combate e operações aéreas

Subscribe
Notify of
guest

394 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sidy

A pergunta que vem de imediato: qual seriam as outras duas possibilidades?

Last edited 27 dias atrás by Sidy
Minuteman

Vamos as opções plausíveis:

Rafale: não tem disponíveis, Croácia comprou todos os usados.

Gripen C/D: não tem disponíveis, a Suécia não venderia os seus sem receber os E.

Last edited 27 dias atrás by Minuteman
Construtor

Claro que tem Gripen C/D disponíveis. Dos 26 que a África do Sul possui, eles vão fazer a manutenção apenas da metade. A outra metade ficará estocada só Deus sabe até quando. Seria um bom negócio para a FAB. Principalmente para substituir os a1-m. Teríamos pelo menos 13 Gripens C/D com no máximo 15 anos de fabricação.

Last edited 27 dias atrás by Construtor
Osmar

Mais gripen n gente , n há país nenhum cara m uma defesa respeitada com um modelo só de caça o Brasil precisa de no mínimo mais três Vet res diferentes

Alfredo Araujo

“O Brasil precisa”
Fonte: Vozes da minha mente

Plinio Jr

Os sul africanos vão pedir preços próximos de uma aeronave nova neste aviões , sem contar que não conseguem fazer algo próximo de um FMS em termos de financiamento , a FAB não tem dinheiro para isto .. comprar uma aeronave nova ou seminova , se fosse era mais prático comprar mais lotes de F-39s

Construtor

Será? Será que já foram totalmente pagos? Será que a Saab ainda não está recebendo por eles ? De que vale manter caças semi-novos estocados? Você já leu sobre a situação financeira da força aérea da África do Sul ? Te garanto que está bem pior que a FAB. Muitas variáveis envolvidas. Não custa também a FAB fazer um estudo a respeito desses aviões.
https://www.cavok.com.br/forca-aerea-sul-africana-tem-85-de-suas-aeronaves-sem-condicoes-de-voo

Last edited 26 dias atrás by Construtor
Rafael Coimbra

A verdade que poucos querem aceitar é que a FAB viu que ninguém vai comprar o F39… em poucos anos os custos de manter o F16 e o F39 irão se aproximar… e mais adiante será caro ter F-39… já foram para o plano B … o caça mais popular??? F-16… é capaz de no futuro estarmos discutindo a quantidade de F16V a vir…

ln(0)

Tem os de leasing da Rep. Tcheca também.

Fernando "Nunão" De Martini

O contrato de leasing dos Gripens tchecos vai até 2027 e estavam negociando extensão até meados da próxima década. O motivo é que o reequipamento tcheco com o F-35 vai demorar.

Osmar

Nem o novo era para ter sido comprado dirá versão anteriores

Alexandre

Logo os iranianos vão encostar seu F-14!!!!!
Talvez seja uma opção!!!!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Ou um lote de HSA Saeqeh “novos”…

will bill

eu ainda acho que a FAB deveria comprar um lote de gloster meteor usado, reformar tudo para o padrão FAB -BR banânia, e voarmos felizes da vida… “modo sarcástico On”

Fflyer

F20 by Irã!!!

Alexandre

Tigershark iraniano com eletrônica israelenses e samba!!!! Faltou o charuto cubano e o saquê japonês (vodka também serve)! Isso seria fantástico!

francisco

Se rolar uma comissão para os lobistas, dará certo.

Marcos

Kkkkkkkk

bit_lascado

Acho que fora F-16, talvez só tenha no mercado Typhoon Tranch 1.

bjj

Pois é, estava pensando nisso, sempre tem algum país querendo se desfazer do Typhoon Tranche 1.

Acho que as 3 opções devem ser:

1: F-16 usado
2: Leasing do Gripen C (coronel Rinaldo afirmou que é uma das opções que estão sendo consideradas)
3: Typhoon usado

Gabriel costa

Acho que seria um monomotor igual aos outros que temos.

Sensato

Ou seja, um vetor caro e com caro e com capacidades limitadas.

Last edited 27 dias atrás by Sensato
bit_lascado

Exato basicamente limitado a arena ar-ar.

Marcelo

Náo precisa ficar passando pano para comprar o F-16,se faltou grana para o gripen o jeito é comprar o F-16 usado e vida que segue !!!!!

João

Não é questão de custos, é so puchasaquismo americano, os f-16 usados custam quase a mesma coisa que os gripen n/g, vide a Argentina, que comprou os f-16 que estão preste a se aposentar(vão voar menos de 10 anos na FAA) e cuataram quase o mesmo preço doa gripen que poderiam ser fabricados no BR(e os f16 vão demorar mais para ser entregues 🤡, sem contar que as últimas entregas, se estima que nao vão voar nem 5 anos)

Santamariense

De onde tu tirou isso???

Hélio

Mig 29 tem a dar com pau por aí

Marcos Silva

Normal. Lixo vc encontra em cada esquina…

Helio

Tá aí o f16 pra comprovar 🤭

TeoB

pelas visitas e tudo mais que vejo a FAB fazendo as opção que estão na mesa são:
1) F16 usado
2) M346 novo
3) não faço ideia… talvez mais F39

Palpiteiro

PA50?

Marcelo Andrade

Então, ontem teve uma live do Caiafa, onde ele informou que a FAB teria aventado uma possibilidade de compra de aviões para cobrir a desativação dos A1. O F16 usado seria uma das escolhas, tendo o m346 e ate o FA50 sendo analisados. MAS, tudo é analise ainda, e a propria FAB ainda não se pronunciou ante essa tempestade de discussões inuteis e clickbates. portando senhores, estão ouvindo o galo cantar e não sabem onde! Cuidado com o canto da sereia!

Marcelo Andrade

E outra, isso não tem nada a ver com o projeto F39, nem falta de dinheiro, nem atrasos da SAAB, nem pressão, essas baboseiras, quem viu as instalações de Gavião peixoto sabe disso. o F-39 so iria atingir o FOC em 2030, ate la, a FAB ficaria sem a capacidade de ataque tatico/estrategico pois os A1 são as unicas plataformas que podem usar armamento inteligente da FAB hoje. Na minha humilde opnião, eu acho que poderiamos esperar o FOC do F-39, independente do hiato, mas, Roraima e logo ali, se e que voces me entendem……

Santamariense

“”… nem falta de dinheiro…”

Marcelo, já há alguns anos que o orçamento liberado para o programa vem sendo menor do que o previsto.

Construtor

Ok. Fabricados entre 1989 e 1992, ou seja, 32 a 35 anos voados. Quanto tempo e qual o custo para prolongar a vida útil desses aviões? Fora o valor da aquisição. Sei não. Continuo não achando um bom negócio.

Last edited 27 dias atrás by Construtor
Rinaldo Nery

E não é. Nunca será.

André Sávio Craveiro Bueno

Concordo

Saldanha da Gama

3

João

4

Amilton

Ao menos para o MUSAL seria bacana um F-16 da FAB em alguns anos.

JBS

Caro Rinaldo

Boa tarde

Na sua muito avalizada opinião, a única opção boa, seriam mais gripens novos, certo?

Abs

Curiango

Cel, que dizem as “bocas de Matides” de dentro e de fora do força sobre os reais motivos de não é comentador mais Grilens e a demora dos já encomendados? Seria algum desacordo com a Embraer, ciúmes de Da Embraer com Akaer q mais está envolvida? Grana?

Fernando "Nunão" De Martini

Ciúmes de Embraer com Akaer? De onde tirou isso? Equipes de ambas as empresas receberam treinamento na Suécia, e a parte da Akaer no programa praticamente já terminou, agora é com a Embraer a maior carga de trabalho. Tem matéria recente sobre isso.

Pessoal está começando a inventar coisa a partir de nada.

Amilton

O erro vem lá de trás quando escolheram o gripadinho.

Minuteman

Caro Amilton, o Gripen é uma ótima aeronave.

Mas a capacidade de produção Saab/Embraer é a pior de todas, em um momento de grande instabilidade internacional e regional.

Ou seja, o FX-2 falhou.

E eu sempre defendi o Gripen, mas não temos mais como tapar o sol com a peneira.

Last edited 27 dias atrás by Minuteman
Amilton

Exatamente. Produção lenta e sem escala. Quase ninguém vai comprar, principalmente quem leva defesa nacional a sério.

will bill

Concordo em partes meu caro e com a devida vênia, diziam o mesmo sobre “le jaca” e hoje o Rafale é sucesso de vendas… acho o Gripen um ótimo caça… o que não entendo mesmo é a aquisição desses F16 sucateados… o congresso devia investigar

Curiango

Amigo Rafle é sucesso mas lembra-se q os motores e a iônicos não são Estadunidenses isso dá mais segurança p quem compra referente a embargos

will bill

concordo contigo, essa parte é uma vantagem estratégica.. aliás eu sempre torci pelo Rafale, mas depois achei a compra do Gripen muito boa, considerando os custos operacionais do Rafale…

Augusto José de Souza

Na época o rafale ainda não era esse sucesso como hoje,o Brasil passou muito perto de ser o primeiro cliente internacional do rafale,seria histórico se não fosse os altos custos operacionais,hoje em dia o caça está mais acessível financeiramente com tantos clientes internacionais e agora Emirados Árabes compraram grandes lotes desse caça e Arábia Saudita já tem interesse neles e Índia,Egito e Indonésia compraram o segundo lote e a Croácia é a mais nova operadora do Rafale. Se for para pegar tampão no lugar dos AMX-A1 e de alguns F5 até chegarem os gripens desse primeiro lote,o rafale de primeira… Read more »

rafale de primeira ou segunda versão que a França tem e estoques ou na reserva são muito mais viáveis.”

A Grécia comprou um pacote de 18 caças Rafale franceses, sendo 12 usados e 6 novos.

Na “conta de padaria” desse pacote, cada avião (repito: 12 deles usados) saiu entre 150 e 160 milhões de dólares.

Não é viável.

will bill

Meu caro, não sou “eu” que estou dizendo… você leu o texto? “Fabricados entre 1989 e 1992, ou seja, pelo menos 35 anos de uso… se isso não é ser uma célula usada, forçada ao máximo e por que não “sucata”…então realmente seu entendimento é bem diferente do meu

Mauricio

Não adianta falar, essa turminha que abana o rabo para os EUA por qualquer motivo ja elegeu o gripem o pior negócio da História, vamos pegar um caça velho e analógico e enterrar o FX e o KC30, mais o KC390 e viver de migalhas do tio San, depois se dizem muito preocupados com indústria Nacional. Bora botar o chevette ano 1980 voando no Brasil.

Felipe

Na verdade ele é semi analógico, olha que a avionica dele parece ser no nível dos F-5M, mas concordo que não é o ideal , mas fazer o que? Desativar os 2 esquadrões de santa Maria sem substituto ?

Rinaldo Nery

Sim.

Mauricio

Quanta bobagem, investigar Tot??? Não sabe como funciona orçamento público, administração financeira e orçamentária e fala essas asneiras.

Sensato

Entendi. Os especialistas da COPAC não sabem nada. Ensina pra eles qual seria o certo.

Paulo Montezuma

O melhor caça é aquele que combina custo de aquisição e custo de manutenção. O Rafale não serviria para a realizadade brasileira. O Gripen foi a escolha acertada

bit_lascado

E temos que aprender que não podemos seguir com o ufanismo de exigir ToT, nosso orçamento é pífio.

Sensato

Um dia vocês ainda vão entender que a grana do ToT retorna e com folga.

bit_lascado

Pode até voltar, mas pro orçamento curto da FAB, vamos de prateleira da próxima vez.

João

Lenta? Fala isso pros Hermanos, que compraram menos f16 que gripen brasileiros, e o prazo de entrega é mais longo e quase o mesmo preço de um gripen 😂, produção de caças, se tu nao for uma china, é lenta em qualquer lugar

Volpi

Olha…..tenho minhas dúvidas…..

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Ora, o grande problema do Gripen é que a FAB vive aumentando os prazos de entrega por razões orçamentárias. Não é de produção…

Tony

Normal em processos de transferência de tecnologia. Mas adquirir projetos completos e em maior velocidade é suicide de soberania.
Esses F16 são super ultrapassados e com sérios problemas de autonomia. Sendo assim inadequados as dimensões do Brasil. Outra consideração era dependência de autorizações dos EUA para atualizações e aquisições de peças de manutenção… Obviamente inviável, ou necessita desenhar???

Felipe

Pior que super ultrapassado é exagero, temos F-16 A/B voando aqui perto.

Santamariense

Super ultrapassados? Esse block 42 é muito bem equipado e com sistemas bem interessantes. Seu radar é bastante potente, sistema LANTIRN é muito eficaz, entre outras coisas.
Sérios problemas de autonomia? Como assim?

Diego

Gente não é capacidade de produção que está atrasando a entrega do Gripen, ponham isso na cabecinha de vocês, é GRANA, NO HAY PLATA, NO MONEY, CASCALHO, VERDINHA BUFUNFA, se a SAAB não RECEBER os pagamentos não há entrega é só isso tivéssemos pago tudo já teríamos 36 Gripens voando.

Bueno

O Pagamento do Gripen não foi parcela-do a Longo prazo?
Ou se enganaram com as letras miúdas no rodapé do contrato?

Last edited 27 dias atrás by Bueno
santiago

Foi parcelado conforme uma cadência programada de entrega, se você não cumpre o pagamento não tem porque cumprir a entrega

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, ele é parcelado.

Bueno

Pronto , resolvido, neste caso não é falta de grana , um pequeno lote pode ser comprado , 6 a 8 Gripem para iniciar a substituição gradativa dos dos AMX , Prazo ? conforme já foi argumentado, o prazo não seria muito diferente da entrega de F-16 modernizados… Conforme Tenente-Brigadeiro do Ar Damasceno disse na CREDEN que tem a intenção de aumentar a linha de produção do Gripen no Brasil e adquirir mais exemplares. ou seja tem duas linhas de Produção do Gripen , uma no Brasil e a da Suécia, que da para aumentar a quantidade produzida dor ano… Read more »

Sensato

Foi mas começaram a cair as parcelas e o dinheiro para pagar está escasso.

Minuteman

Quantos Gripens E a Suécia já recebeu?

Esse papo furado de atrasos nos pagamentos não cola meu caro.

Leandro Costa

Já checou o cronograma de recebimento dos Gripen E pela Força Aérea Sueca?

bjj

“Esse papo furado de atrasos nos pagamentos não cola meu caro.” ————– “O primeiro programa apresentado, do caça F-39 Gripen E/F, descrito como peça fundamental para a Defesa Aérea do Espaço Aéreo brasileiro, encontra-se bastante pressionado pelos cortes orçamentários e, segundo Malta, pode ter seu cronograma industrial e de entrada em serviço afetado já a partir de 2020” “A PLOA 2020 já apresenta uma defasagem de valores previstos, atrapalhando significativamente o financiamento internacional do contrato, e pior, podendo atrasar em dois anos a cadência de entregas, que necessitaria ser extendida até 2028. O cronograma de desembolsos para honrar o financiamento… Read more »

Sensato

A Suécia tem 92 Gripen. Quantos nós temos? Faz mais sentido eles correrem pra receber os seus e correrem o risco de fechar a linha por falta de encomendas ou priorizar nossa entrega e ter mais tempo de linha aberta enquanto tentam novas vendas?

Santamariense

É só olhar o orçamento para o programa, nos últimos 3 ou 4 anos, e ver a diferneça entre o que era necessário e o que foi realmente liberado…houve déficit em todos os anos. Já teve matéria aqui no PA onde aparecem os dados oficiais. Portanto, os pagamentos tem sido menores do que deveriam ser.

Alexandre

O motor do F-39 é fornecido por quem? Não custa nem ofende perguntar?

bit_lascado

Até onde li a Suécia tem menos Gripens E entregues do que nós.

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, estamos na frente, por enquanto as entregas suecas foram só pra a FMV, organização de material que está à frente da certificação e início da doutrina.
Para esquadrões operacionais (como o caso da FAB com o esquadrão Jaguar), só no ano que vem nos esquadrões da ala F7 de Såtenäs.

Luís Henrique

Acho a capacidade de produção totalmente aceitável para o tamanho do pedido e levando em conta os atrasos nos pagamentos.

São míseras 36 unidades. Queriam uma cadência de 20 por ano?

Faver

Quero só ver quando a Suécia comprar alguns F-35. Noruega, Dinamarca e Finlândia usam e só a Suécia ficará sem naquela região. Agora afirmam que não, mas vai acontecer em até 10 anos. E aí? Como vai ficar o filme do Grippen? Parece ser um bom avião, mas só Brasil e Suécia vão usar o F-39.

Fernando "Nunão" De Martini

Pra que ela vai precisar de F-35 se os vizinhos já possuem e eles fazem operações conjuntas?

Mais vale para a Suécia continuar seu caminho, tendo ainda por cima a garantia de que seus aliados próximos já empregam caças de quinta geração para o caso deles serem indispensáveis num conflito em que atuariam juntos.

Mauricio

As poucas aeronaves do Brasil não tem a ver com capacidade de produção da SAAB ou Embraer, cismaram com isso, tem mais a ver com falta de dinheiro, previsões orçamentárias que não se concretizaram, acontece todo ano, na PLOA se projeta 1 bilhão de receita x, no ano de exercício arrrecada 500 milhoes, se muda toda programação de despesa, isso rola em todas as pastas, o que se corta são investimentos justamente pela capacidade de ser discricionário, teve cortes e a FAB precisou reduzir os pagamentos, recebe menos aviões num prazo maior.

Sensato

Não é falta de capacidade fabril mas sim falta de capacidade financeira do governo.

Saldanha da Gama

Qualquer que fosse a escolha, o resultado seria o mesmo…

Nilo

Esse são os erros: os privilégios, o desvio das funções determinado em Constituição.
As Forças Armadas gastam cerca de R$ 25 milhões por ano com pagamento de pensões aos parentes dos chamados “mortos ficto”, como são chamados os militares que estão vivos, mas receberam penalidade máxima de expulsão da corporação.
Este negócio se feito é puro retrocesso.
Implante então um novo projeto de um caça subsonico cumprindo o papel do AMX a Embraer tem competência para isso.

Last edited 27 dias atrás by Nilo
Curiango

Temos também a Akaer q na verdade coloca a mão na massa

Nilo

Infelizmente, notícia em artigo publicado pelo Galante em que informava que a FAB pode comprar um segundo lote de caças Gripen e também uma outra aeronave, isso já em fevereiro deste ano. A intenção como diz o artigo de fevereiro é que a compra do F-16 não irá comprometer a quitação de um segundo lote. Estamos mesmo assim com um novo Miragem 2000 – 2.

Fernando "Nunão" De Martini

A parte da Akaer no programa já foi praticamente toda feita. Está em matéria recente sobre a linha de montagem do Gripen na Embraer.

brutus

akaer nao seria empresa controlado por israelente

Rafael Oliveira

Não. É brasileira e controlada por brasileiros.
AEL e Ares são controladas por israelenses.

Sérgio Cintra

Ael é Elbit

Fernando "Nunão" De Martini

Você deve estar confundindo com AEL.

Eduardo

Ele falou num caça subsônico.

Bueno

O erro é afirmarmos sobre algo que pouco entendemos como se dominasse todos os pormenores de assuntos tão complexo, e afirmamos pelo o que achamos. Temos que ficar atento a nota da FAB , é um estudo de possibilidade ! e como estudo de cenários hipotéticos, o mais absurdo que seja é um estudo, e, é para isto que se chama estudo, analise; mas da uma tristeza . Bom é que ficamos sabendo que a FAB esta trabalhando e faz estudos de possibilidade para não ficar desguarnecido. Se eu tivesse o poder do Executivo cortaria a grana para artista que… Read more »

Alexandre

Não existe fundos para artistas! Mas isso é outra discussão! 80/20 é a discussão necessária! Sim, estudos sempre são extremamente salutares! Mas, esse estudo vazou ! O vazamento tem objetivos! Quais são esses objetivos? Quem vazou? Por quê não foi vazado primeiramente para as mídias nacionais? Quem obtém vantagens com esse vazamento? Só a FAB pode e deve esclarecer! Com a palavra , a FAB!!!

Wilson França

Se cortar o fundo partidário não sobreviver 5 dias a frente do executivo

Sensato

O F18 tem poucos usuários além da USNavy que já está planejando sua aposentadoria além de ter custos de operação bem mais altos de operação que o Gripen. Se não tem grana para o Gripen, como estaríamos melhor com o F18 ou ainda mais com o F35?

Hélio

Lembram quando chamavam o Rafael de jaca? Como diz um famoso forista, o tempo é o senhor da razão

Rommelqe

Caro Construtor, eu não considero que não seja um “bom negócio”. Na realidade é um péssimo negócio.

Lucas F

Depende se os “anos” foram realmente voados. Um caça pode voar sem bater as exatas décadas da primeira estrutura fabricada em comparação com as horas de voo. Ou ainda colocado em reserva.

Almeida

Só que a USAF e a ANG são as forças que mais voam suas aeronaves, seja em combate, seja em treinamento. Esses F-16 devem estar no osso. Igual os Mirage 2000 que a gente recebeu.

Orivaldo

E estávamos rindo dos Argentinos

Funcionário da Petrobras

Posso estar enganado, mas estes 40/42 são melhores que os 15 MLU deles.
Prefiro mais Gripens sem dúvida, mas se forem comprar F-16 deveria ser ao menos os 50/52.

Last edited 27 dias atrás by Funcionário da Petrobras
Bernardo Santos

Segundo o Felipe Salles e o Alexandre Fontoura, são caças inferiores aos argentinos uma vez que os f16 dinamarqueses passaram por uma ampla modernização e os que a FAB quer teria que passar por uma modernização para estar no mesmo nível dos f16 argentinos. Eu não acho que a FAB vai gastar tanto nessas melhorias.

Diego

Não, não são os MLU Argentinos tem mais capacidades que os block 40/42.

Marcos Silva

“MLU Argentinos tem mais capacidades que os block 40/42”
Tem não. Ainda por cima são F-16A/B,dos primeiros lotes de produção.

Orivaldo

Mas são os Argentinos. Estão mais quebrados do que eu

João

Tao mais quebrados, mas vão pagar quase a mesma coisa ppr caças velhos que poderiam pagar pelo gripen, e vão receber muito mais devagar

Santamariense

O que os argentinos vão pagar pelos 24 F-16, considerando apenas as aeronaves, 300 e poucos milhões de dólares, daria para comprar uns 5 Gripen E. E como a entrega de um hipotético Gripen E para a Argentina seria entregue mais rápido que o F-16 que eles compraram?

Paulo Capixaba

Quando pensam em imitar argentino, é por que a coisa perdeu caminho.

Deveriam comprar novos igual fez a Turquia. Agora ter um mínimo de mísseis é complicado. Mas estamos em paz com o amigo argentino. Quero um caça que seja capaz de lançar um míssil contra um porta aviões da Otan… não vejo batalha terrestre que um super tucano não de conta. Gastar para abater aviões do tráfico? Desenvolver um drone tucano seria melhor.

Last edited 27 dias atrás by Paulo Capixaba
Silvano

É o mesmo block que os argies compraram da Dinamarca?

Moriah

Não. Eles são do Block 15 MLU Mod 4

Last edited 27 dias atrás by Moriah
Diego

Não, os deles são os MLU mais modernos.

Allan Lemos

Melhores que os dos argentinos. Nāo acho a compra tāo ruim, nunca me iludi com o tal do “segundo lote” que a maioria aqui dava como certo.

Certamente a FAB deve estar se antecipando a piora da situaçāo econômica do país, visa garantir logo um número maior de aeronaves ao invés de aguardar por uma incerta nova aquisiçāo de Gripens(acho que até aqueles 4 nāo irāo mais acontecer).

Mas com o distanciamento político do Ocidente em relaçāo a nossa política externa, resta saber se o Congresso dos EUA facilitariam a venda para o Brasil.

Alexandre

Fico feliz em saber que a FAB tem competência de análise econômica!!!!! Pena que ainda não foram capazes de aplicar tais competências para otimizar sua própria gestão orçamentária a ponto de aumentar sua capacidade de investimento em detrimento do seus gastos em folha!

Curiango

Segundo o ministro Zé Musio esse questão de gestão orçamento e projetos logo estafam nas mas de civis especializados dedicados do ministério da defesa. Ai a coisa anda. Começo, meio e fim.

Sensato

Os aumentos de efetivo são sempre autorizados pelo Congresso assim como teriam que ser as leis que permitissem a redução.

Alexandre

Tal iniciativa pode e deve ser uma demanda das próprias forças para que sinalizasse ao congresso a necessidade e apoio para tal! O ministério da defesa é o canal adequado para tal sinalização!

Sensato

Eles já estão reduzindo o efetivo meu caro. Procure os estudos que mostram como tem aumentado o percentual de temporários e contratados frente ao contingente total.

Gui

E levantem as mãos pro céu se não acabarem cortando alguns dos 36 já contratados….

Curiango

Tô achando que dever parar em 15 unidades. Os caças com preço unitário mais caros de adquirir de todos os tempos.

Fernando "Nunão" De Martini

Errado

Marcos Firmino

Não são melhores. Ontem na live do Base Militar foi falado sobre a superioridade dos F-16MLU europeus sobre esses utilizados pela USAF.

João

Nao acha ruim? Esses f16 vão ser mais caros que os Gripen 🤡

RMS

Se é para ir de tampão, talvez fizesse mais sentido ir de Grippen C/D do que o F-16 ?

Minuteman

Não existem C/D disponíveis, e a Suécia jamais vai vender suas aeronaves com a Rússia ao lado louca pra por fogo na Europa, e sem receber todos os E que encomendou.

Não existem Rafales, a Croácia comprou o que tinha.

É F-16, ou ficar com esquadrões sem ter o que voar, pois o Gripen, só Deus sabe.

Fabio Jeffer

O Gripen já voa amigo, e voa bem. F-16 é piada de mau gosto.

Lucas

Voa bem, com 7 entregas em 10 anos…

Miguel Felicio

Quando foram negociados e ainda não comprados, estavam em desenvolvimento,……..a produção é mais recente, porém se não pagar, o tempo de entrega também não é definido.

will bill

esses 07 gripens em um combate verdadeiro, acaba com os 15 ou 20 F16 que a FAB quer trazer para o museu aqui do Brasil

Diego

Apoiado por um r99 e meteor faz isso com um pé nas costas.

will bill

já daria pra fazer de alvo todos esses F16 aí, como motor aspirado (rs)

will bill

(rs) não chega a tanto, mas essa compra não faz o menor sentido… mas de fato, com 10 Gripens NG, vc realiza a missão que seria necessário esses 25 F16 *(isso se eles teriam essa capacidade)… é algo realmente inexplicável essa possibilidade de uma linha com apenas 20 F16 usados

Minuteman

Os 7 Gripens recebidos ainda não estão totalmente operacionais e ainda não poderiam entrar em verdadeiras operações de combate.

Entende a gravidade da situação?

Almeida

E nem esses 24 F-16 estarão operacionais da noite para o dia, não temos pilotos e técnicos treinados neste vetor e suas armas e isso leva tempo, vide a Ucrânia treinando em modo acelerado para operar esses aviões já tem 2 anos. Esse tampão nem pra tampão serve!

A propósito, não tem gravidade nenhuma, não estamos em vias de um conflito com ninguém que não possa esperar, como o GDA esperou anos pelos F-39 depois do F-2000.

Last edited 26 dias atrás by Almeida
Volpi

Pois é…..pessoal gosta de se enganar.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

É assim porque é o cronograma que a FAB colocou no contrato…e depois alongou…

Alexandre

Alongou por duas razões prrincipais: a pandemia de Covid-19, que afetou a cadeia de fornecedores da aviação mundial (não apenas a do Gripen) e, também por conta da pandemia, que causou impacto nas contas públicas, forçando a decisão de “esticar” em 3 anos o cronograma de produção.

Diego

Já disse o problema das entregas é grana.

Alexandre

8, incluindo a aeronave de desenvolvimento, entregue em 2019. E não foram em dez anos. As entregas das unidades de produção iniciaram em 2021. De acordo com o contrato.
A Eslováquia assinou contrato em 2018 para aquisição de F-16C/D Bloco 70 e acabou de receber o primeiro par.

Last edited 27 dias atrás by Alexandre
Santamariense

O contrato foi assinado há 10 anos. A FAB, depois de um programa para escolha de caças que se arrastou por anos, anos e mais anos, viu seus Mirage III serem desativados (e eram esses que seriam substituídos pelo novo caça), viu seu substituto temporário (Mirage 2000)) ser recebido e desativado, teve que reequipar o GDA com outro caça tampão (F-5M) e ainda está longe de ter um esquadrão completamente equipado com a aeronave vencedora do famigerado programa e que estejam plenamente operacionais (FOC).

Felipe Augusto Batista

E os Gripen da África do Sul?

Eles tinham estocado metade da frota a longo prazo (similar ao que is EUA fazem com os caças no deserto) porque não tinham dinheiro pra manter todos voando, inclusive foi ventilada uns anos atrás a idéia de o Brasil alugar estes aviões se os Gripen novos atrazassem.

Será que estes não seriam uma opção?

Marcos Silva

Porque pertencem à Africa do Sul???
E eles querem vender??

Sensato

Eles não tem condição de manter e estão ainda mais quebrados que nós. Um acordo de manutenção que recoloque parte da frota em condições em troca do leasing de outras células pode ser ótimo negócio para as partes.

Claudio quadros

África do Sul todos aviões estão aterrados por falta perça não tem dinheiro para compra reposição porque não tem vender gripen igual carro chinês compra não tem perça reposição tenta compra farol j3 não acha nem na china .

Adriano madureira

Quem disse não existe? E quanto aos daquele país que recusou o Gripen E mais as que eles( C/D ) adquiriram por leasing?

Sensato

Tem 11 estocados e 13 sem voar por falta de manutenção na África do Sul.

FERNANDO

Pra frente Brasil,
salve a seleção.
Eita nois.
Desculpa a todos, mas, estou decepcionado
com está nação.

Alexandre

Quem pariu essa idéia? Quem é o responsável? Quem colocou o jabuti no toco? Quem deve explicar esse ridículo?
Fica claro que até agora esse filho feio não tem dono!

Alexandre

Quem tem que responder é a FAB!!!! Agora,pelo visto você acha que os responsáveis pela Força Aérea Brasileira não são confiáveis!!!! Talvez pelo fato de não terem aderidos!

Last edited 27 dias atrás by Alexandre
will bill

sei não viu Alexandre, não se esqueça que tinha sido anunciado em evento que o vencedor era o Rafale lembra? e quem foi que anunciou? atropelando tudo, até mesmo a própria FAB? quando tem política e “dindin” eu acredito que qualquer coisa é possível

Alexandre

Esse evento é igual a bala que fez curva!!!!! Nada explicou até hoje!!!!

will bill

rsrs bem isso

Marcos Silva

“esse filho feio não tem dono…”
sabe de nada inocente. O F-16 é lindo!kkk

Alexandre

O F-16 é lindo! Feio é esse estudo e o seu vazamento para um meio de comunicação estrangeiro! Sabe de nada inocente 2.0!

Last edited 27 dias atrás by Alexandre
Marcos Silva

Aqui é brazil,zil,zil… Não sabe como as coisa funcionam?

Curiango

Não só na FAB nas outras também

Renato

F-16C/D Fighting Falcon Block 40/42.
Já temos uma informação importante.
Agora vem a pergunta, essa versão vs Gripen C/D (por hora não levando custos em consideração)
Qual o melhor?

Last edited 27 dias atrás by Renato
Marcelo Bardo

Gripen

Santamariense

Por que? Tem o comparativo para poder afirmar?

bjj

Gripen C é melhor. No padrão MS20 já está integrado inclusive ao Meteor, sem falar que são mais novos. O mais novo desses F-16 da matéria foi entregue em 1992, enquanto que o Gripen C entrou em serviço em 2002, embora algumas unidades fossem convertidas da versão A que entrou em operação em 96. No pior dos casos o Gripen C mais antigo é 4 anos mais novo que o F-16 mais novo.

bjj

Mas o ideal é gastar cada centavo com o Gripen E.

Camargoer.

Concordo….

Diego

Gripens C/D células com menos tempo de vôo, projeto mais novo.

Renato de Mello Machado

Nós é que ficamos muito tempo de F-5EM/FM.O F16 em algum momento devia de ser escolhido no passado para fazer essa substituição.Agora é que vão comprar? Ainda tem os motivos que na época para o Gripen ser escolhido.Né?

Lorde Baden Power

Sempre fiquei na dúvida quanto a troca presidencial da continuidade da encomenda inicial do Gripen, creio que nem a quantidade do primeiro lote virá em sua totalidade, considero utopia. Vamos repetir a odisseia do Mirage 2000, ou seja, FAB se virando nos 30.
Parabéns aos envolvidos….

Alexandre

Por enquanto, nada aponta para a mão do executivo! Um estudo ( balão de ensaio) da FAB! Portanto a FAB precisa e deve esclarecer as razões para tal!

Marcos Silva

Esclarecer o quê mais?

Alexandre

Como a sociedade brasileira descobre um estudo de interesse nacional através de meios de comunicação externo?
Qual Razão para tal estudo? Orçamento? Linha produtiva deficitária do F-39? Quem ordenou o estudo e porque?
Simples! TUDO deve ser esclarecido, mesmo porque nada está claro!

Marcos Silva

Sobre o primeiro ponto,não sei dizer. Sobre os outros todo mundo sabe os motivos. Então não adianta ficar dando chilique num blog e ficar escrevendo textinhos irritadinho. A Força Aérea não vai mudar de ideia por causa de comentarista de internet.

Last edited 27 dias atrás by Marcos Silva
Alexandre

Pelo visto o único irritadinho aqui é você! Que fica dando chilique por conta de comentários de terceiros na internet! Tome um café ☕ e não se irrite! Agora aproveita que você sabe as respostas dos meus questionamentos e responda! Caso contrário apenas me ignore!

Marcos Silva

Blá,blá,blá… Pega seus questionamentos e leva direto pra FAB. Eles terão o maior prazer em responder à um ixpecialista de internet e quem sabe até aceitam seus pontos de vista.
Tenta a sorte, o não vc já tem.
Mas sem chiliques!

Last edited 27 dias atrás by Marcos Silva
Santamariense

“… Orçamento?”

É óbvio! Tá lá nos relatórios do programa, publicados aqui mesmo, algum tempo atrás.

Bernardo Santos

Já tá chato essa história de f16.

Rodrigo

Ainda tá no começo, aceita que dói menos

Bernardo Santos

Aceitar o que?minha opinião não muda nada sobre essa história de f16 na FAB, apenas não concordo com todo esse mal planejamento da FAB. Se não tem nada pra comentar não fala nada pq esse seu “aceita que dói menos” só mostra sua falta falta de maturidade.

Marcos Silva

Chato é esse povo ficar perguntando de Gripen C/D pra leasing. A Suécia já avisou lá trás,na época da escolha do Gripen,que não iria disponibilizar Gripens C/D pra FAB.
Imagine agora com a Europa pegando fogo por causa da guerra do Putin,digo,Operação Especial de Três Dias…

Saldanha da Gama

Se realmente for para suprir o A1 e F5, e mantivermos os 50 Gripens, menos mal.
E que não torremos mais $$$ em Tot para jogarmos no lixo.

Last edited 27 dias atrás by Saldanha da Gama
Miguel Felicio

Enfim um comentário de fato ACERTIVO……..e no centro do alvo.

Ozawa

A sequência de matérias a respeito dá a impressão que essa opção está crescendo, mas me parecem repiques de um mesmo tremor original …

Como disse antes, não tenho informação, mas a impressão é que a FAB não vai considerar tal “PowerPoint” como uma opção séria. Não faz sentido financeiro, lógico, técnico ou político.

O mérito é que a cada passagem nesse blog o Falcom deixa mais de 200 comentários…

Fernando "Nunão" De Martini

A sequência de matérias é só para informar melhor os leitores sobre o assunto.

José Gregório

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Neto

Concordo com o Ozawa, mas não reclamo.

Juarez

Ozawa, o Brig. Nero Moura deve estar se revirando no caixão.
O tempo meu amigo,é senhor de todas verdades e pensar que no sexto mês do ano de 2024 nos já estaríamos a algum tempo operando Full com o F 18 SH, mas quiz Deus que passássemos pelo calvário.

Saldanha da Gama

Minha preferência , era o Rafalle…
O F18 não veio, por causa da dilminha, acho que foi por causa daquele episódio de espionagem…
Abraços

Alexandre

Ou seja! A culpa foi dos EUA e não dá presidenta! Um país espiona a chefe do nosso Estado e tem gente que ainda acha que deveríamos ter comprado deles um vetor tão estratégico como um caça! Seria muito viralatismo!!!!!

Renato

Gostemos ou não da presidente em questão, concordo contigo.

Alexandre

Honestidade intelectual é sempre fundamental! Respeito sua posição!

Sensato

Todos os sérios espionam os demais. Esse caso foi ótimo por nos livrar do F18 que drenaria recursos muito mais rapidamente que o Gripen.

will bill

Graças a Deus que não veio essa sucata aí

Marcos Silva

F-18E/F novos de fábrica,SUCATA?

brutus

sim , é mesmo boas lembranças

José Gregório

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Rafael

Os outros países pagam para adquirir caças.
Nós pagamos para projetar, testar e “produzir aqui” sem pressa nenhuma de receber e sem saber se vamos conseguir pagar.
E sem conseguir exportar para ninguém, é claro…

Alexandre Barros

Você disse bem, essa é a realidade da FAB, nossos parlamentares acham que 07 Gripens e 46 F-5’s no limite das suas células já bastam pra defesa de todo território nacional e além.

brutus

como é aquele ditado do filme velozes e furiosos? ” aqui é brasil”

Diego

Também não acredito no F-16, acho que é só um artifício.

Funcionário da Petrobras

Acho também que é só cortina de fumaça da FAB.
Quer apostar que até o final do ano divulgarão a aprovação da compra do segundo lote do Gripen E?
Aguarde e lembrará deste meu comentário.

Santamariense

Muitos dizem que é manobra da FAB para viabilizar o 2° lote do caça sueco. Se for isso, conhecendo nossos mandatários, eles vão dizer: “Se vocês, FAB, querem propor o F-16 como substituto de mais Gripen e, como o caça dos EUA nessas condições é muito mais barato, podem encomendar do Tio Sam.” Ou seja, se a ideia é forçar a compra de mais Gripen, vão acabar ficando com o F-16.

Fernando "Nunão" De Martini

Isso é uma confusão comum: confundir que a pesquisa, escrita e publicação sobre um assunto significa concordar com o assunto. É como a pessoa que encontra na fila do pão um ator de novela e bate no sujeito com o guarda-chuva achando que está batendo no vilão da novela.

Delfim

Boa tarde, saiu matéria no Defesanet sobre um “F-X3”.

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, acabei de ler. O artigo sugere F-16 block 70 novos de fábrica ao final do texto. Ótimos aviões, com certeza, muito melhor que F-16 usado, mas não dá pra cogitar isso seriamente. Vejamos um contrato recente: a Eslováquia pagou nada menos que 130 milhões de dólares cada um (conta de padaria dividindo contrato completo de 1,8 bi, com treinamento, armas e sobressalentes incluídos, coisa que a FAB também precisaria contratar), em contrato assinado no final de 2018 para 14 aviões, e que começou a receber no início deste ano, mais de 5 anos depois (tudo bem, teve pandemia que… Read more »

Funcionário da Petrobras

Fernando.
Talvez a parte do texto da nota da FAB: “nenhuma fábrica foi consultada” e a mesma fazer menção a “aviões usados”, possa ser que vá ao disso, aviões fabricados pela Lockheed (Block 70/72) conforme citei nos comentários da outra matéria.
Muitas informações desencontradas, mas se tratando de Brasil, não duvido nada que não já cogitaram ou estejam cogitando isso também.

GuiBeck

Correto. A não ser se, como alguém já sugeriu aqui (e também pelo teor na nota da FaB negando), que o desempenho do Gripen não seja exatamente o que se esperava (o que, eu, não acho), mas, só assim pra justificar eventual escolhe de outro vetor “0 Km”.

Leandro Costa

O que, na nota da FAB, indica um teor de insatisfação com o desempenho do Gripen?

GuiBeck

Não, porém se apressaram em afirmar que o desempenho do Gripen não tem nada a ver com a análise sobre a eventual aquisição de F16. Segundo consta na nota da FAB, “A análise, no entanto, não guarda relação com as capacidades da aeronave F-39 Gripen”. Essa frase que deixou alguns intrigados acerca do desempenho do Gripen. Eu também acho que não tem nada a ver, mas…

Leandro Costa

Pois é. Se a FAB não fala nada, iam assumir que era problema com o Gripen, mas já que a FAB pensou nessa possibilidade e fez questão de informar que NÃO ERA ISSO, então tem gente que assume que é o contrário, e que é problema com o Gripen mesmo.

Sinceramente, eu espero isso de pessoas recém alfabetizadas. Não de marmanjos.

GuiBeck

Só pra deixar claro, apenas repassei um comentário, eu também não acho que haja qualquer problema com o Gripen. Até porque, pra mim, essa compra mira mais na substituição de F5 e A1, que como visto, muito provavelmente não vão ser substituídos por mais encomendas de Gripen. De fato, esse tipo de nota vai na mesma linha do “submarino de propulsão nuclear convencionalmente armado” kkk tem que explicar que submarino nuclear não leva (necessariamente) armas nucleares… hehehe cognição é tudo… ab

Rommelqe

Sem dizer, meu caro LEANDRO, que não faltam marmanjos ignorantes, desprovidos de bom senso e honestidade e totalmente mal informados,

Tomcat

Faz bem (e poupa tempo) pular a leitura do que é postado por comentaristas médios de portal do pessoal que comenta aqui com mais seriedade. É muita besteira que escrevem nos comentários.

Alexandre

Quem poderia responder isso é o 1⁰ GDA. Acho que o Alto Comando da FAB sabe disso. E o 1⁰ GDA está amando o Gripen!

Rommelqe

Exatamente….e com um vetor pior do que o GRIPEN JAS-39E/F, sem ToT e com a expectativa de performance técnica/econômica/finaceira etc, equivalente. Alguem aqui acha messmo que um F-16 pode operar com a mesma eficácia que um F39 desdobrado em um estrada entre Bela Vista e Manaus?

André

Acho que no artigo faltou um 4o desastre, que foi a compra das 12 unidades de Mi35, todas desativadas prematuramente, por falta de condições (entendo que financeiras) de realizar revisão no fornecedor.

Sérgio Cintra

Nunão pensando em um 2o. lote, se não foi colocado o pedido ainda, o cronograma para atendê-lo recairia p/ a próxima década, “SE” a Embraer não assumisse a produção, lembrando que a Suécia tem o seu 1o.lote de 60 a entregar e tem um segundo de 30 já em negociações. A FAB ( entende-se governo ) ficou de boca aberta e o charuto caiu, terá q ter ‘a vista outra saída p/ não ficar nos 36 e os S.Tucanos anabolizados p/ próxima década. Faria sentido outra “ave”?

Fernando "Nunão" De Martini

Sergio,
Não sei se é o cansaço mental de um dia todo, mas não consegui entender seu comentário.

MMerlin

O artigo representa a opinião do Nelson com base em alguns dados. Respeito e gosto dos artigos do jornalista. Ele traz informações e pontos de vistas diferentes. Mas nesta questão, discordo que seja melhor lançar um outro FX-3. Principalmente por ter acompanhado toda a novela (do nível da pantanal original da finada manchete) do programa. Pode ser que ele tenha alguma informação ainda não pública referente ao relacionamento com SAAB/Suécia. É possível que alguma insatisfação, por parte da FAB esteja ocorrendo. Não sabemos quanto contou o nível de neutralidade da Suécia para a decisão final (que é sempre política com… Read more »

Last edited 27 dias atrás by MMerlin
Bueno

deve ser esta ideia novelista, Vale a pena sofre de novo com o FX3.
É claro que é um estudo ,o bom é que ficamos sabendo que a FAB esta trabalha e faz estudos de possibilidade , de cenários hipotéticos, o mais absurdo que seja , é para isto que se chama estudo, analise; mas da uma tristeza , um baixo astral, acelera o coração, acelera, é muita emoção ! Não estou podendo passar por estas emoções !

Last edited 27 dias atrás by Bueno
Rommelqe

De qualquer forma, caro BUENO, se fosse realmente um “FX-3”, deveria pelo menos aventar outras hipóteses, inclusive outros ditos aviões similares…
Além disso aquela hipótese – com a qual não concordo mas que é assunto até de barzinho na beira de praia – de contratar um quinta geração F-35… Seria muito ruim, na minha opinião, seria o praxe atual. Se a idéia é substituri, realmente, os F5M e AMX na função ataque ao solo, a melhor solução continua sendo o GRIPEN F39 considerando desde custo, integração operciaonal, prazos…. etc

brutus

estudar estudar estudar e nao praticar nada = sem resultado

Marcos Silva

Matéria tendenciosa e chata. Não acrescenta nada.

Bernardo Santos

Exato, o site é muito detensioso e traz matérias sem pé nem cabeça.

Marcos Silva

e eu perdi tempo lendo aquilo! FX-3? É sério que escreveram isso?

Adriano madureira

E quanto aos 14 caças JAS-39C/D Gripen da República tcheca,Não poderíamos adquirir eles🤔❓

Quantos anos eles tem🤔❓ eles não vão de f-35🤔❓

Poderia ser uma opção 🤔❓

Fernando "Nunão" De Martini

Adriano,

Os tchecos estão no fim da fila atual e só vão começar a receber seus F-35 na virada da década, com entregas espaçadas por anos.

O contrato de leasing do Gripen C/D vai até 2027 e os tchecos estão negociando extensão até 2035 para não ficar com uma lacuna.

Alexandre

Chega a ser ridículo.
Extendam essa vida util mais 4 anos e pronto mais da metade dos gripens estarão aqui.
O a1 mesmo ja eh tao ultrapassado não faz diferença nenhuma ter ele voando.
Se for pra troca estao olha os fa50 coreano ou m346 italiano novos

MMerlin

Salvo engano, até 2027 já teremos recebendo todos os gripens.

comment image

Mas importante observar o cronograma original com o atual. Ao final de 2024 éramos para estarmos recebendo as últimas unidades.

Ivan herrera

Já estamos na metade de 2024 com apenas 7 caças e nenhum entregue esse ano ainda,pelo andar da carroagem vamos entrar a década de 30 sem ter recebido esses 36 aviões.

André

Acho interessante ler a reportagem da flight global, link Gripen E testing set to ramp up ahead of deliveries to Swedish air force | Analysis | Flight Global. A mesma indica que as entregas do 60 gripen de produção adquiridos pela Suecia se dara a partir de 2025. Os modelos em voo são para desenvolvimento da capacidade operativa. Lembrando que é basicamente uma aeronave nova, sendo natural alguns atrasos nas entregas em função dos testes da aeronave e otimização da linha de produção. Eu em particular acho que não deveriamos atropelar as entregas, ja trabelhei empresa sueca (de outro ramo)… Read more »

Vitor Botafogo

exato

Rodrigo Bueno

Exatamente isso que a galera não entendeu ainda. As entregas dos Gripen continuarão na razão de 4 por ano, com isso elas vão até 2032. Se vier o segundo lote, até 2040. A FAB precisa dos substitutos do AMX pra ontem, daí o F-16 de prateleira

Alexandre

No cronograma original não tinha uma pandemia de covid no meio… nem os danos econômicos provocados por ela.

Last edited 27 dias atrás by Alexandre
Rommelqe

Nem as atuais guerras em curso, inclusive na Europa e seus quintais

Bernardo

vc acha que quem não entrega 3 em um semestre (esse ano), entrega NOVE em outro? 11 gripens num ano é completamente fora da capacidade fabril das duas empresas (desconsiderando que também tenham as unidades suecas).

esse cronograma é virtual, tanto em pagamento (como vários apontaram) quanto em capacidade de entrega (mesmo que fosse tudo pago, não teria como entregar tanto avião em 3 anos)

isso vai entrar por 2030