Na segunda-feira, um diplomata ucraniano sugeriu que “grupos parlamentares importantes” – incluindo as do próprio partido SPD de Scholz – chegaram a um “consenso” em apoio à transferência de alguns mísseis furtivos de cruzeiro KEPD-350 Taurus da Alemanha para a Ucrânia para ajudar em sua luta contra invasores forças russas. A Ucrânia solicitou formalmente pela primeira vez a arma alemã-sueca lançada do ar em maio.

Até agora, o governo do chanceler Olaf Scholz se opôs a fornecer armas de ataque de longo alcance à Ucrânia, alegando que elas poderiam ser usadas para atingir alvos nas profundezas do território russo, potencialmente levando a uma escalada perigosa.

Um MP do SPD, Andreas Schwarz, é público em seu apoio a Taurus. E o deputado que fala em nome do grupo de política externa do SPD, Nils Schmid, disse que não “descartaria a possibilidade” desde que tais transferências estivessem em acordo com os Estados Unidos.

Mas tal transferência seria uma decisão de Scholz com o conselho do Ministério da Defesa – e ele e o ministro da Defesa, Boris Pistorius, ainda não indicaram uma mudança em sua política. Na semana passada, Pistorius afirmou que “ainda não chegou a hora de tomarmos uma decisão” e que essas armas “não eram nossa principal prioridade”.

O tempo dirá se a mudança dos ventos políticos afetará a posição de Scholz – e se o fizer, em quanto tempo essa mudança ocorrerá.

O KEPD-350 é amplamente comparável ao míssil de cruzeiro furtivo Storm Shadow/SCALP-EG desenvolvido em conjunto pelo Reino Unido e pela França, que começou a fornecer Storm Shadows para a Ucrânia na primavera e no verão, quebrando o tabu nas transferências de armas de longo alcance.

FONTE: Popular Mechanics, via Yahoo Finance

Subscribe
Notify of
guest

100 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcello

Se a minha 357 Taurus já faz um estrago, imagina um míssel da Taurus! Modo ironia pra quem não entendeu

Marcelo

Bem exageradas essas curvas de 90 graus dentro de uma cidade hein…deve manobrar para desviar de obstáculos e ameaças, mas não desse jeito !

Allan Lemos

Esses europeus inescrupulosos são cúmplices no massacre de ucranianos porque ficam apoiando as fantasias do Zelensky. Lamentável.

No one

Verdade esse bilhete, deveriam ceder essas armas para os russos… aí sim fariam o bem do povo ucraniano. Melhor aínda, apoiar e partecipar ativamente da operação especial para acabar mas rápido e terminar com a sofrimento dos ucranianos, consigo até imaginar a felicidade e o sorriso nos rostos deles.

No one

Mais*

Luiz

O sofrimento ucraniano começou quando o ocidente pós os pés na Ucrânia. Os africanos querem expulsar franceses e norte americanos dos seus territórios. Essa gente só trás guerras e fome.

Carlos

Meus avós maternos saíram de lá, o sofrimento dos ucranianos começou quando os Russos colocaram seus pés imundos lá com a intenção de exterminar os ucranianos, já ouviu falar do holodomor?

Rui

Os Africanos???!!!??
Não, só alguns ditadores, que com mercenários lá, já podem roubar mais o país e continuar no poder, pois a população nada pode fazer, senão os mercenários tratam dela.
Não é atoa que as instituições Africanas, querem o regresso do presidente eleito no Níger, mas a junta militar que deu o golpe, quer a Rússia do seu lado.

Bardini

Acho engraçado como os europeus foram de frouxos e eurobambys para: “inescrupulosos” e “cúmplices no massacre de ucranianos”. É o que se pode falar dos invasores russos, neste caso? Nada, né? O problema todo, é o Zelesky. E o Putin? Deixa quieto, rsrsrsrs. . Se o Zelesky tivesse fugido… Se os europeus fossem frouxos… Se o Biden não tivesse cumprido com a promessa de auxiliar a Ucrânia, antes da invasão… “Se” e mais “se”. E se os ucranianos não lutassem por seu país, ninguém morria, né? Não faz sentido lutar e morrer por sua nação, quando sua nação pode ser… Read more »

Allan Lemos

As duas coisas não são mutualmente excludentes. Os homens decidindo dar armas aos ucranianos não são os mesmos que estão sendo levados para o moedor de carne.

Não pense que a OTAN já não sabe como esse conflito irá terminar, e não será com a vitória ucraniana, mesmo assim escolhem tentar enfraquecer a Rússia mesmo ao custo das vidas de milhares de jovens ucranianos.

Quem glamouriza “lutar pelo seu país” em uma guerra inútil dessas anda assistindo muito filme de Hollywood.

Bardini
Bardini

Tá complicado editar isso aqui, pois o sistema diz que estou comentando muito rápido, então, vai de novo, completo: . “As duas coisas não são mutualmente excludentes. Os homens decidindo dar armas aos ucranianos não são os mesmos que estão sendo levados para o moedor de carne.” . Foi avisado e estão cumprindo o que foi prometido: https://www.youtube.com/watch?v=DMCxveA8M6Y&ab_channel=GuardianNews . “Não pense que a OTAN já não sabe como esse conflito irá terminar, e não será com a vitória ucraniana, mesmo assim escolhem tentar enfraquecer a Rússia mesmo ao custo das vidas de milhares de jovens ucranianos.” . Primeiro que a… Read more »

Allan Lemos

A Ucrânia teve parte de seu território abocanhado, tudo que ela faz hoje se baseia no contexto dessa invasão. Então ela está sim sob a influência russa.

Mas é engraçado ver pessoas criticando a Rússia por causa das atrocidades, invasões e intervenções enquanto apoiam o lado que historicamente mais cometeu atrocidades, invasões e intervenções.

Vietnameses sofrem até hoje por causa do uso do agente laranja, dois pesos duas medidas?

Leandro Costa

Vietnamitas hoje buscam maior aproximação com os EUA e vice-versa. Estão sendo pragmáticos. E essa de a Ucrania estar sob influência Russa porque tudo que ela faz se baseia no contexto de tentar repelir o invasor, é uma distorção da intenção original do uso da palavra ‘influência’ e acho que você sabe muito bem disso. É uma desonestidade intelectual, mas se preferir um termo mais coloquial, ‘Balela’ serve. Mas mesmo se formos pescar a paciência e levarmos esse seu arguemnto à sério, quem hoje em dia tem mais influência sobre a Ucrânia? A Rússia que é a inimiga e ocupa… Read more »

Wilson

Algumas considerações. 1 – “A Ucrânia teve parte de seu território abocanhado, tudo que ela faz hoje se baseia no contexto dessa invasão.” Não concordo totalmente, pois regiões como a Crimeia tem a maioria da população Russa e apoiam a anexação pela Russia. Esta região só foi presenteada para a Ucrânia no contexto da antiga URSS. Neste ponto vale lembrar que, a partir argumentação parecida, o Brasil reivindicou e conquistou o Acre. Logo, muito desta luta ainda são resquícios das questões, mal resolvidas, das nacionalidades dentro da União Soviética. Sugestão de leitura – A questão nacional na União Soviética de… Read more »

Leandro Costa

Nós não conquistamos o Acre. Nós compramos o Acre e resolvemos a questão via tratado, usando sim como argumento que haviam inúmeros assentamentos de Brasileiros por lá. Não houve controvérsia. Não tomamos na mão grande como a Crimeia foi. É bom lembrar, de novo, que a Rússia havia reconhecido todo o território Ucraniano lá nos anos 1990 e se comprometia não apenas à respeitá-lo como ajudar à defendê-lo.

Não há a menor comparação possível entre Acre e Crimeia.

No one

En passant, não houve uma limpeza étnica gerenciada pelo o estado brasileiro, no Acre.

Wilson

Sim, mas minha comparação se faz a partir dos fatos da anexação do acre e da reintegração da Crimeia. São constatações de fatos históricos e não buscam, de modo algum, justificar a limpeza étnica Russa realizada atualmente. Apenas não concordo com uma análise não histórica dos fatos. Geopolítica não é futebol em que você torce por um time e o defende mesmo contra os fatos.

Wilson

Permita-me discordar, pois a presença militar Brasileira foi fundamental para que o tratado de Petrópolis fosse assinado e, sim, houve controvérsias e conflitos que somente cessaram com a presença militar Brasileira, tanto em relação à Bolívia quanto em relação aos grupos que buscavam tornar o Acre um Estado Independente. Já quanto a Crimeia, durante o governo de Stalin na antiga URSS, em 1954, a Crimeia foi transferida para a então “Republica Socialista Sovietica da Ucrania” que também fazia parte da URSS. O conflito em torno da Crimeia traz questões mal resolvidas quando da dissolução soviética e a população na Crimeia… Read more »

Alecs

Bardini,
Melhor não continuar. Discutir com quem tenta justificar um erro com outro erro é perda de tempo. A ideologia sobe a cabeça e o caráter e bom senso são colocados de lado. Eles não admitem jamais que o adorado pintor de rodapé esteja errado, nem mesmo quando jovens russos são sacrificados. Não tem hombridade nem mesmo de se compadecerem com as famílias dos soldados russos mortos.

Marcelo

A Otan pode ajudar a ucrania do jeito que quiser,mais ninguém vai conseguir tirar os russos de lá ,e o pior é que os russos irão continuar avançando !!

Allan Lemos

Sim, desde o começo eu venho dizendo isso, Marcelo. Não sou o dono da verdade mas sei fazer análises pragmáticas, mas quem baseia suas opiniões apenas no preconceito contra a Rússia teima em não aceitar os fatos e preferem viver de narrativas sem fundamentos. A OTAN sabe que a Ucrânia não vai vencer, não é tola, porém continua a apoiando simplesmente porque querem enfraquecer a Rússia até onde puder antes de forçar o Zelensky a se sentar na mesa de negociação. Logicamente dezenas de milhares de vidas de jovens ucranianos estão sendo sacrificadas no processo, e sou criticado por achar… Read more »

Leandro Costa

Você não é criticado por achar isso imoral. É criticado por não fazer sentido. Todas as Guerras são imorais. E definitivamente não foi a Ucrânia que começou esta guerra e ela nem mesmo oferecia qualquer risco à segurança do Estado Russo. O problema é que você imediatamente rotula opiniões contrárias à sua como sendo de torcidas. Os EUA estavam sendo cruéis e desumanos ao enviarem ajuda militar para a França, Inglaterra e China, antes de seu envolvimento na Segunda Guerra Mundial? Estavam sendo imorais mesmo olhando para seu próprio benefício de segurança em longo prazo? Se acostume, porque moralidade e… Read more »

Allan Lemos

Chamo-as de torcidas porque é o que sāo, nāo apenas as pró-Ucrânia como as pró-Rússia.

Eu nāo deixo minhas opiniões pessoais sobre o regime de um país influenciar a minha análise pragmática sobre o contexto militar, por exemplo já elogiei diversas vezes o Programa nuclear norte-coreano embora pessoalmente despreze o que o regime deles representa. Muitos nāo têm maturidade de fazer o mesmo.

“Moralmente correta” na sua opiniāo, que assim como a minha vale muito pouco, agora vá falar isso para uma māe ucraniana que perdeu o filho. Só depois disso será qualificado para falar em moral.

Leandro Costa

Po cara, se você não acha uma guerra de agressão, que desrespeitou tudo quanto é tipo de tratado assinado pela Rússia como algo moralmente repreensível e que a ajuda à ‘vítima’ como sendo moralmente incorreto, então realmente acho que você é quem precisa de uma bússola moral mais bem aferida. E o argumento de que só vou ser qualificado para dar essa opinião se eu buscar aprovação de uma mãe Ucraniana é uma continuação da sua desonestidade intelectual, Allan. Estilo de argumento bem quinta série mesmo. Mas vamos seguindo por essa sua lógica, a URSS deveria ter se rendido em… Read more »

Allan Lemos

Desculpe-me mas a sua linha de raciocínio é muito simplória. Em geopolítica as coisas não são “preto ou branco”. Óbvio que a Rússia desrespeitou a lei internacional, mas volte o relógio para 2014 e veja que a Ucrânia virou pró-Ocidente graças a um golpe patrocinado pelo próprio Ocidente. Não se trata de defender nenhum lado e nem o outro, mas de entender que geopolítica não é Senhor dos Anéis onde o exército do bem enfrenta o exército do mal. Se for para defender a “moral”, como você colocou, então não fique ao lado de um país que criou uma mentira… Read more »

Leandro Costa

A Ucrânia virou ‘pró Ocidente’ porque ela quis. Não foi um golpe patrocinado pelo Ocidente. Volta lá e veja de novo só que dessa vez sem o chapéu de alumínio. É uma questão interna Ucraniana. Eles que se resolvam. Podemos muito bem aplicar a navalha de Occam nesse caso, e funciona muito bem. Você não precisa encontrar complexidade aonde ela não existe, procurando argumentos baseado em pseudo-fatos nos quais como não existe comprovação, acrescenta uma teórica camada cinzenta que simplesmente não existe. E quem tocou no assunto da moralidade foi você. Aliás, repetidamente para criticar o Zelenski e a Europa… Read more »

Allan Lemos

Obrigado por confirmar as minhas suspeitas, Leandro, agora tenho certeza de que converso com alguém que realmente não sabe do que está falando.

https://www.cato.org/commentary/washington-helped-trigger-ukraine-war#

https://jacobin.com/2022/02/maidan-protests-neo-nazis-russia-nato-crimea

Aqui o Ministro de Relações Externas da Estônia e uma política britânica discutem uma operação de false flag.

https://www.youtube.com/watch?v=kkC4Z67QuC0

https://archive.is/gLnu0#selection-977.0-977.12

Aqui outra conversa comprometedora de um diplomata americano.

Claro, tudo isso é conversa de “chapéu de alumínio”.

Vou roubar a frase do carinha que posta aqui de vez em quando, “Vamos estudar, pessoal.” Rsrsrs

Fernando

E a Siria virou pró-Russia porque quis, mas os EUA invadiram assim mesmo. E a OTAN invadiu a Servia porque quis, assim como fez na Libia. Lembra da operação Tempestade no deserto II? Pois é…

Fernando

Perfeito!

Fernando "Nunão" De Martini

agora vá falar isso para uma māe ucraniana que perdeu o filho.”

Senhores, o buraco é mais embaixo.

Me intrometendo na conversa:

Eu infelizmente não conheço, pessoalmente, uma história de mãe ucraniana, mas posso compartilhar uma que envolve algo próximo: uma avó (não é minha avó, já aviso, é de outra pessoa).

Netos que moram fora da Ucrânia ofereceram a ela os meios pra deixar o país.

Ela respondeu: “Não quero uma passagem, quero um fuzil.”

Leandro Costa

As pessoas por aqui tem uma mania feia de duvidarem de sentimentos patrióticos, ou mesmo religiosos, inventados ou não, e a influência que eles podem ter no desenrolar de ações estatais, seja em guerras ou não. Às vezes não importa se faz sentido, mas importa que elas mesmas acreditem nisso.

E existem N exemplos disso ao longo da História, mas muitos teimam em não acreditar. Acho que a maior prova atualíssima disso é o livrinho escolar novo lá na Rússia.

Allan Lemos

Agora pergunte-se se essa pessoa está nas linhas de frente ou a milhares de quilômetros do conflito, bem longe dos horrores da guerra.

É como aqueles políticos warmongers que apoiam a guerra porque sabem que não são eles que iriam lutar, mas se ouvissem o som de um morteiro caindo perto, iriam sujar as calças.

Fernando "Nunão" De Martini

Não entendi.

De que pessoa você fala, da avó que pediu um fuzil pra lutar?

E por que eu teria que perguntar isso a mim mesmo, ao invés de perguntar a quem ainda tem notícias dela?

Last edited 10 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Fernando

Nunão, creio ser verdade. Algo similar ao que uma mão Palestina deve estar falando neste momento.

Fernando

Mas os EUA nao estão sendo cruéis e desumanos ao enviarem ajuda militar para Israel dizimar os Palestinos?

Rui

Claro, e no processo de roubar partes de um país, e para isso terem que sacrificar centenas de milhares de jovens Russos, não entra na narrativa????

Rui

Na tua cabeça, eles já penetraram e muito.

Nonato

Fale isso para Putin.
Por que você não acusa Putin de matar jovens russos que sequer querem ir à guerra?

Fernando "Nunão" De Martini

Bardini,

Quando vejo tantas certezas nos comentários, imagino apenas que deve ser muito mais confortável a vida nesse mundo de certezas e simplificações, de 8 ou 80.

As dúvidas, que são as coisas que movem a curiosidade e a busca das explicações um pouco mais sofisticadas, saíram de moda.

Amaury

Em situações como essa é absolutamente normal que “paixões”, “ideologias” e etc. entrem nas análises feitas. Mas nem os europeus, como alguns dizem, são apenas inescrupulosos ou frouxos, como os ucranianos não são apenas vítimas ou nazistas e nem os russos são apenas invasores malvadosou perseguidos pelo ocidente. A situação é bem mais complexa. E não começou em 2022… A derrubada do governo ucraniano em 2014, a insatisfação de parcela considerável da população ucraniana de origem russa, a guerra civil no Donbass, a questão da Criméia, a expansão da OTAN, o nacionalismo ucraniano, etc. são ingredientes que levaram o caldeirão… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“Mas note que até um editor coloca sua crítica simplificando o tema e criticando apenas um dos lados.” Amaury, não sei se entendi muito bem o que você escreveu, mas creio que você não entendeu bem o que eu escrevi… Se entendeu que meu comentário foi para criticar o Bardini, errou. Foi para concordar com ele e incentivá-lo, pois está justamente tentando fugir das simplificações da moda atual de disputa ideológica, da narrativa burra e tosca entre “mocinhos” e “bandidos”, esforço que ele vem fazendo em vários comentários dos últimos tempos, buscando fugir desses lugares-comuns. Não falei em nenhum momento… Read more »

Last edited 10 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Diego

Palmas e palmas pro seu comentario, tudo muito bem colocado.

Alecs

Concordo Bardini. Tem hora que da ascos ler certos comentários. Tem momentos que até penso em ser funcionários pagos pelo Kremlin.

Marcelo

Qual a novidade disso,os europeus abrirão mao do gás russo barato a mando americano e agora a indústria européia perdeu competitividade porque o gás (energia) fornecida pelos americanos são 5x mais caro que o gás russo.
A europa virou marionete americana por causa do medo do poder militar russo .

Leandro Costa

Prove isso. Quero ver provas, vulgo, ações dos países Europeus que indiquem claramente que estão seguindo ordens de Washington ao invés de estarem agindo por alinhamento mútuo de interesses. Eu não apenas duvido que você consiga encontrar isso, como existem inúmeros casos em que as ações de países Europeus ao longo dos anos contrariam totalmente essa narrativa. Narrativa essa que é muito cômoda, né? Afinal, se os Europeus fazem qualquer coisa em conjunto com Washington, é porque são capachos. Se fazem qualquer coisa contra os interesses Washington, então aí na vale é deixa quieto. Adoram falar a mesma coisa do… Read more »

Leandro Costa

Falhou em apresentar provas, apesar de existirem inúmeras ações por parte dos Europeus, e do Japão também, que contradizem isso.

Fernando

Desculpe Leandro, mas vc tem alguma duvida que os Europeus fazem exatamente o que os EUA dizem a eles para fazer? A unica que talvez pense duas vezes antes disso é a França, que no final tambem acaba fazendo o jogo!

Wilson

A Europa vive o dilema da defesa dos próprios interesses x influência dos EUA porque sabe que depende dos Americanos para se defenderem contra a Russia e agora também contra a a presença da China na África. Não é obediência, mas cálculo de interesses.

Super Tucano

Esse caras que fazem comentários do tipo “o problema todo é o Zelesky” são uns ___________________. Eles querem o Partidão controlando tudo!

COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ROTULE PARA NÃO SER ROTULADO.

MANTENHA O RESPEITO. LEIA AS REGRAS DO BLOG:

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Wilson

Algo normal na política externa americana. Os EUA são amigos tanto de Zelenski como da familia Saud na Arábia Saudita e foi amiga de Pinochet no Chile. Nas relações exteriores dos EUA democracia é narrativa, pragmatismo e Realpolitik são a prática.

Diego Tarses Cardoso

Os estupros, execuções e mutilações cometidos por russos contra civis ucranianos devem ser culpa de Zelensky também. Os coitados dos russos só estão fazendo o que foram programados sem pensar pobrezinhos.

Allan Lemos

O Ocidente já fez e continua fazendo o mesmo até hoje. Ninguém é santo nessa história.

Dagor Dagorath

Relativização esdrúxula…

Felipe

E as “crucificações” e torturas do batalhão Azov feitas à população civil do Donbass, bem antes da guerra (capturados em vídeo), não é culpa do Zelensky ou daqueles que patrocinaram o golpe de estado de 2014?

Hcosta

As crucificações de crianças por falarem Russo foram divulgadas pelos meios de comunicação Russos e num caso tão chocante e aparentemente à vista de todos, nenhuma prova ou testemunha…

Mas nada mais equilibrado para resolver uma questão de polícia do que iniciar uma guerra.
E em 2021 foram cerca de 20 pessoas mortas em ambos os lados. Em 2022/23 foram quantos?

E ainda temos a propaganda Russa a vender a cidade de Donetsk como o paraíso na terra, apôs 2014. Não há aí nenhuma contradição?

Acredite no que quiser mas não faça dos outros burros…

Palpiteiro

É um pouco difícil estabelecer um contrafactual para esse tipo de avaliação, mas será que a 2GM seria diferente se os governantes Franceses não tivessem se entregado?

Inimigo público

Os alemães iriam massacrar os franceses como estavam fazendo antes da rendição. De certa forma os franceses não erraram em se render, estavam cercados e por outro lado só havia o mar para fugir, os ingleses levavam bomba na cabeça diariamente tentando ajudar os franceses, jamais iriam conseguir algum resultado favorável . Era a rendição ou sacrificar milhares de pessoas.

Leandro Costa

Vou tentar uma outra abordagem.

Allan, o que você sugere que a Ucrania faça, tendo em vista que não querem viver sob influência Russa? O que você sugere para por fim à guerra?

Alecs

Duvido que ele te responda. E se fizer vai ser mais um comentário vazio de argumentos e regado de paixões ideológicas.

Allan Lemos

Meu caro, parte da populaçāo ucraniana tem descendência russa, a influência existirá eles gostando ou nāo.

O que eu sugiro é um acordo, onde ambos cedam, mas graças à OTAN, que prefere sacrificar jovens ucranianos, isso nāo acontecerá tāo cedo. Vitória total de um lado ou de outro é wishful thinking daqueles que nāo sabem analisar, apenas torcer.

Leandro Costa

Seria o lógico à fazer, e também deveria ser o mais provável. O que sugere que ambos cedam?

Allan Lemos

Se busca-se não criar o precedente de nações adquirindo ganhos territórias via a força das armas, então precisaria envolver a saída da Rússia do leste e em contrapartida haveria o reconhecimento internacional da Criméia russa e a não entrada na OTAN, ou pelo menos criando uma espécie de corredor onde a ela não pisaria.

Enfim, não tenho conhecimento do local, de diplomacia ou do direito internacional para saber o que envolveria uma negociação dessa complexidade. Mas ou aceitam que a Rússia não pode sair de mãos vazias ou então teremos uma guerra sem fim.

Wilson

Partes da Ucrania, como a Crimeia, tem população majoritariamente Russa e apoiam a anexação.

Leandro Costa

Isso agora é impossível de aferir. O ‘referendo’ de anexação jamais pode ser verificado, e me parece bem óbvio que ele foi ‘para inglês ver’ assim como o referendo feito nas regiões ocupadas pelos Russos. Regiões que por sinal ainda estavam em disputa. Grupos de descontentes existem em vários lugares do Mundo. Lembro que havia uma galera aqui no Brasil que queria inclusive separar o Sul do Brasil em um país próprio. Essa desculpa de ‘unir o povo X ou Y’ que está sendo injustiçado já é bem batida. Ironicamente foi uma das desculpas esfarrapadas de um certo Gefreiter Alemão… Read more »

Wilson

Isso agora é impossível de aferir”. Sim, agora a verdade não vai ser revelada por pressão ambos os lados. Nos resta estudar a história.

Hcosta

Somente na Crimeia…

E a Rússia não pede o apoio da população, ela obriga a população a “apoiar”…

Bastaram alguns grupos de bandidos, armados por Putin, para tomarem o controlo das duas cidades capitais do Donbass e assim fabricar uma “revolta”.

Se essas “populações de etnia Russa” estavam assim tão indignadas com Kiev que se organizassem em protestos, greves, etc… e resolvessem essas questões de uma forma democrática.

Mas, “inexplicavelmente”, foi mais rápido organizar uma milícia armada, com equipamentos muito sofisticados, do que protestos pacíficos…

Fernando

Diga isso para a Sérvia!

Alecs

Esses europeus inescrupulosos são cúmplices” O Putinho e seus apoiadores são o que? E se a Ucrânia é uma nação soberana, me diga qual a razão do pintor de rodapé invadir? Além do mais, se a razão era impedir a expansão da OTAN, por que o salva vidas de aquário não invadiu a Suécia e Finlândia que eram países neutros?

Fernando

Pergunte isso para a Libia. E para a Sérvia. E para a Siria. E para os Palestinos.

Bento

Quem critica a resistência ucraniana não compreende o conceito de Nação, como ela é composta e a partir do que ela é criada.
Mesmo que tivesse sido criada artificialmente, como alguns afirmam, é nítido que neste momento existe a nação soberana Ucrânia, e negar isso é como negar a existência da nação soberana chamada Brasil.

Wilson

Mas as nações tem dinâmicas internas que podem levar a sua dissolução (URSS) ou a movimentos de secessão (Espanha/pais Basco). Ou seja, nada garante que as fronteiras de hoje sejam eternas e justas. Quanto a afirmações de que a Ucrânia seria “artificial” somente com muita falta de estudo de história se poderia afirmar uma besteira dessas.

Miguel Carvalho

Esses inescrupulosos políticos brasileiros que compram armas aos inescrupulosos europeus.

Dá que pensar.

Leonel

Se defender é uma fantasia?

Luiz

Podem fornecer o que for pra Ucrânia. A guerra de verdade tá sendo travada no solo. É ali que estão milhares de soldados indo pra o campo de batalha sem garantias de voltar vivo.

Afonso Bebiano

Eu não consigo lembrar de nenhuma guerra onde soldados teriam ido ao campo de batalha com a garantia de que voltariam vivos.
Essa é uma boa razão para que guerras sejam evitadas.
Infelizmente, criminosos como Putin ignoram esse aspecto.

Diego Tarses Cardoso

Tá achando que guerra é igual a Call of Duty ? Pessoas morrem de verdade e não têm respawn lá.

soldado imperial

Oh my God…… Vai ser um tal de russo esconder debaixo da cama que não vai ter colchão suficiente até na China…kkkkkkkkkkkkkk
Modo humor negro ligado.

Andrey

Não há ninguém escondido nessa guerra,vide o número de mortos de ambos os lados.
Muitos podem não concordar,mas se os ucranianos se empolgarem e atacarem o território russo o efeito será o contrário.

Komander

Ninguem tirando o Putin que correu para se esconder do Wagner group.

BraZil

Bom dia a todos. Com esta capacidade de manobra, deveria se chamar PICA PAU, pois só vi essa manobrabilidade nas balas disparadas nesse desenho…

BraZil

Já sei, meu comentário será retido. Escrevi em maiúscula por hábito e distração. E esses termos que geram alerta no software são no sentido aplicado aqui, absolutamente inocentes. Mas IA é assim…Segue

Quirino

Outra bala de prata que vai acabar com a guerra?
Será que essa vai ter sucesso onde as outras dezenas de bala de prata fracassaram?

Maurício.

Na verdade o Taurus não é nenhuma “bala de prata”, na verdade é basicamente um Storm Shadow/SCALP um pouco mais pesado, nada além disso.

Munhoz

No momento essas entregas não mudam o curso da guerra, porém servem par dar algum resultado politico, pois a Ucrania precisa mostrar algum resultado,

BraZil

Concordo Munhoz. Muitas manifestações de apoio (fornecimento de material), são apenas para que representantes da potência que ajudou e da ucrânia possam tirar fotos oficiais e dizer que estão alinhados, ou seja que a Europa está apoiando (a matança de Ucras)…só política. na prática não muda o curso da guerra…

Victor Filipe

Observação: a primeira imagem diz que o Taurus tem 1.090lb e a segunda afirma que ele tem 3.000lb

O peso real dele segundo um PDF da MBDA é de 1.400kg ou +- 3.100lb

Alexandre Galante

Na primeira imagem, o peso de 1090lb é da cabeça de guerra apenas.

Victor Filipe

confusão minha então

rfeng

Não vai mudar nada a não ser mais uma descapitalização da Alemanha em armamentos (talvez falte no futuro).

Felipe

Manda logo antes que acabem os Su-24

L G1

A Europa em decadência ainda tem muita tecnologia de ponta. O Brasil tem que aproveitar comprar e fazer engenharia reversa e produzir no Brasil.

deadeye

Ué, mas os pro-russos não ficam falando de uma “fatiga da Ucrânia no Ocidente”?

Gustavo

Não vai adiantar muita coisa… só ensinar os russos como enfrentar mais essa arma Ocidental.

BraZil

Verdade Gustavo. Um dos maiores ganhos para os Russos em toda essa campanha, será certamente o “treinamento de luxo” que estão tendo ao enfrentar doutrina e armamentos modernos da OTAN. Com a cortesia de Mr. Biden.

Nonato
Marcos

Penso que se eu fosse um cidadão ucraniano o que estaria passando pela minha cabeça seria algo do tipo: ” Cara, pra que fomos nos meter nisso? Pra que fomos tomar partido nessa briga entre Russia e Otan? Pra que fomos tentar entrar na União Européia e na Otan? Porque fomos fazer um movimento popular pra depor um presidente eleito? Porque não encontramos um caminho do meio? Porque não ficamos quietos, mantendo nossa soberania, sem perder terras pra Russia em 2014 e agora nessa guerra? Porque simplesmente não comerciamos com todo mundo? Podiamos comprar e vender pra Russia, Europa, EUA,… Read more »

Sensato

Creio que não. Concordo que depor presidentes eleitos por qualquer forma que rompa com a legalidade não é algo bom mas o desejo de entrar na UE visava alcançar prosperidade e na Otan visava obter segurança. Ambos são desejos legítimos em qualquer país. O grande problema da Ucrânia é ser vizinha da Rússia.

Marcos

Penso que o grande problema foi falta de sensibilidade politica para entender que a paz é um privilégio que demanda habilidade para se manter. Eles foram avisados que do ponto de vista de segurança da Rússia era inaceitável o alinhamento com a Otan. Deviam ter acreditado. Podiam ter evitado a invasão. Se queriam prosperidade não foi o que conseguiram…

Bispo

Mais esse conflito de “trincheiras” tal míssil é eficaz ?

Estão usando o Storm Shadow para atingir pontes ? Não foi feito para isso.

Até parece “modo desespero” on.