Produtos e soluções de Defesa & Segurança da Embraer são destaque em evento na Índia

Bangalore, Índia, 12 de fevereiro de 2023 – A Embraer vai apresentar a aeronave multimissão C-390 Millennium no evento Aero India 2023, em Bangalore, na Índia, entre os dias 13 a 17 de fevereiro. Além da presença do C-390 Millennium no evento, a Embraer vai promover em seu estande (Hall B, B2.2 B) o portfólio abrangente de soluções inovadoras desenvolvidos pela Embraer Defesa & Segurança, que incluem o A-29 Super Tucano, o P600 AEW&C, radares e as soluções para vigilância de fronteiras.

“Estamos orgulhosos de exibir o icônico C-390 Millennium na Índia para que nossos convidados experimentem as verdadeiras capacidades desta aeronave multimissão militar do século 21”, disse Bosco da Costa Junior, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “A Índia é um mercado-chave para a Embraer e queremos estabelecer parcerias que possam impulsionar ainda mais a indústria e as capacidades de defesa do país. Por isso, buscamos neste evento aumentar a interação com o ecossistema aeroespacial e de defesa da Índia.”

Desde sua entrada em operação na Força Aérea Brasileira (FAB), em 2019, o C-390 comprovou sua capacidade, confiabilidade e desempenho em várias missões. A frota de cinco aeronaves da FAB, todas na versão de reabastecimento aéreo, denominada KC-390, já acumula mais de 7.500 horas de voo e números recentes mostram uma taxa de conclusão de missão de 99%, demonstrando uma produtividade excepcional na categoria. O C-390 Millennium tem encomendas de Portugal e Hungria, ambos países membros da OTAN. A Holanda, também membro da OTAN, selecionou o C-390 Millennium em 2022.

O C-390 é a mais moderna aeronave de transporte tático militar de nova geração, e sua plataforma multimissão oferece uma combinação imbatível de baixos custos operacionais e rápida reconfiguração. O avião pode transportar mais carga (26 toneladas) em comparação com outras aeronaves militares de carga de médio porte e voa mais rápido (470 nós) e mais longe em um dia de serviço padrão da tripulação.

O C-390 Millennium pode realizar uma ampla gama de missões usando a mesma plataforma, incluindo reabastecimento aéreo (AAR) para aeronaves de asa fixa e rotativa, missões humanitárias, evacuação aero-médica, combate a incêndios, transporte de tropas e carga, busca e salvamento, entre outros, com reconfiguração simples e rápida entre as diferentes configurações de operação usando kits de conversão e sistemas de piso embutidos. A aeronave foi projetada para operar em pistas semipreparadas ou danificadas, bem como em ambientes hostis, variando de condições quentes e úmidas a frias e secas.

Um dos produtos da Embraer Defesa & Segurança em operação na Índia é o Netra AEW&C da Força Aérea Indiana. Construído sobre a plataforma do jato regional ERJ 145, a frota de três Netras é produto da colaboração entre a Embraer e a Organização de Desenvolvimento e Pesquisa de Defesa (DRDO, na sigla em inglês) da Índia. A aeronave fez parte das comemorações do 74º Dia da República da Índia e é frequentemente usada em importantes missões.

KC-390_Cutway.jpg

Siga a Embraer no Twitter: @Embraer

Sobre a Embraer na Índia

EMB-145I Netra

A Embraer tem uma longa presença na Índia e tem sido parte do ecossistema aeroespacial do país com aeronaves comerciais, jatos executivos, aeronaves e sistemas de defesa. A Embraer também estabeleceu centros de serviços autorizados em todo o país com a Air Works India e a Indamer Aviation.

Aviação Comercial: a Star Air, Star Air, operadora exclusiva de jatos da Embraer, possui cinco ERJ145s que operam em sua rede de 13 destinos na Índia.

Aviação Executiva: são 18 jatos executivos na Índia, das famílias Phenom, Legacy e Lineage (Phenom 100, Phenom 300, Legacy 600/650 e Lineage 1000).

Governo e Defesa: A Embraer colaborou com a DRDO para produzir três AEW&C ‘Netras’ utilizando a plataforma jato regional ERJ 145, operada pela Força Aérea Indiana (IAF). Os jatos Legacy 600 da Embraer também são operados pela IAF e pela Border Security Force (BSF) para o transporte de funcionários do governo e de alto escalão.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer tem negócios em Aviação Comercial e Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, prestando serviços e suporte pós-venda aos clientes.

Desde sua fundação, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8.000 aeronaves. Em média, a cada 10 segundos, uma aeronave fabricada pela Embraer decola em algum lugar do mundo, transportando mais de 145 milhões de passageiros por ano.

A Embraer é a maior fabricante de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviços e distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest

133 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
m4l4v1t4

Até hoje não entendi essa pintura negra no E-99 deles. É para impacto contra aves ou tem algum outro sentido além do de deixar a aeronave sinistra?

Ao que parece a India está para comprar pelo menos 50 aeronaves do porte do C-390 em caráter de urgência urgentíssima.

rommelqe

Operação noturna?

Luiz Carlos Laba

Certamente que sim, porém depende da capacidade da tripulação para NVG, se foi isso que quis dizer como operacao noturna.

Filipe Prestes

Pelo que li em fóruns internacionais, a quantidade requerida pela IAF é de 80 unidades, em dois lotes de 40. Tomara que a Embraer consiga esta venda. Seria interessante te-los associados aos programas civis também como o TPNG e o E2. O mercado civil indiano vai demandar muitas aeronaves regionais até 2030.

H.Saito

Suspeito que seja superstição, pois é dito que no hinduismo a cor preta é utilizada para espantar mau-olhado.

Teropode

A Embraer é uma das poucas coisas que dá orgulho aqui no Brasil .

Saldanha da Gama

2 !!!

Alexandre

Eu penso diferente, tenho orgulho de muitas coisas no Brasil, eu poderia facilmente citar a WEG, AMBEV, MARCOPOLO, PETROBRAS, DURATEX, SADIA, BRASKEM, ELETROBRAS, AGRONEGOCIO EM GERAL, só para citar alguns. Fora isso, e pensando no Brasil como um todo, observamos que estamos num País maravilhoso, que mostra um desenvolvimento que poucos Países no Mundo tem igual, é só ver o que temos aqui em termos de Aeroportos, Portos, rodovias duplicadas, Usinas Hidroelétricas, etc… Me lembro, que tempos atrás houve um debate sobre países desenvolvidos, e eu falei que nenhum País é desenvolvido se não tiver autosuficiência energética e alimentar. Muitos… Read more »

Marcelo Bardo

Agronegócio não…

Henrique

“Agronegócio não…”

até pq produzir comida é algo que da desgosto em qualquer…………………………

Guilherme Lins

Agronegócio é o maior orgulho do Brasil! Viva o agro! Viva o produtor agrícola brasileiro! São heróis mundiais!

EduardoSP

Nenhum país foi pra frente com base na agropecuária.
Não tem nenhum país desenvolvido cuja economia seja baseada em produção agrícola.
Mas há vários países desenvolvidos que importam a maior parte das conmodities que necessitam.
Então, menos ufanismo e mais pé no chão.

BLACKRIVER

Sugestão simples para vc por em prática: PARE DE COMER!!!

Afinal se não tem quem consome, não precisa ter quem produz!!!

Teropode

Só pra lembrar : Eu não disse que é de só ela mas , é disparada a melhor pois trabalha com o que a de mais tecnológico.

Alexandre

Entendi seu comentário e tb acho a Embraer um marco na história industrial do Brasil. Mas não podemos dizer que é disparada a melhor. Por exemplo, a WEG tem tecnologia de ponta, e o que é melhor, na maior parte é desenvolvimento próprio. E tanto isso é verdade que os aviões agrícolas Ipanema com motor eletrico que estão sendo desenvolvidos pela Embraer, tem motores desenvolvidos e fabricados pela WEG! Acho que todas as empresas que eu citei tem tecnologias de ponta nas suas respectivas áreas, e isso é reconfortante, pois não é qualquer País que pode elencar uma lista com… Read more »

Salim

Predução media leite/vaca Israel , Canadá 45 litros dia, Brasil 4 a 8 litros. Temos e quantidade, vai exterior e procura café brasileiro….. carne brasileira onde maioria e utilizada para produção industrial…. Temos que trabalhar muito sério para mudar esta situação, precisa desmatar porque produção e baixa. Embraer e outras empresas brasileiras citadas acima são exemplo de onde podemos chegar , querer ou achar não e fazer, tem que trabalhar muito sério. Parabéns a estas empresas que iluminam o caminho a ser percorrido.

André macedo

Braskem? Aquela que acabou com bairros inteiros de Maceió? Agronegócio? Tu tá de brincadeira? O Brasil não é autossuficiente em nada além de alimentos e atividade primária não é vantagem, basta olhar pro Japão que não produz praticamente nada em termos de agropecuária, importa tudo e vende produtos refinados e com valor agregado pra fazendões como o Brasil varonil, uma tonelada de soja custa menos que um iPhone, e gera bem menos empregos que o smartphone. “Ah mas alimentos são essenciais blá blá blá”: Continua sendo commodity barata e facilmente substituível, o mundo compra do Brasil por ser competitivo, não… Read more »

Alexandre

Procure ler sobre a Braskem e vc vai saber o gigantismo dela. A questão que ocorreu em Maceió eu conheco bem, pois moro na cidade. De fato, foi um crime praticado pela Empresa, mas mesmo assim, ainda é uma grande corporação. e posso dizer que todos estão sendo indenizados. A vale cometeu dois crimes maiores em Minas Gerais e ainda assim é uma potência mineral, e, por sinal, não citei no meu comentário. O Brasil é autosuficiente em tudo que interressa, vc vive sem smart fone, mas não vive sem alimentos e sem energia. O Brasil é o único País… Read more »

André Macedo

1 – Outros países compram do Brasil mais barato que os próprios brasileiros e ainda assim mantêm um padrão de vida bem acima do nosso, essa historinha de que o mundo é uma espécie de “refém” do Brasil é balela, o comércio é uma via de mão dupla e o mundo pode sempre investir em outro lugar pra produzir (como eu disse, o Brasil é competitivo, mas não é o único produtor). 2 – Não podemos “escolher pra quem vender”, como qualquer produto vendemos pra quem tem o melhor preço/ demanda e os produtores PRECISAM vender pra não quebrar, como… Read more »

Last edited 1 mês atrás by André Macedo
Alexandre

1) Outros países podem até comprar por preços mais baixos eventualmente, isso é do mercado, mas nunca disse que são reféns do Brasil e nunca disse que não existem Países com condições de vida superiores as condições Brasileiras. 2)Vc se contradiz quando diz que o Mundo pode escolher outro fornecedor e o Brasil não pode escolher pra quem vender, porque isso é do comércio mesmo, como vc disse, uma via de mão dupla. Anos atrás o nosso principal cliente era os EUA, agora é a China, quem diria que a china comunista seria nosso principal cliente. Amanhá poderá ser a… Read more »

André Macedo

Eu nunca disse que o mundo pode simplesmente escolher outro fornecedor, eu disse que o mundo pode INVESTIR EM OUTRO PAÍS, e não se trata necessariamente de substituir o Brasil totalmente, mas de diversificar as importações e ganhar com isso por investir em outros países (como a China faz), a França vai aumentar a produção de oleaginosas em 40% no prazo de 3 anos e outros países da UE vão seguir o exemplo. Quando falo das empresas (você se referiu à Vale e Braskem no comentário anterior, eu segui o fio da mineração) eu falo de atividade PRIMÁRIA, obviamente foi… Read more »

Last edited 1 mês atrás by André Macedo
Alexandre

Da mesma maneira que o mundo pode investir em outro País, o Brasil pode escolher com quem quer negociar, simples assim. A França não tem terras viáveis para aumentar sua produção em 40%, isso é só um sonho deles. E mesmo que consiga produzir, terá que ver se o custo será competitivo em relação ao Brasil. Como eu disse, até EUA, China, India e Russia tem o setor primário grande, por que o Brasil não pode? O Brasil pra ser grande, tem que ter os setores primários, secundários e terciários desenvolvidos. No nosso caso, temos um setor primário e um… Read more »

André Macedo

Agora podemos concordar em alguma coisa, eu não tenho problema algum e nunca disse que atividade primária não é importante, meu problema principal é com a dependência excessiva que o Brasil tem dessas atividades e a falácia de continuar assim vai desenvolver o país. O agronegócio e mineração tem sua importância? Com certeza, mas não podemos nos iludir achando que o Brasil vai se desenvolver se continuar se baseando apenas nessas atividades, os países que você citou tem investimentos enormes em tecnologia e indústria, enquanto aqui temos uma casta de ruralistas que desviam incentivos fiscais e ajudam a travar a… Read more »

sub urbano

É muita riqueza na mão de meia duzia de indivíduos. Romeu Zema é um dos caras mais ricos de MG e não conhece a escritora mais famosa do estado dele. No Brasil a riqueza esta na mão de analfabetos kkk

Felipe M.

uau, que crime, não conhece uma escritora.

Será como essa escritora se sairia em uma palestra sobre estratégia comercial, vendas, varejo, atacado, marketing?

Jadson S. Cabral

Para um político, alguém que deveria ser culto, conhecer seu estado, é um crime sim.

Camargoer.

Caro Felipe. Vocẽ tem razão. Conheço muita gente rica que é um ignorante. Não se deve misturar estas duas coisas. Também conheço muita gente legal, culta e inteligente que prefere ler poesia, gastar com uma boa biblioteca em sua casa e passar o maior tempo possível com a família. São opções. Todo mundo é livre para priorizar o que acha prioritário.

André Luiz Domingues

Desdenhar de cultura…. alvorecer do homem medíocre. Homo comedoros Alfafa,belo nome científico.

Wellington

Assim como nos demais países.

Rafael Cordeiro

O fato do Romeu Zema ter inteligência financeira não obriga ele a ser um fã de literatura, ainda mais se a literatura não for da área de atuação dele. Não adianta saber de tudo um pouco e não ter excelência em nenhuma área. Não existe uma pessoa que conhece tudo e todos temos alguma coisa para aprender e alguma coisa para ensinar.

Camargoer.

Caro Rafael. Concordo com você. Uma pessoa pode se rica e ao mesmo tempo um ignorante. São coisas muito diferentes, até porque cada um pode e deve buscar a sua própria felicidade. Alguns preferem acumular patrimônio, outros preferem acumular cultura. Alguns outros acumulam decepção. Sobre Zema, podemos separar ao menos três aspectos. 1. sua vida pessoa e familiar (da qual nada sei e não me interessa). 2 sua vida empresarial (a qual também não tenho interesse) e 3. sua vida política, esta sim de interesse. Zema é o típico político que gosta de negar a política, dizendo ser um gerente… Read more »

Rafael Oliveira

Caro Camargoer, Obviamente que existe muita gente rica e ignorante, mas essa palavra, no seu uso cotidiano, é bastante pesada para ser usada para chamar alguém que não conhece a escritora Adélia Prado. Eu mesmo admito que nunca li um livro dela e talvez nunca tenha ouvido falar dela antes desse episódio. E eu leio uma quantidade razoável de livros todos os anos, mas raramente leio poesia. Eu poderia enumerar diversos autores aqui e caso você não conhecesse algum não seria justo eu te chamar de ignorante. Ignorante seria se não conhecesse Machado de Assis, Guimarães Rosa, José de Alencar… Read more »

Camargoer.

Olá Rafael. Não chamei de Zema de ignorante. Disse que eu conheço muita gente rica que é ignorante (no sentido mais tosco da palavra). Não conheço Zema o suficiente para fazer um juízo da sua cultura. Talvez ele seja (como eu) um fã de Fernando Pessoa. Leio e releio, mas prefiro ler prosa ao invés de poesia. De fato, desde a promulgação da CF88 foram apenas 9 eleições presidenciais. Ainda assim, chama a minha atenção que apenas na primeira eleição venceu um ex-governador (Collor). Zema terá que enfrentar outros dois ex-governadores no campo da direita: Tarcísio e Eduardo Leite, sendo… Read more »

Alexandre

Isso eu concordo, mas é assim no mundo todo amigo. Essa do Zema foi realmente um absurdo!

BLACKRIVER

Bom mesmo era o governador anterior. Não era?

Alexandre

Acho que o anterior sabia o nome da escritora mineira. Por outro lado, ainda não vi nada demais no Zema como Governador, a régua anda baixa por la !.

Jota

Pessoal, vocês não tem idéia do nível de tecnologia que o agronegócio já está usando. Só aparece na mídia os picaretas, trapaceiros, etc.Por exemplo, produtores sérios já usam plantio direto , onde a plantadeira vem logo atrás da colhedeira, ambas com georeferenciamento. A colhedeira , além de colher, faz amostragem dos grãos, controlada por plc e georeferenciando cada lote. A plantadeira vem dosando a quantidade de sementes e adubo especifíca para cada trecho do solo, baseado em análise prévia também georeferenciada de cada trecho do solo. Muitas fazendas já tem “sala de controle” onde um agrônomo tem acesso a medições… Read more »

Camargoer.

Caro Jota. A questão da agricultura brasileira é bem mais complexa. Primeiro, é preciso separar dois grandes grupos. 1. agricultura familiar 2. agricultura de latifúndio. A maior parte da alimentação da população brasileira é produzida pela agricultura familiar. São pequenos agricultores que eventualmente tem alguns empregados e possuem uma complexa e variada produção agrícola. Inclusive a produção de laticínios é baseada na produção de pequenos e médios produtores de leite. O nível de complexidade tecnológica da agricultura familiar varia bastante mas praticamente todos as propriedades dependem de financiamento do Pronaf e do BNDES para a compra de equipamentos. Além de… Read more »

Jota

Camargoer, sinto muito mas isso nao corresponde a realidade. Voce mora no interior? Voce realmente conhece e convive com gente do agronegócio? Eu conheço e convivo. A maior parte da produçao agricola é agro intensivo. Pequenos e médios produtores já não estào conseguindo acompanhar. Conheço produtores bem estabelecidos e estruturados , com ordenha de 150 cabeças e confinamento de 500 cabeças e pararam . A venda não cobre os custos. Quando voce fala em “grande negocio” voce pensa só em exportaçao . A soja voce está certo , exporta mais de 70% . Mas , açucar é mais exportado que… Read more »

Camargoer.

Caro. Preste atenção no que escrevi. “Já o grande negócio, dominado pela produção de soja para exportação, algodão, cana-de-açúcar para produção de álcool e em menor escala arroz e milho”. Perceba que destaquei que a soja é dominada pela produção para exportação, mas que algodão, arroz e milho fazem parte da grande produção mas não são focadas na exportação. Mencionei também a cana uada para a produção de álcool. Teria sido diferente se eu tivesse escrito que a produção de soja, cana, arroz e milhos são para exportação. Percebe? Você leu muito rápido e leu errado. Vocẽ tem razão ao… Read more »

BLACKRIVER

Tá precisando voltar pra sala de aula…

Camargoer.

Eu passo mais tempo na sala de aula do que os estudantes.

BLACKRIVER

Por falar em latifúndio…
Temos 18 mil índios “morrendo de desnutrição”, só lembrando que eles vivem numa área equivalente ao estado de Pernambuco!

Camargoer.

Caro Black. È um grande erro comparar uma reserva indígena (ou mesmo uma reserva ambiental) com um latifúndio, que é uma propriedade privada. V

Camargoer.

Confundir um latifúndio privado com uma reserva indígena ou com uma reserva ambiental é um grande erro conceitual.

André Macedo

O que não falta no Brasil é latifundiário rico pra comprar esses equipamentos, o problema é o lobby que eles fazem pra indiretamente manter o Brasil como um fazendão, o próprio mito negou crédito aos pequenos produtores durante a pandemia mas deu pros grandes. E outra: Nada dessa tecnologia é produzida aqui, a tonelada de soja vai ser vendida ao preço de um smartphone de entrada.

Camargoer.

Caro Andre. Depende. Uma grande parte da tecnologia da agricultura é produzida no Brasil, seja por meio do aperfeiçoamento genético das plantas, biofertilizantes e até mesmo o desenvolvimento de softwares de sensoreamento remoto a partir de imagens de satélite, isso sem falar na capacidade de previsão meteorológica. Nada disso é produzido no exterior. Por outro lado, existem grandes fábricas de equipamentos agrícolas, algumas brasileiras e outras estrangeiras, mas todas têm fábricas produzindo no Brasil com capacidade de exportação. O problema agronegócio é exatamente como você pontuou. O valor unitário é baixo e o intensivo uso de equipamentos e tecnologia reduziu… Read more »

André Macedo

Exato mestre, embora eu tenha generalizado na questão da tecnologia do agronegócio, o Brasil continua precisando importar tecnologia estrangeira e produtos refinados no geral (ainda mais depois que sofremos a desindustrialização dos últimos anos). Aí quando se critica isso a narrativa é de que você “odeia os agricultores”, como se você fosse automaticamente criticado por plantar meio lote de feijão, o lobby da bancada ruralista é muito grande e desvia grande parte dos incentivos fiscais que poderiam ajudar a diversificar a economia, além de prejudicar a agricultura familiar e de pequeno/médio porte que são importantíssimas pra colocar comida na nossa… Read more »

Camargoer.

Pois é. Cada coisa em seu lugar e no seu devido contexto. O agronegócio assim como a mineração tem o seu papel econômico. Contudo, ambos geram produtos de baixo valor agregado. No caso da mineração, é mais assustador porque o país teria capacidade de produzir aço ao invés de vender minério. O fato do país ser o maior produtor de suco de laranja ou de soja ou um dos maiores exportadores de nióbio ou minério de ferro é bom, mas não o suficiente para uma economia robusta. Tão importante quanto produzir algodão é ter uma industria têxtil com artigos de… Read more »

Carlos

Um dos motivos de não termos uma indústria forte é o tamanho do estado que tributa em cascata às etapas produtivas começando pela energia, enquanto o estado, este sim arcaico, continuar espoliando a produção e tomando 33% da riqueza do país não veremos indústria forte.

Camargoer.

Carlos. A carga tributária média dos países da OCDE é de 34%, sendo que diversos países industrializados. Contudo, estes países tem maior carga tributária sobre a renda enquanto que no Brasil a maior carga tributária é sobre o consumo. Então, é no minimo equivocado afirmar que a carga tributária no Brasil seja um limitante de crescimento ou industrialização. Tal afirmação não se sustenta em qualquer análise comparativa. Aliás, outro equívoco é considerar que o endividamento público no Brasil seja um entrave para o crescimento econômico ou para a industrialização. É simples verificar que a dívida publicas (em relação ao PIB)… Read more »

Alexandre

“Nada dessa tecnologia é produzida aqui” Percebe-se que vc não conhece nada do agronegócio Brasileiro. Procure saber sobre uma indústria de base Brasileira com quase 100 anos de existência, chama-se DEDINE e é responsável por boa parte do parque industrial da industria do açucar e do alcool do Brasil. Procure se informar sobre a Brasileira WEG, que está entre as 3 maiores do mundo no setor de motores elétricos e fornece para toda indústria brasileira. Procure se informar sobre a AGRALE que fabrica tratores, caminhões e motores a diesel, inclusive já fabricou motos. Enfim, a tonelada de soja pode até… Read more »

Camargoer.

Olá Alex. Perceba que o Brasil também é um dos maiores produtores de proteína animal também. Os EUA são um bom exemplo para ser estudado. È uma potência agrícola e também tem uma complexa estrutura de agricultura familiar responsável pela segurança alimentar nos EUA. Também tem uma poderosa indústria de biotecnologia e setor de maquinário. Os EUA são um dos maiores produtores e exportadores de grãos. Ainda assim, a maior parte dos empregos é do setor de comércio e serviços e uma grande parte do seu PIB é sustentado pelo setor industrial. Claro que o setor agropecuários é importante, mas… Read more »

Alexandre

Concordo com vc Jota, e se tivermos um olhar mais específico, no caso, temas militares, observamos que a Xmobots, que é a maior fabricante de drones da América latina e que forneceu o primeiro drone nacional que poderá ser armado ao Exército Brasileiro, tem suas origens no desenvolvimento de drones para o Agronegócio. Foi o agronegocio que tornou a Xmobots no que é hoje.

Jadson S. Cabral

Autosuficiente em praticamente tudo o que é essencial? Se de um dia para o outro o Brasil sofre um embargo total, tal como Irã e Coreia do Norte nós voltaríamos facilmente para os anos 30 do século passado. Sem industria, tecnologia e quase nenhum produto monofaturado

Alexandre

Só na sua cabeça isso iria acontecer, pesquise mais sobre as industrias Brasileiras e depois venha aqui dar sua opinião. Acho que os grandes prejudicados seriam aqueles que fizessem o embargo. Gostaria de ver a Suecia que tem 60% do mercado de lacteos do Brasil com a Nestle, ou as americanas Coca Cola que tem tb 60% do nosso mercado e Colgate que tem cerca de 80% do mercado de dentifricios do Brasil, ou as montadoras de automoveis ocidentais, ou as Francesas Leroy e Carrefour ou a Alemã ThyssenKrup que domina o mercado Brasileiro de elevadores e escadas rolantes, se… Read more »

Helder

Aí vem os mocorongos e votam nós 9 dedos. Mau caráter, ladrão. Vai entender.

Alexandre

Ta na hora de superar as frustrações e deixar de usar ofensas em vez de argumentos. Mas de preferência, por mais difícil que seja, se utilize também de uma grande dose de honestidade intelectual. A política pode e deve ser algo em que as divergências sejam limitadas apenas pelo respeito e civilidade.

Mario José

Voce esqueceu de mencionar tbm a Avibras..

m4l4v1t4

A Embraer agora é uma empresa de TODES

Nostra

HAL HLFT-42

comment image

Last edited 1 mês atrás by Nostra
Nostra

AESA radar, FBW, IFR, IRST, EW, 13 hard points, max 10 BVRAAMs + 2 CCMs etc, expected at half the cost of LCA MK1A

comment image

Last edited 1 mês atrás by Nostra
Carlos Campos

I think thiss jet is mistake, India needs to develop a 5G jet, and improve the knowledge in turbofan engines.

Nostra

Amca mk1 (5th gen) and then Amca mk2 (5.5gen)

Working is going on engines , one of them, kaveri derivative engine for UCAV is undergoing testing

Carlos Campos

waiting for good news about these projets

Filipe Prestes

Another 4.5 gen fighter? I expected India would have a 5th or 6th gen project ongoing. Sounds a little strange that the indian industry presents only 4.5th gen aircrafts once they have technology enough to do it.

Nostra

HLFT-42 means Hindustan lead in fighter trainer

It is funded by HAL

It is a supersonic LIFT capable of combat training pilots for 4 and 5 gen aircrafts including combat teaming (MUM-T) scenarios

Specs
Length-16m
Span-9m
Height-4.6m
MTOW-16.5T
Internal fuel capacity 3.5T
Payload capacity >4.5T
Hardpoints 13

Will cost around half of LCA mk1a and HAL intends to export it

Last edited 1 mês atrás by Nostra
Marcelo

The seat arrangement is a little bit strange, the instructor is not in tandem with the student, as in modern trainers. Another issue is that it will somewhat jeopardize the LCA market, and I do not think it is possible to be half the price of a LCA, only if LCA is really overpriced.

Morgoth

A Índia tem bastantes equipamentos e armamentos que caberiam como uma luva no Brasil (como o HAL Rudra), e talvez topassem até parcerias ou produção sobre licença por aqui.

Willber Rodrigues

Concordo.
A Índia esta na dianteira em vários setores, como mísseis e progrsmação.
Seria ótimo o Brasil estreitar laços com eles.

Teropode

Na área espacial séria uma boa !

Régis

Concordo com você, Morgoth. Comprar equipamentos indianos também ajudaria a aumentarmos as chances de vendas futuras para eles. Nossos militares deveriam pelo menos dar uma olhada em algum sistema de defesa anti-aéreo.

E parece que o governo daquele país decidiu abrir a participação de empresas privadas no projeto AMCA, caça dequinta geração.

Willber Rodrigues

Se eu fosse a Embraer, ofereceria o 390 pra eles, dando como off-set transferir a linha de produção de peças da Argentina pra Índia, já que indianos adoram esse negócio de “made in Índia”

Filipe Prestes

Seria pragmático já que a Argentina aparentemente não vai comprar o C-390 devido as partes britânicas. Entretanto, caso Buenos Aires se decida pelo F-16 ex-RDAF, talvez abram um precedente para relaxamento do bloqueio, ao menos em meios “não ofensivos” como equipamentos de transporte e logística.

Willber Rodrigues

Se´´ a Argentina for de F-16, é muito provável que eles irão de Hercules via FMS, no combo com os F-16.
A Embraer pode usar transferir a produção de peças da Argentina como moeda de barganha pra futuros interessados no 390, já que, da Argentina, não vai sair nenhum compra de lá mesmo…

Salomon

Sei não. Mas o “partido” que está no poder tem outros planos para a Argentina.

Camargoer.

Quais planos?

Filipe Prestes

Na verdade o maior trunfo da Embraer é a proximidade com a Argentina e a possibilidade da FAdeA fazer por lá a manutenção como hoje já fazem com os C-130. Mas a cereja do bolo, e que a Lockheed não tem como competir nesse aspecto, é que a Embraer pode oferecer o E2 para o governo argentino (e talvez alguma participação da indústria argentina nele) para a Aerolíneas, offsets e participação em produtos futuros como o TPNG. Ambos seriam perfeitos pra AA e os aeroportos regionais como o La Plata e Jorge Newberry, onde hoje operam apenas ATR e o… Read more »

Willber Rodrigues

É mais fácil o RU levantar o bloqueio aos argies, do que os argies terem GRANA pra isso.
Tudo isso que você disse seria o resultado dos argies terem planejamento de Defesa a médio prazo, e terem vontade/ condições deles adquirirem produtos made in Brazil´´ e, principalmente, terem grana pra isso.
Eles não tem nenhuma dos 3 pré-requisitos.
Talvez isso comece a mudar se eles realmente escolherem o Guaraní.

Camargoer.

Olá W. Não é tão simples mas também também nem tão ruim. O Estado Argentino tem receitas em pesos seja por meio de impostos oi por emissão de dívida. Por outro lado, o comércio exterior depende da disponibilidade de divisas. Então, o Banco Central Argentino precisa garantir reservar internacionais para que o país continue importando. Quando maiores as exportações argentinas, maior é a disponibilidade de dólares para a operações de importação. Infelizmente, a Argentina vem tendo dificuldades há anos para conseguir os dólares necessários para viabilizar seu comércio, por isso tem buscado sucessivos empréstimos do FMI. Por outro lado, o… Read more »

Camargoer.

Caro Filipe. Pois é. Os EUA exerceram este tipo de veto quando a Venezuela tinha a intenção de comprar caças AMX e A29 da Embraer em 2006, mas liberaram a venda de aeronaves comercias. Então, há um espaço para a diplomacia brasileira intervir. Lembro de um caso durante a Guerra das Malvinas na qual o Brasil alugou alguns P110 Bandeirulha para a Argentina. Na época, o embaixador brasileiro em Londres (Roberto Campos… o avô do atual presidente do Bacen) foi chamado para dar explicações sobre a neutralidade do Brasil no conflito. Campos reafirmou a neutralidade do Brasil e como prova… Read more »

Carlos Campos

a parte da República tcheca também.

Nonato

Não.
Eles não compram se não montar lá.
Eu proporia montar 20 aqui e 20 lá.

Camargoer.

Caro W. Uma das vantagens de se vender aviões é que eles próprio são a garantia da venda, caso sejam feitos financiamentos. Lembro de uma companhia aérea regional brasileira que tinha aviões regionais da Embraer financiados pelo BNDES que foram retomados pelo banco e depois vendidos para a FAB (isso mesmo, a FAB os comprou). Contudo, os aviões estavam no Brasil, o que facilitou a operação de retomada. Isso fica mais difícil quando as aeronaves operam no exterior. O governo argentino tem recursos próprios para a aquisição de novas aeronaves de transporte, caso isso seja necessário. O problema são as… Read more »

João Adaime

Caro Willber Não é tão fácil assim. A Argentina é parceira no desenvolvimento do KC-390 e nunca houve compromisso de adquirir a aeronave por parte deles ou de qualquer outro parceiro. Existe um contrato, que para ser desfeito, exige o pagamento de multa. Além do que a Índia teria que desenvolver novamente as peças, mesmo com transferência de tecnologia, o que demandaria tempo e pararia a entrega das aeronaves enquanto isso. O que poderia ser feito, dependendo da quantidade de aeronaves a ser adquirida, é permitir a montagem do avião na Índia, mas com as peças vindo dos diversos parceiros,… Read more »

Rafael Oliveira

A gente não leu o contrato, né?
Pode estar amarrada com multa a produção na Argentina? Pode.
Mas pode não estar ou pode estar condicionada a compra de aeronaves pelo governo argentino ou a qualquer outro requisito ou cumprimento de meta. A gente não sabe.

João Adaime

Caro Rafael Realmente, o contrato é privado entre Embraer e FAdeA. O que se sabe é que o governo argentino aventou a possibilidade de adquirir seis KC-390 e 24 Gripen com o fornecimento de algumas peças pela Argentina. Assim como a FAB fez um pedido oficial, assinado, de 28 KC-390. Como se sabe, nada disso será cumprido. Mas independente de ter ou não multa, a mudança de fornecedor demandará um tempo para novo desenvolvimento das peças, construção ou adaptação da unidade fabril e instalação dos equipamentos para fabricá-las. A linha de produção da Embraer poderá esperar? Sem esquecer o alinhamento… Read more »

Rafael Oliveira

Tecnicamente o contrato é entre Embraer, uma empresa privada, e a Fadea, estatal argentina. Caso a Índia queira ser fornecedora de parte das peças ou até mesmo montar os KC-390 que eventualmente comprar isso será discutido com a Embraer, cabendo a Índia aceitar os valores e o prazo maior para a entrega das aeronaves (assim como o Brasil no caso dos Gripens). Duvido que o governo brasileiro vetaria um contrato da Embraer com a Índia por causa da Argentina. Alinhamento ideológico é uma coisa, perder bastante dinheiro e prejudicar uma empresa estratégica é outra. Outrossim, a Embraer poderia recorrer ao… Read more »

João Adaime

Prezado Rafael Meu comentário é sobre trocar de fornecedor. Argentina por outro país qualquer. Parar de comprar de um e passar a comprar de outro. Isto leva tempo e afetaria toda a linha de produção do KC-390, incluindo os pedidos da FAB, Portugal, Hungria e Holanda. Quanto à Índia, o mais racional seria, caso compense a montagem naquele país, manter a linha atual de fornecedores e tocar o barco, ou melhor, o avião. Como não conhecemos o contrato das parcerias, tenho dúvidas se a Embraer tem poderes para autorizar outro país a fabricar as peças dos atuais fornecedores. Seria, além… Read more »

Rafael Oliveira

Bom, eu defendo que a Embraer pode trocar os fornecedores argentinos, tchecos, sul-coreanos, alemães, americanos e etc desde que respeite os contratos ou pague as multas pertinentes.
E o que eu falei, se possível, seria trocar esses fornecedores apenas no que se refere às compras indianas. Aeronaves já encomendadas ou mesmo a serem encomendadas poderiam ter peças argentinas, tchecas, coreanas e etc.
Enfim, como não sabemos o teor dos contratos, estamos apenas especulando.
Concordo em deixar a Embraer trabalhar em paz.
Abraço.

Willber Rodrigues
Matheus

Óbvio que não, os Hércules da Grécia estão no osso. E uma aeronave nova demoraria muito pra ser entregue. Mas isso não quer dizer que o país não possa negociar o avião. Esses C-130 vão servir como um “tampão.”

Last edited 1 mês atrás by Matheus
Willber Rodrigues

A menos que esses Hercules venham MUITO baratos pra Grécia, não vejo sentido nela gastar grana num vetor, pra logo em seguida comprar outro, mais caro e mais novo.
E lembrando que a UK e a RAF tambem vão volocar Hercules a venda, como reestruturação interna.

Maurício Veiga

Os C130 estariam disponíveis apartir de 2026, a Embraer pode agilizar as entregas do C390 em detrimento das entregas para a FAB!!!

Camargoer.

Ola Maurício. A FAB sempre cedeu os slots de produção para priorizar a exportação. Isso aconteceu com o A29 e tem acontecido com o KC390. A França também tem este procedimento com o Rafale.

Maurício Veiga

É uma ótima estratégia de marketing, acredito que essa possibilidade possa viabilizar as vendas futuras do KC/C390!!!

Camargoer.

Ola MV. Você tem razão. Este tipo de operação é ótima para o cliente porque a produção da aeronave começa praticamente no momento da assinatura do contrato.

Filipe Prestes

Pelo mesmo motivo da Suécia…E o gregos vão também buscar seus C-130 J usados precisamente com a Itália. Já é o terceiro cliente que a Embraer perde pra Hércules usados ex-OTAN. Essas unidades usadas são uma dor de cabeça pro Millenium.

Carlos Campos

eu ainda não vejo como perdido pois esses aviões vão vir bem usados pelo que eu li, se não for assim aí então a EMBRAER perdeu,

Robson Rocha

Me parece que, olhando o cenário europeu, quanto mais “quente” for a região, maior a chance de alocarem verbas para compras de caças novos do que em cargueiros novos. Porém, o KC-390 tem vantagens táticas sobre o C-130J que podem ser uteis em regiões quentes. Por outro lado, me parece que a certificação do KC-390 para avião bombeiro está atrasado. Neste mês a FAB enviou um C-130 para ajudar no combate a incêndios no Chile. O ideal é que o tivesse ido o KC-390 mas, para isso, teria de estar certificado e equipado para a missão.

Filipe Prestes

Robson, aparentemente as certificações do KC para combate á incêndios ainda estão em curso, daí o porque de FAB ter enviado o Hércules. Aliás, o sistema empregado por esse Hércules em questão é precisamente o mesmíssimo MAFFS II que está incorporado ao Millenium.

Filipe Prestes

Espero que a Embraer possa fechar esse negócio com a Índia e que também consiga o contrato do Egito e Arábia Saudita. Esses são os três clientes mais importantes no radar. Acho importante também que o segundo lote de Gripens tenha alguma barganha com a Suécia por uma certa quantidade de C-390 também.

Carlos Campos

no radar tem também a USAF, que só não ganha lá se a Boeing for colocada como vencedora, sem levar em consideração os requisitos específicos,

André Sávio Craveiro Bueno

Não entendi. A USAF lançou algum edital, anunciou alguma intenção de substituição de parte da frota de Hércules?

Filipe Prestes

Ele se refere ao projeto Agile Tanker da USAF

André Sávio Craveiro Bueno

Obrigado

Jefferson Henrique

Espero que saia alguma venda para a Índia! A demanda deles é enorme.

Um Simples Brasileiro

E tem chances, já que a Índia opera de tudo e de todas as origens. Já tem até alguns Embraers de vigilância por lá.

EduardoSP

“Estamos orgulhosos de exibir o icônico C-390 Millennium na Índia para que nossos convidados experimentem as verdadeiras capacidades desta aeronave multimissão militar do século 21”, disse Bosco da Costa Junior, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança
Icônico com trinta e poucas unidades vendidas e só cinco em operação?
Menos, seu Bosco, menos….

Jadson S. Cabral

E tem que ter mais unidades vendidas para ser icônico???

Bueno
Salomon

O nosso exmo presi..poderia ter ido aos EUA num deles, para demonstração. Mas talvez a exma, que levou porta na cara na mulher do Biden, tenha achado pouco para sua categoria.

Camargoer.

Caro S. Acho estranho esperar que um presidente faça uma viagem internacional planejada em um avião de transporte tático. Imagino que seja razoável que um presidente possa fazer uma viagem a uma área de calamidade ou até de combate em um avião tático. Talvez seja possível até ele visitar a Antártica em um avião tático. mas por que qualquer presidente brasileiro faria uma viagem internacional em condições normais em um avião tático? A presidência tem dois aviões para uso doméstico e para países vizinhos, que seriam o VC1 e VC2. A presidência também pode usar o C99, o U100 e… Read more »

Filipe Prestes

Vc diz isso porque provavelmente não viu o tamanho da comitiva, que só de ministros foram 10. Essa não era uma missão para o KC, mas sim para os VCs. Desconheço o motivo do VC-1A não ter sido usado, mas chuto que foi precisamente a grande quantidade de passageiros.

Camargoer.

Olá Filipe. O VC1 é um Airbus 319CJ, que possui uma autonomia maior que o A319. O Alguns lugares mencionam uma autonomia de 8,5 mil km e em outros lugares 11 mil km. O avião podem levar até 55 passageiros divididos em uma classe executiva com 40 assentos e o gabinete presidencial com mais 10 lugares. Acredito que os 5 adicionais sejam da tripulação. Considerando que a distância entre Brasília e Washington são 6,8 mil km, o VC1 poderia fazer a viagem direto. Provavelmente, o VC1 estava indisponível, por isso a viagem foi feito com o KC30.

Equilibrium

O VC-1 estava em manutenção na LATAM MRO.

André Sávio Craveiro Bueno

Em São Carlos, do Pinhal. 😀

Camargoer.

Cidade do Clima

André Sávio Craveiro Bueno

Capital da tecnologia. Cidade sorriso (!!!).

André Sávio Craveiro Bueno

Boston (!!! :D) brasileira.

Camargoer.

Olá Andre. Tivemos sorte de morar nela.

Saldanha da Gama

Se não tiver luxo de hotel 5 estrelas, não serve não…..
Abraços

Camargoer.

Caro Saldanha. O VC1 é muito mais confortável que o KC30.

Teropode

A Micheque também amava conforto e escolhia a dedo a tripulação 😂

Rinaldo Nery

Quem disse?

Joelmir Ramalho

O Brasil insiste em parcerias estratégicas com países que sempre agiram como piratas (europeus) e que se acham os donos do mundo (USA), que não dão a mínima para o relacionamento que eles têm conosco, a não ser nos explorar e sugar tudo que temos. É sempre aquela parceria “caracu”. O Brasil precisa reforçar uma parceria estratégica com países que “estão no mesmo barco” que a gente. A Índia é um desses países. Enquanto nos preocupamos em agradar Europa e Estados Unidos, eles só pensam em nos manter como cães, presos a uma corrente, recebendo um pote de água e… Read more »

Camargoer.

Caro Joelmir. Uma coisa em cada lugar. Ainda que a história da chegada dos portugueses no Brasil tenha mais de 500 anos, a nossa história como país é mais recente, talvez marcada pela vinda da corte portuguesa mais ou menos. Acho inapropriado pensar que as relações diplomáticas e comerciais no Sec XXI devam ser pautadas por eventos anteriores á própria independência do país. Portugal foi metrópole de um Brasil colonial, ainda assim as relações entre os dois países são extremamente fortes. Mais recentemente, os EUA patrocinaram um golpe de estado no Brasil que impactou nossa história por mais de duas… Read more »

Hummm

O KC390 que está na Índia (Região de Bangalore) é o FAB 2853)

Frederick

José Maria Ramis Melquizo, grande designer brasileiro e autor da logomarca da Embraer e do design interior do EMB-110, dentre outros feitos na empresa, faleceu hoje.

Uma das contribuições de peso que a companhia teve logo em sua aurora.

Last edited 1 mês atrás by Frederick
Camargoer.

Que triste. Toda perda é triste

André Sávio Craveiro Bueno

RIP

ENIO

A Saab compra, comprou ou vai comprar o KC390? Até agora,02/2023 não li nada a respeito.

Camargoer.

Caro. Por que a SAAB compraria o KC390? Vocẽ quer dizer a força aérea sueca?