FAB incorpora primeiros caças F-39 Gripen à frota do Esquadrão Jaguar

F-39 Gripen

Cerimônia realizada na Base Aérea de Anápolis marcou o primeiro voo operacional no caça multimissão pelo 1° Grupo de Defesa Aérea

A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nesta segunda-feira (19/12), a incorporação das duas primeiras aeronaves de caça F-39 Gripen ao 1° Grupo de Defesa Aérea (1° GDA) – Esquadrão Jaguar. A cerimônia militar foi realizada na Base Aérea de Anápolis (BAAN) e presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior. Também prestigiaram a solenidade a Embaixadora da Suécia no Brasil, Karin Wallensteen; ex-Comandantes da FAB; Oficiais-Generais do Alto-Comando da Aeronáutica; Oficiais-Generais de ontem e de hoje; dentre outras autoridades militares e civis.

No evento, o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior destacou o salto operacional que a aeronave trará para a FAB. “Preparar a Base Aérea de Anápolis levou de seis a oito anos, visto que essa aeronave exige uma infraestrutura diferente dos aviões que nós operávamos até hoje. A partir de agora, o Brasil aumenta e muito sua capacidade de defesa e de manutenção da nossa soberania nacional, que é a principal missão da Força Aérea”, destacou.

Já o Presidente e CEO da Saab, Miccael Johansson, falou sobre o projeto Gripen e a parceria entre a empresa sueca e a Força Aérea Brasileira. “Os novos caças Gripen elevarão a segurança a um novo patamar, garantindo a soberania do Brasil e ajudando o país a fortalecer o controle de suas fronteiras e proteger seu povo e sua sociedade. O Brasil tem, agora, um dos caças mais avançados do mundo. Obrigado e parabéns por alcançar este importante marco!”, pontuou.

No evento, o Comandante da Aeronáutica e o Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Sergio Roberto de Almeida, receberam da Saab a Declaração Tática, documento oficial que define todas as funcionalidades do sistema Gripen e atesta que, a partir desse momento, a aeronave está pronta para iniciar as atividades. “Muito trabalho e empenho foram necessários para que estivéssemos aqui reunidos, testemunhando e celebrando o início das atividades operacionais desse vetor de caça na BAAN, uma Base Aérea que carrega em seu DNA uma vocação inovadora, estando desde a sua criação na vanguarda para implantação de novas tecnologias e doutrinas, honrando os feitos daqueles que nos antecederam, representados pelos nossos Dijon Boys”, ressaltou o Tenente-Brigadeiro Almeida.

Aviação de Caça na BAAN

A Base Aérea de Anápolis operou o primeiro caça supersônico da FAB, os Mirage 3, e consolidou os fundamentos do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro. Com a chegada dos Mirage 2000, inaugurou a doutrina de combate BVR, a qual é até hoje intensamente explorada nos cenários operacionais.

Na cerimônia, o Comandante da BAAN, Coronel Aviador Renato Leal Leite, falou sobre a atuação da Unidade Aérea na história da Aviação de Caça nacional. “Desde o início do projeto essa Base vem se preparando com obras de infraestrutura, com treinamento de pessoal, dentre outras coisas. E, como pudemos ouvir nas palavras do Tenente-Brigadeiro Almeida, praticamente todo o Comando da Aeronáutica teve uma participação muito importante. Foi uma preparação longa, extensa, iniciada lá no final de 2013, culminando com esse marco importantíssimo que foi a chegada e o início das operações do Gripen na FAB”, destacou.

E foi desse importante marco para a Aviação de Caça que o Comandante do Esquadrão Jaguar, Tenente-Coronel Aviador Gustavo de Oliveira Pascotto, fez parte. Na solenidade, ele e o Tenente-Coronel Aviador Ramon Lincoln Santos Forneas realizaram o primeiro voo operacional da aeronave. “A satisfação é muito grande. O Gripen é uma aeronave que se encontra no mais alto nível tecnológico, com sistemas embarcados, voo por instrumento, enfim, todo o auxílio que o piloto tem para fazer o voo, para conduzir uma missão, é, realmente, o estado da arte. É uma grande honra e uma grande satisfação poder fazer esse primeiro voo”, disse o Tenente-Coronel Gustavo.

Gripen no Brasil

O F-39 Gripen é um caça supersônico que, com o tempo, vai substituir as aeronaves F-5M e A-1M, padronizando a frota, diminuindo o custo de operação e aumentando a capacidade de respostas a ameaças externas.

No dia 2 de abril desse ano, as duas primeiras aeronaves de produção em série chegaram ao Porto de Navegantes (SC), transportadas em um navio. Elas voaram até o Centro de Ensaios em Voo, localizado em Gavião Peixoto (SP), onde pilotos de prova da FAB, da Embraer e da Saab executaram ensaios até alcançarem a certificação militar, que é uma espécie de licença de operação inicial do avião.

No dia 25 de setembro, desembarcaram mais duas aeronaves F-39 Gripen, que passaram pelo mesmo processo. Finalizada a fase no interior paulista, os caças foram transferidos para a BAAN, onde passaram pelas etapas finais de recebimento para o início da operação pelo 1º GDA.

Em novembro, foi emitido o Certificado Militar de Tipo para o Gripen E, que atesta que a aeronave cumpriu todos os requisitos de aeronavegabilidade e segurança de voo estabelecidos pelas autoridades militares suecas e brasileiras, representado pela Inspetoria de Segurança da Aviação Militar Sueca (FLYGI) e pelo Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) no Brasil.

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest

38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rogério Loureiro Dhiério

Show de bola os F-39 estarem ” escoltados” pelos “Mirrajão” e “Bicudo” ali em cada ala.

Pegos

Então… O que é esse mirage? Tem essa pintura e tiram do hangar só pra bater foto?

Leandro Costa

Sim, é um Mirage 2000 (tem um Mirage III no hangarete) e são duas aeronaves históricas do esquadrão que estão preservadas.

Camargoer.

Só para tirar foto. Ele não tem mais condições de voo. Sua turbina demandaria uma revisão e a sua parte estrutural uma completa avaliação. Mas continua lindo

Douglas Rodrigues

É provavelmente um dos F103 preservados pela FAB como “peça de museu” – dentro da estrutura em que o pessoal acompanhava a cerimônia parece ser outro F103, talvez com sistemas do cockpit já desinstalados – por isso o canopy todo em preto.

Leandro Costa

Douglas, o com o canopy preto é um F-2000. Note a sonda de reabastecimento em vôo.

Douglas Rodrigues

Ah, certo, obrigado pela correção.
Um belo F-2000 por sinal.

Leandro Costa

Belíssimo! Ele me enganou por causa da pintura na metade frontal da aeronave que é uma homenagem aos F-103. Mas enquanto eu babava nele notei a sonda, aí rolou aquele momento ‘opa, peraí…’

Camargoer.

Olá Leandro. Eu também fui enganado. Por que fizeram isso? A camuflagem azul do F2000 era linda.

Leandro Costa

Eu lembro que há uma matéria sobre essa pintura em algum lugar que a explica. Se quiser ver os F-2000C/D com a linda pintura azul, terá que vir até o MUSAL 😛

Camargoer.

Olá Leandro. Lembro do Mirage III no museu da TAM (fechado pela LATAM). Ainda não pude ir no Musal… mas ire em breve com minha filha. Depois, iremos no Aquário.

Leandro Costa

Por incrível que pareça não fui no aquário ainda. Mas pelo que sei, acho que vocês irão adorar o passeio.

M65

Sim, no aquário, na Praça XV – embarcações e instalações da Marinha, no Museu Conde de Linhares, no Forte Copacabana, na Fortaleza de Santa Cruz, no Forte Barão do Rio Branco e Imbuí (os 3 últimos em Niterói)

Santamariense

Esses Mirages são:
4910 – primeiro Mirage IIIEBR recebido pela FAB, em 1972;
4940 – primeiro Mirage 2000C recebido pela FAB, em 2006.
Ambos estão preservados e permanecem hangarados em Anápolis. Não possuem condições de voo, sendo usados em solenidades e datas comemorativas.

Camargoer.

Faltou o MIraga 2000.

Renan

Ele está lá ao lado dos Gripens, com uma pintura prateada na parte da frente e estilizado em verde e amarelo na parte traseira (5° foto de cima para baixo).
Se alguém do esquadrão faltou foi o pioneiro Mirage III rsrsrs..
.
Provavelmente o que te confundiu foi a pintura desse M2000 que remete ao Mirage III.
.
*Em tempo: Vi agora.. Tem um Mirage III no hangar ao lado de onde acontecia a cerimônia.

Last edited 1 mês atrás by Renan
Camargoer.

Pensei que fosse o Mirage III. Lembrava do Mirage 2000 com aquela pintura azul. talvez a mais linda que a FAB já teve.

Ivan herrera

Camargoer. bom dia, alguma novidade sobre o 6 KC390 se já está em fase de testes?

Camargoer.

Olá Ivan. Talvez o Poggio ou o Fernando EMB estejam melhor informados.

Leandro Costa

Camargoer, ele está lá com o canopy preto. Note a sonda de reabastecimento em vôo.

Camargoer.

Obrigado. Eu pensei que fosse um F103. Acho linda a pintura clássica do MIrage III, mas o Miragem 2000 operou com aquela camuflagem azul linda também

Rogério Loureiro Dhiério

Então, claramente faltou.
Más isso não denigre a foto e o momento.
Espetacular.

Santamariense

Rogério, não faltou o Mirage 2000. É aquele com canopi preto e cauda amarela, do lado direito do Gripen.

Victor Filipe

Na primeira foto ficou parecendo que o Gripen ta Cromado.

Ivan herrera

Grande dia, parabéns a FAB.

Allan Lemos

Quando os F-5 começarão a ser tirados de serviço?

Santamariense

Os F-5M , hoje, só operam no Pampa e no Grupo de Caça. O alerta em Anápolis é feito por estes dois esquadrões, em forma de rodízio. Até agora, pelo que foi divulgado, 5 F-5M já deram baixa. Mas, o caça norte-americano vai continuar em operação por muitos anos ainda.

Rinaldo Nery

O Alerta em Anápolis é cumprido pelo 1° GDA, que AINDA opera o F-5EM.

Santamariense

Então, onde eu li estava errado. E devem ter pouquíssimos F-5M no GDA, basicamente somente para o alerta. Na última operação Tínia, os F-5M eram apenas do Pampa e do Grupo de Caça.

http://spotter.com.br/atualizado.htm

737-800RJ

Como é bonito o Gripen E!
Por ser um pouco mais de um metro mais comprido que a versão C, é bem mais harmônico quando visto de lado.
Grande dia pra FAB!

Nativo

Belíssimo que se concretize o gripen na FAB.
Pequeno mais muito bem armado. Tá valendo.
Em tempo Colômbia vai de e Rafale.

Last edited 1 mês atrás by Nativo
Leandro Costa

Li isso agora pouco. A justificativa do governo Colombiano até agora parece bem furada. A FAC tinha predileção pelo F-16, mas o governo não queria comprar dos EUA. Bizarro. De qualquer forma o Rafale é uma excelente aeronave, mas realmente gostaria de ver o Gripen na FAC.

Ivan herrera

Verdade é uma justificativa bem estranha, vamos aguardar se realmente o contrato será assinado.

Grifon Eagle

Que venham logo os Gripens que faltam para compor os 40 F-39 Gripen do primeiro lote.

Camargoer.

Olá. FIquei com a impressão que o 03 e o 04 estão com os indicativos em cinza ao invés de preto, como no 01 e 02. Seria isso mesmo?

Leandro Costa

Camargoer, se ampliar a última foto, verá que estão com os indicativos em preto ainda. Eu também gostaria que fossem em cinza, mas acredito que ajustes ocorrerâo assim que mais aeronaves entrarem em serviço no grupo, inclusive com o jaguar pintado na deriva.

Roberto

Nas razões de escolha do Rafale pela FAC consta que is Gripens brasileiros estariam com problemas de integração do armamento. Alguém sabe algo a respeito?

Nei

Alguém sabe informar, porque no motor (saída/bocal de exaustão) de um fica mais aberto que o do outro desligado?
Isso é o piloto que ajusta ou é automático?