São José dos Campos – SP, 30 de novembro de 2022 – A Embraer recebeu um novo pedido firme para cinco aeronaves E195-E2 de uma companhia aérea não revelada, que tem planos otimistas de crescimento nos próximos anos.

Até o final de 2023, a Embraer entregará quatro aeronaves e a última no início de 2024. O valor do contrato é de US$ 389,4 milhões, que será adicionado à carteira de pedidos do quarto trimestre.

Siga a Embraer no Twitter: @Embraer

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer tem negócios nas áreas de Aviação Comercial e Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, fornecendo Serviços e Suporte aos clientes no pós-venda.

Desde que foi fundada em 1969, a Embraer já entregou mais de 8.000 aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola em algum lugar do mundo, transportando mais de 145 milhões de passageiros por ano.

A Embraer é a principal fabricante de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviços e distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest

19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
ICARO

Eu não acompanho aviação civil, por favor, alguém pode me dizer se a não venda da Embraer para a Boeing a deixou melhor, pior ou igual, perante o mercado atual e para o futuro?

Stemp

Também não sou aprofundado nesta questão, mas acredito que deixou mais experiente e pronta. Há um processo rolando, também não sei em que ponto está.

André Macedo

“Experiente e pronta”? Amigão a Boeing comprou a Embraer pra largar depois, deixou um prejuízo enorme e em plena pandemia, mais de 600 bilhões de reais, você mandar uma dessa é quase um crime kkkkkkk
A parte menos ruim é que a Embraer se recuperou bem dessa facada nas costas a partir de 2021

Camargoer.

Caro Andre. São 600 milhões de dólares, quase R$ 3 bilhões.

Camargoer.

Olá Icaro. A Boeing deixou um buraco de US$ 600 milhões na Embraer. Sobre o desempenho da empresa, creio que ficou tudo como antes, mas isso é apenas uma impressão.

Esteves

Não mudou muito. As receitas aumentaram. As margens diminuíram…margens menores fazem receitas maiores.

Defesa segue sendo uma pedra no sapato…vide cancelamentos do KC390.

Essa turma mistura milhões com bilhões. Quando é um dizem que é outro.

Nilton L Junior

Muito bom, se tem encomenda é porque o produto é bom e competitivo.
Alguém sabe dizer como anda o desenvolvimento do motor PD-8 do Superjet?

Gutex

Quanto ao motor em si, não sei. Mas o modelo do Superjet equipado com o PD-8 foi aprovado nos testes aerodinâmicos em túnel de vento esta semana.

Nilton L Junior

Obrigado.

Pedro Fullback

Infelizmente o nosso E-2 vem perdendo feio para o seu concorrente. Basta ver a lista de pedidos dos dois aviões.

Silvano

A venda para a Boeing estava era armada há muito tempo, só estavam acertando o que exatamente, se toda ou apenas um setor, e quanto deste setor venderiam, isso era antigo. O que salvou a Embraer foi a peste, não fosse isso, teria uma bandeira americana tremulando na sede da Embraer hoje, essa é absoluta verdade. O erro foi desistir de projetar e fabricar um avião grande, são esses aviões que vendem de verdade, avião pequeno vai quase como acessório. A Bombardier nunca foi concorrente para Embraer, o problema é que ao ser absorvida pela Airbus, eles tem o grande… Read more »

Nei

Falta envolvimento da Embraer, ela espera o cliente chegar e comprar. Visita as feiras somente, mas não consegue estabelecer uma contra partida com segurança (como Boeing, Airbus), pois está quebrada ainda com essa história da Boeing.
Outra, nas concorrentes, o Governo banca muita coisa e aqui, nem honrar o contrato com Embraer Defesa, consegue.

David Schwantz

É verdade. Eu li um artigo estes dias, onde alegava que o governo brasileiro desestimulou a compra das aeronaves de defesa, diminuindo pedidos e deixando a Embraer na mão. Tudo o que os governantes de 1°mundo não fazem…

Wilson Look

O concorrente direto dos E2 é o A220-100, o A220-300, seria mais um meio termo entre o E195-E2 e um A320.

Filipe Prestes

Estou curioso pra saber qual é a empresa. Chutaria que é a EgyptAir que recentemente tem procurado por pilotos de E-1 (Já que a transição para o E-2 requer apenas 62hs de instrução).

Adriano Madureira

Esse E195-E2 é muito belo…

comment image

Last edited 2 meses atrás by Adriano Madureira
Filipe Prestes

O tech-lion é lindo mas já que é um produto nacional preferiria que o staff do marketing da Embraer tivesse feito um tech-jaguar ao invés do exógeno leão. Mas enfim, é apenas detalhe e não tira a beleza dessa pintura.

Santana

Sempre pequenas vendas…mas de grão em grão né….mas infelizmente estão levando uma surra dos a 220,a Embraer errou lá atrás em não aumentar a capacidade e autonomia , creio que seja por isso que anda perdendo vendas,se tivesse mordendo ali a sola dos a320 e 737 a história séria outra,a bombardier acertou em cheio no projeto

Star Wars

A Bombardier acertou tanto que deixou de existir, gastou Bilhões de dólares, endividou o estado que bancou parte do projeto e repassou tudo à AIRBUS por simbólicos 1dólar. Enquanto a EMBRAER acertou no projeto, tem melhor jato dentro daquela categoria, no seu nicho de mercado, mas perde em vendas que são casadas onde o cliente AIRBUS leva um jato grande e ganha “quase” de graça um A-220. Concorrência desonesta.