A obtenção de um certificado de tipo militar para um avião de caça é algo único. Um marco que acrescenta mais um capítulo à história da aviação

Em novembro, a Saab obteve o Military Restricted Type Certificate (MRTC) para o Gripen E, que atesta que a aeronave atendeu a todos os requisitos de aeronavegabilidade e segurança de voo estabelecidos pelas autoridades militares suecas e brasileiras, representadas pela Inspetoria Militar Sueca de Segurança da Aviação (FLYGI) e Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) no Brasil. A certificação conjunta reflete a sinergia obtida por meio da cooperação técnica entre as duas autoridades.

Como o projeto agora está certificado, a Saab muda seu foco para o desenvolvimento e teste de novas funcionalidades. Para os clientes, este é um marco da maior importância, sendo uma etapa essencial para o Gripen entrar em operação.

Johan Segertoft, chefe de design do Gripen

“O fato de agora termos alcançado este importante marco, não é apenas um passo na história da aviação, é também, acima de tudo, um passo significativo para nossos clientes. Este é o resultado de um grande esforço de equipe que exige conhecimento, competência e perseverança para se obter. Projetar um avião de caça é o esporte de equipe definitivo”, diz Johan Segertoft, chefe do Gripen Design.

Cockpit do F-39 Gripen

FONTE: Saab

Subscribe
Notify of
guest

48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Funcionário da Petrobras

Esta camuflagem do Gripen E sueco é muito linda.
Belíssima foto.

Camargoer.

Olá Petros. Concordo com você. Muito ousada. Ficou lindona. Este ano serão 6 caças, dos quais 5 ja foram entregues. Ano que vem serão outros 6. Parece que é a mesma cadência de aposentadoria dos F5M

Alecs

Acho que o que foi dito é que chegam mais dois esse ano, totalizando 6. O FAB 4100 chegou ano passado.

Camargoer.

Olá Alecs. Bom ponto. Será que serão 6 entregues estes ano, incluído o 4100 ou não? Segundo o novo cronograma, fico com a impressão que o 4100 estaria incluído, mas espero que ele seja “café com leite”.

Captura de tela de 2022-11-30 11-01-40.png
Santamariense

Olha o cronograma em “físico original” e “físico atual”, ambos no ano de 2019. Talvez tu entendas.

Alecs

Olá Camorgoer. Em uma entrevista, se não me engano do comandante da FAB, ele disse que seriam entregues 6 esse ano. O FAB 4100 parece que foi entregue em 2019 pela sua imagem postada, mas só nos resta aguardar. Boas festas!

Camargoer.

Olá Alecs. Pois é. Depois do 00 (lembrei do carro do Dick Vigarista), a SAAB entregou o 01/02 e o 03/04. A expectativa seria entregar o 05/06 juntos. Segundo o cronograma apresentado pela FAB, seria 6 unidades em 2022. Contudo, no cronograma apresentado pela FAB de entrega das 36 aeronaves do primeiro lote, a imagem sugere que os seis primeiros seriam entregues em 2022 (00 até 05). Tomara que a SAAB entregue mais duas, ou mais, aeronaves logo. Se não puder ser em dezembro, que seja em janeiro. Ou fevereiro.

Funcionário da Petrobras

Sim foi falado que seriam mais 2 este ano, mas acho difícil, a não ser que o navio esteja no oceano ou em vias de navegar para Paranaguá.

Douglas Rodrigues

Lembrando que os últimos dois só soubemos que chegaram quando já estavam desembarcando no Porto de Navegantes, o de Paranaguá que fica aqui no PR não desembarcou nenhum Gripen e provavelmente todos os que virão da Suécia usarão a mesma rota.

Camargoer.

Verdade. O setor de comunicação da FAB (das três forças) é muito ruim.

Douglas Rodrigues

Em muitos casos a comunicação das FAAS deixam a desejar… Mas esse não é questão de comunicação, pode ter sido proposital não anunciar antes para não ter um acúmulo de pessoas como teve no caso do recebimento dos dois primeiros e nem começarem a levantar um monte de hipóteses e questões como essas referentes ao IRST.

Camargoer.

Olá Doug. Um bom profissional de relações públicas faria uma grande festa no recebimento das primeiras aeronaves. Faria um sorteio para um grupo de entusiastas visitar a aeronave no hangar. Faria uma coletiva de imprensa. Levaria autoridades para tirar foto…. meu orientador sempre disse que a galinha cacareja muito quanto bota um ovo, mesmo que seja pequeno. A pata fica quieta e o ovo é maior.

Camargoer.

Olá Petros. Eu não assim tão rigoroso com o calendário. Talvez eles já estejam prontos e poderão ser entregues para a FAB na Suécia, mas transportados para o Brasil em uma data mais oportuna. Até agora, a SAAB transportou 2 aviões por vez. Quem sabe, o próximo navio transporte 3 ou 4 aviões. Não vou apostar desta vez. Economizarei meus kichute$ para algum outro tópico. O importante é começaram a chegar e já exitem armas para eles no paiol da FAB.

Santamariense

O 4100 chegou ao Brasil em 20/09/2020.

Santamariense

Pelo cronograma que tu mesmo colocou em outro tópico, no ano que vem serão 3 Gripen E, não 6.

Fabio Araujo

Mais uma etapa cumprida, agora com a certificação militar no Brasil e na Suécia os próximos já poderão chegar voando?

Nei

O custo de voar, obter autorizações é maior que vir de navio, com seguro.
Isso já foi dito.

Santamariense

Pra que vir voando??

Marcos Silva

Porquê foi feito pra viar,talvez???

BK117

Carro foi feito pra rodar também, mas nem por isso quero que a concessionária traga o carro zero dirigindo da fábrica do outro lado do país até aqui. Mais seguro em cima da cegonheira.

Santamariense

Exatamente!!!

Marcos Silva

Besteira. Rafales e até Super Tucanos vão voando para seus clientes.

BK117

Rafales – Bimotores, e todos os atuais clientes podem ser alcançados da França sem grandes travessias oceânicas. Super Tucano – Custa uma fração do preço de um Gripen, bem como sua hora de voo. Ou ia ter que negociar a passagem dos caças por vários países e no mínimo 3000 KM sobre o Atlântico, ou vir direto como os Mirage e mandar um reabastecedor de longa distância. KC30 já reabastece? Não. Calcule o custo da viagem (hora de voo + manutenção) para 2 Gripen + talvez uma aeronave de apoio, a complexidade logística e o desgaste e riscos envolvidos e… Read more »

Santamariense

Voar quando estiver operacional e integrado à uma Unidade Aérea. Voar desde praticamente o outro lado do mundo, desgastando as aeronaves e correndo riscos desnecessários é burrice.

Marcos Silva

Super Tucanos,da Indonésia,ou das Filipinas,FORAM VOANDO DESDE A FÁBRICA DA EMBRAER. Porque o Gripen não pode?

Radagast, o Castanho

Tudo depende do que o comprador quer, se ele aceita assumir o risco do desgaste e os custos que esse tipo de translado ocasiona… então vai voando.

Vc tem que levar em consideração, também, que o Supertucano tem uma manutenção e custo de hora de voo beeem mais barata que o Gripen E, por isso, pode, no frigir dos ovos, valer a pena ir voando.

Eu acho que a FAB fez bem, não desgasta a aeronave e tem custo beeeeeem menor de translado.

Quer ver o Gripen voar? dá um pulo e Anápolis..

Marcos Silva

“… a FAB fez bem, não desgasta a aeronave e tem custo beeeeeem menor ”
Então coloca uma redoma de cristal em volta da frota. Desgaste zero!

Santamariense

Esse 8 ou 800 é bestial.. …Não precisa vir voando e não precisa colocar em redoma nenhuma. Precisa é voar quando em operação, gerando treinando e resultados práticos. De novo, é apenas minha opinião.

Equilibrium

Desgastar a aeronave? Pelo amor de deus, ela foi feita pra isso.

Santamariense

Mais gasta horas De voo do que desgasta. E corre risco desnecessário. Deixa para voar quando chegar no Brasil.

Santamariense

Problema é das Filipinas, que receberam aeronaves com um monte de horas já voadas. Tu sabe que a vida de uma aeronave e medida em horas de voo, correto? Então, pra que gastar algumas dezenas delas, encurtando o tempo que as aeronaves poderão permanecer operando antes de uma revisão? É minha opinião, apenas. Não precisa gritar. Abraço e vai pela sombra.

Rommelqe

Caro Santamariense: eu ainda acrescentaria que o Gripen E ainda requer (ia) alguns testes e ajustes para enfrentar o Atlântico.Por exemplo, os sistemas de navegação Suecos não necessariamente são os mesmos da FAB, etc. Assim talvez os próximos (se houver….) poderiam sim, mas não é, como vc bem explanou conveniente nem econômico traze-los em voo.

Santamariense

Exato, Rommelqe!!

Ednardo Sombra

Eu só queria que chegasse no número de 108 unidades…

Nei

No mínimo né. Mas aqui é Brasil, duvido ser muito além do que já foi encomendado. 2 Lote, olhe lá!

Régis

Como sonhar não custa nada, eu gostaria que fossem 120 unidades distribuídas por 10 bases no país, pelo menos. Todas protegidas por sistemas anti-aéreo de médio ou longo alcance.

Também seria bom ter 60 Caças-Bombardeiro A-1M para dar apoio, além dos Super Tucano e 21 KC-390.

Camargoer.

Olá Ed. Eu não sei se a FAB precisa de uma centena de F39. Ao longo de sua história, ela nunca operou tantos caças assim. Quanto muito, ela tinha um número de aviões de treinamento subsônicos que faziam algum papel de aviões de ataque, como no caso do AT26. Cada F39 é muito superior a qualquer avião de caça operado pela FAB, incluindo os Mirage2000C (os caças mais lindos que a FAB já operou). Uma frota de cerca de 80 F39E/F será a mais poderosa força operada pela FAB em toda a sua história. Talvez fosse o caso de investir… Read more »

Felipe Morais

Até porque U$ 2 bi mal paga 20. Imagine 30

Camargoer.

Ola Felipe. O contrato inicia foi de US$ 4,5 bilhões para 36 aeronaves, incluindo treinamento dos pilotos e mecânicos, armas, desenvolvimento, engenharia, ferramentas e manuais, etc. O segundo lote não precisa nada disso. Pode ser que valor unitário seja até 2/3 do valor do primeiro lote. Isso significa que um lote de 20 F39 poderia ser da ordem de US$ 1,6 bilhão.

Santamariense

5,4 bilhões de dólares, não 4,5.

Felipe Morais

É, talvez. Só não desconsidere eventual aumento de preços, a nível global, em razão da variação inflacionária desde a época da assinatura do contrato. Não acredito que ficaria tão abaixo dos U$ 100 mi por caça. Além disso, no ambiente doméstico, da época do contrato até hoje, a desvalorização do real perante o dólar foi de que? 50%? Algo bem perto disso. O próprio contrato do primeiro lote ficou difícil de pagar. O que era cerca de R$ 13 bi virou algo entre R$ 27 bi e R$ 29 bi. São esses valores que importam pois são eles que estão… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Felipe Morais
Felipe Morais

Hoje eu já torço pra que sejam, ao menos, 76 unidades, com o 1º lote de 40 e o 2º de 36.

Duvido muito.

Só o 2º lote custaria quase R$ 19 bi. Sem contar os dentes.

O 1º ainda está longe de ser totalmente pago.

Difícil imaginar um segundo lote chegando até o final dessa década.

Camargoer.

Olá Felipe. A FAB comprou 200 Meteor e um expressivo número de Iris-T. Acho que a FAB nunca teve tantos mísseis ar-ar assim em seu inventário. riso.

BVR

Não vejo a hora dos gripens da FAB fazerem a estreia naquele exercício em que somente operadores gripen participam.

Seriam então três exercícios de peso para a aviação de caça brasileira : Cruzex, Salitre e esse do “clube gripen”.

Quem sabe não pinta um convite para uma Red Flag entre um e outro exercício.

Renan

A FAB iria voando para o exercício dos gripens ou mandaria de navio?

BVR

Pô Renan !!
Rsrsrsrsrs…
De navio ?!!… só enqto ainda não foram incorporados ao setor operacional da FAB, Depois disso é só na base do supercruise, né ?

Last edited 1 mês atrás by BVR
Rommelqe

Espera a versão para NaE…rsrsrsrsrsr

Nonato

Nessa brincadeira já se vão 14 anos de FX 2.
Apenas uma nova versão não um novo avião.
Tanto é que muita coisa ira para a versão C.
Numa guerra tempo é precioso.