domingo, setembro 25, 2022

Gripen para o Brasil

Forças Armadas brasileiras adquirem 27 helicópteros Airbus H125

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Brasília — As Forças Armadas brasileiras, por meio do Comitê Coordenador do Programa de Aeronaves de Combate (COPAC), adquiriram 27 helicópteros monomotores H125 para aumentar a capacidade de treinamento da Marinha do Brasil e da Força Aérea.

O H125 será produzido na linha de montagem final do H125 localizada em Itajubá, Brasil, na fábrica da Helibras, onde também são montados os H225Ms para as forças armadas brasileiras. Esses novos helicópteros substituirão os antigos helicópteros AS350 e Bell 206 atualmente em serviço na Força Aérea Brasileira e na Marinha do Brasil, respectivamente.

“Este contrato de aquisição conjunta representa a realização de um projeto que irá equipar tanto a Força Aérea quanto a Marinha do Brasil com aeronaves modernas que atenderão as necessidades das Forças para os próximos 30 anos”, disse o Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro Carlos de Almeida Batista Júnior.

“A Airbus Helicopters tem orgulho de ver o H125 apoiando o treinamento da próxima geração de pilotos das forças armadas brasileiras. O H125 é um helicóptero versátil amplamente utilizado nos mercados civil e militar como plataforma de treinamento graças à sua robustez, confiabilidade e fácil manutenção. Estamos honrados com a confiança contínua das Forças Armadas brasileiras após mais de 40 anos de cooperação”, disse Bruno Even, CEO da Airbus Helicopters.

Os novos helicópteros H125 terão um cockpit de vidro duplo G500H TXi e VEMD (Vehicle & Engine Multifunction Display) e serão compatíveis com o uso de óculos de visão noturna (NVG). Eles também incluirão diferentes tipos de equipamentos de missão, como um guincho e um gancho, para que o treinamento dos futuros pilotos seja o mais representativo possível de suas missões.

As forças armadas brasileiras operam atualmente um total de 156 helicópteros Airbus implantados em suas oito bases em todo o país. Sua frota varia desde a família Ecureuil de motor leve leve até o helicóptero pesado multiuso H225M, 67 e 41 helicópteros respectivamente, para cobrir uma ampla gama de missões, como transporte tático, missões de busca e salvamento e civis apoio da população.

O H125 mais vendido em todo o mundo acumulou mais de 37 milhões de horas de voo com mais de 5.350 helicópteros atualmente em operação. O modelo, conhecido por sua robustez e versatilidade, é amplamente utilizado em missões de alto desempenho.

FONTE: Airbus Helicopters

- Advertisement -

118 Comments

Subscribe
Notify of
guest

118 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

H125 é o nome do Esquilo agora sob a batuta da Airbus. Quanto a escolha dele, por mim tudo bem, afinal manutenção dos bichinhos não será nenhum problema.

Essa compra conjunta da FAB e da MB, relembra a antiga conversa sobre um centro de treinamento que atendesse todas as 3 forças.

Last edited 8 dias atrás by Clésio Luiz
Camargoer.

Olá. Considerando que o EB também tem uma frota de helicópteros, por que só a FAB e a MB estão envolvidos neste programa? Complicado…

Clésio Luiz

Que eu me lembre, o Exército comprou os Esquilos deles uns 10/15 depois das outras forças. Então essas unidades, que por sinal foram modernizadas recentemente, ainda possuem uma boa vida útil restante.

Last edited 8 dias atrás by Clésio Luiz
Camargoer.

Olá Clesio. Entendi. Espero que o próximo passo seja a unificação da formação dos pilotos. Considerando o tamanho da frota de helicópteros das trẽs forças, tenho a impressão que dá para fazer um treinamento básico unificado, reduzindo custos.

Clésio Luiz

Precisamente. Alguns criticam a ideia, sem mesmo se dar conta de que ao utilizar o mesmo local físico e equipamentos, é perfeitamente possível realizar cursos de emprego diferente.

Camargoer

Olá André
E por acaso é simples?

Bille

Unificação de formação de pilotos ainda será alvo de uma longa discussão, e creio eu que por política não será um passo rápido.

bit_lascado

Poderíamos começar também com a unificação da designação dos equipamentos é complicado ter o mesmo equipamento e cada força chamar de forma diferente.

Gabriel

Complicado é querer fazer uma crítica, sem buscar o mínimo de informações a respeito do assunto.

Camargoer.

Ola Gabriel. Um interrogação no fim de uma sentença significa uma pergunta ou essencialmente uma busca por informação, Vá ser feliz.

Andre

talvez ele tenha se referido ao “Complicado….” que pode indicar que a pergunta era apenas retórica.

Terminar uma frase com reticências abre muitas possibilidades. Complicado…

Camargoer

Olá Andre. E por acaso é simples?

Andre

Muito menos do que simplesmente chamar uma pergunta retórica de apenas “uma pergunta ou essencialmente uma busca por informação”.

Camargoer.

Olá Andre. O ponto aqui é outro. Minha pergunta é sobre qual a razão da MB e da FAB executarem um programa conjunto para helicópteros de treinamento sem a participação do EB, que também tem uma grande frota deste tipo de aeronave. Então, alguém faz um ataque pessoal e direto (e absolutamente desnecessário). Outros colegas colocaram seus contrapontos em torno da recente modernização dos esquilos do EB, sobre a especificidade dos treinamentos de cada força, o que inclusive levou a uma discussão sobre a viabilidade de um treinamento básico unificado das três força e até sobre a dificuldade do MInDef… Read more »

Gilberto

“O programa TH-X é baseado em uma alteração contratual do programa HX-BR dos helicópteros H225M Caracal da Airbus, fabricados no Brasil pela Helibras. FAB e MB vão abrir mão de uma unidade cada do H225, que serão trocados pelos H125 Esquilo. A MB deve cancelar a compra do 5º H225M naval, designado UH-15A Super Cougar, mais caro e completo que o H-36 Caracal da FAB. Desta forma, a Marinha recebe 15 helicópteros Esquilo, enquanto a FAB deverá receber 12. O Exército Brasileiro (EB) também vai cancelar um de seus HM-4 Jaguar, mas não vai receber mais Esquilos. No caso do… Read more »

Willber Rodrigues

Eles só serão usados pra treinamento?

Rinaldo Nery

Sim.

horatio zhirinovsky

é muito triste essas micharias q temos q nos contentar e engolir,cadê os apaches ? cadê os cobras ? mangusta ? tiger ? ai vem e me aparecem com esquilo,só pode ser sacanagem,enquanto isso helicopteros de ataque segue sendo uma função inexistente nas 3 forças,negligencia total!
ai vão passar o resto da vida falando q não tem orçamento pra comprar pq compraram esquilo e tem a manutenção dos esquilos,triste fim

Last edited 8 dias atrás by horatio zhirinovsky
Bardini

Quem tem um pingo de noção sobre o assunto defesa e a conjuntura de nossas necessidades, sabe que para FAB e MB, estes H125 são muito mais importantes e úteis que um helicóptero de ataque.

horatio zhirinovsky

hum legal si vis pacem para bellum

Gabriel

Excelente a lucidez no comentário.

Maurício Veiga

Calma, neste caso específicamente a aquisição visa o treinamento e sua doutrina porém não podemos ignorar a carência de unidades de combate de asas rotativas, dinheiro tem!!! Por mim eu faria um Esquilo biturbina com assentos em tandem e blindagem leve específico para combate, isso já foi sugerido e estudado anteriormente, fizeram uma montagem digital que esta página já publicou…

Andre

Pessoal precisa jogar menos video game. Ficam imaginando um combate entre Brasil e sabe-se lá contra quem, com respaw e tudo.

Last edited 8 dias atrás by Andre
Leandro Costa

Está me dizendo que os Bell Jet Ranger da Marinha do Brasil que começaram à ser recebidos em 1974 não carecem de substituição?

horatio zhirinovsky

sim carecem só estou dizendo q as forças não podem usar isso como argumento para a não aquisição de helicopteros de ataque

SteelWing

um helicóptero civil, aí fazem umas gambiarras e dizem que esquilo é helicóptero de combate… Dinheiro tem, não sabem é usar

horatio zhirinovsky

isso mesmo concordo completamente

Andre

Está no primeiro parágrafo do texto:

para aumentar a capacidade de treinamento”

A6Mzero

Apache ? Mangusta? Tiger?

Bom primeiro a compra é para aeronaves para uma função diversa da que a desses helicópteros citados…

E em segundo foi a escolha foi uma aeronave que é barata de manter operar e temos condições de fazer manutenções localmente, uma escolha bem racional feita pelas forças.

De nada adianta ter algo moderno e poderoso mas que não temos condições financeiras de operar e manter.

horatio zhirinovsky

como o colega steelwing acima mencionou dinheiro tem só é mal utilizado ai vão usar isso como argumento para q NUNCA tenhamos helicopteros de ataque

A6Mzero

Sobre a má gestão isso eu concordo plenamente.

Mas penso que antes então de investir nisso primeiro é necessário fazer uma reforma de gestão e de pessoal, ai sim quando a casa estiver arrumada que a necessidade de helicópteros de ataque seja então sanada se for de interesse das forças.

Agora tocar diversos programas que começam e param sem quaisquer perspectivas de continuidade ou sem levar em conta as reais necessidade só resulta em fracasso.

Pablo

Qual a necessidade de apaches agora? Vao atirar no que?

Pedro Fullback

Existe sim a necessidade de um helicóptero de ataque, porém, temos tantas lacunas nas nossas FFAA que o helicóptero de ataque não é prioridade nesse momento.

Eduardo Angelo Pasin

Para que gripen vão atira no que?

Ivan herrera

Que comparação 😂😂😂

Victor Filipe

Realmente, que comparação, extremamente precisa. Afinal quando a coisa apertar de verdade não vai adiantar querer comprar, não existe “entrega em até 24h” no mundo militar.

Você precisa ter e estar preparado para futuras situação, não ser igual as forças armadas Brasileiras e ir empurrando as coisas com a barriga achando que na hora do vamos ver vai dar tempo de comprar tudo.

horatio zhirinovsky

uhum esse é o cerne do meu comentário,correta sua visão

AMSS

Qual o cerne dos equipamentos de cada força?!?!?!

Marinha -> Submarinos e meios de superfície
EB -> Cavalaria Mecanizada, MBT, Transporte de tropa
FAB -> Caças

Sério que vc tá comparando a aquisição do principal meio de uma força com a aquisição DE NICHO para outra?!?!

A lógica pulou da janela totalmente!

Outra coisa, esses helicópteros vão substituir meios adquiridos na DÉCADA DE 70 com a função de TREINAR pilotos.

Se comprar heli de ataque ao invés de H125, os pilotos vão aprender a pilotar direto no Apache/Mangusta/Tiger?!?!? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Ivan herrera

Noooosssa corra e avise o comando da aeronáutica e marinha eles não sabem disso sabichão 😂😂

Ricardo Rosa Firmino

Sem crise, temos pólvora…kkkkkkk

Heinz

Exatamente caro Victor, exemplo bem claro disso é a Ucrânia, não adquiriram sistemas de mísseis de longo alcance, nem aviões novos de caças, sistemas contrabateria, mísseis antinavios.
Se não fosse a OTAN fornecendo ou vendendo a preço muito baixos, a Ucrânia estaria numa situação muito pior do que se encontra.
Espero que nosso alto comando esteja ciente disso.

BK117

Defesa aérea? Interceptação de aeronaves de alto desempenho?

E o apache? Interceptar teco-teco do pó igual os Sabre?

Não me entenda mal, é uma grande necessidade para o futuro, mas a comparação com o Gripen não faz muito sentido.

Eduardo Angelo Pasin

Cada arma tem a sua utilidade no campo de batalha, dizer que esse ou aquele equipamento nos não precisamos só porque não tem utilidade em tempos de paz é no mínimo burrice

BK117

Sim, por isso que eu disse que é uma grande necessidade pro futuro. A questão não sobre a utilidade ou necessidade, e sim sobre o nível de prioridade. Tem muita coisa que é muito mais urgente, e temos meios que podem, até certo ponto, cumprir as missões que fariam os helis de ataque.

horatio zhirinovsky

correta visão ironica hehe

Pablo

Qualquer forca aérea necessita de caças para sua defesa aérea, qualquer forca terrestre precisa de helicóptero de ataque?
Essa tua comparação e ótima.

Realista

Pra que exército vão nos defender do que ?

Calma ai né .

MIB

Será que os comandantes ucranianos também tinham esse pensamento? Em seu ponto de vista temos que nos preparar para a guerra depois que ela começou? A arte da Guerra um livro milenar ensina, se vc quer paz, preparasse para a guerra.

Camargoer.

Ola Horatio. São equipamentos para treinamento. A pergunta mais importante é por que o EB está fora deste programa?

BK117

Caro Camargoer,
eu lembro de ter lido que cada força abriu mão de um H225M e o EB, por ter modernizado seus Esquilos recentemente, optou por um contrato de apoio logístico.

Camargoer.

Olá BK. Obrigado.

Leandro Costa

Camargo, é sempre bom lembrar que os H125 são basicamente os mesmos helicópteros que o EB já usa para treinamento e que foram recentemente modernizados, como o Bueno lembrou na matéria anterior, o que os torna praticamente iguais. Sendo que se o EB optou por um contrato de apoio logístico como o BK117 mencionou, então o EB está dentro do programa. A logística de manutenção desses helicópteros será extremamente facilitada, bem como a interoperabilidade de agora em diante. Acho que essa compra foi um passo muito acertado, ainda mais se ainda quiserem no futuro fazer uma escola conjunta de treinamento… Read more »

Bueno

sim, conforme o site do EB seria +/-25 anos de operação, contando que a modernização iniciou em 2012 , as 1º 4 Aeronaves entregues em 2014 .. temos a ideia de que +/- em 2035 inicia a baixa destes modernizados.. o EB já deve estar iniciando planos para comprar de novos e ir repondo as baixas.
Pode ser que comprem o mesmo modelo.. ou irão usar esta nova escola de pilotos,acrescentando aeronaves nela.. se a ideia é unificar a escola de preparo para minimizar custos…

horatio zhirinovsky

sim camargoer são de treinamento mais o q eu disse no meu comentário é q as forças vão usar essa compra como desculpa para não comprar os helicopteros de ataque por falta de orçamento,o mesmo orçamento q foi gasto comprando 27 esquilos….e ai a esplicação do exercito esta de fora do programa ORÇAMENTO INDISPONIVEL kk

Sensato

As FAs não vão usar essa aquisição como desculpa para nada pois é apenas uma renegociação de um contrato que já foi fechado a muito tempo. O EB não fez nenhuma aquisição pois já tinha as unidades que desejava então optou por manutenção e, portanto, não está fora de nada. Pena ver que você comenta a tanto tempo, como afirma, mas não parece estar prestando muita atenção no que lê…

BK117

“Cadê os apaches?”
Até onde eu sei, essa aquisição foi uma troca: 1 AH15B por 15 H125 pra Marinha e 1 H-36 por 12 H125 para a FAB, possibilitando o treinamento de pilotos e transporte leve com aeronaves modernas. Me diz aí, com o valor de 1 H225M você compra quantos Apaches?

Clésio Luiz

No Call of Duty que ele joga dá para comprar um bocado…

horatio zhirinovsky

quando vc ainda estava usando fraudas ja comentava aqui na trilogia então abaixa a bola e volte ao seu video game ou seja la o q for…chegou no onibus agora ja quer sentar na janela!

Clésio Luiz

Sim senhor!! kkk

Marco Antonio Oliveira

Que dureza!!! Kkkkk

Von Richtoffen

FraUdas? Senhor!

horatio zhirinovsky

e com o valor de 27 esquilos compra quantos ? 1 apache bem armado e municiado se compara com 27 esquilos ? ou pra vc não tem q ter apache e ai poe uns foguetes no esquilo e ta tudo resolvido(mesmo sabendo q são de treinamento)

Last edited 8 dias atrás by horatio zhirinovsky
Adriano Madureira

Amigo aceite a realidade brasileira, nosso ataque é uma piada… Vemos países como a Polônia, que irão adquirir quase 100 boeing AH-64 Apache para sua defesa, enquanto no Brasil até para para se adquirir 12 aeronaves AH-1W Cobra customizadas é algo surreal de se fazer. O problema é somente orçamentário?! Não, isso é apenas uma das desculpas, o problema é gerencial e político. Enquanto a defesa for vista como gasto e não investimento por essa classe política e não houver ajustes financeiros profundos dentro das forças armadas, nós continuaremos a ter um orçamento considerável onde boa parte será para cobrir… Read more »

Last edited 8 dias atrás by Adriano Madureira
Rinaldo Nery

A Polônia está no quintal da Rússia…

DOUGLAS TARGINO

Muito bom, mas avisa as nossas forças armadas que isso não vai nos proteger, precisamos de vetores de ataque e não somete para passeio.

Rinaldo Nery

Amigo, sãohelicóteros utilizados para FORMAR PILOTOS DE HELICÓPTEROS. Na FAB e na MB. Substituirão os helicópteros do 1°/11° GAV, e do HI-1, na MB.

Jefferson Ferreira

Proteger já é demais, mas quem sabe levar uma aLtoridade ali ou a colá…

horatio zhirinovsky

para comerem lagosta e reclamarem do orçamento kkk

Allan Lemos

Eles não reclamam do orçamento para investimentos, apenas quando se trata dos próprios benefícios de natureza pecuniária. Só quem reclama do orçamento tendo como base a falta de investimentos reais são alguns poucos lúcidos aqui, que ainda são criticados pelos sabichões da trilogia, que se julgam os donos do saber mas que não devem ser capazes de administrar um mercadinho de esquina.

horatio zhirinovsky

isso mesmo!

Ivan herrera

😂😂😂😂😂😂😂😂

Fábio

Uma pena, pra mim o mais adequado era entupir as 3 forças com black hawk.

Leandro Costa

Nem os americanos usam Black Hawks para treinamento.

Ivo

O fusquinha dos helicópteros, super confiável e bom esse bichinho. Alguém sabe dizer por que vão substituir os AS350? Fim da vida útil?

Rinaldo Nery

Sim.

Bille

Os da FAB tava no osso mas ainda respiravam. Os Bell da Marinha já tavam com parada cardíaca…

Foxtrot

Duas dúvidas.
1- Compra de equipamentos para uso comum não deveria ser atribuição do MD?
2- Recentemente a MB adquiriu o BK-117 em substituição aos Jet Rangers, sei lá por qual motivo, o esquilo foi posto de fora da concorrência.
Agora irão adquirir o Esquilo como helicóptero de emprego comum.?
Não que eu seja contra, pois como temos muita experiência em manutenção e uso deles, fica mais fácil a cadeia logística.
Só pretendo entender esse processo mesmo.

Aéreo

O que aprendi nos ultimos 40 anos é o seguinte: o Brasil é livre pra escolher o helicoptero que quiser, desde que seja frances.

Foxtrot

Pois é.
Até porque temos a “Montabras” ops, Helibras, ops Eurocopter aqui há anos nos impedindo de progredir.
Falam mal da Argentina, mas lá por mais primitivo que seja o equipamentos da Sicaré, eles produzem localmente.
Como sempre escrevo, o que falta é mais conversa e integração com a vizinhança.
Brasil pode produzir de tudo, desde que seja com as “bençãos” dos Estates e colônias europeias!

Camargoer.

Caro Aéreo. Como você explica os black hawk da FAB, do EB e os sea hawk da MB? Não são franceses. E os praticamente aposentados Mi 35 russos?

Aéreo

Depois de ter pago pedágio para os franceses na forma de 51 Kombis voadoras caras e questionáveis ai se pode comprar helicópteros de verdade no caso dos BW e SW. Os russos foram pedágio por causa da exportação de carne.

Wilson Lobe Junior

Breves momentos de lucidez!

Last edited 7 dias atrás by Wilson Lobe Junior
BK117

“Compra de equipamentos para uso comum não deveria ser atribuição do MD?” Não foi uma compra para uso comum. Cada força reduziu um H225M do pedido, o EB pegou um pacote logístico para sua frota e FAB e a MB acabaram por pegar H125’s, que ambas necessitavam. “Recentemente a MB adquiriu o BK-117 em substituição aos Jet Rangers, sei lá por qual motivo, o esquilo foi posto de fora da concorrência.” Uai sô tô sabendo dessa história não, comassim meu? Já tem Jet Ranger furioso atrás de mim, pô! kkkkkkkkkkkk Brincadeiras à parte, não estaria confundindo com os EC-135? Foi… Read more »

Foxtrot

Obrigado pelas informações.

Thor

Algumas coisas erradas aí…
A MB adquiriu 3 EC135 para operar prioritariamente no PROANTAR, substituindo os Esquilos, e foi [praticamente uma compra de oportunidade. Não substituíram Jet Ranger.

Sim, a decisão e a compra (recursos) são do MD. A FAB apenas foi selecionada para conduzir o contrato, aproveitando a estrutura técnica da COPAC.

Silvano

Vejam bem, eu acho que essa compra está sendo feita assim de maneira apressada, pois tudo indica que haverá mudança de governo, e tudo indica que será no primeiro turno por larga margem, segundo o IPEC e o data folha. Então é melhor comprar logo.

Rinaldo Nery

Data Foice…. kkkkkkkk

Burgos

Até tu Brutus !!!🤣👍😎

Henrique

não sei com que dinheiro o suposto próximo governo vai comprar pq o plano de governo do suposto próximo governo é continuar o plano de governo de 2012-2016

Camargoer.

Olá Henrique. Independente de que ganhe as eleições deste ano, o orçamento de 2023 já foi aprovado. Vamos discutir 2024 para frente.

Bardini

O que é que se pode falar desse contrato? A única coisa que consigo pensar, é que a realidade é dura demais e este contrato não é mais do que simples coroação do fracasso que o “projeto estratégico” de nacionalização de aperto de parafusos de H225M representa, onde depois de muitos bilhões de reais, se saiu de lugar nenhum e se foi para lugar algum, sem gerar nada verdadeiramente relevante e terminando com a Helibras fazendo “mais do mesmo”. . Enquanto isso, a turma que vive no metaverso, chora pela não aquisição de helicópteros de ataque. Situação complicada demais a… Read more »

Henrique

Minha opinião é apenas que o H135 é mais helicóptero e seria uma escolha melhor, mas provavelmente seria mais caro, então o H125 é adequado.
Realmente não temos grana pra comprar helicóptero de ataque que deve custar uns US$ 40 mi então tudo bem um helicóptero ligeiro com pod de metralhadora e foguete.

Last edited 8 dias atrás by Henrique
Nemo

Caro Henrique, o Apache AH-64E completo não sai por menos de U$ 130 milhões. Compradores recentes como Austrália, Polônia e Indonésia pagaram isso ou até mais.

EduardoSP

Pois é, projetos sem pé nem cabeça, feitos de forma açodada e de olho nos R$ bilhões que rolam.
Aqui projeto de dois anos é longo prazo. O que importa é faturar muito, e rápido. O futuro deixa para depois. Deus proverá.

Vitor

Calma, Bardini. Segundo alguns jênios que aqui comentam, qualquer questionamento sobre a lisura só pode ser feito ao MP. Vão te chamar de leviano. O fato de que compraram um número redondo (50) distribuídos igualmente entre as 3 FAs sem concorrência é apenas uma coincidência. A corrupção faz milagres mesmo. Conseguiram unir as 3 FAs em um projeto de aquisição único. Isso é só um caso “estranho” da operação da Airbus aqui. Vou dar uma dica: leiam as licitações para manutenção dos helis para-públicos. Tem sempre uma cláusula falando que a OM tem que também ser a fabricante do componente.… Read more »

Rinaldo Nery

A compra dos H225 foi uma ordem do GF. Do PT. Eu estava na COPAC, à época. Foi uma maracutaia do GF, e não do MD. A COPAC ficou como responsável pelo projeto porque a FAB era,quem possuía mais experiência nesse tipo de aquisição. Havia oficiais da MB e do EB trabalhando na COPAC, no projeto. E tem mais: assinaram o contrato sem crédito, atendendo determinação do Planalto.

MIB

A verdade que essas “transferências de tecnologia” deveriam ser investigadas, se formos parar pra pensar, os ganhos com tal transferência são pífios, quando paramos paramos para analisar, é só olharmos para esses 50 helis pesados, com o dinheiro investido em tal transferência de tecnologia, dava para ter equipados as fas com vários helis pesados, de ataque, anti submarino, e de porre ter pagado para uma Embraer desenvolver um helicóptero nacional, o mesmo vale para outros projetos de transferência de tecnologia, tem um ditado chinês que diz, se ouço, esqueço, se vejo, lembro, se faço, aprendo.

Thulio manhaes

Eu leio determinados comentários aqui e tento ficar quieto, mas chega o momento q não dá!…esse discurso de não temos apache pq não temos em quem atirar é o pior d todos!…pensa CMG esperamos aqui aparecer algum problema ( tipo essa conversa d internacionalização da Amazônia)com nossos esquilos, daí qd o problema se concretizar vms ao mercado atrás dos helicópteros, compramos as aeronaves, dps treinamos pilotos daí utilizaremos o equipamento, até TD isso acontecer já perdemos a amazônia e mais vidas brasileiras, e pior qd a gente resolver comprar essas aeronaves vms comprar elas d quem???? Provavelmente dos mesmos países… Read more »

Claudio Moraes

Infelizmente nossa classe política não pensa assim, pois a demência é tanta que implica na falta de pensamento geopolítico que é uma das principais coisas que deveria ter na cabeça de qualquer político por aqui. Se careçe e quase inexiste. Isso por que são raros as cabeças pensantes. Os militares ficam atados com esse orçamento, realmente. Reclamar eles reclamam, mas reclamam mais quando seus direitos salariais são requisitados, quem não reclamaria neh? Então complicado, o Brasil deste tamanho e ter defesa a míngua. Torçamos para que isso mude e principalmente é preciso cobrar dos políticos para que tenham uma visão… Read more »

MIB

Nem a classe política nem a militar pensam assim, é só olhar o número de militares e número de equipamentos, o dinheiro vai só para pagar o pessoal… É só olhar para Ucrânia para vermos que hoje em dia equipamentos de qualidade são mais relevantes que grandes números de equipamentos, aqui não temos nem um nem outro…

Cansado

Antes isso do que mais lagosta e vinho “com no mínimo três medalhas internacionais de qualidade” rsrsrsrs

Fabrízio

Por base na matéria, faltam ser recebidos 7 H225? Seria isso? (Considerado a diminuição dos 3 já anunciada)

Régis

É para todas as Forças Armadas? Estou começando a acreditar que o EB vai acabar escolhendo o H145M como helicóptero de ataque, mesmo não sendo um AH dedicado.

Tomara que venha armado com mísseis anticarro spike, pelo menos isso.

sub urbano

A maior compra militar desse governo que acabará em outubro: pouco mais de meia duzia de helis (modelo da decada de 70) para treinamento.

Bruno

Rapaz…cada comentário no fórum.
Uma simples substituição de helicópteros de treinamento vira discussão até chegar em helicópteros de ataque puro.
Simples a conta. Aeronaves antigas que careciam de substituição, principalmente os Jet Ranger que estão no pó da rabiola.
Padroniza-se o treinamento das três Forças com o mesmo aparelho e pensa-se no futuro.

Que sejam bem vindos os H125 novos de fábrica. Aumento considerável no treinamento dos fututos pilotos de asas rotativas.

Bardini

Sobre helicópteros de ataque, eu penso o seguinte: . Precisamos? Sim. Dentro do EB. É prioridade? De forma alguma! O EB tem prioridades gigantescas para resolver, antes de se lançar em um gasto de bilhões de reais com helo de ataque. Quais seriam estas prioridades? . Em ordem: Sistemas de Guerra Eletrônica, táticos e estratégicos, ofensivos e defensivos. Estamos muito atrasados nessa frente. Renovação em ampla escala dos equipamentos/ armamentos individuais e coletivos (Fardamento, Comunicadores, Míssil AC, CSR, Fuzil, Metralhadora, Lança Granadas, etc) UAVs de diferentes categorias, para ampliar consciência situacional no terreno e Loitering Munitions para realizar neutralização de sistemas inimigos… Read more »

Salim

A MB também precisa helis ataque para o NA Atlântico, porém a MB tem prioridades básicas mais urgentes do mínimo operacional. Porém se vai manter este nr enorme fuzileiros e lógico que heli ataque e uma das prioridades. A Helibras sim é um engana trouxa.

Bardini

A MB não precisa de helicóptero de ataque, além dos três modelos que ela já tem. Ela precisa é de navio!
.
Quem precisa de helo de ataque, é o EB. Se o EB tivesse estas aeronaves, ele poderia muito bem operar nos navios da MB, assim como fazem franceses, espanhóis, britânicos, australianos e etc. Operação conjunta é o grande ponto na justificativa e viabilização desta compra para o EB. Cai dentro um contexto expedicionário, como comentei acima, citando MB e CFN.

Salim

Sem dúvida EB pode operar do Atlântico, porém hj é no médio prazo Atlântico não tem defesa alguma e seria o mais rápido e efetivo dotar Atlântico de helis ataque/defesa. Mais como escrevi e vc salientou MB não tem o básico, difícil situação. Quanto ao EB também complicado Avibras entrou em concordata e não paga salários a 3 meses, como falar em helis se uma das últimas empresas nacionais esta afundando com os únicos ativos de valor atual estratégico indo vinagre (astros, família s40, s150, s300, combustível foguete….) muito difícil e triste, porém este engana trouxa que é Helbras continua… Read more »

Bardini

porém hj é no médio prazo Atlântico não tem defesa alguma e seria o mais rápido e efetivo dotar Atlântico de helis ataque/defesa
.
Essa sua “justificativa” não faz o menor dos sentidos. Helicóptero de ataque não é um sistema defensivo, que deve ser dedicado a proteção do navio.

Rafael Oliveira

Nosso Exército é um reflexo do Estado brasileiro. Ele é conservador e atrasado no sentido de tentar ao máximo não evoluir com o tempo. Pode comprar um ou outro equipamento mais moderno, alterar uma outra organização, incorporar algum novo conhecimento, mas no geral ele apenas quer fazer mais do mesmo, pois considera que está tudo lindo e maravilhoso com o orçamento que tem. Isso explica as modernizações do Cascavel, do Leopard 1, do M113 e até mesmo ficar se metendo em verificação da credibilidade das eleições, que não tem nada a ver com suas funções institucionais. Na sua lista de… Read more »

Adriano Madureira

É o Volkswagen Fusca da Airbus…

ainda bem que é para treinamento, por quê para ataque seria somente um paliativo…

Carlos Crispim

Boa compra, sem pilotos não tem combate, tem que ter o suficiente pra formar as turmas e elas serão muitas no futuro, excelente notícia.

Frederick

Exato.

Frederick

Constrangedor ver as mesmas viuvinhas, depois de tanto tempo, soluçando o choro do H225M.

Em breve aparece uma aqui, aos estrebuches, comparando a Helibras – e todo o parque industrial aeronáutico- à indústria automotiva brasileira…

Um vexame na Trilogia que já é um clássico.

Everton Brilhante

Querem saber sobre o projeto libro blanco o orçamento de 1,5 % do PIB argentino que iria de 2020 a 2040 pra defesa e o qual orçamento para 2023.? Vá no seu buscador e digite Infobae presupuesto 2023-2025.
A artigo está muito completo de informações inclusive tabela de valores de peso e de dólar norte-americano.

Marco

No Reino Unido as três forças tem um único centro de treinamento. Racionalização dos meios faz todo sentido….

BLACKRIVER

Um jato C-17 Globemaster III da United States Air Force pousou em Bogotá no dia 15 de setembro com três helicópteros Sikosrky Black Hawk, doados para a Polícia Nacional da Colômbia, equivalente à Polícia Federal brasileira. Ao todo, serão 12 unidades. Tratam-se de aeronaves de alta capacidade, adaptadas para ambientes de confronto e com espaço para transporte de até onze militares com armamento. No Brasil, o modelo está em serviço com as forças armadas, com as polícias voando modelos de menor porte. Apesar do potencial para combate, tanto as autoridades dos Estados Unido quanto da Colômbia informaram que as aeronaves… Read more »

Últimas Notícias

Os EUA perderam a supremacia convencional, precisam de investimento para manter a dissuasão

A China avançou tanto e tão rápido em seu poder aéreo e espacial que a capacidade da Força Aérea...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -