segunda-feira, novembro 29, 2021

Gripen para o Brasil

China satisfeita com mudanças no Boeing 737 MAX

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Administração de Aviação Civil da China (CAAC) convidou as companhias aéreas a dar feedback sobre uma proposta de diretriz de aeronavegabilidade para o 737 MAX.

O anúncio da CAAC disse que após uma revisão abrangente das mudanças propostas pela Boeing, incluindo o design do software de controle de aviação e sistema de exibição, avaliou que as mudanças poderiam remover as situações inseguras que levaram aos acidentes.

A diretriz descreve procedimentos específicos a serem executados pelos pilotos em caso de problemas semelhantes aos que surgiram em duas quedas fatais antes do aterramento do avião em março de 2019. Também lista todos os sistemas que devem estar funcionando para o avião ser despachado.

Em outubro de 2018, um 737 MAX da Lion Air da Indonésia caiu no mar de Java logo após decolar, matando 189 passageiros e membros da tripulação. Em seguida, um acidente de um 737 MAX etíope matou 157 passageiros, incluindo oito cidadãos chineses, em março de 2019.

A China então aterrou todos os 737 MAX imediatamente, seguida pela Agência de Segurança da Aviação da União Europeia e pela Administração Federal de Aviação dos EUA.

O anúncio da CAAC significa apenas uma “passagem de admissão” para o 737 MAX entrar nos procedimentos técnicos de certificação de aeronavegabilidade, o que representa um progresso substancial em direção ao seu retorno ao voos na China.

A presidente da Boeing China, Sherry Carbary, disse em setembro que esperava que a CAAC, que suspendeu o jato em 2019, revertesse essa decisão até o final do ano.

No mesmo mês, a Boeing disse que a China, a segunda maior economia do mundo, mas o maior mercado de aeronaves, provavelmente precisará de 8.700 novos aviões nas próximas duas décadas, um número que se traduz em vendas globais de cerca de US$ 1,47 trilhão.

Outros US$ 1,8 trilhão provavelmente serão necessários para atender às adições existentes e futuras de sua frota nos próximos 20 anos, disse a Boeing.

O Boeing 2021 Market Outlook, sua análise anual da dinâmica do mercado de longo prazo, prevê uma demanda geral de cerca de 43.610 aeronaves nas próximas duas décadas, um número que representa cerca de US$ 7,2 trilhões em valor, mas está abaixo de sua previsão de 2019 de 44.040.

A previsão de dez anos da Boeing prevê uma demanda global por 19.000 aviões comerciais avaliados em cerca de US$ 3,2 trilhões, disse a empresa, à medida que as frotas de carga se expandem para atender às crescentes vendas de comércio eletrônico nas principais economias do mundo.

FONTE: Reuters, TheStreet

- Advertisement -

14 Comments

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Filipe Prestes

Agora que já deve ter dado o tempo de concluir os estudos do C-919 eles aceitam as mudanças no MAX. Nada bobos! 🤭😂

Teropode

Vacilaram feio , agora tem que lamber as botas dos chineses mesmo , foram irresponsáveis e incompetentes , o mínimo que podem fazer agora é dar um desconto de 10% em todos aviões comprados pela China . E quase aplicaram um golpe sujo na Embraer ( desonestos demais ).

Filipe Prestes

Olha, do mercado de wide bodies do porte do MAX 8/9 os americanos (e europeus tb) podem dar adeus no médio/longo prazo pq as empresas chinesas com toda a certeza comprarão o C-919 para substituir seus 737 e A-320. Restarão ainda os nichos acima disso (leia-se A-350 e 777X) e o regional, onde entra a Embraer com o E-2 e o futuro turboprop e que, espero eu, vendam bastante por lá. Mas o mercado do MAX na China, esse os americanos já perderam, uma vez que é questão de tempo pro 919 chegar para atender prioritariamente o mercado interno chinês.

Matheus

Tem que agradar o maior mercado aeronautico.

Adriano Madureira

Se fosse os chineses não fariam nenhuma intenção em agradar os americanos,iria de aeronaves airbus… Os americanos não cansam de cometer hostilidades contra os chineses, agora querem impor aos emirados árabes unidos que estes só poderão comprar F-35 se eles banirem a Huawai de seus sistemas de comunicação. “O governo Biden instou os Emirados Árabes Unidos a substituir a Huawei Technologies Co de sua rede de telecomunicações, prejudicando ainda mais a compra dos Emirados Árabes Unidos de US$ 23 bilhões em jatos e drones F-35 da Lockheed Martin Corp, relata a Bloomberg. Os EUA solicitaram aos Emirados Árabes Unidos que removessem… Read more »

Antoniokings

Esteja certo que os chineses bloquearão as empresas americanas no momento correto.

MFB

Você tem uma noção completamente errada sobre a mentalidade e o poder atual dos chineses. Parece torcedor de futebol.

Adriano Madureira

E você acha que os chineses ficarão parados vendo os eua atacarem eles em seus negócios de telecomunicações?! Um mercado bilionário?!

Antoniokings

Inocente!

Vinícius Momesso

Só bloquearão o dia em que os produtos dessas empresas não forem mais úteis ao consumidores chineses. Os EUA bloquearam a Huawei, vista que seus produtos nem chegam a arranhar o mercado interno americano, já a Apple é bem consumida na China, logo bloquea-la seria um “tiro no pé”.

Last edited 13 dias atrás by Vinícius Momesso
J-20

Sabe que é só tirar o WeChat do iOS que ele se torna inútil da noite para o dia na China, né?

EduardoSP

Vai ver que estão fazendo essas exigências exatamente porque conhecem de espionagem.

Antoniokings

Relatório da McKinsey & Co. (15/11/2021)

Riqueza global aumenta enquanto a China ultrapassa os EUA para conquistar o primeiro lugar
http://www.caixinglobal.com/2021-11-15/global-wealth-surges-as-china-overtakes-us-to-grab-top-spot-101805242.html

Red Pill - 红色药丸

Opa, falou em China eu apareço.

Últimas Notícias

Rússia testa caça MiG-31 com sistema ‘fly-by-wire’

Moscou, 26 de novembro./TASS/. A atualização dos caças-interceptadores de alta altitude MiG-31 aumentará a eficiência de suas missões, em...
- Advertisement -
- Advertisement -