segunda-feira, novembro 29, 2021

Gripen para o Brasil

Começou o exercício multinacional de guerra aérea ‘Blue Flag 2021’ em Israel

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O grande exercício de guerra aérea “Blue Flag 2021” teve início no dia 17 de outubro em Israel com a participação de várias forças aéreas.

Este exercício multinacional apresenta uma combinação de aeronaves de caça de 4ª e 5ª geração de vários países, incluindo Israel, Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido. O Blue Flag 2021 foi projetado para mostrar a interoperabilidade e a força da coalizão, ao mesmo tempo em que melhora as parcerias multinacionais.

“Estou feliz que Israel foi mais uma vez capaz de hospedar nossos parceiros aliados para este exercício, mesmo durante a pandemia global”, disse o Maj. G. da Força Aérea de Israel, segundo comandante adjunto do 119º Esquadrão. “Isso é importante para praticarmos nossa resposta a ameaças e desenvolvermos nossas habilidades de trabalho em um ambiente conjunto.”

O exercício de duas semanas se concentrará no aumento das capacidades defensivas gerais de Israel na região.

“As Forças de Defesa de Israel e a Força Aérea têm sido anfitriões incríveis”, disse o tenente-coronel Shaun Loomis da Força Aérea dos Estados Unidos, comandante do 480º Esquadrão de Caça. “Estamos nos preparando e planejando com nossos parceiros multinacionais para o que será um exercício operacionalmente valioso.”

“Este evento de treinamento bienal é essencial para construir e manter a interoperabilidade defensiva e garantir uma vantagem tática combinada”, disse Loomis. “Tendo experimentado este exercício em 2019, estamos ansiosos para exercer novamente a cooperação militar e construir novas capacidades com nossos parceiros.”

Por que a Blue Flag 2021 é única?

Este ano, pela primeira vez, a Força Aérea Indiana desdobrou um esquadrão completo de Mirage 2000 em Israel. Além disso,

  • 1º desdobramento de um esquadrão de caça do Reino Unido em Israel
  • 1º desdobramento de um esquadrão francês de caças Rafale em Israel

Participantes

Estados Unidos: Seis F-16C Fighting Falcons do 480º Esquadrão de Caça estacionados na Base Aérea de Spangdahlem, Alemanha
Índia: Mirage 2000
Alemanha: Seis Eurofighters, incluindo um especialmente pintado para o evento e apelidado de Eagle Star.
França: Esquadrão de Rafale
Grécia: F-16
Reino Unido: Eurofighter
Israel: F-15A, F-16I e F-35I
Itália: F-35A

FONTE: Global Defense Insight

- Advertisement -

22 Comments

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Crispim

Brasil podia ter mandado uns Forévis…

Marcelo Bardo

Não foi convidado, acredito eu.

Wes

Com o poder dessa frota iríamos passar vergonha, onde as aeronaves menos capazes era um Mirage 2000I da Índia e um F-16C da Gécia, caso o Brasil tivesse sido convidado poderíamos testar todas as capacidades do nosso F-5 contra os F-15 e F-35 seria interessante para agregar conhecimento, mas seria constrangedor.

Nilton L Junior

Será que vão passear pelo céus do Líbano?

Antoniokings

Será que vão convidar a Turquia?

Nilton L Junior

A Ucrânia convidou mas o Erdogam sabe que as vezes o parquinho pega fogo ai fica preocupado.

olivete da silva

Sério…convidar nos..do pais das bananas….o F5 iria ficar na poeira dos jatos de 4, 5 geração….agora melhorou ..para nos…cortaram a verba da ciência e tecnologia….agora sim..nos vamos ir para o 1º mundo…Brazilllllllllllllllllllllllllll…e gira o globo.

Nilton L Junior

Bem poderíamos abrir o evento com fumaça.

Emmanuel

Gripen vem aí.
E será a nossa vez de sermos convidados.

Vendéen

Bonsoir le Brésil, Amigos brasileiros, não sejam amargos e derrotistas.  Você teme um potencial inimigo próximo (ou vários) que possa exacerbar a justificada necessidade de uma força aérea mais ou menos idêntica àquelas nações participantes?  Se sim, qual deles? Por favor, não leve a mal, sinto muito, mas em seu contexto ambiental (militares sul-americanos) não entendo alguns comentários com uma postura de despeito, de profunda inferioridade. Em resumo, esta postura me parece injustificada. Em breve sua nação terá um esquadrão de aviões Gripen (uma aeronave muito boa) que é totalmente capaz de participar deste tipo de exercício multinacional de uma… Read more »

Tomcat4,2

Poisé , o espirito de vira lata bateu forte na galera acima. Trágico !!!
“Há tempo pra tudo”!!!

Romão

Realmente, confesso que a síndrome de vira-latas se apoderou de mim. Retiro o que disse sobre os tenentes de almoxarifado! Vamos mandar meia dúzia de super tucanos para que cumpram missão de ataque leve ao solo e para que sirvam de alvo com aquela pintura maravilhosa, verde bandeira.

Last edited 1 mês atrás by Romão
Antunes 1980

Muitos comentando sobre o nível muito abaixo dos nossos F-5. Mas sejamos justos, da América do Sul; apenas Chile com seus F-16 e os SU-30 venezuelanos estariam no nível de participar deste Blue Flag.

Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Equador, Colômbia e Peru ficariam de fora.

Até a força aérea da Coreia do Norte está melhor aparelhada que nossos vizinhos.

Up The Irons

Todo mundo desdenhando da FAB hoje com os F-5. Quando ela estiver com os Gripens boladões cheios de Meteor e Iris-T, quero ver o que vão arrumar pra criticar!

images - 2021-10-20T182440.221.jpeg
Romão

Lembre-se: ter não é operar! Já ouviu falar em teto de gastos ? Quantos Forevis estão operacionais hoje, caso o Brasil precise deles daqui há 12 ou 18 horas ?

Last edited 1 mês atrás by Romão
Romão

Eu acho engraçado os passadores de pano que gostam de disfarçar o fracasso que é “a caça” da FAB, comparando-a com os Hermanos cucarachas em geral mas se esquecem da nossa vizinha França (a Guiana francesa é território francês), que pode mandar um punhado de Rafale para operar na nossa fronteira, em questão de horas. Além disso, os chilenos operam uns 40 F-16, já tem mais de 10 anos. Sem falar nos SU-30 venezuelanos que, de uns 4 anos pra cá, contam com assessoria de técnicos russos e dos Mig-29 cubanos e peruanos… Esses dois últimos vamos desconsiderar porque devem… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Romão
Up The Irons

Romão, teoricamente 15 caças Gripen E armados com 6 mísseis Meteor cada e vetorados pelos E-99 conseguiriam dar conta de todos os caças da região. Teremos um ótimo equipamento, ótimos armamentos e não duvide do preparo de nossos caçadores. Nossas Forças Armadas têm incompetência administrativa, mas não falta gente boa especializada na operação dos equipamentos. Quando os Gripen, apenas alguns deles, estiverem aqui, pode vir F-16, Su-30, Rafale… Que tentem a sorte!

Salim

Teremos, seremos, etc… esta frase cansou. Nunca chega este dia. Gripen operacional full vai demorar um pouco. Somos os poucos F5 operacionais. Esta e nossa realidade.

Flanker

Operacionais e disponíveis sâo coisas diferentes. Operacionais, a FAB possui 47 F-5M. Disponiveis (na linha de voo, disponíveis para voar), isso e algo qie não se publica….nenhuma Força Aérea informa isso.

João Moita Jr

Realmente. Para níveis de Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Equador a FAB está muito bem equipada. Poderiam ter um exercício novo, só para o Cone Sul, seria chamado Poor Man’s Flag…

Up The Irons

João, o Gripen E, se for o que promete, bate de frente fácil fácil com qualquer aeronave de caça da USAF, tirando as 5G, claro. Há algum motivo para duvidar disso?

Andre

F35 Israelense, F35 Americano, F35 Italiano…

Isso prq o F35 é uma porcaria. Imagino se fosse bom.

Talvez se ele fosse o melhor caça da história, ao invés de um grande fracasso e cheio de problemas, talvez a LM tivesse entregado UMA unidade, ao invés das quatro prometidas em 2021.

Últimas Notícias

Nova foto do caça furtivo embarcado J-35 da China

Vazou uma nova foto do caça embarcado furtivo J-35 da China, que voou no final de outubro. Na imagem,...
- Advertisement -
- Advertisement -