quarta-feira, outubro 27, 2021

Gripen para o Brasil

Lockheed Martin apresenta o avião-tanque estratégico LMXT

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

MARIETTA, Geórgia – A Lockheed Martin [NYSE: LMT] apresenta o LMXT como o próximo avião-tanque estratégico dos EUA – construído na América por americanos para americanos. Oferecido em resposta ao Programa KC-Y da Força Aérea dos EUA, o LMXT representa o mais novo capítulo na história de mais de 60 anos da Lockheed Martin de produção e entrega de aviões de carga e tanques para a Força Aérea dos EUA, Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, Marinha dos EUA e vários operadores ao redor o mundo.

O LMXT complementa as capacidades dos reabastecedores da Força Aérea dos EUA, fornecendo o reabastecedor aéreo mais avançado para atender aos requisitos de missão imediata e de longo prazo da América. O LMXT fortalece e expande a base industrial aeroespacial dos EUA, trabalhando com fornecedores americanos novos e existentes. O LMXT também cultiva e mantém empregos de manufatura americanos de alta tecnologia e qualificação.

“A Lockheed Martin tem um longo e bem-sucedido histórico de produção de aeronaves para a Força Aérea dos EUA e entendemos o papel crítico que os reabastecedores desempenham para garantir o sucesso total da missão da América”, disse Greg Ulmer, vice-presidente executivo da Lockheed Martin Aeronautics. “O LMXT combina desempenho comprovado e capacidades específicas do operador para atender aos requisitos de reabastecimento da Força Aérea em apoio à Estratégia de Defesa Nacional da América.”

O LMXT oferece uma fuselagem comprovada com capacidades distintas apenas da Força Aérea dos EUA, projetadas para atender aos requisitos do operador, com vantagens que incluem:

  • Alcance e capacidade de descarregamento de combustível significativamente melhorados
  • Um boom fly-by-wire comprovado atualmente certificado e usado por aliados para reabastecer aeronaves receptoras da Força Aérea dos EUA em operações em todo o mundo
  • O primeiro sistema de reabastecimento ar-ar (A3R) totalmente automático do mundo
  • Câmera avançada comprovada operacional e em combate e sistema de visão
  • Sistemas JADC2 de arquitetura de sistema aberto
  • Um nó de operações de vários domínios que conecta o LMXT ao espaço de batalha maior, aumentando a consciência situacional a bordo para fornecer comunicações resilientes e conexão de dados para ativos em toda a força

O avião-tanque estratégico Lockheed Martin baseia-se no projeto comprovado em combate do Airbus A330 Multi Role Tanker Transport (MRTT). Como contratada principal, a Lockheed Martin trabalha diretamente para implementar os requisitos específicos da Força Aérea dos EUA dentro do LMXT. Como o avião-tanque estratégico de escolha para 13 nações, o MRTT registrou mais de 250.000 horas de voo reabastecendo os caças americanos e aliados, aeronaves de transporte e patrulha marítima em ambientes de teatro de combate.

Sobre a Lockheed Martin

Sediada em Bethesda, Maryland, a Lockheed Martin (NYSE: LMT) é uma empresa global de segurança e aeroespacial que emprega aproximadamente 114.000 pessoas em todo o mundo e está principalmente envolvida na pesquisa, design, desenvolvimento, fabricação, integração e sustentação de sistemas de tecnologia avançada, produtos e Serviços.

DIVULGAÇÃO: Lockheed Martin Aeronautics

- Advertisement -

16 Comments

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Allan Lemos

Por falar em avião tanque, e a tal aquisição dos A330 pela FAB? Foi só fogo de palha mesmo?

Bosco

Por mais sofisticados e capazes de proverem sua autodefesa , além de contaram com escoltas, eu considero que os americanos (assim como chineses, russos, britânicos, franceses, australianos, etc…) tinham que investir em aviões tanques penetrantes dotados de tecnologia stealth. Pelo menos 1/3 dos tanques tinham que ser stealths.
* Os americanos tinham que fazer uma versão tanque do B-21. Poderia ser bem mais barata que a versão bombardeiro e tão útil quanto .

Antoniokings

Bosquim.

Eu gosto de argumentar em relação aos seus pontos-de-vista.
Mas, um B-21 cargueiro, NÂO!
Olha o preço disso e quantos precisariam ser construídos.
Nem a cornucópia mágica do Sr. Biden, que já gerou uns US$ 3 trilhões seria capaz de dar conta dessa despesa.
Esqueça.

Bosco

O B-21 foi só uma sugestão mas se quisessem poderiam baratear muito o avião e haveria escala para diluir os custos. A expectativa é que pelo menos 100 B-21 serão adquiridos apesar de falarem até em 240. Fizessem uma versão tanque , sem compartimento de armas, sem rampa traseira(não seria cargueiro), sem sistemas ofensivos, com redução do uso de caros materiais RAM, com menor nível de furtividade (já que ficaria a pelo menos a uns 600 km de qualquer alvo). E poderia inclusive ser não tripulado. Voltando à realidade, esse tipo de avião tanque convencional demanda caças de escolta e… Read more »

A6MZero

Gosto dessa ideia, mas não seria mais econômico e eficiente encomendar uma quantia de Stingray, afinal ele foi projetado para esse fim é apesar da pequena capacidade de combustível já seria o suficiente para garantir uma vantagem.

Além disso uma versão dele não baseada em porta-aviões poderia ser ainda mais simplificada com um trem de pouso menos complexo o que talvez permita uma maior capacidade de combustível.

E também como vantagem ele não é tripulado não pondo em risco pilotos em uma missão que pode ser perigosa mesmo para um vetor stealth.

Bosco

É! Sem dúvida seria uma opção.
Mas um dia a USAF vai ter que abordar esse “gap” relativo aos seus aviões tanques. Ou provendo os aviões tanques convencionais com armas defensivas bem efetivas ou então vão ter que desenvolver aviões tanques furtivos.

Matheus S

Engano meu.

O programa KC-Z foi definido pela USAF para ser uma plataforma furtiva capaz de operar em um ambiente contestado como no Pacífico e ainda está em desenvolvimento. O próximo avião-tanque é a aeronave ponte para complementar o KC-46.

Se essa aeronave for construída nos EUA, provavelmente será em Mobile, Alabama. Durante o programa KC-X, a Airbus planejou construir o A330 nesse lugar, onde a empresa tem apoio significativo do Congresso através da delegação legislativa do estado.

Last edited 1 mês atrás by Matheus S
Sensato

Vejo com muito interesse esses projetos de LTA para transporte de menor custo em nosso país enorme, especialmente nas áreas mais carentes de estrutura como a Amazônia.

Marcelo Garcia

Aqui veremos novamente a briga Lockheed Martin Vs Boeing pra ver qual lobby é mais forte… quem será que leva?

JuggerBR

Boeing deixou a porta aberta pro ladrão entrar, fosse minimamente competente em entregar sem falhas o kc-46, não haveria novas concorrências nos tanques…

Nei

Também acho, se no mínimo tivessem feito o dever de casa já seria bom, mas ultimamente, apesar de admirar a empresa Boeing, seus aviões e produtos, acho que está deixando a desejar muito em qualidade e testes.

DanielJr

Eu também não sei o que acontece com a Boeing. Parece que é grande demais para ser consertada, como um prédio que vai desabando devagar. Parece que eles não conseguem mais sair dos mesmos produtos e suas atualizações.

Parece que a “mão de obra” da empresa está engessada, não tem oxigenação, só conseguem ir no caminha em que já estão.

Carlos Campos

LM metendo mais uma facada na Boeing, KC46 foi um desastre.

Adriano Madureira

Se ganhar, não será só por mérito da LM,mas também por incompetência da Boeing…

Adriano Madureira

Certamente dará Lockheed-Martin ! A Boeing já meteu os pés pelas mãos com seu problemático KC…

Últimas Notícias

Saab iniciará a fase de entrega do Gripen E

Em novembro, a Saab dará início a fase de entrega de aeronaves operacionais, com quatro aeronaves Gripen E para...
- Advertisement -
- Advertisement -