sexta-feira, julho 23, 2021

Gripen para o Brasil

Coreia do Sul define preço do jato de combate KF-X em 65 milhões de dólares

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

De acordo com o CEO da Korea Aerospace Industries, Hyun-Ho Ahn, a KAI realizará um evento de lançamento do jato stealth de última geração na segunda semana deste mês. A partir de 2028, a KAI iniciará a exportação da aeronave KF-X com base em sua competitividade de preço.

“São necessários cerca de 100 bilhões de won a 200 bilhões de won (US$ 89,4 a 178,9 milhões) para adquirir um caça a jato F-35. A Lockheed Martin pretende reduzir o preço para US$ 80 milhões por unidade, mas os custos de manutenção são tão altos que até mesmo os EUA estão considerando desenvolver novos caças de geração 4.5 ou atualizar os caças existentes”, disse Ryu Kwang-su, chefe da divisão do programa de aeronaves.

“A KAI pretende definir o preço do caça KF-X em US$ 65 milhões com custos de manutenção minimizados. Nossa análise diz que essa faixa de preço oferecerá ao KF-X uma vantagem competitiva no mercado de exportação global.”

Antes do lançamento de seu jato de combate KF-X de próxima geração, a principal bolsa da Coreia onde a KAI é listada apresentou estratégias em uma coletiva de imprensa na sexta-feira sobre como aumentará a receita dos 3 trilhões de won projetados deste ano (US$ 2,6 bilhões) para 10 trilhões de won em 2030.

Acima de tudo, a KAI expressou a determinação de reacender as exportações de aeronaves este ano, que haviam sofrido um grande golpe com o surto do coronavírus.

“No ano passado, a KAI estava perto de exportar três helicópteros Surion para a Indonésia, mas o negócio foi cancelado devido à COVID-19. Além disso, a KAI estava em uma situação favorável para exportar helicópteros Surion e aeronaves de treinamento básico KT-1 para as Filipinas, mas o país cortou o orçamento de defesa em meio à pandemia”, disse Ahn.

“Este ano, esperamos exportar dois jatos de treinamento avançado FA-50 para a Tailândia. Além disso, estamos concentrando nossos esforços para exportar jatos FA-50 para a Colômbia e a Malásia.”

A pandemia também quase paralisou o aguardado projeto KF-X da empresa.

KAI KF-X
O KAI KF-X é um programa conjunto de desenvolvimento de aeronaves de caça multirole da Coreia do Sul e da Indonésia com o objetivo de produzir um caça multirole avançado para as forças aéreas sul-coreanas e indonésias.

A estrutura é mais furtiva do que outros caças de 4ª geração, mas não carrega armas em um ou mais compartimentos internos, como os caças de 5ª geração.

Em 1 de março de 2021, a Administração do Programa de Aquisição de Defesa da Coreia do Sul (DAPA) anunciou que a montagem do primeiro protótipo da aeronave de caça Korean Fighter eXperimental (KF-X) está quase completa, com o fabricante Korea Aerospace Industries (KAI) definido o roll-out em abril.

Seis protótipos estão nos estágios finais de montagem na sede da Korean Aerospace Industries (KAI) em Sacheon, província de Gyeongsang. Os voos de teste serão realizados no próximo ano, depois dos testes em solo que se seguirão ao lançamento em abril.

- Advertisement -

49 Comments

Subscribe
Notify of
guest
49 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gabriel BR

Ai sim!

Rui Chapéu

Papel aceita tudo.

Nilton L Junior

Papel é do tempo do avião a lenha, eles estão bem mais avançado por isso a KAI como parte do projeto estratégico de desenvolvimento da Korea tem toda as capacidades para fazer essa aeronave.

Tutu

Acho que o colega acima está de referindo ao preço.

Nilton L Junior

Mesmo que seja preço, todo o desenvolvimento de tecnologia de ponta é caro no inicio posteiormente o valor vai se adquando a escala de produção.

jommado

Tem que ver se levanta vôo!👍🏻

Clésio Luiz

Verdade Rui. E mesmo que o custo flyaway dele chegue nesse patamar, é de se esperar uma venda tipo “impressora à jato de tinta HP”, onde a impressora é baratinha mas os cartuchos… Aliás, estratégia essa que a Lockheed adotou com entusiasmo com o F-35.

Nilton L Junior

Os Koreanos discordam.

Curiango

Acho q os Estadunidenses estão ajundando$ nesse projeto p comprar em cirandes quantidades 4.5 novo cacaça USAF

Leandro Costa

Isso não faz muito sentido.

Salim

Esta claro que o preço foi projetado para ser inferior ao F35, conta de chegada, vamos aguardar real. Este caça náo terá baia interna, acredito que o gripen e ate superior a este caça, pois tem perfil bem discreto e a qualidade de sua eletrônica referente a guerra eletrônica e muito boa, também acredito custo inferior gripen em hora vôo. O preço de venda gripen sim e mais salgado( tem melhorar )

Flanker

No quesito apenas da furtividade, o avião em questão parece ser bem eficiente. Vamos ver se comprova isso de fato.

Antoniokings

Rapaz!
A Coreia dando uma ‘pernada’ nos americanos.
kkkkkk

Luís Henrique

Fornecedores não tradicionais precisam oferecer mais por menos.
O Brasil deve buscar parcerias com esses países, pois é muito mais fácil de conseguir mais tecnologias e preços menores do que com os grandes players.

Coreia do Sul, Ucrânia, Turquia, Índia sao alguns países que podemos conseguir parcerias interessantes.

Andre

Ucrânia?? Na última não deu muito certo…

Welington S.

Tirando a Ucrânia da jogada o restante eu apoio tudo.

Luís Henrique

A Ucrânia possui tecnologias importantes na área militar, algumas como motores a jato para aeronaves, motores para helicópteros e turbinas a gás para navios, coisas que todos os demais da lista não possuem tecnologia para produzi. Também possuem tecnologias para fabricar foguetes espaciais e mísseis balísticos. Possuem o Neptune, um míssil de cruzeiro anti-navio com cerca de 300 km de alcance, recém saído do forno. Possuem o Bliskavka, um míssil de cruzeiro e anti-navio com motores Ramjet (mesma tecnologia do Meteor), que garantem uma altíssima velocidade ao míssil, alguns especulam que atinja mais de 4.000 km/h (o que seria superior… Read more »

Curiango

Os fulanos la de cima do continente não autorizam

Andre

Você se lembra que a pouco tempo nós tivemos um acordo com a Ucrânia e que ele acabou por motivos não relacionados aos EUA?

Você tem acompanhado as notícias recentes e tem visto a aproximação dos EUA com a Ucrânia?

Andre

Você lembra do acordo que o governo passado fez um acordo com a Ucrânia e como terminou?

Antunes 1980

Este vetor não faz sentido, não é stealth, não é tão capaz quanto F-16, Gripen ou Rafale, e ainda por cima não é barato.
Não vejo vantagens claras neste projeto.
O caças 4++ superam de longe este meio stealth com um valor de aquisição inferior.

Last edited 3 meses atrás by Antunes 1980
Flanker

Quanto ao desempenho, se confirmar o que foi divulgado, é mesmo inferior aos 4++, mas em questão de furtividade, tem um design bastante efetivo.

Luís Henrique

Como pode declarar que o KF-X é menos capaz que F-16 e todos os outros caças de 4a geração?
Teve acesso a dados sigilosos?
E de onde tirou que os caças 4++ são mais baratos?

Antoniokings

A internet é assim.
Ele acha que é, então é.

Carlos Campos

Com radar de mesmo nível que os caças 4++, feito com bastante material compósito como Gripen, mas com duas turbinas, ele já é melhor que o F16 em peso/empuxo, só não sei como é capacidade EW, mas ele não deve ser tão inferior ao Gripen ou Rafale.

Flanker

Estranho um desempenho “modesto’, mesmo contando com dois motores F414-400.

Andromeda1016

Dizem que a velocidade máxima foi restringida para não ter de reforçar demais a estrutura do avião, pois isso que aumentaria demais seu peso.

Marcelo Baptista

Ou é apenas uma estimativa, normalmente conservadora.
Depois de todos os testes é que terão as reais capacidades.
E vão colocar os valores que acharem melhor, ou menos sensíveis.

Jodreski

Que o preço vai ser inferior aos quase 90 milhões que o F-35 isso é óbvio, pq tb se não for será um grandíssimo tiro no pé. Agora… acho que todo mundo aqui sabe que esses 90 milhões só existem no papel, um F-35 custa mais de 200 milhões qdo vc leva em consideração o “pacote final”, que obviamente varia de cliente para cliente. Mas o que eu quero dizer é que um caça nunca é vendido sozinho, peças de reposição, treinamento, armamento, simuladores, contrato de manutenção e por aí vai… Então esses 90 milhões é apenas um dos preços… Read more »

Ten Murphy

Mas vale a pena, já que nos testes falam em kill ratio de 8:1 para o F-35. Por 200 milhões de doletas compra-se portanto, um caça que vale por oito. Se comprasse os oito sairia bem mais caro.

Marcelo

o F-35 nem leva 8 misseis em modo stealth…

Ten Murphy

Pesquisa o desempenho do F-35 nos Red Flags. Ele chega a ter 15 mortes pra 1, 8 pra 1, 20 pra 1 e 24 pra 1. Considerando o desempenho dos F-15 no golfo entre outros, não é nada absurdo. Não é que 1 F-35 vai levar 8, 15, 20 ou 24 mísseis, mas que um grupo de F-35 vai colaborar entre si com seu pacote de guerra eletrônica e dados compartilhados e chegar a esse desempenho, ano após ano e melhorando. Seja no BVR ou no dogfight, o F-35 se mostrou superior. Isso com todos os defeitos dele. No futuro… Read more »

Adriano Madureira

“A KAI pretende definir o preço do caça KF-X em US$ 65 milhões com custos de manutenção minimizados. Nossa análise diz que essa faixa de preço oferecerá ao KF-X uma vantagem competitiva no mercado de exportação global.”

US$ 65 milhões é um preço atraente para a aeronave, acredito que para exportação esse valor é o ideal para atrair clientes.

Marcos10

Eles estão fazendo o que o Brasil desaprendeu a fazer.
Participamos do projeto do AMX e depois… depois, nada.

Karl Bonfim

Até que não tá muito caro!

Diogo de Araujo

O joint strike fighter tem esse nome porque foi feito por um grupo de países, todos potências militares não é isso? Como q a Coréia do Sul, sozinha, vai fazer isso? Isso que eu chamaria de prepotência. Vejam bem todos sabem a trajetória da CS e como a educação levou o país da miséria absoluta para a vanguarda tecnológica, mas é prepotência mesmo, na boa, assim como o Japão.

Leandro Costa

Difícil é desenvolver tecnologia do zero e partir para um objetivo extremamente ambicioso, como no caso do F-35. O avião Coreano tem objetivos limitados, com muitas das tecnologias necessárias já bem amadurecidas. Então não acho prepotência não. Acho que os caras estão apostando em um produto que não quer nem estar na mesma classe que um F-35, mas ao mesmo tempo consegue entregar um nível de tecnologia e inovação que pode fazer a diferença em um campo de batalha e ainda conseguir atrair clientes externos para essa aeronave. Queria eu um dia ver o Brasil tocando projeto dessa forma.

Carlos Campos

CS não é Japão, e educação não é o fator que fez a CS ter sucesso, foi um conjunto de fatores e educação sendo um dos principais, CS teve bastante ajuda dos EUA por meio da LM, principalmente com o radar,,,,, o Japão faz caças desde antes da segunda guerra mundial, então tem tradição, suas capacidades após a guerra melhoraram muito quando tiveram ajuda dos EUA e do esforço próprio em fazer o F2, que teve radar AESA antes mesmo dos caças dos EUA, ao contrário do F16 o F2 é maior e feito em material composito, mais leve que… Read more »

Nick

Lembra um Mini F-22, e em um futuro batch terá baias internas para armas. O que fará do caça um legítimo 5ª geração. E os coreanos precisarão muito desse caça, levando-se em consideração de que do outro lado existirão muitos J-20.

pangloss

Complete as frases abaixo:

1 – Se me coubesse escolher, a FAB _______;

2 – Creio que a Fuerza Aerea Argentina _______.

Leandro Costa

LOL! Boa!

Carlos Campos

Se coubesse escolher, a FAB ia comprar só mais um lote de Gripen, de 36, depois ia comprar drones furtivos como Loyal Wingman da Boeing.
2.Creio que Fuerza Aerea Argentina não existe mais, de fato.

Ten Murphy

Boa.

Sérgio Luís

Fico imaginando se esse caça pretende ser furtivo com cargas úteis externas. Talvez os coreanos pretentendam combater outros caças somente com os canhões internos.

Marcelo

Mais para ferente tera as baias de armamento internas. Creio que a decisao de nao ter no inicio foi um pouco politica, para nao melindrar os EUA e poderem continuar com o projeto.

Marcelo Baptista

Oi Xará, concordo mas não acho que seja uma decisão politica, tem mais cara de gerenciamento do projeto, custos.
Primeiro, eles devem verificar as características de voo, furtividade, manutenibilidade, consumo, etc.
Baias, armamentos, devem vir em uma próxima fase.
Não ter baia não significa não ter o alojamento para tal, só resolveram não gastar com sistema hidráulico, articulações, cabeamento etc.
Minha opinião.

Thiago A.

Isso que é subsídio pesado! No mínimo uns dez anos de P&D e 9 bilhões de dólares, com o parceiro indonésio dando calore, dificuldade para obter tecnologias chaves do aliado … E depois de tudo isso pretendem oferecer a aeronave por um preço definido por canetada. Mas aqui, como somos brasileiros, devemos malhar a Embraer e KC-390 MILLENNIUM… um projeto que meu Deus é algo de admirar vindo de um país sul-americano… A nossa indonésia foi a Argentina , mais ou menos, lá os indonésios pagaram mínima parte da fase de P&D antes de levar parte da produção. Em compensação… Read more »

CRSOV

A FAB pode a meu ver comprar quantidades tanto de Gripen quanto desse jato coreano !! Mas isso vai depender se a duradoura falta de recursos vai ser amenizada nos próximos anos !!

jommado

Será que levanta vôo? Cumpre a metade do que promete?

Últimas Notícias

Grécia recebe o primeiro de 18 aviões de combate franceses Rafale

ATENAS, Grécia – A Grécia recebeu na quarta-feira (21/7) o primeiro dos 18 caças franceses Rafale, parte de um...
- Advertisement -
- Advertisement -