terça-feira, junho 22, 2021

Gripen para o Brasil

Federação Russa oferece caças MiG-35 à Força Aérea Argentina

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Segundo o site argentino Full Aviación, a Rússia ofereceu caças MiG-35 e helicópteros Mi-171 à Argentina.

O oferta teria sido feita no âmbito da VII Comissão Intergovernamental de Cooperação Técnica – República Militar Argentina – Federação Russa, realizada entre 17 e 19 de fevereiro de 2021, pelo chefe da delegação russa e vice-diretor do Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar (SFCTM), Anatoly Punchuk, juntamente com o embaixador da Rússia na Argentina, Dmitry Feoktistov. A oferta também incluiu outros sistemas de defesa terrestre e antiaérea.

Nesse contato presencial, a delegação russa formalizou a proposta e apresentou informações sobre desempenho e capacidades do caça de geração 4++, que é uma versão aperfeiçoada do MiG-29 Fulcrum.

Em relação ao MiG-35, a Federação Russa propõe uma operação governo a governo juntamente com um acordo para fornecimento de logística ao longo do ciclo de vida do sistema, acesso irrestrito para armas inteligentes, enquanto a Fábrica Argentina de Aviones FAdeA ficaria responsável pela manutenção total do sistema.

Ainda segundo o Full Aviación, os russos também ofereceram para equipar os MiG-35 mísseis Kh-35U (AS-20 Kayak) antinavio, mísseis Kh-38ML multipropósito, bombas guiadas KAB-500Kr/OD, mísseis ar-ar R-77-1 (“AMRAMMski”) e R-73.

O MiG-35

Segundo o fabricante, o MiG-35 tem um peso máximo de decolagem de 24.500 kg, com carga máxima de armas de 6.500 kg.

O MiG-35 está equipado com motores RD-33MK, que garantem grande capacidade de manobra, alta relação empuxo/peso e eficácia no combate aéreo.

O raio de ação de combate é de 1.000 quilômetros e pode desenvolver uma velocidade de até 2.25 Mach (cerca de 2.300 km/h) e alcançar uma altitude máxima de 16.000 metros. Pode levar um grande leque de armas, bombas, foguetes e uma variedade de tipos de mísseis.

A aeronave está equipada com os displays multifuncionais de última geração e um radar de varredura eletrônica ativa (AESA), capaz de rastrear até 30 alvos aéreos simultaneamente. Conta também com um sistema de reconhecimento optoeletrônico e um sensor por infravermelho para busca, rastreamento e visualização do espaço aéreo, terrestre e marítimo.

O sistema aviônico modular e a arquitetura de software aberto permitem o uso de toda a gama disponível de armamentos de aeronaves padrão e avançados e a integração de armas.

MiG-35 no MAKS 2019

Radar Zhuk AE AESA do MiG-35

Novo display panorâmico do MiG-35

- Advertisement -

232 Comments

Subscribe
Notify of
guest
232 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando Turatti

O MiG-35 é um excelente caça leve/barato, pena que a Argentina é totalmente incapaz de financiar até mesmo a manutenção dos A-4, quem dirá MiG-35…

m. wolf

mas o problema é justamente financiamento. ninguém compra avião a vista, a argentina ta com serio problema de credito no mercado. quem vai financiar? o governo russo?

IBIZ

E não foi assim que o Brasil adquiriu seus Gripens; com financiamento por um banco sueco? A situação econômica de quase todos os países tá muito ruim hoje em dia.

Fabio Araujo

Mas a economia brasileira esta bem melhor e o Brasil tem mais créditos que os argentinos!

Slow

Até porque o Brasil é pais mais rico da América do Sul né .

Fernando Turatti

Não é assim que economia funciona.
Tem países bem menores com bem mais acesso proporcional a crédito. A Argentina, por essa lógica, seria a segunda com mais crédito no subcontinente e não está nem PERTO disso. A Argentina só consegue crédito em moeda estrangeira a juro de aposta.

Luís Henrique

Por isso o Brasil comprou 36 Gripen E/F por cerca de U$ 5 Bilhões e a Argentina pretende adquirir 1 esquadrão de caças (12 à 15 aeronaves) por cerca de U$ 600 mi (praticamente 8x Menos do que o Brasil pagou no contrato com a SAAB)

Fernando Turatti

Não é uma questão só de preço, é uma questão de acesso a crédito.
A gente tem, eles não.

Luís Henrique

A Rússia com certeza pode garantir o crédito para apenas 1 esquadrão. Aceitaram um valor muito maior para a Venezuela…

Fernando Turatti

A Rússia pode até dar vários esquadrões se ela quiser, eu não to questionando a capacidade russa de fazer doação, nem de fazer financiamento, estou questionando a capacidade argentina de pagar.

MMerlin

A possibilidade de um financiamento com altos juros devido ao risco existe. Mas acredito que o que a Rússia realmente quer e expandir sua zona de influência além da Venezuela na América do Sul. Literalmente quebrada (a bastante tempo) e sem nenhuma perspectiva de crescimento, a Argentina é um prato cheio para países como a Rússia e a China. Este país possui grandes riquezas naturais (vide apenas o que existe na reserva adquirida pelo grupo que controla a Nestlé), é grande produtora de carne, milho e trigo e possui metade da nossa densidade populacional (onde ambas são bem baixas). Tinha… Read more »

Fernando Turatti

A Argentina pode ter o que quiser, o ponto é que não tem dinheiro. A Rússia aceitar dar crédito pra eles é, basicamente, aceitar doar os caças.
Se a Rússia quisesse TANTO essa influência, tem caminhos melhores: aceita que é uma doação, tira uns MiGs que estão armazenados e dá de presente. Pelo menos os russos não tem que coçar os bolsos com aviões novos que não serão pagos.

MMerlin

A China tem utilizando esta estratégia principalmente em países africanos, onde a dívida não cumprida com este país em alguns casos supera o próprio PIB. A politica que a China está adotando como forma de ressarcimento é assumir o controle (com suas próprias empresas) dos principais meios energéticos, industriais e exploração de mineiras destes países. A Argentina é muito maior (economicamente) que qualquer um destes países africanos. E não estamos falando da China, e sim, da Rússia. Atualmente estão em patamares diferentes. Mas sim, existe a possibilidade uma negociação “camarada” ter segunda intenções. Uma delas seria a aproximação política. Com… Read more »

Fabio Araujo

Mas o Brasil pagou mais caro para participar do projeto e poder fabricar o caça no Brasil, se fosse só para comprar o caça sairia muito mais barato!

Eduardo Leite Almeida

A compra do Brasil são 36 aeronaves com transferência e tecnológica. A Oferta Russa não vai sair pelos so 600 milhões e a Inglaterra que se cuide.

Ramiro Lopes Andrade

A Inglaterra, põe a Argentina no saco, outra vez ……….. é só tentarem fazer o mesmo.

Fabio Araujo

12 Mig-35 não vão tirar o sono dos ingleses no máximo vão mandar mais um ou dois Typhoon’s para reforçar o esquadrão que eles já tem na Ilha.

carvalho2008

Menos Typhoon para quem nem consegue finalizar seus F-35…..vai ficando caro…

Agressor's

E se os Russos e os Chineses chegarem lá e proclamarem que as Malvinas são Argentinas, o que a Inglaterra poderá fazer quanto a isso?

igortepe

Nada. O Reino Unido põe o rabinho entre as pernas, e vai ganir para os EUA, que também não poderão fazer nada.

Flanker

Mas, por que Rússia ou china fariam isso??? É cada ideia maluca que se lê….

sergio

Cara, o pior e eles acharem que os Ingleses e os Americanos vão ficar parados só olhando.

sergio

Deixa ver se eu entendi, quer dizer que a China ou a Russia podem chegar nas malvinas dizer que elas são argentinas e ponto final, mais , os Ingleses e os Americanos não poderão fazer nada ? i nivel de loucura ideológica de alguns aqui me espanta rsrsrsrs

carvalho2008

Desviar os recursos que tem direcionado ao Mar da China para as malvinas é a vida da Guerra fria….

Adriano RA

Tecnicamente, uma agressão às Malvinas/Falklands é uma agressão a um país da OTAN (Inglaterra). Jamais a Rússia ou a China se envolveriam nisso.

Fabrício

Em 1982 nenhum país, além dos contendores, se envolveu diretamente na Guerra das Malvinas. Pela sua posição geográfica no Atlântico Sul e pelo contexto atual das forças militares na Europa de grande restrição orçamentária, é de se duvidar que qualquer país da Aliança intervenha em algum (improvável) conflito.

Leandro Costa

Inglaterra que se cuide…. por que?

Agressor's

Quem tem que se cuidar mesmo nesse momento é a Venezuela. O povo venezuelano que se cuide!

Last edited 3 meses atrás by Agressor's
Cristiano GR

Já tem argentino querendo que os ingleses invadam tudo e anexem ao RU.

Welington S.

Meu Deus do céu… e o restante do contrato? Não existe? E A TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA? Também não existe? A compra do Gripen não se baseia somente no caça, cara. Pelo amor de Deus.

MCruel

Nada a ver…

Conan

Pelo jeito você esqueceu do custo de todo o know how que esta sendo transferido, peças sobressalentes, treinamento de pilotos e pessoal de terra, manuais, etc. Não é que eu queira ser chato mas isso custa muito dinheiro mesmo principalmente o conhecimento que nos permitira fabricar os Gripen aqui no Brasil e eventualmente projetar, fabricar e testar um produto 100% brasileiro!!

Luís Henrique

Sim. Mas outros contratos de caças ocidentais como F-16, super hornet, Rafale, eurofighter, etc provam que mesmo sem tot o valor dos contratos são bem mais caros do que os caças russos.

Lúcio Maia

O péssimo histórico de pós-venda russo desbanca a diferença entre os contratos.

IBIZ

Não sei da economia argentina, mas a brasileira está muito ruim e piorando.

Mondelo

Está piorando desde 2010.

Lúcio Maia

Se depender de governadores que estão fechando tudo e causando milhares de desempregos, será pior.

Fernando Turatti

Honestamente, não há QUALQUER paralelo entre o financiamento dos gripens e a situação da Argentina.
Pra ter acesso a crédito precisa ter confiança. País que já deu 200 calotes não vai ter crédito algum no mercado.
A chance argentina é conseguir um agrado estrangeiro, mas como não há almoço grátis, o preço de um agrado sempre terminará sendo maior do que se pagasse em dólar.

Welington S.

Pra adquirirem esse caça os caras realmente tem que dar com a bola toda pra mantê-los. Tem gente achando que o tio russo vai dar o almoço grátis. Vai nessa, vai.

IBIZ

Claro que há paralelo; nas duas situações os países (Brasil e Argentina) os países vão pagar super caro pra adquirir pouquíssimas aeronaves e ficar totalmente dependente financeira e tecnologicamente a potências estrangeiras!

Thom

Que comparação sem noção.
Pelo jeito você não conhece a negociação do NG.
Se liga:
Transferência de Tecnologia + Gripen no Google.

igortepe

Så, kommer INTE att vara så? Brasilien skickar ett meddelande till Sverige, vi har redan fått de 36 Gripen-fightersna, vi ska bygga ytterligare 60 enheter här på Embraer, skicka motorerna och alla delar vi behöver.
Tack.
Já enviei essa mensagem para o governo Sueco.

Last edited 3 meses atrás by igortepe
jose carlos c cunha cunha

Então, NÃO vai ser assim? O Brasil manda mensagem para a Suécia, já recebemos os 36 caças Gripen, vamos construir mais 60 unidades aqui na Embraer, mandar os motores e todas as peças que precisarmos.
Obrigado.

Welington S.

É mesmo? Então, pelo o que entendi e todos nós fomos pegos de surpresa agora com esse seu anúncio, o Brasil comprou então somente o Gripen? Não existe nada mais além disso? Ai, ai, ai…

Marcelo Baptista

Fernando, talvez pela Argentina estar sem capacidade de obter financiamento, e precisando urgentemente se reequipar, e a Rússia, querendo aumentar seu raio de influencia na AS, pode ser que obtenham alguma coisa. Não digo que será barato, mas um acordo que atenda ao interesse de ambos.

Lúcio Maia

Eu estou lembrando agora da humilhante apreensão de um navio de treinamento da marinha argentina em Gana , pelos credores dos argentinos.

Last edited 3 meses atrás by Lúcio Maia
Luiz Trindade

Até porque na época da compra a situação econômica do país era bem melhor do que esta hoje!

Cristiano GR

A Argentina com esse atual governo incompetente, conseguiu ter uma das economias mais frágeis da América do Sul, o peso argentino vale 18 centavos do peso uruguaio, sendo que o Real vale 8 Pesos uruguaios.
A situação argentina está tão braba e ridícula que já tem argentino torcendo para RU invadir e anexar tudo.

TeoB

bem a Venezuela tem Su 30 e ta bem pior a que Argentina… vai da vontade/ necessidade de quem tem a caneta na mão.

LEONARDO BASTOS

A diferença é que a Venezuela é uma DITADURA e Argentina (ainda) não…

MMerlin

A principal diferença é que a Venezuela tem as maiores reservas de petróleo do mundo. Basta colocar “alguns” barris como garantias de dívidas diminuindo os riscos (para quem empresta) e os juros (para quem se endivida).
A Argentina não tem esta facilidade.

José de Souza

Na atual conjuntura mais fácil o Brasil virar uma ditadura (bolsonarista) que a Argentina…

Fernando Turatti

Só pra constar, você sabe que esses Su-30 não foram comprados em 2020 e sim no meio da década de 2000 né?

Welington S.

Encaixa perfeitamente naquela frase: ”são da década de bolinhas”.

Kemen

Quem financiou a Venezuela? Quem financiou Cuba muitos anos atrás? Quem financiou a Nicaragua? Tudo tem uma saida, mas não acredito que as FA´s argentinas optem por equipamento de peso não ocidental, mas quem sabe se não mudam de idéia vendo esse bloqueio de venda de material militar ocidental ao vizinho, o império de Ocidente tenta jogar mais um pais latino americano nas mãos do império do Oriente, já se foram Cuba, Nicaragua, Venezuela, o Peru e o Mexico andaram meio que indecisos tempos atrás e agora que pais seria, provavelmente a Argentina, mais um. Uma politica militar totalmente equivocada,… Read more »

PauloR

Eu li na internet que eles tem 400 milhões de dolares separados para comprar aviões, mas mesmo assim ainda há desconfiança do mercado internacional devido a pandemia e o bloqueio britânico contribui pra isso também. Com a Rússia os argentinos não teriam pq o estado russo estaria disposto a correr o risco se houvesse maior influência do país na Argentina.

Fabio Araujo

Foi criado um fundo para reaparelhamento das forças armadas, esse fundo começou com 0,3% do PIB e vai aumentando ano a ano mas não vai chegar a 1% do PIB, mas esse fundo é para equipar para ser usado pelas três forças armadas!

PauloR

Ou seja, eles tem dinheiro pra fazer compras mesmo que tímidas. O problema é o Deus Mercado.

Marcelo Baptista

O problema é que a Argentina perdeu credibilidade no Mercado, vc emprestaria dinheiro a alguém que não paga as próprias contas?
Outro ponto, tudo e qualquer coisa que seja para uso militar, e tiver um dedinho de influencia Britânica, vai ser barrado.
Até que a questão das Falklands seja definitivamente resolvida, somente os Russos tem autonomia para ignorar qualquer protesto Britânico.

Teropode

Ele não é um caça leve e o tal barato é um engano para os desavisados .

igortepe

Tem que combinar com o governo do Reino Unido.

Karl Bonfim

Outro de detalhe importante, será que a Inglaterra vai autorizar essa venda!
Kkkkkkkkkk!
Gente desculpa, mas não resistir!

Last edited 3 meses atrás by Karl Bonfim
Hugo Vigneron

A Oferta é interessante, mais como que paga por isso tudo ,
como manter isso tudo ?

Luís Henrique

Isso tudo?
O que eu li é que o plano da Argentina é adquirir 1 único esquadrão.
Se um país médio como a Argentina, 2º mais rico da América do Sul, não conseguir dar um jeito de ter 1 único esquadrão de caças, então pode fechar a força aérea de uma vez.

Victor Filipe

Mas já era pra fechar mesmo, vai da uma lida no que foi a novela que foi pra pagar os 12 T-6 Texan que eles compraram… ainda bem que não escolheram super tucano…

Fernando Turatti

Pra quem não consegue botar skyhawk pra voar, 1 caça novo que seja já dá pra chamar de “isso tudo”.
No mais, pode ter o PIB do planeta Terra inteiro que, rodando com déficit, impressão monetária e calote, não há nada que dê jeito.

Welington S.

É por isso que defendo o Brasil longe da Argentina e sou contra à venda dos Guarani para eles. Olha a questão do KC-390, por exemplo. Portugal cumpriu com o contrato e adquiriu 5 KC-390. E a Argentina? Vai comprar quando? Os caras estão lá ganhando dinheiro e nada de KC-390 anunciado. Vão acabar perdendo o contrato com o Brasil. É aquela: ”Fazer projeto com pobre é mendigar pra dois”.

EduardoSP

A FAdeA é parceira de risco da Embraer no KC-39. E a Argentina não tem compromisso de compra da aeronave. Assim, todo mundo está cumprindo o combinado.

Welington S.

1 único esquadrão? Bicho, tu sabe do estado atual dos A-4? Se nem os A-4 eles estão conseguindo manter, que dirá um caça como esse.

Flanker

Você não tem acompanhado a situação das FFAA da Argentina há décadas? A FAA não possui 1 único caça supersônico há quase 10 anos. Não consegue manter mais que alguns A-4 operacionais. A ARA luta para manter um mínimo número de Super Etendard. Então, essa história de 2⁰ país mais rico da AS não tem adiantado muito para eles há décadas!

Luís Henrique

Sim, eu sei disso. Mas uma hora eles terão que tomar coragem e fazer uma reforma nas forças armadas. E se essa hora chegou, eu não sei, mas acredito que priorizarão um caça de 4a geração ou 4a geração PLUS em vez de uma aeronave LIFT. O FA-50 é um caça de 4a geração leve, derivado de um LIFT. O JF-17 é um caça de 4a geração leve e o Block 3 pode ser considerado 4a geração PLUS. Claro, é mais leve e mais simples que os caças top de linha, mas ainda é muito perigoso. Já o Yak-130 é… Read more »

Flanker

Nossos F-5M são muitos mais, e tb muito mais capazes, que os poucos A-4M argentinos. Eu duvido muito que a Argentina adquira um 4a geração ….quanto ao 5a geração, só se for nos sonhos do comandante da FAA.

Fabio Araujo

É um excelente caça, mas os argentinos preferem caças monomotor pois a manutenção é mais barata, mas sem dúvida se a Argentina tiver como pagar seria um upgrade muito bom, mas o problema é o mesmo de sempre grana para a Argentina comprar bons caças!

Evgeniy (RF).

Algo não está certo aqui. Aparentemente, em algum lugar há um erro, ou na Argentina tem seu próprio Avia.Pro. O que é bem possível.

Luís Henrique

Poderia explicar melhor?

Evgeniy (RF).

O que há para explicar? O MiG-35 com radar padrão da própria Força Aérea da Rússia deve começar a chegar apenas a partir de 2023. Agora eles estão com um radar não padrão. Que tipo de Argentina é essa. E de onde a Argentina consegue dinheiro para um avião tão caro? Aparentemente, na conversa dos diplomatas, o MiG-35 foi mencionado e só.

Luís Henrique

Sim, entendo. Mas foi justamente isso, um oferecimento. Na matéria não fala que foi fechado negócio. Foi oferecido. E nem sabemos se o caça oferecido já virá com o radar AESA ou com o atual PESA. No texto, fazem uma descrição do caça e indicam que este usa um radar AESA, ai sim está o erro. Ele terá um radar AESA, porém os que estão em operação na Rússia ainda usam o PESA. Mas a Rússia parece estar oferecendo sim o MiG-35 com AESA para a Índia, para o México e para a Argentina. Claro que as entregas iniciariam à… Read more »

igortepe

Solução para argentina: Mig29 retrofitado na Russia.Dez unidades monoplace e duas biplace.
Com certeza sairão por 1/3 do valor.
O Chile só tem 10 F16 comprados novos, o resto são usados comprados dos Holandeses e que de acordo com alguns sites são bem problemáticos.

Luís Henrique

Sobre preço, não sei o valor, mas algumas mídias indicam que foi oferecido para a Índia por cerca de U$ 50 mi. Levando em conta contratos do MiG-29M por cerca de U$ 43 mi cada e contratos de Su-30 por cerca de U$ 60 mi cada, é bastante provável que o MiG-35 deverá custar um pouco mais que os MiG-29M e um pouco menos que os Su-30. Sim, é caro, mas não tão caro como contratos de Rafale, Eurofighter, F-15, F-16, etc. E a Argentina tem também o seu orgulho, eles não querem ver o Chile com F-16, o Brasil… Read more »

jonas123

Ora vamos contar as ofertas que tiveram até ao momento: Kfirs, J-10, F-16, JF-17, Su-24, Mirages F-1 espanhóis, Kai FA-50, Gripen e agora o Mig-35. Qual será a próxima oferta? Façam as vossas apostas!

Last edited 3 meses atrás by jonas123
Allan Lemos

Os Gripens eles não poderiam operar de qualquer forma.

Fabio Araujo

Mas os caças ocidentais e o sul coreano estão fora não por opção argentina, mas por pressão britânica, o que resta são os caças chineses e russos!

Last edited 3 meses atrás by Fabio Araujo
Tutu

Esqueceu os Mirage 2000, Mig-29M e Su-30.

J R

O Mirage 2000 é outro que usa acento inglês, tá difícil a vida da FAA…

Welington S.

Foi se meter na maldita Ilha e como se não bastasse, o gov. argentino sempre voltando à falar sobre as Ilhas, é isso que acontece. Agora, imagine se o Brasil, naquela época, tivesse entrado nessa empreitada com a Argentina para ajudá-los na guerra?

Matheus Augusto

Seria interessante pensar nessa possibilidade. Se a Argentina sozinha já deu um trabalho pros Ingleses, imagina com o Brasil junto, pra somar suas forças aéreas e navais com as da Argentina. Será que os ingleses dariam conta ou será que apelariam pro tio Sam ?

Rinaldo Nery

Acento? Agudo ou circunflexo? Ou crase?

Flanker

Hehehe…boa!

Teropode

TEJAS MK01.

JuggerBR

Boa oportunidade pra fazer uma simulação entre esses imaginários Mig-35, nossos Gripen e os F-16 do Chile. Uns 8 de cada lado pra dar equilibrio, sem uso dos E-99/R-99.

Antoniokings

Simulação de Mig-35 contra o F-16 é o mesmo que amistoso entre Bayern de Munique e um time do aterro do Flamengo.
Menos.

Rui Chapéu

É cara, mais respeito aos Mig!

Todos sabem que são ruim igual a esses timecos de aterro, mas não precisa esculachar tb….

Antoniokings

Depois dos relatos que eu li sobre os Mig-25 no Iraque, acho melhor chamar o VAR.

https://militarywatchmagazine.com/article/top-six-air-to-air-engagements-in-the-gulf-war-how-iraq-and-the-u-s-went-head-to-head-with-foxbats-f-15s-and-more

Teve F-18, F-111, F-15 derrubados.
B-52 avariado.
E para os americanos, sempre perdas sem confirmação.
Só agora, quase vinte anos depois que confirmaram a morte do Capitão Michael Scott Speicher que teve o seu F-18 abatido por um Mig-25.

Defensor da liberdade

Imagine se fosse o Iraque antes da guerra com o Irã, e usando seus AEW&C como se deve. O bicho tinha fedido para o lado dos EUA.

Matheus Augusto

Menos né parceiro .

Alexandre

É verdade, se fosse pelo menos MIG 35 vs F16 bk 60, ainda dava para se fazer uma comparação. Mas os F 16 bk 50 com radar pulso doopler e sem IRST não dá nem pro começo, seriam varridos pelos MIG 35!

Antoniokings

Acho que o comentário do forista acima vou apenas para lançar uma ‘deixa’ de que o equipamento russo atual (sendo considerado dos mais capazes 4G++) seria equivalente aos já reconhecidamente (até pelos americanos) obsoletos F-16.
Seria aquele comentário ‘an passant’.

Flanker

Discorra sobre a obsolescência do F-16! Mas, com dados, e comparando com o Mig-35. Compara o F-16V e o Mig-35. Prove-nos a obsolescência do F-16 e o “estado da arte” do Mig-35. Estamos esperando. Mas, sem papagaiada de torcida e sem adjetivos superlativos à lá Rússia.

Flanker

Kkkkkkkk….mais uma das pérolas do “entendido” em aviação de caça………

IBIZ

É a unica opção pros nossos hermanos. Eles não conseguem comprar nem aviões de treinamento sem os britânicos fazerem chilique!

Welington S.

”…nossos hermanos.” kkkkkk

Carlos Campos

problema não é chilique dos britanicos e sim eles não terem condições mesmo.

Antonio Palhares

Em países ocidentais não podem comprar.
Na China e Russia, podem.

Gabriel BR

Então pessoal , eu conto para os russos ou vocês quem vão contar? rsrsrsrsrsrsrs

Luís Henrique

Li recentemente que a Rússia havia oferecido MiG-29M, Su-30 e Yak-130. Com o atrativo de trabalhos industriais na Fadea, provavelmente para manutenção das aeronaves, mas dava entender que poderiam montar partes das aeronaves lá. Algumas fontes falavam que os russos tinham pedido uma encomenda mínima de 20 aeronaves para garantir os benefícios industriais. Outras indicavam que o pedido seria para 1 único esquadrão com 12 à 15 aeronaves. O JF-17 chinês também é uma opção muito atrativa para a Argentina, é mais barato para adquirir e para operar. Porém a oferta russa contém atrativos de tot e participação industrial, o… Read more »

Allan Lemos

Se a Argentina adquirisse esses caças, o Brasil teria que se apressar em adquirir um segundo lote de F-39s para manter uma margem segura de superioridade aérea na região. Mas acho improvável que façam uma aquisição dessas, especialmente depois da pandemia.

Last edited 3 meses atrás by Allan Lemos
Fernando Turatti

Uma dúzia de MiG-35 forçariam um país com 3x mais vetores tecnologicamente superiores a correr pra se armar mais?

Welington S.

É aquele supertrunfo de ser caça russo. Os caras acha que qualquer força aérea tendo caça russo, pronto, a guerra tá ganha.

Allan Lemos

De fato, os Gripens são mais avançados tecnologicamente, mas mesmo assim os Mig-35 conseguem carregar mais armas. Sem falar que a diferença tecnológica entre ambos não chega a ser tanta assim. Os dois são 4++.

Fernando Turatti

Eu nem estou discutindo o quão melhor o gripen é, é fato que ele é superior, o quanto é irrelevante nesse argumento, uma vez que estamos falando de números de 3 pra 1.
Se fossem 3 MiG-35 pra cada Gripen E, aí sim seria um problema. Se fosse PELO MENOS 1:1 já nos forçaria a olhar com mais zelo, mas 3:1 é irrelevante.

Rafael costa

Isso sem contar que os caças Gripen poderiam estar acompanhados de 1 ou 2 aeronaves E-99M, que deixaria a situação ainda mais complicada para os MIG-35. Mas não tem com o que se preocupar, já que a Argentina dificilmente irá comprar os MIG-35 por falta de financiamento e mesmo que comprassem a superioridade da FAB seria inquestionável.

JuggerBR

Só pra entender, qual o risco pro Brasil? Não há nenhuma divergência territorial entre os países, o único perigo é os militares ficarem chateados porque o brinquedo de lá é maior que o brinquedo de cá…

Leandro Costa

Risco zero para o Brasil.

MMerlin

Total. O último conflito armado que tivemos com os ermanos foi a pouco mais de 150 anos e ainda por influência e disputa do território que era o Uruguai. Assunto este já sepultado. A partir daí fomos aliados em algumas outras guerras, incluindo contra o próprio Uruguai. Se a Argentina não estivesse passando por este revés econômico, seria um parceiro comercial muito maior do que já é.

Leandro Costa

Tínhamos algumas disputas veladas até relativamente pouco tempo, mas de qualquer forma esse cenário mudou completamente e a Argentina poderia mesmo ser um parceiro comercial bem maior. Se não houvesse ainda todo aquele populismo louco de dizer que as Falklands são deles ou se pelo menos fizessem questão de anunciar repetidas vezes que abdicam completamente do uso da força para tentar dominar as ilhas, eles poderiam inclusive ser parceiros comerciais ainda maiores. Mas é o tipo de coisa que eu nem considero como possível mais. Os Argentinos também fazem um bom trabalho em antagonizarem outras nações, o que é muito… Read more »

MMerlin

A disputa das Falklands sepultou a economia Argentina na época, que já estava em recessão. De lá para cá, esta disputa tem gerado perdas econômicas enormes. Ainda hoje o país sofre com as dificuldades comerciais (não confundir com restrições) impostas contra seus produtos na UE. Este orgulho cega o país para a busca de uma real solução, que poderia tentar uma reparação e “compensação” por parte do Reino Unido. Reparação esta que poderia envolver um comprometimento formal em áreas como comércio (principalmente exportação e redução de taxas), indústria, educação, pesquisa e inúmeras outras áreas, abrindo definitivamente as portas para a… Read more »

Allan Lemos

Só porque não há risco imediato vamos abrir mão da superioridade militar perante os vizinhos? Que pensamento tacanho. Vamos esperar haver uma guerra então, ai a gente pede para os inimigos esperatem enquanto compramos mais armas.

Leandro Costa

Não se abriria mão da superioridade militar ante ao vizinho nesse caso. Aliás, ainda estaria bem longe disso. O caso é que se o Brasil ativamente trabalhar CONTRA um nível de equipamento mínimo para qualquer vizinho e isso viesse à conhecimento público, nós basicamente estaríamos dando um tiro no pé ante às possíveis repercussões, tanto políticas quanto financeiras e acabaríamos perdendo influência (a pouca que temos) sobre o país vizinho.

No caso da Argentina nós não precisamos nem nos mexer no sentido de garantir uma superioridade militar. Eles já estão fazendo um excelente trabalho de auto-sabotagem.

Fernando Turatti

Fora que o Brasil, pelo tamanho e gasto, OBRIGATORIAMENTE será superior militarmente aos hermanos. Isso, claro, ignorando nosso território bem maior.
Pra Argentina vencer algo contra nós, precisariam ser TÃO superiores que tomariam pelo menos todo o sudeste pra inviabilizar nosso esforço de guerra. Nunca foram e nunca serão.

Allan Lemos

Não é bem assim, até o conflito nas Falklands, Brasil e Argentina eram mais ou menos equivalentes em termos militares e eles eram muitíssimo bem equipados para os padrões de países de 3º mundo. É óbvio que em uma situação de guerra total, cedo ou tarde, o Brasil iria se sobressair graças a sua capacidade industrial e de manpower, muito superiores aos de qualquer vizinho. Mas se levássemos em consideração apenas os meios que cada um tinha imediatamente à disposição, nós teríamos muito trabalho.

Fernando Turatti

Esse foi exatamente o meu ponto: pra Argentina nos vencer, eles precisariam ter equipamentos em quantidade e qualidade MUITO superiores, de modo que tomassem o sudeste(ao menos a maioria dele) rapidamente. Se essa guerra ficasse minimamente travada por questão de dois meses que fosse, já era, nossa indústria engoliria a Argentina inteira sem qualquer chance.

Allan Lemos

Leandro, mas eu não falei nada sobre o Brasil trabalhar contra. Disse apenas que deveriamos nos movimentar para garantir a nossa superioridade militar, o que aliás deveria ser feito independente da Argentina se armar ou não. 36 Gripens é muito pouco.

Leandro Costa

Ah sim. Pareceu que deu à entender isso no seu comentário. Mas sim, independente de qualquer país que seja, temos que garantir meios para se defender a soberania e interesses brasileiros. Apenas 36 Gripens, 4 Tamandarés e 4 subs convencionais e talvez um nuclear, ainda é muito pouco sim. Infelizmente temos tanta necessidades de meios que é difícil até priorizar a maioria das coisas, mas isso precisa ser feito e tudo precisa ser levado adiante.

Luís Henrique

Eu acho a melhor opção para a Argentina. O Chile possui 46 F-16. O Brasil possuirá 36 Gripen E/F. Um esquadrão (12 à 15 caças) de MiG-35 coloca a Argentina no jogo. (ainda que com uma frota menor) Um caça equivalente ao Gripen E do Brasil e ao Eurofighter do Reino Unido (nas ilhas malvinas) e superior aos F-16 Block 50 e MLU do Chile. O custo de aquisição é muito mais barato que as opções ocidentais, devendo ficar em torno de U$ 50 mi a unidade. O custo operacional é estimado em cerca de U$ 9 mil a hora… Read more »

Alexandre

Só com muita boa vontade pode-se considerar o MiG-35 “equivalente” a Eirofighter, F-16C/D e muito menos Gripen E/F…

Fernando Turatti

Acho que em relação ao F-16 chileno até dá pra dizer que MiG-35 é melhor sim… Mas daí a comparar com eurofighter e Gripen E é um salto absurdo e incompreensível.

JS666

-Os Eurofighters nas Malvinas são só 4, não tem radar aesa e não podem disparar Meteor, creio que esse Mig-35 seja superior sim, no máximo se igualam. Não tenho certeza qual versão do aim-120 que estão equipados. O problema é ter que lidar com os F-35 de uma força expedicionária britânica.

-Os F-16MLU chilenos são inferiores, mas os Block 50 devem ter o mesmo nível de eletrônica e mísseis melhores (aim-120c-7), portanto devem ser superiores.Os R-77-1 são bem fraquinhos, no máximo se equiparam a um 120a.

-Nossos Gripen E em eletrônica melhor e serão equipados com Meteor.

DSC

É isso tudo aí! ⬆

Muito bem dito.👌🏻

Last edited 3 meses atrás by DSC
Vinicius Momesso

Quando foi anunciado o desenvolvimento do Mig-35, pensei que seria superior ao Su-35… ledo engano.

Antoniokings

Algumas publicações consideram esse MIG-35 do mesmo nível do Su-35.
E nem precisamos comentar as capacidades do Sukhoi, né?

Luís Henrique

É um caça 4a geração ++. 1o voo em novembro de 2016. Entrou em serviço em 2019. O Eurofighter entrou em serviço em 2004. Radar AESA não está pronto, mas o protótipo já conseguiu detectar alvos a 260 km de distância. Motores modernizados com exatamente a mesma potência do Eurofighter. Estrutura totalmente nova, com muito uso de materiais compositos o que reduziu a RCS de forma Significativa e aumentou a vida útil e a carga de armas. Na nova estrutura também houve um aumento da carga de combustível, e com motores mais econômicos o raio de ação foi significativamente ampliado.… Read more »

Flanker

9 mil dólares a hora de voo de um caça bimotor? Com todo o respeito, mas isso é uma piada!!

Luís Henrique

Caro Flanker, esta pensando somente em combustível? Os custos de operação envolvem muito mais que isso. O F-35 é monomotor e custa muito mais para operar que o Super Hornet bimotor. Alias já faz uns anos que o SH é o caça mais barato de operar nas forças americanas, mais barato que o menor, mais leve e monomotor F-16. O ministro da defesa indiano divulgou números oficiais de 2012/2013 para Mirage 2000 e Su-30. Gastos com reparos e manutenções. 877.84 crore para toda a frota de Su-30 486.85 crore para toda a frota de Mirage-2000 Traduzindo: U$ 95 mi Ano… Read more »

Flanker

Eu sei que hora de voo não é só combustível! Sei tb que existem muitas maneiras de calcular o custo da hora de voo. Tem países que incluem até o salário dos pilotos e do pessoal de manutenção. É muito variável. Mas, se vc acredita que um Mirage 2000 custa 4300 dólares/hora+ combustível, eu nem discuto mais…..

Up The Irons

O empecilho é o de sempre: dinheiro, tanto para aquisição quanto para manutenção. Mas seria bom se comprassem alguns para jogar pressão na FAB. De repente o segundo lote de Gripen E vem mais cedo…

Last edited 3 meses atrás by Up The Irons
FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Penso que os Argentinos, se aceitarem alguma proposta russa, irão de YAK ou de Mig29.

Mas qualquer das hipóteses seria ótima para eles.

Emerson

O MiG-35 é muito para o bolso dos Argentinos no momento. YAK-130 é o cara para eles…

Luís Henrique

Eu posso estar errado, mas duvido disso.
Os argentinos já possuem o IA-63 como LIFT.
Eles são orgulhosos e patriotas.
Não vão aceitar operar um LIFT enquanto o Chile opera F-16, o Brasil opera Gripen, o Reino Unido opera Eurofighter nas Malvinas, a Venezuela opera Su-30 e a Colômbia provavelmente operará um caça de 4a geração moderno.

Eu acredito em MiG-35, MiG-29 e JF-17 como os mais fortes candidatos para a força aérea argentina. Com possibilidades da China oferecer o J-10 no meio do caminho ou da Argentina acabar adquirindo Su-30.

Fernando Turatti

Não só vão aceitar como JÁ aceitam.
Eles estão voando(rsrs) skyhawks enquanto os vizinhos menos indecentes voam com F-5M e F-16C/D.

MMerlin

Adquirir um LIFT não tem nada a ver com orgulho e patriotismo. As principais FA não são administradas assim. Tem que adquirir o melhor equipamento que o orçamento permite em paralelo com a manutenção do parque existente. Aperfeiçoamento do treinamento e gerenciamento logístico são também indispensáveis. Analise nossas próprias FA. Todas com equipamentos aquém do ideal mas tiram água de pedra com o que tem.

Flanker

Não vão aceitar operar um LIFT?? Cara, há anos e anos eles mal conseguem operar alguns poucos A-4!!!

Victor Filipe

Pra um pais que não tava aguentando pagar os preços de um avião turboprop como o T-6 Texan sonhar com MiG-35 chega a ser absurdo.

Só vão conseguir esse avião se a Russia pagar o valor integral dele pra eles. ou seja

se eles literalmente ganhar de presente. e ainda teriam que ganhar a manutenção de presente também

Nick

Os russos deveriam oferecer o YAK-130 como caça leve.

Sagaz

Grippen ganhando mais alvos, será?

Fernando C. Vidoto

Hehe

Entre ele e o Gripen sou mais Gripen. Mas sem subestimar o MiG35 que seria um tremendo salto tecnológico para os hermanos.

Antoniokings

Compare os aviões e veja as chances de cada um.
A publicação abaixo considera o MIG-35 como o avião mais capaz do inventario russo.
Serpa que ‘dá pé’ para o Gripen?

https://militarywatchmagazine.com/article/laser-weapon-adds-to-russian-mig-35-s-growing-repertoire-of-advanced-capabilities

Flanker

Hãhãm…o Mig-35 é superior ao Su-30 e ao Su-35?? Os caras podem escrever na revista que quiserem, mas escrevendo isso, estão falando uma baita bobagem!!!

pangloss

Tá bom, vamos então conjecturar que a Argentina supere as dificuldades financeiras e consiga adquirir e operar os caças.
O que pretendem fazer? Ir à guerra novamente, para exercer soberania sobre as Malvinas?
Além dos caças, vão também comprar e operar meios navais adequados e suficientes para a aventura?
Vão treinar para alcançar desempenho melhor do que em 1982, ou vai ser novamente na base da coragem?

Leandro Costa

Se a Argentina conseguir o milagre de adquirir e operar os caças, não significa que irão automaticamente tentar uma agressão contra alguém.

pangloss

Sim, uma agressão não seria efeito automático da aquisição e operação dos caças, mas essas condições são pressupostos para uma agressão argentina.
Tudo apenas hipotético.
Como você assinalou, tudo depende de um milagre que permita a aquisição.

Marcelo Baptista

Eu acho que por mais que eles achem que as ilhas são deles, o Governo de hoje, independente de quem seja, é menos irresponsável do que os da época.

Tomcat

Nesse trecho da matéria “pode desenvolver uma velocidade de até 2.25 Mach (cerca de 2.300 km/h)”, tem erro nessa conta aí…

Jagdverband#44

Agora vai!
Assado de tira e Parrilla!!

João Adaime

Se o texto não estiver errado, este avião leva 6.500 kg de armas contra 6.000 kg do Gripen E. Eles se equivalem em velocidade, altitude máxima e raio de combate. Logo, o Gripen será bem mais barato de operar, uma vez que usa apenas um motor contra dois do russo, que também é mais pesado.

Luís Henrique

Os custos operacionais de uma aeronave de caça de 4a geração Plus, não se resumem à gastos com combustível. Tem estudo divulgado na Janes que diz que o combustível representa cerca de 25% do custo de hora voo do F-16. Existem muitos custos com peças, sobressalentes, softwares, e com pessoal para manutenções, etc. É totalmente possível e até muito provável que um caça ocidental, cujas peças, sobressalentes e mão-de-obra são pagos em dólares ou euros, tenha um custo de hora voo Maior do que os cobrados no MiG-35, com exceção dos custos de combustível, que é muito provável que são… Read more »

Flanker

Duvideodó!! Mig-35 A 9K a hora de voo??? Nunca!!

Luís Henrique

Sobre peso, o Gripen E pesa 8.000 kg contra 11.000 kg do MiG-35. Peso máximo de decolagem de 16.500 kg para 24.500 kg do MiG-35. Portanto, existe sim uma diferença de porte. O MiG-35 é mais comparável ao Rafale e Eurofighter em carga paga, tendo exatamente o mesmo peso vazio do Eurofighter e o mesmo peso máximo do Rafale. O MiG-35 carrega 5,8 toneladas de combustível interno, contra 4,7T do Rafale e 3,4 T do Gripen E. O alcance Sem tanques externos é de 3.000 à 3.100 km contra 2.500 km do Gripen. Com tanques externos o alcance chega em… Read more »

João Adaime

Caro Luís Henrique
Ótima a comparação.
Acredito que num hipotético confronto Gripen-E X MiG-35 vão pesar o treinamento do piloto, os aviônicos e a consciência situacional.
Abraço

Junior P.

Sim, num hipotético confronto entre as duas aeronaves, valeria isso tudo, porém alguns outros itens são capazes de definir o certame. A saber:
Datalink, capacidade de guerra centrada em rede, IFF, contramedidas eletrônicas e, a principal, disponibilidade.

O Mig 35 é um avião muito charmoso e pode ser uma das únicas opções para a Argentina, porém se não der conta desses itens que citei, com os argentinos tendo domínio sobre eles, jamais será um caça competente como diz na propaganda.

No mais, torço para que os russos tenham feito uma boa proposta, pois é um baita avião.

João Adaime

Caro Junior P.
Datalink, capacidade de guerra centrada em rede, IFF, contramedidas eletrônicas” foram resumidos em “aviônicos” (softwares e equipamentos eletrônicos embarcados) e suporte eletrônico e de comunicações fornecidos por outros meios, que fornecem a “consciência situacional”, isto é, deixa o piloto sabendo de tudo que se passa a sua volta numa distância de algumas centenas de quilômetros.
Abraço

Delfim

O problema será o CAATSA, até pq os britânicos vão pressionar os EUA para aplicar as sanções.
O JF-17 seria menos complicado e mais acessível.

Last edited 3 meses atrás by Delfim
Fernando C. Vidoto

Concordo.

É uma opção mais realista. Mesmo que o caça não seja uma maravilha.

“É o que tem pra hoje”

Antoniokings

Esse CAATSA não vale um tostão furado.
Turquia, Egito, Índia e outros toda hora são ‘ameaçados’ e os EUA vivem oferecendo armas (inclusive o vetusto F-16) para eles.
Vale qualquer coisa para vender.

Adriano Madureira

É Antônio, mas ao contrário dos argentinos, esses países que você citou tem a sua importância Geopolítica e militar, e podem se dar o luxo de mandar Washington pegar seu CAATSA e enfiar em onde eles acharem melhor… Os indianos tem sua importância, fazendo frente aos chineses, fora que são bons consumidores de produtos civis e militares americanos. Ao mesmo tempo que eles compram muito dos russos, eles compram dos yankees, e os americanos sancionar em os indianos, seria um tiro no pé, refletindo isso em possíveis cancelamento de aquisição de produtos militares… Já a Turquia tem importância por ser… Read more »

Reginaldo

Daqui a uns dias vai ter até proposta da Venezuela para vender os Su-30 para a Argentina…

Scarface

Poderiam me dizer em exatamente o que o Mig-35 quando oferecido com o radar AESA seria inferior ao Rafale,F16, Gripen? Quero resposta técnica não ideológica,pois estão tratando o Mig-35 como se fosse uma porcaria, quem tiver conhecimento técnico por favor responda.

DSC

O MiG-35 é inferior no radar, no IRST (não é melhor que o OLS-35 do Su-35S, e este já é inferior aos IRST ocidentais atuais), e muito provavelmente também na suite EW… Sobre seu RCS… Só se sabe que tem um RCS bem menor que os MiG-29 originais/clássicos do tempo da URSS. Penso que deve ser comparável ao do Su-35S… E sendo assim, não seria melhor que os 4.5G ocidentais… Nos quesitos de aceleração e manobrabilidade, o MiG-35 não é melhor que os Fulcrums clássicos/originais, mas continua sendo melhor que Gripen e F-16 por exemplo, em alguns regimes de voo. … Read more »

Last edited 3 meses atrás by DSC
João Bosco

O caso é o seguinte: os russos e os chineses querem mercado e influência na América do Sul faz tempo; os britânicos fazem pressão para o mundo ocidental não vender armamentros e caças para a Arghentina, que está literalmente sem aeronaves de caças e necessita, pois estão vendo o Brasil com o F-39 e o Chile com o F-16 e namorando o F-35e os Ingleses co os Thyohoons nas Malvinas – seu eterno objeto de posse. Se eles não se mexerem vão ficar para trás – Imagina se o Uruguai resolver comprar caças de 3ª ou 4º geração? E se… Read more »

João Bosco

Desculpe os erros de digitação, meu teclado está uma m…..

Fernando Turatti

“não tem outra saída” supõe que eles tem a saída de comprar armamento russo/chinês. Eles não tem também.
O maior problema argentino nem é o UK, é a Argentina mesmo.

Leandro Costa

Finalmente ocorre um tópico por aqui no qual estamos completamente de acordo.

Antoniokings

Tens razão em quase tudo, exceto a possibilidade do Chile comprar e muito menos operar o F-35.
Caro demais, em todos os sentidos, para esse pequeno país.

Douglas Rodrigues

Os chilenos estão em mto melhor posição econômica que os outros países citados.
Acredito que dos países da América do Sul é o único que pode vislumbrar tal equipamento.

Montenegro

Por isso que eles recorreram ao FMI e pegaram 10 bilhões de dólares emprestados, será que foi para comprar F 35?
Modo irônico on!

Antoniokings

Prezado Douglas.

O Chile estava prestes a explodir quando começou a pandemia e deu uma esfriada.
Aguardemos o retorno à ‘normalidade.

Sequim

Pois é, Kings. As pessoas dão opinião sem o mínimo embasamento. O Chile em convulsão social e passando um sufoco por conta da queda do preço do cobre, que só agora começa a se recuperar e tem gente vivendo um “sonho neoliberal de verão ” chileno.

Antoniokings

Em 2019, a população saiu às ruas saqueando armazéns, incendiando quartéis e etc.
Até a Primeira Dama em áudio vazado declarou: Vamos ter que diminuir nossos privilégios e compartilhar mais.

Henrique

Estruturalmente eles são bem melhores que o resto da AS. A França é bem melhor do que nós no social e no econômico e ainda assim eles tem os coletes amarelos e toda semana manifestação. Não é por que tem um monte de desocupado levantado cartaz e queimando lixeira que o país está mal.

Adriano Madureira

A Argentina pode não ter dinheiro,mas tem recursos minerais que podem ser explorados,Os importantes recursos minerais presentes no país incluem chumbo, zinco, estanho, cobre,ouro,prata, minério de ferro, manganês, petróleo, urânio e lítio. Acredito que isso ainda tem sua importância no mercado… Estima-se que a Argentina contenha mais de 80% das reservas mundiais de salmoura de lítio apenas no planalto de Puna, no noroeste. O lítio é extremamente importante na indústria automobilística e, por isso, tem havido um grande aumento na exploração de lítio no país. Existem muitos benefícios percebidos da mineração na Argentina. O mercado de mineração na Argentina é transparente, de… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Adriano Madureira
Mayuan

Demorou 60 comentários pra alguém levantar finalmente essa bola.

Fernando Turatti

Esse papo de “tem recursos” não existe no mundo real.
Está supondo que o governo irá, na mão grande, tomar das mineradoras? Ou irá obrigá-las a venderem pelo papel sem valor impresso pelo banco central e então mandarão para a Rússia?
Ou eles pagam esse minério com dinheiro ou deixam de receber os royalties e passam isso pra Rússia, em todo o caso, é dinheiro.

Antoniokings

Acho bom esse papo de ‘tem recursos’ ainda valer alguma coisa, pois é também o que restará ao Brasil, dentro em breve.
Lembre-se: ‘O agro é pop’.

ADRIANO MADUREIRA

Fernando, não será na mão grande, na Argentina ainda há enorme quantidade de áreas ricas não exploradas, seja pelo governo ou iniciativa privada…

Fernando Turatti

Dar uma área nova de exploração para os russos ou usar esses recursos para pagar é, literalmente, igual pagar com dinheiro.
Isso, claro, ignorando que dificilmente uma mineradora privada irá querer entrar agora na Argentina com toda a insegurança.
Existe um custo em abrir uma nova área de exploração do que quer que seja e TUDO o que poderia interessar a qualquer país como pagamento, pode também ser usado no mercado externo para acessar dólares. A Argentina não sofre embargos econômicos, logo, não é a mesma coisa que o petróleo venezuelano(que ou sai na encolha ou não sai).

Douglas Rodrigues

Esse é um pensamento ditatorial. A Venezuela só tem os caças que tem, e alguns equipamentos tão modernos quanto, devido ao recurso natural mais vislumbrado nos tempos atuais – o petróleo. E é bom que tirem proveito enquanto é um recurso ainda abundante e extremamente necessário, porque logo os poços secam e a tecnologia permitirá um crescente uso de outras fontes de energia. O interesse dos Argentinos é se manter de alguma forma como ator importante no teatro de poder da América do Sul, um sonho antigo de muitos Kirshneristas é recuperar as Malvinas para mostrar isso (acho quase impossível… Read more »

ADRIANO MADUREIRA

Exatamente! Por exemplo: Os chineses podem alugar uma área para agricultura(ou militar…) como atualmente é comum eles fazerem hoje em dia, por uma década ou duas ou mais, e o pagamento dessa cessão poderia ser por meio de materiais bélicos…

O mesmo poderia ser feito pelos russos e suas estações glonass ou até mesmo uma base auxiliar para a manutenção de seus navios, se não me engano, há um tempo atrás li que os russos estão em negociações ou já fecharam com um país africano a criação de uma dessas bases para reparo e abastecimento de seus meios navais.

Marcelo

penso que dessa vez deveriam acertar a oferta e fechar negócio…não terão acesso a nada ocidental enquanto mantiverem a reinvidicação sobre as Malvinas.

MFB

Ou seja. GRIPEN BR vai reinar absoluto aqui no sul.

Alex Faulhaber

Mais uma história daquelas em que as pessoas vão ao shopping e entram nas lojas e chega o vendedor e a pessoa diz…”To só olhando”

LEONARDO BASTOS

A Argentina já era, o socialismo kirchernista-peronista acabou com a economia do país. Melhor oferecer para o Peru ou Venezuela, que apesar de estar acabada economicamente pode priorizar a Defesa em detrimento dos interesses da população.

Sequim

Quem acabou com a Argentina de verdade foi a DITADURA MILITAR de Gualtieri e companhia limitada, que de forma absolutamente irresponsável lançou um país ,que já ia mal das pernas por causa da crise da dívida externa, em uma guerra irresponsável contra uma potência militar.

pangloss

Os problemas econômicos argentinos são bem mais remotos. A chamada “opção pela pobreza” começou com o Perón.

José de Souza

Ditaduras Militares de 1955, 1962/66 e de 1976 (esta última violentíssima!), aliados ao dois períodos de neoliberalismo Menen e, posteriormente, Macri arruinatam a Argentina.
A “opção pela pobreza” de Perón é, na verdade, opção pelo povo, para diminuir a desigualdade e concentração de renda na “aristocracia criolla” que dominava a Argentina desde o final do século XIX.

Antoniokings

E quem arrematou o serviço foi o Macri.
Os argentinos não querem vê-lo nem pintado de ouro.

Joanderson

Da que uns dias alguns aqui do blog vai afirmar que o nosso Gripen é superior até aos su 35.
Toda HR chega um coçando esse caça lá em cima .
Creio que o gripen no máximo seja equivalente ao MIG 35 e se for melhor é pouca coisa.

Nilton L Junior