Home Aviação de Ataque Drone de ataque S-70 ‘Okhotnik’ lança bombas durante testes

Drone de ataque S-70 ‘Okhotnik’ lança bombas durante testes

2221
28

MOSCOU, 12 de janeiro – RIA Novosti. O drone de ataque pesado russo S-70 “Okhotnik” bombardeou um alvo terrestre na área de Ashuluk como parte dos testes de voo, disse uma fonte do complexo militar-industrial à RIA Novosti.

Segundo a fonte, o “Okhotnik” lançou bombas aéreas não guiadas de 500 quilos do compartimento interno da fuselagem.

Não foi informada a data na qual o bombardeio ocorreu, mas foi dito que esses não foram os primeiros testes para destruir alvos terrestres.

A fonte enfatizou que “o mais novo sistema de mira e navegação instalado no Okhotnik torna possível usar munição em queda livre com uma precisão próxima a de uma arma guiada de alta precisão.”

O “Hunter”, segundo o interlocutor, é capaz de atingir autonomamente alvos estacionários  no solo e restritamente alvos móveis com coordenadas previamente conhecidas, inclusive ao receber no ar designação de alvos externos.

O veículo aéreo não tripulado de ataque Okhotnik foi desenvolvido no Sukhoi Design Bureau. De acordo com fontes abertas, ele tem comprimento de 14 metros, envergadura de 19 metros e peso de decolagem de 20 toneladas.

A velocidade máxima do Hunter atinge mil de quilômetros por hora. O drone é feito de acordo com o esquema de “asa voadora” com o uso de materiais que reduzem a assinatura no radar.

O primeiro voo do “Okhotnik”, conforme informado no Ministério da Defesa, ocorreu em 3 de agosto de 2019.

De acordo com fontes da RIA Novosti, no ano passado o Okhotnik realizou uma série de voos com simuladores funcionais de mísseis guiados ar-ar, que não têm motor, mas possuem cabeça de orientação.

Lançamentos de teste de mísseis de combate a alvos aéreos devem ser realizados pelo aparelho no segundo semestre deste ano.

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Samuel
Samuel
4 dias atrás

Senhores, fiz essa pergunta em um post passado mas não obtive resposta. Vocês acham que há a possibilidade de que, tendo em vista os custos para produção, hora de voo etc com caças de 5° geração tripulados, seria uma opção para países subdesenvolvidos, como o Brasil, a ideia de utilizarmos somente drones tal como esse russo e o estadunidense? Imagino a possibilidade de eles na linha de frente quebrando defesas antiaéreas e os gripen tripulados logo depois.

Meu primeiro emprego
Meu primeiro emprego
Reply to  Samuel
3 dias atrás

Bom dia! É a tendecia. Ainda mais com o progresso da IA, drones se tornariam armas formidáveis. Agora imagine uma situação bem diferente da nossa: Um país com bastante tecnologia e capital disponivel e vizinho de uma potencia que o ameaça militarmente. Estou falando de Taiwan. Por que mesmo eles não se armam com milhares de drones? A tecnologia ainda está em desenvolvimento e mesmo eles, fabricantes de drones, ainda não a tem amadurecida para pronto emprego. Como opção para qualquer país, seria um investimento até mais caro que a compra de caças, pois exigiria pesquisa e desenvolvimento em areas… Read more »

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  Samuel
3 dias atrás

Como toda tecnologia, em algum momento ela estara mais acessível; a história mostra isso.
Não devemos nos desesperar, mais de 10 países tem projetos Stealth.
Devemos aguardar a parceria ideal e buscar a melhor estratégia.
Ao meu ver os Drones são o futuro. E o Brasil deveria investir pesado nisso.

Kemen
Kemen
Reply to  Samuel
3 dias atrás

Sim sem dúvida.

Luis Aurelio Contin
Luis Aurelio Contin
Reply to  Samuel
3 dias atrás

Países subdesenvolvidos não tem tecnologia para tal. Drones como os da reportagem requerem um sistema de GPS, próprio. Países subdesenvolvidos não tem. Nós hoje, com o que temos, não dá nem para garantir a inviolabilidade de nosso espaço aéreo.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
4 dias atrás

Rapaz… Só falta o batismo de fogo para provar o que tanto propagandeia neh?!?

Paulo Sollo
Reply to  Luiz Trindade
4 dias atrás

Como foi dito ao longo de toda a reportagem, o drone está em testes de desenvolvimento e integração de armamentos. Certamente que quando estiver apto para entrar em ação, os russos não deixarão de levá-lo à Síria para testá-lo em combate e aperfeiçoá-lo. Esta coisa de achar que tudo o que os russos e chinos fazem é propaganda enganosa é tolice infantil. Talvez seja até verdade em relação a alguma coisa, inclusive até os americanos tem coisas que não entregam o que prometem, mas duvidar da capacidade de desenvolvimento dos russos é ridículo, eles já provaram a tempos do que… Read more »

Last edited 4 dias atrás by Paulo Sollo
Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Paulo Sollo
4 dias atrás

Esta coisa de achar que tudo o que os russos e chinos fazem é propaganda enganosa é tolice infantil.
Concordo até um certo ponto. O ponto que sai do que é publicado como pode fazer e do que fez.

Andre
Andre
Reply to  Paulo Sollo
3 dias atrás

Me lembrei do t62, com seu pioneiro sistema de controle de tiro por infravermelho e sua propagada superioridade sobre os tanques ocidentais. Na primeira batalha que participou, devido a baixíssima precisão de seu canhão, a péssima movimentação de sua torre, pouca angulação de seu canhão, e falhas generalizadas do sistema de controle de tiro, tomou um cacete dos antigos centurions.

Paulo Sollo
Reply to  Andre
3 dias atrás

Aconteceu mas é um fato isolado. Isto se repetiu em seus sucessores? Não, todos sabem que na área de blindados os russos know how indiscutível e comprovado em combate.
Achar que eles não são capazes de ir além dos erros é coisa de mickeyboy.

O então super moderno F-4 Phantom tomou um cacete no Vietnã, com 445 perdas, sendo 382 em combate, tendo abatido 107 MiGs.
Pode-se tomar isto como exemplo para dizer que os EUA fazem propaganda enganosa de todos os seus caças?

Andre
Andre
Reply to  Paulo Sollo
2 dias atrás

Isso se repetiu com os t72 no Iraque, mas os EUA tinham grande supremacia. Não houve nenhuma outra batalha entre blindados soviéticos e ocidentais onde a supremacia numérica estava com os sovieticas.

No Vietnam a estupenda maioria dos aviões americanos foi derrubada por SAMs, não pelos migs. Dos ~ 500 f4 perdidos, menos de 10% foram perdidos em combates aéreos. Além disso, temos o exemplo do f14 com um kill rate de 25:1 na guerra Irã Iraque.

O site migflug tem os registros de maneira em clara: https://migflug.com/jetflights/the-combat-statistics-for-all-the-aircraft-currently-in-use/

Kemen
Kemen
Reply to  Andre
3 dias atrás

Utilizando a mesma alternativa usada por alguns colegas em relação ao F-35, $$$$$

T-62 – 22.600 produzidos.

Centurion – 4.400 produzidos.

Muito ruim mesmo. kkkkkkk

Eita fanbritish!

Last edited 3 dias atrás by Kemen
Andre
Andre
Reply to  Kemen
2 dias atrás

E mesmo tendo produzido tantos, mesmo colocando grande superioridade numérica no campo de batalha, perdeu feio. Quando começarmos a ver f35 cair aos montes, como os t62 foram abatido em golã, então poderemos comparar o f35 ao t62.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Andre
3 dias atrás

Isso aí foi burrice dos árabes que compraram um tanque que era adequado para as planícies européias.

Andre
Andre
Reply to  Defensor da liberdade
2 dias atrás

Nisso concordamos, foi burrice dos árabes acreditarem na propagando soviética.

Alias, até os soviéticos usaram o t62 em terrenos montanhosos, tendo sido o principal tanque soviético na invasão ao Afeganistão, perdendo uns 300 veículos durante este conflito. Pena que você não pode voltar no tempo e avisar aos soviéticos que seu tanque não é adequando à terrenos montanhosos.

100nick-Elâ
100nick-Elâ
Reply to  Luiz Trindade
4 dias atrás

Pois é…o drone norte-americano já passou pelo batismo de fogo…sendo abatido pelo Irã….kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  100nick-Elâ
3 dias atrás

Eram um drone de vigilância/espionagem.

Foxtrot
Foxtrot
4 dias atrás

Parabéns Rússia!

Andre
Andre
3 dias atrás

” é capaz de atingir autonomamente alvos estacionários no solo e restritamente alvos móveis com coordenadas previamente conhecidas”

Realmente é uma capacidade impressionante atingir alvos estacionários. Que saudades da urss.

Sergio Machado
Sergio Machado
Reply to  Andre
3 dias atrás

Era um teste com bomba suja, meu caro. Não misture funda com bunda.

Last edited 3 dias atrás by Sergio Machado
Eduardo
Eduardo
Reply to  Sergio Machado
3 dias atrás

Bomba suja = Bomba burra?

Bosco
Bosco
Reply to  Eduardo
2 dias atrás

Não! Bomba burra é uma bomba não guiada. Bomba suja se refere a uma bomba explosiva convencional mas com alguma quantidade de material radiativo que é espalhado pela explosão.
Não faz parte do arsenal de nenhum país mas seu uso é temido em atos terroristas.

Andre
Andre
Reply to  Sergio Machado
2 dias atrás

Bomba suja? Poderiam ter passado um paninho nela, não?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Andre
3 dias atrás

“Autonomamente”

Ou seja atacar de forma automática, sem intervenção humana, me diga que outro equipamento faz isso?

Andre
Andre
Reply to  Defensor da liberdade
2 dias atrás

Tem um blog muito bom sobre tecnologias e equipamentos aéreos que a pouco apresentou uma matéria sobre bombas americanas que, de maneira automática, selecionam os alvos durante o vôo. Não sei se você conhece esse blog então vou deixar o link da matéria:

https://www.aereo.jor.br/2021/01/12/usaf-demonstra-capacidade-de-sdbs-colaborarem-entre-si-para-priorizar-alvos/

Neste blog tem um campo de busca e lá você poderá se informar sobre os drinks skyborg e loyal wingman. O blog é muito bom, recomendo.

Bosco
Bosco
Reply to  Defensor da liberdade
2 dias atrás

Vários. Atacar alvos fixos ou móveis estacionarios, de forma autônoma, com coordenadas pré inseridas ou recebidas via data link é mais antigo que doce de abóbora com formato de cachorrinho.
Mais difícil é atacar alvos se deslocando ou estacionário não previstos, de forma autônoma.

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
3 dias atrás

Pra mim esse treco é feito de plástico, tem participação iraniana, norte coreana e o controle dele é o mesmo que usavam em carrinhos de controle remoto que apertando ele vai pra frente, soltando ele vai pra trás.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
2 dias atrás

Parece fato incontestável esses veículo farão parte das novas doutrinas para emprego nos cenário de combate moderno.