Home Aviação de Transporte Hungria compra duas aeronaves multimissão KC-390 Millennium

Hungria compra duas aeronaves multimissão KC-390 Millennium

6761
217

Budapeste, Hungria, 17 de novembro de 2020 – O Governo Húngaro e a Embraer assinaram hoje um contrato para a aquisição de duas aeronaves de transporte multimissão de nova geração Embraer C-390 Millennium, na configuração de reabastecimento aéreo (AAR), designado KC-390. Além disso, estão contemplados no contrato treinamento de pilotos e técnicos, bem como outros serviços e suporte. A aquisição é parte do processo de fortalecimento das Forças Armadas da Hungria, especificamente nas funções de transporte aéreo tático, AAR e evacuação médica, bem como em outras missões de interesse público. As entregas estão programadas para começar em 2023.

“Após a aquisição de aeronaves de transporte aéreo de pessoal em 2018, a aeronave KC-390 será entregue à Hungria, em 2023 e 24, com capacidade tanto de lançar grandes cargas militares em um ambiente operacional como de reabastecimento aéreo. Estamos adquirindo uma frota de transporte multimissão para que as Forças Armadas da Hungria cumpram, de maneira soberana, a mais ampla gama de tarefas no âmbito nacional”, disse Gáspár Maróth, Comissário do Governo para o Desenvolvimento da Defesa.

“Estamos honrados por termos sido selecionados pelo Governo Húngaro e pelas Forças Armadas da Hungria para fornecer a aeronave de transporte multimissão mais avançada disponível no mercado”, disse Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “A Hungria é a segunda nação europeia e membro da OTAN a selecionar o C-390 Millennium, uma aeronave altamente capaz que oferece excelente produtividade por meio de combinação incomparável de velocidade, carga útil e reconfiguração rápida para operações multimissão.”

O KC-390 para as Forças Armadas da Hungria será o primeiro do mundo com a opção de configuração para Unidade de Terapia Intensiva, recurso essencial para o desempenho de missões humanitárias. A aeronave atende plenamente aos requisitos das Forças Armadas da Hungria, podendo realizar diversos tipos de missões militares e civis, incluindo Apoio Humanitário, Evacuação Médica, Busca e Resgate, Transporte de Carga e Tropas, Lançamento de Carga de Precisão, Operações de Paraquedistas e AAR.

Estes KC-390 são totalmente compatíveis com as operações da OTAN, não apenas em termos de hardware, mas também em sua configuração de aviônica e comunicações. Além disso, o sistema de reabastecimento do KC-390, de sonda e cesto, permite à aeronave reabastecer o JAS 39 Gripen húngaro, bem como outras aeronaves que usam a mesma tecnologia.

Na sequência de imagens, exemplos de configurações de carga do KC-390:
7 pallets 463L (dois deles sobre a rampa); 3 veículos
Humvee; 1 veículo blindado LAV-25; 1 helicóptero Blackhawk, 
entre outras possíveis

O C-390 Millennium está totalmente operacional e, desde o recebimento da primeira aeronave, em 2019, a Força Aérea Brasileira utilizou o avião em diversas missões críticas no Brasil e no exterior com alto grau disponibilidade. Adicionalmente, o Governo de Portugal assinou um contrato para a aquisição de cinco C-390 Millennium em 2019 que se encontram atualmente na linha de produção e estarão em serviço em 2023.

O C-390 é um jato de transporte tático projetado para estabelecer novos padrões em sua categoria. Alguns dos pontos fortes da aeronave são a mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia comprovada de última geração e manutenção mais fácil.

O C-390 Millennium e a variante KC-390 voam mais rápido e carregam mais carga e são as plataformas ideais para os principais cenários de utilização. Um número minimizado de inspeções e manutenção sob demanda, combinados com sistemas e componentes altamente confiáveis, reduzem o tempo da aeronave no solo e os custos totais da operação, contribuindo para níveis de disponibilidade excelentes e baixo custo do ciclo de vida.

Cockpit do Embraer KC-390
Vista em corte do KC-390. Clique na imagem para ampliar
Vista em corte do KC-390. Clique na imagem para ampliar

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest
217 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ferreras
Ferreras
12 dias atrás

Uma excelente notícia! Principalmente em um ano tão desafiador para a Embraer.

Já é o segundo operador na Europa e com boas possibilidades de um terceiro (Suécia) no médio prazo.

Nilo
Nilo
Reply to  Ferreras
12 dias atrás

Ucrania vendeu até o momento UM AN-178 para o Perú.
EMBRAER empresa que era a maravilha, depois passou a ser, de uma hora para outra, descartável, incapaz de competir no mercado, só sobrevivia se fosse vendida.
Quem é o FRACASSADO, a Embraer?

Last edited 12 dias atrás by Nilo
Helio Val
Helio Val
Reply to  Nilo
12 dias atrás

Boa tarde a todos!
Há alguns anos eu até cheguei a imaginar uma possível proposta de joinventure entre a Embraer e a Ucrânia pra desenvolver cargueiros pesados.
Mais depois do fiasco do acordo ACS eu declinei.
Na época disseram, não oficialmente, que teve pressão russa. A invasão da Criméia só veio depois..
Peru gosta de material daquelas bandas, o que leva a crer que atendem a necessidade.
Saudações!

Nilo
Nilo
Reply to  Helio Val
12 dias atrás

Helio Val, congratulações. Vc acaba de tocar em um ponto importante. Acordo ACS, decisão nada Técnico. Foi a pá de cal PEB. 17 anos se passaram da explosão VLS. NADA fizemos que tivesse a altura do VLS. A FAB não tem RECURSOS para dar andamento DIGNO ao Programa. Quase NADA se divulga. Fica a lição: Qdo. se dar voz a um corpo técnico “COPAG” temos o GRIPEN e suas consequencias no domínio do conhecimento e Indústria. Sem essa história de projetinho de responsabilidade social que não é função profícua. Sem essa história de “Paga Imposto”, sendo que o dinheiro é… Read more »

Pablo
Pablo
Reply to  Helio Val
11 dias atrás

sobre o Peru gostar de de material daquelas bandas, a força aérea deles conta com os migs e ainda tinham dois mi-26, que foram vendidos em outubro, se não me engano.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Nilo
11 dias atrás

No processo de compra do AN-178 a Embraer não pode participar por não ter o projeto pronto, a Antonov entrou com o AN-178 que é a evolução AN-158, mas também não estava pronto. Terminou que a FAB já recebeu seus primeiros KC-390 e o AN-178 ainda estava em fase de testes para ser entregue ao Peru!

Nilo
Nilo
Reply to  Fabio Araujo
11 dias atrás

Fábio, congratulações. Atualizando. Esse vídeo é 3 meses passado, pouco avançou (coronavirus). Observe condições de tecnologia aplicada na montagem comparando com da Embraer.
https://www.facebook.com/TakeOffPeru/videos/633387660944837/?redirect=false

Sagaz
Sagaz
Reply to  Nilo
11 dias atrás

E um detalhe, antes o Brasil se associava a governos e emprestava dinheiro, investia nesses países. Agora nós associamos a governos para quem vendemos…

Nilo
Nilo
Reply to  Sagaz
11 dias atrás

Sagaz, congratulações. Reflexão. (considerando seu raciocínio) Nós estamos nos associando ao nosso maior parceiro comercial com ampla margem sobre o segundo?É passado o viés ideológico?
Confesso que me supreendi com reafirmação General Pujol “exercíto não quer fazer política”, Na Defesa da República e Constituição.
À FAB falta recursos. À PEB NADA.

Last edited 11 dias atrás by Nilo
Miguel Brandão
Miguel Brandão
Reply to  Ferreras
12 dias atrás

Se eu não estiver enganado há a possibilidade de aquisição pela República Tcheca do C390.

Samuca cobre
Samuca cobre
Reply to  Ferreras
11 dias atrás

Tomara que você esteja certo!!! Demorou um pouco, mas agora as vendas vão disparar

OSEIAS
OSEIAS
12 dias atrás

Vai que vai KC-390.
Para quem estava falando que só Portugal e Brasil que iriam operar, está ai a resposta. Mais um membro OTAN. Parabéns Embraer, parabéns FAB, parabéns Brasil.

Teropode
Reply to  OSEIAS
12 dias atrás

Será o cargueiro padrão médio da OTAN .

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Teropode
12 dias atrás

Amém!!!

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Rodrigo M
12 dias atrás

Amém!!! 2

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Teropode
12 dias atrás

Se os EUA não criarem empecilhos assim como fizeram com o Osório. Mas seria sensacional ver vários países da OTAN adotando o KC-390 como padrão.

Bardini
Bardini
Reply to  Allan Lemos
12 dias atrás

Se os EUA não criarem empecilhos assim como fizeram com o Osório”
.
Quais foram os empecilhos???

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Bardini
12 dias atrás

Forte pressões diplomáticas em cima da Arábia Saudita.

Bardini
Bardini
Reply to  Allan Lemos
12 dias atrás

Pressão? . A pressão diplomática tem nome e sobrenome: Desert Storm. . O Brasil, militarmente, não fede nem cheira para a Arábia Saudita. . O Osório só foi melhor avaliado que o M1A2 (que era um modelo recente e muito mais moderno que o já estável M1A1. tanto é que é por isso que o M1A2 não foi bem lá no deserto) e só serviu pros Sauditas negociarem mais vantagens no pacotão de armas que eles compram além dos Abrams… . Pesquise o pacotão de armas que os americanos venderam, além do Abrams. E os americanos estão lá até hoje.… Read more »

Last edited 12 dias atrás by Bardini
Gonçalo Jr
Gonçalo Jr
Reply to  Bardini
12 dias atrás

Tem mais. Após a Desert Storm milhares de armamentos incluindo aí os Abrams foram praticamente doados pelos EUA à Arábia Saudita. Era muito mais barato doa-los do que levar tudo de volta. Um dos engenheiros da Engesa que participou ativamente dos testes do Osório, tanto do P1 quanto do P2 declarou isso. O engenheiro é o Riccardo Furlan.

Conan
Conan
Reply to  Gonçalo Jr
12 dias atrás

Furlan foi meu colega na Engesa, trabalhei no projeto do Osorio nessa época (1987-89) no escritório central em Tamboré..

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Gonçalo Jr
11 dias atrás

Ficou mais barato deixar os equipamentos lá por um preço irrisório do que levar de volta aos EUA!

Junior
Junior
Reply to  Bardini
12 dias atrás

Fora que a época o Osório era apenas um protótipo, os sauditas não podiam esperar, queriam os tanques para ontem naquela época, pois Saddan estava bufando no cangote deles

Salomon
Salomon
Reply to  Bardini
12 dias atrás

Puxa, que legal…..parabéns..mas…o que tem o KC com isso? O tópico é bem específico.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Bardini
12 dias atrás

Concordo em todos os pontos com o sr. Bardini. Pressão ?Só se for da panela aqui de casa. Esse papo do Osório não tem fim, mesmo para exemplificar. O Osório está morto, enterrado, virou sucata, pó de ferro. Fazer pressão? País cujo exército não tinha dinheiro( e não tem) para adquirir seu próprio material bélico. Vergonha, ontem , hoje e sempre.

Maurício Veiga
Reply to  sergio ribamar ferreira
11 dias atrás

Não só sofreu como continua sofrendo pressão por parte do governo Americano, veja o projeto AMX que alem de embargos de aviônicos e armamentos também sofreu
embargo de exportação!!! O Osório passou pelo mesmo processo além da já conhecida dependência de fornecedores externos e digo mais, se o Brasil optar por desenvolver armamento Nuclear a EMBRAER simplismente deixará de existir assim como a ENGESA devido a dependência de fornecedores externos associados a empresas Americanas, simples assim…

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Bardini
12 dias atrás

Então não conhece a história (com H), sobre os documentos que se tornaram público, das articulações dos EUA em minar o desenvolvimento da indústria militar nacional, ainda nos anos 1980, justamente, por nós começarmos a incomodar com o fornecimento de material bélico no oriente médio… A operação Tempestade no Deserto não foi o motivo e sim o desfecho (ou a pá de cal) no processo….

Marcos10
Marcos10
Reply to  Allan Lemos
12 dias atrás

Fortes pressões diplomáticas em cima do Brasil também, que não comprou nenhum Osório.

ERNANI BORGES
ERNANI BORGES
Reply to  Bardini
12 dias atrás

concorrência desleal.

Teropode
Reply to  Allan Lemos
12 dias atrás

Aviões de cargas geralmente preocupam menos , já os caças despertam mais cautela , ora por serem aeronaves de combate ou pela aviônica especializada . A eletrônica é americana mas são comuns em aeronaves civis , boa parte delas . Vão ganhar também .

Helio Val
Helio Val
Reply to  Teropode
12 dias atrás

Boa tarde a todos!
Não duvido se tornar não.
E tem algo que chama a atenção é que, como a matéria cita, atender a Hungria que já opera os gripens. Nisso acaba facilitando também para a Tailândia adquirir além de outros.
Embraer em matéria de inovação tá de parabéns.
É o que a fará sair mais forte destes tempos difíceis.
Saudações!

Marcelo M
Marcelo M
12 dias atrás

Notícia muito boa. O Brasil consegue desenhar e produzir aviões de altíssima qualidade, e mesmo sem o lobby armamentista forte, consegue vender com base na qualidade do produto, apenas. Nada nos dá mais orgulho que isso!

GFC_RJ
GFC_RJ
12 dias atrás

Duas maravilhas da humanidade.
KC-390, avião lindo!
O Parlamento de Budapeste, palácio maravilhoso! Mais bonito que o de Londres.

rodrigo
rodrigo
Reply to  GFC_RJ
12 dias atrás

umas das cidades mais bonita que já conheci…povo animado lá…conseguir acompanha os hungaros na bebida não…kkk

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

Com um abraço todo especial para aquela turma que dizia que o KC-390 só seria vendido para o Brasil e para Portugal.

Beijinho no ombro!

Pablo
Pablo
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

hahahahaha
os contra vão pirar hahahahahahahaha

Gustavo
Gustavo
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

hahahahaa boa

Wagner
Wagner
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

Cara, que bom que eu estava errado! Esperemos que não fiquem só nessas duas.

Viva a Liberdade
Viva a Liberdade
Reply to  Wagner
12 dias atrás

Você erra 90% das vezes.

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

Mesmo assim nao acredito que venha a ser um sucesso… a Hungria esta muito mal vista dentro da UE, alem de que faz essa compra porque é dos poucos paises alinhados com bolsonaro… a Polonia tambem

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Olá Rui, o que importa aqui é a venda e si, os militares costumam ser mais pragmáticos quanto a equipamentos e o KC-390 foi escolhido por ser o melhor, não por alinhamento ideológico politico. Quando ele for entregue pode ser que Bolsonaro nem esteja mais no poder em 23, pois haverá eleições presidenciais nesse período. Isso garantirá os empregos e renda aos trabalhadores. KC-390 é um marco da engenharia aeronáutica brasileira portuguesa e dos demais países envolvidos no projeto, ele é de longe o melhor produto com o melhor custo beneficio e ciclo de vida. O seu concorrente que foi… Read more »

Thiago
Thiago
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Prezado Rui , afinidade ideologica pode ate existir, mas são fases que passam com um piscar de olhos, é apenas um complemento, diria algo efêmero considerando as oscilações das democracias( veja se o erro do atual governo de procurar alianças ideológicas e não institucionais, Trump se foi sem nenhum benefício para nós ) – ainda mais latinas, algo não suficiente para emplacar vendas de produtos desse porte , não é certamente um fator decisivo. Fato é que o produto em si possui um alto perfil qualitativo e comercial reconhecido no mercado , valor intrínseco do produto e da marca com… Read more »

Paulo Siqueira
Paulo Siqueira
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

E poucas pessoas se alinharam a sua opinião pelo visto!

fewoz
fewoz
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Pff, já virou hobby seu vir aqui menosprezar e diminuir a Embraer. Inacreditável! Se vai ser um sucesso, ninguém sabe, até porque o significado de “sucesso” é muito relativo. Agora entendo porque dizem que portugueses são pessimistas… De qualquer forma, é preciso que um governo de verdade assuma o Brasil e faça um lobby poderoso mundo afora.

Luciano
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

O famoso espalha roda.

Helio Val
Helio Val
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Olá Rui!
Nessas horas o tom das conversas entre os líderes muda diametralmente.
Só como exemplo, eu cito a recente ida de ministro da Indonésia ao pentágono pra tentar os f35. EUA quer vender outros f16. O detalhe é que o mesmo estava proibido de entrar nos EUA por violações dos direitos humanos e foi suspensa só pra isso.
Além disso, boa parte das vendas americanas são na base da pressão e não de afinidades políticas, ideológicas, etc.
Até porque, se EUA não vende os arquirrivais vendem.
Saudações!

Helio Val
Helio Val
Reply to  Helio Val
12 dias atrás

E só pra comprovar que quando se fala em dinheiro as conversas mudam: a China acaba de anunciar um acordo comercial com 12 países da Ásia; dentre eles está o Japão e a Índia, e vários circunvizinhos que estão se armando justamente com receio da China.
Outro exemplo interessante é a Turquia. Queria sistema de defesa dos EUA e caiu nas mãos da Rússia. Será que EUA não está arrependido de ter negado seus sistemas?

MMerlin
MMerlin
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

E que o STOUT mantenha o mesmo nível de projeto bem sucedido.
Mesmo não contando com o apoio e lobby dos grandes players, acredito que a Embraer e o KC-390 abrirão ainda várias portas devido a qualidade da aeronave.
Seu abraço ganhou mais um participante.

Caerthal
Caerthal
Reply to  MMerlin
12 dias atrás

Acredito que STOUT terá substancialmente mesmo cockpit do KC-390.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  MMerlin
11 dias atrás

Por ser menor vai entrar num mercado que tem vários competidores, mas por ser híbrido pode terminar levando alguma vantagem, só me preocupa o fato de ter 4 motores o que pode encarecer a manutenção, mas os motores elétricos são de manutenção mais simples pode ser que economia gerada em combustível compense o custo extra dos motores elétricos.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Fabio Araujo
11 dias atrás

Motores elétricos quase não exigem manutenção. Certeza que compensa. Se não fosse por isso a Embraer não seguiria com o projeto.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

2!!!

Helio Val
Helio Val
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
12 dias atrás

Boa noite! Eu vou além…
Se Brasil e Hungria, “coincidentemente” vão de gripen “e” kc390, e Portugal ta vendendo f16 prava Romênia e ao mesmo tempo compra o kc390…; Será factível deduzir que Portugal também irá de gripen?
Saudações!

Fernando
Fernando
12 dias atrás

Grande vitória da Embraer e do KC390. Primeira venda fora dos parceiros do programa e demonstra que há espaço para ele.

Quanto mais operadores mais a aeronave vai mostrando suas qualidades.

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
12 dias atrás

Excelente noticia!!!! Avante EMBRAER

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Funcionário dos Correios
12 dias atrás

AVANTE Embraer. AVANTE Correios também, que se Deus quiser ano que vem será privatizado.
Brasil mal consegue lidar com a defesa, saúde e educação e quer entregar cartas ?

Last edited 12 dias atrás by WELLINGTON RODRIGO SOARES
Edu
Edu
12 dias atrás

Que excelente!!!! Olha a Embraer conquistando o segundo cliente da Otan…

Orgulho para o Brasil exportar tecnologia de ponta.

Edu
Edu
12 dias atrás

Chupa, Lockheed.

Pablo
Pablo
Reply to  Edu
12 dias atrás

kkkkkkk

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Edu
12 dias atrás

O vovô C-130 fez muitas plásticas, andou malhando, tem poder econômico, mas segue sendo um vovô sem muito futuro pela frente. Está na hora de um substituto e ele se chama C-390.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Adriano RA
11 dias atrás

O C-130 evoluiu muito e ainda tem muito mercado, é um produto excelente que ainda tem muito para dar, mas o KC-390 veio para ser um forte concorrente para o C-130 vai ser uma boa briga e que vença o melhor ( KC-390)!

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Edu
12 dias atrás

2! e chupa boeing também

Ted
Ted
Reply to  Saldanha da Gama
12 dias atrás

E dizer que 49% desta venda iria para a Boeing que não ajudou no projeto. Nunca entendi essa sociedade da mula doida

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Ted
12 dias atrás

Ter,você confundiu ! A Embraer Defesa e Segurança não estava no pacote, era a Embraer Comercial Jets. A parceria com a Boeing em relação ao Kc-390 era na consultoria e apoio nas vendas!

Ted
Ted
Reply to  Marcelo Andrade
12 dias atrás

Parceria comercial era 20% Embraer e 80% BOEING

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Ted
11 dias atrás

Ted, mais ou menos. A joint venture do KC-390 era uma sociedade que não envolvia o projeto nem a fabricação, apenas vendas. Seria como uma “concessionária de automóveis” específica do KC.
Enfim… Mas isso hoje é futuro do pretérito.

Teropode
Reply to  Edu
12 dias atrás

🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣👍

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Edu
12 dias atrás

Chupa Lockheed 3 kkkkkk

Last edited 12 dias atrás by Carlos Campos
Helio Val
Helio Val
Reply to  Edu
12 dias atrás

Kkkk…
Tu não provoca…
Os caras tão quietos; melhor deixar assim.
Kkkk.
Saudações

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
12 dias atrás

Como já disse outras vezes, o desempenho comercial do KC-390 será similar ao do Super Tucano.
Uma encomenda substancial da FAB para viabilizar o projeto e, após alguns anos, vendas pequenas para clientes menores, mas que são suficientes para manter a linha de produção, gerar lucro, tributos e empregos.
E assim a Embraer vai comendo pelas beiradas e sobrevivendo no mercado.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

Torço por isso, Rafael!

Pablo
Pablo
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

Penso que assim que o KC-390 mostrar toda sua eficácia nesses primeiros clientes, o reconhecimento de outros membros da OTAN logo levará a clientes maiores.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Pablo
12 dias atrás

Pablo, quais clientes maiores você vislumbra?
Eu consigo pensar na Índia, apenas.
Os EUA podem fazer igual com Super Tucano: uma “promessa” de compra substancial que nunca chega.
Por mais que sejam de categorias distintas,o Atlas acaba prejudicando as vendas do KC-390 para os países “sócios” da Airbus.

Pablo
Pablo
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

Mas o Atlas é um avião que demonstrou problemas na motorização escolhida por politicagem, até onde sei.
A Alemanha, se não me engano, demonstrou interesse, espero que se concretize.

Junior
Junior
Reply to  Pablo
12 dias atrás

A Alemanha comprou junto com a França C-130J Hercules

“A Força Aérea Francesa opera atualmente quatro modelos C-130J Super Hercules (2 reabastecedores KC-130J e 2 aviões de transporte estendidos C-130J-30), juntamente com 14 dos modelos C-130H Hercules mais antigos (incluindo 7 C-130H-30s esticados). A Força Aérea Alemã está adquirindo três C-130J-30s e três KC-130Js com entrega planejada para 2020-2021.”

Na Europa acho que a Embraer tem que focar no Leste Europeu, aonde as aeronaves de transportes de origem soviéticas estão bastante envelhecidas e precisam ser trocadas

Helio Val
Helio Val
Reply to  Pablo
12 dias atrás

Boa noite!
O caso da Alemanha é emblemático.
Tecnicamente escolheram o kc390 como o melhor, mais a política mudou os rumos.
Pra piorar sempre tem a influência da França, não necessariamente da Air bus.
Repare que todos os projetos da França puxam os alemães pra perto.
Eu gostaria de ver eram os britânicos comprando.

Saudações

Junior
Junior
Reply to  Helio Val
12 dias atrás

Os britânicos não vão comprar, eles tem 14 C130 J novos, além dos A400 e dos C17, eles estão muito bem servidos de aeronaves de transportes e a maioria dessas aeronaves foram compradas recentemente, mas acredito que tenhamos chance na Irlanda que não tem aeronaves de transportes desse porte e estavam pensando em adquirir, o KC 390 esteve por lá em um desses tours pela Europa, eles estavam pensando em adquirir duas aeronaves, parece pouco, mais de duas em duas a Embraer vai enchendo a carteira de pedidos e preenchendo o espaços na linha de produção.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Helio Val
10 dias atrás

Primeira vez que vejo essa estória da Alemanha ter selecionado o 390 por critérios técnicos. Se ocorreu foi algo tipo, secreto. Vc tem alguma referência, publicação ou site com essa informação:
A Alemanha comprou o 130 para operar uma unidade multinacional com a França. Não teria sentido comprarem aviões diferentes. Além do mais, queriam aviões capazes de reabastecer helicópteros, coisa que o KC 130 faz há anos, ao contrário do 390, que ainda não realiza esse tipo de missão.

Helio Val
Helio Val
Reply to  EduardoSP
10 dias atrás

https://www.airway.com.br/alemanha-demonstra-interesse-no-embraer-kc-390/

Se tá no páreo com os novos Hércules é de se deduzir que os atendem tecnicamente.
No mínimo se equivalem, foi isso que quis dizer.
Li uma outra, mais tem tempo e não a encontrei, que falava mais especificamente; se encontra-la posto aqui.
Saudações!

Helio Val
Helio Val
Reply to  EduardoSP
10 dias atrás

Só pra completar: o kc390 transporta 1 tonelada a mais, porém voa em torno de 450 ou 500 km de distância pra as mesmas condições de transporte e vôo.
Não sei o que acham da comparação entre turboélice ou turbo jato.
Até porque teria que ver em qual cenário planejam usa-los.
Saudações!

Helio Val
Helio Val
Reply to  Helio Val
10 dias atrás

450 a 500km a menos.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

Penso seriamente em países árabes e do sudeste asiático. Igualmente nos países do leste europeu, que possuem frotas antigas. Amigo, tem um mercado gigantesco e pulverizado a espera do C-390.

Junior
Junior
Reply to  Adriano RA
12 dias atrás

Exato, diria até que muito provavelmente a próxima venda do KC-390 vira de um país do Oriente Médio

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

O Atlas é uma aeronave de categoria completamente diferente da do KC-390.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Leandro Costa
12 dias atrás

É uma categoria acima, não é uma categoria completamente diferente, eis que ambas são aeronaves de transporte. Países menores e/ou com recursos escassos que compraram o Atlas não comprarão o KC-390 ou o C-130.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

Por exemplo, Bélgica e Espanha estão trocando seus C-130 por A400M.

Ted
Ted
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

Comércio internacional é uma estrada de mão dupla. 15 c295 e 36 gripen. Como é que fica?

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Ted
11 dias atrás

Não necessariamente é uma via de mão dupla. Depende do que foi acordado na compra.
Se o Brasil não exigiu a compra de aeronaves pela Espanha e Suécia quando comprou o C295 e o Gripen, eles não obrigados a comprar nada agora. Aposto que a Espanha não irá comprar o KC-390. A Suécia talvez compre daqui alguns anos, mas acho que ela irá fazer uma licitação em vez de uma compra direta da Embraer.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Rafael Oliveira
11 dias atrás

E ainda devem possuir para cargas menores em que o A-400 fique caro Alenia C-27J e/ou Casa C-295.

Last edited 11 dias atrás by Fabio Araujo
Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Rafael Oliveira
11 dias atrás

Os novos membros da OTAN que faziam parte do Pacto de Varsóvia que estão com uma frota de velhos cargueiros da antiga URSS que precisam ser substituídos e a Grécia, mas para os outros países europeus o concorrente é o A-400 pois eles estão aposentando os C-130 e ficando só com o A-400!

Pablo
Pablo
Reply to  Fabio Araujo
11 dias atrás

A Grécia, pelo menos, já opera Embraer.

Gaineth
Gaineth
Reply to  Pablo
12 dias atrás

É por aí…..

Vitor
Vitor
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

Acho que o KC-390 tem um potencial maior por não ser uma Aeronave que possua uma característica bélica no seu emprego direto. É uma aeronave multimissão de carga e isso abre muito mais portas.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Vitor
12 dias atrás

Sim, há maior necessidade por aeronaves de transporte do que de aeronaves COIN ou caças turboélices.
Por outro lado, é uma aeronave bem mais cara e que enfrenta a concorrência de C-130 e aeronaves civis usadas e convertidas.
Ou seja, é um mercado maior, porém, mais concorrido.

nonato
nonato
Reply to  Rafael Oliveira
12 dias atrás

É característica da Embraer comer pelas beiradas.
O que é muito bom.
Sem pretensão de ser a maior ou melhor.
Estilo SAAB.
Mas que vez por outra, dá umas boas mordidas no queijo.
Acredito que podem aparecer umas vendas mais substanciais.
De repente um país tipo Arábia Saudita, França, Canadá, Austrália, Inglaterra compra 20 aeronaves.
Não descarto até os Estados Unidos comprarem 100.
Estilo supertucano ou Fremm italiana.
Sendo bom e construído nos Estados Unidos, não é impossível.

nonato
nonato
Reply to  nonato
12 dias atrás

No caso de eventual compra pelos Estados Unidos, podem até exigir parceria com e fabricação pela Lockheed Martin.

Mayuan
Mayuan
Reply to  nonato
12 dias atrás

Parece complexo por ser a fabricante do concorrente. A Boeing era uma boa candidata pois ampliava seu portfólio e já mordia a concorrente. Não me espantaria se já houvesse algum tipo de entendimento com a Sierra Nevada à espera de possíveis oportunidades.

nonato
nonato
Reply to  Mayuan
12 dias atrás

Para a Embraer, o importante seria vender.
Falei até LM, pois eles também se beneficiariam da compra.
E os Estados Unidos só fariam isso se identificassem clara vantagem específica (economia, desempenho) ou para determinadas situações específicas e não como um substituto para o Hércules.
No caso da Fremm, a indústria americana tem plena capacidade de desenvolver uma fragata mas achou conveniente comprar um produto “pronto”e diante de alguns fiascos.
Lógico que já têm o Hércules.
Mas se virem alguma vantagem…
Igual aos mísseis noruegueses e vários equipamentos que eles compram da Saab, sem prejudicar a indústria deles.
São complementos pontuais.

marcos.poorman
marcos.poorman
12 dias atrás

Excelente notícia. Primeiro Portugal, agora a Hungria e quem sabe a República Tcheca confirmando sua compra é uma grande vitrine para Embraer na OTAN.

Pablo
Pablo
12 dias atrás

Não tem palavras pra descrever essa notícia, aos poucos o KC-390 está ganhado clientes.
Assim que esses membros da OTAN começarem a usarem o avião brasileiro em exercícios e missões, a fama e o mercado só vai crescer, afinal, Embraer já é reconhecida pela sua excelência!

Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
12 dias atrás

Parabéns a FAB e a Embraer!

E a toda engenharia que de uma ideia, um sonho se fez o vôou cada vez mais alto e mais longe.

Que seja o começo de várias vendas e produção.

Last edited 12 dias atrás by Grozelha Vitaminada Milani
Diogo
Diogo
12 dias atrás

Embraer colocando a cabecinha, logo entra a pyroca de vez nas vendas deste avião sensacional. Bora continuar com os desenvolvimentos e parcerias com países amigos. Excelente notícia!

peter nine nine
peter nine nine
Reply to  Diogo
12 dias atrás

Claramente o meu cérebro português tem mais tolerância a asneiredo do que os cérebros destes 30 brasileiros.

Caguei a rir.

Fez-me lembrar do Wolf of Wall Street, quando o Di Caprio “engata” o cliente pelo telefone ao mesmo tempo que executa uma coriografia humorista em que vai ao rabo desse mesmo cliente ª_ª ^_^… Se essa for a estratégia da Embraer, não estamos mal.

minuto 4.50
https://youtu.be/hGffH8LrGcQ?t=290

A C
A C
Reply to  Diogo
12 dias atrás

Saudades dos tempos em que os comentarios da Trilogia eram mais tecnicos e respeitosos. Havia ateh regras de conduta. Uma pena pois tenho cada vez mais desanimo e desinteresse de frequentar aqui. Por certo implicancia minha mas jah vi mentes mais brilhantes por aqui. Lamentavel.

C. Silva
C. Silva
12 dias atrás

Bom… então quer dizer que a Boeing chegou aqui, escolheu o nome Millennium (em vez de Zeus, que iria “superar” o nome do Hércules deles) e simplesmente foi embora?
Hum…

Fernando
Fernando
Reply to  C. Silva
12 dias atrás

MIllenium não foi escolha da Boeing… que coisa… Chega de espalhar fake news.

Caio César
Caio César
Reply to  Fernando
12 dias atrás

E se realmente tivessem feito isso, estariam certos. Dar o nome de “Zeus”, como ele disse seria uma mera tentativa de provocação barata ao concorrente

Fulcrum
Fulcrum
12 dias atrás

Interessante que o humvee já não é mais padrão a alguns anos, foi aposentado faz tempo. Tem que atualizar essas fotos e dados de capacidade.

Guilherme Poggio
Reply to  Fulcrum
12 dias atrás

Ainda tem muuuuuito Humvee no mercado e onde cabe um deles, cabe um LMV por exemplo. É só um exemplo de utilitário 4×4 de grande porte. Uma referência mundial em tamanho.

Teropode
Reply to  Guilherme Poggio
12 dias atrás

Não não , barriga colada no chão , o humvee é um pato para Minas terrestres .

Guilherme Poggio
Reply to  Teropode
12 dias atrás

Não foi desenhado para esse propósito. Nunca foi um veículo de combate. Os projetistas do Humvee previam apenas a utilização dos mesmos bem atrás das linhas amigas.

Bardini
Bardini
Reply to  Guilherme Poggio
12 dias atrás

Os JLTV tem uma suspensão que pode ser rebaixada para facilitar o transporte:comment image?fit=around%7C875:492

Fulcrum
Fulcrum
Reply to  Guilherme Poggio
11 dias atrás

Interessante. lmv não é tão maior. Boas colocações

Carlito
Carlito
12 dias atrás

O avião é bom e o fabricante é bom, e isso por si só já garante o caminho do sucesso. É bem verdade que o mercado de produtos militares possui certas características peculiares, envolvendo relação direta entre governos e lobistas. De qualquer forma, com ou sem lobby, o produto é suficientemente atrativo para conquistar bons clientes. E como descendente de portugueses e também de húngaros, fico ainda mais feliz. Só faltaria uma encomenda da Itália para que o KC-390 voasse nas cores dos três países de onde vieram meus antepassados!

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

parabens… mesmo assim nao acredito que venha a ser um sucesso…

Last edited 12 dias atrás by Rui Manuel Fernandes Palmeira
MSomoz
MSomoz
Reply to  Alexandre Galante
12 dias atrás

Nesse caso não é falta de fé. É a força negativa torcendo contra mesmo. hahaha.

Last edited 12 dias atrás by MSomoz
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Alexandre Galante
12 dias atrás

É duro quando não entendem a piada. Estamos ficando velhos! LOL

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

sim, trata-se de fe… a Embraer é uma religião e o “kece” um deus???? valha-me deuses

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Português invejoso

V12 aero
V12 aero
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Cara vc tem sérios problemas psicológicos, procure um tratamento e para de falar bobagens.

LEONARDO CORREIA BASTOS
LEONARDO CORREIA BASTOS
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Todo povo precisa de Fé e de Símbolos “sagrados”! Os que os perderam foram (ou estão) se apagando na História…

Salim
Salim
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Rui, VC e assim mesmo ou ta fazendo tipo, solte comentários coerentes. Só com encomenda FAB já e sucesso, com novos pedidos já tem lucro razoável para Embraer e Brasil. Acorda pois VC esta caindo em descrédito de seus comentários. Se VC escrever algo que preste VC vera tudo melhorar.

MSomoz
MSomoz
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Sucesso já é. Foram projetados para a FAB. A FAB está pagando. Agora foram vendidos 7 a mais.
Já tá dando lucro. Eu acho.

Se vai ser um MEGA sucesso. Só o tempo dirá.

Teropode
Reply to  Rui Manuel Fernandes Palmeira
12 dias atrás

Isso é masoquismo meu irmão !

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
12 dias atrás

Uma excelente notícia. O Leste europeu está faminto por aeronaves de transporte como o Millennium para renovar o que existe por lá. Agora vai!!!

Last edited 12 dias atrás by Joao Moita Jr
Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
12 dias atrás

Muito bom vender pela Embraer mesmo.

Mostra que há vida e podem voar sem a Boeing.

Embraer calando os críticos.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Grozelha Vitaminada Milani
12 dias atrás

Bom começo. Os Magiares são guerreiros notáveis. Escolhem boas armas.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Luiz Floriano Alves
12 dias atrás

Attila The Hun

Anfibio
Reply to  Joao Moita Jr
12 dias atrás

Existe uma brecha de 400 anos entre o ultimo dos Huns e os primeiros que os historiadores nao conseguem preencher…

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Grozelha Vitaminada Milani
12 dias atrás

Pois é, mas fala isso para os políticos e todos os outros “especialistas em aviação”(alguns presentes aqui no site), que acreditaram naquela ladainha da Boeing de que “a Embraer precisa ser vendida, não sobrevive sozinha”.

Gabriel
Gabriel
12 dias atrás

Excelente notícia.

Enquanto isso, da (“amiga, parceira, irmã”) Argentina nada!

Marcos10
Marcos10
Reply to  Gabriel
12 dias atrás

Ainda bem!
A venda seria “financiada” pelo Governo do Brasil, que nunca mais irá reaver o dinheiro.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Marcos10
12 dias atrás

Muito em breve esse “Governo do Brasil” não vai mais poder financiar nem sequer a sua própria existência.

Teropode
Reply to  Marcos10
12 dias atrás

É porque somos autosuficientes em trigo kkkkk, besteira , vendam 4 para os hermanos é recebam em trigo é grana do mesmo jeito , da até preguiça pensar nisso ato e desconfiar que só eu tive esta ideia , trigo é ouro , trigo é o cereal mais procurado no universo .

Marcos
Marcos
Reply to  Gabriel
12 dias atrás

Meu sonho é acordar e descobrir que a Embraer, em um processo de reestruturação de suas fábricas, optou por encerrar o contrato com a FAdeA (que produz alguns componentes para o KC-390) e levar a produção para o Brasil ou Portugal (OGMA)

fresney
fresney
Reply to  Gabriel
12 dias atrás

So se fosse a vista!!! Ou um sinal de 50% de entrada e o restante quanto entregar!!!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Gabriel
12 dias atrás

A coitada da Argentina só pode comprar com o aval e financiamento da loja…

Frederick
Frederick
12 dias atrás

Sempre que, por um motivo ou outro, desacreditar em seu país, olhe para a história da Embraer.

Um exemplo de dedicação e competência.

Desejo sucesso nesse e em outros negócios vindouros.

Vicente Araujo
Vicente Araujo
12 dias atrás

KC390 vai ser sucesso de vendas que nem o A29 🇧🇷✈️

Clésio Luiz
Clésio Luiz
12 dias atrás

Eu estava imaginando esse tipo de coisa. Pessoal de força aérea, especialmente daquelas pequenas com pouco dinheiro, é bicho desconfiado. Enquanto o 390 era só protótipo, até mesmo se acidentando, deixava o povo com pé atrás. Os problemas com projetos novos como o Airbus A400, deixou gosto amargo na boca de muita gente.

Agora que o KC-390 está em serviço na FAB, completando as homologações, mostrando confiabilidade, as encomendas vão aparecendo. A medida que ele for demonstrando mais capacidades, como reabastecimento aéreo e pousos na Antártida e em pista de terra na Amazônia, as encomendas virão com mais ritmo.

OSEIAS
OSEIAS
12 dias atrás

Aos editores do canal, gostaria de saber porque toda opinião que aqui escrevo necessita de aprovação? Esse espaço é maravilho e prezo muito por ele, não ofendo ninguém, não uso palavras de baixo calão e inclusive tomo cuidado para não mencionar nomes e palavras chaves que de cara nos deixam em quarentena. Gostaria de saber se isso é comigo ou se tornou padrão para todas as opiniões aqui deixadas, pois não ocorria isso anteriormente. Pois se for comigo, saberei que não sou bem vindo nesse espaço. Abraços.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  OSEIAS
12 dias atrás

Amigo, volta e meia acontece comigo, lembro que meu comentário dando os parabéns ao Nunão ficou retido, dá p/ entender?

DIEGO TARSES CARDOSO
DIEGO TARSES CARDOSO
12 dias atrás

Interessante o binômio Gripen e Kc-390 que a Hungria expôs.

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
12 dias atrás

Que Bom ! Divisas para o Brasil e FAB !

Silvano
Silvano
Reply to  Ricardo da Silva
12 dias atrás

Biroliro agindo.

José de Souza
José de Souza
Reply to  Silvano
12 dias atrás

Só “age” se o pagamento for à vista…

Chico novato
Chico novato
Reply to  José de Souza
12 dias atrás

Ou em cheques, não, espera

Jhon
Jhon
12 dias atrás

Poderia fazer uma negociação com Suécia de um segundo lote de gripem com uma contra partida de um número de kC390.

Gabriel BR
Gabriel BR
12 dias atrás

As encomendas da FAB somadas as de Portugal e Hungria colocam o KC-390 numa posição privilegiada no mercado em pouquíssimo tempo.

LucianoSR71
LucianoSR71
12 dias atrás

Juntando algumas peças: o Ministro da Defesa revelou mês passado que as negociações c/ a Hungria estavam bem adiantadas e a Embraer revelou em um vídeo a 2 semanas que já havia obtido todos os certificados referentes a REVO de aeronaves asa fixa, ou seja ela só devia estar esperando essa Certificação p/ confirmar o pedido. Algo em comum nas Forças Aéreas do Brasil e Hungria: o Gripen, o que lembra de outro fato: a citação da possibilidade da Suécia comprar o KC-390, feita na cerimônia do Gripen em Brasília. Compre KC-390 e leve o pedido p/ um 2º lote… Read more »

Gutex
Gutex
Reply to  LucianoSR71
12 dias atrás

Pode incluir na sua sopa de detalhes a Republica Tcheca. Eles, também operadores do Gripen, e integrantes do projeto do KC, certamente estarão de olho na operação deste binômio nos vizinhos Húngaros.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Gutex
12 dias atrás

É que eu só juntei fatos ocorridos recentemente, não quis expandir p/ outras possibilidades, mas que os tchecos tão devendo um pedidozinho, isso tão.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  LucianoSR71
12 dias atrás

Eles devem pedir, mas a previsão apenas para 2025, isto antes da pandemia.

https://euro-sd.com/2020/02/articles/16235/czech-air-force-modernisation/

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Gutex
12 dias atrás

potenciais clientes na Europa central e no Báltico não faltam,basta haver uma aproximação governamental,fazer o itamaraty atuar e chegar perto de países que não temos muitas relações comerciais expressivas.

comment image

RENAN
RENAN
12 dias atrás

Vamos Brasil.

Espero que a Embraer consiga emplacar uma média de 10 unidades vendidas por ano.
Espaço tem.
Se o governo brasileiro oferta o kc 390 a todos irá melhorar as vendas.

Um exemplo até 2028 o exército provavelmente irá comprar seus novos MBT, ao país vencedor empurra o kc 390 como contra partida econômica e assim por diante.

Thiago
Thiago
Reply to  RENAN
12 dias atrás

Vi que uma das possibilidades é a gente produzir o nosso próprio MBT, apesar que preferia comprar uns de prateleira e investir no desenvolvimento de drones

RENAN
RENAN
Reply to  Thiago
12 dias atrás

Certamente iremos montar os veículos em solo brasileiro, porém não dispomos de industria bélica capaz de produzir um projeto do zero.
Então iremos comprar a tecnologia de alguém.
Será igual o Gripen.
Porém acho importante na compensação empurrar um kc ou astros, alguma coisa nacional

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  RENAN
12 dias atrás

Concordo. Mas duvido muito que o Governo Brasileiro tenha competência e habilidade diplomática para ofertar os produtos da Embraer. Aliás, do jeito que esse governo é, é até bom que eles não se metam nessas vendas porque se algum membro da comitiva estrangeira vier à reunião usando uma gravata vermelha, o Biroliro pode achar que os caras são comunistas e tentar sabotar o acordo.

Rogério Loureiro Dhierio
Rogério Loureiro Dhierio
12 dias atrás

Acho que agora as porteiras se abriram.

Deus abençoe a Embraer. Que venham mais pedidos.

jrsalvador
jrsalvador
12 dias atrás

Esta aeronave é incrível. Se o fabricante fosse Russo ou Americano já teria venda na casa das centenas.

Cinturão de Orion
Cinturão de Orion
12 dias atrás

Preparem uma 2a Linha de Produção. Vão precisar.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
12 dias atrás

Parabéns Embraer e a nós Brasileiros!!! E a Embraer ia falir em pouco tempo sem a boeing….

Teropode
12 dias atrás

Normal , o estranho seria modernizar suas forças e deixar oque a de melhor de fora . Prossigam as compras , a Embraer não vai dar conta , vai passar aperto como a Dassoalt no caso dos Rafales .

Hélio
Hélio
12 dias atrás

AGORA VAI!!!
No mais, qual é o índice de nacionalização do C390?

RENAN
RENAN
Reply to  Hélio
12 dias atrás

Não sei
Porém não chuto um valor acima dos 40%

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  RENAN
12 dias atrás

Menor. Produzimos assentos e algumas partes da fuselagem.

Menos de 20%.

João
João
Reply to  Esteves The Block Man
11 dias atrás

“O principal objetivo do workshop foi estimular a participação de empresas brasileiras como fornecedoras de peças, componentes, sistemas e serviços para o KC-390. O Índice de Nacionalização da aeronave, calculado pelos critérios do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), é estimado em 60%, chegando a 80% se não forem considerados os motores, que representam cerca de um terço do custo total da aeronave e para o qual não há produção nacional” Matéria de 2011.

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  João
9 dias atrás

hahahahaha incorporação de componentes brasileiros no KC390??? alguma vez!! mas nem chega a 20 % os argentinos fazem as portas do tremn de aterragem, portas dianteiras a rampa de acesso traseira, que ée muito grandee os flaps e o cone da caudam portugal desenvolveu partes estruturas imporrtantes que hoje sao fabricadas em teerritorio portugues, a secçao de fuselageem ceentral, a maior, o sponson e as portas do trem de aterragem principal, ate bastante inovadoras e de e desenvolvimento portugues alem do leme de profundidade feito de compositos…. os checos fornecem a port dianteira, parte da rampa de acesso e a… Read more »

Joaquim Araujo
Joaquim Araujo
Reply to  Esteves The Block Man
9 dias atrás

Creio que deve ser mais do que isso! Nos aviões comerciais (familia E1), a própria Embraer fala em 50% em valor. No KC-390, até por exigência da FAB, os principais sistemas, como FBW, sistemas de missão, computadores de missão, etc, são desenvolvidos pela Embraer ou por subsidiárias, O trem de pouso principal é da ELEB. É bom lembrar que o FBW do KC é o mesmo do Legacy 500 (hoje Praetor 600), que inicialmente seria desenvolvido por uma empresa inglesa, que, por dificuldades e atraso, a Embraer acabou assumindo! Talvez, até pela necessidade de atender essa exigência da FAB. Solicito… Read more »

Rui Manuel Fernandes Palmeira
Rui Manuel Fernandes Palmeira
Reply to  Joaquim Araujo
9 dias atrás

claro que falou “besteira” a industria brasileira monta avioes, nao tem praticamente nenhuma relevância no fabrico de aeroestruturas (basta ver que nao tem players), a Aernnova espanhola fez praticamente os E1… 60% de incorporação norteameericana tem os avioes da Boeing…

Bueno
Bueno
12 dias atrás

ótima Noticia!
Aguardando as encomendas da República Tcheca!

RENAN
RENAN
Reply to  Bueno
11 dias atrás

Da Suécia
De Israel
Do emirados árabes
Da Indonésia
Austrália
Egito

Bueno
Bueno
Reply to  RENAN
11 dias atrás

sim, mas a Tchecam faz parte do Programa, nada mal se fizer o pedido de 2 unidades

Fernando Martins
Fernando Martins
12 dias atrás

👀 acho que com uma forcinha cabia dois LAV-25 ali hein hehe… imagina 4 KC´s despachando 8 blindados em uma pista remota na fronteira com a amazônia venezuelana numa paulada só…é de arrepiar

Cinturão de Orion
Cinturão de Orion
Reply to  Fernando Martins
12 dias atrás

Caro Fernando.

Infelizmente sua imaginação não tem como se tornar concreta. Não tem terreno de fronteira “rodável” com a Venezuela. À exceção do corte de estrada entre as cidades de Pacaraima (BV8) e Santa Elena de Uairén, todos os restantes 2.200km do lado brasileiro são “Montanha com vegetação de Selva” ou “Rios”.

José Lemos filho
José Lemos filho
12 dias atrás

Que notícia fantástica foi esta, haja coração! Kkkkk só alegria, é isto que estou sentindo neste exato momento. Pergunto aos pessimistas, negativista: Quais países potencialmente comprariam o KC390? Não sabem heim? A resposta é: qual é os país que não queriam voar com este excelente produto, ou qual as forças armadas não sonharia com tal feito?
Kkkk fogo no buraco!………

Antonio Palhares
Antonio Palhares
12 dias atrás

Fico feliz com isso.
Este avião é muito bom.
Vai ter muitas encomendas.
Parabens à FAB pelo projeto.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
12 dias atrás

Que excelente notícia!

Marcos
Marcos
12 dias atrás

A folha publicou o valor do contrato, 300 milhões de dólares!

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Marcos
12 dias atrás

3 F35

Nick
Nick
12 dias atrás

Grande notícia! parabéns Embraer!!!!

[]’s

Oráculo
Oráculo
12 dias atrás

Melhor notícia dos últimos tempos.

Ressalte-se a estratégia de vendas NOTA 10 da EMBRAER.
Fica visível a opção de focar as negociações nos países “Série B” da OTAN e continuar vendendo aviões.
Quando os grandes acordarem, o Millennium já estará voando por toda a Europa.

Portugal e Hungria confirmados.
Em breve, se tudo der certo, a República Tcheca
Os vizinhos Polônia e a Eslováquia – os 4 países do Grupo de Visegrad – com certeza serão os alvos comerciais.

Além de fabricar aviões a EMBRAER tá com uma estratégia de vendas muito bem pensada.

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  Oráculo
12 dias atrás

Oráculo…oh grande oráculo.

Quais as previsões para a Embraer em 2021/22?

RENAN
RENAN
Reply to  Esteves The Block Man
11 dias atrás

Irã comprará vários jatos comercial
Duas unidades para Indonésia do kc 390
1 unidades p600 aew para Indonésia
5 unidades para o Egito kc390

Welington S.
Welington S.
12 dias atrás

KC-390 -> Saiu do papel -> Venda nacional -> Vendas internacionais = Sucesso
STURT -. Vai sair do papel -> Venda nacional -> Vendas internacionais = Sucesso

Parabéns EMBRAER

LucianoSR71
LucianoSR71
12 dias atrás

Acho que um trecho muito interessante passou batido por muitos aqui: “O KC-390 para as Forças Armadas da Hungria será o primeiro do mundo com a opção de configuração para Unidade de Terapia Intensiva, recurso essencial para o desempenho de missões humanitárias.” Seria uma unidade tipo contêiner totalmente equipada que poderia ser colocada e retirada rapidamente? Seria algo muito bom, inclusive p/ a FAB.

737-800RJ
737-800RJ
12 dias atrás

A Embraer é orgulho nacional e mostra como há gente muito, muito competente aqui, e em grande número! Há bastante mercado para o C-390 e vários países estão com seus C-130 bem caidinhos e irão às compras nos próximos anos. Fiz uma pesquisa rápida e mal feita e vi que Áustria, Suécia e Grécia possuem C-130 já no “bico do urubu”, ou seja, são clientes em potencial pro Millennium. E deve haver muito mais… Inclusive no mercado asiático.

João Adaime
João Adaime
Reply to  737-800RJ
12 dias atrás

Caro 737-800RJ
Em 2018 a Embraer estimou para a década seguinte, isto é, a partir de 2020, um mercado potencial de 700 aeronaves deste porte. Atualmente 2.700 aeronaves equivalentes estão em operação no mundo todo, com idade média de 31,5 anos. Este mercado potencial giraria em torno de 60 bilhões de dólares.
Em negócios desta envergadura, a pressa é inimiga da perfeição. E como você mesmo disse, a concorrência está no “bico do urubu”. Questão de tempo.
Abraço

Paulo Neves
Paulo Neves
12 dias atrás

Vamos ver se agora o pessoal aqui se acalma um pouco!!!
Está vendendo.

Allan Lemos
Allan Lemos
12 dias atrás

Excelente notícia. As portas da Europa estão se abrindo para a Embraer Defesa e Segurança. Espero que as potências não tentem sabotar nossos negócios por lá da mesma forma que fizeram na quase-venda do Osório.

Só tenho uma dúvida, a patente desse avião pertence à FAB ou à Embraer?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Allan Lemos
12 dias atrás

FAB.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Rinaldo Nery
12 dias atrás

Obrigado.

Fernando
Fernando
Reply to  Allan Lemos
12 dias atrás

Allan… A FAB especificou, a Embraer concebeu. A Embraer testou, a FAB aprovou. A FAB pagou o projeto, a EMbraer entregou o prometido.

No final das contas a FAB detêm a propriedade intelectual do projeto (pois foi quem pagou por ele). Entretanto esta “propriedade intelectual” está depositada na Embraer.

A FAB tem direito de veto sobre qualquer venda e direito a Royalties.

MSomoz
MSomoz
Reply to  Fernando
12 dias atrás

O STOUT terá o mesmo processo e direitos?

Esteves The Block Man
Esteves The Block Man
Reply to  MSomoz
12 dias atrás

O Stout ainda não existe.

MSomoz
MSomoz
Reply to  Esteves The Block Man
11 dias atrás

OXE !. Já tem contrato (memorando) E lá que se escreve esses detalhes antes de fabricar. certo?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Fernando
12 dias atrás

Entendi. Valeu.