Home Exercício Militar Esquadrão Pampa e 1° Grupo de Aviação de Caça realizam exercício técnico

Esquadrão Pampa e 1° Grupo de Aviação de Caça realizam exercício técnico

1958
54

Objetivo da missão foi capacitar os pilotos e especialistas de ambos os Esquadrões na preparação e execução do emprego ar-solo

No período de 13 a 18 de setembro, a Ala 3, localizada em Canoas (RS), sediou o Exercício Técnico Ar-Solo com as aeronaves F-5M dos Esquadrões Pampa (1º/14º GAV) e do 1° Grupo de Aviação de Caça (1°GAvCa). O objetivo da missão foi capacitar os pilotos e especialistas de ambos os Esquadrões na preparação e execução do emprego ar-solo, bem como testar todos os setores envolvidos nesse tipo de atividade.

Todos os voos do exercício foram realizados a partir da Ala 3, e tinham como finalidade o emprego de bombas inertes e reais, por meio das aeronaves F-5M, com lançamentos realizados no estande de tiro de Saicã, localizado no distrito de Cacequi, a 120 quilômetros da cidade de Santa Maria (RS).

O planejamento foi realizado para que, cada equipagem de combate executasse duas surtidas (saídas), sendo a primeira com bombas inertes e, a segunda com armamento real, nos respectivos alvos, localizados no Estande de Saicã. “Realizando missões de emprego real de bombas de fim geral, os operadores da aeronave F-5M atingiram o objetivo proposto, bem como demonstraram a excelência na capacitação dos nossos recursos humanos para o emprego real do F-5M como plataforma d’armas” afirma o Comandante do Esquadrão Pampa, Tenente-Coronel Aviador Thiago Romanelli Rodrigues.

De acordo com o Tenente-Coronel Romanelli, a atividade foi realizada com pleno sucesso, permitindo o cumprimento das metas propostas, graças ao suporte operacional, logístico e administrativo das Alas 3 e 4, assim como o profissionalismo e eficiência do efetivo do Esquadrão Pampa e da manutenção do Projeto F-5M dos Grupos Logísticos das Alas 3 e 12.

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Dod
Dod
2 meses atrás

O f5 pode voar com 6 Derbys?Aquele abraço

Salim
Salim
Reply to  Alexandre Galante
2 meses atrás

Caro Galante, com sua experiencia, você acredita que F5m com derby ER ( alcance >100 km ) teria melhor resultado frente SU30 similar ao da Venezuela. Faco esta pergunta pois vetorados pelo E99 e sua baixa assinatura radar teriam chance de atirar bem antes e com resiliência maior a ECM destes misseis teriam uma taxa sucesso razoável.

Salim
Salim
Reply to  Dod
2 meses atrás

Geralmente voa em missão cap e defesa aérea com dois derby bvr e dois curto alcance , phyton 4/5.

MATHEUS BORGES
MATHEUS BORGES
2 meses atrás

Uma dúvida aos colegas que, sem dúvida entendem infinitamente mais que eu: Como está a doutrina / uso de bombas guiadas a Laser ou GPS na FAB? Eles tem realizado treinamentos? Temos em estoque no iventário?

Dúvidas plus: Nosso iventário deste tipo de armamento é compatível com os novos Gripens?

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  MATHEUS BORGES
2 meses atrás

Eu não sei se essas informações estão disponíveis ou se são números que condizem com a realidade, talvez algum membro do blog possa ter explicar melhor amigo, saudações.

Maurício.
Maurício.
Reply to  MATHEUS BORGES
2 meses atrás

Matheus, em 2015 a FAB comprou 120 kits Lizard II, que transforma bombas burras em bombas guiadas a laser.
A FAB nunca foi muito de usar armamento ar-solo “inteligente” em seus caças, ela começou a testar o kit Lizard só em 2010, o negócio é usar bomba burra da série mk e vamos que vamos, o mesmo se aplica a MB, os A-4 só usam bombas burras.

Salim
Salim
Reply to  Maurício.
2 meses atrás

Vou alem, náo temos misseis ar superfície emprego naval e raramente acontece treinamento no ataque a superfície de meios navais. Os F5 /A4 e AMX tem esta capacidade porem alem da falta misseis específicos náo vejo treinamento nesta área.

Cleber
Cleber
2 meses atrás

Vi um caca da FAB armado ! Uhuuuu… Mesmo q sendo com bombas burras .

Rui Chapéu
Rui Chapéu
2 meses atrás

Para um avião da época do Vietnam normal usar bombas da época do Vietnam tb…..

Credo, 2020 e ainda usando bomba burra, ainda bem que não temos inimigos.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Por favor, quantas forças aéreas do mundo já abandonaram totalmente o uso de “bomba burra”?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Gabriel, poste uma imagem de algum caça americano, inglês ou francês usando só bombas burras nos últimos conflitos em que se meteram, o problema não é a bomba burra, o problema é usar só a bomba burra.
Bomba burra serve para complementar as bombas inteligentes, e geralmente são usadas só por bombardeiros, caças de primeira linha de países sérios, já deixaram de usar bombas burras há muito tempo.
A Rússia ainda usa bombas burras em seus caças, mas a Rússia é um caso a parte, são meio malucos mesmo.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Maurício.
2 meses atrás

“o problema não é a bomba burra, o problema é usar só a bomba burra.”

Bingo.

Nada contra uma USAF descer o cacete com um B-52 cheio de bomba burra em algum local.

A diferença é que antes de chegar a esse ponto já deveriam ter usado uns trocentos TOmahawk e bombas guiadas de tudo que é tipo de forma e por trocentos tipos de plataformas.

—–

Tenta usar um F-5 com bomba burra na Venezuela pra vc ver…

Gabriel
Gabriel
Reply to  Maurício.
2 meses atrás

Eu? por acaso fui eu que fiz alguma afirmação?
Ou fiz uma pergunta?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Gabriel, não se faça de desentendido, você fez uma pergunta para o rui chapéu e eu pedi para você postar uma imagem de algum caça americano, inglês ou francês com bombas burras, só isso.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Maurício.
2 meses atrás

Concordo.

Deveriam escolher o Soldado mais forte de cada exército e colocar para lutar até ter um vencedor.
Assim estaria definido o vencedor da guerra, sem efeito colateral nenhum.

Ou também cada pais poderia fazer um castelo de “legos”, para ser atacado com canhão de água. A ultima peça de pé definiria o campeão.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Cada um que aparece!!

Salim
Salim
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Voltamos a David vs Golias rsss

Astolfo
Astolfo
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Sempre tem um pra defender o indefensável… deixa eu adivinhar, “civil” não pode opinar né?

Gabriel
Gabriel
Reply to  Astolfo
2 meses atrás

E o que você defende?

Já viu engenheiro elétrico opinando sobre obra de engenheiro civil?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Astolfo
2 meses atrás

Astolfo, sempre terá um entendido militar ou parente de algum militar para passar pano…

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Gabriel
2 meses atrás

Nenhuma. E nunca vai acontecer.

Nunão
Nunão
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Rui,
Os modos de lançamento de bombas burras hoje são bem diferentes que na época da guerra do Vietnã.

A precisão é muito maior com os modos computadorizados de cálculo para lançamento, os chamados CCIP e CCRP.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Nunão
2 meses atrás

ok, mas da mesma maneira o caça precisa chegar perigosamente perto do alvo.

Hoje isso é suicídio.

Independente de se ter computador ou não.

Salim
Salim
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Se conquistou supremacia aérea e anulou defesas de misseis solo, bomba burra funciona bem, tem CEP bem menor dia hoje, e feita aqui brasil

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Se houver uma defesa antiaérea de médio alcance, nem com bomba burra ou com doutorado. Se for defesa antiaérea de míssil de ombro ou canhão, basta lançar acima de 15.000 ft, como fazemos com o A-1.

Salim
Salim
Reply to  Nunão
2 meses atrás

Nunao o triste e bomba burra em ataque superfície meio naval que utilizamos com A4 e AMX, ai sim voltamos ww2. Esta carência, na minha visão tem que ser sanada urgentemente, visto precariedade meios navais. FAB vai ter que assumir. (Esqueci forca aérea Argentina nas Malvinas, triste ).

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

As bombas burras são, e continuarão sendo, utilizadas em TODO O MUNDO, por TODAS as FA, inclusive a USAF. Na Guerra do Golfo (1991), o uso de bombas inteligentes não atingiu 10% do total. Depende do alvo a ser atacado, da estimativa de dano e do dimensionamento da força. O ataque ao reator de Osirak, pela Força Aérea de Israel, foi por meio de bombas burras. Bombardeio rasante com balsing, topo 5.000 ft. Como já foi postado, o ECP de uma moderna aeronave de combate, hoje em dia, não ultrapassa 8 metros. Inclusive do A-29. Basta que o piloto seja… Read more »

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
2 meses atrás

O uso de bombas “burras” não quer dizer nada. As equipagens precisam estar capacitadas para o uso de todo o armamento disponível, seja ele “inteligente” ou não. E não quer dizer que, tendo armamento guiado, a bomba de emprego geral perde a sua utilidade. Cada armamento tem seu propósito específico. Israel destruir o reator nuclear de Osirak com bombas Mk-84. Eles tinham a GBU-28 na época, mas preferiram usar a Mk pela simplicidade. E olha que a defesa antiaérea Iraquiana, na época, era muito bem equipada (melhor e mais numerosa do que qualquer coisa que podemos encontrar na América do… Read more »

Vitor
Vitor
Reply to  Carlos Eduardo
2 meses atrás

Lançar bomba inteligente você faz pelo Simulador. o Lançamento é geralmente longe do alvo a alta altitude. Não tem porque gastar kits. A Bomba Burra o lançamento é feito próximo ao alvo com tática de aproximação e lançamento diferente.
Eu entendo que o pessoal queira ver fotos dos caças armados com Bombas inteligentes, eu por exemplo nunca vi no F-5, mas já vi no A-1.
As Forças estrangeiras utilizam muito mais bombas inteligentes porque estão lutando contra grupos terroristas infiltrados na sociedade civil. O Nivel de precisão requerido é alto para evitar casualidades entre os civís.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Carlos Eduardo
2 meses atrás

1- O ataque a esse reator foi em 1981, praticamente 40 anos atrás!!!!

2-Como Israel tinha GBU-28 em 81 sendo que a mesma foi criada em 1991??

3- Não seria alguma Paveway? Não achei referência que a IDF tinha alguma bomba guiada em 1981.

Marcelo Mendonça
Marcelo Mendonça
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Não tinha, foram bombas “burras” mesmo.

Flanker
Flanker
2 meses atrás

Após a modernização, os F-5 ficaram habilitados a operar com bombas guiadas a laser, tanto que os pods Litening foram adquiridos para eles. Os F-5M fariam ataque ao solo, juntamente com interceptação e outras missões de caça. Entretanto, com a demora na decisão do F-X2, a FAB decidiu em dedicar os F-5M mais para missões ar-ar, deixando as missões ar-solo para os A-1, tanto que os Litening foram repassados para os A-1 e, quando da aquisição dos kits Lizard, também foram para os A-1. Mas, os F-5M podem, sim, realizar missões ar-solo com armas burras e inteligentes, só não são… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Marcelo Silveira 75
Marcelo Silveira 75
2 meses atrás

Da Ala 3 até o Saiçã são praticamente 400km, esse vôo foi direto com pouso no regresso na ALA 4 são mais 120 km ? Com isso são entorno de 520 km até a ALA 4(Ala3 +Saiçã+SM). Caso seja ida e volta (ALA 3) armado(consumo de combustível é maio)teria que ter Revo, pois são 800km! Como aeronave de ataque desde o princípio (F-5A), não entendo como o projetista colocou seus canhões M39-A2 20mm na parte SUPERIOR FRONTAL da aeronave. Sua utilização na arena ar-ar traz certa fumaça a visibilidade do piloto, no uso ar-superfície, o que obriga acentuar mais aeronave… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Marcelo Silveira 75
2 meses atrás

Na velocidade em que o avião está quando ocorrem os acionamentos fo canhão, a fumaça não provoca absolutamente nada na visibilidade do piloto!!! Os Hornet e Super Hornet tb tem o canhão no nariz….e são 6 canos de 20 mm. O A-10 tb tem o canhão no nariz….e são 7 canos de 30 mm.

Flanker
Flanker
Reply to  Marcelo Silveira 75
2 meses atrás

Ouvi dizer que tem um KC-130 operando em Canoas. Não sei se é verdade. Se for, talvez estejam treinando REVO também.

Marcelo Silveira 75
Marcelo Silveira 75
Reply to  Flanker
2 meses atrás

Flanker. Não vejo problema em ser no “nariz”, a questão é, ser na parte superior de uma aeronave de ataque. Veja que, ainda que não conténha problema com a fumaça de seus cartuchos, mesmo assim terá que obtê um ângulo inclinado mais acentuado, devido estar na parte superior, ao contrário se estiver na parte inferior da fuselagem ou na parte inferior frontal do nariz. Faça um exemplo simples: Coloque uma caneta simulando um canhão sobre o controle remoto da TV. Inclinado a um ângulo X. Faça o mesmo com a caneta na parte inferior do controle, com o mesmo ângulo… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Marcelo Silveira 75
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Marcelo Silveira 75
2 meses atrás

O F-5 vai e volta de Saicã sem problema algum.

Alexandre
Alexandre
2 meses atrás

Já era para estarem treinando com os Gripen…

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

Com quais Gripen? O único que chegou e vai ser usado somente para testes, por um bom tempo?

Alem
Alem
2 meses atrás

Esse fuscão aéreo graças a Deus ainda voa!

Alexandre
Alexandre
Reply to  Alem
2 meses atrás

Já deveria ter sido aposentado, não há mais o que modernizar, ele já deu o que tinha que dar.

Agora é a vez dos Gripen.

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

Mas, o F-5M vai continuar voando um bom tempo ainda……

JCuritiba
JCuritiba
2 meses atrás

kkkkkkkkkkkkkkk A gente tenta mas a FAB não se ajuda mesmo…

Uma mísera bomba burra pronta para o exercício, quando vc olha a foto com atenção:

Eis que nosso glorioso artefato da mega power força aérea da América do Sul está vencido desde maio de 2017!!!! Não sei, mas explosivos vencidos não são a coisa mais confiável do mundo. Triste…

Imagine o estado do arsenal…

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  JCuritiba
2 meses atrás

Bomba vencida? Explica pra nós. Entrou no paiol e conferiu?

JCuritiba
JCuritiba
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Nao precisa entrar em Paiol os gênios da sua gloriosa instituição divulgam imagens na internet com esse tipo de informação.
Vai defender o aeroclube como agora?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  JCuritiba
2 meses atrás

Você tem razão em relação à foto. Vi agora. Consultando um companheiro de turma que serviu no PAMB (Parque de Material Bélico da Aeronáutica), no Galeão, o mesmo me explicou que o laboratório do PAMB realiza testes de estabilidade química em todas as munições (por amostragem de lote) e propelentes de foguetes e mísseis. Bombas de aviação têm uma validade muito grande (até 30 anos, ou mais). Bombas da Segunda Guerra ainda explodem na Europa. Eu mesmo, quando Tenente, lancei as bombas AN-M57, norte americanas, da Segunda Guerra. E explodiam. O corpo da bomba, apesar de explosivo, é inerte enquanto… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Boa explicação. Esclarece bastante. Tem muitas coisas que não concordo nas Forças Armadas do Brasil, mas acredito que o profissionalismo e capacidade dos profissionais não são parte desses problemas. Chamar a FAB de aeroclube é bem desrespeitoso com o trabalho de todos aqueles que dão seu melhor pela instituição. Tem profissionais ineptos, incapazes e desleixados nas Forças Armadas? Claro que tem, mas assim como em qualquer outra instituição.

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Flanker
2 meses atrás

Obrigado. Tem alguns aqui que teimam em usar o termo aeroclube: Wellington Goes, Allan Lemos, e agora este garoto (deve ser garoto). E é a Força Aérea do País deles… Acho que perderam a oportunidade do concurso. Ou têm problemas de visão.

Flanker
Flanker
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

É despeito…..e desrespeito…….especialistas de teclado, que acham que a opinião deles é a panacéia para todos os males……mas, o melhor a fazer é ignorar e desconsiderar.

Flanker
Flanker
Reply to  JCuritiba
2 meses atrás

Tu viu a validade da bomba olhando a foto??? É isso???

Flanker
Flanker
Reply to  JCuritiba
2 meses atrás

Bah….é verdade! Ampliei a foto e tá lá: validade 05 17…..

Flanker
Flanker
Reply to  JCuritiba
2 meses atrás

Mas, essa pode ter sido usada para o primeiro lançamento. No texto está descríto que cada piloto fez duas saídas. A primeira com bombas inertes e a segunda com bombas reais. Essas bombas inertes podem ser bombas vencidas que são usadas para essa finalidade.

20200925_150729.jpg
JCuritiba
JCuritiba
Reply to  Flanker
2 meses atrás

Por padrão azul é inerte e amarela é explosiva. Logo…

Flanker
Flanker
Reply to  JCuritiba
2 meses atrás

Pois é…a única justificativa é que é treinamento, mas……sabe como é…..e corre o risco de, a partir de agora, nem essas imagens de treinamento serem mais divulgadas….