Home Aviação de Ataque USAF vê janela de cinco anos para inventar uma nova indústria de...

USAF vê janela de cinco anos para inventar uma nova indústria de aviões de caça

6141
82
A Força Aérea dos EUA deve passar os próximos cinco anos focada no desenvolvimento de um novo processo para o design de aeronaves, em vez de lançar um programa de desenvolvimento de caças da próxima geração. Imagem: Lockheed Martin

Por Steve Trimble e Lee Hudson – Aviation Week & Space Technology

A visão da Força Aérea dos EUA de produzir rapidamente várias frotas de caças avançados, da mesma forma que a Apple produz iPhones, começa com uma importante mudança nos planos do secreto programa de Dominância Aérea de Nova Geração (NGAD – Next-Generation Air Dominance).

Por três anos, a Força Aérea analisou como substituir o Lockheed Martin F-22 até 2030. O plano original – definido como a capacidade Penetrating Counter-Air no Air Superiority Flight Plan lançado em 2017 – exigia o desenvolvimento de uma substituição convencional para o O F-22, com um caça FX de última geração, com uma impressionante variedade de novas tecnologias, desde propulsão de ciclo adaptativo até armas avançadas e novos sensores.

Como uma análise extensa de dois anos de alternativas se aproximava de uma conclusão em meados de 2018, a Força Aérea decidiu mudar para uma nova abordagem. A nova estratégia levou os líderes da USAF a drenar cerca de metade do orçamento de US$ 13,2 bilhões anteriormente alocado para o programa NGAD até o ano fiscal de 2024 no plano de gastos de cinco anos do Departamento de Defesa enviado ao Congresso em março. Em vez de lançar o desenvolvimento completo do FX dentro dessa janela de cinco anos, a Força Aérea está desenvolvendo um novo processo radical de design de aeronaves – mesmo enquanto os gastos continuam com as entregas dos Lockheed F-35As, Boeing F-15EXs e uma série de programas de atualização de caças.

“Estamos em um bom momento para tentar algo novo, porque temos linhas de produção quentes para caças de quinta geração, e caças da quarta geração estão passando por grandes modernizações de bilhões de dólares”, diz Will Roper, secretário assistente da Força Aérea dos EUA para aquisição, tecnologia e logística.

“Portanto, é um bom momento para tentar algo novo por uma janela de cinco anos e ver se podemos criar uma nova maneira de construir aviões para nós, que fica entre a construção de um ou dois aviões X e a construção de 1.000 unidades em um grande programa de aquisição de defesa”, disse Roper, que lidera a nova estratégia do NGAD, em entrevista à Aviation Week.

Os comentários de Roper à margem da Conferência DefenseChain da Aviation Week, em 22 de outubro, ajudam a esclarecer as mudanças drásticas dentro do programa secreto NGAD no último ano. A Força Aérea dos EUA essencialmente atrasou o desenvolvimento do F-X além do plano de gastos de cinco anos para fornecer uma janela de tempo para inventar um novo modelo de negócios para a indústria de aeronaves de combate, ideal para uma nova era de guerra aérea com adversários do mesmo nível.

A iniciativa será apoiada pelo novo Escritório Executivo do Programa de Aeronaves Avançadas, estabelecido em 2 de outubro. O escritório será liderado pelo coronel Dale White, ex-diretor sênior do programa de desenvolvimento de bombardeiros Northrop Grumman B-21 no Rapid Capabilities Office.

A visão de Roper para o NGAD exige um rompimento acentuado da abordagem de aquisição convencional adotada para o B-21, com um único contratante principal responsável pelo ciclo de vida completo da aeronave, incluindo pelo menos um período de 10 a 15 anos entre um contrato inicial e fornecimento de uma capacidade operacional.

Para Roper, o modelo ideal para o NGAD não é outro programa de caça ocidental, mas um dispositivo eletrônico de consumo. Os clientes da Apple compram um modelo de iPhone projetado para ficar obsoleto dentro de alguns anos e o substituem por um dispositivo mais avançado, diz ele. O equivalente no negócio de caças são aeronaves projetadas para durar talvez 3.500 horas de voo, que a Força Aérea dos EUA compra em lotes de centenas e substitui em intervalos de 10 anos ou menos.

“Queremos aposentar aviões quando o próximo estiver pronto para ser lançado – muito semelhante ao modelo do iPhone. Portanto, não há razão para manter o iPhone antigo depois de adquirir o novo”, diz Roper.

Nos próximos cinco anos, a Força Aérea deseja definir a abordagem baseada em engenharia digital para a abordagem de hardware e sistema operacional comum do software para a família de aeronaves NGAD.

O objetivo é atrair novas empresas, além das tradicionais empresas de defesa, para a produção, juntamente com as unidades especializadas de design dos principais contratados, como a Skunk Works da Lockheed, a Phantom Works da Boeing e a Scaled Composites da Northrop Grumman.

“Eu poderia imaginar empresas que poderiam construir alguns aviões por mês eventualmente entrando e desejando fazê-lo, porque há uma oportunidade de fazê-lo com frequência. E vamos ser sinceros, o design e os aviões de ponta são muito legais”, diz Roper.

FONTE: Aviation Week

82
Deixe um comentário

avatar
23 Comment threads
59 Thread replies
2 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
39 Comment authors
AlexcgHermesBoscoMarcelo DantonAntunes 1980 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Agora fiquei curioso….

E treinamento? Armamento? Como farão isso numa janela de 10 anos?

Ou vão trocar tudo por drones?

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Rui, até os anos 50, aeronaves militares eram usadas nessa faixa de tempo. Só a partir dos anos 60 foi que usar uma aeronave por 20/30 anos ficou em voga.

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Sim, claro.
Mas olha a complexidade de hoje.

é a mesma coisa que comparar um carro dos anos 50 com motor carburado com carros de hoje que se desconectar a bateria errado ele dá problema.

PRAEFECTUS
Visitante
PRAEFECTUS

Para procurarmos entender um pouco melhor o que os estadunidenses estão propondo é necessário fazer uma boa análise dos fatos. A pergunta obviamente que todos fazem (inclusive os próprios norte-americanos) é; “será que isso vai dar certo, vai funcionar, é esse mesmo o caminho?” Uma nova estratégia científica e técnica baseada na ideia de que os fornecedores de armamentos e equipamentos militares devem gerar em curto espaço de tempo capacidades avançadas de combate em áreas que os militares dos EUA querem ver “tecnologias explosivas”. Como, isso se implementadas com sucesso, afetarão a eficácia de combate da Força Aérea dos EUA,… Read more »

Chris
Visitante
Chris

Eu já pensei no dinheiro que iria em tudo isso….

Enfim… Querer é uma coisa… Poder é outra ! E até o programa do F-22 foi suspenso antes do previsto !

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

O problema para os americanos é que para toda Apple existe uma Huawei.

Flanker
Visitante
Flanker

Então não há problema….a marca chinesa não se compara à dos EUA em qualidade….

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Desculpe Flanker, mas Apple é status, não qualidade. É tudo fabricado na China, lado a lado das marcas menos prestigiadas. Tudo com preço a mais e recursos a menos.

O exemplo mais recente da “qualidade” da Apple está nos seus notebooks problemáticos (superaquecimento, teclado com defeito de projeto), com tudo soldado para ser descartável. Além dos telefones que diminuem desempenho propositalmente para você achar que está lento e comprar outro.

Salim
Visitante
Salim

Clesio, náo e bem assim, embora náo goste do iPhone Apple, os mesmos são bem superiores, se fosse arriscar segundo lugar daria Samsung, o resto corre atrás, razoavelmente atrás. Já visitei linha de multinacional na China e de empresas local, a distancia e longa. Para Chineses preço baixo e rápida producão são obsessão. Equipamento militar Chines para mim e uma incógnita, só depois testado combate da para avaliar ( talvez ).

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Salim, quem fabrica os iPhones não é a Apple, mas a Foxconn, empresa Taiwanesa. Não quero dizer que produtos Apple são ruins (ou lixo, adjetivo que me recuso a utilizar em qualquer produto industrializado), mas existe mais aura de superioridade dada pelo marketing do que a realidade. Tal como marcas de “grife” de qualquer segmento.

Jodreski
Visitante
Jodreski

A questão não é onde são produzidos ou por quem mas sim que os projeta. A diferença entre uma placa da Apple e os demais fabricantes é nítida, eu trabalho com isso, até um leigo se pegar uma placa apple na mão e comparar com a de qualquer Android verá a diferença. Há quem não curta a interface da marca, beleza isso é uma questão. Mas há uma diferença tecnológica sim ela existe e é bem real.

Salim
Visitante
Salim

Clésio, máquinas são diferentes, chefia/supervisão em pontos chave são estrangeiros, matéria prima importada e partes sensíveis feito matriz. Parecido coca cola, charope vem fábrica exclusiva, as fábricas mundo só colocam gás, água e põe garrafa.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Salim

Continue pensando assim que os chineses agradecem.
Estão avançando de forma avassaladora no mercado e dentro em breve deverão chegar a 60% – 70% do mercado.

Salim
Visitante
Salim

Antonio, a China vende mao de obra que tem em abundância e barata. A China e rica, porem Chinês e pobre, análogo ao Brasil, entre as dez maiores economias planta e o PIB per capta e baixo ( posição entre 50° e 60° no mundo )’, China entre 70° a 80° classificação.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Salim

A China tem 1,3 bilhão de habitantes.
Imagine a pobreza que teríamos no Brasil e nos EUA com esse contingente enorme de pessoas.
A China está de parabéns pelo que está fazendo.

teropode
Visitante

Cara avise aos Chineses pois de cada 10 Apple produzidos 4 são consumidos por Chineses .Há um vídeo recente onde milhares de chineses estão observando uma Pororoca em um Rio chinês, vc só vê iPhones, os caras são fissurados no estilo de vida americano .

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Sinto, mas de acordo com os dados do 3º trimestre desse ano, a Apple está com 5,2% do mercado chinês (Canalys):
1) Huawei – 42,4%;
2) Vivo – 17,9%;
3) Oppo – 17,4%;
4) Xiaomi – 9,0%.;
5)Apple – 5,2%;
6) Outros – 8,0%

Conan
Visitante
Conan

Meu Ipod funciona perfeitamente bem, obrigado!

Chris
Visitante
Chris

Estou no 3o iphone, em 5 anos !

Nunca deram problema, nem em software ! E… Qdo derrubei um e quebrou o vidro, o seguro da Apple me deu um celular novo na hora.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

‘Então não há problema….a marca chinesa não se compara à dos EUA em qualidade….’

Tente convencer o próprio Trump disso.
Garanto que ele está muito preocupado com a situação.

teropode
Visitante

Trump não vale , ele sobretaxa produtos feitos na China por empresas americanas kklkklkkk, ele é doido de pedra e fujao, os curdos odeiam o cara.

giovanni
Visitante
giovanni

O dono da Huawei acabou de ser pego dizendo que ele e toda sua família usam Iphones.

Jodreski
Visitante
Jodreski

Trump não está preocupado com isso mas sim que as linhas de produção migraram para países aonde a mão de obra é barata (normal). Frente a isso empresas americanas passaram a gerar empregos em outros países para vender produtos para o próprio mercado americano. Trump quer os postos de trabalho de volta, a ideia em sí não é errada, só acho que tiro pode sair pela culatra (ou não) veremos essa conta daqui alguns anos…

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Flanker, por Ippon

XFF
Visitante
XFF

Verdade, Kings. Os Chineses estão fabricando mais navios de guerra que os EUA atualmente. Daqui alguns anos fabricarão mais aviões rapidamente que os EUA.
Chinesa tem dinheiro e milhões de engenheiros capacitados para essa tarefa. Gastam fortunas em pesquisas e em desenvolvimento.
Tio Sam vai ter que apelar cada vez mais em sanções……

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Os fatos estão aí.
A ascensão chinesa é impressionante.
Estão focados em assumir a liderança em todos os setores.

Jodreski
Visitante
Jodreski

Isso é normal… é um país em crescimento, quanto maior ficará sua economia mais difícil será da fazê-la crescer, não vai demorar muito para a economia Chinesa crescer mais modestamente (aliás já começou). Mas sim ela terá a liderança em alguns setores é questão de tempo, outros ainda serão dos americanos e alguns os japoneses ficarão firmes e fortes tb (não se esqueçam da terceira economia do mundo).

Cavalo-do-Cão
Visitante
Cavalo-do-Cão

Qualquer celular hoje é melhor que as porcarias da apple…pois todo o seu sucesso se construiu só com campanhas de marketing e não pela a qualidade de seus produtos…o que a apple vende hoje é apenas a sua marca… O Steve Jobs foi um grande empresário somente isso…O Steve Jobs foi um gênio do marketing e do capitalismo estadunidense…É dele a frase: “O consumidor não sabe do que precisa, assim criamos a necessidade para ele”… Todos os fanáticos por tecnologia são suas melhores vítimas, além de serem maus brasileiros, pois nenhum centavo do que gastam fica aqui…Na verdade nada mais… Read more »

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Simplesmente surgiu uma segunda Apple melhor ainda! Isso sim!

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

“O equivalente no negócio de caças são aeronaves projetadas para durar talvez 3.500 horas de voo, que a Força Aérea dos EUA compra em lotes de centenas e substitui em intervalos de 10 anos ou menos.”

Na América Soviética, caças são produzidos como itens descartáveis, para manter as linhas de produção ativas e a baixo custo.

Onde foi que eu vi isso antes?

Hermes
Visitante
Hermes

Quando li a matéria pensei exatamente nisso. Há um quê de modus operandi soviético nisso tudo.

Joanderson
Visitante
Joanderson

E inegável a lacuna tecnologica entre EUA e o resto do mundo,a Rússia tenta fazer oq pode mas é evidente qui não conseguem acompanhar.

João Souza
Visitante
João Souza

Os americanos ainda estão em vantagem com certeza…

Mas os chineses estão imprimindo muita velocidade e aumentando gradualmente a qualidade de seus produtos. Se vc investe em pesquisa, uma hora o resultado vem.

Alexcg
Visitante
Alexcg

Pode existir lacunas em alguns pontos pq por exemplo a atrasada china ta construindo o maior acelerador de particulas do mundo que sera a maior maquina criada pelo homem no planeta então os EUA e avançado é mais outros países tb desenvolvem tecnologias diferente.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Eu acho que esse Roper está viajando na maionese, eu não consigo imaginar a usaf usando um caça “descartável”, esses supostos caças provavelmente serão mais tecnológicos que o atual F-35, e alguém consegue ver uma aeronave ainda mais capaz que um F-35 ou F-22 sendo “descartável”?
A doutrina da usaf sempre foi diferente da soviética, essa comparação entre smartphone e caça, para mim não faz muito sentido.

Piletti
Visitante
Piletti

O problema é que a URSS da vez são os próprios USA, a China está caminhando a passos largos para se igualar totalmente com a águia…

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Maionese!?!?!
Alguns usuários vão ter que comer o F-35 com muita maionese pra engolir!
Muita mesmo!

Kemen
Visitante
Kemen

Em materia de desenvolvimentos na industria militar, quando uma vai desenvolver alguma coisa, as outras vão fazer também, é assim, quem pode pode, quem não pode pelo menos tenta. A furtividade é um exemplo, tem alguns furtivos disponiveis, e outros projetos estão correndo atrás, o TEMPEST e o FCAS podem ser no futuro realmente competitivos com a industria norte americana, mas os norte americanos já estão pensando em fazer coisa melhor que os F-35, e talvez não sejam tão caros como foram os F-22 que por enquanto ainda os considero superiores.

india-mike
Visitante
india-mike

Algo interessante nessa proposta dessas duas últimas matérias é que tal abordagem necessariamente precisa que as empresas se dividam em estúdios/bureaus menores pra permitir o desenvolvimento simultâneo de diversos projetos, e isso abriria uma potencial brecha para empresas como a EDS (talvez em parceria com a Saab e/ou Boeing) competirem com as gigantes — Até pq a Boeing por exemplo poderia ter outros projetos sendo desenvolvidos simultaneamente sem prejuízo entre eles.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Uai !!!!
Ñ era para o F-35 “Deus Vivo” suprir tudo e todos!?!?!
Durante uma eternidade!!!
Foi rápido demais uai só 5 anos!?!?!!
Eu tô avisando desde do primeiro rollout que ñ valia o quanto pesava!
Nossa deve tá cheio de “viúvas” pelo mundo afora esgoelando.

Salim
Visitante
Salim

Sergio, eles já estão pensando e trabalhando o futuro. Sair na frente conta muito, eles já tem caças operacionais a mais 25 anos.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Pois é, Sérgio Luís.
Pensei a mesma coisa.
Uma das justificativas para os estratosféricos custos do F-35 é que ele substituiria tudo e a todos durante décadas.
Com o tempo se pagaria.
E….. já está acabando?

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Se essa informação cair na “boca do povão” ninguém mais compra o F-35!
Melhor ficar com os de 4++ geração e aguardar o que está pra surgir em 5 anos.

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

A lição que fica e que por vezes não enxergamos que depois de ultrapassarmos obstaculos, criamos outros para que os outros se virem, ou seja, sempre um passo à frente. O problema é que muita gente não enxerga, ou não quer enxergar esse fato. Os ianques estão estudando novos obstáculos enquanto outros estão apenas na esteira.

Gabriel Silva
Visitante
Gabriel Silva

Legal

teropode
Visitante

CARA*** , a comparação com o iPhone é cômica, como comparar um produto que leva 12 meses do projeto até a prateleira ? Entendi o conceito mas trocar de caças a cada 10 , 15 anos , como era feito em décadas anteriores não faz sentido , ao passo que se alcança determinadas tecnológicas o Baú vai ficando vazio , a não ser que pretendem revolucionar de fato tudo , inclusive aplicar a propulsão eletromagnética e a tal DOBRA. Na verdade tomaram um choque com a filosofia do ” muito abraça e pouco aperta” , perceberam que o inimigo não… Read more »

Norton
Visitante
Norton

Não se pode falar em insolência programada, quando se trata de produtos de defesa, na ordem de bilhões de dólares. Os EUA dormiram no ponto durante décadas, talvez seja o momento de dar o troco aos Soviéticos e Chineses, ou seja praticar a espionagem industrial.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Norton,

Explica para mim, porque os Estados Unidos deveriam fazer espionagem industrial, de algo que eles mesmos criaram e desenvolveram, e foram espionados e copiados pelos adversarios. Ta louco?

Espionar o que, nesses paises, que copiam tudo dos EUA.

Voce ta de sacanagem comigo.

Hermes
Visitante
Hermes

EUA dormindo no ponto? Soviéticos? Acho que o descongelamento rápido não te fez bem, melhor passar mais uns anos hibernando. A URSS se findou em 08/11/1991.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Senhores, Os russos e o chineses ainda estao tentando fabricar jatos stealth sem grande sucesso, equanto que os EUA ja estao pensando em revolucionar outra vez, a tecnologia de manufactura de aeronaves de combate. Por esse, e por muitos outros motivos, a industria americana; especialmente a industria belica, lideram amplamente o setor. Essa vanguarda e supremacia americanas, se baseiam na criatividade, na pesquisa e na inovacao tecnologica de produtos, e tambem em metodos e processos industriais. Equanto isso o resto do mundo copia ou tenta acomphar a corrida. Praticamente quase todas a tecnologias revolucionarias (entre os 80 a 90%) que… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Já devem estar a voar. Sempre me surpreendo a cada avião que entra em operação, como o F-35 nos dias de hoje, porém sempre que isso acontece fico a pensar no que já está voando e ninguém viu ainda…

Jnoll
Visitante
Jnoll

um off topic pessoal
será que a barca é boa de embarcar Embraer?!

https://www.seudinheiro.com/apertem-os-cintos-a-boeing-esta-falindo/amp/

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Cadê os fiéis escudeiros do “Deus Vivo” F-35?!?
Os caras sumiram uai!!
5 anos dá pra curtirem um pouco ainda!!!
Tem um filme que reflete bem essa situação.
” Deuses Caídos”

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

O F-35 será o F-16 dessas novas traquitanas.

carvalho2008
Membro
Famed Member

A Força Aerea tentar implementar o exemplo da produção de IPhones nos projetos de caças…é isto que ela quer dizer….não adianta fazer algo faraonico, caro e arriscado de demorar a implementar, pois a tecnologia está tao rapida que move o produto a obsolescencia muito rapido, tão rapido que contratos ainda estão em andamento e compromissos financeiros contraidos, que nem lhe permite abandonar o projeto ou corta-lo, resignando-se então a mante-lo e cruzar os dedos ate o seu final….a conclusão é que muito recurso fica empatado…. Quando ela fala de avião, entendi que fala do conjunto, não necessariamente um avião todo… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Outro dia recordei uma frase que li, dita por um oficial turco a um oficial ingles na 1. Guerra Mundial e que me lembro até agora: “Impérios começam e terminam, assim foi com a Grecia, com Roma, e quando vocês cairem nós ainda estaremos aqui, onde sempre estivemos.”

jommado
Visitante
jommado

Diferença entre capitalismo ( livre iniciativa,liberdade econômica,transparência) e comunismo( estado controla tudo,mercado manipulado,subserviência de idéias). O comunismo é só um ufanismo surreal que vence sucumbir ao próprio peso!

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Enquanto isso, o que sabemos sobre os projetos da Rússia e China; É que são super mega ultra imbatíveis, e já estou produzindo caças de décima geração.
Sempre com recursos infinitos e produção em escala interplanetária.
Quem lê sputinice e russia beyond não me deixa mentir.

Marcelo Danton
Visitante
Marcelo Danton

Poxa!!! E a queima de carbono…Certeza que, em paralelo, haverá a formação da industria do desmanche de alta tecnologia.

Marcelo Danton
Visitante
Marcelo Danton

O futuro militar está nos DRONES & IA e soldados ultra capacitados (esqueleto/armadura de guerra acoplado). O resto é balela para tentar dar sobrevida a industria obsoleta.
A industria 4.0 está em formação. Roda D’água/Tear. Linha de produção/Ford, Robotizada/Internet,

Marcelo Danton
Visitante
Marcelo Danton
Marcelo Danton
Visitante
Marcelo Danton
Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Fui um dos primeiros a comentar isso.
O futuro será dos drones e I.A.
Os americanos enterraram um trilhão nesse projeto na esperança de monopolizar parte do mercado, obviamente, o que está em sua área de influência.
Acabaram se dando muito mal.
Estão com um enorme e caríssimo abacaxi nas mãos.
Isso porque não estamos contabilizando as novas tecnologias de detecção que tornarão esses aviões iguais a quaisquer outros.

Bosco
Visitante
Bosco

Antônio,
Ainda bem que você está atento à evolução da tecnologia e da doutrina militar. Tomara que as autoridades americanos tenham o costume de visitar a Trilogia.
*Só como curiosidade, você tem ideia de quem já usa drones com função de ataque há 50 anos?

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kings,

Coitado dos americanos hein.

Os caras fazem tudo errado, são uns acéfalos.

Ainda bem que existem os chineses para salvarem a civilização.