Home Aviação de Treinamento Nota de Falecimento de uma lenda: Joseph Kovács

Nota de Falecimento de uma lenda: Joseph Kovács

3458
33
Joseph Kovács e o T-25

Joseph Kovács ficou mundialmente conhecido pelo desenvolvimento das aeronaves T-25 Universal, usada há mais de 40 anos no treinamento de cadetes da Força Aérea Brasileira (FAB) e do bem sucedido T-27 Tucano, que teve mais de 630 unidades exportadas para 14 forças aéreas.

A bem sucedida trajetória de Kovács na aviação começou quando ele desembarcou no Brasil em 1948, aos 23 anos de idade, logo depois de terminar o curso de engenharia mecânica, onde se graduou como melhor aluno da então Escola Técnica Superior do Reinado Húngaro.

Nessa época do pós guerra, o Brasil ainda nem sonhava em ter uma Embraer, mas estava livre para construir a sua indústria aeronáutica. “A primeira coisa que se tira de um perdedor de guerra é a aviação. Na Hungria não podíamos voar nem em planador”, lembra. No pós guerra, o Brasil nem sonhava em ter a Embraer, mas estava livre para construir sua indústria.

“Sou imigrante de aviação”, definia-se este entusiasta da aviação, que ao longo de 65 anos como piloto privado, acumulou 4.500 horas de voo. No Brasil, o engenheiro logo foi selecionado pela comissão brasileira que convocava mão de obra vinda da Europa e procurava jovens qualificados como ele.

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) foi seu primeiro emprego. “Ali dei início aos projetos de planadores e de aviões pequenos e também pude dar continuidade ao meu passatempo preferido, que era voar planadores em um campo de aviação em Butantã”, conta.

Quando soube da iniciativa do surgimento do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), no começo da década de 50, mudou-se para São José dos Campos, onde passou a fazer parte do grupo liderado pelo pioneiro da aviação alemã, Hendrich Focke, empenhado no desenvolvimento do Convertiplano, o primeiro avião com decolagem e pouso vertical do mundo.

T-25 Universal

O projeto, concebido para ser o mais avançado do mundo em sua categoria, não foi adiante por falta de recursos. Na unidade da Construtora Aeronáutica Neiva, hoje empresa do grupo Embraer em Botucatu, Kovács passou a fazer parte da divisão de projetos da empresa em São José dos Campos. Com 57 aviões e planadores no currículo, todas ideias originais, ainda que nem todas produzidas em série, Kovács revolucionou o projeto de aeronaves da categoria do Tucano, ao propor um treinador a turboélice, já que os anteriores eram equipados com motor a pistão.

A ideia desse tipo de avião, segundo Kovács, surgiu durante o desenvolvimento do T-25, no começo da década de 60, antes mesmo da Embraer ser inaugurada. “Na época, ninguém acreditava nesse tipo de avião. Foram necessários 16 anos para convencer as pessoas de que o treinador turboélice tinha futuro”, conta.

O T-27 Tucano também foi o primeiro treinador básico turboélice a utilizar assentos ejetáveis configurados em tandem, além da hélice funcionar com uma única manete, facilitando a operação e tornando a pilotagem similar a de um avião a jato.

Embora o Tucano tenha tido mais sucesso comercial, é do projeto do T-25 do qual Kovács tem as melhores lembranças. “Esse foi o mais especial da minha carreira. Por ser um projeto menor, participei mais ativamente de todos os detalhes do desenvolvimento”, comenta.

O T-25, conta o engenheiro, também trouxe inovações para os aviões de treinamento primário usados no Brasil, já que os modelos em operação na época, como o T-6, não faziam voo invertido. Por ser um avião extremamente robusto, afirma o engenheiro, o T-25 continua em operação até os dias de hoje.

YT-27 Tucano no primeiro voo
YT-27 Tucano no primeiro voo

O modelo também chegou a ser usado na Esquadrilha da Fumaça até a chegada do Tucano. “Os tanques de combustível do T-25 foram concebidos em chapa de alumínio maleável, o que garantiu maior resistência a rupturas em caso de acidentes”. Nos testes estáticos feitos para verificar a resistência do material, o dispositivo de suporte para o teste quebrou antes da peça, que não se rompeu e sofreu uma carga 50% acima do mínimo exigido.

Para seus projetos pessoais, como os aviões acrobáticos K-51 e o K-55, Kovács utiliza um galpão no Aeroclube de São José dos Campos. “O K-51 tem uma asa mais avançada e moderna que o Tucano”, diz. O desempenho excepcional da asa chamou a atenção do visionário engenheiro aeronáutico Luiz Paulo Junqueira, fundador da Novaer, falecido em 2010.

O trabalho artesanal, feito com peças em madeira e material composto na asa, tem o apoio dos dois filhos de Kovács.

O mais novo, segundo Kovács, é piloto internacional de companhia aérea, já trabalhou na Embraer e possui curso de piloto de provas feito na França. O do meio está hoje na Embraer. O mais velho, conta, morreu em um acidente aéreo, em 1978, depois de um voo de instrução no Aeroclube de Baurú.

Kovács alçou voos mais altos nesta madrugada, de forma serena e suave, como as aeronaves que projetou!

FONTE: GEA – Grupo de Ensaios e Avaliações

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
smichtt
smichtt
1 ano atrás

Puxa vida. A gente vai morrendo aos poucos, na medida em que pessoas as quais formam nosso quadro de referências se vão…

Jorge alberto
Jorge alberto
Reply to  smichtt
1 ano atrás

Sem mais!

Disse tudo!👏👏👏

ODST
ODST
1 ano atrás

Uma grande perda de uma grande mente.

Mauro
Mauro
1 ano atrás

Herói nacional.

JT8D
JT8D
1 ano atrás

Descanse em paz! Embora não tenha nascido no Brasil, foi mais brasileiro do que muitos

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  JT8D
1 ano atrás

Verdade.

GFC_RJ
GFC_RJ
1 ano atrás

Este merece todas as homenagens possíveis. Missão cumprida e descance em paz!

Régis Athayde
Régis Athayde
Reply to  GFC_RJ
1 ano atrás

Realmente. Se no futuro decidirem substituir o T-27 Tucano como treinador da FAB, bem que poderiam nomeá-lo de T-X Kovács.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Régis Athayde
1 ano atrás

Ótima idéia.

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

Excelente profissional, referencia absoluta para a nossa aviaçao! Que tenha um otimo plano de voo…

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Rommelqe
1 ano atrás

Realmente.
Agora ele está voando em céus muito mais altos. Que descanse em paz, na presença de seus antepassados, junto a Deus.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 ano atrás

O Brasil não pode reclamar de sua história na aviação recheada de gênios, se hoje não somos uma potência aérea de primeira grandeza definitivamente não foi por falta de cérebros, infelizmente mais um se vai, meus sentimentos à família!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

Realmente. Muitos como ele e Focke foram para o Brasil no pós-guerra, assim como o incrível Kurt Tank e Ulrich Rudel para a Argentina. Mas de alguma forma o estopim de potência aeronáutica não quiz acender por essas bandas.

Joli Le Chat
Joli Le Chat
1 ano atrás

Que Deus o tenha e dê forças à sua família nestas horas difíceis.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Ele esteve envolvido, de alguma forma, tambem com o Super Tucano?
Esse sim podemos chamar realmente de brasileiro e patriota, por tudo que fez e representou a nossa indústria aeronáutica. Que fique em paz.

LucianoSR71
LucianoSR71
1 ano atrás

Todas as homenagens devidas ao grande Joseph Kovács, que veio ao Brasil por causa da ocupação soviética no pós 2ªGM – que belo presente ganhamos.
Quantos engenheiros e entusiastas foram influenciados por ele, que também sofreu influência de outro grande projetista aeronáutico: o italiano Stelio Frati. Sua aeronave Falco F8 de belas linhas impressionou ao Kovács, percebendo-se nos traços do leme tanto no T-25 quanto no T-27 uma grande semelhança no design. Grandes artistas e suas belas obras sempre geram bons frutos.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

Uma pena que ele tenha ido sem um substituto nacional do T-25 ter sido encomendado.

_RJ_
1 ano atrás

Tive a honra de conhecê-lo pessoalmente, e de tê-lo como orientador no curso de especialização da Embraer (PEE). Aprendi muito com ele. Uma pessoa fantástica, ser humano sem igual. Descanse em paz, professor Kovács. O céu sempre será sua casa.

Aéreo
Aéreo
1 ano atrás

Uma lenda do projeto aeronáutico. Fosse norte americano, seria mundialmente reconhecido como um excepcional engenheiro projetista de aeronaves leves. Descanse em paz velho mestre!

Hélio
Hélio
Reply to  Aéreo
1 ano atrás

Mas ele era mundialmente reconhecido como um excepcional engenheiro e projetista de aeronaves leves.

Wagner
Wagner
1 ano atrás

Grande perda… Tenho a impressão (e o medo) que estamos vendo a última geração de gigantes se esvanecer sem que hajam substitutos à altura…

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Justa homenagem do PA.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

2019 está sendo um ano duro. Muitas perdas valiosas. Uma lenda, um gênio! Que Deus console os familiares.

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

Infelizmente nosso país está em mergulho sem retorno no campo tecnológico. Os competentes estão indo embora e ficamos apenas com “jóias” e analfabetos funcionais de nível superior. Fim dos tempos por aqui.

Eduardo dos Anjos
Eduardo dos Anjos
1 ano atrás

Descanse em paz meu caro, saudações de Bauru.
PS: no texto a grafia correta é “Bauru” e não “Baurú”…
Outra correção, o acidente ocorreu em 1979 e não em 1978, o avião que o filho dele pilotava era um Embraer EMB-110 Bandeirante… da TAM na época.. e não era um voo de instrução, ele estava indo para o Aeroporto de Congonhas com 16 passageiros…

Denis
Denis
1 ano atrás

A grande mídia, diga-se marrom, não dá uma linha de nota para pessoas da importância dele. As escolas também não abordam. Prefere-se cultuar mitos no Brasil, ao invés de se valorizar quem realmente busca o crescimento do país. Excetuando-se Santos-Dumont, o qual desde pequenos é-nos apresentado, perecem no obscurantismo a existência e/ou memória de outras grandes personalidades que fomentaram o crescimento científico e tecnológico do Brasil. Só ouvi falar do Barão de Mauá e César Lattes depois de adulto, após a universidade. Tinha contato com curriculum Lattes, e não sabia de onde tirava o nome, só para citar exemplos simples,… Read more »

Jose de Fatima Nogueira Peixoto
Jose de Fatima Nogueira Peixoto
1 ano atrás

Presenciei uma cena muito bonita em que ele estava encostado em uma das suas criações recentes no Aeroporto de São José dos Campos e a Esquadrilha da Fumaça com os T-27 estava taxiando para iniciar uma apresentação. Fiquei pensando naquela estória do criador e a criatura(s)!, pena que não pude fotografar!

Antonio Palhares
Antonio Palhares
1 ano atrás

Um daqueles componentes do grupo que fazem as coisas acontecerem neste país de memória curta. Ele faz parte do Brasil que dá certo. Mesmo na eternidade.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
1 ano atrás

Na primeira foto não é o T-25, é a maquete do Novaer.

Fred
Fred
1 ano atrás

Foi-se um engenheiro brilhante e um homem extraordinário. Tristíssimo.

Rodrigo
1 ano atrás

Perda inestimável , mais o seu legado esta nos céus para sempre .

E enquanto isso na grande mídia nem se quer uma nota ou menção do falecimento de uma pessoa tão importante na aviação brasileira, é triste isso.

Meus pêsames a família e que descanse em paz certo da missão cumprida.

Carlito
Carlito
1 ano atrás

Uma grande perda. Minhas homenagens a este grande nome da engenharia aeroespacial, e um dos filhos mais ilustres da comunidade húngara. Esteja em paz!

Jorge alberto
Jorge alberto
1 ano atrás

As vezes fico a “filosofar”: sera q em vida, ele sabia o qto era querido e admirado p brasileiros?🤔