Home Aviação Executiva Embraer faz primeira entrega do Praetor 600, seu mais novo jato executivo

Embraer faz primeira entrega do Praetor 600, seu mais novo jato executivo

4193
45
Praetor 600
Praetor 600

Aeronave entra no mercado na liderança da categoria supermédio

São José dos Campos, SP, 28 de junho de 2019 – A Embraer anunciou hoje a primeira entrega do seu mais novo jato executivo, o Praetor 600, da categoria supermédio, para um cliente europeu. A cerimônia de entrega foi realizada na unidade de São José dos Campos (SP), onde o primeiro Praetor 600 saiu da linha de montagem híbrida em que o Legacy 450 e Legacy 500 também são produzidos. A montagem do Praetor 600 também ocorrerá, em breve, em Melbourne, Flórida (EUA), onde a Embraer já realizou a montagem de mais de 360 aeronaves dos modelos Phenom e Legacy desde 2011.

“Estamos muito satisfeitos com a primeira entrega do Praetor 600 e confiantes de que o nosso cliente ficará fascinado com o jato executivo mais avançado tecnologicamente e mais disruptivo a entrar no mercado”, disse Michael Amalfitano, Presidente e CEO da Embraer Aviação Executiva. “O Praetor 600 certamente criará uma nova experiência de valor para nossos clientes e os apoiará tanto no âmbito pessoal como empresarial.”

Lançado e apresentado em outubro de 2018 durante a NBAA-BACE (National Business Aviation Association’s Business Aviation Conference and Exhibition), o Praetor 600 foi certificado em abril de 2019, apenas seis meses após seu anúncio, se tornando o único jato da categoria supermédio a ser certificado desde 2014.

“O Praetor 600 libera todo o potencial da sua plataforma por meio de um avançado projeto de design, engenharia e tecnologia nunca antes visto na categoria de cabines médias”, disse Daniel Moczydlower, Vice Presidente de Engenharia e Tecnologia da Embraer. “Com tecnologia Full Fly-by-Wire de quarta geração desenvolvida pela Embraer e mais de 25 patentes registradas pelas inovações na arquitetura e design do seu interior, o Praetor 600 proporcionará aos clientes a experiência mais exclusiva da indústria e elevará as suas expectativas de jatos executivos.”

Entrando na liderança do seu segmento, o Praetor 600 é uma aeronave pioneira, sendo a primeira com tecnologia Full Fly-by-Wire que, além de reduzir turbulências em voo fazendo com que passageiros tenham um voo muito suave, torna o voo o mais eficiente possível.

O Praetor 600 é agora o jato executivo de porte supermédio com maior alcance, com capacidade de fazer voos sem escalas entre Dubai e Londres, Paris e Nova York, São Paulo e Miami. Com quatro passageiros e reservas NBAA IFR, o Praetor 600 tem um alcance intercontinental de 4.018 milhas náuticas (7.441 km), com a capacidade de carga útil mais alta de sua classe, e a Mach 0.80 o alcance é de 3.719 milhas náuticas (6.887 km).

Sobre o Praetor 600

O Praetor 600 é a aeronave mais inovadora e tecnologicamente avançada a entrar na categoria dos jatos supermédios, oferecendo a melhor experiência ao cliente com uma combinação inigualável de desempenho, conforto e tecnologia. O Praetor 600 será o jato executivo de porte supermédio mais avançado, que permite voos sem escalas entre Londres e Nova York. Com quatro passageiros e reservas NBAA IFR, o Praetor 600 terá um alcance intercontinental de 4.018 milhas náuticas (7.441 km), com a capacidade de carga útil mais alta de sua classe, e a Mach 0.80 o alcance é de 3.719 milhas náuticas (6.887 km).

Sendo o único jato executivo de porte supermédio com tecnologia Full Fly-by-Wire e redução de turbulência, os passageiros aproveitarão o voo mais suave possível em uma cabine de 6 pés de altura, complementada por inigualáveis 5.800 pés de altitude da cabine para maior conforto dos passageiros. O Embraer DNA Design da cabine inclui oito poltronas totalmente reclináveis que podem ser convertidas em quatro camas para descanso completo. A cabine inclui uma cozinha na entrada, um lavabo privativo traseiro com toalete a vácuo e uma área de bagagem dentro da cabine de passageiros. O espaço total para bagagem é o maior da categoria de jatos supermédios.

A tecnologia avançada também é abundante em toda a cabine, começando com o Upper Tech Panel, exclusivo da indústria, que exibe informações de voo e oferece recursos de gerenciamento de cabine, também disponíveis em dispositivos pessoais por meio do Honeywell Ovation Select. O Gogo AVANCE L5 e a conectividade de alta capacidade e de alta velocidade para todos a bordo estão disponíveis por meio de banda Ka da Viasat, com velocidades de até 16Mbps e IPTV, outro recurso exclusivo entre os jatos executivos de médio porte. Um sistema opcional de entretenimento a bordo consiste em um sistema de vídeo de alta definição, surround sound e várias opções de entrada de áudio e vídeo.

O Praetor 600 apresenta o avançado painel de aviônicos Pro Line Fusion da Rockwell Collins com quatro monitores LCD de alta resolução de 15,1 polegadas e capacidade de operação sem papel, com planejamento de voo gráfico e o exclusivo recurso de exibição vertical de meteorologia, alerta situacional similar ao de controle de tráfego aéreo com ADSB-IN e a capacidade preditiva do radar de identificação antecipada de cisalhamento de vento, além de gráficos e mapas Jeppesen. As cabines de comando do Praetor também oferecem opções que incluem o E2VS (do inglês Embraer Enhanced Vision System) com HUD (do inglês, Head-up Display) e EVS (do inglês, Enhanced Vision System), Sistema de Referência Inercial (do inglês, Inertial Reference System) e Sistema de Orientação de Visão Sintética (do inglês, Synthetic Vision Guidance System). O Praetor 500 é equipado com dois motores turbofan Honeywell HTF 7500E avançados e econômicos em termos de combustível, os mais ecológicos da categoria.

Sobre a Embraer Aviação Executiva

A Embraer é uma das maiores fabricantes de jatos executivos do mundo, tendo entrado neste segmento de mercado a partir de 2000, com o lançamento do jato Legacy. A Embraer Aviação Executiva foi constituída em 2005. Seu portfólio, entre os mais amplos da indústria, é formado pelos jatos Phenom 100, Phenom 300E, Legacy 450, Legacy 500, Praetor 500, Praetor 600, Legacy 650E e Lineage 1000E. A frota da Embraer Aviação Executiva excede a marca de 1.300 jatos, que estão em operação em mais de 70 países. Os clientes são apoiados por uma rede global de 70 centros de serviços entre próprios e autorizados, complementados por um Contact Center 24/7. Para maiores informações, visite executive.embraer.com.br.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer completa 50 anos de atuação nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança, Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

45
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
31 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
Mauricio R.Fernando EMBCássio SilvaWalfrido StrobelJorge Marques Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Matheus
Visitante
Matheus

Houve algum país interessado pelo P600 da EDS?

Marcos10
Visitante
Marcos10

Por hora, não. Até porque o P600 está em estudos.

Junior
Visitante
Junior

Dizem que a IAI o colocou como uma das opções para o Chile substituir o 707 condor

Mauricio R.
Visitante

Ah tá, e a IAI vai deixar de oferecer o “Eitam” (G550 CAEW), produto dela, operado pelos próprios israelenses, além da Itália e encomendado por Singapura, pra ofertar um sistema que sequer existe????
Difícil, pra dizer o mínimo.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Ótimo.

Luiz Carlos / Pará de Minas
Visitante
Luiz Carlos / Pará de Minas

É indiscutível o nível de qualidade, confiabilidade e requinte dessas maquinas . Parabéns Embraer ! Avante, Brasil !!

Felipe Prates
Visitante
Felipe Prates

Como assim com sede no Brasil???ela não é mais brasileira?!!!

Marcos10
Visitante
Marcos10

A Embraer continua sendo brasileira. O que foi vendido foi a divisão de aeronaves comerciais.
Igualmente a Bombardier, que continua sendo canadense, apesar de ter vendido os Q para outra empresa canadense, o C para a Airbus (59%), e os CRJ para a Mitsubishi.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Ops… 50%

Hélio
Visitante
Hélio

A própria Embraer nega ser brasileira.

Jorge Marques
Visitante
Jorge Marques

Que eu saiba foi vendida exceto a parte de defesa (apesar que o Super Tucano só é vendido pelos Estados Unidos e KC tem como vendedor a própria Boeing)..então…tire suas conclusões se é brasileira ou não.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Jorge… Informe-se melhor.

Hélio
Visitante
Hélio

Só quando convém.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

A Embraer tirou o Empresa Brasileira do nome e se declara uma empresa global. Agora é só Embraer S.A.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Este é um avião do porte do Legacy 600/650, só que mais curto.

Carlito
Visitante
Carlito

Não é mais curto. O Praetor compartilha da mesma célula que o Legacy.

Marcos10
Visitante
Marcos10

O Legacy tem 26 m de comprimento contra 20 m do Praetor.

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Carlito… está ocorrendo uma confusão…

O Praetor 600 compartilha a mesma célula do Legacy 500 e este por sua vez é uma plataforma desenvolvida do zero. O outro Legacy, o 650, é derivado do ERJ135.

Carlito
Visitante
Carlito

Boa tarde Fernando! Eu não havia prestado atenção no detalhe técnico no comentário do amigo Marcos10. De qualquer forma, é um belíssimo aparelho, definitivamente um avião referência em sua classe.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Exatamente…. E MUITO mais moderno.

Junior
Visitante
Junior

O Legacy vai morrer? Como anda a mudança da linha de produção dessas aeronaves de SJC para Gavião Peixoto, a Embraer vai ter que gastar uma boa grana nessa transferência. Li também, que já esta havendo algumas desavenças na divisão de ativos entre a Embraer e a Boeing

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

E este aí vai para a França.

Marcos10
Visitante
Marcos10

E eu precisando tanto de um desses…

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

O problema não é nem comprar, é manter. Embora que quem compre, consegue manter kkkkkk

RENAN
Visitante
RENAN

Tô transferindo meu consórcio, vc me paga a vista 80% do que paguei e assume o resto vai?

Jonas Silberstein
Visitante
Jonas Silberstein

Máquina fantástica, formidável em todos os aspectos. Vê-se claramente que os engenheiros agregaram o que havia de melhor, mais moderno, mais sofisticado nesse avião. Como eu falei noutro post, as asas desse avião são um capítulo à parte. Guardadas as devidas proporções de tempo e tecnologia esse avião representa o que o learjet 35 representou na década de 70/80. Muito orgulho de ver uma aeronave dessas sair da mente de engenheiros em sua maior parte brasileiros. Acho que só o preço deverá ser um problema porque em termos de avião ele certamente é “a máquina dos sonhos” na sua classe.… Read more »

Couto
Visitante
Couto

Mais um projeto de sucesso da Embraer !

Luiz Henrique
Visitante
Luiz Henrique

Um caso me chama atenção dentro da aviação executiva da Embraer, o que vai ocorrer com o modelo Lineage 1000?(que é um E-190 modificado) O Lineage saía da mesma linha de montagem do E190,se sim o que vai ocorrer agora com a Boeing assumindo a divisão comercial. Como fica a questão dos fornecedores que são basicamente os mesmos entre os dois modelos. Em relação a propriedade intelectual do projeto, ter em mãos o projeto de um Lineage 1000 é o mesmo que ter um E190 em mãos, a Boeing vai deixar? O Lineage poderia ser uma alternativa para não deixar… Read more »

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Luiz… todas estas questões já estão equacionadas e respondidas. No seu devido tempo serão divulgadas.

Marcos10
Visitante
Marcos10

O que a gente pode fazer é especular.
a) O Lineage fica com a Boeing.
b) A Boeing fabrica e a Embraer comercializa o Lineage.
c) Um P190 é exatamente isso, um sonho.

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Minhas especulações são diferentes…

A não ser a do P190 que nunca foi nada além do que um sonho de alguns.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Como é que só entregou o primeiro e segundo o texto “Aeronave entra no mercado na liderança da categoria supermédio”?

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Esquenta não…. foi só um spoiler!!!

Matheus
Visitante
Matheus

Tomara. O Legacy 500 na época que saiu o mesmo papo. Mas passou vergonha em termos de vendas perante o Challenger 350 um projeto que perde em praticamente tudo pro Legacy 500.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Pois é… Veremos.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Esse seria um assunto interessante de ser analisado. Os motivos de o Challenger 350 vender muito, mas muito mais que os Embraer Legacy 500.

André Sávio Craveiro Bueno
Visitante
André Sávio Craveiro Bueno

Talvez a facilidade de financiamento?

Marcos10
Visitante
Marcos10

O Challenger 300 entrou em operação dez anos antes do Legacy 500. Muitos compradores foram companhias de compartilhamento, ou seja, compraram grandes quantidades. Desse modo outros compradores foram na mesma linha: maior disponibilidade de peças no mercado, maior quantidade de oficinas, simuladores, etc.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Na liderança tecnológica, já que é o único com FBW e side stick.

Jota
Visitante
Jota

Pessoal, uma dúvida: existem outros jatos executivos com side stick ou só os Embraer? Pilotos habilitados no manche central mudam facilmente pro side stick? Se boa parte da aviação executiva usa manche central, essa opção da Embraer pode atrapalhar? Com a palavra, os pilotos ….

Marcos10
Visitante
Marcos10

Sim, existem outros jatos executivos que utilizam o side stick, só que de maior porte. E passar de manche para side stick é como passar de carro com câmbio manual para câmbio automático. Um pouco mais, talvez.

sergio
Visitante
sergio

Espetacular…..sem mais….

Cássio Silva
Visitante
Cássio Silva

No texto em questão, existe um frase que informa : ” Iniguálaveis 5.800 pés de altitude, para conforto dos passageiros.”
Isso é correto?
Obrigado pela atenção!

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Sim, está correto. É altitude de cabine.

Mauricio R.
Visitante

Um “Salve”, da concorrência:

(https://www.ainonline.com/aviation-news/business-aviation/2019-07-11/bombardiers-challenger-350-tops-300-deliveries)

Liderança de mercado não é caso de press release, mas de trabalho.