Home Aviação Militar União Europeia insta EUA a recuar em ameaças de sanções a empresas...

União Europeia insta EUA a recuar em ameaças de sanções a empresas de armas

4103
41
Concepção do caça franco-alemão
Concepção do futuro caça franco-alemão SCAF ou FCAS (Future Combat Air System)

Empresas americanas não querem ficar de fora do Fundo Europeu de Defesa (EDF) de € 13 bilhões (US$ 14,6 bilhões), aprovado pelo Parlamento Europeu em abril

BRUXELAS – Os projetos militares conjuntos da União Europeia (UE) não vão prejudicar as empresas de armas dos EUA, disse o principal diplomata da Europa, após outra ameaça de sanções americanas.

“A União Europeia está e permanece aberta a empresas e equipamentos dos EUA”, disse a chefe de relações exteriores da União Europeia, Federica Mogherini, em Bruxelas na terça-feira (14 de maio) após uma reunião de ministros da Defesa europeus.

“No momento, a UE é realmente muito mais aberta do que o mercado de compras dos EUA para as empresas e equipamentos da União Européia”, disse ela.

“Na UE não há ‘Buy European Act’ – e cerca de 81% dos contratos internacionais vão para empresas americanas na Europa atualmente. Eu não vejo razões reais para preocupação”, acrescentou ela.

Mogherini falou depois que duas importantes autoridades de defesa dos EUA, Ellen Lord e Andrea Thompson, enviaram uma carta em 1 de maio que ameaçava impor sanções a empresas européias de armas se novos esquemas da União Europeia para aquisição conjunta de armamentos acabassem bloqueando os EUA.

“É claro que restrições semelhantes impostas pelos Estados Unidos não seriam bem-vindas por nossos parceiros e aliados europeus, e não teríamos prazer em considerá-las no futuro”, disse a carta, que vazou para a mídia européia nos últimos dias.

FONTE: EU Observer

41
Deixe um comentário

avatar
13 Comment threads
28 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
25 Comment authors
Walfrido StrobelCjuniorAntunes 1980Rene ReisKemen Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Gabriel Ferraz
Visitante
Gabriel Ferraz

Queria saber o porque dos Estados Unidos se incomodarem tanto com a independência bélica de outros países, cara nenhum país com com decência, equilíbrio fiscal e capacidade tecnológica vai querer se misturar com os EUA, só vivem de chantagem e imposições.

JT8D
Visitante
JT8D

É por isso que eu acho a emergência da China saudável para o equilíbrio geopolítico mundial

Augusto L
Visitante
Augusto L

Saudável, só pra ditaduras 3° mundistas.
É como dizer que ascenção da Alemanha nazista era saudável para contrapor o imperalismo britânico e frances.
Cada coisa que se le.
China não respeita a ordem mundial baseada em leis.

JT8D
Visitante
JT8D

Eles são nosso principal parceiro comercial. Sem eles nosso agronegócio e nossa mineração (e, portanto, nossa economia) iriam pro buraco. Economicamente eles são fundamentais até para os EUA.

Sergio Cozini
Visitante
Sergio Cozini

1,5 bilhão e meio de pessoas são importantes… o Governo socialista NÃO!!!!!!

Se queres novamente uma grande guerra mundial, apoio a china faz sentido…

sem mais,

JT8D
Visitante
JT8D

Não é apoio. É tirar partido da rivalidade das superpotências em benefício dos interesses do Brasil

Sergio Cozini
Visitante
Sergio Cozini

Me fala qual país consegue se alinhar com os dois lados??? França, Reino Unido, Alemanha??? Não existe tirar vantagem dos dois… só tira vantagem que tem condição para isso… Qual a força politica, militar, econômica que o Brasil tem no cenário mundial??? Tanto a china quanto os EUA querem apenas pagar barato pelo plantamos… é escolher um misero lado e pronto!

Canarinho
Visitante
Canarinho

Verdade Augusto melhor mesmo eh concentrar poder numa so nação ne esperto? Historicamente ta mais que comprovado que o excesso de poder em um so pais prejudica sim o mundo. ”China nao respeita a ordem mundial baseada em leis”. Nenhuma pais no final das contas respeita tudo. Basta ver que o que grandes potencias fazem para sabotar outras emergentes apenas para nao dividir o bolo.
Agora a grande pergunta que fica no ar eh: porque tem gente que eh tao fascinado pelos estados unidos assim?

Cjunior
Visitante
Cjunior

Desde quando EUA respeita alguma lei?? Já tem demonstrado isso em diversas vezes q passou por cima de Decisões da ONU … Eles só respeitam outro poder equivalente.

Chris
Visitante
Chris

Se a China chegar no topo.. Faria a mesma coisa.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A China já está no topo.
Tem a maior população, a maior base industrial e o maior PIB por PPC (produção real sem efeitos cambiais).
Além disso já está rivalizando com os EUA e a UE em produção científica e tecnológica.
Seu comentário está atrasado uns 15 anos.

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

A própria criação da OTAN era uma estratégia para ruir o militarismo nacional dos europeus(assim como aumentada pela ameaça soviética), notadamente os franceses e alemães, e uma das consequências diretas foi a submissão do bloco ocidental aos jogos geopolíticos dos estadunidenses e o resultado é isso daí, passados exatos 70 anos e os países europeus tentando sua independência bélica perante as ameaças dos estadunidenses.

Luciano
Visitante
Luciano

E depois os chamam de “eurobambis”….Essa nova configuração geopolítica de minar o multilateralismo receberia resistência em setores estratégicos. A defesa é um deles. Quem tá com o deles na reta em relação aos ursos são os europeus. Eles precisam ter seus próprios meios….sem boicote, sem ameaças!

Chris
Visitante
Chris

Leia-se Trump ! Mas… Como qquer um faria… Tentam vender seu peixe.

Agora, duvido muito que haja sanções… Uma retaliação ferraria as exportações americanas !

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Os EUA não tem aliados e sim interesses. Não querem parceiros e sim reserva de mercado.

Chris
Visitante
Chris

E qual país do mundo faz negócios sem “interesses”?

Rene Dos Reis
Visitante
Rene Dos Reis

Sem bla bla bla , se seu fosse o dirigente dos EUA , faria exatamente o mesmo , defenderia os interesses e os postos de trabalho do meu povo.

JT8D
Visitante
JT8D

Mas você é brasileiro, né?

Rene Reis
Visitante
Rene Reis

Sim sou , olha ai o embate Eua China , o troco Chines jaesta vindo ,em 500 anos nao aprendemos nada lembra da nossa refinaria na bolivia?

Hélio
Visitante
Hélio

O mais engraçado é que se você fosse o dirigente brasileiro, fatais exatamente o mesmo, defenderia dos interesses e os postos de trabalhos… americanos.
Isso é só mais uma de 1000 provas do porquê o Brasil não deve se misturar com os EUA.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Rene, mas nesse caso quem está defendendo seus interesses são justamente os europeus, quem está de blá blá blá, mimimi e ainda fazendo ameaças são justamente os americanos.

Kemen
Visitante
Kemen

Ora Rene veja, existem limites. Não há nenhum dirigente no mundo alegando que não tenha justificado nas suas ações ou, determinações, afirmando que o fazia no interese do pais, é claro que não me refiro a dirigentes contemporaneos no momento, mas é perigoso generalizar.

-Poderia citar as ações de Hitler, Stalin, Petain, as ações dos Imperadores Romanos, Musolini, Hiroito, e outros menos conhecidos, etc.
E todos eles com o apoio da maioria de suas populações ou povos pois era para o bem de seus paises.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Algo me diz que os EUA estão um pouco desesperados.

Meira Ricci
Visitante
Meira Ricci

Business, política… Assim que se joga o jogo, nenhuma novidade ou desespero nisso!

Augusto L
Visitante
Augusto L

O texto desse jornal exclui essa parte do EDF: “Last June, the EU member states decided that third countries’ participation in projects under the auspices of the EU’s Permanent Structured Cooperation on defense (PESCO) should be an exception and requires the consent of all the European countries engaged in PESCO. Also, the EU will allow non-European participation in projects financed from the European Defense Fund only under certain conditions, such as giving Europe a say in where the new weapons systems are exported”. https://www.bloomberg.com/opinion/articles/2019-05-15/eu-u-s-defense-and-weapons-spat-could-derail-trade-talks. Nao vejo diferença nisso em relação Buy American Act, que não excluiu empresas estrageiras de concorrerem… Read more »

Carlos Eduardo Broglio Gasperin
Visitante
Carlos Eduardo Broglio Gasperin

Historicamente todo império tem seu apogeu e sua queda….

Bavarian Lion
Visitante

Todos vão comprar o f-35 para ataque e o FCAS pra superioridade aérea. Se brincar até a Lockheed compra uma licença de produção pro FCAS nos EUA e ta tudo certo.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Nao existe mais essa de avião de ataque e de superioridade aérea

Bavarian Lion
Visitante

As missões existem. E o f-35 não serve pra superioridade aérea, segundo a própria USAF fala direto.

Augusto L
Visitante
Augusto L

A Usaf nunca disse isso.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Senhores, vamos raciocinar antes de ventilar frustrações e raiva.

Empresas europeias lucram com vendas de armas financiadas pelos EUA. Airbus, British Aerospace (BAE), Rolls Royce, FN-Hestal, H&K, todas empresas de defesa europeias com filiais nos EUA. Até mesmo a Embraer Defesa lucra com as vendas do Super Tucano financiado com dinheiro americano.

Aqui os EUA estão querendo a reciprocidade. Se empresas europeias lucram com vendas de armas financiadas pelos EUA, porque este não pode exigir o mesmo para empresas americanas com filiais na Europa?

PauloR
Visitante
PauloR

Parece que a diplomacia americana já não existe mais e o país partiu para truculência para manter sua hegemonia global. A história mostra que quando impérios adotam essa política de força é porque o fim esta próximo.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

A realidade é que os EUA crescem acima das expectativas, com desemprego baixíssimo e a união europeia tem crescimento medíocre e taxa de desemprego maiores do que do Brasil. Aliás esse bloco europeu é um dos mais protecionistas que tem, e estão constantemente tirando liberdades escondidos atrás de supostas boas intenções, geralmente é assim que começa ditaduras atuais…

Junior
Visitante
Junior

E quando forem invadidos, advinha quem vão chamar ??

Kemen
Visitante
Kemen

Nada mais que jogo politico / econômico, as despesas atuais serão os lucros do futuro. Atualmente existem interesses comuns entre os paises, e alianças militares para preserva-los e defende-los, mas ninguém chamou ninguém na WW II, entraram por decisão propria, e os equipamentos fornecidos a Grã Bretanha e a Russia foram devidamente pagos posteriormente. O exelente plano Marshall de recuperação da Alemanha foi benéfico aos alemães e também aos norte americanos.

Delfim
Visitante
Delfim

Isto é guerra comercial. Jogo bruto. Esqueçam ideologia, EUA salvaram a Europa, mymymys. Aqui o que vale é $$$ e fim de papo.

Kemen
Visitante
Kemen

É saudavel que varios paises possam ser fornecedores de armas ou componentes essenciais para a industria bélica ou forças armadas dos paises, pelos seguintes motivos. -Evitar ao máximo proteções impedindo compra de componentes ou armas, boicotando o desenvolvimento técnológico da industria militar de alguns paises ou da sua defesa. -Evitar preços abusivos para a compra de componentes ou equipamentos para determinados paises. -Evitar pressões politicas ou militares do vendedor para compra de determinados componentes ou equipamentos. -Evitar ameaças de boicotes, quando os compradores pretendem se tornar mais independentes no que se refere a componentes estratégicos ou armamento. Resumido em uma… Read more »

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

A Europa foi salva da destruição total, com a ajuda gigante dos Estados Unidos.
Agora querem ganhar dinheiro com defesa, deixando o patrão de lado. Isso não pode , tá !

Kemen
Visitante
Kemen

Destruição total da Europa? Primeiro ela foi salva do radicalismo da extrema esquerda que surgia antes da segunda guerra, depois foi salva do radicalismo da extrema direita na segunda guerra. Mas da destruição total nada, isso aconteceu apenas com a Alemanha que perdeu a guerra sem se render, a cidade de Londres também sofreu bastante com as bombas, na Asia o Japão teve duas importantes cidades totalmente destruidas.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Destruição total???
No máximo teriam que suportar os alemães no comando, e passariam por um periodo de avanços tecnológicos sem precedentes sob o comando de Hitler.
Os alemães não tinham nenhum interesse em destruir a Europa.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Tinham não, so pergunte os eslavos o que é prosperidade sobre o julgo nazista.
Acho que ser escravo de uma raça superior, agora é um grande avanço.
Cada coisa que se lê.