Home Aviação de Caça Comandante da Aeronáutica participa de solenidade na Ala 2, em Anápolis (GO)

Comandante da Aeronáutica participa de solenidade na Ala 2, em Anápolis (GO)

5801
54

Além do Dia da Aviação de Caça, também foram comemorados os 47 anos da Ala 2, antiga Base Aérea de Anápolis, e 40 anos do Primeiro Grupo de Defesa Aérea

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, participou, na manhã desta segunda-feira (22), da solenidade alusiva ao Dia da Aviação de Caça na Ala 2, em Anápolis (GO). A formatura militar também marcou os aniversários de 47 anos da Ala, antiga Base Aérea de Anápolis, e de 40 anos do Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA) – Esquadrão Jaguar. Para destacar o aniversário de quatro décadas da unidade aérea, também foi inaugurada uma pintura comemorativa em um dos caças Mirage 2000.

Em suas palavras, o Comandante da Ala 2, Coronel Aviador Antonio Marcos Godoy Soares Mioni Rodrigues, destacou a importância das unidades, cuja criação está relacionada, entre outros aspectos, à defesa da recém-inaugurada Capital Federal. Ele destacou que a Ala está se transformando em um complexo operacional da Força Aérea Brasileira (FAB). “Juntamente com a ansiosa espera pela chegada da aeronave Gripen, prevista para 2021, esta Organização também aguarda o recebimento da primeira aeronave KC-390, previsto para o segundo semestre deste ano, o que reforçará o potencial estratégico da Ala 2”, afirmou.

Para marcar as datas comemorativas, houve homenagens aos ex-comandantes de ambas as unidades, bem como destaque ao chamado Dijon Boys – grupo de oito pilotos que, nos anos 1970, foram encarregados de fazer o curso de pilotagem do caça francês Mirage III, na Base Aérea de Dijon, e implementação da aeronave na FAB. Também receberam homenagens os militares não tripulantes da Aviação de Caça, por meio do distintivo de condição especial, concedido aos profissionais que apoiam as atividades por um período mínimo de cinco anos.

O Coronel Thomas Anthony Blower foi um dos homenageados na cerimônia. Membro dos Dijon Boys e primeiro Comandante do 1º GDA, ele contou que fez o curso do Mirage III na França em 1971 e, em 1973, já estava voando a aeronave em solo brasileiro. “Foi um grande salto operacional, pois passamos do subsônico para o supersônico”, explicou. O coronel diz que se emociona ao ver as novas gerações de pilotos de caça e saber que o trabalho desenvolvido por ele e seus colegas foi importante para a história.

O Comandante da Aeronáutica, que é piloto de Mirage e atuou no 1º GDA, também destacou a importância das comemorações. O Tenente-Brigadeiro Bermudez afirmou que o 1º GDA é o precursor da defesa aérea no Brasil e destacou que se trata de celebrar um momento ímpar, de homenagens ao passado e construção do futuro, já que a Ala 2 será a sede dos futuros caças F-39 Gripen. “Para a Força Aérea, é um dia de júbilo, de grande comemoração”, disse.

Mirage 2000 com pintura comemorativa dos 40 anos do 1º GDA
Mirage 2000 com pintura comemorativa dos 40 anos do 1º GDA

Comemorações pelo país

A data é comemorada por Organizações Militares da FAB em todo o país. A Ala 4, localizada em Santa Maria (RS), comemorou o Dia da Aviação de Caça com uma formatura militar presidida pelo Comandante da unidade, Coronel Aviador Elison Montagner, oportunidade em que foi lida a Ordem do Dia alusiva à data.

Na Ala 5, em Campo Grande (MS), a cerimônia foi presidida pelo Brigadeiro do Ar Augusto Cesar Abreu dos Santos e contou, também, com a presença do presidente da Associação dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira – Seção Mato Grosso do Sul, Agostinho Gonçalves da Mota. A Ala 5 sedia um dos mais novos Esquadrões da Aviação de Caça da FAB, o Esquadrão Flecha (3º/3º GAV), que utiliza a aeronave A-29 Super Tucano para cumprir a missão de defender os céus na região da fronteira oeste do país.

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
bit_lascado
bit_lascado
1 ano atrás

Linda pintura

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  bit_lascado
1 ano atrás

Só não gostei do radome pintado de preto. Matou a pintura…

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Sim, com certeza fizeram uma homenagem aos Mirage III na pintura…e, como o Mirage III possuía todo o radome preto, pintaram também todo o radome do M2000….escreveram Mirage 2000 com a mesma grafia dos Mirage III….o símbolo de alerta da cobertura explosiva do canopi também lembra a do MIII, assim como as bordas vermelhas das entradas de ar e as marcações na superfície superior das asas, incluindo os freios aerodinâmicos….tudo remete ao MIII….a intenção não era reproduzir um MIII e sim, homenageá-lo…..ainda, escolheram o M2000 4940 para homenagear os 40 anos do 1° GDA.

BILL27
BILL27
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Eu achei que o matou a pintura foi misturar este tom de amarelo com prata .

Fawcett
Fawcett
Reply to  bit_lascado
11 meses atrás

Gostei da pintura mas detesto esta mania da FAB de pintar o canopi de preto. Isso faz o avião parecer de brinquedo.

Joli le Chat
Joli le Chat
1 ano atrás

Na hora da foto, quem aparece é o equipamento aposentado…

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Joli le Chat
1 ano atrás

Militar brasileiro gosta tanto de aposentadoria que até o equipamento pra foto é aposentado.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

^^ Morri….
Festa de aposentados… Ehehhe

Reginaldo
Reginaldo
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Se pá, até o fotógrafo também é aposentado…

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

comentário totalmente inoportuno. O que estraga a Liberdade de Expressão é a Libertinagem de Expressão!!!

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

A liberdade de expressão nos dá o desprazer de ler o que pessoas adoradoras de censura comentam, mas é um preço aceitável a ser pago.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Não é censura pois você conseguiu expor seu comentário, por mais exdrúxulo que seja!! Se houvesse censura prévia, nem apareceria. como dizia Descartes: “Não concordo com nada do que você disse mas, defendo até a morte o seu direito de proferir”, acrescento: “por pior que seja!!!”

Angelo
Angelo
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Foi Voltaire que disse.

Fabrízio
Fabrízio
Reply to  Angelo
1 ano atrás

Apesar de muitas vezes atribuída a Voltaire, a frase é de Evelyn Beatrice Hall, que a escreveu para ilustrar as crenças de Voltaire, na sua biografia sobre o autor “Amigos de Voltaire”.

Fabrízio
Fabrízio
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Marcelo, concordo plenamente com seu raciocínio. Aproveito apenas, para contribuir com a informação de que sua citação não é de Descartes. Apesar de muitas vezes atribuída a Voltaire, a frase é de Evelyn Beatrice Hall, que a escreveu para ilustrar as crenças de Voltaire, na sua biografia sobre o autor “Amigos de Voltaire”.

William Duarte
William Duarte
Reply to  Fabrízio
1 ano atrás

Então de Descartes nada, a pintura está bonita, o triste é que não voa.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Putz ri demais kkk

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

Espetacular a pintura, principalmente a calda que remete ao capacete do Ayrton Senna. O Mirage III com a pintura inicial de 1973 tb ficou show!

Parabéns a estes precursores que fizeram uma História linda como essa e que hoje persiste na nova geração de Jaguares!!!

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Como fã de Fórmula 1, também percebi a referência do capacete do Aírton (apesar de ser fã do Piquet e não do Senna). Mas evidencia outra incongruência nesta pintura, pois o tricampeão nunca voou a aeronave (Mirage 2000C) e sim a antecessora (Mirage 3 biplace).

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Foi uma alusão aos 30 anos do voo do Ayrton comemorados na semana passada!! Acredito que a aeronave F-103 , por já estar pintada como foi recebida, não recebeu esta pintura nova, aproveitando o M-2000 que estão descarregados por lá.

Flanker
Flanker
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Fã do Piquet? Isso explica muita coisa….e qual a obrigatoriedade de ligar o Ayrton com um modelo de aeronave em si? Ele voou no Mirage F-103D e no F-5B…..foi condecorado Jambock e Jaguar honorário….quanto à pintura, o M2000 ficou muito bonito…uma bela mistura de cores, motivos e alusões….claro, isso no meu gosto…..mas, é uma pintura que comemora varias coisas e não apenas uma.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Cadê o comentário?!
Mimimi dos infernos. Rsrsrsrs

No mais, sabe nada de Formula 1.

Luis Marcello
Luis Marcello
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Ficou ótima , mas a palavra correta é CAUDA , pois calda é o liquido açucarado de um doce ou pudim etc ! abços !

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Luis Marcello
1 ano atrás

Luís , certíssimo! A culpa é do corretor!! Kkkkk

Coutinho
Coutinho
1 ano atrás

Parabens aos Jaguares pelo aniversario do esquadrão e a todos os caçadores pelo Dia da Aviação de Caça.

Wellington Góes
Wellington Góes
1 ano atrás

O irônico disso é fazerem tal comemoração numa aeronave aposentada. Nas forças aéreas sérias mundo a fora, esse tipo de comemoração/homenagem é feita em aeronaves operacionais, com referência das aeronaves precursoras. Aqui pintam a camuflagem de aviões aposentados em outros aviões aposentados.
Mais uma já brasileira.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Mas gente, a cerimônia comemora 40 anos da unidade! Tinha um F-5EM lá tb. Não dá para por um F-39 ainda!!

Mosczynski
Mosczynski
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Então publica a foto com o F-5! Esses brigadeiros precisam de uma aula de marketing, como ter orgulho e querer se alistar com uma propaganda dessas? Quem vai querer seguir carreira numa força aérea que conta com aviões aposentados?

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Se o F-5M é o “novo Jaguar”, então que façam a homenagem e comemoração na aeronave que existe operacionalmente e não isto.
Minha opinião.

Flanker
Flanker
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Gostaria de entender o motivo da sua birra com a FAB…..no que ela é pior em profissionalismo e seriedade em comparação com o EB e a MB? Porque você só faz esse tipo de comentário em relação à FAB…

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Não tenho “birra com a FAB”, mas repúdio os comandos dos últimos 12 anos, que transformaram a força num aeroclube, com uma série de decisões equivocadas, e agora tentam “floriar” as coisas. Esta homenagem, por exemplo, estaria de acordo se os comandos anteriores tivessem mantido os F-2000C em operação (que ainda teriam condições para tal), ao invés de forçarem a aposentadoria das aeronaves, para justificar sua escolha no F-X2. Não me admiro tu entenderes como birra, afinal a dificuldade de compreender objetivos estratégicos de alguns projetos (armamentos e sistemas embarcados, por exemplo), demonstra a limitação de entendimento do que é,… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Kkkkkk….manter os M2000 operacionais? Com qual custo? Se a FAB fizesse isso, tu seria o primeiro sabichão a dizer que estavam gastando dinheiro com algo que não valia a pena. Nossos M2000 eram dos primeiros fabricados…no início dos anos 80. Quando chegaram ao final das horas de voo precisavam de IRAN……e isso custaria os olhos da cara e mais um pouco. Mas, vindo de ti, que demonstra mais uma vez apenas achar que entende de alguma coisa desse ramo, não me surpreende. E entre manter os M2000 ou substituí-los paliativamente pelos F-5M, você acha que deveriam manter os M2000? Qual… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Flanker
1 ano atrás

É né?! Rsrsrs
Então tá, pergunta lá com o pessoal do GDA o que eles pensam disso.
Quanto ao comentário “criminoso e preconceituoso”, não é nenhuma novidade o que coloquei, então é bom parar com esse mimimi Rsrsrs
Sem mais!!! 😉

Matheus
Matheus
1 ano atrás

Muito estranho essas designações da FAB 1° GDA, 1/4° GAvCa 1/2° GT muito bizarro. Deveria mais simples essas coisas.

Flanker
Flanker
Reply to  Matheus
1 ano atrás

Não existe 1/4° GAvCa. Existe o 1° Grupo de Aviação de Caça (1° GAVCA) e o 1° Esquadrão do 4° Grupo de Aviação (1°/4°GAV)….as nomenclaturas não são muito diferentes das de outros países…..tem algums países em que a nomenclatura é bem mais complicada.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Flanker
1 ano atrás

A França, por exemplo! O Armee De L`air tem uma numeração de esquadrões parecida com a nossa: 1/2 Esquadrilhe de Chasse, 1/1, 2/3, etc..

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

Roberto, já temos um Museu Espetacular aqui no RJ. O Museu Aeroespacial, no Campo dos Afonsos. Toda História da FAB e da Aviação Brasileira.

Rodrigo M
Rodrigo M
1 ano atrás

Achei tudo lindo e de bom gosto. A família MIRAGE é a principal referência do GDA e ainda vai ser na memória de todos que acompanham a aviação de caça brasileira por muito tempo.. Como já fizeram uma pintura nesses moldes no Mirage III, agora foi a vez do 2000. E essa mistura de pinturas fazendo uma alusão ao antigo M-III com o M-2000, a figura do Jaguar e o leme remetendo ao capacete do Senna ficou top. Sem falar também da presença dos “Dijons boys” sempre emocionante! Parabéns a todos os envolvidos!

Neves João
Neves João
1 ano atrás

Não existe avião mais bonito que o Mirage, talvez só outro Mirage, realmente é de babar!

Luis Marcello
Luis Marcello
Reply to  Neves João
1 ano atrás

Concordo , mas só eu é que acha este design muito semelhante de perfil com o Gripenn sem o canard é claro ? Numa rápida visão ?

Pampapoker
Pampapoker
1 ano atrás

Nosso dinheiro indo para o ralo…pintado uma aeronave que não voa, apenas para satisfazer o ego e comemorar uma unidade sem avião , que pintasse uma aeronave que voa, ao menos teríamos uma aeronave operacional como as demais forças aéreas, no passado pintaram aeronaves comemorativas, mas ao menos voavam.

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
Reply to  Pampapoker
1 ano atrás

Pintar F5? A1?
Melhor deixar pintado um Mirage e deixar ele fazer parte de um museu mesmo para contar a história da aviação de caça… Depois, para pintar um caça assim, teria que deixar ele parado por alguns bons dias, já tem poucos, imagina parar eles. Quanto aos valores? Não acredito que tenha pesado tanto assim no orçamento da FAB.

Pampapoker
Pampapoker
Reply to  Douglas Rodrigues
1 ano atrás

Prefiro um F5 ou A1 pintado sim, pois o dia que a FAB pintou o MIRAGE 3, ele por exemplo, aparecia nos portes abertos das bases aéreas desse nosso Brasil, sendo assim eu tenho a foto desse Mirage, ao menos quem visitava uma base aérea, tinha a oportunidade de ver essa aeronave, nesse caso, só quem for a Anápolis para poder ver esse Mirage.

Paulo B
Paulo B
1 ano atrás

Sou da mesma opinião que demoramos muito para renovar os caças. Deveríamos ter feito isso há 20 anos, em quantidade suficiente.

Mas a cada oportunidade ironizar, trollar, etc … A ironia perde o sentido. Ao invés de ser uma ferramenta de mudança, torna-se apenas mimimi! E as pessoas já não ouvem ou leem.

Denis
Denis
1 ano atrás

Aquele brasão pintado abaixo do canopy parece uma insígnia russa. Que coisa: cabine russa, deriva jamaicana e fuselagem da Puma. Mas, sem a “insígnia russa”, ficaria 10.

Flanker
Flanker
Reply to  Denis
1 ano atrás

Aquele brasão é o símbolo do 1o GDA…..nada mais natural que esteja ali…..eu só o colocaria no lugar onde era usado normalmente. …logo atrás da entrada de ar (mais comum) ou no estabilizador vertical (mais raro … foi usado ali nos primeiros anos de operação dos MIII).

Mosczynski
Mosczynski
1 ano atrás

A pintura comemorativa é legal, faz parte, mas fazê-la num avião que já foi aposentado é dureza… Pinta qualquer coisa, mas algo que esteja voando pelo menos…

Cel. Heraclides
1 ano atrás

Concordo com um nobre comentarista que disse que as unidades devem ter um espaço para preservar sua história e memória.
Porque tudo tem que ser no Rio?
Brasília já é a capital a décadas.
No Rio aonde milhões de Brasileiros jamais visitarão por falta de condições financeiras e tal…

Tales
Reply to  Cel. Heraclides
1 ano atrás

Na antiga base aérea de Natal tem vários aviões em exposição estática, SÃO B-25,B-26,T-37,T-23,-T25,T-27,AT-26,H-50, todos expostos ao tempo que em Natal o sol não alisa ninguém, como a base é gigantesca principalmente a base oeste poderia cria um espaço coberto para criar um museu contando a história da aviação militar no RN.

Chris
Chris
Reply to  Tales
1 ano atrás

Aqui na base aérea de Hamamatsu (Japão) fazem isso… Tem um museu dentro da base, aberta a visitação do público. Tem até misseis !

Flanker
Flanker
Reply to  Cel. Heraclides
1 ano atrás

Roberto, na Ala 4, em Santa Maria, há um AT-26, um H-1H e um A-1A preservados na forma de monumentos. Em frente à Ala 4, em um pórtico fora dos seus limites, há outro AT-26 e próximo ao centro da cidade há outro H-1H, ambos também na forma de monumentos. No Aeroclube de Santa Maria, que funciona junto ao aeroporto, ao lado da Ala 4, há um Fairchild PT-19 preservado.

Carlos Av
Carlos Av
1 ano atrás

Mirages são bonitos por natureza, o Mirage 4000 é lindo demais, pena que não vingou

Christian Eugênio Ribeiro
Christian Eugênio Ribeiro
1 ano atrás

Parabéns à Força Aérea Brasileira!
Tive a honra de ser subordinado ao Tenente Brigadeiro Bermudes quando foi comandante da Base Aérea de Brasília em 2002 e ao Tenente Coronel Mioni quando ele era o DT do Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa em 2017.
Voar e fazer voar!
Brasil! Cerrado!

Cel. Heraclides
1 ano atrás

Segundo fontes, o verdadeiro “berço” da aviação no Brasil, é Osasco-SP, quando o Espanhol naturalizado Brasileiro Dimitri Sensaud de Lavaud, realizou o primeiro voo do Brasil e America Latina, no dia 7 de janeiro de 1910.
Parabéns a esse desbravador dos ares, extensivo com méritos a Bartolomeu de Gusmão e Santos Dumont.