Home Aviação de Treinamento Primeiro voo do M-345 HET de produção em série

Primeiro voo do M-345 HET de produção em série

7973
14
M-345 HET
Aermacchi M-345 HET

ROMA — A primeira aeronave de treinamento básico/avançado M-345 HET (High Efficiency Trainer) executou com sucesso seu primeiro voo no aeroporto Venegono Superiore (Varese, Itália) no dia 21 de dezembro com os pilotos Quirino Bucci e Giacomo Iannelli a bordo.

Quirino Bucci, Piloto de Teste de Projeto de Treinamento da Divisão de Aeronaves, disse: “O avião teve um excelente desempenho, atendendo perfeitamente aos parâmetros e às expectativas do projeto. O motor, em particular, mostrou uma resposta excepcional às mudanças de potência, um fator-chave para o papel que o M-345 desempenhará, particularmente para voos acrobáticos. Também testamos os avançados sistemas on-board e estou extremamente feliz com a excelente integração de aviônicos e a interface homem-máquina. ”

Lucio Valerio Cioffi, diretor administrativo da Divisão Aeronáutica de Leonardo, disse: “Estou extremamente feliz com o que fizemos até agora e com o pouco tempo necessário para alcançar um resultado tão excelente. Graças ao seu desempenho e ao sistema de treinamento integrado, o M-345, que já gerou interesse entre muitas forças aéreas em todo o mundo, proporcionará um aprimoramento significativo na eficácia do treinamento e na redução de custos operacionais. É uma aeronave que é capaz de combinar o desempenho e a eficácia superiores de um jato com o custo de um turboélice de alta potência.”

A Força Aérea Italiana, o cliente de lançamento, tem uma exigência de até 45 aviões M-345 (designado T-345A) para substituir progressivamente 137 jatos MB-339, que entraram em operação pela primeira vez em 1982, e se tornarom o novo avião da equipe acrobática da Força Aérea Italiana. Até o momento, o cliente encomendou cinco aeronaves e o primeiro será entregue no início de 2020. Os novos M-345 se juntarão aos os M-346 usados ​​durante a fase de treinamento avançado dos pilotos da Força Aérea Italiana. Através da Escola Internacional de Treinamento de Voo, a Força Aérea poderá fortalecer o crescimento e a internacionalização de sua escola de treinamento e, ao mesmo tempo, aumentar as capacidades e serviços oferecidos aos clientes.

Detalhes do M-345 HET

O novo M-345 HET (High Efficiency Trainer) reduz o tempo requerido pelas Forças Aéreas para treinar pilotos. Também dá aos estagiários a chance de pilotar uma aeronave que apresenta características de desempenho mais altas do que outras aeronaves de treinamento básico/avançado atualmente em serviço em todo o mundo. O desempenho do M-345 permite que ele execute os tipos de missão mais exigentes encontrados em um programa de treinamento, oferecendo treinamento de alta qualidade a um custo significativamente menor.

A arquitetura do cockpit M-345 é a mesma dos caças da linha de frente. O M-345 também pode desempenhar funções operacionais, graças a um envelope de voo ampliado, com capacidade de manobra em alta velocidade, mesmo em altas altitudes, sistemas aviônicos modernos, alta capacidade de carga e desempenho.

O M-345 foi projetado com um longo ciclo de vida e uma abordagem de manutenção baseada em apenas dois níveis, eliminando a necessidade de revisões gerais dispendiosas. O Health and Monitoring Usage System (HUMS) da aeronave também contribui para um custo de propriedade menor.

Um sofisticado simulador de treinamento a bordo confere uma série de benefícios. Por exemplo, os pilotos M-345 são capazes de planejar manobras antes do treinamento ao vivo, permitindo maior eficiência durante o voo. Os treinandos também são capazes de voar em formação com outros pilotos no ar e no solo em simuladores, através de um link de dados em tempo real. A Estação de Planejamento de Missões e Debriefing (MPDS) da aeronave permite que os treinandos analisem as missões que acabaram de voar.

O motor do M-345 é um turbofan Williams FJ44-4M-34 otimizado para uso militar e acrobático. O cockpit é baseado nos controles HOTAS (Hands-On-Throttle-And-Stick) e possui um glass cockpit com uma tela sensível ao toque de três cores MFD (Display multifuncional). O head-up display da aeronave é espelhado por uma quarta tela no cockpit traseiro.

DIVULGAÇÃO: Leonardo

14
Deixe um comentário

avatar
8 Comment threads
6 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
9 Comment authors
Antunes NetoMarcelo AndradeNilton L JuniorWalfrido StrobelPaulo Costa Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Apesar de aparentar ser um excelente avião e dotado de excelentes sistemas, ainda prefiro o L-39NG, que é dotado de tanques na parte interna das asas, o que garante uma grande autonomia de voo, que é interessante para treinamento de navegação.

Outro ponto de desempate a favor do L-39NG, é que o mesmo pode manabrar em até 8Gs, diferente do M-345 que vai até 7Gs.

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

M-345
M-346
L-39NG
Aquele Saab/Boeing….

Aí tem aqueles pilatus que simulam aviões a reação…
Isso só da Europa.

Aí bota na conta os Kai TB…

Tem uma infinidade de aviões lift/treinamento e ainda tem gente que quer que a Embraer produza um.

Isso que nem contei com os da Rússia e da china, senão ia ser demais da conta.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Mais:
BAe Hawk
Textron Scorpion
FadeA Pampa
.
Mercado saturado com poucas encomendas. Igual dos pequenos turbo-hélices de carga.
Sou o Boeing/SAAB vai vender bem, pois os EUA irão comprar.
Concordo que a Embraer fez bem em ficar longe dele.

jonas122
Visitante
jonas122

São aeronaves cada vez mais caras (muitas capazes de operar com misseis Ar-Ar/bombas e misseis guiadas) e a maioria das Forças Aéreas começa a só adquirir quantidades reduzidas (5 ou 6, quanto muito um Esquadrão de 12) porque toda essa capacidade custa dinheiro (e muito).
Algumas preferem adquirir mesmo só os aviões de treino para desempenhar essas funções e igualmente as de caça/bombardeiro ligeiro. Por exemplo, o Kai TB tem velocidade supersónica, para quê comprar outro caça se o mesmo consegue desempenhar essas funções (caso das Filipinas por exemplo).

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

As principais forças aéreas estão investindo na utilização de Lifts como o M345 por exemplo para diversas funções e eu espero que essa doutrina volte aos gostos da nossa FAB também

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Estão fazendo confusão, o M345 e o L-39NG é um jato de instrução avançada, do nível de um T-27, KAI KT1 ou T-6.
Ele não é um LIFT ou um avião para formação de caçadores, para isso eles vendem o M346.

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Mas não foi vc que falou que a França usa um pilatus e de lá direto pro Rafale?
E se eu não me engano esse L-39ng TB pode ser armado…

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O T-27 também pode receber armamento na versão AT-27. No passado os aviões de instrução avançada eram jatos como o T-37, Jet Provost e L-39, depois entraram os turbo héluces como os T-27, Pilatus e Kai KT-1, mas nada impede que o país faça como a Itália que prefere jatos e usava o MB-326A e agora vai de M-345, é opção de cada país usar turbo hélices ou jatos. Rússia e Suécia usam jatos sté na instrução primária. Hoje Suécia, Itália, Japão, Rússia e China mais outros usam jatos na instrução avançada. O que é novidade são os turbo hélices… Read more »

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Mas então, no fim todos são concorrentes.
Claro, cada um com suas qualidades, porém usados pra mesma coisa, depende do operador.
E é por isso que eu falo que é besteira a Embraer projetar um avião aonde existem tantos concorrentes.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

É a tal história quem pode faz quem não pode compra de quem faz.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Na verdade, pegaram um projeto da década de 80 chamado Siai-Marchetti S-211 e ressuscitaram ele, mas até que ficou legal!!!

Antunes Neto
Visitante
Antunes Neto

Acho interessante que a Itália tenha estrategicamente escolhido ter aeronaves a reação caseiros para treinamento básico, avançado e de caça. Mantém sua industria produtiva em um filão e uma massa de engenheiros vinculados com projetos de defesa.
.
O M-345 possui a mesma raiz no alfaJet do argentino PampaIII?

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Não tem nada a ver com o AlphaJet ou Pampa.
É um projeto italiano do Renato Russo, o engenheiro aeronáutico , não o nosso cantor, antes que alguem confunda.
Veja suas origens no Siai-marchetti S.211, depois Aermacchi 311 e agora Leonardo M325, sempre foi um bom avião, mas perdeu a concorrencia para o MB-326 e agora décadas depois o substitui.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

A itália valoriza seus projetos, depois de décadas utilizando o Siai Marchetti SF.260 na instrução inicial precisavam de um novo avião, não inventaram nada, construiram novos ccomo Aermacchi 260, hoje ainda é vendido como Leonardo 260, é um avião de sucesso com mais de 860 vendidos.
.
cockpit antigo: https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRmq-B-Wpog33ijl76MVeE40nGtQLFJOciqQW6VJQu1AzUzxuhPnpDz_1cREA
.
cockpit do início dos anos 2000 : https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcS-VvPcC—ecI1hVSSZSjwz1sb28_l2s4uf92sKX3ISoPonsQn3OswzIYW1w
.
cockpit atual:comment image