Home Aviação de Transporte Aeronave tilt-rotor Bell V-280 Valor alcança 80 nós de velocidade em teste

Aeronave tilt-rotor Bell V-280 Valor alcança 80 nós de velocidade em teste

2813
16

A aeronave tilt-rotor Bell V-280 Valor atingiu uma velocidade de voo de 80 nós e alcançou uma altitude de 1.000 pés acima do nível do solo.

Alguns dos pontos do teste demonstraram: táxi terrestre, táxi pairado, manobras de baixa altitude, incluindo rotações em 360 graus no pedal e reposições laterais e para frente, aterrissagens de rolagem de 40 nós e aceleração até 80 nós.

O programa Bell V-280 Valor faz parte da iniciativa Joint Multi Role Technology Demonstrator (JMR-TD). O programa JMR-TD é o precursor de ciência e tecnologia do programa de transporte vertical futuro do Departamento de Defesa.

O programa V-280 reúne os recursos de engenharia e as capacidades industriais da Bell Helicopter, Lockheed Martin, GE, Moog, IAI, TRU Simulation & Training, Astronics, Eaton, GKN Aerospace, Lord, Meggitt e Spirit AeroSystems – coletivamente referidos como Team Valentia.

O Bell V-280 Valor é proposto para fornecer ao Exército dos EUA os mais altos níveis de maturidade e prontidão técnica. A aeronave é projetada para fornecer o melhor valor nas aquisições, operações e suporte, e estrutura de força, ao mesmo tempo que oferece as capacidades de desempenho de salto desejadas com maior facilidade de manutenção, confiabilidade e acessibilidade para o DoD.

Com o dobro da velocidade e de alcance de helicópteros convencionais, o Valor é projetado para oferecer aos comandantes de manobra agilidade operacional incomparável para se auto-desdobrar e realizar uma infinidade de missões de transporte vertical atualmente inatingíveis em uma aeronave convencional.

O Bell V-280 é um multiplicador de força de combate com desempenho superior, carga útil, capacidade de sobrevivência e confiabilidade para dar ao combatente a vantagem decisiva.

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 anos atrás

Algo me diz que essa aeronave ou seu concorrente não irão substituir o S-70, apenas complementá-lo. Provavelmente custará o dobro para comprar e operar. Posso estar enganado, obviamente, mas é o que penso, por enquanto.

tomcat3.7
tomcat3.7
2 anos atrás

Barato ou no minimo equivalente no preço de aquisição e manutenção não será mesmo. Duas hélices, dois motores e tal.

_RJ_
_RJ_
2 anos atrás

Alguém já fez um comparativo entre o Osprey e o Valor? Não tenho noção das diferenças de tamanho, peso e misão entre os dois.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 anos atrás

Rapaz, acho que eu topei com uma mina de ouro de informação sobre os custos de hora de voo das aeronaves americanas, providas por um site do governo americano, em PDF, com assinatura de autoridade e tudo. E para coroar, os dados dos anos fiscais de 1997 até 2018. procurem por “Fixed Wing and Helicopter Reimbursement Rates”. Galante, Nunão, isso merece uma notícia específica, porque os dados são no mínimo interessantes de comparar entre os tipos:
http://comptroller.defense.gov/Financial-Management/Reports/rates2018/

Jr
Jr
2 anos atrás

Para variar aquela empresa, cujo seu setor de defesa, vive as custas do espólio da Mcdonald Douglas até hoje vai sair atrás de novo em uma concorrência

Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 anos atrás

Para efeito de comparação dentro da mesma força, no caso a USN, no ano fiscal de 2018, um MH-60S Seahawk custa $4.395 a hora de voo, enquanto o MV-22B Osprey custa $13,362, dados da primeira coluna. Convém analisar bem o documento para saber o que significa os valores específicos.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
2 anos atrás

Clésio…
Sobre os custos de operação do MV22… olha uma pista ai…

http://www.snafu-solomon.com/2018/02/70-different-versions-of-mv-22-with.html

Bosco
Bosco
2 anos atrás

Apesar dessa aeronave (convertiplano) resolver alguns problemas do V-22 eu torço para que um “helicóptero composto” ganhe já que poderá ser um divisor de águas para o segmento. Ainda não há nenhum helicóptero composto em operação no mundo.
Os concorrentes que propõe um helicóptero composto são: o AVX JMR da AVX Aircraft, o X-2 da Sikorsky, o X-3 da Eurocopter e o X-49 da Piaseck.

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Bosco, o X-49 da Piaseck é um BH com a popança modificada, o X-3 da Eurocopter é uma mutação cabulosa(bonito mas cabuloso) o X-2 era meu favorito até conhecer o AVX JMR, que coisa maravilhosa.
Obs. vc viu uma foto/desenho do Oh-58 Kyowa modificado pela AVX??

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Na verdade o SB1 da Boeing/Sikorsky que é o filé no lugar do X-2.

Bosco
Bosco
2 anos atrás

Tomcat,
Também torço pelo AVX ( apesar de achar o conceito da Sikorsky mais avançado ).
https://www.turbosquid.com/3d-models/joint-multi-role-helicopter-3d-3ds/1055087

Marcelo
Marcelo
2 anos atrás

Que eu saiba, para a fase de construcao de demonstradores de tecnologia (o TD de JMR-TD), foram selecionados os projetos da Bell e da Sikorsky-Boeing, estas outras empresas ja estao fora do pareo.

Bosco
Bosco
2 anos atrás

Marcelo,
Realmente!

Marcelo
Marcelo
2 anos atrás

parece que há a possibilodade de selecionarem projetos diferentes para a versão de transporte e a versão de ataque. Quem sabe o Bell tilt rotor para transporte e o Silorsky helicóptero composto para ataque. Seria muito bom manter os 2 caminhos diferentes para o futuro.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
2 anos atrás

Já tivemos pesquisas avançadas neste campo. O ITA chegou a desenvolver um projeto de aeronave de decolagem vertical, com a participação de engenheiros alemães. Conheci estes elementos quando visitei o ITA e de cara achei que o aparelho,em montagem, era muito complexo mecanicamente e o enorme motor (diziam q foi empretado de um P 47) sugeria um peso elevado. De qualquer forma foram desenvolvidos técnicos e engenheiros e pena que a ideia não foi aperfeiçoada.

Matheus
Matheus
2 anos atrás

Por que eles editaram o vídeo de forma que não possamos ver o motor por completo?