Home Aviação de Ataque Lockheed Martin F-35A testa paraquedas de frenagem norueguês no Alasca

Lockheed Martin F-35A testa paraquedas de frenagem norueguês no Alasca

3141
29

O major Jonathan “Spades” Gilber, piloto de teste de F-35 da Força Aérea dos Estados Unidos, demonstrou as qualidades de manuseio do Lockheed Martin F-35 Lightning II durante o teste de pista com gelo na Base da Força Aérea de Eielson, no Alasca.

O teste faz parte do processo de certificação do paraquedas de frenagem norueguês e continua nas próximas semanas. O major Eskil Amdal, piloto de teste da Royal Norwegian Air Force, também participa.

Este teste inicial é a primeira de duas fases para garantir que o F-35A possa operar nestas condições extremas. A segunda fase de teste irá implantar o sistema norueguês durante as operações de pouso e está prevista para o primeiro trimestre de 2018 em Eielson.

Sobre o paraquedas de frenagem norueguês do F-35

O paraquedas de frenagem do F-35A foi projetado para ser instalado em todos os F-35As da Noruega e é projetado para garantir que ele mantenha características de furtividade durante o voo.

A Noruega e Lockheed Martin estão trabalhando com a Holanda, que está compartilhando o desenvolvimento dessa capacidade crítica. O paraquedas passou por testes iniciais de implantação de pista seca e úmida na Edwards Air Force Base, Califórnia no início deste ano.

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
3 anos atrás

Cadê o praraquedas?

Marcos
Marcos
3 anos atrás
Marcos
Marcos
3 anos atrás

Eu achei que era só aqui que faziam gambiarras.
Mas não, a LM também faz.
Que coisa esse… troço.

MATHEUS
MATHEUS
3 anos atrás

Como assim gambiarra?

Marcos
Marcos
3 anos atrás

Você viu aquele troço que colocaram em cima do avião?

diego
diego
3 anos atrás

Puts, gambiarra mesmo essa. Agora, quando o F-35 vai ser furtivo de verdade, pois por enquanto não o é, apenas em alguns ângulos…

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
3 anos atrás

Corrijam-me se estiver errado: esse avião não necessita de páraquedas. Esse acessório é um requisito norueguês para operar em pistas cobertas de neve, e com baixa taxa de atrito.

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Rinaldo Nery, segundo este artigo é isso mesmo, mas com certeza pode interessar a outros operadores que operem nas mesmas condições de inverno rigoroso como o da Noruega.
. https://www.flightglobal.com/news/articles/norways-starts-f-35-braking-parachute-tests-436306/

MATHEUS
MATHEUS
3 anos atrás

De onde tirou essa de gambiarra? Aquilo foi feito exatamente pra não afetar a Furtividade do avião. Não tem nada de gambiarra.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
3 anos atrás

Obrigado, Strobel.

Marcos
Marcos
3 anos atrás

Matheus:
Pode ser até furtivo, mas é uma gambiarra. A versão B desse avião já vai ter outro penduricalho, que é o canhão. Um canhão furtivo, verdade, mas penduricalho.

Nonato
Nonato
3 anos atrás

Rinaldo Nery me economizou uma pergunta e critica de Bosco e MO, que dizem que sei mais do que aparento.
E aumenta meu apreço pelo coronel que é do ramo mas não tem receio de perguntar.
Já ouvi algo tipo quanto maior o conhecimento, maior a humildade…

Nonato
Nonato
3 anos atrás

Para o caça ser furtivo aos olhos era só pintar de branco…

Marcos
Marcos
3 anos atrás

Cel, boa noite!
Está de 190 ainda?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
3 anos atrás

Não. Dia 18 inicio o ground school do A320Neo. Estou de férias.

bit_lascado
2 anos atrás

Não podiam colocar num compartimento semelhante ao tail hook da versão C? Ficou esquisito esse calombo sob o motor.

Renan
Renan
2 anos atrás

É possivel em caso deperda de controle usar este paraquedas para tentar recuperar a capacide de manobrar a aeronave ?

Guizmo
Guizmo
2 anos atrás

Ontem eu vi um NEO aqui em Recife; linda pintura

Marcos10
Marcos10
2 anos atrás

Parabéns, Nery!
Mais para frente, quem sabe, um A380.

André Luiz.'.
André Luiz.'.
2 anos atrás

Marcos 28 de novembro de 2017 at 18:42
Cadê o praraquedas?
— ele não aparece, é stealth…! 😛

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Renan 29 de novembro de 2017 at 0:13 Renan, jamais ouvi falar que um paraquedas de frenagem pudesse ser usado para isso. O extrator do paraquedas é solto, colado a fuselagem, poderia se enrolar no avião e provavelmente seria rasgado se acionado em voo. O Spin Recovery System usado em protótipos para testes de parafuso usa um paraquedas pequeno, específico para isso. E é instalado com um afastamento para não se enrolar. Veja no vídeo. Spin-Recovery Parachute Deployment AA-1X: http://youtu.be/ty-Fs5rfysQ . Por outro lado o paraquedas deemergência usados nos aviões como o Cirrus podem ser usados em caso de perda… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
2 anos atrás

Parabéns, Nery!
Mais para frente, quem sabe, um A380.

Nem tanto né Cel? Mas um A330 ou A350 estaria no escopo!

Parabéns Rinaldo, sou seu fã aqui no blog há tempos!!!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Obrigado pelas palavras. Acho que dará pra chegar no A330, daqui uns 2 anos e meio, considerando a compra dos novos A330-900.

Guizmo
Guizmo
2 anos atrás

Cel Nery, fotografei ontem o 330 da Azul….bichão lindo

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Nery
Tenho um conhecido que começou em T6 e foi parar num F104.
Depois recomeçou em um Vickers Viscount e foi parar em um B747.
É questão de tempo juntar Azul, JetBlue, TAP, então… um A380 sempre pode chegar para ser pilotado.
Boa sorte!!!!

Nonato
Nonato
2 anos atrás

Se o Brasil tivesse F35 estaria testando alguma apetrecho para usar lá no calor do sertão.
Aquelas pistas de pouso no meio da caatinga…

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 anos atrás

Interessante ver o caça operando em condições extremas… Acho que finalmente podemos dizer que os EUA aprenderam com que descobriram dos aviões russos como operar em condições adversas

Nonato
Nonato
2 anos atrás

Pilotar um A 380 é muita responsabilidade.
Não sei se é o sonho de Nery.
Um 747 de Bolsonaro, talvez.
O FAB one.

Renan
Renan
2 anos atrás

Walfrido Strobel
OBRIGADO