Home Aviação de Ataque Seis bombardeiros Tu-22M3 atacam alvos do Estado Islâmico na Síria

Seis bombardeiros Tu-22M3 atacam alvos do Estado Islâmico na Síria

3888
19

Em 26 de novembro de 2017, seis bombardeiros de longo alcance Tu-22M3 atacaram alvos de terroristas do Estado Islâmico na província de Deir ez-Zor”, disse o departamento.

De acordo com o Ministério da Defesa russo, decolando do aeródromo no território da Federação Russa, os aviões atingiram os pontos fortes e a concentração de militantes no vale do rio Eufrates.

“Todos os objetivos designados foram destruídos, o que é confirmado por meio do controle objetivo, realizado com a ajuda de meios técnicos especiais”, acrescentou o Ministério.

A cobertura de bombardeiros de longo alcance no espaço aéreo sírio foi fornecida por caças Su-30SM e Su-35S baseados no aeródromo de Hmeimim na Síria.

COLABOROU: Rustam Bogaudinov

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
carcara_br
carcara_br
2 anos atrás

Su-30 com 4 x R-73 + 2 R27, sem Pod de interferência eletrônica. Já vi os EUA reclamando das atividades dos caças russos no último mês. Estão arriscando…

Soldat
Soldat
2 anos atrás

E isso ai Urso bomba na cabeças desses terroristas @#$%…..e danem-se os Amis.

fabio jeffer
fabio jeffer
2 anos atrás

Bichão bonito por demais da conta

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Mais uma demonstração de força espetaculosa ( mas não espetacular) do Déspota Putin no intuito de mostrar para o mundo que a Rússia voltou a ser “Putênfia”

PRAEFECTUS
PRAEFECTUS
2 anos atrás

Carcara-_br meu caro, digo ao amigo que o fato de Moscou ter enviado o Su-30SM para a Síria não foi por acaso. Gostaria de ressaltar que há uma proximidade enorme entre as aeronaves naquele Teatro de Operações… O que em tese, viraria o jogo para os caças russos. Já que o Su-30SM tem enormes chances em combate “corpo a corpo”, com contato visual, devido a esta geração do caça multifuncional 4+ estar equipada com armas decentes e ter excelentes manobrabilidade e raio de combate…suas armas num dogfight são 6 mísseis de curto alcance R-73, enquanto o caça americano possui uma… Read more »

donitz123
2 anos atrás

Para destruir os jihad Obamas não precisa de nada luxuoso.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

PRAEFECTUS 27 de novembro de 2017 at 16:03

Lamentavelmente meu alter ego S-88 foi expulso do PlanoBarril mas já que você apareceu por aqui queria parabenizá-lo pelo comentário sobre o Líbano, AS e o Irã

Fresney
Fresney
2 anos atrás

Essas bombas não parecem o tradicional botijão de gás deles, são inteligentes. Parece que lançaram poucas bombas.

hammadjr
hammadjr
2 anos atrás

Para o delírio dos russofóbicos além do mimimi, a Russia fez o que EUA não fizeram, ou melhor que queriam fazer diferente, foi lá tocou fogo na babilônia do Daesh, deu gaz para o pilantra do Assad e deu recado para ocidente nós estamos jogo da geopolítica e ainda de lambuja o tem na mão aquele paspalho presidente mentecapto americano.
Os Russos são foda.

Bosco
Bosco
2 anos atrás

Nem quando o assunto é bombardeio russo os caras esquecem os EUA. É o famoso “te odeio mas não te largo*

ScudB
ScudB
2 anos atrás

Amigo Fresney! As bombas são bem tradicionais e conhecidas como “bombas burras” – FAB-500 M62 com sistema de calculo “Gefest” amplamente usado pro eles nos outros tipos dos bombardeiros. A quantidade é bem pouca para Tu-22 mas bem razoável dentro da ideia de “aprimoramento” e treinamento. O que a reportagem não fala é o fato que foram (no total) mais de 10 ataques dos esquadrões de Tu-22M3 só em Novembro e só na área das Dzor e Abu Kamal com mais de 180 toneladas de ADEUS para os burrofilos de DAESH forçando os últimos tirar as barbas e sandalhas e… Read more »

carcara_br
carcara_br
2 anos atrás

Não sou muito familiarizado, mas pela altitude de lançamento, por melhor que seja o sistema de mira acho que ou precisa de algum sistema controle e guiagem, ou o alvo é destruído por efeito colateral…

ScudB
ScudB
2 anos atrás

Gefest..
Nada mais.

Space Jockey
Space Jockey
2 anos atrás

Voos com escolta… isso que é desconfiança…

PRAEFECTUS
PRAEFECTUS
2 anos atrás

HMS TIRELESS 27 de novembro de 2017 at 16:29,

ho loco rapaz, tu foi defenestrado de lá! Lamento pelo seu alter-ego…

Mas, já já tu volta com outro pseudônimo…

Agradeço a gentileza dos seus comprimentos. Que bom que gostou! Na verdade meu caro, estou em quase todos os lugares…

Saudações!

fabio jeffer
fabio jeffer
2 anos atrás

HMS TIRELESS 27 de novembro de 2017 at 15:53

Se fosse um punhado B-1B norte americano partindo de qualquer lugar que não fosse o Oriente Médio e soltando suas bombas da mesma maneira que os Backfires fizeram ai então seria espetacular ao invés de espetaculoso. Isso é que é pró-americanismo. A Russia fez pra mostrar força sim e todos sabem, assim como os norte-americanos tambem o fazem de maneira parecida, vc parece querer desmerecer tal ação.

Eu não sou pró-russo e acho Putin um usurpador

Soldat
Soldat
2 anos atrás

“pró-americanismo”

Kkakakakakaka…..ai mano se prepara para se crucificado pelos pro-Amis…kakakak……..

jornal Globo ontem a Russia em Bombardeio mata 57 civis em Deir ezor os Amis matam mais de 100 todos os dias no Afeganistão Síria, Iraque e de vez em quando vão la na líbia onde eles fizeram o Caca matar mais civis e a mídia ocidental diz que a culpa é dos Russo kakaka…só rindo mesmo..rsrs…

Hawk
Hawk
2 anos atrás

Não quero ser chato… Mas os americanos divulgam suas baixas, fogo amigo e o mais horrível de tudo as baixas civis. A imprensa americana divulga e ainda cai em cima da cabeça dos militares.
Os Russos sempre maquiam ou escondem esses dados e sua imprensa como é estatal (não querem perder a boca do governo) ficam bem caladinha. Quando encontramos um dados destes foi porque o governo autorizou.
Fora isso, a Rússia faz muito certo em meter bombas nesses caras, nesse ponto concordo que eles estão fazendo melhor que os americanos.

Rafa_positron
Rafa_positron
2 anos atrás

“Voos com escolta… isso que é desconfiança…”

Depois do que aconteceu com os Fencer, os russos aprenderam a lição e não mandam mais aviões sem escolta