Home Aviação Executiva Colômbia e República Dominicana treinam interdição aérea

Colômbia e República Dominicana treinam interdição aérea

1997
7

Começou o exercício combinado entre a Colômbia e República Dominicana chamado “Caribbean VI”, no qual militares de ambos os países vão treinar e aplicar os procedimentos estabelecidos que permitem uma maior eficácia no combate ao tráfico ilícito transnacional através da coordenação operacional entre agências defesa aérea.

O exercício binacional Interdição Aérea “Caribbean VI” entre a Força Aérea Colombiana e Força Aérea da República Dominicana, será realizada de 24 a 28 de julho, noComando Aéreo de Combate No 3 em Malambo, Atlántico e Base aérea de San Isidro, na República Dominicana.

A Força Aérea Colombiana realizará os exercícios da Força Aérea com as equipes de operações de interdição aérea A-29 Super Tucano, C-95 Bandeirante e SR-560 em simulações de interdição no ar. Este exercício terá normas de segurança aérea existentes, que irão garantir o seu sucesso durante a realização.

Estes treinos irão detectar vestígios de aviões suspeitos que transportem entorpecentes e armas, estabelecendo o comando e controle de ambos os países em centros de intercâmbio de informação, fazendo a interceptação e transferência de voos ilegais a serviço do narcotráfico. Da mesma forma se estabeleceram as normas bi-nacionais de defesa aérea para combater eficazmente voos ilegais, utilizando a estrutura aeronáutica existente na Colômbia e República Dominicana para obter melhores resultados.

Assim a Força Aérea Colombiana vai continuar a formação em exercícios operacionais com outros países da região que permanentemente trabalham para combater o tráfico de drogas, reafirmando mais uma vez o compromisso da Colômbia na luta contra esta atividade ilegal lesiva do país.

FONTE: Fuerza Aérea Colombiana

7
Deixe um comentário

avatar
7 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
Rinaldo NeryWalfrido StrobelTallguieseAlexandre GalanteFresney Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Hum, estou meio cético com aquela imagem do ST interceptando um Citation V.

Fresney
Visitante
Fresney

Galante, impressão ou esse A-29 acima é da República Dominicana??

Agraço

Tallguiese
Visitante
Tallguiese

Bem se o A-29 não alcançar o citation V com certeza o AIM-9 alcança! Afinal o citation não é um SU-22. Kkkkkkkk. Desculpa gente não resisti. Na verdade concordo com o Clesio Luiz. Dá pra usar o missel mas sai caro para este tipo de missão.

Walfrido Strobel
Visitante

O avião ilícito é o Bandeirante, o SR-560 é quem detecta o Bandeirante e direciona o ST.
Quando a Colômbia se animou para comprar o E-99 mas era caro demais os americanos ajudaram fornecendo os SR-560, pois para detectar tráfego ilícito e direcionar ST não precisa de algo tão sofisticado como um E-99.
.
OT-47B Tracker [SR-560, Cessna 560 Citation]
Radar AN/APG-66 – Air-to-Air & Air-to-Surface, Max range: 74.1 km
Camera WF-360TL – Infrared, Surveillance Camera, Max range: 55.6 km
. https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSPGvjPGlmpkt3g2E3lsxJtngQ62Chh25u6WpU1ct454sRytNvOq7ZiZZms

Walfrido Strobel
Visitante

A Embraer poderia olhar melhor esta dobradinha ST e SR-560, pois ela tem jatos executivos que poderiam receber um radar como um Elta EL/M 2032 ou Grifo, uma camera FLIR e um console para o operador.
Pode interessar aos compradores de ST que não tem recursos para operar um AEW&C, ou mesmo tendo poderiam ter uma opção barata junto do Esq. de ST.
. http://oi63.tinypic.com/j7vmrm.jpg

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Acho que o termo Interdição Aérea foi usado erroneamente. A Tarefa não é essa. Negação do uso do espaço aéreo é uma coisa, “interditar” o campo de batalha é outro. Tarefas diferentes. Tá na Doutrina Básica.