Home Indústria Aeronáutica Finlândia recebe respostas ao RFI sobre a substituição dos F/A-18 Hornet

Finlândia recebe respostas ao RFI sobre a substituição dos F/A-18 Hornet

4828
18

finland-f-18

O Comando de Logística das Forças de Defesa finlandesas recebeu respostas às Solicitações de Informações sobre a substituição de aviões Hornet.

Os seguintes fabricantes responderam: Boeing (F/A-18E/F), Dassault Aviation (Rafale), BAE Systems (Eurofighter Typhoon), Lockheed Martin (F-35) e Saab (JAS Gripen). Abrangendo milhares de páginas em inglês, as respostas contêm informações classificadas.

Quando especialistas da Administração da Defesa analisarem as respostas durante o próximo inverno, as Forças de Defesa fornecerão mais informações sobre elas em abril de 2017.

O Comando de Logística das Forças de Defesa finlandesas enviou Pedidos de Informação (RFI) sobre a substituição de aeronaves Hornet para os governos da Grã-Bretanha, França, Suécia e Estados Unidos. Foi solicitado a estes governos que enviassem as RFIs para suas respectivas indústrias que fabricam caças multi-função.

Um Pedido de Informação precede a aquisição real. Um dos principais objetivos de uma RFI é garantir que os diferentes candidatos tenham a possibilidade e a vontade de participar do projeto de caça HX da Finlândia e especificar conceitos alternativos, obter informações sobre os sistemas e definir a necessidade preliminar de financiamento.

Através de uma RFI é possível reunir visões sobre o tipo de soluções que os receptores das RFIs oferecem para substituir as capacidades da aeronave F/A-18 da Força Aérea no ambiente de segurança pós-2030. Uma RFI também é uma maneira de coletar informações sobre caças multi-função que são usadas para o planejamento detalhado e orçamentação de compras e para elaborar os requisitos estabelecidos no caça multi-função.

Nas RFIs, foram feitas estimativas orçamentárias sobre os custos de aquisição, uso e manutenção dos sistemas e seus métodos de cálculo. Além da aeronave real, os sistemas que são revistos incluem armas, equipamento de treinamento, sistemas de C2 e arranjos de manutenção. Os fabricantes também podem apresentar soluções que incluem vários tipos de aeronaves ou veículos aéreos não tripulados que contribuem para as capacidades dos caças multi-função.

As RFIs foram enviadas para as administrações de defesa em países que fabricam o tipo de caças multi-função e sistemas relacionados que poderiam atender às necessidades da Finlândia para substituir as capacidades da aeronave Hornet. Uma RFI contém informações detalhadas sobre os princípios operacionais da defesa aérea e as capacidades futuras desejadas. A maioria das informações fornecidas e das respostas recebidas são classificadas.

Em 19.11.2015, as Forças de Defesa receberam um mandato do Ministro da Defesa Jussi Niinistö para iniciar o projeto de caça HX. O objetivo do projeto é substituir a capacidade operacional das aeronaves F/A-18 da Força Aérea, que serão eliminadas a partir de 2025. A decisão de iniciar o projeto é baseada no programa do Governo.

O Comandante da Força Aérea é o dono do projeto. O Comando de Logística das Forças de Defesa da Finlândia é responsável pela preparação técnica e comercial do projeto, enquanto o Ministério da Defesa é responsável por fornecer orientações sobre política de materiais. Um convite à apresentação de propostas será enviado na Primavera de 2018 e a decisão de adjudicação será tomada em 2021.

FONTE: Forças de Defesa da Finlândia

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

“….HX da Finlândia….”
Começa com H,
SH na cabeça.
Logística pronta, Armas, Doutrina, etc etc etc ….
O SH “É um avião que vai assustar e ser respeitado.” (rs).
Os Âmis abrirão o melhor no pcte., inclusive armamentos.
Rajada, F 35, Tufão sem chances….
G NG ? Não vão mudar tudo e partir do zero.

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

“Alexandre Galante 22 de novembro de 2016 at 19:19
Olá J. Curitiba! então, estamos estudando se vamos bloquear o acesso a comentários somente para os assinantes. Queremos criar uma área somente para assinantes, com material exclusivo, sorteio de brindes etc.”
______________________________-

Não consigo acessar o Tema/Tópico:
“Saab adia o primeiro voo do caça Gripen E”
É parte do novo “desenho” da Trilogia ?

Gallina
Gallina
3 anos atrás

Olha, eu admito que nunca corri atrás da informação correta para entender isso… Mas não entendo como se fala em substituição desses F-18 da Finlândia, introduzidos na década de 90 !! Os suíços falam em retirada dos seus também, na metade da próxima década (ou seja, logo ali). Eu tenderia a achar que seria “frescura” desses materiais compostos empregados no avião, os quais em condições extremas (como o frio finlandês), redundaria na fadiga precoce (comparado aos airframes brutos, de “aço”) do airframe. Aí vejo os F-16 MLU de Bélgica, Holanda, Dinamarca e Noruega, aguentando firme na paçoca… Vejo os F-15… Read more »

Guilherme Poggio
Editor
3 anos atrás

O urso mora ao lado!

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

“Gallina 25 de novembro de 2016 at 11:55”
Esse pessoal da sauna já deram “pau” no urso, são bons de briga.
Querem manter esse status quo.
Shalom

Tamandaré
Tamandaré
3 anos atrás

Gallina, e o Brasil tbm né?? hehehehehe vários F-5 aqui dos anos 80…. e os caras com caças made in 90 achando ruim! kkkkk

Ivany Junior
3 anos atrás

Eu acho que eles gostariam mais do F-15…

Maria do Carmo Lacoste
Maria do Carmo Lacoste
3 anos atrás

Tamandaré 25 de novembro de 2016 at 12:49
Se o Brasil tivesse comprado os 36 Super Hornet ou os 36 Rafale de prateleira, como quase aconteceu, você estaria dizendo algo semelhante amigo, ou seja, metendo o malho como sempre.

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

Ivany Junior 25 de novembro de 2016 at 12:58
Por que não foram convidados para o RFI ? Ou por que não responderam ?

Clésio Luiz
Clésio Luiz
3 anos atrás

Os fabricantes de armas ocidentais deveriam mandar uma grade da sua melhor bebida alcoólica nacional para o Putin, cada vez que uma venda bilionária dessas é concretizada. . Os mais novos provavelmente não se lembram, mas o começo da década de 90 foi um desastre só para a indústria bélica mundial. Compras canceladas, projetos postergados ou encerrados, mercado inundado com equipamento em ótimo estado e a preço de banana. . Putin apareceu após a desastrosa era Yeltsin e começou a reerguer a Rússia, somada a uma desastrosa (ou seria cuidadosamente calculada?) ideia de provocar os combalidos russos com bases de… Read more »

Gallina
Gallina
3 anos atrás

Tamandaré 25 de novembro de 2016 at 12:49
Nem fiz menção a isso, pq seria covardia.. Nossos F-ever… F-5M, de Matusalém… anos 70.
Agora, um dos fatores que deve estar influenciando essas decisões, é, como escrevi há um tempo atrás, o fechamento em breve das linhas de produção dos caças de quarta geração. Quem comprou comprou, quem não comprou ou comprará treinador armado ou stealth… esse último envolto em limitações para autorização de exportação, e com custos fora da realidade para a maioria das forças aéreas… Então, quem sabe, muitos países optaram por antecipar as compras.

Ednardo de oliveira Ferreira
3 anos atrás

entre a RFI e caças voando estamos falando de pelo menos uns 6 anos. Até subsituir toda a frota (são 54 F18) pelo menos uns 12 anos. Até lá, os F18 terão mais de 30 anos. Assim, é natural a substituição já começar. Quanto ao modelo? é um país com apenas 6 milhões de pessoas e com limitações de PIB. Creio que comprarão no máximo uns 48 aviões e que orçamento vai contar muito. Pelos preços recentes das compras (matéria aqui mesmo do P.A.), o Gripen tem sido disparadamente o mais barato. Por outro lado, diversos aliados próximos tem adotado… Read more »

Ednardo de oliveira Ferreira
3 anos atrás

lembrando que a estratégia finlandesa é simples: segurar o Urso enquanto chega reforço. E aguentar pelo menos uns 20 dias.

Eles não precisam de aeronaves que penetrem fundo nas linhas inimigas e têm de estar preparados para dispersar suas forças para qualquer tipo de lugar. O raio de ação dos combates num eventual conflito Rússia e Finlândia não passa de uns 300km depois da fronteira.

A função é repelir ataques aéreos e dar algum apoio defensivo às suas tropas.

joshua
joshua
3 anos atrás

Tamandaré, que bom se os F-5 fossem dos anos 80,O desenvolvimento do F-5 começou em 1954. mas eles foram introduzidos em 1962 na guerra do vietinã. O Brasil recebeu o primeiro lote em 1973. Com o tempo foram modernizando o mesmo.

Guilherme Poggio
Reply to  joshua
3 anos atrás

Mas o caça que o Brasil comprou não foi o F-5 desenvolvido lá de 1954. Foi o F-5E, um desenvolvimento do F-5A. Seria como comparar o Gripen A com o Gripen E ou o Hornet com o Super Hornet. E nós fomos um dos primeiros clientes do F-5E. Tanto é que nem existia o F-5F para conversão na época e acabamos comprando o F-5B.

Kolchack
Kolchack
3 anos atrás

off topic:
Tres paraquedistas (Alpha Jetman) voam em formacao junto com o “The Patrouille de France” da L’armée de l’air.
.
https://www.youtube.com/watch?v=pNaZCDhvh88

Tamandaré
Tamandaré
3 anos atrás

Maria do Carmo, como assim “metendo o malho como sempre”?? Desculpe, mas você deve estar enganada!! Eu não sou dos que critica o F-5. Pelo contrário, já defendi aqui inúmeras vezes os Tigers frente à possibilidades como comprar F-16, F-18 e Rafale de prateleira… sempre defendi manter os F-5M e A-1M até a chegada do Gripen. NNUnca defendi outra visão.
.
Você deve estar me confundindo com outro.
.
“metendo o malho como sempre” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK cada uma que me aparece

Tamandaré
Tamandaré
3 anos atrás

Desde quando eu fazer uma piadinha com a velhice dos Tiger me transforma num hatter? Com que autoridade você vem até aqui usando o termo “como sempre” pra se referir a mim?? Tem foristas aqui que realmente SEMPRE desdenham do F-5. Mas eu nunca fui um deles.