Um Tornado GR4 do 617 Squadron equipado com mísseis de cruzeiro Storm Shadow sob a fuselagem
Um Tornado GR4 do 617 Squadron equipado com mísseis de cruzeiro Storm Shadow sob a fuselagem

Última atualização:

  • Quarta-feira, 22 de junho – Tornados e um Reaper realizaram ataques em seis posições do Daesh (Estado Islâmico) ao norte de Bayji, enquanto Typhoons forneceram apoio aéreo aproximado em Fallujah.
  • Quinta-feira, 23 de junho – O Reaper atingiu mais um alvo ao norte de Bayji, Typhoons atacaram posições terroristas no norte da Síria e Fallujah.
  • Sexta-feira, 24 de junho – Tornados e um Reaper atacaram equipamentos do Daesh no norte do Iraque, enquanto Typhoons forneceram mais apoio aéreo sobre Fallujah.
  • Sábado, 25 de Junho – Um Reaper destruiu três alvos terroristas no norte do Iraque.
  • Domingo, 26 de Junho – Tornados usaram mísseis Storm Shadow contra um grande bunker de concreto no oeste do Iraque, Typhoons destruíram um bunker menor, e um Reaper atingiu alvos no norte.

Detalhes das operações
Typhoon FGR4s, com base em RAF Akrotiri (Chipre) e apoiados por um avião-tanque Voyager de reabastecimento aéreo, voaram missões de apoio aéreo sobre Fallujah na quarta-feira, 22 de Junho. Eles atacaram com sucesso três alvos do Daesh com bombas guiadas Paveway IV, que foram identificados por forças terrestres iraquianas como sendo equipados por metralhadora e lança-foguetes.

Eurofighter_Typhoon_FGR4
Eurofighter Typhoon FGR4 armado com bombas guiadas Paveway

No norte de Bayji, Tornado GR4s e um Reaper apoiaram uma operação ofensiva iraquiana. Os Tornados empregaram uma Paveway IV e três mísseis Brimstone para destruir quatro posições de combate do Daesh ao longo de uma barragem defensiva, enquanto o Reaper utilizou uma única bomba guiada GBU-12 para destruir mais duas posições.

Um segundo Reaper realizou apoio contínuo na área na quinta-feira, 23 de junho e empregou um míssil Hellfire para eliminar um terrorista com um míssil portátil terra-ar. Typhoons continuaram seu apoio ao longo de Fallujah, bem como, a realização de um ataque com Paveway IV sobre uma equipe com metralhadora. Outros Typhoon operaram ao longo do norte da Síria, perto da fronteira turca e destruíram dois edifícios ocupados pelo Daesh a várias milhas a leste de Azaz.

Um UAV Reaper da RAF armado com bombas Paveway e mísseis Hellfire
Um UAV Reaper da RAF armado com bombas Paveway e mísseis Hellfire

Na sexta-feira, 24 de junho, um Reaper apoiou uma ofensiva iraquiana perto de Sharqat, a oeste de Kirkuk. Ele usou um míssil Hellfire para destruir um veículo de engenharia que estava sendo usado para criar defesas à frente do avanço do Iraque. Tornados patrulharam mais ao norte e empregaram uma Paveway IV contra uma posição de morteiro a noroeste de Mosul.

Typhoons realizaram operações adicionais sobre Fallujah e foram chamados pelo Exército Iraquiano para destruir duas posições de metralhadora na periferia no norte da cidade. Um total de 101 alvos foram engajados ​​com sucesso pela RAF em Fallujah e em áreas vizinhas desde o início da operação iraquiana para libertar a cidade.

No dia seguinte, um Reaper novamente em patrulha perto de Sharqat realizou três ataques bem sucedidos com mísseis Hellfire contra um caminhão, um grupo de terroristas, e uma van que o Daesh tinha carregado com armas e munições.

RAF Tornado GR4
Um Tornado da RAF com bombas Paveway, mísseis Brimstone e pod Litening

A Inteligência havia determinado que o Daesh estava usando um grande bunker de concreto no oeste do Iraque como uma instalação de armas. Devido à construção maciça, construída durante a era Saddam, foi decidido usar quatro mísseis Storm Shadow contra ela, pois a arma tem particularmente boas capacidades contra um alvo tão desafiador. Os mísseis foram lançados no domingo, 26 de junho, por dois Tornados, todos os quatro mísseis Storm Shadow tiveram impactos diretos e penetraram profundamente dentro do bunker.

Além disso, no oeste do Iraque, a sudeste de Hit, Typhoons empregaram uma única bomba Paveway IV para destruir um bunker muito menor construído pelo Daesh a sudeste de Hit. No norte do Iraque, um Reaper forneceu apoio aéreo aproximado perto de Sharqat pelo terceiro dia consecutivo, usando seus Hellfires para atacar um veículo, um grupo de terroristas a pé, e uma equipe que estava implantando dispositivos explosivos improvisados (IED).

FONTE: UK MoD

33
Deixe um comentário

avatar
33 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
LucianoCWB Paranábosco123FligthBrancoF-16 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Bueno
Visitante
Bueno

A Rainha da seus últimos suspiros, Salve a Rainha! A Rainha esta viva. Interessante o aumento da atuação da RAF contara o Daesh.

shambr
Visitante
shambr

caracas eu acho que o super tucano com certeza poderia comprir estas mesmas missoes por um custo menor tipo 3 tucanos no lugar de um typhoon sei la eu acho que eles estao matando moscas com bazookas assim naum da custos muito elevados para matar neguin com ak 47s e metralhadoras?meter bombas paveway nos bunkers td bem esta de bom tamanho mais usar hellfire contra posicoes de metralhadoras e veiculos tambem acho caro demais os tucanoes fazem o mesmo trabalho naum tao bem rapido como os jets mais eles podem ficar bem mais tempo no ar depois reclamam da crise… Read more »

Bueno
Visitante
Bueno

shambr , boa tarde. A questão é de onde estão saindo para cumprir a missões e onde são as missões, mesmo que seja lançar bomba na cabeça dos malucos , um Typhoons realiza varia missões , rebatesse no TO e retorna para a base em segurança. Tem sem custo, tem seu preço.

bUENO
Visitante
bUENO

correção, um Typhoons reabastecer no ar, REVO, o Tucanão, não. e Bom para algumas missões

Jagderband#44
Visitante

Putz… o Tornado é lindo mesmo.

ronilson
Visitante
ronilson

o Isis deve ser de outro planeta olha a quantidade de países que estão bombardeando sem falar do exercito sírio iraquiano e outros inimigos nos meu 70 anos de idade essa e a guerra mais estranha que já vi. e olha que o Isis tem um território não e como outros grupos terroristas a maior vitima dessa guerra e a verdade

augusto
Visitante
augusto

Acho que umas SDB lançadas do solo, como esta daqui (http://www.forte.jor.br/2015/03/11/saab-e-boeing-fazem-primeiro-lancamento-de-sdb-a-partir-de-terra/) substituiria esses caças numa boa. uma ótima arma para um cenário assimétrico. O uso do storm shadow desnecessário uma BLU-109 daria jeito, mas talvez os misseis estejam já na validade

augusto
Visitante
augusto

boas armas assimetrias (reais e hipotéticas):1-Um C-130 armado com bombas de precisão, ideal para CAS num cenário assimétrico.
2-O AC-130 SPECTRE.
3-Super Tucano.
4-Essa SDB terrestre.
5-Uma infantaria Mecanizada bem treinada com IFVs, MRAPs, Veiculo de suporte de infantaria com canhão 105 mm e obus 155 mm tudo isso numa estrutura BTC igual a americana.
Pronto precisa de mais nada pra uma guerra de 4 gen

Rogério Barcelos Midão
Visitante

Muito bom!!!

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Interessante as notícias. Eu sinto falta deste tipo de informação dos britânicos, os franceses fazem mais propaganda da sua atuação, o que é bom para nós!!! . Não sabia que eles tinham mandado o Euro! Alguém sabe quantas aeronaves estão baseadas no Chipre? 6Tornados + 6 Eurofighters + 1 Voyager (A330 MRTT)??? O Reaper ta operando de onde??? . Recentemente li sobre o MRTT que completou 85 mil horas de voo e deve chegar nos 100 mil esse ano. 40 mil foram no ano passado e isso tudo graças às operações contra o ISIS!!! Existem 27 já entregues, 13 pro… Read more »

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Acho que a integração do Brimstone no Typhoon poderia deixar a atuação muito mais flexível. A integração ainda está na fase de testes de solo, a do Storm Shadow (SCALP EG) já está em voo, mas ainda não está integrada.

Jorge F
Visitante
Jorge F

ISIS, ISIL, DAESH, Estado Islâmico muitas formas de se dizer a mesma coisa ou coisas diferentes? Quem são, onde vivem, para onde vão, como se reproduzem? Acho que caberia uma cobertura mostrando como e onde foram os bombardeios realizados por Americanos, Alemães, Britânicos, Franceses, Iraquianos, Italianos, Russos, Sirius, Turcos… de forma a mapear o emprego do poder aéreo contra esta anomalia da natureza.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Jorge F, alemães e italianos só estão em missão de reconhecimento, não realizaram ataques. Na sua relação ficaram faltando alguns europeus, Áustrália, Canadá e um monte de país Árabe Sunita. A Turquia eu não sei se atacou o EI alguma vez, só os Peshmergas que foram os primeiros a derrotar as tropas do EI!!!

Renato Vieira
Visitante

Lindo o tornado heim. Alguém sabe o preço da hora vôo de cada brinquedo desses da RAF? E pensar que a Argentina ainda sonâmbula pelas Malvinas, aliás a louca acéfala sonhava.

Ednardo Sombra So
Visitante

fiquei tão encantado com as fotos que não consegui ler o artigo

MARCOV
Visitante
MARCOV

Parece que o Panavia Tornado GR4 será desativado a partir de abril de 2019.

Marcos
Visitante
Marcos

C 130 artilhado ten de voar baixo e lento, facilitando pra artilharia anti aeria. Só dá pra usar seguramente à noite

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Hoje em dia não há muita diferença entre o dia e a noite. C-130 artilhado é vulnerável de qualquer forma. Exatamente por isso é que é utilizado em ambientes permissíveis. E salvo engano a versão mais nova do AC-130 vai poder carregar hellfires, mas preciso confirmar isso.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

https://www.flightglobal.com/news/articles/uk-air-strike-data-shows-scale-of-involvement-in-ira-425822/
.
Muito interessante os números apresentados!!! “Some 68% of the coalition’s air strikes in Iraq – and 94% in Syria – had been conducted by US aircraft.”
“Between January and March, RAF Reapers performed eight air strikes in Iraq and 12 in Syria. Its Tornados carried out 52 and 15, respectively, while the totals for the Typhoon were 104 and two. Raytheon Systems’ Paveway IV precision-guided bomb was the weapon of choice for the deployed Typhoon force, which released 252 during this time period, plus 26 rounds from the type’s Mauser 27mm cannon.”
.
Massa saber que eles estão usando o canhão.

Jorge F.
Visitante
Jorge F.

Delmo Almeida
Quando fiz a rela realmente pequei em precisão.

Jorge F.
Visitante
Jorge F.

Outro vetor para se pensar em empregar é o P-3, que já vem com HellFire desde a modernização AIP, pode realizar missões de reconhecimento e bombardeio, e designar alvos, tudo acima do FL 150 (dependendo das condições meteorológicas é lógico). Os P-3 dos EUA são subordinados à Navy, não sei se seria fácil adjudicá-los ao comando da campanha, mas sei que foram utilizados no Kosovo.

BrancoF-16
Visitante

Essa é uma aeronave que merece todo o respeito

Fligth
Visitante
Fligth

Minha percepção de leigo. Não acho correto fazer essa propaganda toda de incursão junto a territórios dominados por esses extremistas. O objetivo é dar uma satisfação para os contribuintes e demonstrar a capacidade empregada, mas por outro lado essa guerra assimétrica, contra “loucos” acaba causando mais ódio neles e acabam descontando com ataques terroristas nos cidadãos comuns.

bosco123
Visitante

Augusto,
Mas a SDB lançado do solo tem só 180 km de alcance.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Flight, essa sua percepção da relação dos ataques com o ódio está correta. O EI existe porque o Ocidente faz muita merda, suas atitudes impensadas geram o ódio e é isso que torna o EI tão sedutor. Quando eles fazem ataques ou fazem seus vídeos provocadores, é para o cidadão médio ficar revoltado e “exigir” dos seus representantes uma atuação mais firme. Quando eles decapitaram o cristãos coptas na Líbia*, o vídeo começava com a seguinte frase: “Mensagem à nação da cruz”. Isso é para que o ocidente PENSE que a questão é simplesmente religiosa e se entenda como ofendido… Read more »

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Flight, coloquei um comentário enorme que não foi e agora to com preguiça de escrever.
_
NOTA DOS EDITORES: O COMENTÁRIO MENCIONADO JÁ FOI LIBERADO.

CWB Paraná
Visitante
CWB Paraná

Tornado GR4 e Typhoon da RAF são a ponta de lança da defesa área européia. Belíssimas aeronaves. Seria viável elas lançarem contra o ISIS mísseis Hellfire ou foguetes guiados?

Jorge F.
Visitante
Jorge F.

Fligth
Concordo contigo, o maior problema é o contínuo bombardeio estratégico sem resultados positivos. Aparentemente o DAESH, ISIS, ISIL…. continua recebendo apoio, continua vendendo petróleo das áreas ocupadas e continua mobilizando efetivos. Os únicos resultados, que pude acompanhar pela mídia são a disseminação do ódio, a manutenção do governo do Bashar Al Assad na Síria e a manutenção de um governo no Iraque (que já se viu em apuros com o ISIS).

Luciano
Visitante
Luciano

Quais as funções desses dois pods subalares ? Sempre vejo o Tornado com eles, mesmo quando esta “sem dentes”.

bosco123
Visitante

Luciano,
Um é de ECM de autoproteção e o outro é dispersor de chaffs e flares.

bosco123
Visitante

CWB,
O Tornado e o Typhoon leva o Brimstone. O Hellfire não é homologado para aeronaves de alto desempenho (jatos).

Luciano
Visitante
Luciano

Obrigado, Bosco. Quer dizer q sem eles não há esse proteções “dedicadas” à aeronave?

Luciano
Visitante
Luciano

*essas