F-22 - foto USAF

Segundo revista, chefe do Estado-Maior da USAF disse que a fabricação de mais caças F-22 de quinta geração ‘não é uma ideia maluca’, e que a aeronave, com modificações, pode ser alternativa mais barata do que desenvolver uma nova geração de jatos de combate

Reportagem de 26 de maio da revista National Defense, assinada por Vivienne Machi, noticiou que há possibilidades da reabertura da linha de montagem do caça de quinta geração F-22 Raptor, segundo declarações do chefe do Estado-Maior da Força Aérea dos EUA (USAF), general Mark Welsh III. A decisão de descontinuar a linha de montagem do caça furtivo, fabricado pela Lockheed Martin, foi tomada em 2009, quando o então Secretário de Defesa Robert Gates insistiu que os fundos necessários para produzir mais Raptors seriam melhor empregados em outras prioridades

No contexto do recente pedido do Congresso dos EUA para que a USAF reavaliasse a reabertura do programa do Raptor, o general Welsh que deixará o cargo em 1º de julho, afirmou: “Ao invés de pensar num caça de sexta geração, poderíamos modificar o F-22 e reabrir a linha (de montagem), mais barato? A declaração foi dada num caf’é da manhã da Associação da Força Aérea em Arlington, estado da Virgínia (EUA). Welsh acrescentou que a solução de reabrir a linha do F-22 poderia manter o número de caças que a Força Aérea dos EUA precisa ter no ar.

F-22 - linha de montagem - foto Lockheed Martin

Análises de custos em andamento – O chefe do Estado-Maior também disse que a USAF está, no momento, conduzindo uma análise de custos para avaliar quanto seria necessário para reabrir a linha do Raptor, e detalhou: “Pensando na ideia levantada de construir mais (F-22), ela não é uma ideia maluca. Creio que vocês já ouvira (…) que o secretário da Força Aérea disse que pensamos ser algo proibitivo em custos. Nós estamos retomando isso no momento e analisando em detalhes os números de quanto isso custaria.”

As declarações contrastam com o que foi dito pelo Secretário de Defesa Ashton Carter, que se mostrou contra a reabertura da linha do F-22, dizendo ser “um caminho ineficiente a seguir” e que “não era algo que a Força Aérea tivesse recomendado” a ele, reforçando que a Pentágono já estava modernizando os 187 caças do tipo que possui. Em 2010, os custos de reabertura da linha do Raptor foram estimados em mais de 500 milhões de dólares (em valores de 2008), em estudo da Rand Corporation.

F-22 em formação - foto USAF

Por seu lado, o general Welsh afirmou: “O sucesso do F-22 – tanto o avião quanto suas tripulações – é realmente excepcional. Eu penso estar comprovado que o avião é exatamente o que todos esperavam que se tornasse (…) Tem sido um sucesso espetacular e seu potencial é realmente digno de nota.”

O general ainda disse, em sua fala à Associação da Força Aérea, que uma grande questão para a prontidão da USAF está nos seus efetivos, e estimou que a força precisa de mais 40.000 a 60.000 integrantes para cumprir suas funções, continuar o trabalho no F-35 e incorporar as capacidades espaciais, cibernéticas, de inteligência, vigilância e reconhecimento que são demandadas. Mas ele opinou que esses números não serão atingidos, ao mesmo tempo em que fez um alerta: “Temos que estar prontos e capazes para ganhar os combates hoje e 20, 30, 40 anos no futuro. Tudo que temos hoje não será suficiente para vencer a luta em 2030.”

F-22 em formação com F-35 sobre a Flórida - foto completa USAF

FOTOS: USAF e Lockheed Martin

VEJA TAMBÉM:

 

Previous articleInovação à brasileira: o trem de pouso do KC-390
Next articleVersão armada do treinador chinês Hongdu L-15
Subscribe
Notify of
guest
67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RH

O melhor Caça já construído, nunca deveriam ter descontinuado a sua produção.

Ocidental Sincero

Se fosse tão bom assim a linha de produção não teria sido interrompida. Foi comprovado em vários exercícios combinados, de que o F-22 foi amplamente superado em dogfights contra Rafale, F-16 e até Mig 29. Por que tanta propaganda enganosa de um caça inferior ao SU-35 e T-50.

Ednardo de oliveira Ferreira

O que sabemos da sexta geração: – será não tripulada, podendo até mesmo tomar decisões sem humanos comandando as aeronaves; – por serem não tripulados, terão de ter altíssima proteção contra guerra eletrônica e cibernética e tecnologias de trocas de dados cada vez mais eficientes; – terá de sobreviver em ambientes onde os adversários também contarão com aeronaves stealth; – terão de enfrentar sistemas de detecção cada vez mais refinados e que em algum momento nos próximos 10 a 20 anos serão muito eficazes contras as atuais tecnologias do F22 e F35; – enfrentarão mísseis muito mais inteligentes e difíceis… Read more »

shambr

pro mano aqui de cima e a integracao de canhoes lasers da boeing em cacas de sexta geracao Americanos como e que fica?vaum nessa que eles so tem o f 22 e o f 35 acho que ja existem prototipos de cacas de sexta geracao ja prontos e sendo testados para operar daqui a 30 anos?ou 40 anos?pois e hitler tinha 40 anos de avanco technologico e o que os Americanos tem hoje 40 anos de technologia na frente de todo mundo

RenanZ

“….Tudo que temos hoje não será suficiente para vencer a luta em 2030.”

Enquanto isso, ao sul da linha do Equador………

Tiago Jeronimo ☠ (@TiagoJL)

^ Do not feed the troll.

O F-22C incorporando a tecnologia do F-35, vai ser imbatível.

junior

Ocidental Sincero – Estranho você falar isso já que o formato do T-50 é bem parecido com o do F-22 e o su-35 não passa de um requentamento do antigo su-27 que por sua vez lembra o F-15…

Nonato

500 milhões para reabrir a linha de montagem?
Considerando o caça, nem parece tão carol.
Mas do que consiste esse custo?
Certamente a LM já dispõe de um “galpão” para isso.
Será necessário contratar uma equipe totalmente nova ou o pessoal que já trabalha no f16 e F35?
Esse pessoal só fala em custos, em gastar.
O ferramental deve estar guardado.
Motores a fábrica deve ter no ponto de bala. Para faturar algumas centenas de milhões…
Dinheiro não dá em árvore.

Carlos Campos

T50 parece uma cópia mal feita do F22, tem varios rebites enormes na fuselagem, o F22 é bom em dogfiht sim, porém já perdeu para o rafale e f16, só foi travado a longa distância por um F18Growler. NEM China e Rússia tem algo operando perto do que é O F22 ele ditou o que é um caça de 5G,e nós próximos anos ainda não terão.

Reinaldo Deprera

“Ocidental Sincero 27 de maio de 2016 at 12:41

Se fosse tão bom assim a linha de produção não teria sido interrompida. Foi comprovado em vários exercícios combinados, de que o F-22 foi amplamente superado em dogfights contra Rafale, F-16 e até Mig 29. Por que tanta propaganda enganosa de um caça inferior ao SU-35 e T-50.”

Sincera desinformação camarada.

johnatan warp drive

“Temos que estar prontos e capazes para ganhar os combates hoje e 20, 30, 40 anos no futuro. Tudo que temos hoje não será suficiente para vencer a luta em 2030.” Lembrando que china, russia, ja estao com seus “F22” caseiros, alem de ja haver demonstradores de tecnologias de aeronaves nao tripuladas de ingleses, chineses, russos, fracesses. Seria um disperdicio de potencial, e interrupçao do ciclo de superioridade Norte Americana, continuar o F22 com o intuito de fazer um sexta geraçao “basicao” ! Todos sabem que isso teria graves implicaçoes a medio prazo, a nao ser que fosse apenas temporario,… Read more »

Rogerio Rufini

ai o cara fala que o F-22 perdeu em exércicio pra Mig-29, f-16 Su-35, inferior ao T-50 QUE NEM OS RUSSOS CONFIAM , mas não sita fontes alguma, e muito menos que TODOS EXERCÍCIOS realizados inicialmente, foi zerado pela fato de nenhum caça F-22 ter sido localizado e detectado, e quando isso feito, o avião inimigo já tinha sido abatido no exercício. Onde o F-22 perdeu, os padrões de combate, impediam que o F-22 utiliza-se todas suas capacidades a que foi projetado, engajamento aconteciam dentro do campo visual, e mesmo assim pilotos alegavam constantemente que não conseguiam lockar o F-22.… Read more »

Rogerio Rufini

Outro Fator que se vê os EUA, é que com a Russia e china tendo um caça de 5 geração entrando em serviço daqui pelo menos 6 anos, e que se vislumbra venda externas, coloca os EUA num cheque mate, ou vende um aeronave sofisticada a seus aliados, como os Australianos e Japoneses que queriam o F-22, ou pode ver eles sobrepujados por uma aeronave mais sofisticada, mesmo com tentativa dos japoneses, Sul coreanos tentando desenvolver um caça furtivo

Reinaldo Deprera

Se for para baixar custo sem perder a efetividade contra um T-50, F-15 com eletrônica e aviônica dos anos 80 já daria conta do recado. O Raptor é o único caça verdadeiramente stealth. Somado à qualidade da aviônica e dos sistemas de armas norte-americano, é imbatível. E muito provavelmente continuará sendo imbatível contra a quinta, sexta e a “trigésima décima” geração de caças russos e chineses. Acho que se houver uma decisão no sentido de reabrir a linha de produção dele, será uma decisão sábia em vários aspectos. O principal deles, na minha opinião, é que o fato de os… Read more »

johnatan warp drive

Off topic, perdao pela fonte !
Alguem sabe se tal novo motor é uma relaçao direta com o propulsor nuclear que anunciaram para 2018 ?
http://sputniknews.com/science/20160526/1040258144/roscosmos-plasma-rocket-engine.html

johnatan warp drive

Reinaldo Deprera
Bem que o sexta geraçao poderia ser o “à la guerra nas estrelas”, Faria bem para o avanço tecnologico que necessitamos para alcançar o espaço de modo “barato” !

Guilherme Poggio

Reabrir a linha de produção de um caça que custa US$ 58.000 por hora de voo, consome 42 homens/hora de manutenção para cada hora de voo e possui disponibilidade de 60% depois de anos e anos em atividade? Não sei não.

Thiago Barros Soares

Tudo hoje é uma questão de custo. Os tempos do Programa Apolo e do Guerra nas Estrelas passou. A evolução da tecnologia me parece no limite onde pra conseguir modesto avanço se gasta quantias proibitivas. Parece um daqueles momentos de ruptura onde uma revolução tecnológica suplanta toda a geração anterior com folga.

Mauricio R.

Sobre o “abate” (em exercício) de um F-22 por um EF/A-18G, a única coisa concreta que existe, é que há uma aeronave no inventário corrente da Aviação Naval americana, ostentando uma “kill mark” que representa a silhueta de um F-22. Detalhes de como foi ou como não foi, como deixou de ser, ou não, com aqueles 3 macaquinhos… Quanto ao suposto F-22 “abatido” por “Le Jaca”, o que existe é uma imagem do OSF e até onde se sabe este aviônico não tem meios de gerar uma solução de tiro e abater qualquer coisa que voe. Idem quanto a supervalorizada… Read more »

Mauricio R.

Essa aeronave será o sonho máximo de todo e qualquer plastimodelista realizado, pois vão pegar a fuselagem do F-22 e casa-la c/ a aviônica e a propulsão do F-35. Será o F-57.
Isso se conseguirem achar todas as jigas originais do F-22, pois algumas estão faltando.
E como recentemente se descobriu que o F-35 não são 3 versões de um mesmo avião, mas 3 aviões, F-35; F-36; F-37, completamente distintos entre si, a futura versão naval F-39 também já estará garantida.
Azar do USMC, pois vão mofar c/ o SH e o F-35B.

ivanstop

Me lembro de uma cena do terceiro filme dos transformers, sobre um dialogo em que um ator fala que a nasa deixou de ir a lua pois os contadores a fizeram acreditar que era muito caro. É uma cena em um filme! Mas que na vida real deve ter gente que faz isso, e como tem, tanto aqui como lá.

Ednardo de oliveira Ferreira

Ocidental: o fim da linha de produção do F22 tem mais a ver com seu sucesso e mudança de cenários globais que com problemas. e lembrando… caças de ponta são, na prática, para conflitos entre potências não nucleares. porque entre elas o grande porrete ainda são as nukes. E nos conflitos recentes, entre potencias grandes e médias, a superioridade aérea tem sido alcançada nas 3 ou 4 primeiras semanas. depois disso uma X-Wing ou Tie-Fighter têm o mesmo valor que um F16 bem equipado para ataque. shambr: 1) Os EUA nos anos 90 já tinham o F22, um avião que… Read more »

Bardini

Off Topic: NATO Tiger Meet 2016
.
Best Looking Tiger Aircraft: Mi-24 “Alien Tiger”!!!!
.
http://www.letajicihrosi.cz/2742/alien-tiger-mi-24/
.
PS: Ficou INCRÍVEL!!!

Carlos Menk

“….Tudo que temos hoje não será suficiente para vencer a luta em 2030.”,, O que me preocupa, é que guerra é essa que esse oficial enxerga em 2030, e para a qual o mesmo acredita que a maior força militar do mundo não estaria pronta?????????

Rinaldo Nery

Desculpe a ignorância, mas alguém poderia me enumerar, item por item, o que o F-35 tem de superior ao F-22?
Vai ao encontro dos posts da matéria sobre os testes do F-35. Vamos ver se os custos dele se justificam.

Rinaldo Nery

Só a China tira o sono dos norte americanos.

Guilherme Poggio

Desculpe a ignorância, mas alguém poderia me enumerar, item por item, o que o F-35 tem de superior ao F-22? . Caro Rinaldo Nery . Essa é uma resposta longa que mereceria um ou mais posts, mas basta lembrar a diferença temporal entre os dois caças e todos os avanços tecnológicos deste período. O primeiro F-22 voou em 1991 e o F-35 em 2006 (em dezembro fará dez anos do primeiro voo). Além disso o F-35 continua em desenvolvimento e o F-22 praticamente parou no tempo (com algumas atualizações de software). . Entre a modernização do F-5 chileno e do… Read more »

E.Silva

“Temos que estar prontos e capazes para ganhar os combates hoje e 20, 30, 40 anos no futuro. Tudo que temos hoje não será suficiente para vencer a luta em 2030.” . Se existe alguma verdade na fala deste general então suponho que o adversário seria o T-50. Ou alguém pode opinar algum caça fora do ocidente capaz de causar problemas ao F-35 e o F-22 por volta de 2030? . Reinaldo Deprera 27 de maio de 2016 at 15:01 “Se for para baixar custo sem perder a efetividade contra um T-50, F-15 com eletrônica e aviônica dos anos 80… Read more »

Fabiano

Olha não é por nada não,mas é difícil crer que o F35 é superior ao F22 em combate aéreo,fechar a sua linha de produção e não vender para ninguém, é porque esse caça tem uma tecnologia bem superior ao F35 ,se não faz sentido Israel queria ,japão queria ,uma boa parte dos aliados dos EUA queria F22.

marcus

Quando ocorreu esse confronto entre o MIG29 e o F22?????? Se der uma bola para o Ocidental sincero, ele chuta ela na lua. Vai chutar assim lá na casa do Carvalho. kkkk

Rinaldo Nery

Obrigado, Poggio. Se existisse uma tabela comparativa seria bem interessante.

Delfim Sobreira

Se o F-35 é tão ou mais avançado que o F-35, porque então os EUA venderão o F-35 a outros países e não o F-22 ?

Guilherme Poggio

Rinaldo Nery Acho que uma forma bastante direta de comparação seria o motor. Veja que o F135 do F-35 possui o mesmo diâmetro do F119 do F-22. Embora o F135 seja mais leve que o F119 ele produz um empuxo absurdamente maior. . Segundo informações da USAF temos 43 mil libras de empuxo do F135 contra 35 mil libras do F119 (ambos os casos com pós combustão). Para se ter ideia dessa diferença de 8 mil libras entre um motor e outro é como o F-35 fosse “um F-5 mais potente” que o F-22! (os dois motores do F-5 produzem… Read more »

Guilherme Poggio

Delfim Sobreira 27 de maio de 2016 at 20:37
Se o F-35 é tão ou mais avançado que o F-35, porque então os EUA venderão o F-35 a outros países e não o F-22 ?

.
Caro Delfim Sobreira
.
Os EUA mudaram o seu “plano de negócios” e resolveram trabalhar em cooperação com outros países. Veja que não se trata apenas de “vender”, mas os países que irão comprar o caça até aqui participaram do desenvolvimento do caça. Ou seja, o avião também pertence a eles.
.
Eu tenho uma boa palavra para isso. Chama-se “assambarcar” o mercado.

Rinaldo Nery

Interessante. Mas imagino que, por ter a missão primária de ataque ao solo, levará uma carga maior de armamento. Daí a necessidade de um motor mais potente.

Alexandre Samir Maziz

Já disse varias vezes aqui “eu sou burro infante paraquedista” só sei coisas sobre GC e pelotão , mas na minha ignorância sem fim o F-35 seu projeto seria uma copia do F-22 com algumas melhorias só que um caça mais “gordão” pois eles são bem parecidos né ?? alguém que entende do assunto pode me esclarecer sobre isso ??

Guilherme Poggio

Daniel Cardoso . Obrigado pela correção do ano do primeiro voo do F-22. Falei de cabeça e errei. Quanto à tecnologia furtiva, sem dúvida que o F-35 está um passo a frente do F-22. A nova tecnologia do F-35 permitiu entre outras coisas uma redução no número de homens/hora para o tratamento das superfícies o que, em tese, daria maior disponibilidade para as aeronaves. Esta nova tecnologia está dando certa dor de cabeça aos projetistas, pois próximo ao bocal do motor as altas temperaturas estão “descascando” a pintura e reduzindo a furtividade. . Tem uma matéria traduzida (clique aqui para… Read more »

Guilherme Poggio

Alexandre Samir Maziz
.
Cada um no seu quadrado. Tenho certeza que você daria aulas e aulas para nós sobre operações no comando de GCs.
.
Sobre o F-35, ele tem aquele “jeitão” porque era condição sine qua non que a aeronave fosse S/VTOL (decolagem curta/vertical). Se não fosse o “mega ventilador” (veja no desenho abaixo) atrás da cabina do piloto a aeronave (só tem na versão F-35B, mas o formato é o mesmo para os demais) seria muito mais esguia com certeza.

Mauricio Veiga

A “politicagem” e a megalomania continuam atrapalhando ambos os caças (F-22/F-35), a enorme quantidade de problemas associados a sofisticada e cara tecnologia aplicada ao projetos continua sendo proibitiva, será difícil substituir a dupla “fantástica” F-15/F-16, tanto em quantidade quanto em qualidade operacional, lembrando que não adianta ser o melhor e o mais sofisticado se não puder voar com a plenitude das habilidades para a qual foi projetado …

Abraço.

Corsario137

Existe um contexto que eu acho que não foi abordado: curva de aprendizado. Imaginem construir um F-22 hoje utilizando toda a expertise desenvolvida a duras penas no programa do F-35, principalmente no que ae refere às tecnologias empregadas na célula – material RAM – e no software, calcanhar de aquiles dos projetos atuais. Lá para 2022-2025 o F-35 deverá ter alcançado a sua maturidade enquanto eu projeto, com todas as principais tecnologias prometidas no escopo operando normalmente. Nesse contexto temporal/tecnológico, a reabertura de linha do Raptor com essa expertise pode derrubar os custos de aquisição e manutenção da aeronave. A… Read more »

Rogerio Rufini

Lembrando que a USNAVY já tá em projeto de abertura do F/A-XX que substituirá o F/A-18 EF.
O F15C seria substituído pelo F-22, e não foi o que ocorreu, de 750 F-22 ficou com menos de 200, e agora ainda vê a substituição dos F-15E chegando, e não vê os F-35 como esses substituto, li que conseguem por o F-22 em produção em 4 anos, já com as melhorias e aperfeiçoamento necessários, e com os novas tecnologias furtivas do F-35 o custo da manutenção e disponibilidade seria reduzido em muito.

Tadeu Mendes

A China nao tira o sonho dos norte americanos. A US NAVY sim tira o sonho dos chineses.

Tem sempre um submarino da classe Ohio, patrulhando debaixo do nariz deles. Basta apenas um submarino desses disparar seus 24 SLBMs.Trident D5 contra a China, para que aquele país deixe de existir.

O que o MIT está fazendo na área da Nanotecnologia (financiado pela DARPA) vai revolucionar o mundo e a arte da guerra.

junior

Devem ter um protótipo de um caça de próxima geração, a Northrop Grumman já mostrou até um vídeo:
.
https://youtu.be/cITKk-DqYWE

Edcarlos

Aeronaves militares com décadas a frente em termos tecnológicos a qualquer outra nação e olha isso:
.
.
http://www.dn.pt/mundo/interior/arsenal-nuclear-americano-controlado-por-disquetes-dos-anos-70-5194651.html
.
.
Saudações!

Adriano

Boa tarde pessoal, podem me cobrar depois, haverá sim um f22B/C podem me cobrar depois e o fato dele não ser exportado diferente do f-35 é porque simplesmente ele ser muito mais “caça” que o segundo

Trollbuster

Minha humilde visão… O projeto do F22 já está maduro e 100% operacional. Acho difícil os americanos nesta provável volta não agregarem nada ao programa visando menores custos operacionais e alguma evolução de aviônica que o habilite a substituir também parte da frota de F15E. Os americanos estão vivendo um rápido envelhecimento da frota pelo ritmo operacional intenso e na fila mais imediata tem o A10C e o F15 nas suas variadas versões para aposentadoria. Como o F15E também faz muito CAS é natural que este substituto também faça esta missão. Ai que eu acho que não é de tudo… Read more »

ronaldo de souza gonçalves

Para o Brasil,é bom desistirem de um avião de 6*geração pois vamos de grispen 4.5 e olhe que o Brasil está esforçando bem.Penso eu que a china e russia não vai vender seus caças ao Brasil. Nos teremos que contentar com o grispen pois no momento a deflazagem pro resto do mundo não é tão grande e isto dá folego.O projeto koreano de 5* geração pode cair que nem um luvas para gente se aproximar-mos deles.Acredito que os EUA estão um pouco na frente sim dos russos e chineses,mas principalmente os chineses tem muito dinheiro para gastar quer gastar e… Read more »

Trollbuster

Brasil – Pátria Educadora

Ulisses Paulino

Me “bateram virtualmente” em outro espaço, há mais ou menos 1 ano, quando citei a possibilidade de um “F-22 NG”. Não é a melhor alternativa, já que o lógico é partir para a sexta geração, mas os americanos são pragmáticos, e devem saber que o orçamento não deve comportar o desenvolvimento da 6ª geração à tempo repor o inventário da USAF (vide-se o atraso no programa F-35), além do que os chineses deram um salto qualitativo na última década, e se preparam para outro agora, diminuindo o gap de qualidade em frente ao inventário americano, e compensando em quantidade. E… Read more »

control

Srs

F22 e F35 são aviões concebidos para missões diferentes.
O F22 é um caça com capacidade secundária de ataque e o F35 é um avião de ataque com capacidade eventual de atuar como caça.
O F22 é mais manobrável e tem velocidade máxima e supercruise. Sua função primária é superioridade aérea.
Quanto ao F35, sua função primária é a de ataque em profundidade em cenários de defesa aérea densa.
A comparação direta não faz justiça com nenhum dos dois, é comparar banana com berinjela.

Sds