Home Aviação de Caça Turquia cessa violações do espaço aéreo grego após derrubada de Su-24

Turquia cessa violações do espaço aéreo grego após derrubada de Su-24

7970
64

F-16 sobre Skopelos - foto Força Aérea Grega

Aeronaves turcas reduziram abruptamente as violações do espaço aéreo grego após um jato russo Sukhoi Su-24 ter sido derrubado em 24 de novembro por um F-16 turco. Anteriormente, as incursões aéreas eram diárias, chegando a casa de milhares por ano.

Os dados são de uma fonte diplomática em Atenas, citada pela agência russa RIA Novosti.

A última vez que aviões de guerra turcos foram vistos no espaço aéreo grego ocorreu em 25 de novembro, quando seis jatos, dois deles transportando armas, entraram no  aéreo vizinho.

Intrusões de jatos turcos no espaço aéreo nacional da Grécia continuam a ser uma dor de cabeça constante para Atenas. Mesmo sendo parceiros da OTAN, Turquia e Grécia tem sido adversários durante séculos.

O ano de 2014 foi marcado por um forte aumento das violações do espaço aéreo grego pela Força Aérea Turca, cujo número subiu para 2244 incidentes. De janeiro a outubro de 2015 o espaço aéreo da Grécia foi violado por aviões militares turcos 1.233 vezes, incluindo 31 vôos sobre o próprio território grego, segundo a Força Aérea grega. Em novembro, antes da derrubada do bombardeiro russo, pelo menos 50 violações do espaço aéreo foram registradas.

Jatos turcos habitualmente invadem o espaço aéreo grego sobre as ilhas em disputa no Mar Egeu, obrigando a Força Aérea Grega a interceptar os invasores. Tais encontros aéreos muitas vezes terminam com combates simulados, com os pilotos dos dois lados travando seus mísseis nos aviões adversários.

violacoes do espaco aereo turco por avioes gregos

FONTE: RT (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

NOTA DO EDITOR: recomendamos aos nossos leitores o vídeo feito a partir de um Mirage 200 grego enfrentando um F-16 turco

64 COMMENTS

  1. Russia invade espaço aéreo turco: Tem que derrubar mesmo, onde já se viu invadir o espaço aéreo de outros países..

    Turquia invade espaço aéreo grepo: Veja bem, não se pode abater um avião somente pq invadiu o espaço aéreo de outro pais.. tem que dialogar primeiro, escoltar e tal.

  2. Anos atrás a Grécia foi responsável pela única perda oficial de um F-16 em combate aéreo, quando um Mirage 2000 grego derrubou um F-16D turco numa dessas provocações que eles fazem entre si.

    Se vocês forem pesquisar verão que encontros entre caças de ambos os lados são frequentes a décadas e já ouve vários abates de ambos os lados.

  3. tem é que tirar a Turquia da OTAN país que não tem o pensamento alinhado com o Ocidente, depois dizem que preconceito contra os países de maioria islâmica. A Grécia deveria no futuro comprar caças de guerra eletrônica para voar junto de seus F16 e derrubar os jatos turcos.

  4. Com a aproximação do govermo populista grego de Moscou, será que os turcos estão temendo uma escaramuça ? Baterias russas em território grego, as escondidas prontas para uma “pegadinha” ?

  5. Com a aproximação do populista grego à Moscou (na tentativa de fazer birra para a UE), será que os turcos estão temendo uma escaramuça em território grego ? Baterias russas levadas à Grécia as escondidas para preparar uma “pegadinha” ?

  6. Não é bem assim. A Turquia é uma potência militar regional, e embora realmente tem uma filosofia em total desacordo com os outros OTAN, é um importante e estratégico aliado, pela posição que ocupa. Dados de 2014, vejam o poderio da Força Aérea Turca
    Efetivo: 60.000; aviões de combate: 53 F-5 (48 serão convertidos em LIFT), 69 F-4E (52 serão convertidos ao padrão Phantom 2020), 212 F-16 C/D, 33 RF-4.
    Então como podem ver, é um importante aliado!

  7. Marcelo, a ilha “grega” invadida e ainda ocupada pelos turcos é Chipre… Creta foi ocupada pelos turcos durante o período de ocupação Otomana até 1908 mais ou menos, depois se tornou independente, mas com a população majoritariamente grega e cristã ortodoxa acabou por se juntar à Grécia (assim como era a intenção do Chipre até a invasão turca). A Grécia opera o S300 e se não me engano fez diversos exercícios com Israel para o caso deste último defrontar o mesmo equipamento no Irã. É uma força aérea em constante treinamento, mesmo que tenha diminuído muito graças à crise, não se mata anos de doutrina em pouco tempo.

    Já houve abate no passado e os turcos invadiram o espaço áereo grego milhares de vezes, não conheço história dos gregos fazendo o mesmo e acho que a vontade dos turcos não cessou, eles querem muito territórios no mar Egeu, mas eles próprios criaram um precedente que se for usado pelos gregos não poderá ser contestado já que foi aberto por eles.

    Parece fácil falar de geopolítica, mas pouco a pouco o mundo vai perceber que o alinhamento cultural do turco com o ocidente é na prática pequeno, existe uma distância no pensamento bastante considerável e bem maior do que a do grego com o Europeu (lembrando que toda civilização européia nasceu na Grécia), pelo menos enquanto os 10% de muçulmanos na Europa não viram 30%-40%, ai a coisa pode mudar de figura.

    Sds.

  8. Aliás Rússia e Europa tem muuuuito mais em comum do que Turquia e Europa…

    O governo turco é hipócrita. E assassino. Engraçado que vi idiotas no face comemorando a morte dos russos. Sendo que estes estão lutando contra o terrorismo que quer destruír pessoas do ocidente que vivem exatamente como esses mesmos idiotas,( Internet. Modo de vida ocidental e cristão. Etc) que vi escrevendo lixos como ” russos tem que morrer “…

    É muita infantilidade…

  9. Clésio,, encontros entre caças gregos e turcos são frequentes, já abates entre esses países, além do citado por você, desconheço outros. Você pode compartilhar conosco?

  10. Lyw, aqui vai um link sobre o conflito de 1974 entre Grécia e Turquia pelo Chipre. Outro link nesse site tem o lado turco da história. Esse site tem muitas reportagens sobre diversos conflitos, vale a pena colocar nos favoritos para ler o resto depois.

    Mas como tudo que se lê na internet não considerem como 100% verdade, apenas o que os autores puderam apurar ou quiseram publicar:

    http://www.acig.info/CMS/index.php?option=com_content&task=view&id=107&Itemid=47

  11. No Youtube pode-se encontrar alguns combates entre gregos e turcos. Salvo melhor juízo, a última perda num desses combates foi porque uma das aeronaves entrou voando no mar. Não me recordo se grego ou turco.

  12. Pra mim o abate do Su-24 russo não tem nada a ver com a Turquia ter invadido milhares de vezes o espaço aéreo grego, mesmo porque imagino que a Grécia faça o mesmo em relação ao espaço aéreo turco. Qualquer informação que impute aos turcos essas mais de duas mil violações obriga que se apresente quantos houve do lado grego em relação ao espaço aéreo turco.
    E se os turcos fazem isso é porque os gregos não “avisaram” que era para que essa ocorrência cessasse. Gregos e turcos que se virem. Eles têm suas broncas desde que Helena deu um boné de vaca pro Menelau lá no tempo que galinha tinha dente.
    Comparar isso com o ocorrido na Síria é comparar alhos que bugalhos ou maçãs com mexericas. Os dois fatos não guardam relação e são completamente independentes.
    O que me interessa não é se a Turquia parou de invadir o espaço grego mas se os russos pararam de invadir o espaço turco. Isso sim é relevante.

  13. Caro Bosco, primeiro os Gregos já abateram uma F-16 turco por este motivo, e depois estas violações têm sido debatidas internamente dentro da OTAN. Creio que os gregos já demonstraram o bastante que não estão satisfeitos com a situação que vêm sendo colocada em panos quentes pelas potências da OTAN a bastante tempo.

    Provavelmente não existem informações sobre violações do espaço aéreo turco pelos gregos atualmente porque simplesmente os helênicos não costumam fazê-lo.

    Agora, que os russos não irão mais entrar no espaço aéreo turco disso pode ter certeza heheheh…

    O que esta história aqui contada nos diz é o quanto os turcos são inconsequentes quando se trata desse assunto.

    Mas os gregos não se preocupem, terão menos trabalho por um bom tempo, até os turcos se sentirem seguros o suficiente para voltar a testar a paciência do vizinho.

  14. Clésio, valeu pelo link.

    Já tinha lido algumas coisas sobre o conflito greco-turco. Quando você falou achei que tinha se referido a abates após o conflito. Como no caso do F-16.

  15. Imagina Marcelo, o que eu aprendo todo santo dia aqui no PA estou em dívida por muitos e muitos anos com todos vocês!

    Bosco, concordo com você, os casos não tem relação direta. Imagino que tenha diminuído mais porque talvez (digo talvez pois é pura especulação) a Turquia tenha aberto um precedente que a Grécia poderia usar para justificar a derrubada de um avião turco sobre seu espaço aéreo (usando a mesma lógica que os turcos usaram com os russos) e trazer essa questão para dentro da Otan é tudo que nem turcos, nem gregos, nem europeus ou americanos querem nesse momento.

    O problema por ali é que a Turquia não reconhece uma parte da soberania grega alem de 6 milhas marítimas do território e reivindica a expansão da sua própria área soberana. Geralmente os vôos ocorrem pelos turcos invadindo o espaço grego por não reconhecerem o mesmo e acabam em seus vôos permanecendo e entrando inclusive nas 6 milhas teoricamente reconhecidas pelos turcos até que algum avião grego aparece e os expulsa de lá (isto ocorre diariamente há muitos e muitos anos). Segundo informações que eu tenho, a ocorrência de aviões gregos no espaço aéreo turco é rara, pois a Grécia não tem as mesmas reivindicações e sabe que este tipo de provocação pode ascender a um conflito bélico como já aconteceu na década de 70 e entende que isso é algo que os turcos querem muito, que a Grécia aceite a provocação e se veja enfiada em um novo conflito que a obrigue sentar na mesa e negociar parte dos territórios que os turcos querem no mar Egeu. É uma longa história que alguns povos da região tiveram batalhando para tentar expulsar os Otomanos de suas terras (assim como os gregos os armênios tiveram muitos problemas), mas é um tema longo e que acho que foge da questão atual que seria um possível impacto da situação causada pela queda do avião russo na relação da Turquia com seus vizinhos.

    Lembrando que a rusga do povo grego com o turco tem mais ou menos 500 anos quando da invasão Otomana em toda região por volta dos anos 1450 e desde então os gregos vem tentando expulsar os Otomanos de seus territórios, muitas feridas ainda estão abertas nestes povos. Quanto à cidade de Tróia e as lendas da Ilíada, se tratam de um povo completamente diferente. Os otomanos vieram da Mongólia e ao longo dos anos ajudaram a espalhar a herança muçulmana em toda região, sua origem nada tem a ver com os troianos que viveram 2 milênios antes destes ocorridos. Aliás na verdade o otomano não tem ligação nem com o povo árabe (de origem fenícia e assíria) e são bastante diferentes entre si.

    Sds.

  16. Lyw,
    Numa busca rápida achei pelo menos um evento em que no mesmo dia 3 aeronaves militares gregas invadiram por 5 minutos o espaço aéreo turco.
    Mas com certeza essa “burrada” turca vai fazer eles ficarem mais sossegados por um bom tempo. rsrss
    Mas os russos que não se metam a besta com a Turquia que eles tem muitas garrafas pra vender. Por mais poderosos que os russos sejam se meter com a Turquia (e nem coloca a OTAN no meio) está longe de ser um passeio.

    Theo,
    Valeu!

  17. Mestre Bosco mais uma vez vou concordar com você!

    As FFAA da Turquia são muito bem preparadas e doutrinadas com equipamentos ocidentais recentes. Não desprezando o poder bélico russo, se descontarmos as milhares de ogivas nucleares russas, um conflito tradicional não nuclear não seria nem de longe um passeio russo sobre os turcos. Arrisco dizer que se entrassem em conflito a Rússia teria que fazer um esforço nacional em economia de guerra para ter chance contra os turcos (sem OTAN). Não digo isso para desprezar os russos ou despertar comentários negativos dos russófilos, é a realidade Turca (um pequeno passeio pela internet com informações básicas sobre os recursos bélicos turcos mostram que levam o tema defesa a sério)

    Sabe aquele comentário que nem sempre você precisa ter poder para ganhar uma guerra, mas para tornar uma derrota tão cara que não valeria a pena para o vencedor a conquistar? Acho que este é o caso. O esforço que a Rússia deveria empreender para vencer uma guerra tradicional contra a Turquia deve ser tão grande que mesmo sabendo que as chances de vitória são grandes, ele simplesmente não se justifica! Não há motivos históricos ou disputas tão grandes. O caso do avião vai ser superado cedo ou tarde.

    Mas esta é só minha opinião, admito que tenho muito menos conhecimento que vocês para elucubrar com razão sobre um conflito turco-russo.

    Sds.

  18. Interessante saber que, conforme percebe-se quem seja o adversário (normalmente acontece conforme sua convicção ideológica), ele passa de um poder militar intransponível a um mero poder desorganizado e incompetente.

    Lembro que alguns anos atrás, quando daquela ação de ajuda humanitária turca à faixa de Gaza, na qual o navio turco foi abordado por forças de segurança de Israel, os mesmo que hoje tornam a Turquia tal poderio militar, diziam que a Turquia era, praticamente, uma força medíocre ante o poderio israelense. Hoje, ante as escaramuças com a Rússia, a Turquia voltou a ser o poderio militar regional (a qual realmente o é).

    Resumindo, percebe-se que a grande maioria dos comentários acabam, em boa parte, sendo contaminados por questões ideológicas, infelizmente.

    Até mais!!! 😉

  19. Aliás o contrário também é verdadeiro, os que afirmavam que a Turquia era um poderio de respeito, hoje botam em xeque sua capacidade ante ao Urso. Rsrsrs

  20. “Pau que dá em Chico, não dá em Mustafá!”. Lembrei de um caso parecido de um país ao sul do Equador que tem casos semelhantes… Só os cegos e abobados não querem ver que o sultão Edorgan tem saudades do antigo Império Otomano e quer trazê-lo de volta a vida!

  21. Titio, concordo com você. Tem muito do populismo do Edorgan. Mas, creio também, que houve um recado do Obama: “pare de fazer caca porque não vou te apoiar”. Não é bom brincar com os russos. O Putin é mau e não tem sangue de barata.

  22. Mau e rico né? Só em relógio o Putin tem alguns milhões de dólares. Para quem gosta de alta relojoaria, o Putin já foi visto com A Lange & Sohne Tourbograph, vários Patek Philippe, inclusive um Perpetual Calendar, e para os dias de pobreza, Breguets, e Blancpain… como ele compra isso com o salário de um funcionário público russo é um enorme mistério.
    Para quem não conhece relógios, A Lange & Sohne e Patek Philippe, são as duas marcas mais caras do mundo…

  23. Mais engraçado que analisar a capacidade militar turca é ver o quanto tem de especialista em geopolítica e história da região, na internet. Até há pouco tempo o Edorgan era um ilustre desconhecido dos blogs de defesa, mas de uma hora para outra ele virou comprador de petróleo do EI e o novo pretendente a sultão do Império Otomano Renascido.
    Realmente as opiniões são mutáveis na internet.

  24. Sobre a rixa entre gregos e otomanos, lembrem-se que o sonho molhado dos gregos é retomar Constantinopla. e quase chegaram a isso na IGM, quando chegaram até Smyrna em 1919.
    +
    O premier grego na época, Elefhterius Venizelos, tinha o sonho de reerguer a Grande Grécia (“Irredentismo” grego, fazendo uma analogia com a “Italia Irredenta”), e trocou seu apoio aos aliados por territórios na partilha do defunto Império Otomano.
    +
    Mas se o Império Otomano estava morto, a República Turca não – E contava com o gênio militar de Mustapha Kemal. O resultado foi uma coça inesquecível e a perda de todos os territórios conquistados.
    +
    A wiki em inglês é bem explicativa sobre a Guerra Greco-Turca de 1919-22: https://en.wikipedia.org/wiki/Greco-Turkish_War_%281919%E2%80%9322%29

  25. Há duas hipóteses no caso do Su-24 abatido.
    Ou a turquia teve seu dia de fúria devido às tensões e meteu um balaço no avião de ataque russo e aí os russos colocaram em marcha sua Central de Criação de Fatos Incontestáveis pra usar a velha tática do “coitadismo” e do politicamente correto (que só existe aqui no Ocidente) a seu favor depois de ver seu “destruidor de Aegis” abatido contra todas as possibilidades já que era para toda a OTAN estar tremendo de medo; ou a Turquia é mesmo dona dos caminhões e seu governante locupleta comprando petróleo do EI no mercado negro e fez esse abate realmente em vingança , tendo considerado esse negócio escuso mais lucrativo do que os bilhões negociados entre os dois países de forma legal, e ainda por cima, ter achado que a comunidade internacional nunca ficaria sabendo de suas negociatas.
    Quanto à OTAN apoiar os rebeldes Sírios (ao regime do Assad) moderados, todo mundo já tá cansado de saber.
    Eu de minha parte acho que tanto os rebeldes sírios quanto o EI devam levar fumo, e depois, o presidente Assad deve ser responsabilizado por crimes contra a humanidade e ficar mofando na cadeia até que o Inferno congele.

  26. Turquia x Rússia quem vence e quem perde?os dois perdem,vejamos: a Turquia tem projetos nucleares com os russos e depende dos turistas russos para sua industria de turismo.já enfrenta os curdos no Iraque ,tem disputas com a Grécia.Os russos tem o mega projeto do gasoduto Na Turquia,que levaria energia ate a Europa e já com a parte russa já pronta.Um precisa do outro e a guerra cara e imprevissivel ninguém quer.Putin nao vai deixar barato mas com o tempo deve aceitar o duro golpe sofrido por um pais nada bobo.

  27. Uma coisa sabemos: países são motivados por interesses. Com certeza ninguém está lá pelas crianças sírias ou pelas crianças iraquianas, que em última análise são os únicos inocentes nessa guerra.
    O poder/dinheiro é que são sempre as motivações e lá usam como pano de fundo as diferenças do Islamismo e as diferenças étnicas.
    Aqui por exemplo, nossas “autoridades” usam como pano de fundo as diferenças sociais, raciais, de gênero,etc.
    Hoje mesmo foi preso o líder do Movimento de Resistência Popular. Ele tem carro de luxo e extorquia até 300 reais por mês dos “participantes”, ameaçando inclusive a integridade física de quem não “contribuísse”.
    Se é esse o panorama que vivemos no Brasil, um país com um só idioma e com uma crença religiosa predominante, e com uma história de apenas 500 anos, imaginem o caldo cultural concernente àquela região do mundo, berço da civilização humana.
    Se ETs chegassem à Terra provavelmente seria mais fácil entender sua cultura, história e motivações do que entender esse balaio de gato que é o Oriente Médio e arredores.

  28. Titio, acho que seja por ai e conforme afirmou o Rinaldo, o Putin não é flor que se cheire.

    Rússia tem muito a perder ($$$$) com uma frente militar contra à Turquia, o Putin pode ser mau, mas não é burro, vai sim querer dar o troco, entretanto não contra a Turquia e sim contra o governo de Edorgan, que tem perdido apoio popular por conta desse “resgate” do império otomano, bem como a tentativa de implantar medidas islâmicas num governo laico, isto não tem sido de agrado dos governos europeus e os russos podem acabar minando mais ainda o seu governo. Se não fechando totalmente o envio de gás natural, podem racionalizá-lo, assim como dificultar a ida de turistas russos (são os que mais visitam a Turquia), dentre outras ações.

    Bosco, o Edorgan é conhecido a pelo menos 5 anos, seja pelo episódio do navio humanitário na Faixa de Gaza, seja pelo então “malfadado” acordo com o Irã (acordo este que é muito parecido com o assinado a pouco tempo), afora as diversas manifestações contra a islamisação do governo turco nos últimos anos, ou seja, não surgiu agora por conta deste episódio. No mais, concordo contigo, tudo tem um motivo, um interesse, e não são as pobres crianças (infelizmente).

    Até mais!!! 😉

  29. Mudando de pato pra ganso, gostaria de saber quando o Brasil vai assumir seu papel e invadir a Venezuela? Conheço uma empresa que esta quebrando por causa da dificuldade de remeter lucros ao Brasil, lucros que são de alguns poucos milhões, enquanto uma filha do Chaves tem mais de 700.000.000,00 de dólares nos EUA, conforme acabei de ver em um vídeo no youtube de uma reporter venezuelana.
    Os EUA reviram o mundo por 1 americano, o Brasil abandona seus filhos a sorte.

  30. Wellington,
    Sem dúvida o Edorgan era conhecido. Inclusive era o herói dos russófilos por conta do caso dos navios “pacifistas” que iriam abastecer os palestinos de chocolate e leite condensado. Dessa vez ele virou inimigo carnal dos que antes o tinham em alta conta.
    Coisas da internet.

  31. Mas neste imbróglio que a Siria se tornou, só há uma certeza: na divisão de forças que hoje existe, a Síria não tem solução militar. Antes da intervenção russa, as forças do Assad já davam sinais de esgotamento e vinham perdendo terreno para o ISIS, para o FSA (Free Syrian Army), e para outros grupos que lá atuam. E foi justamente porque as forças do Assad já estavam em situação difícil que houve a necessidade de intervenção russa. Com a intervenção russa houve uma equalização de forças, mas mesmo assim ele não tem a força necessária para retomar o controle sobre todo o território sírio contra forças irregulares como o ISIS, o FSA e outros.

  32. Vi não lembro aonde (acho que no Defesanet) as fotos da parada do Dia da Turquia (criação do Estado Turco?). Parada ao estilo chines. Todos os Brigadeiros em forma, com uniforme de gala. O sonho dele, Edorgan, é ser o novo Sultão do Novo Império Otomano. Com direito ao harém!

  33. Sobre o episódio dos caminhões e do petróleo, vamos recapitular: centenas de caminhões tanque recebiam petróleo de uma refinaria controlada pelo EI, e depois esse carregamento entrava em território turco. É isso mesmo?

    Se for, qual é a desculpa do governo turco? Não tem como controlar suas fronteiras, ou realmente compra o outro negro, assim ajudando o EI?

  34. Clésio,
    Mas o Putin ia guardar essa descoberta só pra ele, não fosse o seu bombardeiro ter sido abatido??
    Esse tipo de informação já era sabida e ele deveria ter deixado claro quando resolver ajudar a Síria. Como já sabia antecipadamente ele não poderia ter deixado um de seus aviões adentrar território turco colocando em risco a integridade física dos seus pilotos já que eles estavam invadindo espaço aéreo de país aliados dos terroristas do EI.
    O Putin errou duplamente: não deixou claro a cumplicidade da Turquia com o EI desde o começo e cometeu a negligência com seus dois pilotos que adentraram território “suspeito” sem escolta ou sem possibilidade de defesa.

  35. Clesio, isso é o que o Putin diz. Se é verdade…
    É difícil saber a verdade. Sob o ponto de vista econômico, não faz nenhum sentido transportar petróleo em caminhões por percursos longos. E é assim porque um caminhão tanque tem capacidade para transportar uns 34 mil litros de óleo – o que corresponde a 200 barris de petróleo. Pelo preço oficial do petróleo (50 U$/barril), seria uma carga de U$$ 10 mil. Se o barril seja vendido com desconto, (digamos U$ 25/barril) a carga fica ainda mais barata – uma carga de U$ 5 mil. E desses U$ 5 mil, só uns U$ 2 ou U$ 3 mil seria lucro, já que a extração tem custo. Se você fizer um caminhão percorrer grandes percursos com uma carga dessa, não se tem lucro.

  36. Bosco, você não respondeu as perguntas…

    Jacinto, se não iam para a Turquia, iam pra onde? Que os caminhões estavam lá é inegável, já que foram os próprios ocidentais que iniciaram o ataque. Alguém comprava a produção, e por enquanto o maior suspeito é um ou mais compradores dentro da Turquia.

  37. Eu já li que o ISIS refina o petróleo. Daí o preço ia aumentar. O custo da extração de petróleo no Iraque é se USD 5 o barril. Se não valesse à pena não existiria o contrabando. São centenas de caminhões transportando combustível para a turquia diariamente. Esse comboio é tão grande que foi apelidado de trem de óleo.

    Como o Jacinto mostrou naquele post em que ele mostra o gasoduto Quatar-Turquia. Os sunitas, que contam com um grande lobby no ocidente, iriam criar uma alternativa ao gas russo para a Europa, enfraquecendo a economia e o poder geopolítico da Rússia. Esse gasoduto deve, necessariamente passar pela Síria. Os russos por sua vez tem interesse em vender o gas produzido em seu território e no gasoduto que irá também abastecer a Europa vindo do Irã, passando pelo Iraque e Síria.

    A guerra na Síria deveria ser chamada de Guerra dos Gasodutos, um conflito entre sunita e xiitas.

  38. Clésio,
    Mas eu não tenho como responder a pergunta. Quem tem é o Putin com provas consubstanciais do envolvimento direto do governo turco com o contrabando de petróleo com o EI. Ou o líder turco que apresente suas provas.
    Não tenho nada contra e nem a favor o presidente turco. Pouco me dava conta dele até há duas semanas. Nem sei pra que time ele torce. Só sei dele que ele autorizou que aviões militares russos que adentrassem o espaço aéreo de seu país fosse abatido tendo em vista essa ocorrência ser repetitiva e motivo de avisos constantes, e isso foi feito pelos seus comandados.
    Agora há a divulgação de que ele é cúmplice do EI e que fez o que fez por um mísero comércio ilegal de petróleo, para vingar que esse contrabando estava sendo prejudicado pelos ataques russos. Também agora se sabe que ele quer transformar a Turquia num país fundamentalista e quer até recriar o Império Otomano e ser o seu Sultão. Ou seja, de uma hora para outra ele só não ficou pior que os sionistas. Outro também que está sendo execrado é o Rei da Arábia Saudita. Agora a onda do momento é meter o pau no Edergon, no rei Saud e chamar o Boscolino de “ispicialista da wikipédia”. rsrsss

  39. Menos Bosco….é sabido há um bom tempo que o Erdogan é populista e seu partido quer a islamização de um dos únicos países muçulmanos democráticos e com governo laico. Um espécie de Maduro do Oriente Médio….
    Abraços!

  40. Clesio, eles vão para o Iraque, onde o ISIS também opera. Após a Guerra do Golfo, o Iraque sofreu embargos e a exportação de petróleo foi bastante limitada. Era o programa “petroleo por alimento” da ONU, pelo qual o Iraque tinha pequenas cotas de exportação de petróleo em troca de receitas usadas para aquisição de comida e remédio. Os iraquianos começaram a contrabandear petróleo para o Irã e desenvolveu-se uma estrutura de contrabando de petróleo, incluindo mini refinarias. No final, o petróleo contrabandeado acaba sendo “lavado” (como dinheiro) para disfarçar sua origem ilícita.

  41. Bosco, você tem muitos conhecimentos.
    Só que, no que concerne à sua desconfiança quanto à veracidade do aventado contrabando de petróleo por parte da Turquia (ou de turcos), não entendi sua posição.
    Você parece não acreditar.
    Mas veja bem, antes da derrubada do bombardeiro, houve uma reunião, poucos dias antes, do G20, eu acho.
    Putin mostrou, claramente, que havia comboios de dezenas de quilômetros de carretas/caminhões tanques…
    Ele até disse algo do tipo. Dentre os aqui nesta sala, há quem financie o EI…
    Mostrou fotos de satélite. Parece não ter citado nomes, questão de ética…
    Mas para onde iam esses caminhões?
    Para Israel???
    Para o Egito?
    Ou será que iam para o Irã???
    Coincidentemente, poucos dias depois, houve a derrubada.
    Mas, é bem verdade, que no início das operações russas, houve dois episódios de violação do espaço aéreo, os turcos se irritaram, conversaram, Moscou disse que não iria se repetir.
    A Turquia disse que, se acontecesse de novo…
    Ou seja, uma coisa não invalidada a outra…

  42. Se a Rússia quer defender seus interesses na Síria, deve colocar logo tropas no solo, em grande quantidade, antes que os países ocidentais o façam…
    Nem sei porque não o fizeram antes.
    Talvez porque o povo americano estava cansado de ver seus soldados morrendo. Ou devido aos custos da guerra.
    E há inúmeros riscos numa guerra assimétrica…
    Se os russos entrarem, correm o risco de sofrer pesadas baixas…
    Se ficam fora, correm o risco dos EUA chegarem primeiro.
    Ou seja, quem chega primeiro, garante seu pedaço de chão…
    Tanto é que a coalizão continua bombardeando. Depois que começaram, fica difícil impedir…
    Vamos torcer para que Putin fique o mais longe possível da América do Sul… Isto é, que não apoiem o Estado Islâmico Bolivariano…

  43. Jacinto Fernandes, se faz sentido econômico ou não, não sabemos…
    Não compensa transportar de caminhão? E de navio, dando a volta ao mundo?
    Os números que você apontou impressionam, mas lá o óleo diesel devem ser muito barato. Assim, os caminhões rodam quase de graça…
    E de onde eles tiram tanto óleo díesel para as picapes novinhas deles? Geralmente são hilux novinhas, não são?

  44. Carlos 1 de dezembro de 2015 at 22:19 ,

    Nenhum país pode colocar Força terrestre de combate na Síria sem autorização do governo Sírio. Quando digo força de combate, me refiro tropas em grande números, tipo fuzileiros. Algumas das pequenas unidade da força dos EUA está na Síria, mas são soldados pra treinar forças Curdas e alguns mercenários.
    Se alguns países colocar forças de combate no solo em grande escala sem autorização do governo central seria visto como invasão e as forças Sírio e milícias pro governo pode combater essa força estrangeira sem autorização. Por isso que nenhum país se arriscou a fazer isso. Além do mais, uma força terrestre precisa de uma logística muito grande..

  45. Carlos, o transporte marinho é a forma mais barata de frete que existe. A Daewoo fabrica navios com capacidade de transportar – acredite se quiser – mais 3 milhões de barris. A indústria de petróleo calculava, na minha época, que o frete marítimo custava em média U$ 0,02 (dois centavos de dólar) por cada galão americano (pouco menos de 4 litros). Petróleo é relativamente barato. Um barril de petróleo custa no mercado internacional, algo em torno de U$ 50 dolares e por isso o seu transporte só vale a pena, economicamente, se for realizado em grandes quantidades. Transportar petróleo de caminhão só faz sentido se a distância não for muito longa. Aliás, transportar qualquer coisa por caminhão é uma desgraça em termos de custos. Este é um dos problemas do Brasil – depender demais do transporte rodoviário.

  46. “A indústria de petróleo calculava, na minha época, que o frete marítimo custava em média U$ 0,02 (dois centavos de dólar) por cada galão americano (pouco menos de 4 litros).”
    Valor absoluto ?
    Ué, de onde para onde ? Em que quantidade ?
    Não entendi esse número/cálculo de frete !

  47. Carlos,
    Eu concordo com tudo que você disse.
    Só tenho ressalvas nessa “ética” russa por não ter citado diretamente a Turquia mas o fez após seu avião ter sido abatido e depois o Putin alegar que foi apunhalado pelas costas (de quem ele tinha provas ser criminoso) e que o abate foi fruto de “emboscada”. Ora! todo abate aéreo para ser bem sucedido deve ser furtivo. Não cabe ai a expressão “emboscada”.
    Os russos é que foram negligentes, principalmente sabendo de antemão que havia uma relação do EI com a turquia. Não deveriam ter invadido o espaço aéreo turco (mesmo porque era desnecessário) e se o fizesse tinham que ter ficado atentos, mesmo porque estavam em uma operação de guerra real na fronteira com um país suspeito e poderosamente armado.
    Já uma coisa é acreditar que há participação turca no contrabando com o EI, outra diferente é achar que isso é política oficial do governo turco e outra mais diferente ainda é achar que esse contrabando seja mais importante para a Turquia que o comércio legal que há (havia???) entre os dois países a ponto de justificar inclusive um estado de guerra entre eles. Pela tese hora em voga a Turquia jogou por terra sua boa relação com os russos para continuar seu contrabando com o EI.
    No mais, sou plenamente a favor da operação russa na região, em que pese achar o Assad tão carniceiro quanto qualquer um e pra mim o Putin não é melhor por apoiá-lo do que o Obama ou a OTAN em apoiar os rebeldes anti-Assad.
    Teoricamente o Putin só está revestido de maior legitimidade tendo em vista ser o Assad reconhecido pela ONU como o legítimo governante da Síria, mas pra mim ele perdeu esse status o dia que achou que sua permanência no poder era mais importante que a integridade física do seu povo. E o Putin só apoia o governante “legítimo” por conta de seus interesses e não por qualquer predicado mais nobre.
    Sds.

  48. Carlos Alberto, esse valor (U$ 0,02 por galão) era um número usado em negociações futuras. O que o pessoal fazia era pegar o volume total de petróleo transportado por via marítima e dividir este volume pelo valor total pago pelo transporte. É um valor médio, que não leva em consideração origem/destino. Obviamente, há dados mais específico de valor médio por rota específica, mas como nos contratos futuros não se sabe para onde o petróleo vai, o pessoal usava esta média para calcular expectativa de receita/despesa.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here